Velocidade Online

Mundial - Todo o Terreno

CAMPEONATO MUNDO TODO O TERRENO - A AUDI NO DAKAR 2022

Domingo, 16 Janeiro 2022 15:36 | Actualizado em Sexta, 20 Maio 2022 08:33

Oliver Hoffmann, Membro do Conselho de Desenvolvimento Técnico: “Cumprido papel de pioneiro”

• Julius Seebach: “Resultado histórico para a Audi”

• Quatro vitórias em etapas e um total de 14 pódios nas 12 etapas desta edição

 

O carro de competição mais complexo da história da Audi até hoje cumpriu com louvor o seu “batismo de fogo” no Rally Dakar. Todos os três carros Audi RS Q e-tron conseguiram ultrapassar todos os obstáculos no rali off-road mais difícil do mundo na sua estreia na Arábia Saudita. No total, os três carros percorreram cerca de 24.000 quilómetros na imensidão do deserto, o equivalente a quase três vezes os 8.700 quilómetros de teste que a Audi havia realizado antes desta sua estreia. Mattias Ekström/Emil Bergkvist terminou no nono lugar na chegada a Jeddah, cotando-se como a melhor equipa de pilotos da Audi nesta exigente edição da clássica maratona. Com a chegada da mobilidade elétrica, a Audi inaugurou uma nova era neste rali off-road.

 Audi RS Q e-tron no Rally Dakar: Começo bem sucedido numa nova era • Oliver Hoffmann, Membro do Conselho de Desenvolvimento Técnico: “Cumprido papel de pioneiro” • Julius Seebach: “Resultado histórico para a Audi” • Quatro vitórias em etapas e um total de 14 pódios nas 12 etapas desta edição


