In order to view this object you need Flash Player 9+ support!

Get Adobe Flash player
Joomla! Slideshow

VELO CAB2012


SERÁ ESTE O HAAS DE F 1?

SERÁ ESTE O HAAS  DE F1 ?

 

Ainda não há certezas em absoluto, mas esta imagem que já está a ser divulgada há algum tempo poderá ser  uma importante parte do que será o novo Haas, que se estreia este ano na F 1.

 


 

EQUIPA DA HAAS DE FÓRMULA 1

EQUIPA DA HAAS DE FÓRMULA 1 PREPARA MOTORHOME

 

Eis um peuqneo grupod e imagens da motor home da equipa de Fórmula 1 da Haas.12552554 10205726363221312_7598978721792143678_n_Copy12573076 10205726363581321_48653868916559078_n_Copy12647160 10205726363661323_8694946086402960216_n_Copy12651331 10205726363101309_2686366557105214220_n_Copy

 

IRÁ SER ESTA A DECORAÇÃO DO NOVO MCLAREN?

IRÁ SER ESTA A DECORAÇÃO DO NOVO MCLAREN

 

Nada para já está confirmado , mas hoje em alguma imprensa da especilidade surgui este desenho do que poderá eventualmente vir a ser a imagemf11 Copy dos McLaren no Mundial de Fórmula 1 deste ano.Resta esperar para  ver se isto se confirma.

 

RECORDAR É VIVER

RECORDAR É VIVER

 

A foto terá quase 40 anos. Foi tirada em 1976 quando na Renault se preparava a inovadora aventura F1 turbo. Vale pelo documento e é talvez a melhor maneira de mostrar que o regresso da Renault a tempo inteiro à F1 é algo de natural. O construtor francês faz parte da história da modalidade!

 

TESTES PIRELLI EM FRANÇA

 

PIRELLI COMPLETES THE FIRST TEST OF THE SEASON AT PAUL RICARD
TO DEVELOP THE 2016-SPECIFICATION FULL WET TYRE

A TOTAL OF MORE THAN 650 LAPS AND 2300 KILOMETRES ARE
COVERED BY FIVE DRIVERS FROM FERRARI, RED BULL AND MCLAREN

THE TEST RESULTS WILL NOW BE ANALYSED AT PIRELLI HQ IN MILAN
OVER THE COMING DAYS

 Pirelli’s two-day wet tyre test, held at the state-of-the-art Paul Ricard circuit in the south of France, concluded today at 4pm – with the specific aim of developing the latest generation of full wet tyres.

Ferrari, McLaren and Red Bull were present at the test, having accepted Pirelli’s invitation to all the teams to take part.

The Paul Ricard circuit’s sophisticated variable sprinkler system allowed Pirelli to test with different amounts of water on the track, in order to simulate a wide range of wet conditions. This meant that the drivers could try a number of full wet tyre prototypes, with different compounds and constructions compared to the existing 2015 Cinturato Blue.

As this was a ‘blind test’ the prototypes did not carry any colour markings on the sidewalls, and the teams and drivers did not know which specification of tyres they were testing. All the cars ran in unaltered 2015 specification.

The test and development programme was completed within two full days at Paul Ricard, with 659 laps of a short circuit configuration run by the five drivers involved, totalling 2326 kilometres.

Temperatures remained consistently low throughout both days of the test, peaking at 11 degrees centigrade. Although these were not ideally representative conditions, a wide range of data was collected that will subsequently be analysed at Pirelli’s headquarters in Milan.

McLaren’s Stoffel Vandoorne was the only driver to drive during both days, while Ferrari ran Kimi Raikkonen on Monday and Sebastian Vettel on Tuesday. Red Bull tested with Daniel Ricciardo on day one and Daniil Kvyat on day two.

These were the quickest times set over the course of the two days:

 Vettel  (Ferrari)  1.06″750  (134 laps)
 Kvyat  (Red Bull)  1.06″833  (113)
 Vandoorne  (McLaren)  1.07″758  (87 + 127)
 Ricciardo  (Red Bull)  1.08″713  (99)
 Raikkonen  (Ferrari)  1.09″637  (99)

The development programme will now continue back at base, when Pirelli will compare each team’s telemetry with its own data, in order to obtain a full picture of every prototype’s performance.

The next outing will be the first pre-season test of the year at Barcelona in Spain on February 22-25.


 alt

 

TESTES DA PIRELLI EM PAUL RICARD

TESTES DA PIRELLI EM PAUL RICARD

 

 

Foi preciso molhar o asfalto em Paul Ricard, mas a Pirelli consegui meter à prova os novos "full wet", ontem, na pista francesa.O São Pedro não quis de forma natural oferecer uma "chuvinha e o método foi este.Presentes algumas equipas,na qual o Red Bull de Ricciardo foi o que fez melhor tempo, tendo atrás de si o McLaren de Vandoorne e o Ferrari de Raikonen.6. Copy7. Copy8. Copy9. Copy10. Copy11. Copy12. Copy14. Copy15. Copy16. Copy17. Copy18. Copy20. Copy21. Copy22. Copy23. Copy24. Copy25. Copy26. Copy

 

MCLAREN CONTINUA COM PROBLEMAS

MC LAREN CONTINUA COM PROBLEMAS NOS TESTES EM PAUL RICARD

 

O motor Honda pifou em Paul Ricard. Seria um dos novos, que em teoria têm mais 203 cavalos? Ou apenas a continuação de um saga?

 

AS CONFISSÕES DE DANIEL RICCIARDO

AS CONFISSÕES DE DANIEL RICCIARDO

 

Texto do jornalista João Carlos Costa

 

Para além de Fernando Alonso, também Daniel Ricciardo não esconde que "Le Mans would be cool. To be honest, I wanted to do it last year." E confessa que a Red Bull Racing não aceitou a ideia de bom grado. Mas como ele diz: "Obviously Hulkenberg did it and won. The beauty of  Le Mans is [that] it can happen in 10 years".

 

MAIS UMA OPINIÃO CONTROVERSA DE JACQUES VILLENEUVE

MAIS UMA OPINIÃO CONTROVERSA DE JACQUES VILLENEUVE

 

In an interview with American news channel, CNN Jacques Villeneuve elaborate on what he thinks is wrong with the sport and how it can be rectified.

“F1 tries to be everything, and that’s wrong,” Villeneuve, the 1997 world champion, told CNN in an interview.

“It tries to be an endurance car, it’s some form of hybrid… and hybrid technology weighs around 100 kilos and that’s four seconds a lap of weight.

“It’s not F1, it’s not extreme, it doesn’t make sense.”

The Canadian added: “F1 has to be out there, extreme, unattainable, stupid, crazy – that’s what it’s always been. It’s a laboratory where the sky’s the limit.

“There are a lot of things that are making F1 a lot less appealing to the public. A bunch of things like DRS.”


Foto de Joao Carlos Costa.

 

MAIS NOVIDADES DA FÓRMULA 1

MAIS NOVIDADES DA FÓRMULA 1

 

NOVIDADES na hora de partida para os GP de F1 em 2016. 
Austrália, Malásia, China, Japão e Rússia começam uma hora mais cedo por causa da questão da luz natural. 

HORÁRIO - hora de Portugal continental

March 20: Australia - 5am 
April 3: Bahrain - 4pm 
April 17: China - 7am 
May 1: Russia - 1pm 
May 15: Spain - 1pm 
May 29: Monaco - 1pm 
June 12: Canada - 7pm 
June 19: Azerbaijan - 2pm 
July 3: Austria - 1pm 
July 10: Great Britain - 1pm 
July 24: Hungary - 1pm 
July 31: Germany - 1pm
August 28: Belgium - 1pm 
September 4: Italy - 1pm 
September 18: Singapore - 1pm
October 2: Malaysia - 8am 
October 9: Japan - 6am 
October 23: USA - 8pm 
October 30: Mexico - 7pm
November 13: Brazil - 4pm
November 27: Abu Dhabi - 1pm

 

ANTÓNIO FELIX DA COSTA PREPARADO

ANTÓNIO FELIX DA COSTA PREPARADO PARA MAIS UMA CORRIDA DE FÓRMULA E

 

Já em contagem decrescente para a próxima corrida da Fórmula E em Buenos Aires, sem dúvida uma especial para mim onde ganhei o ano passado! Vamusss!


 

RECORDAR É VIVER

RECORDAR É VIVER .....PARA TIAGO MONTEIRO

 

Desta fotografia de 2006 da F1 os únicos que ainda lá andam são o Rosberg, o Alonso, Raikkonen, Massa e o Button. Incrivel como o tempo passa, mas ficam sempre as memórias!

 

AZERBEIJÃO PODE NÃO TER G.P. F 1 ESTE ANO

AZERBEIJÃO PODE NÃO TER G.P. F 1 ESTE ANO

 

 

Uma crise sem precedentes no mercado mundial de petróleo tem feito com que a economia do Azerbaijão, que vai receber o Mundial de F1 pela primeira vez neste ano, esteja em situação crítica, de modo que um economista local defende até mesmo o cancelamento da prova. Entretanto, ao menos oficialmente, os trabalhos para receber a categoria em Baku estão a pleno vapor.



Pela primeira vez na história, o Azerbaijão vai receber o Mundial de F1. O GP da Europa, que está marcado para 19 de junho, nas ruas da capital Baku, vai marcar mais um novo destino para a categoria. Entretanto, o país não atravessa boa situação financeira em razão da crise do petróleo, que vem registrando quedas sucessivas no preço do barril, que chegou a ser cotado a US$ 25,75 . Trata-se de um duro golpe para um país totalmente dependente do ‘ouro negro’.


Em entrevista à agência de notícias estatal ‘Azertac’, Ali Hasanov, conselheiro presidencial, explicou como a crise do petróleo vem interferindo nas finanças do país. “O Azerbaijão é um país do petróleo. Os preços do petróleo e dos seus derivados caíram três vezes desde o começo de 2015. Isso significa que entra três vezes menos dinheiro no Azerbaijão”, comentou.
GP de F1 em Baku pode estar ameaçado em razão da crise do petróleo (Foto: Divulgação)
De fato, a queda do preço do petróleo reflete diretamente na economia azeri. Apenas nos primeiros 20 dias de 2016, o valor da cotação caiu cerca de 25% e, neste mesmo período, o Manat Azeri, a moeda local, perdeu cerca de 30% do seu valor de mercado. O economista local Zohrab Ismayil escreveu em sua conta no Facebook que as reservas dos bancos do Azerbaijão vão acabar em apenas três meses.
 
“As reservas do Banco Central vão se esgotar em dois ou três meses, e a moeda local vai perder valor de maneira muito acentuada. Haverá aumento nos preços entre 30 e 50% novamente. A crise está se aprofundando no setor financeiro, e os mercados de construção, imobiliário e de automóveis estão totalmente em colapso”, alertou.
 

A população local vem promovendo frequentes protestos em face à crise econômica azeri, sobretudo contra a alta dos preços e o desemprego. Ilham Aliyev, presidente do Azerbaijão, convocou uma reunião com a cúpula do governo para discutir os problemas socioeconômicos do país.

 

Por outro lado, outro economista azeri, Natig Jafarly, defendeu o cancelamento de eventos que vão implicar em grandes gastos de dinheiro público, como o GP da Europa nas ruas de Baku. “Eles provavelmente só vão alterar o orçamento do estado. O orçamento do estado é baseado no preço do barril de petróleo a US$ 50, eles devem rebaixá-lo a US$ 40. Mas isso só vai causar mais desemprego e redução da atividade econômica”, comentou o economista.
 
“A melhor forma de economizar fundos do orçamento do estado seria cancelar o GP da Europa em Baku neste ano e também os Jogos Islâmicos de 2017”, defendeu Jafarly.
 

Entretanto, apesar da crise do petróleo que vem corroendo as finanças de Baku, os preparativos para o país receber a F1 pela primeira vez continuam, ao menos oficialmente, a pleno vapor.

 

Texto Grandepremio.uol.com.br

 

 

 

A NOVA DESIGNAÇÃO DA MARUSSIA NA F 1

A NOVA DESIGNAÇÃO DA MARUSSIA NA F 1

 

Manor have revealed a new team name - Manor Racing - and a new logo ahead of a full reveal on Monday February 22 - the day pre-season testing starts. The minnows have been quiet over the winter, but look set for an exciting 2016 as the Marussia name is dropped from the team's title, a new car for the first time since 2014 debuts and they use Mercedes engines for the first time.

 

MCLAREN APRESENTA NOVO F 1

MC LAREN APRESENTA O SEU CARRO A 21 DE FEVREIRO

 

Serrá no próximo dia 21 de Fevereiro que a McLaren irá apresentar o seu chássi para 2016, esperando que desta feita seja bem mais nascido que o modelo anterior, que só deu problemas para Alonso e Button.

 


 

SEGUNDO A OPINIÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

SEGUNDO A OPINIÃO DE JOÃO CARLOS COSTA

 

COM A VINDA DA FÓRMULA 1 PARA O EUROSPORT

 

Porque a F1 é muito mais que corridas... 
Faltam 60 dias para o primeiro treino em Melbourne e isso não é nada tranquilizador.

 

MAIS NOVIDADES NA FÓRMULA 1

MAIS NOVIDADES NA FÓRMULA 1

 

FIA president Jean Todt will meet with Formula 1's engine manufacturers over two days next week, expecting "positive steps" to have been taken in addressing power unit concerns.
Towards the end of November, following separate meetings of the Strategy Group and F1 Commission in Paris, all concerned agreed to look at several key areas relating to power unit supply.
Specifically they were the guarantee of the supply of power units; the need to lower cost to customer teams; simplification of the technical specification, and an improvement in noise.
The manufacturers were given a January 15 deadline to provide solutions to the issues, with the aim for introduction in 2017 at the earliest, and 2018 at the latest.
Those proposals will be aired in a two-day meeting in Geneva next Monday and Tuesday.
Speaking to Autosport, Todt said: "I want to put people in front of their responsibility.
"As you know I asked the engine manufacturers to come back on some proposals to address some of my concerns over the powertrain.
"I've a meeting with them on Monday and Tuesday, so following proper governance I want to see where we end up.
If I am unsatisfied with the situation for clear reasons, we will see what will be the next steps.
"Let's try and be optimistic and hope we are discussing with sensible people who understand the problem and who participate to solve the problem.
"Obviously I hope positive steps have been taken."
In early December, following a meeting of the World Motor Sport Council, Todt and commercial rights holder Bernie Ecclestone were given additional powers to make recommendations and decisions on key issues regarding F1's future.
Todt is eager to see what the engine manufacturers come up with before potentially exercising that additional power.
Todt has also made clear, though, he cannot go beyond certain boundaries, saying: "We have governance, so if we do something that is unacceptable by a third party then we would be sued.
"The FIA doesn't belong to me. I've been elected to run the organisation, and one of my clear priorities in the mandate is transparency and good governance.
"So I'm intending to fulfil my mandate in this manner.
"Clearly, we need to have these meetings, like next week, because as you know in Formula 1 people are locked inside their golden gates and they don't see what is happening elsewhere
"All the FIA experts have been working with them, so in light of those discussions I will get a proposal, but one that will be the fruit of discussions in which the FIA has been involved.
"We are not a spectator. We have been guiding, leading, sharing those meetings, and in light of that we are now expecting some outcomes.
"Bernie is the commercial rights holder, I am the president of one organisation that regulates and legislates, so I am taking my full responsibility.
"But I have to respect the governance that was in place before I was elected, which has been improved since I've been elected."

