In order to view this object you need Flash Player 9+ support!

Get Adobe Flash player
Joomla! Slideshow

VELO CAB2012


DI GRASSI NA FÓRMULA E

 

Eurobike e Lucas di Grassi: parceria renovada e estendida

Concessionária de veículos premium continua apoiando o piloto brasileiro, agora também em sua campanha na Fórmula E

Lucas di Grassi e Eurobike formam uma das parcerias mais longevas do automobilismo brasileiro nos últimos anos. Juntos desde 2008, piloto e empresa celebram a extensão do acordo de patrocínio ao também apoiar o brasileiro na temporada 2015-2016 da Fórmula E, o primeiro campeonato mundial de carros 100% movidos a eletricidade, e chancelado pela Federação Internacional do Automóvel (FIA).

O paulistano de 31, piloto da Audi no Campeonato Mundial de Endurance (FIA WEC), já contava com o apoio da empresa na temporada das corridas de longa duração. Levando em seu macacão e capacete a marca Eurobike, Lucas conquistou dois pódios na mais importante corrida de endurance do planeta: as 24 Horas de Le Mans, onde foi terceiro colocado em 2013 e segundo em 2014, repetindo o melhor resultado geral de um brasileiro na prova.

Na Fórmula E, Lucas é o primeiro vencedor da história da categoria e terminou o campeonato em terceiro lugar. Agora, a Eurobike apoiará Di Grassi também no campeonato dos carros elétricos.

"A Eurobike é uma das empresas mais inovadoras do mercado automotivo e a Fórmula E representa uma grande oportunidade, já que se trata de uma categoria que é o futuro do automobilismo, bem como da mobilidade urbana no planeta. A Eurobike dá um primeiro passo no Brasil ao me acompanhar também nesta jornada e, desde 2008 estamos juntos evoluindo, passando da GP2 para a Fórmula 1, depois o Mundial de Endurance e agora a Fórmula E", diz o piloto.

Presente em nove cidades com 26 concessionárias, a Eurobike é líder em vendas de veículos premium no país e comercializa várias marcas de carros e motocicletas como Audi, BMW (autos e motos), Jaguar, Land Rover, MINI, Porsche, Triumph e Volvo.
Segundo Henry Visconde, presidente do Grupo Eurobike, é um prazer poder contar por mais um ano com a parceria de Lucas. "O objetivo da Eurobike é estar sempre próximo dos esportes que ligam automobilismo e velocidade à nossa marca, já que fazemos parte de uma empresa guiada pela emoção", afirmou o executivo.

Um relacionamento que se sustenta há quase oito anos. "Só tenho a agradecer por alimentarmos uma parceria tão longeva, sem deixar de destacar que a Eurobike evolui cada vez mais, inovando, e agora me apoiando também na Fórmula E", reforça Lucas.

"O potencial do Di Grassi é o fator essencial para estarmos cada vez mais presentes neste universo", conclui Visconde.


Lucas di Grassi é patrocinado por Eurobike, TAG Heuer, Qualcomm e KNM

 

 

Shiv Gohil/Audi Sport
Clique na imagem para fazer o Donwload... 
Eurobike e Lucas di Grassi: parceria renovada e estendida
Alta | Web

Audi Sport
Clique na imagem para fazer o Donwload... 
Brasileiro já carrega a marca da Eurobike no Mundial de Endurance
Alta | Web

Audi Sport ABT
Clique na imagem para fazer o Donwload... 
Lucas di Grassi levará a marca também na Fórmula E
Alta | Web

Audi Sport
Clique na imagem para fazer o Donwload... 
Parceria entre o piloto e a concessionária de veículos premium já dura 8 anos
Alta | Web

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

United States Grand Prix Preview: Austin, October 22-25, 2015

P ZERO WHITE MEDIUM AND P ZERO YELLOW SOFT COMPOUNDS FOR UNITED STATES GRAND PRIX, AS WAS THE CASE IN 2014

A WIDE RANGE OF CORNERS AND ELEVATIONS PROVIDES AN ALL-ROUND CHALLENGE FOR THE TYRES

 AMBIENT TEMPERATURES VARIABLE IN TEXAS AUTUMN, LEADING TO FLUCTUATIONS IN TRACK TEMPERATURE

f1 Copyf2 CopyInaugurated in 2012, the Circuit of thef3 Copyf7 Copyf8 Copyf9 Copyf6 CopyAmericas is the 10thvenue to have hosted a Formula One grand prix in the United States, and it has proved to be extremely popular since its inception. The track is well known for its spectacular elevation changes of up to 40 metres, with an uphill run to the distinctive Turn 1, which is a hairpin bend and the signature corner. The track contains an ample variety of corners, which incorporate some of the best elements from other circuits, making it a wide-ranging challenge that tests every aspect of tyre performance. The weather is equally variable, with warm conditions common during the afternoon but frequently cool temperatures in the mornings, making it reasonably hard to get an accurate read on track conditions. This year, as was the case in 2014, the versatile medium and soft P Zero tyres have been nominated.

Paul Hembery, Pirelli motorsport director: “The United States always offers us a very warm welcome and a fantastic race weekend. Like all the other stakeholders in Formula One, America is a crucial market for us so it’s very important for us to have a race there. It’s a track that contains a bit of everything in terms of what it asks from the tyres, so we’ve brought the soft and medium compounds, which are versatile enough to cope with a wide range of demands and weather conditions. With the driver’s championship entering a decisive phase there’s obviously going to be a lot of attention on the race, and we can think of no better place to showcase Formula One. The track configuration and tyre choice offer plenty of opportunities for overtaking and strategy, with a reasonably short pit lane time loss too, so we could be on for quite an unpredictable race, which is what people want to see. It’s rarely an open and shut competition, as we saw from the wide variety of strategies used last year.”

The biggest challenges for the tyres:
In total there are 20 quite varied corners, including a tricky uphill braking area for the unusual turn one (the highest point of the track), giving the anticlockwise circuit a distinctly different feel for the drivers. The track limits are deliberately wide at the corners, in order to encourage different lines and provide opportunities for overtaking.

There are three long straights that tend to cool down the tyres, making the braking areas critical, as tyre temperature will have dropped slightly. This also then affects the turn-in into fast corners, as the compound has to get back up to temperature very quickly. In the past, track temperatures have varied from 18 to 37 degrees centigrade within one day, making tyre temperature management a vital skill.

The set-up tends to be medium downforce with an emphasis on mechanical grip from the tyres; especially at the front to aid a rapid turn-in during the fast direction changes that characterise the first half of the lap. There is roughly 60% full throttle and 10 braking events: about average for the season.

Last year’s strategy and how the race was won: Lewis Hamilton won for Mercedes from second on the grid with a two-stop strategy (in previous years, the winning strategy in Austin was a one-stopper). He started the 56-lap race on the soft tyre and then pitted for mediums on laps 16 and 33, although an early safety car affected his strategy.

Expected performance gap between the two compounds: 0.8 seconds per lap.

The Pirelli team choose their race numbers: #13, Greg Thomas, GP2 engineer
“That’s easy: 13. It’s often avoided in the motorsport world as people think it’s unlucky. But I believe that you make your own luck. And in Italy and China, 13 is considered as a lucky number anyway!”

Who we’re following on Twitter this week: @baronvonclutch. The ‘Baron’ is a prolific motoring and F1 tweeter, who somehow manages to gain access to behind the scenes photos and news, coupled with his own amusing observations. Definitely worth a look for an alternative view of Formula One.

The tyre choices so far this year:

P Zero Red P Zero Yellow P Zero White P Zero Orange
Australia Soft Medium
Malaysia Medium Hard
China Soft Medium
Bahrain Soft Medium
Spain Medium Hard
Monaco Supersoft Soft
Canada Supersoft Soft
Austria Supersoft Soft
Britain Medium Hard
Hungary Soft Medium
Belgium Soft Medium
Italy Soft Medium
Singapore Supersoft Soft
Japan Medium Hard
Russia Supersoft Soft
USA Soft Medium

alt

alt

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

PIRELLI ANNOUNCES TYRE CHOICES TO END OF SEASON

  Pirelli has completed its tyre nominations for the 2015 season, with the choices for the last four races now revealed.

For the United States and Mexico – the two back-to-back grands prix coming up – the P Zero White medium and P Zero Yellow soft tyres will be used. For Austin, this is the same nomination as last year, while simulation data has indicated that this will also be the best choice for the brand new Mexico City circuit.

The Brazilian Grand Prix at Interlagos will have the medium and soft tyres as well, as was the case in 2014. This should provide a range of strategy options and between two and three pit stops for most competitors, with conditions which could also be as hot as they were in Sao Paulo last season.

Finally, the P Zero Yellow soft and P Zero Red supersoft have been selected for Abu Dhabi: again, the same selection as 2014, on a smooth and varied circuit that the teams know well from previous testing.

The tyre choices so far:

P Zero Red P Zero Yellow P Zero White P Zero Orange
Australia Soft Medium
Malaysia Medium Hard
China Soft Medium
Bahrain Soft Medium
Spain Medium Hard
Monaco Supersoft Soft
Canada Supersoft Soft
Austria Supersoft Soft
Britain Medium Hard
Hungary Soft Medium
Belgium Soft Medium
Italy Soft Medium
Singapore Supersoft Soft
Japan Medium Hard
Russia Supersoft Soft
USA Soft Medium
Mexico Soft Medium
Brazil Soft Medium
Abu Dhabi Supersoft Soft
 

A PUBLICIDADE SEM LIMITES DA MERCEDES

A PUBLICIDADE SEM LIMITES DA MERCEDES

 

POR CAUSA DO 2º TITULO DE CONSTRUTORES NA FÓRMULA 1

 

A MERCEDES RENOVOU O TITULO DE CAMPEÃ

 

A equipa da Mercedes da Fórmula 1 repete publicidade ao vivo com todos os que ajudaram na conquista do "bi". Um golpe de génio!

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2015 Russian Grand Prix – Race – Infographics

alt

alt

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

LEWIS HAMILTON WINS WITH A ONE-STOP STRATEGY FROM SECOND
ON THE GRID, RUNNING LONGER ON THE SUPERSOFT THAN THE SOFT

LOW WEAR AND DEGRADATION IN COOL CONDITONS: JUST ONE STOP
FOR MOST OF THE DRIVERS, WHO WERE ABLE TO PUSH CONSTANTLY

PIRELLI HAS REACHED COMMERCIAL DEAL TO REMAIN IN FORMULA ONE
UNTIL 2019. FORMAL FIA PROCEDURE WILL FOLLOW

Mercedes driver Lewis Hamilton has won an eventful Russian Grand Prix with a one-stop strategy. The Englishman started on the supersoft and then switched to the soft on lap 32, meaning that he spent more of the race on the supersoft tyre than the soft after starting from second on the grid. This was made possible by two safety car periods in the first part of the race. It was Hamilton’s 42nd win, equalling the recent total of Sebastian Vettel, and puts him close to another driver’s title at the next race.

As has been the case all weekend in Russia, conditions were quite cool with low track temperatures that made tyre warm-up an essential part of the race strategy.
All the drivers used the supersoft tyres at the race start apart from Pastor Maldonado (Lotus), Felipe Massa (Williams), Marcus Ericsson (Sauber) and Fernando Alonso (McLaren).

A number of drivers – but not the leaders – took advantage of the second of two safety cars (from lap 11 onwards) to make a pit stop, with Force India’s Sergio Perez emerging as the top contender of those who stopped under the second safety car. In the end, the Mexican finished third from seventh on the grid, having managed his tyres very effectively all the way to the finish.

The Toro Rosso of Carlos Sainz was forced to start from the back as the Spaniard missed qualifying due to his accident in FP3. Using a clever one-stop strategy allied with a strong race pace, he was able to climb into a points-scoring seventh place before retiring as a result of mechanical issues with six laps to go.

The low wear and degradation meant that the majority of drivers adopted a one-stop strategy: the default tactics in Russia because of the smooth asphalt surface. The two safety cars also increased stint lengths.

Before the start of the race, the news emerged that Pirelli has concluded a commercial deal to remain in Formula One for the 2017-2019 period. More details will follow as per the procedure laid down by the FIA: the governing body of world motorsport.

Paul Hembery, Pirelli motorsport director: “First and foremost, we’re delighted to confirm that we reached a commercial agreement with Bernie Ecclestone to remain in Formula One for the 2017-2019 period. The process to the formal FIA official nomination will follow with its procedure.
Looking at the race, with very little practice time and therefore tyre information, the drivers and strategists had to think on their feet, reading the race carefully in order to react to changing situations in real time. It’s a testimony to the high level at which Formula One operates that they all rose to this unique challenge with no real issues. We saw a variety of different strategies, and some very effective tyre management that helped many drivers move up the field in an action-packed race.”

Fastest times of the day by compound:

Supersoft Soft Intermediate Wet
First Mas 1m40.881s Vet 1m40.071s  0 0
Second Ham 1m41.336s  Rai 1m40.294s  0 0
Third Mal 1m41.520s  Ham 1m40.573s  0 0

Longest stint of the race:

Supersoft Fernando Alonso (40 laps)
Soft Sergio Perez (41 laps)
Jenson Button (41 laps)

Truth-O-Meter

We predicted a one-stopper as the most likely winning scenario for the 53-lap race, and this is exactly what Hamilton chose. Our prediction said that after starting on supersoft, it would be quickest to stop for soft during a window from lap 18-22. Hamilton made his stop after 32 laps  without losing the lead, with the pit stop windows having been stretched by the appearance of two safety cars.

The full pit stop summary is available in the attached pdf document.

alt

alt

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

NICO ROSBERG TAKES POLE IN SOCHI ON SUPERSOFT TYRES

DRIVERS HEADED INTO QUALIFYING WITH VERY LITTLE RUNNING,
DUE TO INTERRUPTED PRACTICE SESSIONS

AROUND 1.1 SECONDS BETWEEN SOFT AND SUPERSOFT COMPOUNDS

Mercedes driver Nico Rosberg has set pole for the Russian Grand Prix using the Pirelli P Zero Red supersoft, which helped to eclipse last year’s pole (achieved on soft tyres) already during the opening runs of Q2.

This was despite the fact that there was very little running during all three free practice sessions. As a result, the teams had minimal information about tyre wear and degradation heading into qualifying, leading to several question marks about race strategy. The Sochi track is smooth and offers low grip, with any rubber that had been previously laid down on the track washed away by rain yesterday afternoon. Vettel and Nasr had not even run on the supersoft before Q1.

Ambient and track conditions remained cool all day, meaning that one of the biggest challenges was to get enough heat into the tyres on the slippery surface. As the lap times showed, most drivers managed to do this successfully.

Only the two Mercedes drivers managed to get through Q1 using the soft compound only, setting first and third fastest times thanks to Rosberg and Lewis Hamilton respectively.

From Q2 onwards, all the drivers used the supersoft tyres only, which are currently around 1.1 seconds per lap faster than the soft compound. Mercedes were again the fastest team on the red compound, maximising warm-up and performance.

Rosberg set his pole time on his final run in Q3 as the track got faster, beating Hamilton – who will line up second on the grid ahead of Williams driver Valtteri Bottas.

The final free practice session this morning was interrupted with 20 minutes to go following an accident to Toro Rosso driver Carlos Sainz. Rosberg had been fastest on the supersoft tyres at the time the session was stopped. The resulting barrier repairs forced the cancellation of the GP3 race – which again limited the amount of rubber that was on track prior to F1 qualifying.

Paul Hembery, Pirelli motorsport director: “The most important thing about today was the fact that Carlos Sainz is OK after his incident this morning. Everything else is of secondary importance. Clearly all the teams were on the back foot heading into qualifying, as there was very little clean practice time yesterday and today. As a result, there are big question marks about the optimal race strategy – especially as we have never raced here with the supersoft compound before.”

The Pirelli strategy predictor:

Because the teams did not complete many laps of dry running in free practice, it is hard to have a precise indication of strategy for the 53-lap race. However, many teams may choose a one-stop strategy owing to the low wear and degradation levels at Sochi. In which case, the fastest strategy would be to start on the supersoft and then switch to the soft between laps 18 and 22. However some teams wouldn’t discount a two stop strategy, especially if race conditions turn out to be warmer”.

Fastest compounds in FP3:
1 Rosberg  1m38.561s  Supersoft new
2 Bottas   1m39.287s  Supersoft new
3 Hamilton   1m39.363s  Supersoft new
Top 10 tyre use:
Rosberg   1m37.113s  Supersoft new
Hamilton   1m37.433s  Supersoft new
Bottas   1m37.912s  Supersoft new
Vettel   1m37.965s  Supersoft new
Raikkonen   1m38.348s  Supersoft new
Hulkenberg   1m38.659s  Supersoft used
Perez   1m38.691s  Supersoft used
Grosjean   1m38.787s  Supersoft new
Verstappen   1m38.924s  Supersoft new
Ricciardo   1m39.728s  Supersoft new

alt

alt

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

FELIPE MASSA SETS FASTEST FP2 TIME ON FULL WET TYRE.
NICO HULKENBERG FASTEST IN FP1 ON SOFT COMPOUND

SUPERSOFT – NOMINATED FOR THE FIRST TIME IN RUSSIA – YET TO RUN DUE
TO SOLID RAIN IN THE AFTERNOON

BETTER WEATHER EXPECTED FOR THE REMAINDER OF THE WEEKEND, MEANING
THAT TEAMS WILL FOCUS RACE PREPARATIONS ON TOMORROW

 Felipe Massa went fastest in the second free practice session using the Cinturato Blue full wet tyre, while the quickest time of the day was set by Force India’s Nico Hulkenberg in FP1 on the soft tyre.

This is the first Russian grand prix in which the P Zero Yellow soft and P Zero Red supersoft tyres have been nominated, but the softest tyre in the range is yet to be used: meaning that the team will have a busy morning tomorrow.

The two free practice sessions in Russia were both disrupted for separate reasons: a diesel spillage, which was covered in water, caused a half-hour delay to the start of FP1 while there was continuous rain throughout FP2, which meant that only seven drivers chose to set a time and some did not come out at all.

For most of the FP2 session, the track was very wet in some places and much drier in the others, making the tyre choice very complex. However, with rain falling more intensely towards the end of the hour and a half session, the track became extremely wet everywhere. As a result, the teams chose not to run extensively, because better weather is predicted for the rest of the weekend that will be more representative of race conditions.

In the morning, Force India topped the FP1 classification for the first time, with Nico Hulkenberg using the soft tyre to go fastest on his final lap of the session. Most drivers started FP1 on the intermediate tyre, to cope with the damp patch on the track, but some also used the full wet. The full wet was used from start to finish of FP2.

During the day, every single tyre in the range was used with the exception of the supersoft. However, the weather and track conditions meant that no representative lap times were set all day, with the times a long way off last year. As a result, the teams will have plenty of work to do to prepare strategy and assess wear and degradation rates in FP3 tomorrow.

Paul Hembery, Pirelli Motorsport Director: “It was a largely inconclusive day in Russia. However, that’s just part of racing and we’ve seen before that less practice time can often lead to a more unpredictable qualifying and race. The surface of the track has not evolved considerably since last year, with the newness of the asphalt meaning that it’s not as porous as more established venues, so the water remained on the track for a while. It’s a shame for the fans that they didn’t get to see more running at this fantastic circuit, but with better weather expected over the rest of the weekend, we should be in for an exciting couple of days ahead. Tomorrow, the teams will be left with a very big workload in FP3 as they prepare for qualifying and the race in just one hour of what we expect to be dry running.”

FP1: FP2:
1.Hulkemberg  1m44.355s  Soft new 1.Massa  2m00.458s  Wet used
2.Rosberg   1m44.407s  Soft new 2.Vettel  2m00.659s  Wet used
3.Vettel  1m44.986s  Soft new 3.Bottas  2m00.688s  Wet used

Tyre statistics of the day:

Supersoft Soft Intermediate Wet
kms driven *  0  1071  298  473
sets used overall **  0  20  18  14
highest number of laps **  0  15  8  12

* The above number gives the total amount of kilometres driven in FP1 and FP2 today, all drivers combined.
** Per compound, all drivers combined.

Pirelli fact of the day:

The original Russian Grand Prix was actually held 102 years ago, in St Petersburg, won by local man Georgy Suvorin in a Benz. The race was run again the following year, this time won by German driver Willy Scholl in another Benz. The first project for a modern grand prix in Russia was launched in the 1980s under the title of ‘The Grand Prix of the Soviet Union’, planned for a circuit near Moscow, but this never came to fruition – until the current Russian Grand Prix was inaugurated in 2014 in the Sochi Olympic Park.

alt

alt

 

MERCEDES JÁ É CAMPEÃ DO MUNDO NA F 1

 

Grande Prémio da Rússia entrega título de Campeão à equipa da Mercedes-AMG PETRONAS

 

lewis3 CopyLewis Hamilton_1_CopyLewis Hamilton_Copy• Lewis Hamilton conquistou o seu segundo Grande Prémio da Rússia, tornando-se assim no nono condutor a alcançar duas vitórias consecutivas num circuito novo; • Com esta vitória a equipa da Mercedes-AMG PETRONAS conquistou o título de Construtores pela segunda vez consecutiva; • Com este resultado Lewis Hamilton alcança a sua 9ª vitória esta época e a 42ª da sua carreira, igualando Sebastian Vettel; • Nico Rosberg iniciou a corrida na primeira posição mas foi obrigado a desistir na 7ª volta; • A equipa MERCEDES-AMG PETRONAS continua a liderar o Campeonato de Construtores com uma diferença de 172 pontos para o segundo classificado; • Lewis Hamilton mantém a liderança do Campeonato de Pilotos por 66 pontos para Vettel e 73 para Rosberg Pilotos Chassis No. Grelha Resultado Volta + rápida Lewis Hamilton F1 W06 Hybrid/05 P2 P1 1:40.573 Nico Rosberg F1 W06 Hybrid/01 P1 DNF 1:43.133 Estratégia Início Stop 1 No. 44 SuperSoft (Usado) Soft (Novo) No. 6 SuperSoft (Usado) DNF

 

EMERSON FITIPALDI EM DISCURSO DIRECTO

EMERSON FITIPALDI EM DISCURSO DIRECTO

 

Hoje, dia 07 de outubro, comemoro 41 anos do Bi-Campeonato Mundial, que foi o 1º Campeonato Mundial da Mc Laren.
E por coincidência, estou com um grupo de pessoas da Nova Zelândia sendo entrevistado para participar de um documentário sobre a vida de Bruce Mc Laren, que em minha opinião, foi um visionário e um super piloto e que conseguiu criar uma equipe que fez uma das melhores histórias da Fórmula 1

 

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO JORNALISTA JOÃ CARLOS COSTA

 

Mais desporto motorizado no Eurosport na versão portuguesa. Vamos transmitir magazines de 30 minutos de resumo de todas as corridas da temporada 2015 / 2016 da Formula E, sempre nas noites de terça-feira a seguir às provas.

Calendário:

•October 24, 2015: Beijing, China
•November 7, 2015: Putrajaya, Malaysia
•December 19, 2015: Punta del Este, Uruguay
•February 6, 2016: Buenos Aires, Argentina
•March 19, 2016: TBD
•April 2, 2016: Long Beach, California
•April 23, 2016: Paris, France
•May 21, 2016: Berlin, Germany
•June 4, 2016: Moscow, Russia
•July 2 & 3: Two races in London, UK

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

Russian Grand Prix Preview: Sochi, October 8-11, 2015

 P ZERO SOFT AND SUPERSOFT TYRES – A STEP SOFTER THAN LAST YEAR –
FOR THE SECOND RUSSIAN GRAND PRIX

 TYRE WEAR AND DEGRADATION EXPECTED TO BE LOW, THANKS TO SMOOTH
ASPHALT, MILD WEATHER, AND MEDIUM-SPEED CORNERS

 The P Zero Yellow soft and P Zero Red supersoft tyres have been nominated for the Russian Grand Prix: a step softer than the inaugural race last year, when the medium and soft tyres were nominated. With no prior race data to go on in 2014, a deliberately conservative choice was made, but with real race information now available, a nomination more precisely suited to the exact characteristics of the track has been made. The new asphalt surface is smooth, and together with mild weather and mostly medium-speed corners, this leads to generally low tyre wear and degradation.

Paul Hembery, Pirelli motorsport director: “We’re very pleased to be coming back to Russia for the second Russian Grand Prix: a market that is crucial not only to ourselves but also every automotive manufacturer. There were a number of question marks that we faced coming to the Sochi circuit for the first time last year – as is inevitably the case with any new circuit – but we have since been able to collect extra data that means we have more information for 2015. As a result, we have gone a step softer with the tyre nomination this year to help us get back into the two to three pit stop window, which is what we desire for every race. However, both ourselves and all the teams are learning more about this circuit all the time, despite the advancement of simulation technology. The track has quite a wide variety of different corners, so it makes for a good all-round test for the tyres, with the drivers able to benefit from the extra speed of the supersoft this year.”

The biggest challenges for the tyres:
Freshly laid asphalt often undergoes quite a radical change in its first year, particularly after going through a harsh winter season. However, track samples indicate that there has not been a major change in the characteristics of the Sochi asphalt from 2014 to 2015, with the surface remaining smooth and non-abrasive. With the circuit not being used extensively outside Formula One, a high degree of track evolution is expected, with a ‘green’ and slippery surface on Friday in particular.

The most critical corner at Sochi is Turn 3 a long multi-apex left-hander that was inspired by the famous Turn 8 at Istanbul Park (which was also designed by Hermann Tilke). This stresses the front-right tyre in particular. In total there are 12 right and six left-hand corners, with a 650-metre straight between the first and second turns.

The 5.848-kilometre track will be the third longest of the year, behind Spa and Silverstone. Around 1.7 of those kilometres are run on public roads, and the race will run for 53 laps. Ambient temperatures of 15 to 20 degrees centigrade are expected, limiting the effects of thermal degradation. 

Last year’s strategy and how the race was won: Lewis Hamilton won for Mercedes, starting on the soft tyre and switching to the medium on lap 30. The most remarkable strategy was used by his team mate Nico Rosberg, who switched from soft to medium on the opening lap after seriously flat-spotting his tyres. He emerged in 20th place but went on to finish second, completing more than 300 kilometres on one set of tyres and setting his personal best time on the penultimate lap.

Expected performance gap between the two compounds: 0.8 – 1.0 seconds per lap.