O carro de competição mais complexo da história da Audi até hoje cumpriu com louvor o seu “batismo de fogo” no Rally Dakar. Todos os três carros Audi RS Q e-tron conseguiram ultrapassar todos os obstáculos no rali off-road mais difícil do mundo na sua estreia na Arábia Saudita. No total, os três carros percorreram cerca de 24.000 quilómetros na imensidão do deserto, o equivalente a quase três vezes os 8.700 quilómetros de teste que a Audi havia realizado antes desta sua estreia. Mattias Ekström/Emil Bergkvist terminou no nono lugar na chegada a Jeddah, cotando-se como a melhor equipa de pilotos da Audi nesta exigente edição da clássica maratona. Com a chegada da mobilidade elétrica, a Audi inaugurou uma nova era neste rali off-road. “Desde o início, a Audi cumpriu o seu papel pioneiro no Rally Dakar”, diz Oliver Hoffmann, membro do Conselho de Desenvolvimento Técnico da Audi. “O inovador que combina um motor TFSI com uma transmissão elétrica conectada a uma bateria de alta voltagem e um conversor de energia altamente eficiente superou todas as expectativas. Em mais de quatro décadas, a nossa marca sempre esteve, repetidamente, na linha da frente com as suas inovações no mundo da competição, inclusive no rali mais difícil do mundo”. O período de desenvolvimento do Audi RS Q e-tron até à sua estreia em competição não durou mais de um ano. Graças ao trem de força elétrico com uma bateria de alta tensão e um conversor de energia altamente eficiente, os três carros competem na nova classe T1 Ultimate para veículos de baixas emissões. Os protótipos da Audi fizeram história como os primeiros representantes desta nova classe e conquistaram vitórias em etapas. Stéphane Peterhansel, o recordista com 14 vitórias no Dakar, resumiu o entusiasmo que a condução inspira: “Já conduzi muitos carros com conceitos diferentes no deserto, mas o Audi RS Q e-tron é simplesmente sensacional nas dunas. A tração elétrica com seu bom binário combina perfeitamente com meu estilo de condução.” O francês, que teve como co-piloto o seu compatriota Edouard Boulanger, venceu a décima etapa com o Audi RS Q e-tron, contabilizando assim na sua carreira um total de 82 triunfos em etapas do Dakar. No entanto, os danos iniciais deixaram desta vez os vencedores do ano passado sem hipóteses de uma boa posição na classificação geral: o piloto acertou numa pedra na segunda etapa partindo o eixo traseiro do seu carro, o que provocou danos na suspensão, tendo que esperar muito tempo pela sua equipa de assistência para a necessária reparação. A somar ao muito tempo perdido, sofreu uma penalização ao exceder o tempo máximo da etapa, o que “atirou” Peterhansel para o final da classificação geral. A partir desse momento, esta dupla disponibilizou-se para prestar todos o apoio necessário aos seus companheiros de equipa. Carlos Sainz foi diretamente um dos beneficiados como aconteceu, por exemplo, durante a quarta e sexta etapa com repetidas trocas de amortecedores. O espanhol acompanhado pelo seu compatriota Lucas Cruz, já tinha feito história na terceira etapa. Sainz conquistou a primeira vitória do Audi RS Q e-tron na exigente etapa disputada entre Al Artawiya e Al Qaisumah. Oito dias depois, conseguiu a sua segunda vitória em etapas. “Especialmente na segunda metade, as pistas eram típicas do Dakar, ou seja, muito variadas e exigentes com uma mistura de pistas off-road, dunas pequenas e grandes e difícil navegação”, disse Sainz. “Com os nossos engenheiros, melhoramos cada vez mais a afinação do carro ao longo do rali. Um grande obrigado a todos.” O bem sucedido espanhol, duas vezes Campeão do Mundo de Ralis e com três vitórias no Dakar, desta vez ficou sem hipóteses na classificação geral, apesar dos bons resultados individuais. Já no segundo dia, um roadbook impreciso levou a muitos erros de navegação em toda a etapa, perdendo a dupla Carlos Sainz/Lucas Cruz 2h22m. No final desta edição do Dakar ocuparam a décima segunda posição. Na mesma etapa, Mattias Ekström e o co-piloto Emil Bergkvist também perderam 1h45m para encontrem a rota certa. A dupla sueca, que competiram apenas pela segunda vez e pela primeira vez na categoria de carros no Dakar, ficaram satisfeitos por terem feito grandes progressos na aprendizagem. “Os meus companheiros de equipa deram-me muitas dicas”, disse Ekström, bicampeão do DTM e campeão mundial de Rallycross. “Encontrei um ritmo cada vez melhor. As dunas continuam a ser o meu grande desafio. O Stéphane e o Carlos têm muitos anos de experiência no Dakar. Eu sempre optei por um andamento seguro e não ataquei a fundo.” O fato da equipa com www.audi-mediacenter.com www.audi.pt menos experiência no deserto ter