 

A FÓRMULA E EM PARIS

A FÓRMULA E EM PARIS

 

Este é o circuito instalado nas ruas de Paris, que a Fórmula E irá ter uma corrida, que conta à partida com o piloto portugues António Felix da Costa

 


 

DS VIRGIN COM ENCONTRO EM PARIS

 

DS VIRGIN RACING COM ENCONTRO MARCADO NO ePRIX DE PARIS A 23 DE ABRIL

 

 

DSV-01 in_Paris_CopyA DS Virgin Racing irá participar na prova de Fórmula E que terá lugar na cidade de Paris, no quartier dos Invalides, no sábado dia 23 de abril, naquela que será uma estreia no centro da capital francesa. Depois de Pequim, Putrajaya, Punta del Este, provas do Campeoonato FIA Formula E 2015-16 já realizadas, e das jornadas por disputar de Buenos Aires, Cidade do México e Long Beach, Sam Bird e Jean-Eric Vergne, pilotos da equipa DS Virgin Racing irão estar, no próximo dia 23 de abril, ao volante dos seus monolugares DSV-01 nas ruas de Paris. Foi hoje anunciado o traçado do circuito numa conferência de imprensa que teve lugar na Câmara Municipal de Paris, na presença de Anne Hidalgo, Presidente da Câmara, Patrick Kanner, Ministro da Cidade da Juventude e do Desporto, Thierry Braillard, Secretário de Estado do Desporto, e Jean Todt, Presidente da FIA. Xavier Mestelan Pinon, Diretor da DS Performance DS – divisão de desporto automóvel da marca DS – e JeanEric Vergne também estiveram presentes no evento, ao lado de um dos monolugares DSV-01 inscritos pela equipa DS Virgin Racing naquela que é a segunda temporada deste campeonato 100% elétrico. O encontro, a 7ª prova do calendário 2015-16, está agendado para o dia 23 de abril, no coração de Paris, nos arredores do Hôtel des Invalides.

 

F 1 NA NEVE? SÓ NA MENTE DA RED BULL

 

itzbühel was turned into the setting of the first ever F1 showrun at an Alpine peak on Thursday. In the build-up to the legendary Hahnenkamm ski races, Max Verstappen unleashed the power of a Red Bull Racing world-championship winning car. Supported by 3,500 spectators, the Dutch driver provided a spectacular foretaste - amid splendid winter weather – of the 2016 Formula 1 Großer Preis von Österreich at over 1,600 metres altitude. Austrian F1 legends Gerhard Berger and Helmut Marko didn’t want to miss out on the first time a racing car has taken to the snow at the Hahnenkamm.

A spectacular show in the mountains

2016 may only be a few days old, but F1 has already made its presence felt before the season starts. Max Verstappen put in an impressive performance in an F1 car amid an Alpine landscape in the build-up to the Hahnenkamm ski races at the legendary Streif ski run in Kitzbühel. The awe-inspiring sound of the Red Bull Racing world-title winning car with snow whirling around several metres into the air at the back delighted the 3,500 people watching at the edge of the circuit marked by ski gates.

The Scuderia Toro Rosso driver told us at the Red Bull Energy Station on the Hahnenkamm how it felt to race the beast of a machine on a ski piste right in the middle of the Alps, saying: “It was really cool and was so much fun. Keeping the car on the track was a real challenge.” On being asked how a Dutchman can drive so well on snow in the mountains of Austria, Max Verstappen smiled and said: “We are definitely better at ice skating. Marcel Hirscher’s mother is from Holland too, so I guess he got his skiing talent from her.”

Read the rest of the story HERE and download more media content (including additional interviews and a POV Clip) from the showrun HERE.

 

Direct Download Download
alt
More Photos and Videos
alt
alt
alt

 

ASTON MARTIN NÃO VAI PARA A F 1

Está confirmado: Force India F1 não será Aston Martin em 2016. Mas a porta fica aberta para o futuro.

 

MUDANÇAS NA VOLKSWAGEN MOTORSPORT

VW MOTORSPORT perde Jost Capito para a McLaren F1, onde terá o papel de CEO.

McLaren surprised on Thursday by announcing Volkswagen Motorsport boss Jost Capito would become the Formula 1 team's new chief executive officer. DAVID EVANS analyses what Capito can contribute

Time was, a move from anywhere in motorsport to the sharp end of McLaren's Formula 1 effort would be a significant step up.

But going from one of the world's biggest car manufacturers, the one that has just won 34 of the last 39 world rallies and all six world championships, is now maybe less so.

There are a couple of schools of thought where Capito's VW achievements are concerned. He's had the best car, the biggest budget and the best drivers, so you might well ask how he let those other five rallies slip.

As those in the industry are well aware, the component parts are all well and good, but without the right person to pull them together, you end up with... well, try Chelsea Football Club right now.

And that's where some of Capito's real strength lies - in the stuff that goes on behind the scenes.

That includes the delicate boardroom negotiations required in recent months to keep a beleaguered parent company in the World Rally Championship or the arm around a disillusioned lead driver to get him back on track and bound for another title.

That was what Capito did for Sebastien Ogier in 2014.

Capito's the ultimate team player. For the last three years, he hasn't missed an early morning service - many of them involving an alarm call starting with the number four - to offer his three drivers the best for the day ahead.

Such routines can and often are waved away as platitudes, but there's genuine feeling from Capito. Volkswagen Motorsport was his team, his family.

Now, I'm not exactly well versed in the ways and workings of McLaren, but from what I understand, Capito's going to struggle to foster the same sort of relaxed, open and, at times, apparently laissez-faire attitude that he managed out of Hannover.

The good thing for Jost is that he knows motorsport and F1. His time with Sauber in the late 1990s will have given him a solid insight into the paddock at an executive level while the recent months within the Volkswagen Group will have offered a solid briefing on crisis management.

But there can be little doubt, what Capito faces now is the biggest challenge of his career.

And his legacy at Volkswagen? Forget the titles or the rally wins, there'll be a fairly large pair of shoes to be filled at the back door when he lands in Surrey.

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

PIRELLI ANNOUNCES COMPOUND CHOICES AND MANDATORY SETS
FOR THE 2016 RUSSIAN GRAND PRIX

 Pirelli will bring the following three compounds to the fourth round of the 2016 Formula One season in Russia (April 28-May 1):
P Zero White medium
P Zero Yellow soft
P Zero Red supersoft

These are the tyres that Pirelli has said must be used at some point in the race:
One set of P Zero White medium
One set of P Zero Yellow soft.

Each driver must have both these sets available for the race, and must use at least one of them.

There are the tyres assigned for Q3 in qualifying:
One set of P Zero Red supersoft

Following on from the 2016 regulations, each driver must save for Q3 one set of the softest of the three nominated compounds. This set will be given back to Pirelli after Q3 for those who qualify in the top 10, but the remaining drivers will keep it for the race – as is the case currently.

The teams are free to choose the remaining sets; making up 13 sets in total for the weekend.

alt

 

ECOS DA FÓRMULA 1

ECOS DA FÓRMUAL 1

 

Reviravolta: se a PDVSA sair, Pastor Maldonado poderá ser substituído por Kevin Magnussen

 

DEVERAS CURIOSO

773 10205563833998183_4502943328556829573_n_Copy1855 10205563802277390_3750569103931083812_n_Copy7390 10205563802477395_9143196909472325072_n_Copy21527 10205563803197413_6027990519608087862_n_Copy21527 10205563837438269_7450943008330537490_n_Copy150376 10205563835958232_4403078125296289153_n_Copy221767 10205563804757452_3296527056795811784_n_Copy481185 10205563838158287_5984003336622851677_n_Copy535235 10205563841878380_2225404441031579457_n_Copy535235 10205563842038384_3823101982857309178_n_Copy544045 10205563804037434_2163443051158862958_n_Copy940987 10205563808077535_320411298951447132_n_Copy544045 10205563804037434_2163443051158862958_n_Copy150376 10205563835958232_4403078125296289153_n_Copy

 

DI GRASSI QUER FORMULA E NO BRASIL

 

Lucas di Grassi: "Ibirapuera seria ideal para a Fórmula E no Brasil"

Parque mais famoso de São Paulo seria o melhor ponto, de acordo com o vice-líder do campeonato, que até desenhou um traçado de 2.105 metros no local

 

Foi do Brasil o primeiro piloto a vencer a primeira corrida da história da Fórmula E, ainda na China, em 2014. A categoria dos carros elétricos tem forte presença brasileira com pilotos e também com outros profissionais. Por isso, na opinião de Lucas di Grassi, nada mais natural que o país receber uma prova da categoria.

Paulistano, Di Grassi fez um breve ensaio de como e onde seria o palco ideal para a primeira corrida da Fórmula E no Brasil. "Acho que São Paulo, por ser a maior cidade do país, no Parque do Ibirapuera, que é o coração verde da cidade, onde as pessoas praticam atividades físicas e há um belíssimo cenário", disse. "Além disso, há a total possibilidade prática de se fazer uma pista para a Fórmula E correr lá", continuou.

O traçado desenhado por Lucas tem 2.105 metros de extensão, dez curvas e sentido anti-horário. Tem a reta de largada na Avenida Pedro Álvares Cabral, em frente à Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (sentido Avenida Brasil); em seguida, o traçado segue o contorno do Movimento à Bandeira, no encontro com a Avenida República do Líbano, e segue até entrar no parque pelo Portão 9. Dali, segue o contorno do lago (paralelo com a Avenida República do Líbano) numa longa e veloz curva à esquerda, fechando com um ‘cotovelo’ também à esquerda, levando pela pista de caminhada e fazendo todo o contorno pelo lago até a saída, novamente, para a Avenida Pedro Álvares Cabral. Os boxes ficariam na mesma avenida, no sentido Centro.

A Fórmula E fez recentemente uma etapa em Punta del Este, no Uruguai, onde Lucas foi o segundo colocado. E corre em Buenos Aires no próximo dia 6. É o mais perto que a categoria chega do Brasil. Um quadro que, de acordo com o piloto da ABT Schaeffler Audi Sport, tem tudo para mudar.

"O Brasil deu alguns bons passos em relação aos carros elétricos ao zerar os impostos de importação. É um bom início. Além disso, veículos movidos a eletricidade estão isentos do rodízio municipal de São Paulo e têm 50% de desconto no IPVA", enumerou.

"Uma corrida da Fórmula E acontecendo no Brasil é mais um estímulo para a importação e a produção destes veículos e seu uso nas cidades. É a única maneira que vejo de os grandes centros combaterem com mais eficiência os altos índices de poluição que ainda são gerados pelos veículos a combustão", afirmou.

 

Reprodução
Clique na imagem para fazer o Donwload... 
Traçado de 2.105 metros que passa pelo Parque do Ibirapuera em São Paulo
Alta | Web

Duda Bairros/P1 Media Relations
Clique na imagem para fazer o Donwload... 
Para Lucas, é o local mais apropriado para receber a Fórmula E no Brasil
Alta | Web

Duda Bairros/P1 Media Relations
Clique na imagem para fazer o Donwload... 
A categoria já correu em um Parque: no Battersea Park, em Londres, em 2015
Alta | Web

Duda Bairros/P1 Media Relations
Clique na imagem para fazer o Donwload... 
"O Brasil tem dado alguns passos importantes em relação ao carro elétrico", diz
Alta | Web

Duda Bairros/P1 Media Relations
Clique na imagem para fazer o Donwload... 
Próxima prova da categoria acontece em Buenos Aires no dia 6 de fevereiro
Alta | Web


Caso não deseje mais receber nossos releases, por favor solicite o seu cancelamento.

 

TESTES PIRELLI

 

2016 Paul Ricard Circuit – Wet Test

 FERRARI, RED BULL AND McLAREN AT THE TWO-DAY WET TYRE TEST
ORGANIZED BY PIRELLI AT PAUL RICARD CIRCUIT ON JANUARY 25-26

 THE SESSION WILL BE OPEN TO MEDIA, TV AND PHOTOGRAPHERS
DETAILS FOR CREDENTIAL APPLICATION BELOW

  Pirelli organizes a wet tyre test to be held at Paul Ricard circuit, on January 25 and 26.

The two-day test will be focussing just on wet tyres (no intermediates). Different wet prototypes will be tested.

Three teams will take part in the test: Ferrari, Red Bull and McLaren. More details on the drivers participating as well the test programme will be made available in the coming days. 

 

alt

alt

 

SEGUNDO O CANAL EUROSPORT

SEGUNDO O CANAL EUROSPORT E O JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

 

Eurosport’s experts across Europe have revealed their ‘10 Future Stars for 2016’, with Belgian-born Dutchman Max Verstappen gaining recognition.

- Born on September 30, 1997

- Scuderia Toro Rosso driver became F1’s youngest points-scorer in March

- Has burst onto the scene with his aggressive driving style since his F1 debut at the age of 17

- Watch him on Eurosport in Portugal throughout the Formula One World Championship season

Nominated by Eurosport F1 commentator João Carlos Costa, who said: “The son of ex-F1 driver Jos Verstappen, the young Belgian-born Dutchman is fast, fearless, big hearted and big mouthed: a breath of fresh air in the ‘overly-purified’ world of Formula One.

“His natural speed and hunger for success are both reminiscent of Ayrton Senna and, combined with the nonchalance and wry smile of Nelson Piquet, they make him pure danger for the competition. He challenges even the biggest names in F1 with his late braking and amazing overtaking capability, finding space where other drivers can’t.

“At the age of 17 years and 166 days, Verstappen began his F1 career as the Championship’s all-time youngest driver, despite only having 47 races in a Formula car under his belt and no driving licence to his name. His lack of experience, however, was solved by bringing his young, aggressive ‘karting and Playstation’ style of driving to Grand Prix racing and was the reason for his exciting, successful rookie season.