The Pirelli team choose their race numbers: #13, Mario Malizia, tyre fitter
“For me it would be 13, no question: like Pastor Maldonado! There’s no special reason, it’s just a number that has always brought me luck. And I think that’s what Pastor says too.”

Who we’re following on Twitter this week: @nigelmansell. It had to happen: ‘Il Leone’ is finally on Twitter. As was the case during his driving career, he doesn’t hold back on his opinions, and his insight perfectly reflects the competitive mindset that he still has.

The tyre choices so far this year:

P Zero Red P Zero Yellow P Zero White P Zero Orange
Australia Soft Medium
Malaysia Medium Hard
China Soft Medium
Bahrain Soft Medium
Spain Medium Hard
Monaco Supersoft Soft
Canada Supersoft Soft
Austria Supersoft Soft
Britain Medium Hard
Hungary Soft Medium
Belgium Soft Medium
Italy Soft Medium
Singapore Supersoft Soft
Japan Medium Hard
Russia Supersoft Soft

alt

alt

 

A REPARTIÇÃO DOS LUCROS NA FÓRMULA 1 EM 2015

A REPARTIÇÃO DE LUCROS NA FÓRMULA 1 EM 2014

 

A divisão dos dinheiros na F1 em 2014: (infografia: Marca)

 

BUTTON CONFIRMADO NA MCLAREN

Jenson Button confirmado na McLaren-Honda em 2016.

 

FÓRMULA 1 NOS CANAIS EUROSPORT

 

Eurosport assina acordo histórico com a Formula One Management para os direitos TV e digitais exclusivos

de transmissão da F1® em Portugal até 2018

 

 

O Eurosport acaba de adicionar outra ‘joia’ ao seu crescente portfolio de ativos desportivos de primeira grandeza ao assegurar os direitos exclusivos de difusão televisiva e digital para o Campeonato do Mundo FIA de Fórmula Um™ em Portugal a partir de 2016 e até 2018.

 

O acordo com a Formula One Management (FOM) abarca todas as corridas, sessões de qualificação e treinos do principal evento de desportos motorizados para as três próximas temporadas. O Eurosport terá acesso a múltiplos ‘feeds’ em direto incluindo cobertura a partir de câmaras montadas nos carros e em helicópteros de modo a permitir ao canal oferecer aos espetadores TV e online a emocionante ação da F1 sob diferentes perspetivas.

           

Peter Hutton, Chief Executive Officer do Eurosport, comenta assim esta novidade: “A F1 é uma das principais marcas desportivas e o maior evento no calendário de desportos motorizados. Garantir esses direitos para Portugal é uma demonstração adicional da nossa estratégia de adquirir ativos-chave a nível local e pan-regional, a par do nosso compromisso de ter os maiores eventos e capturar os melhores momentos desportivos no Eurosport. O que se tem provado já um sucesso, como é evidenciado pelo forte crescimento das audiências por toda a Europa”.

 

“Existem poucos desportos com uma tão grande história em termos de narrativa e produção televisiva de classe mundial como a F1 e estamos ansiosos por desenvolver essa herança para oferecer aos fãs em Portugal uma experiência de visionamento de grande qualidade. Esta novidade é apenas uma parte de um ano notável para o Eurosport, no qual o investimento em produção ajudou a atingir impressionantes audiências record para eventos emblemáticos em 2015 como o Open de França, o US Open, o Tour de France ou as 24 Horas de Le Mans”, acrescenta Peter Hutton.

 

A Fórmula 1® é uma importante aquisição a juntar à já impressionante oferta Eurosport de desportos motorizados, a qual inclui as 24 Horas de Le Mans, o FIA WTCC e o Mundial de Superbike. Estas competições estão entre as mais populares no Eurosport, como ficou comprovado com a edição 2015 das 24 Horas de Le Mans, que atraiu ao canal 16.2 milhões de espetadores europeus.

 

Desde o início do ano, a audiência média* Eurosport tem crescido à razão de dois digitos em diversos mercados-chave europeus, incluindo: +37% em Itália, +25% na Suécia, +19% no Reino Unido, +18% na Holanda, +15% na Alemanha.

 

O calendário provisório do Campeonato do Mundo FIA de Fórmula Um™ 2016 inclui um número record de 21 Grandes Prémios, com início previsto a 3 abril na Austrália e prova final a 27 novembro em Abu Dhabi.

 

*Fonte: dados oficiais de audiência / AdvantEdge

 


 

 

SOBRE O GRUPO EUROSPORT

 

O Grupo Eurosport é o líder pan-regional no entretenimento desportivo. Detido pela Discovery Communications, o maior operador mundial de programas ‘pay-tv’, o Eurosport tem como conceito proporcionar a mais abrangente experiência de desporto em direto através de conteúdos atrativos e inovação tecnológica. O Eurosport chega a um total de 222 milhões de assinantes através de 91 países na Europa, Ásia-Pacífico, África e Médio Oriente. Eurosport - o canal porta-estandarte do Grupo - é o canal TV pan-europeu No.1, transmitindo anualmente mais de 5.000 horas de desporto em direto para 137 milhões de lares em 54 países, oferecendo comentários especializados em 20 idiomas diferentes. Eurosport.com é o principal website de informação desportiva na Europa, registando até 23 milhões de visitantes todos os meses. Eurosport Events é a divisão do grupo especializada na gestão e promoção de eventos desportivos internacionais.

Para mais informações, visite corporate.eurosport.com

Em Portugal os canais Eurosport estão disponíveis nos operadores NOS, MEO, Cabovisão e Vodafone.

Site Eurosport Portugal: tv.eurosport.pt

Eurosport Portugal no Facebook: www.facebook.com/Eurosport

 

 

 

SOBRE A FÓRMULA 1®

 

Fórmula 1®, que começou em 1950, é a mais prestigiada competição mundial de desportos motorizados e o campeonato desportivo anual mais popular em todo o mundo. Em 2014 foi vista por 425 milhões de espetadores únicos em mais de 200 territórios. O Campeonato do Mundo FIA de Fórmula Um™ 2015 é disputado de março a novembro e abrange 19 provas em 19 países de 5 continentes. Formula One World Championship Limited pertence ao grupo Formula One, fundado pelo CEO Bernie Ecclestone, e detém os direitos comerciais exclusivos para o Campeonato do Mundo FIA de Fórmula Um™. Para mais informações sobre a Fórmula 1®, visite www.formula1.com.

 

F1, FÓRMULA 1, CAMPEONATO DO MUNDO FIA DE FÓRMULA UM, GRAND PRIX e marcas associadas são marcas registadas da Formula One Licensing BV, empresa do grupo Formula One. Todos os direitos reservados.

 

 

ADEPTOS E CONSTRUTORES QUEREM F 1 MAIS RUIDOSOS

ADEPTOS E CONSTRUTORES QUEREM F 1 MAIS RUIDOSOS

 

Com a introdução dos novos motores no inicio do ano transacto, garnde parte do encanto das corridas de Fórmula 1, ficou perdido pois estes propulsores mforam concebidos para fazer pouco ruido.Por isso agora estuda-se para a época do próximo ano, que  haja aqui uma alteração, na qual os propulsores emitam, mais ruido.

 

Fórmula 1 aposta em escapes mais sonoros para 2016.

 

GROSJEAN NO TEAM HAAS DE F 1

 

Haas F1 Team escolhe Romain Grosjean para seu piloto

HaasPT FT_15002_Copy Quando a Haas F1 Team se estrear no Campeonato do Mundo FIA de Fórmula 1 em 2016, fá-lo-á com um piloto experiente como o Romain Grosjean.

Grosjean, de vinte e nove anos de idade, competiu em setenta e oito corridas de Fórmula 1, conquistou dez pódios, tendo sido o mais recente o que alcançou em Agosto no Grande Prémio da Bélgica. Actualmente, está na sua quinta temporada com a Lotus F1 Team.

Grosjean é um piloto muito considerado como líder de equipa e como um potencial campeão do mundo. O francês pilotará pela primeira vez o carro da Haas F1 Team durante o primeiro teste de pré-temporada no Circuit de Catalunya, Barcelona, entre os dias 1 e 4 de Março. O segundo teste de Barcelona será realizado entre os dias 15 e 18 de Março, antes do início da temporada, a 3 de Abril, que será o Grande Prémio da Austrália, em Melbourne.

“Queríamos um piloto experiente e capaz de desenvolver o nosso carro e a nossa equipa de modo a poder marcar pontos e melhorar a cada corrida e a cada temporada. Foi isso que encontrámos no Romain”, disse Gene Haas, o fundador e o presidente da Haas F1 Team. “Estou envolvido no desporto automóvel há muito tempo e cedo aprendi que o componente mais crucial é o piloto. O Romain tem fortes credenciais e será um activo muito importante para a Haas F1 Team”.

“O que o Gene Haas e toda gente na Haas F1 Team estão construir é impressionante e estou muito orgulhoso por fazer parte disso”, disse Grosjean. “A Fórmula 1 é incrivelmente competitiva e a única forma de ser bem-sucedido é encontrar novas formas de fazer as coisas. Esta é uma nova oportunidade com uma nova equipa que está adoptar uma nova abordagem à Fórmula 1. Acredito nesta abordagem e a equipa acredita em mim. Estou focado em dar o meu melhor absoluto à minha actual equipa nestas últimas cinco corridas, estou muito entusiasmado com o que o futuro reserva à Haas F1 Team”.

“Para além de ser um piloto de Fórmula 1 experiente, o Romain tem uma grande sensibilidade técnica”, afirmou Guenther Steiner, o chefe de equipa da Haas F1 Team. “Ele oferece informação boa e especifica sobre como o carro se comporta. Durante o desenvolvimento do nosso carro nos testes e na temporada os seus conhecimentos serão cruciais”.

Grosjean venceu corridas e campeonatos em todas as categorias em que competiu até chegar à Fórmula 1. Transitou rapidamente do karting para os automóveis, em 2003, triunfando em dez corridas no Campeonato Suíço de Fórmula Renault 1.6 e vencendo a competição. Em 2005 voltou a vencer dez corridas no Campeonato Francês de Fórmula Renault 2.0, conquistando um segundo título.

Em 2006 Grosjean evoluiu para a Fórmula 3 Euro Series, participando também em duas corridas do Campeonato Britânico de Fórmula 3, onde conseguiu uma pole-position, uma vitória e assinando a volta mais rápida em ambas as provas. Uma segunda temporada na Fórmula 3 Euro Series trouxe-lhe grandes dividendos ao alcançar quatro pole-positions e seis vitórias a caminho da vitória no campeonato. Em 2008 subiu para a

GP2 e manteve a sua veia vencedora ao conquistar quatro vitórias em quatro corridas, garantindo o ceptro inaugural da GP2 Asia Series.

Em 2008, Grosjean era piloto de testes da Renault F1. Em Agosto de 2009, a Renault nomeou Grosjean para competir ao lado do bicampeão mundial de Fórmula 1 Fernando Alonso.

A experiência ganha durante as sete corridas que disputou foi de valor incalculável e Grosjean aprofundou essa experiência em 2010 ao tomar parte numa ampla variedade de competições. Venceu a Auto GP com quatro vitórias, sete pódios e três pole-positions. Conquistou duas vitórias no Campeonato do Mundo FIA de GT1 e dois pódios na GP2 Series. Evidenciando a sua versatilidade, competiu em duas provas de vinte e quatro horas, uma em Le Mans e outra em Spa-Francorchamps.

Em 2011, Grosjean regressou à GP2 Series, vencendo a competição asiática na sua última edição e, posteriormente, conquistou o ceptro da GP2 Series com cinco vitórias. Para além disso, regressou à Renault F1 como piloto de testes.

Com Renault F1 sob uma nova gestão e rebaptizada como Lotus F1 Team para 2012, Grosjean foi nomeado para competir ao lado do Campeão do Mundo de 2007 Kimi Raikkonen. O primeiro pódio do Grosjean chegou na quarta corrida da temporada, no Bahrein. Três corridas mais tarde, em Montreal, terminou no segundo posto. Um segundo pódio foi alcançado na décima primeira prova da época, na Hungria.

A temporada de 2013 foi impressionante para Grosjean, dado que registou seis pódios, tendo como ponto alto o segundo lugar conquistado no Grande Prémio dos Estados Unidos da América, em Austin, Texas.

A época de 2014 ficou marcada pela introdução de um novo regulamento de motores, com os turbos a regressarem à categoria pela primeira vez desde 1988. O desenvolvimento foi difícil para muitas equipas. Grosjean alcançou dois oitavos lugares, um em Espanha e outro no Mónaco, mas bateu regularmente o seu colega de equipa ao longo do ano.

Com catorze corridas disputadas em 2015, Grosjean mostrou a forma que evidenciou em 2013, como demonstra o pódio conquistado no Grande Prémio da Bélgica.

Em 2016, Grosjean traz para a Haas F1 Team – a primeira equipa de Fórmula 1 americana em trinta anos – a sua experiência e ambição.

 

EQUIPA DA MCLAREN COM NOVO PATROCIONADOR

EQUIPA DA MCLAREN COM NOVO SPONSOR

 

McLAREN já tem patrocinador - a Moet Chandon.

 

F+ORMULA 1 REGRESSA AOS TELEVISORES DOS PORTUGUESES

 

EUROSPORT PORTUGAL terá o exclusivo das transmissões de Fórmula 1 a partir do próximo ano.

Agora com todas as explicações:

Eurosport assina acordo histórico com a Formula One Management para os direitos TV e digitais exclusivos
de transmissão da F1® em Portugal até 2018

 O Eurosport acaba de adicionar outra ‘joia’ ao seu crescente portfolio de ativos desportivos de primeira grandeza ao assegurar os direitos exclusivos de difusão televisiva e digital para o Campeonato do Mundo FIA de Fórmula Um™ em Portugal a partir de 2016 e até 2018.

O acordo com a Formula One Management (FOM) abarca todas as corridas, sessões de qualificação e treinos do principal evento de desportos motorizados para as três próximas temporadas. O Eurosport terá acesso a múltiplos ‘feeds’ em direto incluindo cobertura a partir de câmaras montadas nos carros e em helicópteros de modo a permitir ao canal oferecer aos espetadores TV e online a emocionante ação da F1 sob diferentes perspetivas.

Peter Hutton, Chief Executive Officer do Eurosport, comenta assim esta novidade: “A F1 é uma das principais marcas desportivas e o maior evento no calendário de desportos motorizados. Garantir esses direitos para Portugal é uma demonstração adicional da nossa estratégia de adquirir ativos-chave a nível local e pan-regional, a par do nosso compromisso de ter os maiores eventos e capturar os melhores momentos desportivos no Eurosport. O que se tem provado já um sucesso, como é evidenciado pelo forte crescimento das audiências por toda a Europa”.

“Existem poucos desportos com uma tão grande história em termos de narrativa e produção televisiva de classe mundial como a F1 e estamos ansiosos por desenvolver essa herança para oferecer aos fãs em Portugal uma experiência de visionamento de grande qualidade. Esta novidade é apenas uma parte de um ano notável para o Eurosport, no qual o investimento em produção ajudou a atingir impressionantes audiências record para eventos emblemáticos em 2015 como o Open de França, o US Open, o Tour de France ou as 24 Horas de Le Mans”, acrescenta Peter Hutton.

 

A Fórmula 1® é uma importante aquisição a juntar à já impressionante oferta Eurosport de desportos motorizados, a qual inclui as 24 Horas de Le Mans, o FIA WTCC e o Mundial de Superbike. Estas competições estão entre as mais populares no Eurosport, como ficou comprovado com a edição 2015 das 24 Horas de Le Mans, que atraiu ao canal 16.2 milhões de espetadores europeus.

Desde o início do ano, a audiência média* Eurosport tem crescido à razão de dois digitos em diversos mercados-chave europeus, incluindo: +37% em Itália, +25% na Suécia, +19% no Reino Unido, +18% na Holanda, +15% na Alemanha.

O calendário provisório do Campeonato do Mundo FIA de Fórmula Um™ 2016 inclui um número record de 21 Grandes Prémios, com início previsto a 3 abril na Austrália e prova final a 27 novembro em Abu Dhabi.

*Fonte: dados oficiais de audiência / AdvantEdge


SOBRE O GRUPO EUROSPORT

O Grupo Eurosport é o líder pan-regional no entretenimento desportivo. Detido pela Discovery Communications, o maior operador mundial de programas ‘pay-tv’, o Eurosport tem como conceito proporcionar a mais abrangente experiência de desporto em direto através de conteúdos atrativos e inovação tecnológica. O Eurosport chega a um total de 222 milhões de assinantes através de 91 países na Europa, Ásia-Pacífico, África e Médio Oriente. Eurosport - o canal porta-estandarte do Grupo - é o canal TV pan-europeu No.1, transmitindo anualmente mais de 5.000 horas de desporto em direto para 137 milhões de lares em 54 países, oferecendo comentários especializados em 20 idiomas diferentes.Eurosport.com é o principal website de informação desportiva na Europa, registando até 23 milhões de visitantes todos os meses. Eurosport Events é a divisão do grupo especializada na gestão e promoção de eventos desportivos internacionais.
Para mais informações, visite corporate.eurosport.com

Em Portugal os canais Eurosport estão disponíveis nos operadores NOS, MEO, Cabovisão e Vodafone.
Site Eurosport Portugal: tv.eurosport.pt
Eurosport Portugal no Facebook: www.facebook.com/Eurosport

SOBRE A FÓRMULA 1®

Fórmula 1®, que começou em 1950, é a mais prestigiada competição mundial de desportos motorizados e o campeonato desportivo anual mais popular em todo o mundo. Em 2014 foi vista por 425 milhões de espetadores únicos em mais de 200 territórios. O Campeonato do Mundo FIA de Fórmula Um™ 2015 é disputado de março a novembro e abrange 19 provas em 19 países de 5 continentes. Formula One World Championship Limited pertence ao grupo Formula One, fundado pelo CEO Bernie Ecclestone, e detém os direitos comerciais exclusivos para o Campeonato do Mundo FIA de Fórmula Um™. Para mais informações sobre a Fórmula 1®, visite www.formula1.com.

F1, FÓRMULA 1, CAMPEONATO DO MUNDO FIA DE FÓRMULA UM, GRAND PRIX e marcas associadas são marcas registadas da Formula One Licensing BV, empresa do grupo Formula One.

 

PORTUGAL PODE VER MUNDIAL DE F1 NO EUROSPORT

PORTUGAL PODE VER MUNDIAL DE F1 NO EUROSPORT

 

Estas são as datas provisórias para seguir a F1 no Eurosport em português na temporada 2016.

Calendário provisório do Mundial de F1 2016:
20 de Março GP da Austrália
3 de Abril GP da China
10 de Abril GP do Bahrein
1 de Maio GP da Rússia
15 de maio GP de Espanha
29 de Maio GP do Mónaco
12 de Junho GP do Canadá
19 de Junho GP da Europa (Baku-Azerbeijão)
3 de Julho GP da Áustria
10 de Julho GP da Grã-Bretanha
24 de Julho GP da Alemanha
31 de Julho GP da Hungria
28 de Agosto GP da Bélgica
4 de Setembro GP de Itália
18 de Setembro GP de Singapura
2 de Outubro GP do Japão
9 de Outubro GP da Malásia
23 de Outubro GP dos EUA
6 de Novembro GP do México
13 de Novembro GP do Brasil
27 de Novembo GP de Abu Dhabi

 

GROSJEAN DEIXA A LOTUS

GROSJEAN DEIXA A LOTUS

 

Haas F1 Team confirma Romain Grosjean. O senhor que se segue será? Graham Rahal? Esteban Gutiérrez? Kevin Magnussen?

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

MERCEDES DRIVER LEWIS HAMILTON WINS FROM SECOND ON THE GRID
WITH A TWO-STOP STRATEGY AS EXPECTED

 WARMEST TRACK TEMPERATURES SEEN ALL WEEKEND TODAY

 A VARIETY OF DIFFERENT STRATEGIES AND TACTICS USED THROUGHOUT THE
TOP 10: A TWO-STOPPER THE MOST POPULAR CHOICE

 Mercedes driver Lewis Hamilton has won the Japanese Grand Prix with a medium-medium-hard tyre strategy from second on the grid. The Englishman gained the lead at the start and then built up a sufficient advantage that he was able to rejoin the race without losing command after both pit stops. He has now matched the benchmark of Ayrton Senna, with 41 wins, while Mercedes registered its eighth one-two finish of the season.

The three drivers behind Hamilton used a different two-stop strategy: medium-hard-hard. Throughout the top 10, there were a number of different strategies designed to help give drivers a tactical advantage, aided by the timing of the pit stops. Nico Rosberg, in particular, used the ‘undercut’ to pit earlier than his direct rivals and move up to second place, having dropped to fourth after the start. Sebastian Vettel finished third for Ferrari: only Hamilton, Rosberg and Vettel can now theoretically win the championship this year.

The majority of competitors stopped twice in Japan, with just Sergio Perez (Force India), Daniil Kvyat (Red Bull), Felipe Massa (Williams) and Will Stevens (Manor) stopping three times. Perez, Massa and Red Bull’s Daniel Ricciardo all picked up punctures as a result of Turn 1 incidents, which forced them all into first-lap pit stops. Following Carlos Sainz’s broken front wing after a collision, some debris left on the track caused a number of cuts to the tyres, without consequence.

Track temperatures, which peaked at 42 degrees, were the warmest they had been all weekend in Suzuka, adding a further complication to the strategy. The teams headed into the Japanese Grand Prix lacking dry weather data, as the two free practice sessions on Friday were dominated by rain.

All the drivers started on the medium tyre, apart from McLaren’s Jenson Button, who started on the hard compound.

Paul Hembery, Pirelli motorsport director: “There was a strong and consistent performance from both our nominated tyres from start to finish of the Japanese Grand Prix, despite the highest track temperatures we have seen all weekend, as well as the high energy loads and abrasive surface that Suzuka is famous for. We saw a wide variety of strategies in place throughout the race and different thinking on the best way to use the tyres, with the timing of the pit stops turning out to be crucial. With the rain on Friday, the teams did not have their usual amount of data heading into the weekend, which made the way that they were able to read the race and get the best out of the tyres all the more impressive.”

Fastest times of the day by compound:

Hard Medium Intermediate Wet
First Ham  1m36.145s Ham  1m37.961s 0 0
Second Ros   1m37.147s Ves   1m38.237s 0 0
Third Vet    1m37.906s Mas   1m38.595s 0 0

Longest stint of the race:

Hard: Daniel Ricciardo  28 laps
Medium: Jenson Button     25 laps

Truth-O-Meter
We predicted a two-stopper as being the best option for this 53-lap race, starting on the medium, changing to the medium again on laps 16-18 and finally the hard on lap 33-35. Hamilton followed our prediction almost exactly, stopping on laps 16 and 32.

The full pit stop summary is available in the attached pdf document.

alt

alt

 

REGRESSO DA RENAULT À F 1

 

F1: ASSINATURA DE UMA CARTA DE INTENÇÕES ENTRE O GRUPO RENAULT E A GRAVITY MOTORSPORTS S.A.R.L

 

 

O Grupo Renault e a Gravity Motorsports S.a.r.l., uma filial da Genii Capital SA, têm o prazer de anunciar a assinatura de uma Carta de Intenções que visa a aquisição potencial, por parte da Renault, de uma participação maioritária no capital do Lotus F1 Team Ltd.

 

A assinatura desta carta de intenções é o primeiro passo no projecto de criação de uma escuderia Renault na Fórmula 1 em 2016 que dará continuidade aos 38 anos de envolvimento da marca na disciplina rainha dos desportos mecânicos.

 

O Grupo Renault e a Gravity Motorsports S.a.r.l., irão trabalhar em conjunto nas próximas semanas para transformar esta carta de intenções num acordo definitivo, sob reserva que todos os termos e condições entre o Grupo Renault e a Gravity Motorsports S.a.r.l, bem como de todas as partes interessadas, se concretizem.

 

 

 

 

 

 

MERCEDES NO PÓDIO NO JAPÃO

 

Silver Arrows conquistam o pódio no Japão

 

F12015JAP DPPI1804641_Copy• Lewis Hamilton venceu este fim de semana o Grande Prémio do Japão alcançando a 41ª vitória da sua carreira e igualando o recorde de vitórias de Ayrton Senna; • Nico Rosberg alcançou a segunda posição e o 37º pódio. Os Silver Arrows da MercedesBenz terminaram esta época por 8 vezes na primeira e segunda posição; • Após uma partida bastante disputada, Lewis Hamilton passou a liderar a corrida com Nico Rosberg a cair para a quarta posição; • Nico Rosberg teve uma recuperação formidável, com paragens na volta 15 e 29 para troca de pneus, passando de seguida Bottas e Vettel para alcançar a segunda posição; • A equipa MERCEDES AMG PETRONAS lidera o Campeonato de Construtores com 506 pontos, em segunda posição a encontra-se a Ferrari com 337 pontos; • Lewis Hamilton mantém a liderança no Mundial de Pilotos com 277 pontos. Piloto Chassis No. Grelha início Resultado Volta + rápida Lewis Hamilton F1 W06 Hybrid/05 P2 P1 1:36.145 Nico Rosberg F1 W06 Hybrid/01 P1 P2 1:37.147 Estratégia de pneus Início Stop 1 Stop 2 No. 44 Medium (Used) Medium (New) Hard (New) No. 6 Medium (Used) Hard (New) Hard (New)

 

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

 

Com chuva, ou sem ela, com resultados ou sem eles, os fãs japoneses são únicos, e a F1 continua a ser uma religião no país do Sol Nascente.

 

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO SITE SAPO DESPORTO

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO SITE SAPO DESPORTO

 

Schumacher pesa apenas 45kg, revela jornal inglês

O piloto teve um grave acidente em 2013.
Michael Schumacher
Foto: Lusa

 

 

As notícias sobre a recuperação do antigo piloto de Fórmula 1, Michael Schumacher, são muito escassas, mas esta quarta-feira o jornal Daily Express revelou que o alemão pesa nesta altura apenas 45kg.

Schumacher, que teve um acidente de esqui no final de 2013, tem tido uma recuperação muito lento, não conseguindo andar pelos suas próprias pernas, ou sequer falar.