alcançado o melhor resultado foi uma bela recompensa pelo seu árduo trabalho. Dia após dia, os escandinavos melhoraram da 23ª para a nona posição. Com a vitória na 8ª etapa e dois outros bons três resultados, provaram o seu progresso constante numa disciplina onde a experiência conta mais do que em outros tipos de competição automóvel. A equipa da Audi Sport realizou o desenvolvimento e a bem sucedida preparação em cooperação com a Q-Motorsport. A equipa de Sven Quandt tem uma experiência de várias décadas no Dakar. “Estou grato à Audi por nos permitir realizar este projeto ambicioso e alcançar esses resultados juntos desde o início”, disse Sven Quandt, diretor geral e desportivo da equipa da Q-Motorsport. “As nossas equipas de pilotos venceram quatro etapas e conquistaram um total de 14 pódios no total das etapas disputadas. Isso supera claramente as nossas expectativas para a primeira participação no Dakar”, diz Julius Seebach, diretor administrativo da Audi Sport GmbH e responsável pela competição da Audi. “Um grande obrigado à equipa que esteve no local como, ainda, a todos os elementos que colaboraram na Alemanha. Um obrigado também a Sven Quandt e à sua equipa que nos prestou um valioso apoio. A vitória histórica de Carlos Sainz com o Audi RS Q e-tron na terceira etapa é a recompensa por esse trabalho árduo e ressalta a capacidade de vencer com um veículo baseado neste conceito. A Audi é, portanto, a primeira equipa a conquistar uma vitória em etapa no Dakar com um conceito de acionamento elétrico. Este é o resultado de um excelente desempenho da equipa. Após este desempenho já no primeiro ano, a vitória geral no próximo Dakar é claramente o nosso objetivo. De regresso à Alemanha, faremos um balanço, e iremos otimizar ainda mais o nosso Audi RS Q e-tron com a participação em várias provas.” O Grupo Audi com as suas marcas Audi, Ducati e Lamborghini é um dos mais bem-sucedidos fabricantes de automóveis e de motos no segmento premium. Está representado mundialmente em mais de 100 mercados e produz em 17 unidades distribuídas por onze países. Subsidiárias a 100% da Audi AG são, nomeadamente, a Audi Sport GmbH (Neckarsulm/Alemanha), a Automobili Lamborghini S.p.A. (Sant’Agata Bolognese/Itália) e a Ducati Motor Holding S.p.A. (Bologna/Itália). Em 2020 o Grupo Audi entregou aos clientes cerca de 1,693 milhões de automóveis da marca Audi, bem como 7.430 carros desportivos da marca Lamborghini e 48.042 motos da marca Ducati. No exercício de 2019 a Audi AG teve um volume de negócios de 55,7 mil milhões de € e apresentou um resultado operacional de 4,5 mil milhões de €. Atualmente cerca de 87.000 pessoas trabalham em todo o mundo para a empresa, das quais cerca de 60.000 na Alemanha. A Audi está centrada em novos produtos, tecnologias sustentáveis com vista ao futuro da mobilidade premium e serviços atraentes A SIVA distribui as marcas Audi, ŠKODA, SEAT, Bentley, Lamborghini, Volkswagen, Volkswagen Veículos Comerciais e CUPRA em Portugal. Desde 2019, integra o universo da Porsche Holding Salzburg, a maior empresa europeia de distribuição automóvel, subsidiária a 100% do Grupo Volkswagen. www.audi-mediacenter.com www.audi.pt Ao abrigo do Regulamento Geral de Proteção de Dados, informamos que o seus dados de contacto e comunicações estabelecidas são conservados na base de contactos da SIVA - Sociedade de Importação de Veículos Automóveis, S.A. (SIVA) com sede na Rua do Comércio nº 2, 2050-541 Vila Nova da Rainha) - responsável pelo tratamento de dados - a fim de permitir enviar-lhe comunicações profissionais, comerciais e institucionais, incluindo newsletters e press releases, com base no interesse legítimo da SIVA em enviar tais comunicações e prestar informações no mercado. Os dados serão conservados enquanto se mantiverem as relações profissionais, comerciais e institucionais subjacentes às comunicações e pelo prazo de um ano que se seguir ao seu termo. Os dados integrarão igualmente a base de contactos de empresas participadas da SIVA e poderão ser tratados por prestadores a quem a SIVA subcontrate serviços, sempre por sua conta, não havendo qualquer partilha ou cedência de dados a entidades terceiras. Enquanto titular de dados são-lhe conferidos os direitos de acesso, oposição, retificação, atualização, limitação, apagamento e portabilidade dos seus dados nos termos estabelecidos, em cada caso, na lei, mediante solicitação dirigida para apoio.clientes@siva.pt. Em qualquer momento poderá igualmente apresentar reclamações junto da CNPD relativamente ao tratamento dos seus dados pessoais

Facebook
Facebook
Visitas
Visitantes em linha
contador gratuito de visitas Total de visitas
Contacte-nos