“All this means that, as long as he has the right engine, I believe the 2016 F1 season will give him his first career podium finish and a place in the top 10 of the final standings. Then, if the team and car are in his favour, I see him as the 2017 World Champion at the age of 20, breaking even more records and attracting a new generation of fans to F1.

“Verstappen is not the next big thing – he’s already here. He is F1 boss Bernie Ecclestone’s biggest commodity right now, the catalyst for the new generation of fans and drivers and has everything it takes to transform Formula One into Circus MAXimus for more than a decade.”1319805-28389345-2560-1440 Copy

 

SEGUNDO A OPINIÃO DE JOÃO CARLOS COSTA

SEGUNDO A OPINIÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

 

Sabemos que somos grandes quando isto nos acontece, mesmo que seja a título póstumo e "apenas" na versão internacional. Na altura, lembro-me de ter ficado ruído de inveja por não me ter lembrado de um título destes, tão simples, mas tão marcante, tão real, tão só e apenas porque cada volta que fazia, ou era um hino à pilotagem, ou pelo menos todos nós esperávamos que fosse... 

 

A ANTEVISÃO DO NOVO FERRARI PARA 2016

A ANTEVISÃO DO NOVO FERRARI DE F1 PARA 2016

 

GIORGIO PIOLA antevê o Ferrari 2016.

 

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

 

Será? Então vamos ter um Red verdadeiramente Bull!

Fala-se nos bastidores da Fórmula 1, que o Red Bull em 2017 poderá surgir com motores da Lamborghini.E  esta hem?
E esta? Hem?

 

AZERBEIJÃO JÁ TEM PISTA PARA RECEBER MUNDIAL DE F 1

AZERBEIJOÃO JÁ TEM PISTA PARA RECBER O MUNDIAL DE F 1 EM 2016

 

O Azerbveijão já tem pista para receber a F1 mem 2016. O traçado citadino concebido por Hermann Tilke terá aproximadamente 6006 metros, com uma largura entre os 18 e os 8 metros . No projecto  anunciado fala-se que irão ser  construídas bancadas para 30 mil pessoas, com a ideia ser ir aumentando a capacidade ao longo duma década  de contrato com Bernie Eclestone

 

RECORDAR É VIVER

RECORDAR É VIVER

 

O último Grande Prémio de Fórmula 1 de Clay Regazzoni. O Ensign ficou sem travões no final da recta grande em Long Beach 1980 e o suíço acabou por embater no Brabham de Ricardo Zunino que aí tinha parado na escapatória. Clay ficou paralisado abaixo da cintura. Ainda colocou os organizadores em tribunal, alegando falta de condições de segurança, mas perdeu a causa.

 

A SUGESTÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

A SUGESTÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

 

Apenas uma ideia para aumentar o interesse do GP do Mónaco...

 

RECORDAR É VIVER

RECORDAR É VIVER

 

NOSTALGIA... F1, classe de 1976.

 

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

SEGUNDO A INFROMAÇÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

 

A Alfa Romeo nos EUA está na moda. Nos sites muito se tem falado no regresso da marca às competições e na possibilidade disso acontecer por terras do Tio Sam para 2017. E se de facto for assim, mas de forma "torta" e já em 2016, com os motores Ferrari dos Haas F1 a chamarem-se Alfa Romeo? Fiquem de pulga atrás da orelha porque do outro lado do Atlântico muitos dizem que é a done deal e dai a equipa nunca ter falado em motores Ferrari, antes em parceria técnica com a marca italiana.

 

RECORDAR É VIVER

RECORDAR É VIVER

 

SEGUNDO RICARDO GRILO

 

Refiro muitas vezes este senhor nas transmissões do Blaincpain Endurance Series. Trata-se do suíço Loris Kessel que deu origem à actual Kessel Racing que compete com os Ferrari F458 GT3.

Mas nos anos 70, o herdeiro dos relógios Kessel queria chegar à F1 e adquiriu um Williams FW 03 que serviu de base para este Apollon Fly (que na realidade conheceria uma carreira miserável). O carro foi modificado nos estúdios Fly do antigo engenheiro da Ferrari Giaccomo Caliri, ganhando uma forma moderna mas uma eficácia duvidosa.

O carro ficou pronto tardiamente e após ter faltado ao GP da Bélgica por falta de transporte, tentou alinhar em Monza, onde lhe foi entregue um espaço ao ar livre a servir de box (!!!) e onde Kessel acabaria por acidentar fortemente o carro nos treinos cronometrados, acabando assim a aventura e a marca Apollon.

Possivelmente, a marca mais breve da história da Fórmula 1

 

ORIGINAL POSTAL DE NATAL.....

ORIGINAL POSTAL DE NATAL DA RED BULL

 

Postal de Natal da Red Bull Racing. Sem mais comentários...

 

UMA PARTIDA Á MW......

UMA "PARTIDA" À WINCKENLOCK

 

Mais uma partida protagonizada por Manfred Winckenlok.....

 

RECORDAR É VIVER

RECORDAR É VIVER

 

JAMES HUNT TESTOU WILLIAMS

 

 

A história é simples: Estávamos no início de 1990. Hunt tinha perdido milhares de libras no famoso escândalo de seguros da Loyds's. Testou alguns carros para uma publicação mas chegou mesmo a pensar num regresso à actividade, 11 anos após o fim de carreira. O teste com o Williams/Renault em Paul Ricard deixou-o a muitos segundos da dupla da equipa (Patrese/Boutsen). Ainda assim, tentou convencer a Phillip Morris em apoiá-lo nesse regresso. O negócio não chegou a bom porto, mas Hunt voltou a aterrar na BBC para continuar os seus 13 anos (até à sua morte) a fazer dupla nos comentários com Murray Walker.


Texto de João Carlos Costa - www.velocidadeonline.com1909726 10205496227868072_2778730831494336330_n_Copy

 

DI GRASSI NO PÓDIO NO URUGUAY

 

Fórmula E: Segundo em Punta del Este, Lucas di Grassi fecha o ano na liderança

Brasileiro largou do quarto lugar neste sábado (19) no Uruguai, superou seus adversários e encerra 2015 na ponta da tabela. Próxima corrida acontece em fevereiro

 

Lucas di Grassi mostrou rápido poder de reação, frieza e estratégia para conquistar o segundo lugar no e-Prix de Punta del Este, no Uruguai, terceira etapa da Fórmula E, disputada neste sábado (19). O piloto do Team ABT Schaeffler Audi Sport fecha o ano, assim, na liderança do campeonato, um ponto à frente de Sébastien Buemi, o vencedor da prova no balneário uruguaio.

O brasileiro largou da quarta posição, do lado mais sujo da pista. Assim, perdeu duas colocações no início, as recuperou no decorrer da primeira metade da prova - uma delas com uma bela ultrapassagem sobre Sam Bird. Pressionando Loïc Duval, Lucas entrou nos pits junto do francês para a troca de carro. A parada perfeita da equipe - exatamente no tempo mínimo estabelecido de 59 segundos - colocou Lucas à frente de Duval e de Jérôme D’Ambrosio, na segunda colocação.

Buemi já liderava com o carro da Renault e.Dams, o equipamento a ser batido nesta temporada 2015/2016 do campeonato dos carros elétricos. Lucas ainda tentou colocar pressão sobre o adversário, mas o suíço fez valer a condição de contar com o melhor carro do grid e se manter à frente.

"Quase bati na largada por ter saído do lado sujo da pista, e quem sai nas posições pares aqui fatalmente perde posições. Consegui recuperar e entrei colado no Loïc (Duval) e no Jérôme (D’Ambrosio) nos boxes. O pit stop foi importante - confio muito no meu time e sei o quanto eles trabalham duro neste fundamento, e parte deste resultado é deles. Forcei na saída, tentei pressionar o Buemi, mas o carro da e.Dams está mais rápido. Temos que melhorar, pois o campeonato é duro, a qualidade dos pilotos é alta, e vamos lutar muito", disse o brasileiro.

Com 62 pontos - um à frente de Buemi - Lucas encerra 2015 liderando a competição, condição que alcançou com a vitória na etapa anterior em Putrajaya e com o segundo lugar na abertura da temporada em Pequim. No entanto, Di Grassi destaca que sua equipe, o Team ABT Schaeffler Audi Sport, terá de trabalhar duro para alcançar os rivais do box ao lado.

Lucas e Buemi provaram que irão polarizar a disputa pelo título. O suíço, contando com um equipamento melhor; o brasileiro, com estratégia e trabalho de equipe, além de contar com o próprio talento. "Estamos alguns décimos atrás, mas é o suficiente para que o piloto se arrisque mais e ande 100% no limite o tempo todo. Sabemos que eles foram o time que mais investiu no desenvolvimento do conjunto e fez um trabalho melhor. Temos de melhorar e aproveitar as oportunidades", afirmou.

A próxima etapa da Fórmula E acontece em Buenos Aires no dia 6 de fevereiro.

Resultado do e-Prix de Punta del Este (URU):
1. Sébastien Buemi (SUI), Renault e.Dams - 33 voltas em 45min59s697
2. Lucas di Grassi (BRA), ABT Schaeffler Audi Sport - a 3s534
3. Jérome D'ambrosio (BEL), Dragon Racing - a 6s725
4. Loic Duval (FRA), Dragon Racing - a 6s807
5. Nicolas Prost (FRA), Renault e.Dams - a 21s057
6. Antonio F. Da Costa (POR), Team Aguri - a 22s410
7. Jean-Eric Vergne (FRA), DS Virgin Racing - a 57s726
8. Daniel Abt (ALE), ABT Schaeffler Audi Sport - a 1min00s744
9. Stéphane Sarrazin (FRA), Venturi - a 1min03s559
10. Robin Frijns (HOL), Andretti - a 1min03s840
11. Simona De Silvestro (SUI), Andretti - a 1 volta
12. Oliver Turvey (ING), Nextev TCR China Racing - a 1 volta
13. Oliver Rowland (ING), Mahindra - a 1 volta
14. Nathanaël Berthon (FRA), Team Aguri - a 1 volta
15. Nelson Piquet Jr. (BRA), Nextev TCR China Racing - a 2 voltas
16. Bruno Senna (BRA), Mahindra - a 7 voltas
17. Sam Bird (ING), DS Virgin Racing - a 16 voltas
18. Jacques Villeneuve (CAN), Venturi - a 32 voltas
Volta mais rápida: Sébastien Buemi: 1min17s413

Classificação do campeonato após três etapas:
1-) LUCAS DI GRASSI - 62 pontos
2-) Sébastien Buemi - 61
3-) Jérome D’Ambrosio - 28
4-) Sam Bird - 24
5-) Loïc Duval - 24
6-) Nick Heidfeld - 17
7-) Robin Frijns - 17
8-) Stéphane Sarrazin - 16
9-) Antonio Felix da Costa - 16
10-) Nicolas Prost - 11

 

Duda Bairros/P1 Media Relations
Clique na imagem para fazer o Donwload... 
Lucas di Grassi mostrou mais uma vez o forte desempenho
Alta | Web

Duda Bairros/P1 Media Relations
Clique na imagem para fazer o Donwload... 
E fechou o e-Prix de Punta del Este na segunda posição
Alta | Web

Duda Bairros/P1 Media Relations
Clique na imagem para fazer o Donwload... 
Três corridas e três pódios para o piloto do Team ABT Schaeffler Audi Sport
Alta | Web

Duda Bairros/P1 Media Relations
Clique na imagem para fazer o Donwload... 
São dois segundos lugares e uma vitória
Alta | Web

Duda Bairros/P1 Media Relations
Clique na imagem para fazer o Donwload... 
E Di Grassi encerra 2015 como líder do campeonato da Fórmula E
Alta | Web

Duda Bairros/P1 Media Relations
Clique na imagem para fazer o Donwload... 
Piloto e time buscam melhoras para alcançar adversários da e.Dams
Alta | Web

Duda Bairros/P1 Media Relations
Clique na imagem para fazer o Donwload... 
Próxima etapa: Buenos Aires, no dia 6 de fevereiro
Alta | Web


 

 

O ANTIGO CHAMPANHE DOS GP DE F 1

O ANTIGO CHAMPANHE DA F 1...

 

Ao que se chegou.....

 

O mundo mudou! Vending machines de Moet?!

 

OS DESABAFOS DE BERNIE ECLESTONE

OS DESABAFOS DE BERNEI ECLESTONE SOBRE O GO DA ALEMANHA DE F 1

 

 

Bernie Ecclestone has cast fresh doubt on the long-term future of the German GP. Although the event returns to the calendar in 2016 at Hockenheim after a year's absence, the prospect of the Nurburgring returning for 2017 after the venue couldn't agree a deal for 2015 remains shrouded in uncertainty. 


"It is a mystery to me. I do not know what is going wrong in Germany, they have obviously lost the joy of F1," he told Die Welt newspaper. "In the stands and in front of the TV screen.They could have no better motivation: Mercedes, with Nico Rosberg and Sebastian Vettel two top drivers...the incredible performance of Michael Schumacher in the past..."

 

RECORDAR É VIVER

RECORDAR É VIVER

 

LIGIER NO AUTÓDROMO DO ESTORIL

 

È sempre bom recordar....3784 10205487597972330_6232243869871544216_n_Copy

 

ANTÓNIO FELIX DA COSTA ESTREIA NOVO CAPACETE

ANTÓNIO FELIX DA COSTA ESTREIA NOVO CAPACETE

 

Novo capacete para este fim de semana no Uruguay, corrida da Formula E. Obrigado à Red Bull pelo apoio constante nos últimos anos e por continuar a fazer parte desta grande família no DTM e Formula E! Fludo swiss watch

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

PIRELLI ANNOUNCES COMPOUND CHOICES AND MANDATORY SETS
FOR THE 2016 BAHRAIN AND CHINA GRANDS PRIX

Pirelli will bring the following three compounds to Bahrain and China for the second and third rounds of the 2016 Formula One championship:
     P Zero White medium
     P Zero Yellow soft
     P Zero Red supersoft

These are the tyres that Pirelli has said must be used at some point in the race:
     One set of P Zero White medium
     One set of P Zero Yellow soft.
Each driver must have both these sets available for the race, and must use at least oneof them.

There are the tyres assigned for Q3 in qualifying:
     One set of P Zero Red supersoft
Following on from the 2016 regulations, each driver must save one set of the softest of the three nominated compounds for Q3. This set will be given back to Pirelli after Q3 for those who qualify in the top 10, but the remaining drivers will keep it for the race – as is the case currently.

The teams are free to choose the remaining sets; making up 13 sets in total for the weekend.