 

Fonte : Sapo Desporto

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2015 Singapore Grand Prix – Race

SEBASTIAN VETTEL CLAIMS THIRD WIN OF THE SEASON FOR HIMSELF
AND FERRARI USING A TWO-STOP STRATEGY

SINGAPORE’S 100% SAFETY CAR RECORD MAINTAINED:
 TWO SAFETY CARS AFFECT RACE STRATEGY

DIFFERENT THINKING ON STRATEGY ALL THE WAY DOWN THE FIELD:
VERSTAPPEN FINISHES IN THE POINTS FROM ONE LAP DOWN

 Ferrari driver Sebastian Vettel has sealed his third victory of the season for Ferrari, using a two-stop strategy at night on the streets of Singapore to clinch his 42nd career win. The race was characterised by a lengthy safety car period a third of the way into the race, which added a new dimension to the already complex strategy calculations, followed by a second safety car period 20 laps from the finish. During the second safety car, the drivers made their last stops, with a final sprint to the finish that produced plenty of entertaining battles.

The entire field started the grand prix on the P Zero Red supersoft tyre, nominated together with the P Zero Yellow soft this weekend. But there were already some different ideas about strategy from the first round of pit stops onwards. Some drivers – including the top three – stuck with the supersoft, while both Mercedes drivers switched to the soft tyre for the second stint. The same strategy was used by Toro Rosso’s Max Verstappen, who went from a lap down at the beginning, following a problem at the race start, to a points-scoring eighth. The 17-year-old then used the rapid supersoft at the end of the race to make up positions. The fastest lap was actually set on the soft tyre on lap 52 by Red Bull’s Daniel Ricciardo, who finished second.

Singapore kept up its 100% record of having at least one safety car during the race, going to the full two-hour time limit for a grand prix. Despite this being the longest race of the year, the vast majority of the field used a two-stop strategy. The highest-placed three-stopper was Toro Rosso’s Carlos Sainz, who ended up ninth at the finish.

The Singapore Grand Prix was run in hot and humid conditions, with ambient and track temperatures of 30 and 33 degrees respectively, which fell gradually as the race went on.

Paul Hembery, Pirelli motorsport director: “Tactics and tyre management played an important role during this evening’s race. Conditions were as tough as ever in Singapore, with the heat, humidity and sheer length of the race, but Ferrari and Sebastian Vettel were able to get the very best out of the tyres and the strategy, knowing when to push and when to keep something in reserve. It was a perfect race from him. The strategy for every team was obviously affected by the two safety car periods, which had the effect of stretching out the stints. As a result, we saw more drivers moving towards a two-stop strategy rather than a three-stopper. All the way down the field though, there was some different thinking about which order would be the best one to use the tyres in. With such a long race distance, looking after the tyres most effectively was crucial to success, especially in the closing stages.”

Fastest times of the day by compound:

Supersoft Soft Intermediate Wet
First MAL   1m50.175s RIC  1m50.041s 0 0
Second VST    1m50.298s VET 1m50.069s 0 0
Third SAI     1m50.401s RAI  1m50.341s 0 0

Longest stint of the race:

Supersoft  Max Verstappen         25 laps
Soft  Romain Grosjean        33 laps

 Truth-O-Meter
We predicted a three-stopper as theoretically the fastest scenario for the 61-lap race, but we also thought that most teams would opt for a two-stopper because of traffic. In the end, the strategy was mainly affected by the two safety cars, plus one virtual safety car period. The two-stopper we expected was: start on supersoft, switch to supersoft again on lap 24 and soft on lap 43. Vettel followed the pattern we expected but the timing of his stops was influenced by the safety car. He made his two pit stops on laps 13 and 37.

The full pit stop summary is available in the attached pdf document.

alt

 alt

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

Japanese Grand Prix Preview: Suzuka, September 24-27, 2015

 HARD AND MEDIUM PIRELLI COMPOUNDS FOR SOME OF THE FASTEST
AND MOST EPIC CORNERS IN FORMULA ONE

 VARIABLE WEATHER AND HIGH ENERGY LOADS ADD TO THE MASSIVE
CHALLENGE OF JAPAN FOR THE TYRES

 NEW SEPTEMBER DATE COULD LEAD TO WARMER CONDITIONS

 Following the street circuit at Singapore, where the two softest tyres in the range were nominated, Formula One heads directly to Japan this weekend with the two hardest tyres selected for Suzuka: P Zero Orange hard and P Zero White medium. This is because Suzuka contains some of the fastest and most demanding corners in Formula One, such as the legendary 130R, which forms part of Formula One history. As a result, some extremely high-energy loads pass through the tyre, leading to heat build-up on the tread. This requires the most durable compounds in the range to maintain consistent grip. Owing to Suzuka’s notoriously variable weather, the Cinturato full wet and intermediate tyres may be seen as well over the course of the weekend, although this year the Japanese Grand Prix takes place a week earlier. The teams have to basically be ready for anything, at a venue that has frequently crowned champions in the past.

Paul Hembery, Pirelli motorsport director: “Suzuka is one of the most aggressive circuits we face on the Formula One calendar from a tyre perspective: it’s right up there with Silverstone and Spa. There’s been some resurfacing in recent years that has taken away a bit of the asphalt roughness that it used to have, but this does not diminish the overall challenge of Suzuka in any shape or form. It’s not unusual to face extremes of weather in Japan: either very wet, or dramatically hot. We’ve seen both over the years – and quite a few conditions in between – so it’s a very tough circuit all round. The drivers absolutely love the experience of driving here, and over the course of the weekend we are always privileged to meet some of the most passionate and dedicated fans we see anywhere all year. They are a vital part of what makes coming to Suzuka so special. Of course, like everybody else, Jules Bianchi will be in our thoughts more than ever over the Japanese Grand Prix weekend.”

The biggest challenges for the tyres:
Suzuka is a fast and flowing circuit: to the extent that it has very high lateral energy loads (through the fast corners) but one of the lowest longitudinal demands of the year, underlining the fact that there is relatively little acceleration and braking. Instead, the drivers maintain a high speed throughout the lap, with the very long corners such as 130R (named after its radius) and Spoon putting sustained loads through the tyres. 130R is taken flat-out in top gear at speeds in excess of 300kph, generating the highest continuous g loading of the year.

While Suzuka has been re-asphalted recently, the surface remains quite abrasive. There is a relatively high degree of track evolution over the weekend: during Friday in particular the circuit is usually quite ‘green’, leading to a risk of graining if the track does not provide optimal grip.

Suzuka is traditionally high when it comes to wear and degradation, making tyre management even more important than usual. With the risk of rain and safety cars, plus several overtaking opportunities, this is one of the circuits where strategy options are extremely open, depending on circumstances. 

Last year’s strategy and how the race was won: The race was started behind the safety car and ran in wet conditions from start to finish. Lewis Hamilton won for Mercedes from second on the grid, starting on the Cinturato Blue wet tyres and then stopping on laps 14 and 35 for intermediates.

Expected performance gap between the two compounds: 0.6 – 0.8 seconds per lap.

The Pirelli team choose their race numbers: #5, Christian Staurenghi, hospitality manager
“I love 5 so much that I even have it tattooed on my foot! The number 5 looks like my initials: a C on top of an S. And there are five of us in my family.”

Who we’re following on Twitter this week: @serenawilliams. Apart from sharing a name with one of its most famous teams, Serena doesn’t have much to do with Formula One, but she was recently announced as a star of the 2016 Pirelli Calendar that will be launched later this year. And at 5.4 million Twitter followers, she has even more online fans than Lewis Hamilton.

The tyre choices so far this year:

P Zero Red P Zero Yellow P Zero White P Zero Orange
Australia Soft Medium
Malaysia Medium Hard
China Soft Medium
Bahrain Soft Medium
Spain Medium Hard
Monaco Supersoft Soft
Canada Supersoft Soft
Austria Supersoft Soft
Britain Medium Hard
Hungary Soft Medium
Belgium Soft Medium
Italy Soft Medium
Singapore Supersoft Soft
Japan Medium Hard

alt

alt

 

HUGO BOSS "VESTE" NIKO ROSBERG

HUGO BOSS " VESTE" NIKO ROSBERG

 

Niko Rosberg, só usa fatos da Hugo Boss,por isso a marca alemã, organizou um espectáculo junto de um dos seus espaços de venda em Frankfurt na Alemanha, onde contou com um monolugar da Mercedes, com que Rosberg esthugo1 Copyhugo2 Copy_Copyhugo3 Copy_Copyhugo4 Copy_Copyhugo5 Copy_Copyhugo6 Copy_Copyá a disputar o Mundial deste ano.

 

BRONCA HOJE NO G.P.DO BAHRAIN

BRONCA HOJE NO G.P.DE SINGAPURA

 

Um espectador entendeu qoe o melhor local para tirar uma foto....seria no meio da pista com os carros a passar.....e a loucura instalou-se, com a intervenção do safety car.Nem os próprios pilotos acreditavam o que estavam a ver....

 

A foto do GP de Singapura de F1. Segundo Ricciardo, este espectador chegou a filmar a sua louca aventura. 

 

JÁ É CONHECIDO O CALENDÁRIO DA F1 PARA 2016

 

JÁ É CONHCIDO O CALENDÁRIO DA F1 PARA 2016

 

 

Já é conhecido o calendário para a próxima época de Fórmula 1 que poderá ser constituído por vinte provas, sendo para já este o calendário provisório.

3 Abril – Austrália

10 Abril – China

24 – Bahrein

1 Maio – Russia

15 Maio – Espanha

29 Maio – Mónaco

12 Junho – Canadá

26 Junho – Inglaterra

3 Julho Austria

17 Julho – Europa – Azerbeijão

31 Julho – Alemanha

7 Agosto – Hungria

28 Agosto – Bélgica

4 Setembro – Itália

18 Setembro – Singapura

25 Setembro – Malásia

9 Outubro – Japão

23 Outubro – Estados Unidos

30 Outubro – México

13 Novembro – Brasil

27 Novembro Abu Dhabi

 

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

 

O Eurosport passa a transmitir "live" as corridas da Fórmula E... mas só na Alemanha, Polónia, Suécia, Noruega, Dinamarca, Finlândia e Islândia.

 

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

 

BERNIE ECLESTONE E MAX MOSLEY

 

 

Um dia , daqui a décadas, os historiadores vão escrever sobre a importância desde dois senhores (vistos aqui numa foto de 1978) na história da F1 e do Desporto Automovel nos últimos 45 anos. Acredito que, feitas as contas, o balanço possa ser positivo... ainda que com imperfeições. 

Agora Bernie afirma que gostava mais do tempo de Max como presidente da FIA, porque era mais autoritário, mais de partir a mobília. Jean Todt quer agradar a gregos e troianos, diz o ainda F1 supremo...

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

Singapore Grand Prix Preview: Singapura, 17-20 setembro de 2015

Softest OS PNEUS no intervalo - macio e SUPERSOFT -
STREET CIRCUITO PARA O FINAL DO ANO

Significa que as alterações temperatura noturna Race Track
É diferente de USUAL

LONGA DISTÂNCIA RACE, umidade muito alta e complexa ESTRATÉGIA DOS PNEUS
Fazem deste um dos passeios mais desafiadora do ÉPOCA

 

 

f20 Copyf21 Copyf22 Copyf23 Copyf24 Copyf25 Copyf26 Copyf27 Copyf28 Copyf29 Copyf30 Copyf31 Copyf32 Copyf36 Copy- Formula One: tem um olhar muito diferente para ele neste fim de semana, como as cabeças de circo para Cingapura e da famosa corrida noturna Marina Bay, qui proporciona uma das performances mais interessantes da temporada. Os dois pneus mais macios da gama - P Zero Amarelo macio e P Zero Red supermacio - têm beens Indicado para este circuito de rua, qui: tem uma série de aspectos incomuns para ele. Sendo uma corrida noturna, com todos os treinos e sessões qualificativas Mantidos à noite também, a maneira que evolui faixa de temperatura é consideravelmente diferente de grandes prêmios mais convencionais - e isto: tem um efeito significativo sobre a forma como os pneus são usados ​​que la.

Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli: "Desde que entrou para o calendário em 2008, Singapura forneceu sempre um espetáculo verdadeiramente impressionante que mostra o que Formula One é tudo sobre: ​​a tecnologia mais avançada do mundo, sob os holofotes. Como este é um circuito de rua, que já nomeou os dois pneus mais macios e mais rápido no intervalo: Eles oferecem a aderência mecânica máxima e um rápido aquecimento, qui são duas chaves para o sucesso em Cingapura. Há lotes de factoring para as equipes e pilotos para considerar quando planear a estratégia: a Evolução temperatura da pista incomum, uma grande diferença de desempenho entre les dois compostos, a necessidade de poupar combustível no percurso longo e exigente corrida, bem como a alta probabilidade de um carro de segurança, qui tem destaque em todas as corridas até agora, em Cingapura. Por causa de todas as variáveis ​​de teses e aussi o mobiliário urbano variados - linhas brancas pintadas, tampas e assim por diante, qui-ter apanhado fora alguns motoristas no passado - o trabalho feito nos treinos livres para capturar todos os dados necessários de pneus será ainda mais significativa do que o habitual.

Durante estes dias, We Will aussi Definindo ser, juntamente com a FIA, um procedimento mais claro Habilitando os mais equipes de seguir as regras Quanto facilmente usar pneus. Isto é importante para evitar mal-entendidos, dando as equipes de indicações mais precisas a cumprir-com, evitando, assim, o que aconteceu com a Mercedes em Monza. "

Os maiores desafios para os pneus:
Cingapura tem o maior número de cantos de qualquer passeio por um calendário da Fórmula (23) A criação de mais trabalho para os pneus. Juntamente com a umidade de 80%, o tempo de corrida de duas horas, eo fato de que é o segundo mais lento colo do ano pós-Monaco (qui limita resfriamento e fluxo de ar através do carro) Isso faz com que Marina Bay O passeio mais fisicamente desafiador de todos para os motoristas.

Tudo o que quero dizer cantos tese de tração e frenagem são os dois aspectos vitais A maioria do circuito de Marina Bay. Como a maioria dos circuitos de rua, a área é bastante irregular em Cingapura, e isso certamente não ajuda. Com muito pouca área de escape, os erros ficam impunes Raramente: Exigir que um alto grau de precisão do pneu. O pneu traseiro esquerdo é o mais difícil Trabalhou Ou seja, enquanto os carros correm muito alto downforce.

Temperatura ambiente tende a ser na área de 30-35 graus centígrados Mesmo durante a noite, tornando-o território perfeito para as cúpulas do pneu macio de trabalho. Drivers terá que gerencia o supersoft com cuidado, a fim de beneficiar o máximo de desempenho do composto por superaquecimento não-lo.

A estratégia do ano passado e como a corrida foi ganha: Lewis Hamilton venceu a corrida de 61 voltas usando uma estratégia de três paradas. Ele começou no supersoft, sem caroço para supersoft novamente, volta 15, uma volta 31 novamente supermacio, macio e na volta 52. Houve uma grande variedade de estratégias utilizadas em todo o campo.

Diferença de desempenho esperado entre les dois compostos: 1.8 - 2.2 segundos por volta.

A equipe Pirelli escolher seus números de competição: # 29, Matt Watts, líder pneu equipe montador
"Eu escolheria o número 29, como é um número que sempre me seguiu. Quando eu era criança, a casa que eu cresci era número 29. E agora, a casa que acabo Mudou-se para o número 29 é assim ".

Quem estamos Seguindo esta semana no Twitter: @ alanbaldwinf1. Alan é o jogo F1 para a Reuters, trazendo abundância de trás da visão cenas de sua conta no Twitter. Incluindo, por exemplo, uma foto de uma porta marcada simplesmente 'Gladiator' no motorhome Williams. O que está por trás da porta ainda está para ser revelada: Russell Crowe?

As escolhas de pneus até agora este ano:

 P Zero Amarelo Vermelho P Zero P Zero Branco Laranja P Zero
Austrália Suave Médio
Malásia Médio Difícil
China Suave Médio
Bahrain Suave Médio
Espanha Médio Difícil
Monaco Supersoft Macio
Canadá Supersoft Macio
Áustria Supersoft Macio
Grã-Bretanha Médio Difícil
Hungria Suave Médio
Bélgica Suave Médio
Itália Suave Médio
Singapore Supersoft Macio

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

PNEUS PIRELLI anuncia nomeações para a Rússia UP

 

f1 Copyf2 Copyf3 Copyf4 Copyf5 Copyf7 Copyf8 Copyf9 Copyf10 Copyf11 Copyf12 Copyf14 Copy As escolhas de pneus Pirelli para os próximos três Grandes Prémios da temporada-ter-sido revelado.

Em Cingapura, as equipas irão utilizar o supermacio P Zero Vermelho e P Zero Amarelo macio. Estes compostos são perfeitamente adequados às características da pista Street Circuit Marina Bay, proporcionando um rápido bom warm-up e aderência mecânica máxima.

No Japão, por outro lado, o P Zero Laranja duro e médio P Zero Branco serão nomeados: os dois compostos mais duros no intervalo. Isto é para atender as demandas de alta energia e curvas rápidas de Suzuka, qui pedir um monte de pneus. Com o GP do Japão realizada no início da temporada Comparado ao ano passado, as condições são esperados para ser um pouco mais quente.

Para o Grande Prêmio da Rússia, a Pirelli nomeará o P Zero Amarelo macio e P Zero Red Supersoft uma combinação que shoulds lidar bem com as fileiras dos cantos largos e superfície lisa de offert por Sochi, hospedando um grand prix apenas pela segunda vez.

Todos os compromissos estão a tese Sami como eram correspondentes para as corridas em 2014, além de Rússia, qui é um passo mais suave. O asfalto não se alterou significativamente desde o início itos últimos anos, e olhando para os dados a partir de 2014, um passo mais suave é possível.

As escolhas de pneus até agora este ano:

 P Zero Amarelo Vermelho P Zero P Zero Branco Laranja P Zero
Austrália Suave Médio
Malásia Médio Difícil
China Suave Médio
Bahrain Suave Médio
Espanha Médio Difícil
Monaco Supersoft Macio
Canadá Supersoft Macio
Áustria Supersoft Macio
Grã-Bretanha Médio Difícil
Hungria Suave Médio
Bélgica Suave Médio
Itália Suave Médio
Singapore Supersoft Macio
Japão Médio Difícil
Rússia Supersoft Macio

 

SEGUNDO A OPINIÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

SEGUNDO A OPINIÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

 

 

Monza é especial. Gosto da pista, da alta velocidade, das curvas de "coração de leão", do ambiente. Recordo sempre com um enorme sorriso o primeiro Grande Prémio de F1 que vi ao vivo, apenas como espectador. Escolhi a dedo, mas sem hesitar, optei por Monza e para lá fui, no início de Setembro de 1982, de inter-rail, na companhia de ‪#‎Luis‬ Carlos Sousa (numa altura em que ambos nem sonhávamos que um dia seríamos parceiros na profissão).
Por isso mesmo, com mais uma edição do GP no fim-de-semana, faz-me confusão que Monza possa não estar em futuros calendários da F1. A pista da cidade dos arredores de Milão é um marco. É (ou devia ser) património universal do Desporto Motorizado - aqui fica uma ideia para a FIA criar algo assim.


Como é possível não vermos mais esta imagem da recta da meta de Monza invadida pelo fantástico público italiano no final do GP? Se me perguntarem um momento especial dessa ida a Monza em 1982, relembro sempre isso: o ter podido invadir a pista. Com a particularidade de, nessa altura, ter feito a invasão, na zona da Parabólica, quando ainda havia carros a completar a corrida. Outros tempos, mas a mesma paixão de um público que é muito mais que apenas tiffosi da Ferrari. Por isso, tal como muitos outros, considero que se trata de um público a não perder... NUNCA!

 

SEGUNDO A OPINIÃO DE JOÃO CARLOS COSTA

SEGUNDO A OPINIÃO DO JORNALISTA  JOÃO CARLOS COSTA

 

E se o futuro da F1 fosse assim? Como diz (e bem) Jenson Button, já não estamos nos anos 70.

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

talian Grand Prix Preview: Monza, 3-06 setembro de 2015
P ZERO BRANCO AMARELO MÉDIO E P ZERO para velocidades Soft Top
NA REGIÃO DE FORÇAS E 360KPH 4,5 g da Pirelli está em casa RACE
PNEUS o inquérito técnico INTO Vettel é AGORA EM SPA
TERMINADO. OS resultados serão apresentados em Monza

 


 Pirelli chega em casa e Monza este fim de semana; o "templo da velocidade", que apresenta os mais rápidos nas retas avaliações some do calendário da F1 é, o que levou o treinador a executar um específico de baixo arrasto aerodinâmico set-up. O meio P Zero Branco e P Zero Amarelo pneus de ter-sido suaves escolhido para o Grande Prêmio da Itália, qui são compostos versáteis que são ble para equilibrar as demandas de desempenho individual e durabilidade que Monza exige sempre. Com cargas de alta energia de até 4,5 g atravessando os pneus e algumas grandes impactos com o famoso Krebs, o composto e estrutura do pneu é desafiado em toda a volta.
Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli: "Monza é sempre um dos destaques de nossa época, com uma história incrível e atmosfera. Nós temos-os compostos médios e macios, um passo mais suaves do que a nossa nomeação no ano passado, qui deverias ser bem adequado para Monza ea ênfase na velocidade que este sistema sempre lugares. Estamos esperando um bom grau de desgaste e degradação, assim como sempre o trabalho feito Durante livre será muito grande driving range Quando se trata de calcular a melhor estratégia. Com os dois compostos potencialmente muito estreitamente alinhados em termos de ritmo, isso abre algumas opções.
Os carros correm baixo downforce em Monza e isso realmente aumenta o trabalho para os pneus em aceleração e frenagem consideravelmente, com menos força Porque empurrando para baixo em cima do carro, é os pneus que estão fornecendo boa toda a aderência mecânica. Aliada à Kerbs em Monza, este Fornece os nossos pneus com um desafio a toda a volta ampla Exigir consistem durabilidade e desempenho.
We-finalizaram a investigação do pneu de Sebastian Vettel em Spa. Resultados detalhados da análise técnica apresentada em Monza será ".
Os maiores desafios para os pneus:
Um rápido como Monza Circuit tendem a ser mais pneus do que nós Exigir um circuito lento, como toda a força no trabalho incentiva o acúmulo de calor, particularmente sobre o ombro do pneu. Existem demandas de energia laterais significativas em Monza, devido a cantos Parabolica longa, tais como, bem como grandes demandas longitudinais, por causa de toda a tração e frenagem.
Com um baixo downforce set-up como é usado em Monza, os motoristas precisam cuidar dos pneus traseiros em particular, a fim de não provocar wheelspin em aceleração. No entanto, o outro lado desta é aumentada a velocidade máxima, na área de 360kph.
A estratégia do ano passado e como a corrida foi ganha: Lewis Hamilton usou uma estratégia de uma paragem para a corrida de 53 voltas, com os compostos duros e médios Nomeado no ano passado. O piloto da Mercedes começou com o pneu médio e, depois, mudou para o colo dura 25.
Diferença de desempenho esperado entre les dois compostos: 0,8 - 1,0 segundo por volta.
A equipe Pirelli escolher seus números de competição: # 8 Fabrizio Tanfani Chief
"É um número que significa agrupamento muito para mim: Eu nasci lá 8 de Julho e quando eu estava jogando futebol quando era criança, de volta para casa em Piombino, eu joguei com o número 8. Há 8 anos de diferença eu e minha namorada between e 8 é o símbolo do infinito bem. "
Quem estamos seguindo no Twitter esta semana: It'sMotorSportRetro esta semana. Para quem ama os velhos tempos, esta conta no Twitter, ligado ao site do nome de Sami, vai comer a horas de seu dia com incríveis entrevistas, fotos e vídeos.
As escolhas de pneus até agora este ano:
 P Zero Amarelo Vermelho P Zero P Zero Branco Laranja P Zero
Austrália Suave Médio
Malásia Médio Difícil
China Suave Médio
Bahrain Suave Médio
Espanha Médio Difícil
Monaco Supersoft Macio
Canadá Supersoft Macio
Áustria Supersoft Macio
Grã-Bretanha Médio Difícil
Hungria Suave Médio
Bélgica Suave Médio
Itália Suave Médio

 

Google Tradutor

 

NOS STATES NA FÓRMULA INDY

NOS STATES NA FÓRMULA INDY

 

E vão quatro vitórias nesta época  para Scott Dixon. Foi preciso ganhar em Sonoma para o neozelandês da Ganassi garantir o título no desempate das vitórias com Ryan Hunter-Reay. Montoya saiu de Sears Point como o grande perdedor depois de liderar a IndyCar desde o início da temporada.

 

NICOI HULKENBERG MANTÉM-SE NA FÓRMULA 1

NICO HULKENBERG MANTÉM-SE NA FÓRMULA 1

 

Nico Hulkenbergrenova por mais dois anos com a Force Índia F1. Não se sabe se pode continuar a fazer uma "perninha" na Porsche WEC.

 

RENAULT ADQUIRE EQUIPA LOTUS DE F 1

Tal como Bernie Eclestone desejava:  A Renault compra a Lotus por 80 milhões e volta a ter equipa de F1. Prost fica com 10% e Gerard Lopez mantém 25%. Prost deve desempenhar um papel idêntico ao de Lauda na Mercedes. Esteban Ocon pode ser a escolha para um dos pilotos.

 

SEXTA VITÓRIA PARA HAMILTON EM SPA

 

Sexta vitória para Lewis Hamilton em 2015 •

 

 

c1 Copyc2 CopyLewis Hamilton conquistou este fim de semana, no Grande Prémio da Bélgica, o seu segundo Grande Prémio nesta pista, a 39ª vitória na sua carreira de F1 e a 6ª vitória em 2015; • Nico Rosberg terminou na segunda posição completando o 7º pódio em conjunto para os Silver Arrows esta época, e o seu 36º pódio da sua carreira; • Com 80 pódios na sua carreira Lewis Hamilton iguala o recorde de Ayrton Senna; • Lewis Hamilton e Nico Rosberg optaram por uma estratégia de duas paragens para troca de pneus; • A equipa MERCEDES AMG PETRONAS lidera o Campeonato de Construtores por 184 pontos para o segundo classificado; • Lewis Hamilton lidera o Campeonato de Pilotos com 28 pontos sobre Nico Rosberg. Piloto Chassis Grelha Resultado Volta + rápida Lewis Hamilton F1 W06 Hybrid/05 P1 P1 1:52.504 Nico Rosberg F1 W06 Hybrid/01 P2 P2 1:52.416 Estratégia Início Stop 1 Stop 2 No. 44 Soft Medium (13) Soft (30) No. 6 Soft Medium (12) Soft (31)

 

EQUIPA DE LUCAS DI GRASSI LANÇA NOVO CARRO

Com cores brasileiras, equipe de Lucas di Grassi lança novo carro

Fórmula E inicia nesta segunda-feira (24) os dois últimos dias de testes coletivos antes da abertura da temporada, que acontece em outubro em Pequim, na China. Dono do recorde da pista de Donington Park, Di Grassi se diz empolgado com o desafio

Acontecem nesta segunda e terça-feira (24 e 25) os dois dias finais de testes coletivos preparatórios para a segunda temporada da história da Fórmula E, categoria de carros movidos 100% a eletricidade chancelada pela FIA, e da qual o brasileiro Lucas di Grassi é o primeiro vencedor de sua história. E na manhã desta segunda-feira, no circuito de Donington Park, na Inglaterra, onde serão realizados os treinos, a equipe de Lucas, a Audi Sport ABT fez o lançamento de seu carro, o ABT-Schaeffler FE01.