The tyre choices so far:

Purple Red Yellow White Orange
Australia  Supersoft Soft Medium
Bahrain  Supersoft Soft Medium
China  Supersoft Soft Medium

alt

 

A FORÇA DO DINHEIRO NA FÓRMULA 1

A FORÇA DO DINHEIRO NA F 1

 

SEGUNDO A OPINIÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

 

A Iindonésia entrou na OPEP e agora a indústria petrolífera e o governo do país (veja-se a carta oficial) querem colocar Rio Haryanto, quarto no GP2 no quarto ano na disciplina, na Manor F1. Resta saber se as novas regras de super-licença lhe dão pontos suficientes, mesmo tendo em conta que ganhou três corridas este ano (sempre na segunda).

 

SPORT TV DESPEDE-SE DAS TRANSMISSÕES DA FÓRMULA 1

SPORT TV DESPEDE-SE DAS TRANSMISSÕES DA FÓRMULA 1

 

Depois de 9 anos juntos hoje a Sporttv despede-se da Fórmula 1. Passamos grandes momentos juntos com esta grande equipa!

 

SEGUNDO A OPINIÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

SEGUNDO A OPINIÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

 

As saudades que tinha de uma notícia assim... Vira o disco e toca o mesmo, mesmo no tempo da música digital. 
Mas pergunto: se a batalha azedar (e acredito que vai mesmo) terão a coragem de fazer como fizeram com o 637 "fantasma" de F. Indy, que criaram em 1986/87? Desta feita, a acontecer, optariam por um protótipo para o WEC?

Ferrari have warned they could leave Formula 1 in protest against the new rules expected to be proposed by the sport's supremo, Bernie Ecclestone, and FIA…
WWW.SKYSPORTS.COM

 

JAGUAR DE RETORNO ÀS PISTAS

 

JAGUAR REGRESSA À COMPETIÇÃO

 

Anexo sem_nome_00004_CopyAnexo sem_nome_00007_CopyAnexo sem_nome_00010_Copy

 

 

  • A Jaguar Land Rover confirma o seu futuro elétrico com a participação no inovador campeonato de Fórmula E da FIA.
  • A Fórmula E irá proporcionar um banco de testes de performance real para a tecnologia futura Jaguar Land Rover.
  • Jaguar Land Rover, o principal investidor do Reino Unido em investigação e desenvolvimento, reafirma o seu compromisso com a engenharia britânica maximizando o desenvolvimento da tecnologia de propulsão elétrica no mundo da competição.
  • Os engenheiros da Jaguar Land Rover irão trabalhar diretamente com a equipa de competição da Jaguar para desafiar os limites da propulsão elétrica. 

A Jaguar anunciou hoje o seu regresso ao automobilismo internacional. No outono de 2016 a Jaguar irá entrar na terceira temporada do emocionante campeonato de Fórmula E da FIA como fabricante com a sua própria equipa. A Fórmula E da FIA é o primeiro campeonato internacional de monolugares do mundo para veículos elétricos.

A Fórmula E da FIA proporciona uma oportunidade única para a Jaguar Land Rover avançar no desenvolvimento de novos mecanismos de transmissão elétrica de veículos, incluindo a tecnologia de motores e baterias.

Nick Rogers, Group Engineering Director da Jaguar Land Rover, afirmou: "É com grande prazer que anuncio o regresso da Jaguar à competição com a sua participação no inovador campeonato de Fórmula E da FIA. Os veículos elétricos irão ocupar, sem dúvida, um lugar importante na gama futura de produtos da Jaguar Land Rover e a Fórmula E irá proporcionar-nos uma oportunidade única para continuar a desenvolver tecnologias de propulsão elétrica. O campeonato irá permitir-nos desenhar e testar as nossas tecnologias avançadas em condições extremas de performance.

Estou convencido que nos próximos cinco anos veremos mais alterações no mundo automóvel do que nas últimas três décadas. No futuro estaremos mais ligados e tudo será mais sustentável; a propulsão elétrica e as tecnologias leves estão a adquirir mais importância que nunca com o aumento do desenvolvimento urbano. A Fórmula E identificou estas tendências e reagiu em conformidade; e o enfoque inovador e emocionante do campeonato ajusta-se na perfeição à nossa marca".

A Jaguar Land Rover emprega mais de 8.000 engenheiros e é o principal investidor do Reino Unido em investigação e desenvolvimento em todos os setores empresariais. A equipa de Fórmula E da Jaguar poderá utilizar este recurso líder do setor tirando partido da estreita colaboração dos engenheiros da Jaguar Land Rover com a equipa de operações de competição.

Os engenheiros poderão não apenas aplicar os seus conhecimentos no ambiente da equipa de competição como poderão também aproveitar a experiência para extrair dados e desafiar os limites da tecnologia elétrica em termos de desempenho.

A Williams Advanced Engineering será o parceiro técnico da equipa de Fórmula E da Jaguar e irá proporcionar vastos conhecimentos de tecnologia automóvel, em complemento à experiência e sucesso com sistemas elétricos de alta performance. A Jaguar Land Rover mantém uma relação a longo prazo com a Williams, que colaborou com a Jaguar no desenvolvimento do protótipo de veículo híbrido elétrico Jaguar C-X75. A Fórmula E aceitou a entrada da equipa e esta, por sua vez, foi aprovada pela Fédération Internationale de l'Automobile (FIA).

Alejandro Agag, Chief Executive Officer da Fórmula E, afirma: "Estamos muito satisfeitos por dar as boas-vindas à Jaguar na Fórmula E. A Jaguar é uma marca com um grande legado desportivo e o facto de regressar à competição internacional com a Fórmula E representa um apoio ao campeonato e à sua capacidade para influenciar o desenvolvimento de veículos eléctricos. A Jaguar traz consigo um conjunto de fãs apaixonados que irá impulsionar a popularidade do campeonato em todo o mundo e demonstra, uma vez mais, que a Fórmula E é o futuro do desporto automóvel".

Jean Todt, Presidente da FIA, afirma: "A FIA tem o prazer de dar as boas-vindas à Jaguar como o novo fabricante que entra no campeonato de Fórmula E da FIA. Criámos este campeonato para proporcionar uma competição alternativa para que os fabricantes intervenham no desporto e desenvolvam tecnologias elétricas para veículos de estrada.

A decisão da Jaguar de regressar à competição automóvel com a Fórmula E é prova do seu sucesso. À medida foi traçando o caminho para o futuro dos veículos elétricos, a Fórmula E conseguiu atrair uma das marcas mais prestigiosas e com mais história do setor automóvel. Desejo-lhe o maior sucesso a partir da sua chegada em 2016/2017".

James Barclay, Jaguar Team Director, afirmou: "Analisámos em detalhe as diferentes alternativas para regressar ao desporto automóvel. Era uma decisão tão importante para Jaguar que queríamos que fosse a mais acertada. Com nossos planos de veículos elétricos para o futuro, a Fórmula E era a opção mais clara e cremos que os benefícios são enormes. A FIA e o patrocinador têm planos emocionantes para o futuro do campeonato e temos o prazer de ser um dos primeiros fabricantes de veículos que se compromete com o campeonato com a nossa própria equipa. Temos muito para fazer antes da primeira corrida, mas é um desafio que assumimos com entusiasmo. Esperamos poder dar as boas-vindas a uma nova geração de fãs Jaguar através deste programa apaixonante".

Antes do início da temporada serão divulgados mais detalhes sobre o regresso da Jaguar à competição, incluindo a apresentação, os pilotos e os patrocinadores.

 

DS VIRGIN RACING

 

DS VIRGIN RACING VISA TERMINAR O ANO EM BELEZA NO URUGUAI

 

A equipa DS Virgin Racing procurará terminar o ano de 2015 com estilo, no final da prova do Campeonato FIA de Fórmula E, a disputar nas ruas de Punta del Este.

 

No mês passado, Sam Bird garantiu o primeiro pódio da equipa na temporada 2015-2016, no final de uma corrida cheia de reviravoltas disputada em Putrajaya (Malásia). Para consolidar o seu 3º lugar no campeonato de pilotos, o britânico terá de alcançar novo bom resultado no Uruguai.

Para o seu companheiro de equipa Jean-Eric Vergne, Punta del Este é sinónimo de boas recordações, já que foi aqui que, no ano passado, o francês fez a sua estreia na Fórmula E, criando sensação com a conquista da pole-position, antes de ver a sua corrida terminar prematuramente.

Para celebrar o final do ano, o visual dos DSV-01 sofrerão alterações subtis, com os monolugares, baptizados de Holly e Bellie Branson, as «meninas voadoras», a contarem com azevinho e sinos de Natal na sua decoração.

O circuito de Punta del Este é um dos mais marcantes do calendário e da Fórmula E. O traçado de «St Tropez da América do Sul» inclui vinte curvas, que serpenteiam entre o porto e a beira-mar.

«Toda a equipa sentiu um enorme orgulho após a Malásia. Deveremos utilizar essa energia para obter outro resultado positivo em Punta,» afirmou Sam Bird. «Estamos numa boa posição, mas ainda temos um grande potencial para melhorar a viatura. Isso enche-nos de optimismo para o próximo fim-de-semana. Punta del Este não me foi muito favorável no ano passado, mas é um circuito apreciado por todos os pilotos. Espero que possamos terminar o ano com uma nota positiva.»

Antes do seu regresso ao Uruguai, Jean-Eric Vergne acrescentou: «A nível pessoal, é bom voltar a um circuito que me traz boas memórias. Espero poder usar essa experiência para ajudar a equipa, e dar-lhe um bom presente de Natal com alguns dias de antecedência!»

«Estamos impacientes pelo regresso a Punta, um ambiente ideal para terminar o ano,» disse Alex Tai, Director de Equipa da DS Virgin Racing. «A equipa não se poupou a esforços para obter um grande resultado na Malásia. Vamos mostrar o mesmo nível de desejo e de determinação para repetir o feito no Uruguai.»

Está já activo o Fanboost para o ePrix de Punta del Este. A equipa DS Virgin Racing propõe aos seus apoiantes quem tentem ganhar presentes exclusivos no âmbito do passatempo «12 dias de Fanboost». Para participar há que votar pelo Twitter e/ou Instagram colocando o hashtag #Fanboost com #SamBird ou #JeanEricVergne. É também possível fazê-lo no portal www.fiaformulae.com/fanboost ou através da app oficial, postando uma captura de ecrã com a mesma combinação de hashtags.

Após a corrida de Sábado (dia 19), a equipa DS Virgin Racing manter-se-á em Punta del Este para uma sessão de testes, a qual será aberta a jornalistas acreditados.

 

 

CAMPEONATO FIA DE FÓRMULA E 2015/2016

 

PROGRAMA (3ª prova, Punta del Este, Uruguai)

 

Sexta-feira, 18 de Dezembro de 2015

15h00 - Shakedown

16h45 - Sorteio dos Grupos de Qualificação (na e-Village)

 

Sábado, 19 de Dezembro de 2015

08h15 - Treinos Livres 1

10h30 - Treinos Livres 2

12h00 - Qualificações Grupo 1

12h10 - Qualificações Grupo 2

12h20 - Qualificações Grupo 3

12h30 - Qualificações Grupo 4

12h45 - Super Pole

16h04 - Corrida

 

Nota: Horas locais, menos 2 horas do que em Portugal

 

 

CAMPEONATO FIA DE FÓRMULA E 2015-16 - PILOTOS

Pos

Piloto

Equipa

Pontos

1

11

Lucas DI GRASSI

ABT Schaeffler Audi Sport

43

2

9

Sébastien BUEMI

Renault e.Dams

35

3

2

SAM BIRD

DS VIRGIN RACING FORMULA E TEAM

24

4

Nick HEIDFELD

Mahindra Racing Formula E Team

17

5

27

Robin FRIJNS

Andretti Formula E Race Team

16

...

17

25

Jean-Éric VERGNE

DS Virgin Racing Formula E Team

0

...

 

       CAMPEONATO FIA DE FÓRMULA E 2015-16 - EQUIPAS

Pos

Equipa

Pontos

1

ABT Schaeffler Audi Sport

49

2

Renault e.Dams

36

3

Mahindra Racing Formula E Team

27

4

DS VIRGIN RACING FORMULA E TEAM

24

5

Dragon Racing

22

...

 

 Anexo sem_nome_00021_Copy

 

NOVIDADES NA FÓRMULA E

NOVIDADES NA FÓRMULA E

 

 

A Jaguar regressa às competições na Formula E para a temporada 2016/2017, assumindo o lugar do team de Jarno Trulli. A marca inglesa (?) quer com esta presença publicitar uma gama de veículos eléctricos que pretende comercializar a médio prazo.

 

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

ALL THE NUMBERS FROM PIRELLI’S 2015 FORMULA ONE SEASON

“As we enter our sixth season of Formula One in 2016, we’re publishing our traditional end-of-year statistics, which tell the story of our 2015 programme in numbers. This was an evolutionary year, with the teams continuing to develop cars introduced to meet the new turbo hybrid regulations. As always, the development curve accelerated towards the end of the year, with the teams really getting on top of the cars and the tyres. Nonetheless, we still hit our target of between one to two pit stops per race, during a season where tyres continued to provide plenty of sporting and strategic interest. Next year, there are new tyre regulations and a brand new compound: the ultrasoft. For now though, let’s look back at everything that made 2015 an unforgettable season…”

 

alt

alt

alt

alt

alt

 

SEGUNDO A OPINIÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

SEGUNDO A OPINIÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

 

Paul Hembery teve uma ideia. Mais uma vez, o director de competição da Pirelli quer resolver o problema da F1... complicando! Pode ajudar a solucionar a questão logística (da qual a Pirelli padece mais que o resto do Circo), mas quem é que quer ter três campeões de F1 no mesmo campeonato e depois um campeão final?! Paul, tu aprende a descomplicar. Deves ter sido cá um cromo na escola...
E já agora: isto das provas por zona já foi há muito inventado no WTCC, mas nem a mente "diferente" de Mr. Ribeiro chega tão longe na questão dos campeões!

 

O PODER DO DINHEIRO NA FÓRMULA 1

O PODER DO DINHEIRO NA FÓRMULA 1

 

A Indonésia entrou na OPEP e agora a indústria petrolífera e o governo do país (veja-se a carta oficial) querem colocar Rio Haryanto, quarto no GP2 no quarto ano na disciplina, na Manor F1. Resta saber se as novas regras de super-licença lhe dão pontos suficientes, mesmo tendo em conta que ganhou três corridas este ano (sempre na segunda).

 

RECORDAR É VIVER

RECORDAR É VIVER

 

Os Tyrrel de Fraçois Cevert e Jacky Stewart

 

Quando a história nos baralha!

 

 

RECORDAR É VIVER

RECORDAR É VIVER

 

Os Tyrrel de François Cevert e Jacky Stewart

 

 

Quando a história nos baralha!