Na "Temporada 2" da Fórmula E as equipes se inscreveram como construtoras, já que o powertrain, que é o conjunto formado por motor elétrico, câmbio e transmissão, têm construção livre. Em seu campeonato inaugural, a categoria forneceu os carros com o mesmo ?trem-de-força? aos times participantes.

"A equipe trabalhou muito intensamente nos últimos meses não só na pista, mas também na sede. O centro de tudo é o novo motor elétrico, que no nosso caso foi desenvolvido com mais ênfase na eficiência, alta confiabilidade, desempenho e também com sistema de resfriamento mais eficiente", aponta Lucas di Grassi.

Para Lucas, a categoria vai ficar ainda mais interessante. "Cada equipe está desenvolvendo sua própria tecnologia, e isso é extremamente importante não só para o futuro da competição, mas também da mobilidade sustentável, já que também passamos a servir de referência para a indústria", destaca. "No nosso caso, temos um câmbio de apenas três marchas, um software de gerenciamento totalmente novo, e um motor com mais torque e eficiência do que o antecessor", diz.

As cores do ABT-Schaeffler FE01 mudaram um pouco em relação ao carro da temporada 2014-2015. O verde-e-amarelo da Schaeffler está mais presente, dominando a pintura desde as rodas dianteiras até as asas traseiras. Na porção da frente, o time manteve o característico vermelho com toques de preto e amarelo, formando as cores da bandeira da Alemanha.

"Não deixa de ser uma combinação interessante. E ano passado mostramos que a dobradinha Brasil-Alemanha funcionou muito bem na Fórmula E", diz Lucas, terceiro colocado na temporada de estreia e nos últimos testes da pré-temporada estabeleceu um novo recorde de tempo de volta no circuito de Donington.

"Estou muito satisfeito com o andamento das coisas até aqui. Temos andado bem nos testes, com direito a recorde de volta nos treinos anteriores. Estamos muito positivos em relação a esta nova temporada, e trabalhando bastante; vamos agora para os últimos testes antes da abertura da temporada em Pequim, e vamos fazer o possível para obter um bom resultado para representar bem o Brasil no campeonato da Fórmula E neste segundo ano", concluiu.

Lucas di Grassi é patrocinado por Eurobike, TAG Heuer, Qualcomm e KNM


Curta Lucas di Grassi no Facebook: Lucas di Grassi Official

Siga Lucas di Grassi no Twitter: @lucasdigrassi

E também no Instagram: @lucasdigrassi

Conheça a categoria em: www.fiaformulae.com



Audi Sport ABT
Lucas di Grassi (dir) e Daniel Abt apresentam o ABT Schaeffler FE 01
Alta | Web

Audi Sport ABT
Lucas (à direita) e o alemão Daniel Abt mantém parceria para a temporada
Alta | Web

Audi Sport ABT
Equipe manteve o esquema de cores, mas com algumas alterações
Alta | Web

Audi Sport ABT
Com o verde-amarelo mais dominante na pintura do carro deste ano
Alta | Web

Audi Sport ABT
Time faz hoje e amanhã os dois úlitmos dias de teste de pré-temporada
Alta | Web

Audi Sport ABT
Nos últimos treinos, Di Grassi estabeleceu novo recorde da pista de Donington
Alta | Web

Audi Sport ABT
Novos patrocinadores no capacete do brasileiro
Alta | Web
 

 

SEGUNDO A OPINIÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

SEGUNDO A OPINIÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

 

PIRELLI... zero! A F1 precisa urgentemente de outro construtor de pneus ou de um novo, em exclusivo, que faça um melhor trabalho e se queixe menos, assumindo as culpas. A F1 devia ter ainda mais liberdade, não mil e uma restrições.

 

FALECEU GUY LIGIER

 

FALECEU GUY LIGIER

 

A1 Copy

Foi ontem em França que o antigo construtor de Fórmula 1 , Guy Ligier faleceu aos 85 anos de idade. Desde muito cedo ligado profissionalmente ao automobilismo, e à industria automóvel, Ligier distingue-se através da sua equipa de Fórmula 1, que venceu uma série de corridas, tendo ao volante Jacques Lafite entre outros. Que descanse em paz.

 

A FERRARI NA F1

928 GP realizados desde o início do Mundial de F1 em 1950. A Ferrari esteve em 900, ou seja, faltou a 17 (se não tivermos em conta as 500 milhas de Indianapolis entre 1950 e 1960). Talvez assim se perceba melhor porque razão a disciplina e a marca italiana muitas vezes se confundem, como se fossem uma só!

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

NÃO CONFIRMA integridade estrutural PIRELLI SEGUINTE A edição completa
Investigação sobre Nico Rosberg DO DIREITO TRASEIRO deflação nos treinos livres
Esta questão é consistente com um CUT EXTERNO DOS PNEUS na estrutura
 Spa-Francorchamps, 22 de agosto de 2015 - Depois de uma investigação completa continuou durante a noite em qui qui afetado o resultado de ontem Mercedes Nico Rosberg, as conclusões de tese são:
• Não há sinais de integridade estrutural do problema dos pneus, nem é --outras pneus usados ​​por Mercedes nem é usado pneus --outros veículos.
• Um vídeo mostra um problema de pneu era qui carro de Rosberg est composto com um corte externo na estrutura do pneu.
• Verificação de qualidade de dados é pneus --outras não mostrou anormalidades.
 Paul Hembery, Pirelli Motorsport Diretor: "We-se conduziu uma investigação completa para descobrir exatamente o que aconteceu com pneu de Nico. Esta investigação agora exclui quaisquer problemas de integridade estrutural. Com base nas informações e dados disponíveis uma fonte externa de danos é a constatação feita ".

 

Google Tradutor

 

DS ANUNCIA A CRIAÇÃO

 

DS ANUNCIA A CRIAÇÃO DA DS PERFORMANCE
A DS anuncia hoje a criação da sua divisão de competição
automóvel: a DS Performance.
A DS Performance leva para a equipa DS Virgin Racing a sua
experiência tecnológica em termos de pesquisa e desenvolvimento
no domínio da Fórmula E.
Estabelecida no seio do futuro Centro de Excelência da PSA em
Satory, a DS Performance é liderada por Yves Matton.
Aproveitando a sua experiência tecnológica e animados pelos sucessos das equipas de Yves Matton no WRC e
no WTCC, os engenheiros da DS Performance desenvolveram o conjunto do grupo motopropulsor GMP
(motor eléctrico/caixa de velocidades/controlador) do DSV-01. Conceberam, igualmente, o seu sistema de
arrefecimento, a sua suspensão traseira e a sua transmissão. O sistema de gestão do motor foi, por seu lado,
afinado em cooperação com a Magnetti Marelli.
A DS Perfomance acompanhará a DS Virgin Racing ao longo de toda a temporada, para que os pilotos Sam
Bird e Jean-Eric Vergne possam retirar a quintessência dos seus carros de competição.
«Mais que um simples laboratório de Pesquisa & Desenvolvimento, a DS Performance representará uma verdadeira
vitrina de conhecimentos tecnológicos e do espírito de vanguarda da Marca DS. Foi, por isso, natural que
apelássemos a Yves Matton e às suas equipas várias vezes Campeãs do Mundo no WRC e no WTCC para
desenvolver o carro de competição 100% eléctrico, o DSV-01,» afirmou Yves Bonnefont, Director Geral da Marca
DS.
«Sinto-me muito orgulhoso por a DS ter confiado em nós para levar a bom porto o novo desafio que representa o
desenvolvimento do DSV-01. Após o trabalho levado a cabo nestes últimos meses, é uma grande satisfação para as
minhas equipas e até para mim que os primeiros testes oficiais do DSV-01 com Sam Bird e Jean-Eric Vergne tenham
corrido tão bem. Iremos acompanhar a DS Virgin Racing e trabalhar em conjunto de Pequim até Londres para que a
Marca DS também vença no desporto automóvel» comentou Yves Matton (Director da DS Performance).
DS Virgin_Racing_Front_3_4_CopyDS Virgin_Racing_Side_On_Copy
Sobre a DS Performance
A DS Performance é a divisão de competição automóvel da Marca DS. A experiência que a DS
Performance adquire no Campeonato FIA de Fórmula E contribui para o desenvolvimento de
tecnologias eléctricas. Esta divisão será um acelerador no domínio da Pesquisa & Desenvolvimento de novas tecnologias, como a
híbrida plug-in ou as 100% eléctricas. Tecnologias em que o Grupo PSA também opera, beneficiando, em devido tempo, a marca
DS.
Sobre a Marca DS
Marca francesa originária de Paris, a DS foi oficialmente criada a 1 de Junho de 2014 e reafirma a sua ambição: permitir ao
automóvel francês regressar ao topo de gama. Inspirada no melhor savoir-faire francês, a DS perpetua os valores de inovação e
distinção herdados do DS de 1955. Concebida para clientes que buscam uma expressão pessoal, a DS conta, actualmente, com os
modelos: DS 3, DS 3 Cabrio, DS 4, DS 5, DS 5LS* e DS 6*. A DS propõe viaturas que se distinguem por um estilo marcante,
pelo requinte nos mais pequenos detalhes, pelos materiais nobres e pela sua tecnologia, com destaque para a mecânica híbrida
diesel Hybrid4, proposta no DS 5. Distribuída na Europa nas DS Store e em áreas de exposição específicas da rede CITROËN, a DS
possui uma rede de distribuição própria na China. DS é, também, para os seus clientes, uma experiência de marca que se estende
para além dos produtos, com uma gama de serviços premium exclusivos, designadamente através do clube DS PRIVILÈGE. À data, a
Marca totaliza 550 000 exemplares comercializados desde o seu lançamento. www.driveds.pt
Siga toda a actualidade DS em @DS_Official
* Apenas comercializados na China

 

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

 

CONTAS de ... "sumir". Alguém consegue explicar porque se aplicam penalizações de 25 e 30 lugares na grelha de partida quando o total dos carros não chega a tal? Ou será que os McLaren Honda vão sair para o GP da Bélgica das esquerdas de Blanchimont?

 

NOVECENTAS CORRIDAS PARA A FERRARI

NOVECENTAS CORRIDAS PARA A FERRARI

 

Este fim de semana em SPA - 900º G.P. onde a Ferrari participa.........

 

LUCAS DI GRASSI NA FÓRMULA E

 

Lucas di Grassi detona recorde da Fórmula E nos testes em Donington Park

Brasileiro, primeiro vencedor da história da categoria, destruiu a marca anterior e baixou da casa de 1min30s durante os preparativos para a temporada que se inicia em outubro

A Fórmula E realiza na Inglaterra seus preparativos para o início da segunda temporada de sua história com testes coletivos no circuito de Donington Park, que é a sede da categoria dos carros elétricos. No quarto dia ensaios para todas as equipes, o melhor tempo foi de Lucas di Grassi, da ABT Schaeffler Audi Sport, com direito a quebra do recorde da pista, com 1min29s920.

O brasileiro é o primeiro a completar uma volta em Donington a bordo de um carro da Fórmula E com um tempo abaixo de 1min30s. A marca é mais de um segundo mais rápida do que o recorde estabelecido nos testes coletivos do ano passado com Sébastien Buemi (1min31s050). Resultado também das novidades introduzidas na categoria: a construção dos sistemas de motor elétrico, transmissão e câmbio - que compõem o chamado trem de força (ou powertrain) é das próprias equipes participantes, que passam a ser construtoras.

"Todos estão testando várias novidades e é notório que a Fórmula E estará mais rápida nesta temporada", destacou di Grassi, o primeiro vencedor da história da categoria dos carros elétricos. "A equipe fez um excelente trabalho e já estabeleceu uma boa base para trabalharmos, e isso é visível", lembrou o piloto da ABT Schaeffler Audi Sport, que na parte da manhã já havia liderado a tabela de tempos com 1min30s312.

"Mais importante do que manter o foco no tempo de volta é trabalhar na confiabilidade do carro. Claro que a performance é importante, mas sabemos que o desempenho nesta pista não se traduz necessariamente no que veremos nas outras pistas do campeonato. Acho que este tempo de volta é promissor e é bom saber que o nosso pacote está rodando bem com os 200 kw de potência", explicou di Grassi. Os carros foram à pista na configuração de classificação, quando toda potência é disponibilizada nos carros. Em condição de corrida, esta carga é baixada para 150 kilowatts.

"Ainda temos algumas questões a trabalhar para melhorarmos, como a programação dos vários softwares que compõem os sistemas de todo o conjunto. De qualquer forma, é um início muito positivo. Ainda temos mais um dia de treinos antes do começo da temporada em outubro, então começamos em uma boa direção. Mas vamos continuar trabalhando forte", afirmou Lucas.

A temporada número dois da Fórmula E começa no dia 17 de outubro em Pequim, na China - palco da vitória de Lucas no início da temporada passada.

Os cinco melhores tempos do quarto dia de testes.
Donington Park, terça-feira, 18 de agosto:

1-) LUCAS DI GRASSI (ABT Schaeffler Audi Sport) - 1min29s920
2-) Sebástien Buemi (Renault e.Dams) - 1min30s382
3-) Bruno Senna (Mahindra Racing) - 1min30s670
4-) Nicolas Prost (Renault e.Dams) - 1min30s677
5-) Nick Heidfeld (Mahindra Racing) - 1min30s871

 

 

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload... 
Lucas di Grassi estabelece novo recorde de volta em Donington pela Fórmula E
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload... 
Brasileiro foi o primeiro a baixar da casa de 1min30seg na categoria
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload... 
Lucas cravou 1min29s920 durante sessão da tarde nesta terça-feira (18)
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload... 
Segunda temporada da história da categoria começa em outubro na China
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload... 
Equipes agora desenvolvem seus próprios sistemas de motor elétrico e transmissão
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload... 
Piloto da ABT Schaeffler Audi Sport diz que início é "promissor"...
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload... 
..."Mas ainda temos algumas questões a trabalhar mais para melhroarmos", diz
Alta | Web

 

CURIOSO

Documento  da F1 Racing com bastante piada: todos os capacetes dos campeões do mundo de F1, entre 1950 e 2014.

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

Grande belga Prix Preview: Spa-Francorchamps, 20-23 agosto de 2015

MÉDIO E SOFT P ZERO compostos como FÓRMULA UM ENTRA
SEGUNDO SEMESTRE DE TEMPORADA

Velocidades altas e LAP longos fazem um dos mais SPA pistas desafiantes DO ANO

 Imprevisível um clima tradicional característica do circuito

 

 

- O segundo semestre de 2015 Formula One temporada começa em curso com indiscutivelmente a turnê mais épico no calendário: Spa-Francorchamps, caractérisé por um longo volta de sete quilômetros, altas velocidades, troca de varrição de elevação, rápido cantos e clima variável. Para lidar com este conjunto amplo de exigências, os pneus mais versáteis nas fileiras são chamados fórum expirado, qui é por isso que a Pirelli P Zero nomeou Branca médio e P Zero Amarelo macio: a combinação de pneus mais popular de todos os grandes prêmios Held até agora este ano. Os Cinturato pneus intermediários e molhados são muito aussi provavelmente apresentará em algum momento durante o fim de semana em Spa, Dado microclima da região.

Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli: "We-nomearam pneu para o Sami Spa Sobre fez temos para o Hungaroring - qui acabou por ser uma das corridas mais emocionantes da temporada -, mas os dois circuitos apresentar um contraste muito marcado. Considerando que a Hungria era estreita e sinuosa, Spa está aberto e flat-out, tornando-se um favorito entre todos os pilotos. Temos abundância de cargas de alta energia através dos pneus indo em direções diferentes Muitos devido a todas as forças no trabalho, a temperatura ambiente, mas ainda tende a ser bastante baixo, de modo que os pneus macios e médios representam o melhor desempenho e durabilidade comprometida between . Spa é uma corrida qualquer coisa pode acontecer Quando, com uma alta incidência de carros de segurança e mudança do tempo, por isso é importante estratégia de pneus, bem como a capacidade de cada equipe que leia Constantemente a corrida e reagir a quaisquer oportunidades de forma rápida, que se apresentam. As recentes Spa 24 Horas - qui é o nosso maior evento do ano - contou com mais troca de chumbo do que você poderia contar, assim como uma sucessão de incidentes de segurança e carros na primeira metade da corrida. Que mostra exatamente o que uma competição espetacular e imprevisível este passeio incrível pode fornecer regularmente ".

Os maiores desafios para os pneus:
Gerenciando a quantidade de energia passando pelos pneus é uma das chaves para o sucesso em Spa. Isto não só Consiste em força exercida através de curvas, frenagem, aceleração e as cargas objetivo aussi gerados pela enorme elevação em troca, tipificado pelo famoso complexo Raidillon-Eau Rouge (qui estrutura do pneu e os sujeitos a ombro uma compressão sem paralelo 1g).

A maior dificuldade com o clima variável em Spa é que existem muitas variações ao longo de apenas uma única volta, tornando difícil identificar o pneu adequado quando chove. É possível, por uma ação do sistema a ser completamente embebido de chamadas, o objetivo Comentários outra mão para ser cem por cento seco. Saneamento é um problema, o que significa que é fácil de ser pego por correntes de água que atravessam a superfície da pista.

O pneu médio é um trabalho de baixo classifica composto capaz de alcançar o desempenho ideal Mesmo em uma ampla gama de baixa temperatura - qui Muitas vezes, é o caso em Spa. O pneu macio é um alto contraste trabalhando fileiras composto, adequado para temperaturas mais elevadas.

A estratégia do ano passado e como a corrida foi ganha: Daniel Ricciardo venceu sua segunda corrida consecutiva para a Red Bull (a terceira vitória da carreira de filho) usando uma estratégia de duas paradas para a corrida de 44 voltas de quinto da grelha. Sobre fez dois stints Ele sobre o pneu macio e um stint final sobre o pneu médio, período são 11 e 26. Ele estabeleceu a volta mais rápida da corrida na última volta com o pneu médio parar, sublinhando a coerência do composto Mesmo ao longo de um longo período.

Diferença de desempenho esperado entre les dois compostos: 1,8-2,0 segundos por volta.

A equipe Pirelli escolher seus números de competição: # 7 Anthony Peacock, assessoria de imprensa
"Para além de ser o número de branco Kimi Raikkonen corrida é um número A maioria das pessoas escolhe como sendo branco sorte de ouro significativa: James Bond era 007, Há sete mares, Branca de Neve tinha sete anões e Há sete maravilhas do mundo antigo, assim como pecados mortais. Também sete aparece três vezes no meu dia de nascimento. "

Quem estamos seguindo no Twitter esta semana: Red Bull Motorsportsredbullmotors. Bem como Formula One, há um fileiras inteiras de fotografias impressionantes e notícias de motorsports aqui --outros incluindo alguns Você provavelmente nunca pensou em Even. Por exemplo, você recebe a vista do cockpit de um avião Red Bull Air Race, bem como dicas de jogos de vídeo game campeão de corridas de GT virou motorista Jann Mardenborough.

As escolhas de pneus até agora este ano:

 P Zero Amarelo Vermelho P Zero P Zero Branco Laranja P Zero
Austrália Suave Médio
Malásia Médio Difícil
China Suave Médio
Bahrain Suave Médio
Espanha Médio Difícil
Monaco Supersoft Macio
Canadá Supersoft Macio
Áustria Supersoft Macio
Grã-Bretanha Médio Difícil
Hungria Suave Médio
Bélgica Suave Médio

 

Google Tradutorf371 Copyf372 Copyf373 Copyf374 Copyf375 Copyf376 Copyf377 Copyf379 Copyf380 Copyf381 Copyf382 Copyf383 Copyf384 Copyf385 Copyf386 Copyf387 Copyf388 Copyf389 Copyf390 Copy

 

 

NICOLAS PROST TESTOU FÓRMULA E

NICOLAS PROST TESTOU FÓRMULA E

 

O piloto francês Nicolas Prost já está a preparara a sua próxima época de Fórmula E, tendo estado esta semana numa semana de testes que teve lugar no circuito inglês de Donington.prost1-testoudoningtonfe Copyprost2 Copyprost3 Copyprost4 Copyprost5 Copyprost6 Copyprost7 Copyprost8 Copy

 

RECORDAR É VIVER

RECORDAR É VIVER

 

HELDER DE SOUSA NO GABINETE DE IMPRENSA DO GRANDE PRÉMIO DE PORTUGAL DE F 1

 

Grande Prémio de Portugal de F1 de 1993 .

Para mim, uma raridade esta foto de Luís Miranda, comigo de microfone na mão, nas funções de Director do Gabinete de Imprensa do GP de Portugal de F1 que exerci desde 1984 a 1996. Grande privilégio ter trabalhado na equipa do saudoso Alfredo César Torres e do Sr. Bernie Ecclestone.

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

FAIXA DE TEMPERATURA NA HUNGRIA alguns dos mais quentes
VISTO por dois anos, mas a chuva É POSSÍVEL PARA QUALIFICAÇÃO
Sessões de treinos livres MERCEDES dominar,
TANTO NO BRANCO P ZERO MÉDIO E P ZERO AMARELO SOFT PNEUS
ATUALMENTE 1,8-2,0 SEGUNDOS DESEMPENHO GAP
Entre os dois compostos e apertada em Hungaroring TWISTY

 


f341 Copyf342 Copyf344 Copyf345 Copyf346 Copyf347 Copyf348 Copyf349 Copyf350 Copyf351 Copyf352 Copyf352 Copyf353 Copyf354 Copyf355 Copyf356 Copyf356 Copyf357 Copyf358 Copyf359 Copyf360 Copyf370 Copyas temperaturas da pista no ontem Hungaroring foram mais movimentadas visto em dois anos, e enquanto as condições foram ligeiramente mais frio para os treinos livres de hoje, a temperatura ainda na pista atingiu um pico de 54 graus centígrados durante a tarde, com as condições do ambiente 35 graus centígrados.
O calor extremo provocou Stormy Weather, bem como, com uma chuva que afeta a área ontem e mais tempestades potenciais previstos para amanhã à tarde - qui poderia afetar a qualificação.
No calor da Ambas as sessões de treinos livres de hoje, os pilotos da Mercedes estava mais rápida, com o líder do campeonato Lewis Hamilton vai mais rápido Cada uma ocasião, utilizando o pneu médio na parte da manhã e depois o pneu macio na parte da tarde.
Até agora, a diferença de desempenho entre les Nomeado dois compostos é na área de 1,8-2,0 segundos, embora essa margem varia de equipe para equipe e Est Influenciado por temperaturas da pista. O fator principal neste fim de semana está definido para ser a degradação térmica, e como de costume todas as equipes usaram a sessão de treinos livres para julgar como desgaste e degradação foi afetada com diferentes cargas de combustível. Mire com Muitos dos mais longos períodos interrompidos por bandeiras vermelhas em ambas as sessões Foi dificuldade para tirar uma conclusão firme.
Os dados utilizados para calcular será a estratégia de corrida ideal: o que é significativo, em especial no circuito de Hungaroring, onde a ultrapassagem é tradicionalmente bastante dificuldade. Com duas bandeiras vermelhas durante FP1 e FP2 Durante um, os times perderam um pouco de tempo de pista. Como resultado, FP3 amanhã de manhã está definido para ser grandes Avaliações outra sessão como equipes ultimarem os preparativos para a hora qualificação todo-importante.
Paul Hembery, Pirelli Motorsport Diretor: "O calor aqui foi inacreditável e-parece destinada a continuar durante todo o fim de semana, embora haja um risco de chuva, bem como, como a que vivemos ontem à noite. Em face destas condições punir os pneus estão em pé muito bem. Vamos analisar os dados de todas as corridas longas no pneu macio, esta noite, pelo menos, apontar para agora é parecido com uma corrida de duas paradas, com um intervalo de até dois segundo Entre les compostos performance. No entanto, houve uma série de bandeiras vermelhas durante as longas corridas, qui faz Avaliações alguns dos dados inconclusivos. "
 FP1: FP2:
 1. 1. Hamilton Hamilton 1m25.141s 1m23.949s novo novo Suave Médio
 2. Rosberg 1m25.250s 1m24.300s Kvyat 2. Médio usada New Soft
 3. Raikkonen 1m25.812s 1m24.451s Ricciardo 3. New Medium macio novo
Estatísticas de pneus do dia:
 Médio macio Intermediate Wet
km impulsionado * 2711 1266 0 0
define utilizado global ** 59 18 0 0
Maior número de período ** 29 29 0 0
* O número acima dão a quantidade total de quilómetros percorridos no FP1 e FP2 hoje, todos os drivers combinados.
** Por composto, todos os drivers combinado.
Pirelli fato do dia:
Há pouco mais de 1.000 quilômetros de distância de Budapeste, a maior operação logística única da Pirelli do ano está a ter lugar no 24 Horas de Spa na Bélgica. A empresa italiana está fornecendo 9.000 pneus e 57 carros, com a equipe de 55 montadores para entregar um pneu de confiança a cada 15 segundos, se necessário - toda a noite. Mantê-los está acordado Aproximadamente 5.000 xícaras de café expresso consumida durante 24 horas ...

 

FIA BANE Nº 17

FIA BANE O NUMERO 17

 

A Federação Internacional do Automobilismo resolveu banir o numero 17, isto é nenhum piloto poderá voltar a  usar este numero, que se recorde, foi utilizado por Jules Bianchi, recenetemente falecido em França, meses mais tarde depois do acidente no Grande Prémio do Japão de Fórmula 1.