 

 

 

A NOVA DECORAÇÃO DOS RED BULL

A NOVA DECORAÇÃO DOS RED BULL PARA O MUNDIAL DE FÓRMULA 1 DE 2016

 

Com a Tag-Heuer a substituir a Infiniti como principal sponsor da Red-Bull na F1, a decoração pode ficar mais ou menos assim.

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

PIRELLI ANNOUNCES COMPOUND CHOICES AND COMPULSORY SETS
FOR THE 2016 AUSTRALIAN GRAND PRIX

  Pirelli will bring the following three compounds to the opening round of the 2016 Formula One season in Australia:
    P Zero White medium
    P Zero Yellow soft
    P Zero Red supersoft

These are the tyres that Pirelli has said must be used at some point in the race:
    One set of P Zero White medium
    One set of P Zero Yellow soft.

Each driver must have both these sets available for the race, and must use at least one of them.

There are the tyres assigned for Q3 in qualifying:
    One set of P Zero Red supersoft

Following on from the 2016 regulations, each driver must save one set of the softest of the three nominated compounds for Q3. This set will be given back to Pirelli after Q3 for those who qualify in the top 10, but the remaining drivers will keep it for the race – as is the case currently.

The teams are free to choose the remaining sets; making up 13 sets in total for the weekend.

 

O REGRESSO DA RENAULT À F 1

 

A RENAULT ANUNCIA O SEU ENVOLVIMENTO NA FÓRMULA 1 EM 2016

 

• Carlos Ghosn anunciou a sua decisão de fazer regressar a escuderia Renault de Fórmula 1 já em 2016.

 

• Com 12 títulos de construtores, a Renault é um actor emblemático da história da Fórmula 1 há quase 40 anos.

 

• A F1 é uma vitrina de desenvolvimento tecnológico e, para a Renault, um meio de acelerar o desenvolvimento de inovações para a sua gama desportiva.

 

 

«A Renault tinha duas opções: voltar a 100% ou sair completamente. Depois de uma análise profunda tomei a minha decisão: a Renault estará presente na Fórmula 1 já em 2016. E a nossa ambição é a de ganhar mesmo se, conscientemente, sabemos que isso demorará algum tempo.»  afirma Carlos Ghosn, Presidente Director-Geral.

 

Ao voltar a ser uma escuderia completa a Renault poderá tirar todo o proveito das suas vitórias. Estar presente apenas fornecendo motores mostrou que tem os seus limites e o retorno para a imagem e para o investimento demonstrou ser fraco.

 

Prosseguem os trabalhos para a concretização do acordo de aquisição do Lotus F1 Team e os principais contratos foram assinados a 3 de Dezembro de 2015.

 

A Renault está presente na Fórmula 1 há quase 40 anos. E a Renault revolucionou a Fórmula 1 ao inventar, em 1977, o motor Turbo que rapidamemte se tornou incontornável. Na sua história na Fórmula 1 a Renault obteve 168 vitórias, 12 títulos de construtores e 11 títulos de pilotos nos mais de 600 Grande-Prémio disputados!

 

Ao escolher um envolvimento pleno na Fórmula 1, a Renault confirma que o desporto é um atributo essencial da marca. E a Fórmula 1 é a mais elevada expressão da paixão pelo automóvel. Esta paixão que faz precisamente parte da identidade da marca Renault e que é materializada na sua assinatura ‘Passion for life’. A Fórmula 1 é o topo do desporto automóvel e requer nada menos que a excelência ao nível tecnológico e ao nível operacional e para a Renault será uma vitrina da tecnologia que a Renault desenvolve para os seus produtos e em benefício dos seus clientes.

 

Para a Renault, a Fórmula 1 é um meio para acelerar o seu desenvolvimento, manter-se na primeira linha do desenvolvimento tecnológico e, claro, fazer a ponte entre a alta tecnologia da F1 e a tecnologia dos automóveis de série e em particular nos domínios da electrificação e hibridação.

Para dar coerência a este envolvimento na F1, a Renault desenvolveu a sua gama R.S. reforçando os seus investimentos a este nível.

 

 

A Fórmula 1 é um vector de notoriedade e de imagem de marca em todos os mercados em todo o mundo e chega anualmente a 450 milhões de espectadores nos 5 continentes.

 

 

 

 

 

 

 Renault na_Formula_1_em_2016_Copy

 

SEGUNDO A OPINIÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

SEGUNDO A OPINIÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

 

E é assim a vida: equipas de F1 precisam indicar os pneus para GP da Austrália até sexta-feira, quando a prova terá lugar de 18 a 20 de Março, ou seja daqui a 100 dias. O regulamento obriga a que a escolha aconteça 14 semanas antes das provas fora da Europa por forma à Pirelli ter tempo para fabricar e enviar os pneus para o destino. 
Desculpem a pergunta - alguém teve uma diarreia mental?

 

OS COMENTÁRIOS DE ECLESTONE....

OS COMENTÁRIOS DOS BASTIDORES DA F 1

 

O senhor segurança! A entrevista à Sky Sports é do melhor. Só Bernie se atreveria a dizer uma coisas destas sobre Todt e a fazer a inéssima comparação, sempre depreciativa, entre o francês e Mosley.

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

SEGUNDO A PIRELLI

 

PIRELLI autorizada a testar 12 dias durante o próximo ano para preparar os pneus mais largos com vista à F1 2017.

 

SEGUNDO A OPINIÃO DE JOÃO CARLOS COSTA

SEGUNDO A OPINIÃO DE JOÃO CARLOS COSTA

 

Já tinhamos  saudades de um spy-gate! Obrigado F1 por teres sempre tema, polémica, gossip e até casos de polícia mesmo quando estamos no defeso...

 

SEGUNDO A OPINIÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

SEGUNDO A OPINIÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

 

OS F1 de 2017 podem ser assim. E se assim forem estamos no bom caminho. Outra vez maiores, mais largos, com pneus também eles de maior dimensão e asas posteriores que se vejam, para além de 5 segundos mais rápidos! 

Em busca de mais 5 segundos por colo fia a equipa técnica propôs um novo conjunto de regras de carro design para que todos os carros mais rápidos sem motor atualizações.
2017 CARROS DE FÓRMULA 1, poderá ter sua largura total aumentou de 180 cm e 200 cm, têm mais frente pneus com 30 cm trilhar em vez dos actuais 24.5 cm pneus traseiros e a cada 40 Cm em vez dos actuais 32.5 cm. Essas mudanças só iria ver carros 3 segundos uma volta mais rápida mas novas mudanças para o resto do carro vai encontrar mais 2 segundos em que poderia ser alguns dos mais dramática overhauls na autorizada carro design em anos.
O nariz do carro é proposto para ser 20 cm mais tempo com o braço da frente a 180 cm de largura dos actuais 165 cm - é que mais do que actualmente desvio permitido que dramaticamente aerodynamic melhora o desempenho e a força .

 

Google Tradutor

 

CALENDÁRIO 2016 PARA A FÓRMULA 1

CALENDÁRIO 2016 PARA O MUNIDAL DE FÓRMULA 1

 

Apenas uma alteração relativamente à versão anterior - México uma semana mais cedo. Assim já não entra em conflito com Xangai / WEC e Buriram / WTCC.

 

RENAUTL REGRESSA À FÓRMULA 1 EM 2016

RENAULT REGRESSAÀ F 1 EM 2016

 

Mais uma outra marca de regresso à Fórmula 1 em 2016

 

 Renault. Bienvenue, após quatro anos de "meia-pensão", fornecimento de propulsores

 

CASO DEVERAS CURIOSO NOS ESTADOS UNIDOS

CASO DEVERAS CURIOSO NOS ESTADOS UNIDOS

 

A edição nº 100  das 500 Milhas de Indianapolis a ter lugar em 2016,  tem a primeira história para contar: a família Brabham será a terceira a ter três gerações à partida depois dos Vukovich e dos Andretti. Matthew seguirá as pisadas do avô Jack e do pai Geoff com o Chevrolet da equipa Murray.

 

MAIS NOVIDADES PARA A FÓRMULA 1

MAIS NOVIDADES DA FÓRMULA 1

 

Timing is Everything. We will drive forward with TAG Heuer power unit in 2016.

From the milliseconds that separate victory from defeat to the finely balanced and perfectly measured rhythm of a racing engine, in motorsport timing is everything.
As the curtain falls on the 2015 Formula One season and the sport gears up for next year's challenge, the timing is right for Red Bull Racing to reveal that the team's 2016 F1 car will race with a power unit carrying the name of motorsport's most iconic timing brand – TAG Heuer.
The new partnership, which represents a shift away from F1's conventional supply systems, will see TAG Heuer take up naming rights of the team's power unit, which will be supplied by Renault. The new car will be christened the Red Bull Racing-TAG Heuer RB12.
Deepening the relationship between the team and the legendary timing house, which can call on more than half a century of heritage at the cutting edge of motorsport, TAG Heuer will become the Official Timekeeper, Official Watch Partner and Team Performance Partner of the Red Bull Racing team from 2016 in a multi-year partnership.
Welcoming the new partnership, Christian Horner, Team Principal, Red Bull Racing, said: "TAG Heuer and Red Bull are two transcendent brands which have both a passion for racing and a drive to do things differently, and this unique collaboration is further evidence of that. TAG Heuer has been an icon in the world of Formula One for many years and we're delighted that they've chosen to continue their association with the sport by teaming up with us. Our shared values of innovation and a desire to stand out from the crowd make this one of the most exciting partnerships in F1. We are also pleased to see Renault confirm its long-term commitment to F1 and would like to thank them for their contribution to the team since 2007. Their technical partnership with Ilmor gives us confidence, and we look forward to the 2016 season."
Jean-Claude Biver, CEO of TAG Heuer and President of the LVMH Watch Division, added: "Formula One is deeply-rooted in TAG Heuer's DNA, and Red Bull Racing is a young, dynamic and driven team, which perfectly fits with our marketing strategy. It will give TAG Heuer great visibility and allow us to make our partnership exciting, different and innovative. Our motto‪#‎DontCrackUnderPressure‬ will be the guiding principle behind all our actions with the support of the Red Bull Racing team and its highly contagious enthusiasm."

 

NOVA DECORAÇÃO PARA O CAPACETE DE FELIX DA COSTA

NOVA DECORAÇÃO PARA O CAPACETE DE FELIX DA COSTA

 

 

Será dentro de dias que o piloto portugues irá estrear esta nova decoração em paia uma prova da Fórmula E a ter lugar no Uruguay, na América do Sul.

 

 

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

PIRELLI explica as regras dos pneus F1 para 2016. Que saudades dos tempos em que eram apenas círculos de borracha. Hoje em dia é preciso uma licenciatura em gestão de... pneus! 

Pirelli vai seleccionem três diferentes compostos de pneu por fim de semana de cinco tipos diferentes, que incluem a nova cor roxo-Ultra-Soft (foto acima) com os quatro tipos existente composto usado anteriormente.

Como antes cada motorista receberá 13 conjuntos de pneus por semana (cada set é quatro pneus). Eles vão poder escolher os compostos por dez desses três componentes dos aparelhos disponíveis.
Os restantes dois conjuntos, será um falseou estabeleçamos escolhido por pirelli que vai ser a mesma para todos os motoristas, e pode ser de dois diferentes compostos. O ultimo set será dos compostos mais suave e estará disponível para q3.

Pirelli vai escolher os três compostos disponíveis para cada fim de semana com a fia e informar os clubes então, quem vai fazer as suas escolhas de cada raça. Se não o fazem, a fia vai nomear seus pneus. As escolhas serão mantidas em segredo até duas semanas antes de cada raça.

Mudanças também foram feitas para quando os motoristas deve renegar seus pneus durante o fim de semana. O primeiro conjunto deve ser devolvido 40 minutos no primeiro treino, uma segunda temporada no final da primeira practican, mais dois conjuntos no final da segunda practican e mais dois no final da última prática. Os aparelhos nomeados por pirelli pode ser devolvidos e deve ser mantido para usar na raça.

Top dez motoristas em qualificativas ainda vai ter a começar com os pneus são usados em q2, ter voltado seus pneus de q3. porém os outros motoristas vão poder usar o set que foi salvo por q3 durante a corrida.

 

Google Tradutor

 

SEGUNDO O JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

SEGUNDO O JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

 

PARA QUE não haja dúvidas quanto ao motor do Red Bull 2016, a marca da água com aditivos acabou de publicar isto...

 

NOVO CONCEITO PARA A F 1?

 

McLaren’s conceptual vision for the future of motorsport technology.

Modelling the future is something we do every day at McLaren.
Our Formula 1 race strategists think many laps ahead when planning a grand prix pit stop, our automotive engineers build high-performance road cars for the next generation of driver; and our technologists and designers in McLaren Applied Technologies devise ways to improve healthcare, transport and many other areas of our lives.
At McLaren, we always want to take things further.
“With the futuristic McLaren MP4-X concept racecar, we wanted to peer into the future and imagine the art of the possible,” said John Allert, Group Brand Director, McLaren Technology Group.
“We have combined a number of F1’s key ingredients – speed, excitement and performance, with the sport’s emerging narratives - such as enclosed cockpits to enhance driver safety, and hybrid power technologies.”
“Formula 1 is the ultimate gladiatorial sport, and the future we envisage will be a high tech, high performance showcase that excites fans like no other sport.”
It looks visually striking, but it is beneath the skin where the changes are most apparent.
MP4-X is designed to use alternative power sources; the chassis changes shape to adapt to different aerodynamic demands; and it can communicate in the event of a failure or a problem.
This is therefore McLaren Marketing’s unique conceptual take on motor racing’s future. Discover the MP4-X in all its glory in our interactive carousel, with exclusive insights into the future supplied by the technologists and designers at McLaren Applied Technologies.
1.-novomclaren Copy2. Copy3. Copy4. Copy5. Copy6. Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

After its meeting in Paris, yesterday, the FIA World Motor Sport Council formally approved the new 2016 Tyre Regulations for Formula One.

NEW REGULATIONS

  • The new regulations will apply only to the slick tyres. The rules regarding intermediate and wet tyres remain unchanged.
  • With the introduction of the new ultrasoft compound (which uses purple markings) the total number of slick compounds rises to five.