 

G.P.F 1 NA HUNGRIA - FINALMENTE A FERRARI

GRANDE PRÉMIO DE FÓRMULA NA HUNGIRA

 

FINALMENTE A FERRARI E VETTEL

 

Sebastien Vettel ao volate do seu Ferrari foi o brilhante vencedor do Grande Prémjo de Fórmula 1 na Hungria, tendo atrás de si os surprendentes Red Bull Renault de Kvyat e Ricciardo.A 4ª posição foi outra surpresa com o Toro Rosso de Verstappen que teve atrás de si o McLaren de Alonso, e só depois surge o Mercedes de Hamilton, com o Lotus de Grosjean, o Mercedes de Rosberg, e o Mc Laren de Button.f301 Copyf302 Copyf303 Copyf304 Copyf305 Copyf306 Copyf307 Copyf308 Copyf309 Copyf310 Copyf311 Copyf312 Copyf313 Copyf314 Copyf315 Copyf316 Copyf317 Copyf318 Copyf319 Copyf320 Copyf321 Copyf322 Copyf323 Copyf324 Copyf325 Copyf326 Copyf327 Copyf328 Copyf329 Copyf330 Copyf331 Copyf332 Copyf333 Copyf334 Copyf335 Copyf336 Copyf337 Copyf338 Copyf339 Copyf340 Copy

 

F 1 - HUNGRIA - TUDO NA MESMA

FÓRMULA 1 NA HUNGRIA

 

TUDO NA MESMA

 

SUPERIORIDADE MERCEDES CONTINUA COM HAMILTON NA POLE

 

Nada se alterou em termos da Fórmula 1, com a Mercedes uma vez mais a dominar tudo e todos, com Lewis Hamilton a obter o melhor tempo, perante o seu colega de equipa Niko Rosberg.Depois surge na segunda fila nda grelha o Ferrari de Vettel, seguido pelo Red Bull de Ricciardo,estando nas linha seguintes o Ferrari de Raikonen, o Williams de Bottas, o Red Bull de Kvyat, o Williams de Massa e finalemnte o Toro Rosso de Verstappen e o Lotus de Grosjean.f117 Copyf153 Copyf152 Copyf151 Copyf150 Copyf143 Copyf142 Copyf141 Copyf140 Copyf138 Copyf137 Copyf136 Copyf135 Copyf134 Copyf133 Copyf132 Copyf131 Copyf130 Copyf129 Copyf128 Copyf127 Copyf126 Copyf125 Copyf124 Copyf123 Copyf122 Copyf121 Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

p zero macio e composto médio para

o estreito e sinuoso hungaroring

 

elevadas temperaturas na hungria,

aumenta o desafio para os pneus pirelli

 

curvas consecutivas, obriga a um elevado e constante esforço dos compostos

 

 

 Os pneus P Zero Amarelo (composto macio) e o P Zero Branco (composto médio), irão estar em ação no Grande Prémio da Hungria. Um circuito nos arredores de Budapeste, repleto de história, uma vez que foi o local onde acolheu a primeira corrida após a “cortina de Ferro”. Um circuito peculiar, descrito por um antigo campeão mundial, como um pista de Kart sobredimensionada, pelo facto de ser um traçado estreito e sinuoso que cada curva conduz à próxima curva. Sendo um circuito compacto, torna-se muito popular entre os espetadores, uma vez que são capazes de ver a maioria do circuito de apenas um ponto.

 

Paul Hembery (Diretor da Pirelli Motorsport): ” Vimos de Silverstone, um dos circuitos mais rápidos e fluídos do calendário de Fórmula 1 -  para Hungaroring, um dos circuitos mais lentos com uma série de curvas técnicas e consecutivas. É um verdadeiro desafio, e um esforço continúo para o piloto, automóvel e pneus, porque à exceção da reta da meta, não existe nehum ponto para descansar. Outro grande desafio é o clima, Budapeste em Julho, poderá ser muito quente e obviamente pode condicionar de uma forma significativa a degradação térmica. De modo a encontrar o equilibrio correcto entre o desempenho e a durabilidade, selécionámos os mesmos compostos do ano passado, os pneus médio e macio. Esta opção, é suave para proporcionar a melhor aderência para abordar todas as curvas, e ainda forte para suportar as condições meteorológicas e o traçado da pista de Hungaroring. Não é dos circuitos mais fáceis de ultrapassar, por isso a estratégia de pneus poderá fazer uma diferença significativa.”

Os maiores desafios param os pneus:

Existe apenas uma recta significativa em Hungaroring, o que significa que os pneus têm pouco tempo para arrefecer. Como resultado, em particular o pneu de composto médio (de baixa gama de trabalho) irá estar em trabalho constante no limite da sua faixa de trabalho, no caso de temperaturas elevadas. No entanto, em Hungaroring a chuva marcou presença no passado, nomeadamente em 2014.

 

Tal como é exigente para os pneus, Hungaroring é muito exigente fisicamente para os pilotos. Eles comparam-no a Singapura ( reconhecido como um dos circuitos mais exigentes em termos fisicos), devido ao elevado número de curvas e temperaturas ambientais elevadas.

 

Hungaroring, é um circuito muito equilibrado em termos de tração, travagem e cargas de pressão laterais. Todas  as forças que atuam sobre o automóvel são aproximadamente iguais na sua extensão, o que significa que é preciso uma afinação neutra. As equipes afinam de modo a obter a máxima pressão aerodinâmica para proporcionar uma excelente aderência.

 

 

A estratégia vencedora no ano passado:

Daniel Ricciardo venceu a corrida de 70 voltas para a Red Bull, utilizando uma eficaz estratégia com três paragens para ganhar vantagem. Com condições de chuva, significou que os pilotos iniciaram com pneus intermédios, que por sua vez não estavam obrigados a correr com ambos os compostos. Após completar o turno inicial com os pneus intermédios, e com as estratégias também afetadas pela entrada do Safety car em dois períodos,  Ricciardo completou o resto da corrida com os pneus macios. O piloto da Mercedes, Lewis Hamilton, utilizou a estratégia de pneus para ajudar a terminar num notável terceiro lugar, após começar a corrida do Pit Lane.

 

Diferença de tempo previsto por volta entre os dois compostos:

1.2 a 1.5 segundos por volta.

 

A equipe Pirelli escolhe o seu número de corrida: o  #9

Matteo Albucci ( Cordenador de viagens)

“ Para mim é o número 9. Este é o número do mês em que nasci, Setembro, e que sempre pareceu seguir-me, por exemplo, aparece nas matriculas dos carros que tive, bem como, em outras coincidências. Fiz uma pequena pesquisa, e li a descrição do número que referia ser ativo e dinâmico na sua natureza e efeitos.Sempre gostei disto! ”

 

As escolhas de pneus até agora em 2015:

 

P Zero

vermelho

P Zero

Amarelo

P Zero

Branco

P Zero

Laranja

Australia

 

Macio

Medio

 

Malasia

 

 

Medio

Duro

China

 

Macio

Medio

 

Bahrain

 

Macio

Medio

 

Espanha

 

 

Medio

Duro

Mónaco

Supermacio

Macio

 

 

Canadá

Supermacio

Macio

 

 

Áustria

Supermacio

Macio

 

 

Inglaterra

 

 

Medio

Duro

Hungria

 

Macio

Medio

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 f100 Copyf101 Copyf102 Copyf104 Copyf105 Copyf106 Copyf107 Copyf108 Copyf109 Copyf110 Copyf111 Copyf112 Copyf113 Copyf114 Copyf115 Copyf116 Copy

 

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DO JORNALISTA JOÃO CARLOS COSTA

SEGUNDO A INFORMAÇÃO DE JOÃO CARLOS COSTA

 

Sabia da história, mas nunca tinha visto uma foto dos tempos de "Piket". Mas não sabia que Nelsinho podia ter sido um primeiro "Guga" do ténis brasileiro - chegou a ter uma bolsa de estudo para a jogar na Universidade de Atlanta, mas preferiu o cheiro a "óleo queimado".

 

EM 2016 OS F1 PODERÃO SER ASSIM

EM 2016 OS FÓRMULA 1 PODERÃO SER ASSIM

 

OS F1 de 2016 podem ser assim, Uma primeira boa novidade, esperando assim tornar estas corridas mais interessantes e menos monotonas.

 

JULES BIANCHI JÁ FOI SEPULTADO

JULES BIANCHI JÁ FOI SEPULTADO

 

Foi na passada 3ª feira que tiveram lugare em Nice - Françs as cerimónias funebres do piloto de Fórmula 1.Nestas cerimónias estiveram presentes alguns pilotos como Sebastien Vettel, Niko Rosberg, Lewis Hamilton, Hulkenberg, Filipe Massa, Romain Grosjean, Buttonjulesbianchidespedida Copy para alem do ex piloto de F 1, Alain Prost.Presente esteve também o presidente da Fia, Jean Todt.

 

FALECEU JULES BIANCHI

FALECEU JULES BIANCHI

 

Foi esta madrugada que o piloto de Fórmula 1, Jules Bianchi faleceu em Nice - Fraça junto da sua familia.Recorde-se que Jules Bianchi teve uma grave acidente no ano passaado no Grande P´remio do Japão de Fórmula 1, na qual iria colidir contra uma máquina que estava estaciuonada  junto dos rails de proteção.Assim a Fórmula 1 está hoje de luto.JULESBIANCHI1 CopyJULESBIANCHIO Copy

 

GALERIA DE IMAGENS

GALERIA DE IMAGENS

 

GRANDE PRÉMIO DE INGLATERRA F 1

 

TUDO NA MESMA

 

Embora um pouco em atarso, decorreu há duas semanas o Grande Prémio de iNglaterra de Fórmula 1, oncde pelos vistos em termos de resultados está tudo na mesma, quero com isso dizer mais uma dobradinha da Mercedes com Hamilton e Rosberg.As imagens aqui ficam para registo.f38 Copyf40 Copyf41 Copyf42 Copyf43 Copyf44 Copyf45 Copyf46 Copyf47 Copyf48 Copyf49 Copyf50 Copyf51 Copyf52 Copyf53 Copyf54 Copyf55 Copyf56 Copyf57 Copyf58 Copyf59 Copyf60 Copyf61 Copyf62 Copyf63 Copyf64 Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

Grande Prémio de Inglaterra 2015 - Corrida

 

 

lewis hamilton usou a estratégia dos pneus para ultrapassar os pilotos da williams, e venceu um grande prémio de inglaterra completo de ação

 

Safety cars e chuva, acrescentaram emoção numa das corridas mais agitadas do ano

 

diversas estratégias E alguma chuva em silverstone

 

 

Barcelona,6 de Julho  de 2015 – A estratégia de pneus foi a chave de Lewis Hamilton para vencer o Grande Prémio de Inglaterra, quando o piloto da Mercedes parou mais cedo que os rivais da Williams, ultrapassando-os e começou a liderar a corrida. A Mercedes fez por duas vezes uma notável e eficaz estratégia, chamando Hamilton para a segunda paragem (para montar pneus intermédios), quando a chuva parou no decorrer do final da corrida.

 

Hamilton realizou a “pole”, mas perdeu a liderança pelo inicio eletrizante de Filipe Massa e Valterri Botas, ambos pilotos da Williams. No entanto, parou uma volta antes que o líder da corrida e uma rápida paragem na zona das boxes por parte dos mecânicos da Mercedes, contribuiu para que Hamilton assumisse o comando, depois de todas as paragens concluídas.

 

No final da corrida a chuva acrescentou uma variável extra de emoção, com ambos os Manor e o Ferrari de Kimi Raikkonen a serem  os primeiros a montar os Cinturato Verde (composto intermédio). No entanto, estas paragens aconteceram demasiado cedo e contribuíram para o aumento do desgaste no final da corrida, factor que implicou mais uma paragem perto da bandeira de xadrês.

 

A nove voltas do final a chuva foi mais pronunciada e  Hamilton  parou quando era líder, para colocar  os pneus intermédios, seguido pelo Ferrari de Sebastian Vettel. A chuva obrigou a totalidade dos pilotos a montar os pneus intermédios , com Vettel a parar mais cedo, saltando os pilotos da Williams que dominaram durante as primeiras 20 voltas, garantindo mais um pódio.

 

No final de todas as paragens efetuadas, Hamilton recuperou a liderança para finalmente vencer a corrida com mais de 10 segundos sobre o seu companheiro de equipe, Nico Rosberg. Terminando em 10º e após três paragens, Fernando Alonso em McLaren obteu o seu primeiro ponto da época.

 

 

Paul Hembery (Diretor da Pirelli Motorsport), afirmou: “ Esta, foi certamente uma das corridas mais excitantes do ano, durante a qual o período para a paragem de troca de pneus foi crucial, não apenas uma vez, mas ambas, quando a chuva começou a cair mesmo no final. A estratégia foi a chave da corrida, com grandes ganhos e perdas em jogo,  em relação ao período da troca e escolha do composto dos pneus. Este ano, mais uma vez o público presente no Grande Prémio de Inglaterra, foi absolutamente fantástico, pelo modo de celebração e aplauso no final, cenas que raramente presenciamos em qualquer outro lugar do mundo”.

Os melhores tempos e respetivo composto:

 

DURO

MÉDIO

INTERMÉDIO

CHUVA

1.º

HAM    1m37.093s

ALO   1m38.883s

RAI  1m48.769s

N/A

2.º

ROS     1m37.403s 

BOT  1m39.184s

ALO  1m49.800s

N/A

3.º

MAS    1m37.466s

ROS   1m39.197s

KVY  1m49.817s

N/A

 

 

 

 

Os maiores turnos(n.º de voltas), com o mesmo composto de pneus:

 

 

Composto Duro                                 29 Voltas                    Vettel

 

Composto Médio                               36 Voltas                    Merhi e Stevens

 

Composto Intermédio                        14 Voltas                    Alonso

 

Previsões:

A chuva, como os dois períodos do Safety car na pista (uma no inicio da corrida, outra no final através do Safety car virtual), provocou um profundo efeito na estratégia de corrida. A nossa previsão mais provável era uma estratégia com uma paragem, com troca do composto médio para o duro na volta 23. Hamilton parou na volta 19 e  efetuou a sua segunda paragem no momento certo na volta 43, para a colocação de pneus intermédios.

Videos e fotografías de livre utilização, disponiveis em www.pirelli.com/f1pressarea. Segue-nos no Twitter@pirellisport ou Facebook: Pirelli Motorsport. Visite-nos também no site da Pirelli: www.pirelli.comf28 Copyf29 Copyf30 Copyf31 Copyf32 Copyf33 Copyf34 Copyf35 Copyf36 Copyf37 Copy

f27 Copy

 

HAMILTON VENCEU EM INGLATERRA

Lewis Hamilton reclama vitória no Grande Prémio de Inglaterra


  • Lewis Hamilton conquistou a 38ª vitória na sua Carreira de Fórmula 1 e 5ª vitória esta época;
  • Com a 3ª vitória em Silverstone, Lewis Hamilton iguala o recorde de Jim Clark e Nigel Mansell enquanto piloto britânico neste famoso circuito;
  • Nico Rosberg alcançou a 2ª posição no Grande Prémio de Inglaterra, conquistando o seu 35º pódio;
  • Lewis Hamilton continua a liderar o Campeonato Mundial de Pilotos por 17 pontos, seguido por Nico Rosberg, com a equipa MERCEDES AMG PETRONAS igualmente a liderar o Campeonato de Construtores por 160 pontos para o 2º classificado, a Ferrari.

 

Pilotos

Chassis No.

Grelha de partida

Resultado final

Volta + rápida

Lewis Hamilton

F1 W06 Hybrid/05

P1

P1

1:37.093

Nico Rosberg

F1 W06 Hybrid/04

P2

P2

1:37.403

 Silverstone 1_CopySilverstone 2_Copy

 

MERCEDES PETRONAS VENCEU EM SILVERSTONE

Petronas vence em Silverstone

Mercedes AMG Petronas vence Grande Prémio de Inglaterra.

O britânico Lewis Hamilton, da equipa de F1 Mercedes AMG Petronas, garantiu a festa dos adeptos no Grande Prémio da Inglaterra de Fórmula 1 ao vencer a emocionante prova deste domingo no circuito de Silverstone.

Ele perdeu a ponta para o brasileiro Felipe Massa na partida, mas aproveitou o bom ritmo do seu Mercedes para recuperar a posição de honra na primeira paragem para troca de pneus, tendo no final recebido a bandeira xadrez em frente a seus companheiros de corrida.

Qualificação completa:

1. Lewis Hamilton (Grã-Bretanha/Mercedes), 1.32,248 minutos

2. Nico Rosberg (Alemanha/Mercedes), 1.32,361

3. Felipe Massa (Brasil/Williams-Mercedes), 1.33,085

4. Valtteri Bottas (Finlândia/Williams-Mercedes), 1.33,149

5. Kimi Raikkonen (Finlândia/Ferrari), 1.33,379

6. Sebastian Vettel (Alemanha/Ferrari), 1.33,547

7. Daniil Kvyat (Rússia/RedBull-Renault), 1.33,636

8. Carlos Sainz Jr (ESpanha/Toro Rosso-Renault), 1.33,649

9. Nico Huelkenberg (Alemanha/Force India - Mercedes), 1.33,673

10. Daniel Ricciardo (Austrália/RedBull-Renault), 1.33,943

11. Sergio Perez (México/Force India - Mercedes), 1.34,268

12. Romain Grosjean (France/Lotus - Mercedes), 1.34,430

13. Max Verstappen (Holanda/Toro Rosso - Renault), 1.34,502

14. Pastor Maldonado (Venezuela/Lotus - Mercedes), 1.34,511

15. Marcus Ericsson (Suécia/Sauber - Ferrari), 1.34,868

16. Felipe Nasr (Brasil/Sauber - Ferrari), 1.34,888

17. Fernando Alonso (Espanha/McLaren), 1.34,959

18. Jenson Button (Grã-Bretanha/McLaren), 1.35,207

19. Will Stevens (Grã-Bretanha/Marussia - Ferrari), 1.37,364

20. Roberto Merhi (Espanha/Marussia - Ferrari), 1.39,377



Grã-Bretanha
 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2015 British Grand Prix - Race
PNEUS LEWIS HAMILTON USOS DOS Estratégia parágrafo Obter Motoristas Passado WILLIAMS
E Ganhe UM Cheio de Ação BRITISH GRAND PRIX
CHUVA DE SEGURANÇA E DE CARROS adicionar o drama de
Uma DAS UMA corridas, mas agitados DO ANO
Uma Variedade de ESTRATEGIAS Diferentes Ao MESMO SILVERSTONE HIT-CHUVA
 Estratégia Tiro época tem vitória de para Chave tem Lewis Hamilton No. Grande Prêmio da Inglaterra, Quando o motorista Parou Mercedes Mas fazer that OS SEUS Cedo rivais Williams na parágrafo reformar e em Liderar uma tourada. Mercedes tem fez exatamente Chamada Estratégia Certa Duas vezes: Trazendo em Hamilton parágrafo um SUA Segunda Paragem (POR intermediarios) Assim Como uma chuva adequada Bater O Fim do grande Prêmio.
Hamilton qualificou na pólo Perdeu tem de golos Vantagem APOS UM Início eletrizante de Pilotos da Williams Felipe Massa e Valtteri Bottas. No entanto, ELE Parou Uma volta o pingos de Líder da Corrida e Trabalho Algum pit Rápido da mecânica Mercedes ajudou Hamilton Tomar o principal APOS Parceiro tem Paradas were concluídas.
A chuva não da Uma última corrida acrescentou Variável parágrafo extra por Ação com Ambos Manors EO Ferrari de Kimi Raikkonen branco Primeiro Para Ser Exibir Verde Cinturato tem intermediolateral. No entanto tem tese Ligeiramente pára were Muito Cedo, Levando Ao aumento de Desgaste não da Uma última corrida further ISSO exigiu parada Perto da bandeira quadriculada.
Como tem chuva Caiu Período Difícil, mas com nove Para ir, sem caroço de Hamilton Liderança AOS intermediarios, seguido POR Sebastian Vettel, da Ferrari. Entao tem CHUVA obrigou O Campo pneus parágrafo Change to Inteiro intermedios, com parada No. Início Vettel ajudando _him_ selar hum Podio, saltando Ambos OS Pilotos da Williams, que dirigia em Primeiro e Segundo Período PARA O Primeiro 20.
Uma vez that O Último pit pára completos, Hamilton tem recuperou Liderança parágrafo ganar tem tourada POR Eventualmente mas 10 Segundos de Seu companheiro de equipe Nico Rosberg. Ao Terminar em 10º pit APOS Três pára Fernando Alonso McLaren afirmou com um SUA da temporada Primeira Pontos.
Paul Hembery, Diretor da Pirelli Automobilismo da "Esse fé hum mas certamente voltar Emocionante touradas fazer ano, que temporização Durante trás pit fundamental pára Absolutamente fé - NÃO APENAS Uma Vez, bebeu Duas vezes, Quando a chuva Começou tem CAIR a Direita corretamente . FIM de para uma Estratégia chave COM fé tourada grande Perdas e ganhos ESTA em Jogo pneus DEPENDENDO e when were escolhidos Mas Uma Vez não tem Multidão Grande Prémio Inglaterra fé Deste ano Absolutamente cenas fantástico.'ve de Celebração, nenhum Destino do final, were que raramente Experiência rápido você em Outro Lugar QUALQUÉR nenhuma mundo ".
Vezes, mas Rápido do Dia cabelo Composto:
Difícil Medio Intermediate Wet
Primeiro Ham 1m37.093s 1m38.883s 1m48.769s Alo Rai 0
Segundo Ros 1m37.403s 1m39.184s 1m49.800s Alo Bot 0
Terceiro 1m37.466s 1m39.197s 1m49.817s Mas Ros KVY 0
Longest stint da Corrida:
Difícil Vettel Período 29
Mid Merhi, 36 Período Stevens
Período intermediario Alonso 14
Truth-O-Meter
A chuva, Bem Como tem periodos por causa de segurança (um não Início seguido da Corrida Por Um caminhão de Segurança no Virtual final) Teve hum Efeito sóbrio profundo Estratégia uma tourada. Previmos Estratégia Uma Como o Uma parada mas provável, Passando medio e duro na volta 23. Hamilton Parou na volta 19 SEGUIDA Em, fez SUA Segunda parada perfeitamente cronometrado (POR intermediarios) na volta 43.

 

Google Tradutor

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2015 British Grand Prix - Qualifying
LEWIS HAMILTON TOMA Pole Position para Mercedes
P ZERO NO MEIO BRANCO, EM CONDIÇÕES Frio do que ontem
TEMPO PARA PERMANECER incerto para BRITISH GRAND PRIX
TRILHA DAS PENALIDADES DE QUALIFICAÇÃO LIMITE DE DOMINAR
LAP COM VÁRIAS VEZES Não permitido
f9 Copyf10 Copyf11 Copyf12 Copyf13 Copyf14 Copyf15 Copyo piloto da Mercedes Lewis Hamilton levou sua oitava pole position da temporada, indo o mais rápido na qualificação do Grande Prémio de Inglaterra em Silverstone.
Hamilton usou o pneu médio para definir volta mais rápida de 1m32.248s Seu em Q3, confortavelmente Eclipsando do ano passado pole (definido em condições mistas) e estabelecer as bases para um dos grands prix britânico mais rápida de sempre sobre a atual turnê amanhã. Hamilton e seu companheiro de equipe Mercedes Nico Rosberg - que se classificou em segundo lugar no grid - conseguiu passar Q1 usando os pneus duros somente, qui-beens tem aussi Nomeado para Silverstone. Ao usar apenas um conjunto de novos pneus médios na Q2, os pilotos da Mercedes salvou um novo conjunto de meios para a corrida.
As temperaturas da pista cerca de 38 graus centígrados permaneceu durante a qualificação: bem adaptados para o pneu médio, qui est classifica composto tem baixa trabalhando máximo que funciona de forma eficaz em condições temperadas e quentes. Se o clima é quente, então o pneu duro entra em TIC próprios. Isso fará com que uma temperatura da pista dos parâmetros mais influentes na estratégia de corrida amanhã.
A fim de reunir tanta informação quanto possível, sobre o comportamento de cada composto em diferentes condições das equipes concentradas no pneu duro Durante FP3 esta manhã, qui destaque temperaturas mais frias do que ontem na sequência de chuva durante a noite pesada.
O desgaste e degradação taxas de ambos os compostos em requisitos de amanhã vai determinar ou não o Grande Prêmio da Inglaterra será um one-stop duas corridas ouro, visam tempo incerto é novamente esperado durante as próximas 24 horas. Rajadas de vento - uma característica freqüente de Silverstone - O Portanto aussi afetados hoje aerodinâmica e desempenho dos pneus.
Penalidades limite pista eram uma característica dominante da fase de qualificação com um número de motoristas eliminados ter seus tempos para a execução de largura na esquina Copse em particular. Esta abordagem de tolerância zero poderia Muitos concurrents sob pressão para entregar seus melhores tempos de volta com pouco tempo restante no relógio.
Hamilton foi o mais rápido na última sessão de treinos livres esta manhã, bem como, utilizando o pneu médio no final da sessão.
Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli: "Ambos os compostos têm realizado Consistentemente hoje. Se o tempo permanece como está, nós estamos olhando para um one-stop para a maioria dos motoristas. Se ele fica mais quente ou fria poderíamos estar olhando para um dois-stop. No entanto, o clima britânico é conhecida por ser famosa branco imprevisível, então nós definitivamente não deverias ser tirar muitas conclusões ainda. "
O preditor estratégia Pirelli:
A estratégia terá como objectivo que le equipes para amanhã é um one-stop, bebia muito vai depender de temperatura da pista, por isso eles são propensos a manter suas opções em aberto para um dois-stop, se necessário. Geralmente, desgaste e degradação é com temperaturas mais altas mais elevadas, pneus aussi meta pode ser afetada pelas condições mais frias do que o esperado, pois deslizar mais quando estão fora de sua escala de trabalho ideal. O one-stop ideal para o Grande Prémio de 52 voltas seria: começar com o pneu médio, alterando-a para o colo duro 23. A two-stop poderia ser: começar em média, média de mudá-lo novamente volta 17, Em seguida, Difícil uma volta 34.
Compostos mais rápidos FP3:
1 Hamilton 1m32.917s nova Médio
2 Rosberg 1m33.469s nova Médio
3 Raikkonen 1m33.629s nova Médio
Top 10 utilização de pneus:
Hamilton 1m32.248s nova Médio
Rosberg 1m32.361s nova Médio
Massa 1m33.085s nova Médio
Bottas 1m33.149s nova Médio
Raikkonen 1m33.379s nova Médio
Vettel 1m33.547s nova Médio
Kvyat 1m33.636s nova Médio
Sainz 1m33.649s nova Médio
Hulkenberg 1m33.673s nova Médio
Ricciardo 1m33.943s nova Médio

 

Google Tradutor

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2015 British Grand Prix - sessões de treinos
RITMO DAS CAR E DESENVOLVIMENTO DOS PNEUS SIGNIFICA QUE MAIS RÁPIDO LAP
De 2014 já estava batido em HOJE FP1
Piloto da Mercedes Nico Rosberg domina duas sessões de treinos
DESEMPENHO DO INTERVALO ENTRE O disco 0,8-0,9 SEGUNDOS e os compostos MÉDIAS em Silverstone
f1 Copyf2 Copyf3 Copyf4 Copyf5 Copyf6 Copyf7 Copyf8 Copy- Silverstone é bem conhecido como um dos circuitos mais rápidos do calendário, o objetivo tem ritmo ainda mais rápido de hoje - com o tempo mais rápido em FP1 de Nico Rosberg já batendo a volta mais rápida de todo o fim de semana em 2014 .
Fui Mesmo Rosberg mais rápido em FP2, estabelecer uma referência Eventualmente de 1m34.155s no pneu médio - Qui est atualmente em torno de 0,8-0,9 segundos mais rápido que o aussi pneu duro que for selecionada neste fim de semana. Esta é uma lacuna Ligeiramente menor do que o previsto originalmente, na temperatura da pista atingiu um pico de 43 graus centígrados Que. Estes requisitos permitir que o P Zero Laranja disco (qui é um trabalho de alto classifica composto) para trabalhar no seu melhor.
O registro geral colo para a configuração atual é 1m33.401s Silverstone a partir de 2013, definida durante a règlements motor do trem. Poderia haver agora uma sorte que esta vai ser batido durante a qualificação e na corrida, usando a última geração de pneus Pirelli.
Como de costume, as equipes usadas para treinos livres para o comportamento dos pneus Avaliação e taxas de degradação com diferentes cargas de combustível. Um factor crucial será particularmente acompanhar e temperatura do ar, com o Reino Unido tendo recentemente Experiente no dia mais quente já em julho. Durante a corrida temperaturas da pista deverão ser cerca de 10 graus mais frio do que eram hoje, qui, obviamente, tem substanciais negócios de ter efeito sobre o desgaste e degradação.
O clima de Silverstone é notoriamente imprevisível NO ENTANTO: ontem houve algumas gotas de chuva à tarde - e chuva é esperado hoje à noite further, com uma chance de que poderia haver chuvas no dia da corrida também. Temperaturas mais frias pode derrubar o número de paradas Rumo a apenas um - Especialmente como a perda de tempo no pit stop muito alta em Silverstone - mas ainda há muitos dados para analisar antes de FP3 amanhã começa em curso.
Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli: "Estas são as temperaturas da pista mais quentes que-ter visto em um fim de semana Silverstone GP Durante os últimos cinco anos, e foi essa possibilidade qui Solicitado a nossa decisão de trazer os pneus mais duros nas fileiras para a pista. Silverstone está entre os três principais circuitos mais exigentes que visitam durante todo o ano em termos de energia lateral, de modo que este contribui para a carga de trabalho Obviamente também.
Os pneus de ter realizado apenas como nós esperávamos 'em que, até agora, visam ainda não é totalmente claro se vamos ou não estar a olhar para uma ou duas paragens para a maioria dos concurrents no domingo eo tempo parece Normalmente mutável, qui vai-ter um grande efeito sobre pista Evolution. Usar shoulds não ser um problema, nós estamos esperando fim Algum grau de degradação, qui shoulds incentiva estratégias diferentes e Oportunidades aussi Fornecer mais ultrapassagens ".
FP1: FP2:
1. Rosberg Rosberg 1m34.274s 1m34.155s 1. Difícil New New Medium
2. Disco Hamilton 1m34.344s 1m34.502s Raikkonen novo 2. New Medium
3. Difícil Verstappen 1m35.530s 1m34.522s novo Vettel 3. New Medium
Estatísticas de pneus do dia:
 Difícil Médio Intermediate Wet
* 3864 1802 kms impulsionado
conjuntos usado geral ** 60 20
Maior número de período ** 24 29
* O número acima dão a quantidade total de quilómetros percorridos no FP1 e FP2 hoje, todos os drivers combinados.
** Por composto, todos os drivers combinado.
Pirelli fato do dia:
 A primeira corrida internacional em Silverstone teve lugar em 1948, dois anos antes do Campeonato Mundial de Fórmula foi criado. Luigi Villoresi venceu a corrida em um Maserati 4CLT, 14 segundo à frente do carro semelhante de Alberto Ascari - Pirelli fazendo uma dobradinha. Na época, Silverstone não foi um objetivo permanente EM VEZ ano Circuit aeródromo foi arrendamento de um ano a partir da Força Aérea britânica para o Royal Automobile Club

 

Google Tradutor

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

Grande Prémio de Inglaterra: Silverstone, de 2 a 5 de Julho 2015

 

 

OS DOIS COMPOSTOS MAIS DUROS DA GAMA PARA SILVERSTONE, ONDE AS VELOCIDADES e o desempenho dos pneus são elevados

 

são esperados níveis significativos de degradação, especialmente se as temperaturas forem elevadas

 

silverstone é a segunda casa da pirelli, sendo o “centro de excelência tecnológica” da empresa italiana, localizado em didcot  próximo do circuito

 

 

Lisboa, 30 de Junho de 2015 – Os compostos P Zero Laranja (composto duro) e P Zero Branco (composto médio) foram selecionados para o grande prémio de Inglaterra a ter lugar em Silverstone. Este, é um circuito rápido e bastante fluído que exige muito dos pneus, especialmente durante uma sequência de curvas bastante rápidas. Resultando num elevado desgaste e respetiva degradação, estes acrescidos  no caso de se registar temperaturas elevadas, facto que é esperado para este ano. Como assim, é um dos locais mais históricos e  rápido do calendário de Fórmula Um, sendo Silverstone uma corrida em casa para a Pirelli, uma vez que a empresa Italiana, possui um polo de logística  e um centro de excelência tecnológica situado em Didcot, a menos de uma hora de distância de automóvel.

 

Paul Hembery (Diretor da Pirelli Motorsport): ” Silverstone é sempre um evento fantástico, com muitos espetadores e entusuiastas  bem informados e conhecedores da modalidade. É um dos poucos circuitos onde os pilotos dizem que podem ouvir o publico, pela forma como estão a conduzir. Tal como no ano passado, vamos levar os dois compostos mais duros da gama, porque o circuito de Silvertsone proporciona os maiores índices de carga lateral da época. Este local, é desgastante para a estrutura dos pneus de ambos os compostos. Para Silvertone estamos a prever uma ou duas paragens para troca de pneus, especialmente se o tempo estiver quente, o que é esperado. Como sempre dissemos, o tempo quente foi a previsão durante alguns anos, mas em vez disto e por diversas vezes, acabamos com mais um cenário de clima tipicamente Inglês! Assim, as equipes têm que estar preparadas para tudo e estudar a fórmula para obter o máximo proveito dos pneus durante o fim de semana, ao invés de sessão a sessão. Silverstone, é um dos circuitos que premeia a ousadia e o empenho, pelo que devemos assistir a uma grande corrida. ”

 

Os maiores desafios para os pneus:

Silverstone é bem conhecido pela sucessivas curvas rápidas, obrigando os pneus a suster cargas de forças aproximadas de 5g. As equipes utilizam elevados índices aerodinâmicos, o que significa uma elevada carga vertical, como assim, pressões laterais que atuam ao mesmo tempo nos pneus. As retas e as zonas de travagem são razoavelmente curtas, permitindo às equipes a procura de índices aerodinâmicos sem 

perda de tempo.

 

O asfalto do circuito proporciona uma elevada aderência, potenciando ainda mais a carga sobre os pneus. As temperaturas da pista poderão chegar no máximo aos 110º graus centígrados, visiveis nas imagens térmicas das cameras que assumiram um elemento comum nas imagens da Fórmula Um, desde que foram introduzidas em 2013.

 

No ano passado, Silverstone forneceu uma “montra” de excelência para o futuro tecnológico da  Pirelli, quando a empresa Italiana apresentou pela primeira vez  os pneus de 18 polegadas colocados num carro de Fórmula Um atual. Charles Pic em Lotus completou algumas voltas de demonstração, num teste oficial após uma corrida.

 

A estratégia vencedora no ano passado e como foi ganha:

Na corrida do ano passado, Lewis Hamilton venceu ao completar as 52 voltas da corrida no seu Mercedes, com uma estratégia de duas paragens. Iniciou a corrida com o composto médio, e nas voltas 24 e 41 trocou em ambas para o composto duro. A corrida desde cedo foi condicionada pela bandeira vermelha, com um re-começo a permitir aos pilotos a mudança dos pneus na grelha de partida. Esta situação provocou uma alteração profunda na estratégia, com sete pilotos nos dez primeiros classificados a parar apenas uma vez.

 

Diferença de tempo previsto por volta entre os dois compostos: 1.0 a 1.2 segundos por volta.

 

A equipe Pirelli escolhe o seu número de corrida: o  #13

Massimo Donatellis ( Head of Motorsport Modelling) “ O meu número da sorte, porque é o dia em que a minha filha Andrea nasceu que tem apenas um ano de idade. ”

 

Quem estamos a seguir no Twitter esta semana: @sniffpetrol. Este é escrito por um dos fundadores do lendário programa de televisão, Top Gear, e é provavelmente uma das mais irreverentes contas do Twitter. Aborda o desporto automóvel e o automobilismo em geral, em que os  pilotos, equipes e mesmo a imprensa, ninguém é poupado ao lendário sentido de humor inglês. Leia e desfrute.

As escolhas de pneus até agora em 2015:

 

P Zero

vermelho

P Zero

Amarelo

P Zero

Branco

P Zero

Laranja

Australia

 

Macio

Medio

 

Malasia

 

 

Medio

Duro

China

 

Macio

Medio

 

Bahrain

 

Macio

Medio

 

Espanha

 

 

Medio

Duro

Mónaco

Supermacio

Macio

 

 

Canadá

Supermacio

Macio

 

 

Austria

Supermacio

Macio

 

 

Inglaterra

 

 

Medio

Duro

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Videos e fotografías de livre utilização, disponiveis em www.pirelli.com/f1pressarea. Segue-nos no Twitter@pirellisport ou Facebook: Pirelli Motorsport. Visite-nos também no site da Pirelli: www.pirelli.com

 

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

OS DOIS mais difícil compostos no intervalo para SILVERSTONE
ONDE velocidades são de alta energia e PNEUS
Níveis significativos de deterioração esperada
Especialmente se as temperaturas são quentes
SILVERSTONE: Uma casa Raça segundo para PIRELLI, COM da empresa ITALIANA
ENGENHARIA "Centro de Excelência", com base em Didcot nas proximidades
O P Zero Laranja duro e P Zero Branco pneus de ter-sido médias selecionado para o Grande Prêmio da Inglaterra em Silverstone: um circuito rápido e fluindo Isso exige muito dos pneus, especialmente durante os Muitos de alta velocidade cantos. Isto resulta em muito desgaste e degradação, especialmente se as temperaturas ambientes são elevados - qui é esperado ser o caso este ano. Bem como sendo um branco do mais rápida e vindas históricas na Fórmula Um calendário, Silverstone est algo de uma corrida em casa para Pirelli: Fórmula Um centro de logística da empresa italiana e centro de excelência de engenharia é Localizado em Didcot, menos de uma hora de distância de carro.
Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli: "Silverstone é sempre uma ocasião fantástica, com uma base de fãs extremamente experiente e entusiasta de espectadores britânicos. É um dos poucos circuitos onde os motoristas dizem que eles podem realmente ouvir a multidão como estão dirigindo ao longo. Como foi o caso no ano passado, estamos trazendo nossos dois pneus mais duros no intervalo, porque Silverstone Dá-nos as maiores cargas de energia laterais da temporada. Estes up demandas pesadas sobre Tanto o composto e estrutura do pneu. Então, nós shoulds estar vendo um between e dois pit stops em Silverstone, especialmente se o tempo está quente, qui é esperado para ser o caso. Dito isto, previsão de tempo quente para a tem-se um número de anos antes - e nós ainda acabou Muitas vezes com uma dose do clima britânico mais tradicional em vez disso! Assim, as equipes terão para estar preparado para tudo e pensar sobre como obter o máximo de seus pneus Durante o fim de semana como um todo, ao invés de apenas sessão por sessão. Circuito de Silverstone é um daqueles que realmente premia bravura e compromisso absoluto, de modo que deverias estar em uma grande corrida. "
Os maiores desafios para os pneus:
Silverstone é bem conhecido por itos sucessão de curvas rápidas e amplas, qui carregar os pneus com força sustentada Esse pico em 5g. As equipes usam altos níveis de downforce, o que significa que há grande força Muitas vezes vertical, bem como laterais que actuam sobre os pneus ao mesmo tempo. As retas e zonas de travagem são razoavelmente curto, permitindo que os equipes para executar um monte de tempo aero sem muita perda.
Asfalto de Silverstone oferece um alto nível de aderência, further Aumentar a carga sobre o pneu. Temperaturas do piso pode pico acima de 110 graus centígrados, visíveis nas imagens térmicas câmeras de ter formado Esse elemento popular era de Fórmula Um de radiodifusão desde sendo branco Introduzido em 2013.
No ano passado Silverstone Desde uma vitrine para a tecnologia futura da Pirelli Quando a empresa italiana testado pneus de 18 polegadas montados em um carro de Fórmula contemporânea, pela primeira vez, qui concluída Alguns período de demonstração Durante o teste oficial após a corrida foi Lotus conduzido por Charles Pic .
A estratégia do ano passado e como a corrida foi ganha: Lewis Hamilton venceu a corrida de 52 voltas para a Mercedes, com uma estratégia de duas paradas. Ele começou no pneu médio, parando para o composto duro na volta 24 e composto duro novamente na volta 41. A corrida foi afetada por uma bandeira vermelha cedo, Qui Meant to re-começar com motoristas autorizados a trocar os pneus no grid. Isso teve um efeito profundo sobre a estratégia: sete pilotos no top 10 foram ble para parar apenas uma vez.
Diferença de desempenho esperado entre les dois compostos: 1,0-1,2 segundos por volta.
A equipe Pirelli escolher seus números de competição: # 13, Massimo Donatellis, Chefe de Motorsport Modelling
"Definitivamente número 13 um número de sorte para mim porque é o dia que meu filho Andrea que já nasceu, que é apenas um ano de idade."
Quem estamos seguindo no Twitter esta semana: sniffpetrol. Este é escrito por um dos criadores do lendário programa de TV Top Gear, e é provavelmente um dos mais irreverentes Twitter contas lá fora. Lidar com automobilismo e automobilismo em geral, ninguém é poupado do lendário sentido de humor britânico: pilotos, equipes e até mesmo em mídias. Leia e desfrutar.
As escolhas de pneus até agora este ano:
 P Zero Amarelo Vermelho P Zero P Zero Branco Laranja P Zero
Austrália Suave Médio
Malásia Médio Difícil
China Suave Médio
Bahrain Suave Médio
Espanha Médio Difícil
Monaco Supersoft Macio
Canadá Supersoft Macio
Áustria Supersoft Macio
Grã-Bretanha Médio Difícil

 

Google Tradutor

 

MAHINDRA E A FÓRMULA 3

 

Mahindra salva melhor para o último quarto para com Senna
 
 Reino Unido. Mahindra Corridas esta tarde apreciamos o seu melhor resultado da temporada inaugural como a fórmula e chegou a uma conclusão dramática. Bruno Senna marcados quarta posição na corrida Depois de uma qui unidade fantástica incluiu um pit stop sólido por Mahindra Sua mecânica e um forte período de poucos Defendendo Sua posição. O resultado aussi Isso significava Mahindra Corrida de voltar-se para o oitavo lugar no campeonato. Chandhok 14thoverall Foi na sequência das conclusões da corrida.

 
Com três pilotos para conquistar o campeonato de confiança a Mahindra Abordado os pilotos com o objectivo de alcançar pode ter problemas quanto possível.

 
Contudo alterar a condição de tempo durante a qualificação deixou uma pista difícil de enfrentar, como resultado Senna Quem foi mais cedo no grupo exercício findo em quinto, enquanto Chandhok que foi pego com a chuva terminou a sessão em 19º.

 
Como as luzes se apagaram a multidão de Londres foram recebidos à sua primeira partida de corrida do fim de semana; e fizeram os carros tiveram suas caminho para a segunda volta Senna foi em sexto, enquanto Chandhok tinha apreciado o lançamento de um assalto a estabelecer em 15 - Ganhando uma forte quantidade de lugares.

 
Durante o próximo período, a mão Poucos cam drama em forma de Heidfeld Quem estava preso na entrada do pit lane e empurrando o seu carro de volta. Esta relativa facilidade foi inocentado e pista foi significada que la verde em breve para ir de corrida é mais uma vez.

 
Como a janela de pit stop completo estava seguindo dois fortes moeda como da equipe Mahindra Corridas os carros foram liberados e em breve um erro de campeonato contendor Buemi deixou a pista limpa para Bruno para reivindicar a sua quinta posição para trás.

 
Escusado será dizer, que "enquanto na luta pelo título de Pilotos Buemi não foi melhor ficarão satisfeitos e usou o período final Poucos de corrida para empurrar com força Senna. No entanto, o motorista Mahindra Corrida lutado mais para a posição e fez a jogada possível para o piloto Edams, alegando quinto no qui estrada foi elevada líder da corrida Stephane Sarrazin Quando foi entregue através de uma unidade penalidade na última volta.

 
Alegando quarta Senna Isso garantiu ele garantiu o melhor resultado da equipe da temporada e os elevou-se para oitavo no campeonato. Lutando no final com a temperatura Chandhok chegou em casa no dia 13.

 
Senna disse: "Este foi o melhor resultado da temporada para mim e para toda a equipa aussi Mahindra Racing. Estou muito feliz para terminar a temporada em alta e ser Cumprir confiável para o nosso potencial. A batalha com Buemi foi objetivo agradável Foi duro quando ele estava me tocando de trás de propósito Às vezes isso é como vai ser na corrida. No geral, estou muito satisfeito com a forma como a corrida foi. '

 
Chandhok acrescentou: "O primeiro turno foi muito bom e eu acho que Abebooks web poderia ter conseguido 11. No início eu Movido para cima assentos qui foi ótimo para nós em torno deste circuito, no entanto, acabou usando mais energia do que esperávamos, como resultado. Então, no final, encaixotado uma volta No começo foi significado qui Abebooks web forçado a comprometer a nossa segunda passagem. Nós acabamos inércia para o acabamento. É ótimo ver Bruno e obter quarto Fortemente fim de semana para a equipe. "

 
Team Principal Dilbagh Gill disse, 'Nós salvo o melhor para última Certamente. Essa foi uma brilhante performance de Bruno e da equipe inteira. Nós mostrou um grande potencial e assinado muito bem. Apraz-me-subiram no ranking do campeonato como um resultado e orgulhoso de todo o trabalho duro dos Mahindra Corrida engenheiros, mecânicos e controladores de ter colocado em toda a temporada. "

 

Google Tradutor

 

DI GRASSI NA FÓRMULA E

Primeiro vencedor da história da Fórmula E, Lucas di Grassi finaliza campeonato em terceiro

"Próxima temporada começa amanhã", diz o brasileiro, que terminou em sexto a corrida deste domingo (28) em Londres e chegou perto do título

Os fãs do automobilismo e da velocidade puderam testemunhar neste domingo (28) uma final de campeonato de altíssimo nível e com altos índices de nervosismo. Com o campeão indefinido até a bandeirada final, a temporada inaugural da Fórmula E mostrou a que veio e firma-se, já no primeiro ano de sua história, como uma das categorias top do esporte a motor mundial.

A final em Londres, no Battersea Park, foi dramática para os três mais diretamente envolvidos na disputa pelo título, com o brasileiro Lucas di Grassi, da Audi Sport ABT, tendo de tirar 14 pontos em relação aos adversários para conquistar a taça. O treino classificatório realizado pela manhã já mostrou que a corrida final seria das mais apertadas. Enquanto no sábado Lucas saiu para se classificar ainda no primeiro grupo, quando as condições do asfalto não eram as melhores, no domingo ele saiu no grupo final, o que em teoria lhe daria melhores chances de se classificar à frente. A chuva que caiu no meio da sessão, no entanto, literalmente jogou um balde de água fria nas pretensões de Di Grassi de conquistar a pole. Assim, Sébastien Buemi saiu em vantagem por largar em sexto; Lucas saiu em 11º e Piquet em 16º.

O brasileiro da Audi Sport ABT fez excelente largada e ganhou duas posições logo de cara. Durante o restante das 29 voltas da corrida, Lucas tentou de tudo para tirar a diferença de pontos que o separava de Buemi e Piquet. Os três chegaram juntos: Buemi em quinto, Lucas em sexto e Piquet em sétimo. Assim, o piloto da China Racing conquistou o título por apenas um ponto sobre o suíço da e.dams.

"Demos tudo e lutamos pelo título até a última curva - nós temos o comprometimento, como time, de fazer isso todas as vezes. Embora não tenhamos conquistado o título, ainda assim podemos voltar para casa de cabeça erguida e orgulhosos de termos disputado ponto a ponto na primeira temporada da Fórmula E", falou Lucas, que tem seu nome escrito na história da categoria.

Di Grassi venceu a corrida inaugural da categoria, em Pequim, e fez um campeonato irrepreensível: foram mais cinco pódios nas 11 corridas. Di Grassi ainda teve dois revezes que contaram muito em sua pontuação final: o abandono pela quebra da suspensão em Buenos Aires, quando liderava a corrida a cinco voltas do final, e a vitória cassada em Berlim por um reparo na asa dianteira de seu carro - que no final lhe custaram 50 pontos.

O brasileiro foi muito elogiado por seu chefe de equipe Hans-Jürgen Abt. "Lucas perdeu duas vitórias certas por coisas longe de seu controle - por uma falha técnica e uma desclassificação. Aos meus olhos, isso faz dele um campeão", elogiou.

O brasileiro continua com o time alemão nas próximas temporadas da categoria dos carros elétricos. O calendário da próxima temporada ainda não foi divulgado, mas já se sabe que seu início será em outubro. Agora, Lucas e a Audi Sport ABT trabalham no desenvolvimento de seu próprio conjunto de força (câmbio e motor elétrico).

Resultado (top-10):
1-) Sam Bird (GBR) - Virgin Racing - 29 voltas em 45min48s792
2-) Jerôme D’Ambrosio (BEL) - Dragon Racing - a 6s973
3-) Loïc Duval (FRA) - Dragon Racing - a 9s430
4-) Bruno Senna (BRA) - Mahindra Racing - a 10s147
5-) Sébastien Buemi (SUI) - e.dams-Renault - a 11s689
6-) Lucas di Grassi (BRA) - Audi Sport ABT - a 11s204
7-) Nelsinho Piquet (BRA) - China Racing - a 11s561
8-) Salvador Duran (MEX) - Amlin Aguri - a 12s402
9-) Oliver Turvey (GBR) - China Racing - a 14s142
10-) Nicolas Prost (FRA) - e.dams-Renault - a 14s535


Campeonato (top-10)
1-) Nelson Piquet Jr - 144
2-) Sébastien Buemi - 143
3-) Lucas di Grassi - 133
4-) Jerôme D’Ambrosio - 113
5-) Sam Bird - 88
6-) Nicolas Prost - 88
7-) Jean-Eric Vergne - 70
8-) Antonio Felix da Costa - 51
9-) Loïc Duval - 42
10-) Bruno Senna - 40


Curta Lucas di Grassi no Facebook: Lucas di Grassi Official

Siga Lucas di Grassi no Twitter: @lucasdigrassi

E também no Instagram: @lucasdigrassi

Conheça a categoria em: www.fiaformulae.com



FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Lucas di Grassi fez grande temporada inaugural da Fórmula E
Alta | Web

Audi Sport ABT
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Piloto da Audi Sport ABT fez boa prova no Battersea Park, em Londres
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Brasileiro terminou o campeonato em terceiro com 133 pontos
Alta | Web

Audi Sport ABT
Clique na imagem para fazer o Donwload...
"O trabalho para a próxima temporada começa amanhã", diz
Alta | Web

 

DI GRASSI NA FÓRMULA E

Fórmula E: Di Grassi faz a melhor volta e diferença para o líder fica em 13 pontos

Vitória de Sébastien Buemi na primeira das duas corridas em Londres embola a pontuação entre os três primeiros. Tudo aberto para a prova final deste domingo (28) no Battersea Park

Lucas di Grassi terminou na quarta posição e marcou a melhor volta da prova na penúltima corrida da temporada inaugural da Fórmula E, realizada no Battersea Park, em Londres. Com o resultado, e a vitória do concorrente Sébastien Buemi, o brasileiro da Audi Sport ABT tem uma desvantagem de 13 pontos em relação ao líder da tabela. A finalíssima acontece neste domingo (28), com largada ao meio-dia (horário de Brasília) e transmissão ao vivo pelo Fox Sports.

Di Grassi largou da terceira posição e sofreu com o superaquecimento da bateria de seu carro na primeira metade da corrida, o que lhe fez perder o terceiro posto para o francês Jean-Eric Vergne, da Andretti. Após a parada, Lucas pôde imprimir ritmo melhor, defendeu-se dos ataques de quem vinha atrás, mas também colocou bastante pressão sobre o francês - a pista estreita e ondulada oferecia raras oportunidades de ultrapassagem. Assim, o brasileiro anotou a melhor volta da corrida, o que lhe conferiu mais dois pontos na classificação do campeonato.

"Prova boa, fizemos 14 pontos, tiramos quatro do líder. A primeira metade da prova foi mais complicada, porque de novo tivemos problema com temperatura da bateria no primeiro carro", apontou.