PRE-RACE TYRE NOMINATIONS AND PREPARATIONS

  • In consultation with the FIA, Pirelli will decide in advance which three compoundscan be used at each race, and communicate this information to the teams.
  • The total number of sets that can be used during practice, qualifying and racing remains the same as it is currently: 13.
  • Pirelli will nominate two mandatory race sets for each car. Furthermore, one set of the softer compound will have to be kept for use in Q3 only.
  • The two mandatory sets chosen by Pirelli can be of two different compounds, from the three that have been nominated for the race weekend. These sets will obviously be identical for each team.
  • The remaining 10 sets can be chosen by each team, from the three compounds nominated for the race weekend.
  • The teams will make their choices within a deadline set by Pirelli. They will communicate their choices to the FIA, which will in turn tell Pirelli how many tyres to produce. The choices for each car will remain secret until 2 weeks before the race. If a team does not meet the deadline, the choice will be made by the FIA.
  • Once the choices for each car have been made, the FIA will continue to assign the tyres randomly via a barcode, as is the case currently.
  • The choices made by each team can vary for each of its cars: so each driver within a team can have a different allocation.
  • The tyres will be distinguished by different coloured markings on the sidewalls, as is currently the case. 

DURING THE RACE

  • Teams will still have to give back tyres according to a certain schedule, but they can decide which tyres to give back at the following times:

             -       One set after the first 40 minutes of FP1
             -       One set at the end of FP1
             -       Two sets at the end of FP2
             -       Two sets at the end of FP3

  • The two mandatory sets nominated by Pirelli cannot be given back during practice and must be available for use in the race. At least one of these two sets must be used during the race – but the teams can decide which one.

The top 10 at the end of qualifying will still have to give back the set of the softer compound nominated for Q3, and start the race on the tyres with which they set their fastest time in Q2 (the same rule as is the case currently). All other drivers will be able to use the set that is saved for Q3 during the race.

alt

alt

 

FIA DIVULGOU NOVIDADES PARA A F 1 EM 2016

FIA DIVULGOU AS NOVIDADES PARA 2016

 

O que muda na F1 para 2016 ficou decidido ontem pelo Conselho Mundial da FIA. Todt e Ecclestone mandatados para mudar a disciplina a partir de 2017, sendo que devem apresentar propostas até ao final de Janeiro. Novidades na alocação nos motores e nos pneus, novas regras para o VSC. Aprovado também o maior calendário de sempre com 21 corridas.

 


O mundo do Desporto Automóvel Conselho aprovou, por um número quase unânime (apenas um voto contra), Um mandato de presidente fia, Jean Todt e o representante do comercial detentor de direitos, Bernie Ecclestone fazer recomendações e decisões sobre vários temas preocupantes na fórmula um como governance, centrais e redução de custos. Senhor todt e senhor ecclestone expressa a sua intenção de estabelecê conclusões sobre estes assuntos até 31 de Janeiro de 2016.

O mundo do desporto automóvel conselho também aprovou uma série de mudanças para a f1 e normas técnicas desportivos.

Technical

O número de poder unidade fichas permitia na época de desenvolvimento serão atribuídos a seguinte nas próximas temporadas:

– 2016 – 32

– 2017 – 25

– 2018 – 20

– 2019 – 15

Qualquer nova unidade poder fabricante serão atribuídos 15 fichas no seu primeiro ano, e 32 na segunda.

O Padded áreas ao redor da carteira de cabeça foram aumentados em espessura para melhorar a segurança.

Sporting

Mudanças foram aprovadas pelo mundo do desporto automóvel conselho em relação à forma que os pneus são utilizados por equipas para incentivar estratégias diferentes raça em 2016. Estes incluem:

- o pneu fornecedor agora vai dar três-tempo seco compostos em vez de dois

- dos 13 conjuntos de secar os pneus disponível para cada motorista, o fornecedor de pneus vai escolher dois para a corrida (um dos quais devem ser utilizados na raça), E um conjunto (menos disponíveis) que só podem ser usadas em q3. cada motorista então pode escolher os restantes dez conjuntos dos três compostos disponível

- sem intermediários ou molhado-tempo pneus foram utilizados, um motorista deve usar pelo menos dois tipos de clima seco especificações dos pneus - pelo menos um desses deve ser um escolhido pelo fornecedor de pneus.

Em caso de segurança virtual carro (vsc), Drs agora vai ser re-permitiu imediatamente após o período vsc. Além disso, o vsc também pode ser usado na prática sessões para reduzir a quantidade de tempo perdido durante uma paralisação.

Centrais homologados em anteriores temporadas agora pode ser re-Homologados. Já não pode mais do que um fabricante de especificação de pu. O mundo do desporto automóvel conselho também foi aconselhado que a fia tinha acordado para ferrari para abastecer uma quarta equipe com um cliente 2015-especificação poder unidade em 2016.

O maior número de eventos do campeonato em uma temporada foi aumentada para 21 (de 20). O calendário para a fórmula 2016 fia um campeonato mundial foi confirmado.

 

Google Tradutor

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2015 Abu Dhabi – Test

 MORE THAN 6,020 KMS DRIVEN OVER 1084 LAPS, TESTING DIFFERENT VERSIONS
OF THE NEW ULTRASOFT COMPOUND
AND NEW CONSTRUCTIONS FOR BOTH FRONT AND REAR SLICK TYRES

 McLAREN’S DRIVER STOFFEL VANDOORNE SETS BEST TIME
AT THE END OF THE 12-HOUR SESSION RUN NON-STOP

 NEXT TYRE TESTING SESSION ON SCHEDULE:
PAUL RICARD, JANUARY 25-26, FOCUSING ON WET TYRES

 McLaren’s driver Stoffel Vandoorne set fastest time today at the end of the 12-hour tyre test organised by Pirelli on the smooth surface of the Yas Marina circuit.
The session took place non-stop throughout the day, with the expected bright sun and warm temperatures starting out at around 24°C ambient (35°C asphalt) and reaching 28° and 40° respectively by lunchtime.

All 2015 Teams took part with the following drivers:
Mercedes Pascal Wehrlein
Ferrari Sebastian Vettel Kimi Raikkonen
Williams Valtteri Bottas
Red Bull Daniel Ricciardo Daniil Kvyat
Force India Alfonso Celis Jr Niko Hulkenberg
Lotus Jolyon Palmer
Toro Rosso Carlos Sainz Jr Max Verstappen
Sauber Adderly Fong Marcus Ericsson
McLaren Stoffel Vandoorne
Manor Rio Haryanto Jordan King

The session started with all the drivers running some laps on base tyre to confirm the set-up of the cars and using P Zero Red supersoft and P Zero Yellow soft tyres: the nominated choice for the Abu Dhabi Grand Prix last weekend.

Testing with the prototype tyres (new ultrasoft compound and new constructions both front and rear) started around one and a half hours into the session. The Teams tested several different potential variations of the new ultrasoft compound, from which one will eventually be selected.
Prototype tyres were not marked with any colours or other visible markings, while base tyres carried the usual colours on sidewalls.

The test was ‘blind’: neither the drivers nor the Teams knew which kind of tyre specification they were testing. During the test, the teams were not allowed to try new parts or change any other components, keeping the focus on the tyres. With its smooth surface, consistent temperatures, and wide variety of technical corners, Abu Dhabi was a perfect venue in which to assess most key aspects of tyre behaviour. 

The session started at 9am local time and went on till nearly 9pm with no lunch break. This made it the longest single-day Formula One group test in the sport’s history.

Paul Hembery, Pirelli motorsport director: “We had one shot when it came to testing tyres for next season, and we can be satisfied by what we’ve achieved in this test, even if we have to fully analyze the data. We’ve tested different versions of the new ultrasoft compound for 2016, which was one of the targets for this session. The ultrasoft’s target for 2016 is to introduce a compound softer than the supersoft and mainly designed as agressive choice for street circuits: with better performance than the latest version of the supersoft tyre and faster degradation, in order to allow the Teams to take a more aggressive approach to race strategy.

Whether this will produce more pit stops, or any difference in strategies, it’s too early to say for now. We will fully analyse our data and team telemetry once we get back to base. But it seems we are heading in the right direction: the ultrasoft is expected to offer more possibilities for certain races.

We also tested some different constructions for both front and rear tyres.

Fastest times of the day:
Driver Team Time Laps
Vandoorne McLaren 1m44.103s 99
Raikkonen Ferrari 1m44.456s 56
Ericsson Sauber 1m44.480s 50
J. Palmer Lotus 1m44.568s 90
Vettel Ferrari 1m44.940s 56
Wehrlein Mercedes 1m45.605s 107
Ricciardo Red Bull 1m45.805s 57
Verstappen Toro Rosso 1m45.849s 54
Hulkenberg Force India 1m45.852s 71
Bottas Williams 1m45.940s 103
Kvyat Red Bull 1m46.309s 48
Sainz Jr. Toro Rosso 1m46.995s 56
Fong Sauber            1m48.439s 57
Celis Jr Force India 1m48.545s 65
Haryanto Manor 1m49.593s 56
King Manor 1m49.661s 59

alt

 

SEGUNDO A OPINIÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

SEGUNDO A OPINIÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

 

Entre o inicio de Março e o final de Novembro haverá 39 fins-de-semana disponíveis em 2016. Como é que a FIA e os promotores dos três campeonatos mundiais de velocidade conseguem fazer com que haja 8 em 12 provas do WTCC e 6 em 9 do WEC concomitantes com a F1?!? 
É que, no fundo, estamos a falar de 42 provas. Sei que há outras questões que vão para além da simples calendarização, a começar pela tradição de algumas datas, mas Meus Senhores...

 

CURIOSIDADE

CURIOSIDADE

 

A CLASSIFICAÇÃO NO MUNDIAL DE F1 DE 2015

 


 

OS RUMORES DA FÓRMULA 1

OS RUMORES DA FÓRMULA 1

 

Christian Horner diz que o nome dos motores da Red Bull para 2016 vai enfurecer Ron Dennis: só pode ser TAG, fazendo que um simples patrocínio de relógios se torne na bomba do ano! 
Ou será que avança a Nissan?

https://fbstatic-a.akamaihd.net/rsrc.php/v2/yc/r/yuyLURFByp9.png); background-size: auto; background-position: -17px -541px; background-repeat: no-repeat;">

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2015 Abu Dhabi Grand Prix – Race – Infograhics

alt

alt

 

MAIS UMA DOBRADINHA MERCEDES

MAIS UMA DOBRADINHA MERCEDES NA F 1

 

 

Nico Rosberg conquistou ontem no circuito de Yas Marina, em Abu Dhabi, a sua 3ª vitória consecutiva num Grande Prémio, alcançando assim 6 vitórias em 2015;

·         Lewis Hamilton terminou na 2ª posição após uma prova muito disputada, tendo mesmo assim estabelecido a volta mais rápida do circuito;

·         Os Silver Arrows alcançaram um recorde de 12 vitórias e segundas posições em 2015 ultrapassando assim o recorde de 2014;

·         Com 703 pontos no Mundial de Construtores, a equipa MERCEDES-AMG PETRONAS superou o total de pontos de 2014;

·         Lewis Hamilton terminou a época na 1ª posição com 381 pontos, seguido de Nico Rosberg com 322 pontos. 20I2446_Copy D1O2526_Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

O PILOTO DA MERCEDES NICO ROSBERG, INICIOU DA POLE PARA A CONQUISTA DA SUA TERCEIRA VITÓRIA CONSECUTIVA

DUAS PARAGENS PARA A MAIORIA DOS PILOTOS EM ABU DHABI, COMPOSTOS MACIO E SUPERMACIO COM DIVERSAS ESTRATÉGIAS

UMA ESTRATEGIA ALTERNATIVA PERMITE A SEBASTIAN VETTEL (FERRARI), RECUPERAR DESDE O 15º POSTO DA GRELHA ATÉ AO QUARTO LUGAR DA META

Barcelona, 29 de Novembro de 2015 –  O piloto da Mercedes, Nico Rosberg alcançou a sua terceira vitória consecutiva da temporada, após dominar o Grande Prémio de Abu Dhabi desde a pole. O alemão utilizou uma estratégia de duas paragens, tal como a maioria dos pilotos, com a estratégia de montagem dos compostos Supermacio – Macio – Macio. Rosberg manteve a liderança e o controlo da corrida ao realizar as suas paragens antes do seu companheiro de equipe, Lewis Hamilton, com uma estratégia semelhante, mas com um segundo turno mais longo.

No entanto, os dois Mercedes viram-se ameaçados pelo Ferrari de Kimi Raikkonen que subiu ao ultimo lugar do pódio, terceiro lugar, mesmo posto com que iniciou a corrida. Com uma estratégia alternativa, permitiu a Sebastian Vettel terminar em quarto, após a arrancar do 15.º posto da grelha, depois de iniciar os dois primeiros turnos com o composto macio, ganhando posições na pista enquanto todos os pilotos montavam o composto supermacio. Realizou um ultimo turno de 16 voltas com o supermacio até à linha de meta, com um asfalto mais frio e um carro mais leve. O piloto da Lotus, Romain Grosjean, também terminou nos pontos, após iniciar com o composto macio.

Os 10 primeiros classificados utilizaram uma estrategia com duas paragens. O desgaste e a degradação estiveram sempre dentro dos limites, ao ponto que até Lewis Hamilton, em perseguição ao seu companheiro pela vitória, perguntou à sua equipe via rádio se era necessário realizar uma segunda paragem. No final,  após um turno intermédio com 30 voltas com o composto macio.

O melhor classificado entre os que realizaram três paragens foi Max Verstappen, que acabou fora dos pontos, após receber uma penalização

A “dobradinha” da Mercedes, bateu outro record para a dominadora equipa Alemã, uma vez que foi a equipe que somou mais pontos numa temporada de Fórmula 1.

 

Paul Hembery (Responsável da Pirelli Motorsport): "Como de costume, Abu Dhabi proporcionou  mais uma corrida muito tática, durante a qual a Mercedes e especificamente o Nico Rosberg, controlaram a estratégia na perfeição. Felicitações a toda a equipa pela época mais dominadora da história da Fórmula 1, observando os pontos alcançados. O desgaste e a respetiva degradação, sempre estiveram sob controlo total, mesmo utilizando em Abu Dhabi os compostos mais macios da gama, os quais possibilitaram emocionantes disputas por todo o pelotão até ao final da corrida. A nossa temporada de 2016, começa terça-feira em menos de 48 horas, onde realizaremos um longo teste de 12 horas, durante o qual testaremos o novo pneu ultra-macio, bem como os novos produtos para 2016 ”.

 

Os  tempos más rápidos do dia por composto:

 

Supermacio

Macio

Intermédio

Chuva

Primeiro

VET 1m44.550s

HAM 1m44.517s

0

0

Segundo

ALO 1m44.796s

RAI   1m44.942s

0

0

Terceiro

VES 1m45.746s

ROS 1m45.356s

0

0

O turno mais longo da corrida, por composto:

Macio

 Hulkenberg       31 voltas

Supermacio

 Merhi                28 voltas

A previsão da Pirelli:

A nossa melhor previsão para as 55 voltas de Abu Dhabi era uma estratégia com duas paragens, iniciando com o composto supermacio e trocar para o macio nas voltas 10 e 31. Rosberg seguiu a nossa estratégia delineada, parando exactamente nas voltas previstas.