"Nosso objetivo antes do final de semana era o de estar em uma posição de continuar a luta pelo título no domingo, e conseguimos isso hoje. A vitória, claro, é sempre o objetivo, mas algumas vezes você tem de se contentar com os pontos de um quarto lugar", disse Lucas. "Agora vamos trabalhar para melhorar o acerto do carro, solucionar essa questão do superaquecimento e partir para cima", comentou.

Lucas segue vivo na disputa pelo título. Ainda restam 30 pontos em jogo (25 pela vitória, três pela pole position e mais dois pela volta mais rápida). A 13 pontos da ponta da tabela, o brasileiro alimenta boas chances e tem um alvo claro: chegar à frente de seus concorrentes e terminar no pódio, no degrau mais alto possível.

"Estamos na posição mais difícil entre os três concorrentes ao título, mas isso nos motiva e com mais um treino classificatório e uma corrida tudo é possível amanhã", encerrou.

Resultado (top-10):
1-) Sébastien Buemi (SUI) - e.dams-Renault - 29 voltas em 47min54s784
2-) Jerôme D’Ambrosio (BEL) - Dragon Racing - a 0s939
3-) Jean-Eric Vergne (FRA) - Andretti - a 1s667
4-) Lucas di Grassi (BRA) - Audi Sport ABT - a 2s409
5-) Nelson Piquet Jr (BRA) - China Racing - a 7s370
6-) Sam Bird (GBR) - Virgin Racing - a 7s762
7-) Nicolas Prost (FRA) - e.dams-Renault - a 8s553
8-) Loïc Duval (FRA) - Dragon Racing - a 9s507
9-) Oliver Turvey (GBR) - China Racing) - a 10s032
10-) Stéphane Sarrazin (FRA) - Venturi - a 12s077
MELHOR VOLTA: Lucas di Grassi, 1min28s229, na 25ª

Campeonato
1-) Nelson Piquet Jr - 138
2-) Sébastien Buemi - 133
3-) Lucas di Grassi - 125
4-) Jerôme D’Ambrosio - 95
5-) Nicolas Prost - 88
6-) Sam Bird - 76
7-) Jean-Eric Vergne - 70
8-) Antonio Felix da Costa - 51
9-) Daniel Abt - 32
10-) Nick Heidfeld - 31

Confira a programação para a rodada final em Londres*:

Domingo (28.jun)
04h15 - 5h00: 1º Treino Livre
06h30 - 7h00: 2º Treino Livre
08h00 - 08h55: Classificatório
12h00: Largada etapa 10 (29 voltas)
*HORÁRIO DE BRASÍLIA


Vote em Lucas di Grassi no FANBOOST da Fórmula E:FanBoost Formula E

Curta Lucas di Grassi no Facebook: Lucas di Grassi Official

Siga Lucas di Grassi no Twitter: @lucasdigrassi

E também no Instagram: @lucasdigrassi

Conheça a categoria em: www.fiaformulae.com



Audi Sport ABT
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Lucas levou o troféu pela volta mais rápida da corrida - e mais dois pontos
Alta | Web

Audi Sport ABT
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Di Grassi terminou a prova deste sábado na quarta colocação
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Brasileiro largou da terceira posição
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Mas seu ritmo na primeira parte da corrida foi prejudicado por superaquecimento
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Desvantagem para os líderes diminuiu, e brasileiro ainda tem boas chances
Alta | Web

 

DESAPONTAMENTO NA MAHINDRA

 

Decepção no London ePrix
 
27 de junho de 2015, em Londres. Foi um começo decepcionante para o fim de semana de corrida London Visa ePrix em Battersea Park esta tarde para Mahindra Corrida na sequência das conclusões da primeira das duas corridas em torno da visita histórica. Apesar de ter fortemente qualificado em sétimo para a corrida, Bruno Senna foi entregue através de uma unidade penalidade no período de fechamento qui _him_ à esquerda na parte de trás do grid. Karun Chandhok raça era um de seus concurrents Seguindo trás; a pista extremamente estreita Permitindo poucas oportunidades para ultrapassar.
 
O inaugural Londres ePrix atraiu multidões incríveis como os fãs se reuniram para ver os seus pilotos favoritos como eles ampliada em torno da histórica Battersea Park.
 
Quando os motoristas tiveram seu primeiro verdadeiro sabor da turnê esta manhã Eles usaram a oportunidade de aprender a pista. No entanto foi o sistema às mudanças no tempo para a segunda sessão de treinos livres parceiro após a colisão na primeira curva foi considerado muito perigoso, porque Após vários lançamentos.
 
Como resultado, a sessão foi um pouco atrasado, enquanto o canto foi alterada.
Qualifying no final do dia viu Senna linha no segundo grupo, enquanto Chandhok foi no terceiro para levar para a pista.
 
Colo de Senna era forte o suficiente para fornecer _him_ com um grande começo de sétimo lugar no entanto foram as barreiras menos gentil com Chandhok Quem Em Sua volta mais rápida aproveitado as bordas da pista apertado e complicado - deixando _him_ incapaz de melhorar.
 
As alterações ao sistema de significados que la corrida 29 voltas foi para começar sob o carro de segurança. Quando a faixa verde Fui a Londres Visa ePrix foi bem e verdadeiramente em Andamento. O primeiro período ocorreu Poucos Poucos incidentes têm com o sistema mostrou dificuldade para ultrapassá-la.
 
Como a corrida continuou, com um período de carro de segurança, e na janela pit stop ouvert Ambos os pilotos cam para um pit stop suave e rápida antes de voltar a ingressar no circuito. Por este ponto na corrida Senna e Chandhok foi em sétimo na 15ª.
 
Como a corrida continuou Ele foi sem intercorrências ao redor do itinerário apertado até um drive-through para o pit lane excesso de velocidade sobre-foi entregue a Senna; Efetivamente arruinando sua corrida.
 
Como resultado, o brasileiro terminou em 17º, enquanto Chandhok foi no dia 13.
 
Disse Chandhok, Chandhok disse: "A pista aqui em Battersea Park foi qui tão estreita quis dizer foi que as ultrapassagens quase impossível para a qualificação e foi ainda mais crítico do que com rodadas --outras. Infelizmente eu estava lutando com os freios na qualificação e nós Sobre não obter a melhor posição para começar a corrida por isso foi praticamente decidido a partir daí. Amanhã será dificuldades aussi No entanto, vamos estar empurrando para uma posição mais forte de qualificação para o final da temporada. "
 
Senna disse: 'No primeiro período Poucos eu estava tentando manter a estratégia de trabalho bem como um resultado e tudo estava indo de avião em nosso stint abertura. Nós apreciamos realmente um bom pit stop em When We came e came out em uma posição forte. No entanto I foi entregue um drive through por excesso de velocidade no pit lane; não sabemos como isso aconteceu e precisamos analisar isso. Objetivo que temos uma boa linha de base a partir de hoje como nós cabeça para a última corrida da temporada amanhã. '
 
Team Principal Gil Dilbagh Said, 'as coisas correram suavemente Hoje cedo nós estávamos olhando realmente bom em nosso ritmo de corrida - de Bruno foi o segundo mais rápido na pista. Precisamos entender a razão da nossa pena com o Bruno qui vamos analisar os dados com. No entanto, o ritmo de ambos os carros era bom e estamos ansiosos para fazer mais com isso amanhã. "

 

Google Tradutor

 

DS E VIRGIN FAZEM PARCERIA

 

Ds e A VIRGIN RACING anUNCIAM PARCERIA

PARA O CAMPEONATO DE FÓRMULA E

 

A equipa Virgin Racing do campeonato de Fórmula E, apoiada por Sir Richard Branson, e a marca DS, representada por Yves Bonnefont, director geral da Marca, anunciaram hoje a sua parceria e a criação da equipa DS Virgin Racing com efeitos antes da temporada de 2015/16 do campeonato Fórmula E FIA.

No quadro desta nova parceria, a marca DS levará para a equipa, através da entidade Motorsport, a sua experiência tecnológica na pesquisa e no desenvolvimento do carro de competição. Associada à estratégia de concepção da Virgin Racing Engineering, o objectivo é fornecer à DS Virgin Racing a experiência de competição, assim como os conhecimentos de concepção e integração, que permitirão correr ao mais alto nível, e assim conquistar campeonatos.

A propósito desta parceria, o responsável pela equipa Virgin Racing Team Alex Tai declarou: “A nossa colaboração com a marca DS é não apenas uma parceria entre duas marcas espantosas, mas uma excelente ocasião para mostrar a nossa intenção de vencer o campeonato de Fórmula E FIA. Por outro lado, coloca em evidência as nossas ambições de estar na vanguarda das novas tecnologias de ponta na Fórmula E, para contribuir para a transição tecnológica dos carros de série".

CEO do Grupo Virgin, Sir Richard Branson, acrescentou: "Estou absolutamente deliciado por a Virgin Racing ter encontrado um parceiro de envergadura como a marca DS. Na sua primeira temporada, a Fórmula E deu a sua visão de criação de corridas excitantes, espectaculares e próximas dos seus apoiantes, em que quase todas as equipas podiam vencer. Sinto-me agora impaciente para prosseguir esta via na segunda temporada, com este nosso novo parceiro, a marca DS, com o objectivo de vencer vários campeonatos. Sinto-me muito feliz de que a Virgin Racing jogue um papel importante numa das missões da Fórmula E, que é atrair os grandes construtores automóveis para o desporto automóvel, de modo a que a tecnologia desenvolvida seja utilizada nas viaturas que todos nós podemos conduzir. Sem qualquer dúvida, esta parceria será um grande sucesso, tanto nas corridas, como no seu papel de catalisador para o desenvolvimento dos veículos eléctricos do futuro.”

Yves Bonnefont, director geral da marca DS, declarou que “o envolvimento da marca DS no campeonato de Fórmula E com o nosso parceiro Virgin Racing está em perfeita coerência com o posicionamento da marca. Nós partilhamos plenamente os valores da Fórmula E: a tecnologia de ponta e a proximidade com o público. As experiências que iremos acumular graças às corridas são factores chave para nós no aperfeiçoamento da nossa tecnologia ao serviço directo dos clientes.”DS Virgin_Racing1_CopyDS Virgin_Racing2_CopyDS Virgin_Racing3_Copy

 

F 1 NA AUSTRIA - TUDO NA MESMA

FÓRMULA 1 NA AUSTRIA

~

TUDO NA MESMA

 

na realidade as corridas de Fórmula estão a tornar-se uma verdadeira "seca", pois a Mercedes continua a passear a sua superioridade, desta feita na Austria com mais um dobradinha com com Rosberg e Hamilton, o deradeiro degrau do pódio para o piloto brasileiro Filipe Massa ao volante do seu Williams.

 

A 4ª posição foi pertença de Vettel num Ferrari, logo seguido pelo Williams de Bottas e o Force India de Hulkenberg.f23 Copyf24 Copyf25 Copyf48 Copyf49 Copyf50 Copyf51 Copyf52 Copyf53 Copyf54 Copyf55 Copyf55 Copyf57 Copyf58 Copyf59 Copyf60 Copyf70 Copyf71 Copyf72 Copyf73 Copyf74 Copyf75 Copyf76 Copyf77 Copyf78 Copyf79 Copyf80 Copyf81 Copyf82 Copyf83 Copyf84 Copyf85 Copyf86 Copyf87 Copyf88 Copyf89 Copyf90 Copyf91 Copyf92 Copyf93 Copyf84 Copyf94 Copyf95 Copyf96 Copyf97 Copyf98 Copyf98 Copyf99 Copyf100 Copyf101 Copyf136 Copyf134 Copyf133 Copyf132 Copyf131 Copyf130 Copyf129 Copyf128 Copyf127 Copyf126 Copyf125 Copyf124 Copyf123 Copyf122 Copyf121 Copyf120 Copyf119 Copyf118 Copyf117 Copyf116 Copyf115 Copyf114 Copyf113 Copyf112 Copyf111 Copyf110 Copyf109 Copyf108 Copyf107 Copyf106 Copyf105 Copyf104 Copyf103 Copyf102 Copy

 

DI GRASSI NA FÓRMULA E

Fórmula E: Di Grassi promete luta "até a última curva da última volta"

Categoria dos carros elétricos faz as duas corridas finais de sua temporada inaugural neste final de semana em Londres. Brasileiro o vice-líder da disputa

Ásia, América do Sul, América do Norte, Europa, Leste Europeu e agora Grã-Bretanha. A jornada da Fórmula E ao redor do planeta chega ao final de sua temporada de estreia trazendo emoção e suspense na rodada dupla que acontece neste final de semana (27 e 28) em Londres.

Duas corridas, 60 pontos em jogo. Embora matematicamente até seis pilotos tenham condições de levantar o troféu, a briga está entre os três primeiros da tabela, que estão separados por 23 pontos. Vice-líder da tabela a 17 pontos do primeiro, o brasileiro Lucas di Grassi é o piloto com mais pódios conquistados até agora - seis em nove corridas.

O piloto da Audi Sport ABT somou duas vitórias, mas a última delas, em Berlim, de forma dominante, foi tirada do paulistano em virtude de um pequeno reforço em uma parte da asa dianteira que não trazia vantagem técnica.

"Aceitamos a decisão da desclassificação pelo bem do esporte e respondemos na pista. Vamos responder assim novamente em Londres e recuperar os pontos perdidos esta temporada", diz Lucas, que teve um abandono em Buenos Aires por uma falha na suspensão enquanto liderava a corrida.

"Uma coisa é clara: vamos buscar este título até a última curva da última volta da corrida final", promete.

As corridas acontecem sábado (27) e domingo (28) com largada ao meio-dia de
Brasília. A transmissão no Brasil é do canal Fox Sports.

Confira a programação para a rodada final em Londres*:
Sábado (27.jun)
04h15 - 5h00: 1º Treino Livre
06h30 - 7h00: 2º Treino Livre
08h00 - 08h55: Classificatório
12h00: Largada etapa 10 (29 voltas)
Domingo (28.jun)
04h15 - 5h00: 1º Treino Livre
06h30 - 7h00: 2º Treino Livre
08h00 - 08h55: Classificatório
12h00: Largada etapa 10 (29 voltas)
*HORÁRIO DE BRASÍLIA


Vote em Lucas di Grassi no FANBOOST da Fórmula E:FanBoost Formula E

Curta Lucas di Grassi no Facebook: Lucas di Grassi Official

Siga Lucas di Grassi no Twitter: @lucasdigrassi

E também no Instagram: @lucasdigrassi

Conheça a categoria em: www.fiaformulae.com



Audi Sport ABT
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Lucas promete lutar pelo título da Fórmula E até o final
Alta | Web

Audi Sport ABT
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Brasileiro liderou boa parte da temporada graças a desempenho em alto nível
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
São seis pódios em nove corridas
Alta | Web

Divulgação
Clique na imagem para fazer o Donwload...
São 60 pontos em jogo na finalíssima de Londres, no Battersea Park
Alta | Web

Divulgação
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Como votar em Di Grassi no FanBoost da Fórmula E
Alta | Web

 

MAHINDA É NOTICIA

 

Mahindra Corrida embarca em final de temporada em Londres
 
 Donington Reino Unido. Após um total de nove corridas espetaculares em locais do centro da cidade ao redor do mundo de Fórmula FIA Campeonato E virá a um fim dramático neste fim de semana com um evento cabeçalho dupla no centro de Londres. A Fórmula Mahindra Corrida E Equipe estará treinando centro, no coração da cidade de Battersea Park com motoristas Bruno Senna e Karun Chandhok, mais uma vez no comando.
 
Tendo em locais incríveis visitados na Ásia, Europa, Norte e América do Sul temporada inaugural do campeonato será jogado para fora na frente de uma multidão embalada na capital britânica. Em uma reviravolta, Battersea Park vai sediar não um objetivo duas corridas como os carros vão para a pista no sábado e domingo.
 
O lucro de US $ circuito em si é as estradas exteriores ao redor do parque e dispõe de 17 cantos sobre a configuração 2,9 km anti-horário. OU antecipado como o sistema tem alta velocidade e rumo ligeiramente curvado estreito provavelmente vai fornecer algumas ações emocionantes ao longo do vale dois dias inteiros 'das corridas.
 
A Visa Londres ePrix irá sinalizar o fim de uma abertura de temporada emocionante para a série de corrida elétrico inovador com Mahindra Corrida olhando em frente para a próxima temporada; a equipe-se-vindo já testando sua segunda temporada challenger, o M2Electro rastreamos em preparação.
 
Falando da London ePrix Chandhok disse: 'Vai ser muito legal para correr no centro de Londres. Fui correndo em torno de Battersea Park durante anos por isso é um pouco surreal imaginar carros de corrida em torno de lá agora. Até que-ter uma corrida na Índia, esta é praticamente a minha corrida em casa Tendo vivido no Reino Unido por 13 anos.
 
"Tem sido um pouco de uma temporada frustrante em termos de potencial não realizado Acho que para nós, por isso vai ser bom para assinar a temporada com alguns bons resultados. Houve um monte de trabalho duro de todos em Mumbai e Farnham ao longo dos últimos 18 meses e todos estão muito motivados para terminar esta primeira temporada foi alto. "
 
Senna acrescentou: "The London ePrix deverias ser um muito especial, pois é o primeiro evento de corrida acontecendo dentro Londres por muitos anos, por isso vamos ver uma grande multidão Provável Esperemos e grandes corridas também. Da minha perspectiva Eu estou esperando para obter um resultado forte para terminar a temporada com uma nota alta. "

 

Google Tradutor

 

GP 2 NA AUSTRIA

GP 2 NA AUSTRIA

 

Haryanto e Vandoorne foram os vencedores da jornada de GP 2, que teve lugar na Austria, onde na segunda corrida, o degrau mais baixo do pódio foi para Matsushita da Art, que por sua vez teve atrás de si, seguido de Sirotkin da Rajaye finalemnte Evans da Russian Team.g1 Copyg2 Copyg3 Copyg5 Copyg6 Copyg7 Copyg9 Copyg10 Copyg12 Copyg13 Copyg14 Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

Primeiras influências o carro de corrida SEGURANÇA
Confirmando a estratégia de uma PARAGEM
Stints longas em ambos os SOFT AS DRIVERS e pneu supermacio
EXPERIMENTE ESTRATÉGIAS ALTERNATIVAS PARA COMBATER PENALIDADES GRID
FINAL EM TEMPORADA-teste do ano tem lugar na terça-feira e quarta-feira após o austríaco GRAND PRIX


Um carro de segurança cedo no Grande Prêmio da Áustria significa que a estratégia de uma parada foi a escolha padrão para os vastos majorité de concurrents. O carro de segurança na sequência da volta da corrida de abertura Significou que la ônibus ran lentamente por quatro extensão quando eles estavam em seu mais pesado com o combustível.
Apesar de alguns pontos de chuva No início do dia, a raça permaneceu seco com temperaturas ambiente frias temperaturas de 16 a 18 graus centígrados e faixa de 24 a 27 graus centígrados.
Todos os motoristas para além de Pastor Maldonado, Sergio Perez, Daniel Ricciardo e Kimi Raikkonen começou no pneu supermacio P Zero Red, na sexta-feira e sábado qui HAD beens cerca de 0,7 segundos por volta mais rápido do que o macio P Zero Amarelo. Com um número de motoristas em execução fora de posição devido a sanções grade e Razões --outros, algumas equipes algo estratégias alternativas com stints longos para tentar impulsionar colocando sua final.
Período da Red Bull, Daniel Ricciardo correu para 50 On His conjunto original de pneus macios, terminando nos pontos Depois de iniciar 18º no grid. Jenson Button, da McLaren, que começou a última, ano aussi Tentativa de estratégia alternativa, passando de supermacio para suave na terceira volta, antes de se aposentar objectivo foi possível colher os benefícios.
Nico Rosberg venceu a corrida commandingly de Seu companheiro de equipe Mercedes Lewis Hamilton. Ambos os pilotos usaram a mesma estratégia supersoft-soft, parando Dentro de dois períodos de uns aos outros em 38 e 40 respectivement período.
As equipas vão agora permanecem na Áustria para o primeiro teste na temporada na terça-feira e quarta-feira, onde um número de motoristas terceiros vai tomar a roda, bem como os pilotos regulares. Ao contrário da última temporada, porém, não haverá dias dedicados de teste Pirelli.
Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli: "Nós pensamos inicialmente, que a estratégia de uma parada seria susceptível mais hoje, e colocar acima de qualquer dúvida este foi o safety car cedo. Apesar das temperaturas baixas, os pneus Interpretada como esperávamos 'em que, com os drivers confiáveis ​​para obter o máximo de seu desempenho. "
Vezes mais rápido do dia pelo composto:
 Supersoft macio Intermediate Wet
Primeiro RIC 01m11.689s ROS 01m11.235s 0 0
Segundo MAL 01m11.785s HAM 01m11.475s 0 0
Terceiro ROS VET 01m12.001s 01m11.499s 0 0
Longest stint da corrida:
 Ricciardo mole (50 voltas)
 Supersoft Vettel (36 voltas)
Truth-O-Meter
Nós previmos um one-stop como o cenário mais provável para vencer a corrida de 71 voltas, e é isso que Rosberg coisa. Nossa previsão disse que depois de partir de supersoft, seria mais rápido para parar para suave na volta 25. Na realidade, Rosberg parou na volta 33, ajudado pelo safety car cedo.

 

Google TraDUTORf26 Copyf27 Copyf28 Copyf29 Copyf30 Copyf31 Copyf32 Copyf33 Copyf34 Copyf35 Copyf40 Copyf41 Copyf42 Copyf43 Copyf44 Copyf45 Copyf46 Copyf47 Copy

 

VELHAS GLÓRIAS DE F1 JUNTAS

VELHAS GLÓRIAS DA FÓRMULA 1 ESTIVERAM NA AUSTRIA

 

 

Velhas glórias da Fórmula 1 estiveram juntas no Grande Prémio da Austria, onde se juntaram nomes, como Niki Lauda, Jean Alesi, Ricardo patrese, Gerhard Berger, Pierluigio Martini entre outros.A1velasgloriasf1reunidas Copya2 Copya3 Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2015 Grande Prêmio da Áustria - Qualifying
HAMILTON RECLAMAÇÕES PÓLO PARA AUSTRIAN GRAND PRIX EM CONDIÇÕES MISTAS
A chuva também POSSÍVEL PARA CORRIDA DIA DE AMANHÃ
Pit Stop olhar mais provável para o RACE
Mesmo que um TWO-ROLHA é mais rápido Teoricamente
f17 Copyf18 Copyf19 Copyf20 Copyf21 Copyf22 Copy o piloto da Mercedes Lewis Hamilton afirmou pólo na sessão de qualificação do Grande Prémio de Austrian Após uma corrida emocionante em condições climatéricas mistas. Hamilton definir o seu melhor tempo na Q3 usando o pneu supermacio P Zero Red, qui est cerca de 0,7 segundos por volta mais rápido do que o pneu macio, aussi Nomeado para a corrida. O melhor tempo de Hamilton foi mais rápido do que no ano passado pole (definido por Felipe Massa para Williams), apesar de sair em seu colo quente.
Qualifying Andamento entrou em temperaturas frias eram pista molhada, com temperatura da pista chegando a 21 graus centígrados apenas. Como resultado, os primeiros corredores na Q1 utilizado o Cinturato Verde intermédio antes de a superfície seca, Permitindo a mudança para o pneu supermacio Vermelho.
Um pit stop parece ser a estratégia mais provável amanhã, a condição meteorológica Supondo que permanecem secas: o que está longe de ser certo. No entanto, uma estratégia de duas paradas é mais rápido Teoricamente, o objetivo provavelmente demasiado arriscado em termos de tráfego - qui peut être no final do ano o rápido Red Bull Ring.
A sessão de qualificação foi desafiador further complicada pelo fato de que não haverá sanções extensivas grade de condutores para o amanhã, com alguns carros correndo fora de posição por razões --outras também.
A sessão final de treinos livres esta manhã foi atingida por fortes chuvas bem na sessão de uma hora. Antes do golpe de chuva, Ferrari motorista Sebastian Vettel definir o tempo mais rápido no pneu macio, reforçando seu tempo mais rápido na FP2 ontem. O majorité dos motoristas ficou na garagem como a chuva caiu muito durante FP3, gol Alguns motoristas - incluindo Mercedes Nico Rosberg - completado um período de torque no azul Cinturato completa molhado, em que seria necessário caixa de tese para a qualificação e corrida.
Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli: "A partir do momento em que viu o céu esta manhã, sabíamos que ia ser um dia imprevisível aqui na Áustria, e assim foi. Geralmente todos os drivers Quem fez incrivelmente bem ao juiz limita a aderência disponível e fazer o máximo de nossos compostos sob circunstâncias desafiadoras, com os tempos mais rápidos vindo apenas no final de cada sessão. A imprevisibilidade é definida para continuar amanhã: estamos olhando para o tempo incerto e um grande número de motoristas fora de posição no grid. Sob circunstâncias normais, seria de esperar que a partir da paragem majorité pit dos motoristas, os carros mais rápidos, embora possam tentar duas paradas. "
O preditor estratégia Pirelli:
A estratégia mais rápido em papel para a corrida de 71 voltas é Teoricamente um dois-stop (iniciar em supersoft, supersoft novamente na volta 31, suave no colo 60). No entanto, devido ao tráfego o cenário mais provável é de parar o trânsito: começar em supermacio, macio Em seguida, mude para na volta 25.
Compostos mais rápidos FP3:
1 Vettel 1m09.994s New Soft
2 Hamilton 1m10.011s New Soft
Raikkonen usado 3 1m10.177s macios
Top 10 utilização de pneus:
Hamilton 1m08.455s novo Supersoft
Rosberg 1m08.655s novo Supersoft
Vettel 1m08.810s novo Supersoft
Massa 1m09.192s novo Supersoft
Hulkemberg 1m09.278s novo Supersoft
Bottas 1m09.319s novo Supersoft
Verstappen 1m09.612s novo Supersoft
Kvyat 1m09.694s novo Supersoft
Nasr 1m09.713s novo Supersoft
Grosjean - novo Supersoft

 

Google Tradutor

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

FERRARI DRIVER Sebastian Vettel mais rápido nos treinos livres
P ZERO NO VERMELHO SUPERSOFT
 CURTO-CIRCUITO NA ÁUSTRIA LAYOUT leva a um desgaste ea deterioração BAIXA, COM APENAS ENTRE OS DOIS SEGUNDOS 0,7 COMPOSTOS
 TEMPO FRIO PARA LIVRE PRÁTICA: CHUVA ESPERADO em algum momento durante o resto do fim de semana

 

f7 Copyf8 Copyf9 Copyf10 Copyext12 Copyf12 Copyf11 Copyf14 Copyf15 Copyf16 Copy
 Ferrari motorista Sebastian Vettel melhor tempo definido no final de treinos livres com o pneu supermacio PZero Vermelho.
Que, apesar céus ameaçado Esta chuva, ambos, sessões de treinos livres de hoje manteve-se seco, com FP2 - executados ao mesmo tempo que a qualificação e na corrida - entrando em andamento com 22 graus de temperatura do asfalto atingindo 25 ° e ultimamente.
O rápido aquecimento do pneu supermacio foi significado que os motoristas confiáveis ​​para extrair o máximo de desempenho a partir do composto de imediato, embora Permaneceu termos 'verde' e escorregadio Durante a primeira sessão de treinos livres em particular, qui Durante apenas o pneu macio Foi utilizado.
Piloto da Ferrari Kimi Raikkonen foi o primeiro a experimentar o pneu supermacio esta tarde, aos 30 minutos de hora e meia de sessão. À medida que mais motoristas mudado para o composto mais macio para simulações de qualificação e corrida, diferença de desempenho foi de 0,7 segundo de dois pneus Entre les foi gravado.
Desgaste do pneu e da degradação foi de baixo Durante as sessões, e deve diminuir para o resto do fim de semana como mais borracha é previsto e os carros deslizar menos.
No entanto, existe um risco de chuva Durante todo o resto do fim de semana - especialmente para sessão de qualificação de amanhã - que poderiam ter um efeito profundo sobre a estratégia de corrida, com a única até os dados do sistema existente desde o ano passado, quando a Áustria voltou para a campeonato.
Como resultado, as equipes Procurada para maximizar o funcionamento a seco hoje e executado através de tantos cenários diferentes quanto possível, a fim de ser tão melhor como eles podem estar preparado para qualquer possibilidade.
Paul Hembery, Pirelli Motorsport Diretor: "É uma curta volta aqui no Red Bull Ring, tendo menos de 70 segundos para completo. Nós vimos a carga sobre os pneus a ser bastante baixo, e um intervalo de 0,7 segundo entre les dois compostos performance. O maior fator que será o tempo: não há risco de chuva amanhã Ligeiramente menor e uma possibilidade de chuva no dia da corrida. É evidente que esta Aspirantes ter um efeito importante sobre táticas, para que todos os sinais são para um fim de semana imprevisível. "
FP1: FP2:
1.Rosberg 1m10.401s 1m09.600s Supersoft macio 1.Vettel novo novo
2.Hamilton 1m10.709s 1m09.611s Supersoft macio 2.Rosberg novo novo
3.Raikkonen 1m11.028s 1m09.860s Supersoft macio 3.Raikkonen novo novo
Estatísticas de pneus do dia:
 Supersoft macio Intermediate Wet
km impulsionado * 1656 4105 0 0
conjuntos utilizado geral ** 19 59 0 0
Maior número de período ** 33 35 0 0
* O número acima dão a quantidade total de quilómetros percorridos no FP1 e FP2 hoje, todos os drivers combinados.
** Por composto, todos os drivers combinado.
Pirelli fato do dia:
Na história da turnê como o primeiro Osterreichring e depois o A1-Ring, Alain Prost é o vencedor mais frequentes do Grande Prêmio da Áustria. O campeão mundial quatro vezes triunfou em três ocasiões, ganhando o primeiro para a Renault em 1983 e depois com a McLaren em 1985 e 1986.