 

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2015 Abu Dhabi Grand Prix – Race

MERCEDES DRIVER NICO ROSBERG TAKES
HIS THIRD CONSECUTIVE WIN FROM POLE

TWO STOPS FOR MOST COMPETITORS IN ABU DHABI, USING
SOFT AND SUPERSOFT WITH DIFFERENT STRATEGIES

AN ALTERNATIVE STRATEGY BOOSTS FERRARI’S SEBASTIAN VETTEL FROM 15TH
ON THE GRID TO FOURTH AT THE FINISH

 Mercedes driver Nico Rosberg has clinched his third consecutive win of the season, after dominating the Abu Dhabi Grand Prix from pole. The German adopted a two-stop strategy, like the vast majority of competitors, using a supersoft-soft-soft strategy. With Rosberg making his pit stops before his team mate Lewis Hamilton (on an identical strategy, but with a very long second stint) he was effectively in control of the tactics, ensuring his lead.

Both Mercedes were threatened however by Ferrari. Kimi Raikkonen finished on the podium from third on the grid while an alternative strategy allowed Sebastian Vettel to take fourth place after starting from 15th on the grid. Vettel completed two opening stints on the soft, gaining track position while all the supersoft runners stopped, before completing his own supersoft stint for 16 laps at the end of the race, in cooler track temperatures and with a much lighter car. Lotus driver Romain Grosjean also finished in the points after starting on the soft tyre.

The top 10 all used a two-stop strategy. Wear and degradation were within limits, to the point where even Lewis Hamilton – chasing his team mate for victory – questioned on team radio whether or not he needed to make a second stop at all. Then he made the pit stop, after a 30-lap middle stint on the soft tyres.

The highest-placed three-stopper was Max Verstappen, who finished outside the points following a flat-spot earlier in the race and then a penalty.

A one-two for Mercedes has broken another record for the ultra-successful German team: it is now the team to have scored most points in a Formula One season.

Paul Hembery, Pirelli motorsport director: “As usual, Abu Dhabi delivered another very tactical race, during which Mercedes and Nico Rosberg in particular controlled the strategy perfectly. Congratulations to the entire team for the most dominant season in Formula One history, looking at the points scored. Tyre wear and degradation was well within control, even though we were using the two softest compounds in the range at Abu Dhabi, which enabled some entertaining battles all the way to the end of the race. Our 2016 season now starts in just 48 hours time when we embark on a 12-hour test throughout Tuesday, during which we will be testing the new ultrasoft tyre as well as new constructions for 2016.”       

Fastest times of the day by compound:

Supersoft Soft Intermediate Wet
First VET 1m44.550s HAM 1m44.517s 0 0
Second ALO 1m44.796s RAI 1m44.942s 0 0
Third VES 1m45.746s ROS 1m45.356s 0 0

Longest stint of the race:

Soft  Nico Hulkenberg (31 laps)
Supersoft  Roberto Merhi     (28 laps)

Truth-O-Meter
We predicted that the most likely fastest strategy for the 55 laps of Abu Dhabi was a two-stopper, starting on the supersoft and then changing to the soft on laps 10 and 31. Rosberg followed our expected two-stop strategy, stopping exactly on the laps that we forecast.

The full pit stop summary is available in the attached pdf document.

alt

 alt

 

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO JORnalista joão carlos costa

 

Acabou o Campeonato do0 Mundo de Fórmula 1 em 2015.

 Em Portugal fechou-se um ciclo de uma década de transmissões na SportTv. Em Março do próximo ano começa outro. Diferente. Com vontade de trazer de volta a F1 ao lugar que ocupou no passado. Um desafio difícil quando se comemoraram 20 anos sem Grande Prémio de Portugal e 10 sem um piloto português na disciplina. Muito tem de mudar na actual F1 para a tornar mais apelativa, mas nenhuma outra disciplina do desporto automóvel tem igual reconhecimento junto do grande público. Esse é um dos factores galvanizadores para quem abarca o futuro: acreditar que é possível colocar de novo a F1 noutro patamar de reconhecimento, com um produto mais actual, procurando novos públicos.

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2015 Abu Dhabi Grand Prix – Qualifying

NICO ROSBERG CLAIMS FINAL POLE POSITION OF THE SEASON
FOR MERCEDES ON P ZERO RED SUPERSOFT

TWO PIT STOPS EXPECTED FOR THE MAJORITY OF COMPETITORS

TYRE PERFORMANCE ON TARGET IN THE FALLING TEMPERATURES
OF THE ABU DHABI EVENING

Mercedes driver Nico Rosberg has claimed the final pole position of the season (his sixth in a row) at the Yas Marina Circuit in Abu Dhabi, following a qualifying session held in the early evening with falling track temperatures.

This has the effect of increasing performance as each session went on, meaning that the quickest times came at the end of every session. The timing of the final qualifying laps was absolutely crucial, at a race where the win has only ever come from outside of the front row once.

Many of the drivers went straight onto the supersoft in Q1, which is around 1.2 seconds faster than the soft tyre, which has also been nominated in Abu Dhabi. As a result, nearly all of the drivers in the final top 10 have no new sets of supersoft left for the race, with the more durable soft compound expected to be the favoured race tyre. Ferrari’s Kimi Raikkonen, after having been the only driver to use only the soft tyre in Q1, saved a set of new supersofts for the race. He will start from the second row of the grid alongside Force India’s Sergio Perez who set a brilliant fourth best time.

From Q2, all of the drivers used the supersoft tyre, with some drivers limiting their runs in order to save as many fresh supersoft tyres for the all-important shoot-out in Q3. Track temperatures continued to fall throughout the final Q3 session, with the Mercedes drivers enjoying a clear advantage at the head of the field as they fought for pole position.

Tyre wear and degradation remained in line with expectations throughout the sessions, with no graining or blistering reported now that the circuit has evolved with more rubber laid on the surface. This makes it likely that most drivers will adopt a two-stop strategy during the race, starting on the supersoft tyre and then completing two stints on the soft.

Track temperatures were in the region of 30 degrees centigrade during qualifying, with similar conditions expected in the race tomorrow evening. This allows a variety of strategies to come into play, especially for the drivers who find themselves out of position on the starting grid.

Paul Hembery, Pirelli motorsport director: “Once more, Abu Dhabi delivered a spectacular qualifying session under the lights. We saw some different strategies at work during qualifying, with Kimi Raikkonen being the only driver to use just the soft in Q1, before completing just one run on the supersoft in Q2. Wear and degradation levels are exactly where we would expect them to be at this point in time, thanks to the track evolution that we anticipated over the weekend. This means that a wide variety of strategies are possible, but we’d expect most drivers to stop twice. With track temperatures falling throughout the race, the pit wall is going to have to monitor the situation and perhaps adapt the strategy to conditions as they fluctuate.” 

The Pirelli strategy predictor:
Most drivers are expected to stop twice during the 55 laps of Abu Dhabi. The mostly likely strategy is: start on supersoft, change to soft on laps 10 and 32. A three-stopper is theoretically the quickest option (start on supersoft, then change to soft on laps seven, 23 and 39) but this depends on having a car that is quick enough to overtake and gain track position, in case of traffic.

Fastest compounds in FP3:
1 Rosberg 1m41.856s Supersoft New
2 Hamilton 1m42.137s Supersoft New
3 Vettel 1m42.185s Supersoft New
Top 10 tyre use:
Rosberg 1m40.237s Supersoft New
Hamilton 1m40.614s Supersoft New
Raikkonen 1m41.051s Supersoft New
Perez 1m41.184s Supersoft New
Ricciardo 1m41.444s Supersoft New
Bottas 1m41.656s Supersoft New
Hulkenberg 1m41.686s Supersoft New
Massa 1m41.759s Supersoft New
Kvyat 1m41.933s Supersoft New
Sainz 1m42.708s Supersoft New

alt

 alt

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2015 Abu Dhabi Grand Prix – Practice Sessions

MERCEDES DRIVER NICO ROSBERG GOES FASTEST
ON P ZERO RED SUPERSOFT TYRES

CONDITIONS IN FP2, RUN DURING THE EVENING,
MOST REPRESENTATIVE OF QUALIFYING AND RACE

TYRE WEAR AND DEGRADATION IN LINE WITH EXPECTATIONS
BUT MORE TRACK EVOLUTION EXPECTED

 Mercedes drivers dominated the action at the two Friday free practice sessions in Abu Dhabi, with Lewis Hamilton going fastest in FP1 on the P Zero Yellow soft tyre, and Nico Rosberg setting fastest time of the day in FP2 on the P Zero Red supersoft.

Of the two sessions, FP2 was the most representative as it ran in the same late afternoon to evening conditions that will be the case in qualifying and the race. This means that track temperatures are falling rather than rising, which has an influence on the way that the tyres behave. The teams concentrated on understanding how that influence worked today, on both tyre compounds and with differing fuel loads. However, greater evolution is expected over the rest of the weekend, which will tend to make it faster and grippier, as more rubber is laid down.

The session finished with 29 degrees of track temperature: slightly cooler than last year, with similar conditions expected for the race. There was a small amount of front graining on some cars when on supersoft. After some quite fast long runs seen today, the data collected sofar suggest two pit stops are looking likely on Sunday.

Paul Hembery, Pirelli Motorsport Director: “We saw two very busy sessions and quite a wide variation in the rate at which teams improved by switching from the soft to the supersoft tyre. This was largely a result of the changing track temperatures, which affect different cars in different ways. However, the track is still evolving, so we’ve not quite seen the full picture yet. During FP1 we experienced some thermal degradation as expected: however this stabilised during FP2, which was more representative of race conditions anyway. Nonetheless, we’d anticipate some degree of thermal degradation to remain a factor during the race, with drivers having to look after the rear tyres in particular.”

FP1: FP2:
1.Hamilton 1m43.754s Soft new 1.Rosberg 1m41.983s SuperSoft new
2.Rosberg 1m.43.895s Soft used 2.Hamilton 1m42.121s SuperSoft new
3.Raikkonen 1m44.500s Soft new 3.Perez 1m42.610s SuperSoft new

Tyre statistics of the day:

Soft SuperSoft Intermediate Wet
kms driven * 4554 1621 0 0
sets used overall ** 63 20 0 0
highest number of laps ** 24 24 0 0

* The above number gives the total amount of kilometres driven in FP1 and FP2 today, all drivers combined.
** Per compound, all drivers combined.

Pirelli facts of the day:

The Abu Dhabi Grand Prix, which was inaugurated in 2009, has only been won once by a driver starting from below the front row of the grid. This was courtesy of Kimi Raikkonen, who won for Lotus from fourth on the grid in 2012 and kept the world entertained on his in-car radio by reminding his team to: “leave me alone – I know what I’m doing.”

alt

alt

 

NIKO ROSBERG

alt
alt
alt

NICO ROSBERG AIMS TO #DRIVEFORGOOD IN ABU DHABI TO FINISH 2015 SEASON IN STYLE

alt
alt
alt
  • Laureus Ambassador Nico Rosbeg could surpass €150,000 mark for #DriveforGood at Abu Dhabi Grand Prix
  • ‘I really want to finish on a high note in Abu Dhabi and at the same time raise as much as I can for Laureus’ says Nico Rosberg

 

MERCEDES AMG PETRONAS driver and Laureus Ambassador Nico Rosberg is hoping to continue his fine form and raise more money for Laureus through the #DriveforGood campaign at this weekend’s Abu Dhabi Grand Prix.

Rosberg announced in April, ahead of the Laureus World Sports Awards in Shanghai, that from the 2015 Formula One Chinese Grand Prix onwards, for the remainder of the season, Mercedes-Benz would donate 100 euros for every racing kilometre that he led during the forthcoming 17 rounds of the FIA Formula One World Championship.

Following victories at the last two Grands Prix in Mexico and Brazil, combined with the number of kilometers he has led throughout the season, Rosberg has raised over €130,000 to help improve the lives of young people around the world.

Rosberg, who given current form, could surpass the €150,000 mark at the Abu Dhabi Grand Prix, said:

I am delighted that #DriveforGood has proved to be such a great success. The last few races have gone really well and I am very happy to be finishing the season so strongly. I really want to finish on a high note in Abu Dhabi and at the same time raise as much as I can for Laureus.

Laureus is a cause that is very close to my heart and I am very proud to work as an Ambassador for the Foundation. It’s a source of great inspiration for me to see the fantastic work that the Foundation is doing for children round the world.

 

PATRICK HEAD É AGORA SIR

PATRICK HEAD É AGORA SIR

 

FOI GALARDOADO PELA RAINHA DE INGLATERRAS

 

 

Mais do que  merecido: um dos maiores projectiistas na história da Fórmula 1 - Patrick Head, que agora passa a ser  Sir Patrick Head. Todos lhe gabam os fantásticos Williams de F1. Pessoalmente, agradeço-lhe sempre o que fez pela simplicidade do BMW V12 vencedor de Le Mans 99.

 

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

Abu Dhabi Grand Prix Preview: November 26-29, 2015

 P ZERO YELLOW SOFT AND P ZERO RED SUPERSOFT COMPOUNDS
FOR THE FINAL RACE OF THE YEAR

 SMOOTH ASPHALT MEANS LOW TYRE WEAR AND DEGRADATION

 THE 2016 SEASON STARTS TWO DAYS AFTER THE ABU DHABI GRAND PRIX:
TEAMS WILL TEST NEW SLICK CONSTRUCTIONS AND ULTRASOFT COMPOUND

f29 Copyf30 Copyf31 Copyf33 Copyf36 Copyf37 Copyf38 Copyf39 Copyf40 Copyf41 Copyf42 Copyf43 Copyf44 Copyf45 Copyf46 Copyf47 Copyf48 Copyf49 Copyf50 Copy The 2015 championship concludes at a venue that is very familiar to Pirelli: the spectacular Yas Marina circuit at Abu Dhabi, which has been used for testing and a pre-season launch by the Italian firm, including the world’s first wet-weather test run at night. Due to the smooth asphalt, the two softest tyres in the range will be brought: soft and supersoft, as used at the slowest track on the calendar in Monaco (and at four more grands prix). The Abu Dhabi Grand Prix is held from late afternoon into the evening. As a result, track temperatures tend to drop over the course of the race, meaning that the pattern of tyre behaviour is slightly different to normal: another complex variable for teams to factor into their strategy calculations.

Paul Hembery, Pirelli motorsport director: “It’s incredible to think that the 2015 season is over already: it seems a lot less than a year since we were at Abu Dhabi for the final race of 2014. With the championships decided the teams can obviously push to the maximum and our tyre choice in Abu Dhabi provides them with an interesting challenge: while the surface is very smooth, the tyres are still pushed quite hard due to the track layout, so tyre management becomes an important part of the strategy, particularly under acceleration in the traction areas, where it is very easy to spin the wheels. This is the same nomination as last year, so we’d probably expect another two-stop race, but track temperatures can be quite variable as the sun goes down and this can clearly have an effect on the tyres and therefore strategy. Just two days after the chequered flag on the 2015 season, we already begin testing for 2016: there will be a dedicated Pirelli tyre test from 9am to 9pm on Tuesday 1 December, with all the teams running one car to test some 2016 constructions and the new ‘ultrasoft’ tyre, which will carry purple markings at next year’s races.”

The biggest challenges for the tyres:
The falling track and air temperatures over the course of the race (which does not start until 5pm) means that the track tends to get faster as the grand prix goes on, a phenomenon that is accentuated by falling fuel loads.

Just like the previous round at Interlagos, the track runs in an anti-clockwise direction at Abu Dhabi: a relatively unusual feature, which can sometimes cause physical problems for the drivers.

The first part of the circuit effectively consists of a series of non-stop bends, which heats up the tyre compound. The compound then gets a chance to cool down on the long straight, with the cars on full throttle for around 15 seconds, with the equivalent of around 800 kilograms of downforce. 

Last year’s strategy and how the race was won: A two-stopper was the winning strategy for Lewis Hamilton last year. He started the 55-lap race on the supersoft, before changing to the soft on laps 10 and 31. Then 24 laps later, he became 2014 world champion!

Expected performance gap between the two compounds: 1.0-1.2 seconds per lap.

The Pirelli team choose their race numbers: #17, Ilaria Parolari, PA to Paul Hembery
“Definitely 17: since always. Some people say it brings bad luck, but for me that’s not true.”

Who we’re following on Twitter this week: @TheVijayMallya. With a remarkable 4.48 million followers, Force India’s team principal is more popular on Twitter than @LewisHamilton (3.06M) and the official @F1 channel (1.68M). We thought we would follow him too to see what it’s all about!

The tyre choices so far this year:

P Zero Red P Zero Yellow P Zero White P Zero Orange
Australia Soft Medium
Malaysia Medium Hard
China Soft Medium
Bahrain Soft Medium
Spain Medium Hard
Monaco Supersoft Soft
Canada Supersoft Soft
Austria Supersoft Soft
Britain Medium Hard
Hungary Soft Medium
Belgium Soft Medium
Italy Soft Medium
Singapore Supersoft Soft
Japan Medium Hard
Russia Supersoft Soft
USA Soft Medium
Mexico Soft Medium
Brazil Soft Medium
Abu Dhabi Supersoft Soft

alt

alt

 

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

 

FORMULA 1

 

RED BULL já tem motores para 2016. Carlos Gosh, o homem forte da Renault-Nissan, aceitou continuar a ceder as unidades da Renault à equipa de Milton Keynes, mas o contracto é draconiano. Para começar, a Red Bull pagará mais 50 por cento, elevando-se a factura aos 30 milhões de euros. Depois, há fortes penalizações para possível quebra do mesmo. Mais ainda, a Red Bull e os seus funcionários vão estar proibidos de fazer quaisquer críticas ao motor, o que não é fácil, pois segundo contas de outros construtores, a última versão do Renault perdeu 20 cavalos... 
Por fim, e mais importante, a marca do propulsor não será Renault, tudo indica que passará a chamar-se Infiniti, como tinha previsto há uns meses. 
Ou seja, o que está a dar é a irreversibilidade das decisões...

 

O HUMOR NA FÓRMULA 1

O HUMOR NA FÓRMULA 1

 

A equipa da McLaren foi a visada....

 

 

O FUTURISMO DA MCLAREN

O FUTURISMO DA MCLAREN

 

A braços com inumeros problemas no seu monolugar deste ano no Mundial de Fórmula 1, a McLaren já pensa no futuro, conforme as imagens anexas

 

 

McLAREN MP6/P... Fórmula 1, versão 2056, diz o criador.1 Copy2 Copy3 Copy4 Copy5 Copy

 

TAG HEUER ABANDONA MC LAREN EM DETRIMENTO DA RED BULL NA F1

TAG HEUER ABANDONA MCLAREN

 

Talvez motivado pela crónica falta de resultados, a Tag Heuer, depois de mais de duas dezenas de anos de parceria, para 2016, irá dar o seu apoio à Red Bull em detrimento da equipa liderada por Ron Dennis.

 

 

AS BRINCADEIRAS DE ALONSO E BUTTON NO G.P. DO BRASIL

AS BRINCADEIRAS DE ALONSO E BUTTON NO G.P.BRASIL

 

Pouco mais que tomar banhos de sol a McLaren foi fazer ao Brasil... Interessante é ver como os pilotos já gozam com a situação... O Ron Dennis é que não deve achar muita piada, e o  Boullier deve estar com uma cabeça....Fernando Alonso teve problemas nos treinos com o seu McLaren, e enquanto não o vieram buscar, aproveitou para tomar uns banhos de sol brasileiros-Depois no final dos treinos, tanto Fernando Alonso com Jenson Button, resolveram subir ao pódio e festejar algo, que não festejam a um largo numero de Grandes Prémios.

 

RECORDAR É VIVER

RECORDAR É VIVER

 

O NASCIMENTO DA EQUIPA DE F1 DA COPERSUCAR

 

 

A foto tem 40 anos. E faz parte da história do país que este fim-de-semana recebeu uma vez mais  a F1. 

 

 

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

SEGUNDO O JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

 

NÃO SE CONSEGUE ultrapassar na F1? Não mesmo? Basta ter 18 anos, carradas de "T factor" e ainda mais vontade de se divertir, tudo isto aliado a uma combatividade sem par...

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2015 Brazilian Grand Prix – Race

NICO ROSBERG WINS THE PENULTIMATE GP OF THE SEASON
WITH A THREE-STOP STRATEGY FROM POLE

WIDE VARIETY OF STRATEGY OPTIONS AT WORK THROUGHOUT THE FIELD,
WITH A MIXTURE OF TWO AND THREE STOPS

TYRE WEAR AND DEGRADATION DROPS DURING THE RACE
AS TEMPERATURES GET LOWER

 Mercedes driver Nico Rosberg won the Brazilian Grand Prix with a three-stop strategy, running one stint on the P Zero Yellow soft tyre followed by three remaining stints on the P Zero White medium tyre.

Rosberg was able to hold off his team mate Lewis Hamilton – on a similar strategy – from start to finish, maintaining his advantage from lights to flag without losing the effective lead of the race. Track temperatures remained warm, albeit cooler than the 50 degrees seen during qualifying, while the threatened rain did not occur. The track temperature progressively dropped however throughout the race, ending up at 35 degrees, which reduced wear and degradation in the later stages.

The top three all used a three-stop strategy, but there was a wide variety of tactics at work behind them. The highest-placed two-stopper by the end of the race was Ferrari’s Kimi Raikkonen, who used the strategy to gain fourth by the end of the grand prix, finishing just off the podium behind his Ferrari team mate Sebastian Vettel.

All the drivers started on the soft tyre with the exception of Toro Rosso’s Carlos Sainz and Lotus driver Pastor Maldonado. The Venezuelan completed a long opening stint on his medium tyres, while Force India’s Nico Hulkenberg completed an even longer closing stint with the same compound – underlining the variety of strategic thinking in the closely fought race. Red Bull’s Daniel Ricciardo also adopted an alternative strategy to climb seven places from his grid position, switching from soft to medium on lap two.

Paul Hembery, Pirelli motorsport director: “With weather conditions warm but uncertain, strategy was always going to be a key element of the Brazilian Grand Prix. Rosberg’s considered approach to tyre management over the course of the whole weekend once again proved to be a key element of his victory, which was very well deserved. However, there were a number of drivers operating a two-stop race. We saw some long stints on the medium compound that helped drivers gain track position.”

Fastest times of the day by compound:

 Medium  Soft Intermediate Wet
First  Ham 1m14.832s  Vet 1m15.614s 0 0
Second  Ros 1m14.957s  Gro 1m15.739s 0 0
Third  Vet 1m15.046s  Eri 1m15.789s 0 0

Longest stint of the race:

Medium  Hulkenberg (35 laps)
Soft  Alonso         (20 laps)
 Button

Truth-O-Meter

We predicted that the most likely fastest strategy for the 71 laps of Brazil was a two-stopper, starting on the soft and then changing to the medium on laps 17 and 44. Rosberg (and Hamilton) went for a soft-medium-medium-medium three-stop strategy, stopping on laps 14, 34 and 49. Hamilton’s identical strategy meant that he stopped one lap later than his team-mate on each occasion.

The full pit stop summary is available in the attached pdf document.

alt

alt

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2015 Brazilian Grand Prix – Qualifying

NICO ROSBERG SEALS POLE POSITION AT INTERLAGOS ON P ZERO YELLOW
SOFT TYRE, TO EXTEND HIS POLE RUN

BETWEEN TWO AND THREE PIT STOPS EXPECTED: MEDIUM TYRE EXPECTED
TO BE MAIN RACE TYRE

TYRE WEAR AND DEGRADATION REMAINS WITHIN EXPECTATIONS
ON CHALLENGING INTERLAGOS CIRCUIT

 Mercedes driver Nico Rosberg has set pole for the Brazilian Grand Prix using the Pirelli P Zero Yellow soft tyre, nominated together with the P Zero White medium this weekend. With just over a second separating the two compounds, a number of different strategies are possible for the race tomorrow.
Many competitors are expected to stop twice, but a three-stopper is also very possible. With only a small percentage probability of rain at the start of qualifying, the track remained dry throughout all three sessions. Dry weather should be the case for tomorrow’s race as well, with the short lap and heavy traffic around Interlagos making strategy all the more important when it comes to gaining track position.
Just a tenth of a second separated the two Mercedes drivers in this morning’s final free practice session and their battle continued throughout qualifying. All the drivers completed Q1 on the soft tyre (with all but two of them having run a set of mediums at the start of the session). Qualifying then continued using only the soft compound, as the drivers prioritised saving the more durable medium for the race. Lewis Hamilton (Mercedes) and Romain Grosjean (Lotus) did not use any medium tyres during the qualifying session at all.
Lap times were generally slower than they had been in the equivalent sessions last year, mostly due to the new kerbs at Interlagos, which are much higher than they used to be and do not allow the drivers to go over them.
Track temperatures peaked at 50 degrees centigrade for the all-important top 10 shoot out: the hottest seen all weekend. Most drivers completed two runs in Q3, using a set of fresh soft tyres for the final run that decided pole – which went to Rosberg for the fifth consecutive time.

Paul Hembery, Pirelli motorsport director: “Although Interlagos takes a lot out of the tyres, which is why we’re expecting two or three stops tomorrow, the wear and degradation levels are where we would expect them to be at during this stage of the weekend. The biggest factor in the lap time has appeared to be the new layout with the kerbs, which the drivers have had to get used to since they experienced them for the first time yesterday. Track temperatures have been warm, but still nothing like the very hot conditions we found last year in qualifying. With quite a clear performance gap between the two compounds and dry weather, we’re set for a few different strategy options tomorrow, which the teams will be calculating carefully tonight.”
The Pirelli strategy predictor:
With wear and degradation levels lower than one year ago on this circuit, two different two-stop strategies are theoretically the quickest options for the 71-lap race tomorrow, although a three-stop is possible as well, depending on factors such as traffic and track position. A three-stopper would be: start on the soft tyre and then change to soft again on laps 15 and 30, before moving to mediums on lap 46 to the end. The two quickest two-stoppers are: start on soft, change to medium on lap 17, medium again on lap 44. Alternatively: start on medium, change to soft on lap 27 and then medium on lap 44. The time difference between these three strategies is minimal.

Fastest compounds in FP3:
1 Hamilton  1m12.070s  Soft new
2 Rosberg  1m12.193s  Soft new
3 Vettel   1m12.760s  Soft new
Top 10 tyre use:
Rosberg  1m11.282s  Soft new
Hamilton  1m11.360s  Soft new
Vettel   1m11.804s  Soft new
Bottas   1m12.085s  Soft new
Raikkonen   1m12.144s  Soft new
Hulkemberg   1m12.265s  Soft new
Kvyat   1m12.322s  Soft new
Massa   1m12.415s  Soft new
Ricciardo   1m12.417s  Soft new
Verstappen   1m12.739s  Soft new

alt

alt

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2015 Brazilian Grand Prix – Race – Infographics

alt

alt

 

TUDO NA MESMA NA F1 - MERCEDES VENCE DE NOVO

 

Nico Rosberg conquistou a sua segunda vitória consecutiva este ano no Grande Prémio do Brasil;

·         Esta foi a sua 13ª vitória e a 40ª vez que subiu ao pódio na sua carreira de F1;

·         Lewis Hamilton não deu tréguas ao seu colega de equipa tendo terminado na segunda posição, alcançando mesmo assim a volta mais rápido do circuito, a sétima esta época;

·         A equipa dos Silver Arrows terminou assim em 2015 por 11 vezes no pódio, igualando a marca de 2014, e ainda com uma corrida por concretizar;

·         Com este resultado, Nico Rosberg confirmou a segunda posição no mundial de pilotos, mantendo uma vantagem para o terceiro classificado de 31 pontos.18F1GP-Brasil2015HZ7002 Copy19 Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

PIRELLI TYRE TEST AT ABU DHABI

f10 Copyf11 Copyf12 Copyf14 Copyf16 Copyf17 Copyf18 Copyf19 Copyf20 Copyf21 Copyf22 Copyf23 Copyf26 Copyf27 CopyFollowing an agreement ratified by the FIA World Council, Pirelli will hold a tyre test in Abu Dhabi on Tuesday 1 December, after the final grand prix of the 2015 season.

Pirelli requested the Abu Dhabi session in order to develop a new construction for the 2016 slick tyres as well as to test the new Ultrasoft compound, which will form part of the P Zero F1 range next year.

The one-day test will take place from 9am-9pm continuously.

All teams will attend the test, running one car each, and they will not be allowed to try new parts nor alter the cars in any way during the test.

Pirelli will define the test programme for each car. The tyres used during this test will not be considered as part of the testing allocation for 2015 and will not show any branding or colour markings to indicate which tyre set is fitted to each car.

A very full testing program is planned due to the limited amount of time available. The full results will not be available until some days after the test is concluded, as all the data from the teams is collected and analysed.

For all these reasons Pirelli and the teams have with regret taken the joint decision to keep the test closed to the media. Pirelli will, however, be releasing a full press release at the end of the test. 

 
Mais artigos...

João Raposo

Telemóvel: +351 961 686 867
E-mail: jraposo-air@portugalmail.pt