 

Google Tradutor

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

macio e supermacio pela terceira corrida consecutiva.

Red Bull Ring tem pouca aderência, obrigando à utilização de um elevado apoio aerodinâmico

 

No circuito austríaco o esforço dos pneus é reduzido. em 2014, a estratégia vencedora foi de duas paragens, sob um clima demasiado quente

 

 A reduzida diferença de rendimento entre os compostos, deverá proporcionar diversas estratégias

 

 

f1 Copyf2 Copyf3 Copyf4 Copy Os compostos macio (P Zero Amarelo) e Supermacio (P Zero Vermelho) foram escolhidos pela terceira corrida consecutiva. O esforço exigido aos pneus é relativamente baixo, com duas retas e curvas bastante lentas. No ano passado o Grande Prémio da Áustria reapareceu pela primeira vez no calendário de Fórmula 1, após 11 épocas, o que significa que as equipes já podem utilizar os dados de 2014 de forma a estudar a melhor estratégia. Após o grande prémio da Áustria, terça e quarta-feira, irá ocorrer o último teste de dois dias da presente temporada.

 

 

Paul Hembery (Diretor da Pirelli Motorsport): ” Na Áustria termina a série dos compostos Macio e Supermacio escolhidos até quase metade da época, numa grande variedade de circuitos. Até certo ponto a estratégia dos pneus dependerá do tempo, isto é, se fizer calor, o mais provável é assistirmos a duas paragens, em caso contrário, em clima frio, a balança poderá pender apenas para uma paragem. A chuva também é uma clara possibilidade nesta época do ano em Estiria, tal como assistimos durante os treinos livres do ano passado, pelo que as equipes deverão estar preparadas para tudo. Este ano e pela primeira vez, os pilotos chegam a Red Bull Ring com dados reais do circuito, o que os ajudará a encontrar o modo mais eficiente na utilização dos pneus. Evidentemente, o nosso objetivo é ter sempre entre duas a três paragens por corrida, assim é algo que controlamos bem à frente na hora de realizar as opções de pneus, pois temos a possibilidadade de realizar pequenas alterações no caso de ser necessário. Na Áustria, esperamos uma pequena diferença de tempo entre os dois compostos, abrindo várias possibilidades no que refere à estratégia de corrida ”.                                                                                                                                         

Os maiores desafios para os pneus:

 

O piso de Red Bull Ring é pouco abrasivo, tem pouca aderência e a pista vai tornando-se mais rápida com o decorrer do fim de semana. Embora o asfalto seja novo, o circuito está bastante irregular em alguns pontos, o que dificulta uma aderência consistente.

 

Conseguir  tração à saída das curvas é um aspeto de extrema importância de Red Bull Ring, já que existem varias curvas lentas que dão acesso a retas mais rápidas. Para maximizar a vida dos pneus, é vital encontrar uma maneira limpa de dar com o vértice, para poder dar gás rapidamente  sem fazer patinar as rodas.

 

O pneu Supermacio é um composto de baixa gama de trabalho, com capacidade de alcançar um excelente rendimento, mesmo a baixas temperaturas. O pneu macio é um composto de alta gama de trabalho, adequado para temperaturas mais elevadas  e condições de pista mais extremas. Na Áustria, são possiveis condições meteorolócias quentes e frias.

 

O circuito de Spielberg gira no sentido dos ponteiros de relógio, mas têm duas curvas muito importantes ( a 5 e a 6) que transmitem um carga considerável sobre os pneus do lado direito do carro

 

 

A estratégia vencedora no ano passado:

 

Na corrida do ano passado, a maioria dos pilotos realizou duas paragens, no entanto três conseguiram realizar apenas uma. O vencedor da corrida, Nico Rosberg (Mercedes), iniciou a corrida com o supermacio, trocou para macio na volta a 11 e novamente para macio na volta 40. Graças à sua estratégia, permitiu ganhar a corrida, partindo do 3.º lugar da grelha.

 

 

 

Diferença de tempo previsto por volta entre os dois compostos:

 

0.7  a  0.9  segundos por volta.

 

 

 

A equipe Pirelli escolhe o seu número de corrida: o  #9

Luigi de Candia ( Tecnologia de informação)

 

 

 

“ Não creio que tenha muito em comum com o Marcus Ericsson, no entanto escolho o 9. É o número com que jogava futebol  quando era mais jovem  e desde então sempre gostei .... ”.

 

 

 

 

As escolhas de pneus até agora em 2015:

 

P Zero

vermelho

P Zero

Amarelo

P Zero

Branco

P Zero

Laranja

Australia

 

Macio

Medio

 

Malasia

 

 

Medio

Duro

China

 

Macio

Medio

 

Bahrain

 

Macio

Medio

 

Espanha

 

 

Medio

Duro

Mónaco

Supermacio

Macio

 

 

Canadá

Supermacio

Macio

 

 

Áustria

Supermacio

Macio

 

 

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

Grande austríaca Prix Preview: Red Bull Ring, 18-21 junho de 2015
SOFT E PARA TERCEIRO SUPERSOFT corrida consecutiva:
RED BULL Ring oferece EQUIPAS APERTO DE BAIXA estão em alta DOWNFORCE
PNEUS chamadas no sistema de austríaca são contidas: A TWO-STOP estava ganhando de estratégia em 2014 condições quentes
GAP de desempenho pequeno entre os dois compostos
Deve levar a alteração da estratégia
Pela terceira vez consecutiva, os pneus P Zero-ter-sido supersoft macio P Zero Amarelo e Vermelho Indicado. As exigências sobre os pneus são relativamente baixos, com duas retas e cantos razoavelmente lentos. O Grande Prêmio da Áustria reapareceu na Fórmula Um calendário pela primeira vez em 11 temporadas no ano passado, Significado Que la equipes agora será ble para utilizar os dados a partir de 2014 Quando se trata de formular a estratégia ideal. Após o Grande Prêmio da Áustria, o teste final de dois dias na temporada do ano vai ocupar na terça-feira e quarta-feira.
Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli: "Áustria termina o prazo de nomeações macios e supermacios Abebooks web Veja avaliações para o meio da temporada, foi bastante diversificada variedade de pistas. A estratégia de pneus dependerá em certa medida para o clima: se é calorosa que são mais propensos a ver duas paradas, Considerando que, se é legal o equilíbrio pode mudar em direção a um one-stop. Chuva est aussi uma possibilidade distinta em Styria nesta época do ano, como vimos na última temporada durante os treinos livres, assim que as equipas vão-se, basicamente, para estar preparado para tudo. Este ano, os motoristas cabeça para o Red Bull Ring com dados reais sobre a pista pela primeira vez, qui vai ajudá-los a encontrar o caminho mais eficiente de usar os pneus. Obviamente, o nosso objectivo é sempre o de Entre-possuem dois e três paradas em todas as corridas, então isso é algo Abebooks web será no futuro do monitor com cuidado quando se trata de nomeações: nós-ter a possibilidade de fazer algum menor de câmbio, se necessário. Nós só estamos esperando um pequeno intervalo de tempo entre les dois compostos na Áustria, de modo que este abre uma série de possibilidades diferentes quanto à forma de executar a estratégia de corrida. "
Os maiores desafios para os pneus:
A área no Red Bull Ring é baixa aderência e baixa abrasão, com a pista ficando mais rápida progressivamente à medida que o fim de semana passa. Mesmo que o asfalto é novo, a pista é bastante irregular em alguns lugares, qui Torna dificuldade para encontrar aderência consistente.
Ganhando força fora dos cantos é um aspecto particularmente importante da Red Bull Ring, pois há uma série de curvas lentas que levam para straights mais rápido. Uma abordagem limpo para encontrar o ápice, a fim de obter para o poder Posteriormente o mais rápido possível, sem girar as rodas, é vital para maximizar a vida útil do pneu.
O pneu supermacio é um trabalho de baixo classifica composto capaz de atingir um ótimo desempenho mesmo em baixas temperaturas. O pneu macio é uma alta fileiras composto de trabalho, adequado para temperaturas mais elevadas e as condições da pista mais extenuantes. Ao mesmo tempo calorosa e arrefecer as condições são viáveis ​​na Áustria.
O passeio Spielberg é executado em uma meta sentido horário há duas curvas muito significativas (voltas 5 e 6) That Place estresse considerável sobre os pneus do lado direito do carro.
A estratégia do ano passado e como a corrida foi ganha: A maioria dos motoristas Sobre fez um dois-rolha no ano passado, conseguiu EMBORA três trem. Vencedor da corrida Nico Rosberg (Mercedes) começou no supersoft, alterado para o macio na volta 11, depois para o aplicativo novamente na volta 40. Sua estratégia para ganhar _him_ permitiu mesmo que ele começou a partir de terceiro da grelha.
Diferença de desempenho esperado entre les dois compostos: 0,7-0,9 segundos por volta.
A equipe Pirelli escolher seus números de competição: # 9, Luigi de Candia (Tecnologia da Informação)
"Eu não acho que tenho muito em comum com Marcus Ericsson, eu ainda escolher o número de ordem 9. É o número que eu jogava futebol com Quando eu era mais jovem, e eu sempre gostei desde então."
Quem estamos seguindo no Twitter esta semana: ayrtonsenna. O tricampeão tem-se ido há mais de 20 anos - mas ele ainda tem o ano oficial conta no Twitter. Bem como notícias sobre a Fundação Ayrton Senna, este é um recurso on-line notável para vídeos e fotografias Senna: muitos dos qui são extremamente raros.
As escolhas de pneus até agora este ano:
 P Zero Amarelo Vermelho P Zero P Zero Branco Laranja P Zero
Austrália Suave Médio
Malásia Médio Difícil
China Suave Médio
Bahrain Suave Médio
Espanha Médio Difícil
Monaco Supersoft Macio
Canadá Supersoft Macio
Áustria Supersoft Macio

 

GALERIA DE IMAGENS

GALERIA DE IMAGENS

 

GRANDE PRÉMIO DO CANADÁ

 

Grupo de imagens referentes ao Grande Prémio do Canadá, onde uma vez mais os Mercedes de Hamilton e Rosberg dominaram a seu belo prazer.....fo52 Copyfo53 Copyfo54 Copyfo55 Copyfo56 Copyfo57 Copyfo58 Copyfo59 Copyfo60 Copyfo61 Copyfo62 Copyfo63 Copyfo64 Copyfo65 Copyfo66 Copyfo67 Copyfo68 Copyfo69 Copyfo70 Copyfo71 Copyfo72 Copyfo73 Copyfo74 Copyfo75 Copyfo76 Copyfo77 Copyfo78 Copyfo79 Copyfo80 Copyfo81 Copyfo82 Copyfo83 Copyfo84 Copyfo85 Copyfo86 Copyfo87 Copyfo88 Copyfo89 Copyfo90 Copyfo91 Copyfo92 Copyfo93 Copyfo94 Copyfo95 Copyfo96 Copyfo97 Copyfo98 Copyfo99 Copyfo100 Copyfo101 Copyfo102 Copyfo103 Copyfo104 Copyfo105 Copyfo106 Copyfo107 Copyfo108 Copyfo109 Copyfo115 Copyfo114 Copyfo113 Copyfo112 Copyfo112 Copyfo111 Copyfo110 Copyfo109 Copyfo108 Copyfo107 Copyfo106 Copy

 

HAMILTON VENCEU NO CANADÁ

 

Lewis Hamilton vence Grande Prémio do Canadá

 

•           Lewis Hamilton conquistou ontem a sua quarta vitória esta temporada no Circuito Gilles Villeneuve;

•           O piloto britânico partiu da Pole Position, seguido de Nico Rosberg, para vencer esta disputada prova e reforçar a sua posição na liderança do mundial de pilotos;

•           Nico Rosberg terminou na segunda posição completando assim pela quarta vez esta temporada a “dobradinha” de 1º e 2º lugar para a equipa dos Silver Arrows;

•           Lewis Hamilton lidera assim o Mundial de Pilotos com uma vantagem de 17 pontos sobre Nico Rosberg e a equipa MERCEDES AMG PETRONAS lidera o Mundial de Construtores por 105 pontos.

 

Pilotos

Chassis No.

Grelha

Resultado

Volta + rápida

Lewis Hamilton

F1 W06 Hybrid/05

P01

P01

1:17.472

Nico Rosberg

F1 W06 Hybrid/04

P02

P02

1:17.637

 GP Canada_Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2015 Canadian Grand Prix - Race
DEMANDAS DE PNEUS MUITO BAIXO DE MONTREAL circuito que SIGNIFICA 30 voltas
OU MAIS SÃO POSSÍVEIS NO NOVO SUPERSOFT COMPOSTO
Entre os três FINISHERS usar a mesma estratégia de uma parada: DIFERENTE
ESTRATÉGIAS, incluindo dois-rolhas, na parte inferior da CAMPO
Vettel MASSA E USO ESTRATÉGIA PARA terminar nos pontos
Apesar de iniciar a RACE FAR fora de posição
Desgaste do pneu e degradação foram extremamente baixas no Circuito Gilles Villeneuve, no Canadá Ativando uma estratégia de uma paragem para o majorité de concurrents e corridas longas em ambos os novos compostos macios e supermacios. A diferença de desempenho entre les foi menos de dois compostos foi o segundo, o que significa que uma série de estratégias --outros fosse possível aussi.
Mercedes motorista Lewis Hamilton venceu a corrida desde a pole à frente de seu companheiro de equipe filho Nico Rosberg, Reivindicando sua vitória carreira 37 para estender sua liderança no campeonato de pilotos com 17 pontos. Os finalistas do pódio - Hamilton, Rosberg e Bottas - tudo começou a corrida com o pneu supermacio, parando Dentro do período de três a cada um dos outros alterações no supermacio.
Piloto da Ferrari Kimi Raikkonen, quarto, foi o piloto mais alto colocados para usar uma estratégia de duas paradas, eo único piloto a usar o pneu macio no meio stint: começando e terminando a corrida na supersoft, qui habilitado _him_ para marcar alguns tempos por volta muito impressionante.
Um número de motoristas começou o grande prêmio em posições anormalmente baixos grade, Incluindo, da Ferrari, Sebastian Vettel e Williams motorista Felipe Massa. Eles usaram incomuns Ambas as estratégias para aumentar suas posições e terminar nos pontos. Foi o primeiro a Vettel pit, correndo o majorité da corrida com o pneu macio.
Massa foi um dos únicos cinco motoristas para começar a corrida com o pneu macio, Peças longo primeiro stint para passar de filho mais concurrents Enquanto Eles pitted, seguida correndo para o acabamento do pneu supermacio mais rápido. Seu companheiro de equipe Valtteri Bottas, se tornou o primeiro não-ouro Ferrari Mercedes motorista para terminar no pódio este ano.
Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli: "Como esperávamos, Dadas as características específicas deste circuito, o desgaste dos pneus e da degradação foi extremamente baixa em ambos os compostos de hoje, com um produto extremamente estável. Isso pode levar a algumas críticas, como o objetivo é se ter mais de um pit stop por corrida. Com apenas quatro especificações de pneus disponíveis, às vezes ele faz dificuldade para fornecer a escolha perfeita para cada situação Torne-se. Apesar disso, Quem fez vemos Alguns pensamento diferente sobre a estratégia de muitas das equipes. Em particular, os controladores começaram further Quem eram fiáveis ​​para baixo a fim de aumentar as suas perspectivas, fazendo algo diferente para direcionar seus rivais. "
Vezes mais rápido do dia pelo composto:
 Macio Supersoft Intermediate Wet
Primeira 1m17.105s EFP 1m16.987s RAI 0 0
Segundo 1m17.472s HAM 1m17.553s MAS 0 0
Terceiro ROS ROS 1m17.637s 1m17.970s 0 0
Longest stint da corrida:
 Pastor Maldonado macio (53 voltas)
 Supersoft Felipe Massa (33 voltas)
Truth-O-Meter
Dissemos que uma ampla variedade de estratégias foram possível antes desta corrida, o objetivo de uma paragem era mais provável. Este acabou por ser o caso, com os drivers indo no supersoft ligeiramente ao longo do que o esperado nas condições legais. O inglês começou em supersoft e mudou a suave na volta 32.

 

Google Tradutorfo52 Copyfo53 Copyfo53 Copyfo54 Copyfo55 Copyfo55 Copyfo56 Copyfo57 Copyfo58 Copyfo59 Copyfo60 Copyfo61 Copyfo61 Copyfo62 Copyfo63 Copyfo64 Copyfo65 Copyfo66 Copyfo67 Copyfo68 Copyfo69 Copyfo70 Copyfo71 Copyfo72 Copyfo73 Copyfo74 Copyfo75 Copy

 

TUDO NA MESMA NA F 1

TUDO NA MESMA NA FÓRMULA 1 

 

GRANDE PRÉMIO DO CANADÁ

 

A DUPLA DO COISTUME....NO PÓDIO

 

Uma vez mais um Grande Prémio sem grande história, na qual na sessão de treinos, os melhores tempos, foram para não deixar de variar para os Mercedes de Hamilton e Rosberg, tendo nas linhas logo atrás de si o Ferrari de Raikonen e o Williams de Bottas.Depois na linha seguinte os dois Lotus de Grosjean e Maldona.

 

Sobre a corrida...a mesma seca de sempre, desta feita sem desviuos de estratégia, e os Mercedes cortaram a linh de chegada nas duas primeiras posições com Hamilton na frente, seguido por Rosberg, ficando o pódio completo com o Williams de Bottas.

 

DEpois na 4, e 5ª posição ficoaram os Ferrari de Raikonen e Vettel, que por sua vez tiveram atrás de si, o Williams de Massa.

 

Nas posições seguintes ficaram o Lotus de Maldonado, seguido pelo Force India de Hulkenberg, o Red Bull Renault de Kvyat, e o Lotus de Grosjen.FO22 CopyFO23 CopyFO24 CopyFO25 CopyFO26 CopyFO27 CopyFO28 CopyFO29 CopyFO30 Copyfo31 Copyfo32 Copyfo33 Copyfo34 Copyfo35 Copyfo36 Copyfo37 Copyfo38 Copyfo39 Copyfo40 Copyfo41 Copyfo42 Copyfo43 Copyfo44 Copyfo45 Copyfo46 Copyfo47 Copyfo49 Copyfo48 Copyfo50 Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2015 Canadian Grand Prix - Qualifying
PNEUS P ZERO RED Supersoft forte desempenho em temperado
CONDIÇÕES antes de executar POUCO APESAR DE QUALIFICAÇÃO
UMA GRANDE VARIEDADE DE POSSÍVEIS ESTRATÉGIAS PARA A CORRIDA:
 Menos de um segundo entre os dois compostos
Pilotos da Mercedes usar menos um conjunto de PNEUS SUPERSOFT
JUNTAMENTE COM O WILLIAMS DE Bottas


 o piloto da Mercedes Lewis Hamilton, levando número de corrida 44, criou a carreira 44 pole position de filho em Montreal, usando P Zero Red pneu supermacio da Pirelli - assim como ele fez Sobre em Mônaco. Seu companheiro de equipe Nico Rosberg Mercedes completou um monopólio da primeira fila.
As equipes Quem fez não-têm muito oportunidade para se acostumar com o desempenho do supermacio, com FP2 de ontem interrompida pela chuva, e FP3 esta manhã atrasada com bandeiras vermelhas. Como resultado, uma série de incógnitas Eram como as equipes chefiadas em qualificação, com a Lotus de Romain Grosjean mais rápido no Q1 emergente, usando os pneus supermacios.
Apesar de não haver chuva de hoje, a temperatura permaneceu na área de clima temperado de 35 graus centígrados na pista. Esta discrepância Entre le condição de pista visto ontem e esta manhã fez que é difícil de compreender plenamente degradação dos pneus. Com temperaturas mais quentes esperado amanhã, este padrão muda Poderia a compreensão para as estratégias previstas para a corrida.
Os dois pilotos da Mercedes, bem como a Ferrari de Kimi Raikkonen e Williams de Bottas foram os únicos motoristas para obter através Q1 usando apenas os pneus macios. Para o resto da fase de qualificação, os motoristas só usou o supermacio.
Tal é o ritmo do carro e dos pneus desenvolvimento Esse tempo do ano passado pole position já foi batido nos minutos iniciais do Q2 por ambos Hamilton e Rosberg. A final top 10 atirar para fora novamente no Q3 foi para baixo a uma batalha entre les dois pilotos da Mercedes, com Hamilton Diminuir o valor de referência ainda mais longe, à direita no final da sessão. A chuva de ontem foi significada que le faixa lavado de superfície de borracha tornando-o escorregadio no início do dia e Entregar os tempos mais rápidos no final de cada sessão.
Em FP3, qui foi interrompido por dois bandeira vermelha esta manhã Períodos, Rosberg Fui mais rápido nos pneus supermacios, estabelecendo um tempo de 1m15.660s.
Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli: "Como de costume, Canadá ano Fornecido sessão de qualificação imprevisível Chamada completamente Mesmo com o tempo seco. As equipes cam em qualificação não ter tido tanto em execução no supersoft como teriam gostado, qui claramente afetou suas preparações. We-ter uma diferença de desempenho menor entre les de dois compostos que vemos em corridas mais, em torno de 0,8 segundo, e isso abre mais possibilidades verdade para a estratégia, pois há uma série de maneiras diferentes de abordar a corrida sem o risco de perda de tempo muito. Desgaste e degradação é baixa, para uma estratégia de uma parada é possível, a estratégia de meta dois-stop é provável também. "
O preditor estratégia Pirelli:
As nomeações de pneus e de requisitos de área no Canadá significa uma variedade de estratégias diferentes que são possíveis. No entanto, uma estratégia de uma parada parece mais provável no final da qualificação, apesar de duas paradas viável também. Uma estratégia de duas paradas para a corrida de 70 voltas é provável que seja: supersoft iniciá-lo, alterá-lo novamente para o colo supersoft 15, seguida do colo macio 40. Uma série de variações sobre este tema são aussi possível, incluindo a execução do aplicativo em o stint meio.
Compostos mais rápidos FP3:
1 Rosberg 1m15.660s novo Supersoft
2 Raikkonen 1m16.233s novo Supersoft
3 New Soft Grosjean 1m16.722s
Top 10 utilização de pneus:
 Hamilton 1m14.393s novo Supersoft
 Rosberg 1m14.702s novo Supersoft
 Raikkonen 1m15.014s novo Supersoft
 Bottas 1m15.102s novo Supersoft
 Grosjean 1m15.194s novo Supersoft
 Maldonado 1m15.329s novo Supersoft
 Hulkenberg 1m15.614s novo Supersoft
 Kvyat 1m16.079s novo Supersoft
 Ricciardo 1m16.114s novo Supersoft
 Perez 1m16.338s novo Supersoft

 

Google Tradutorfo11 Copyfo12 Copyfo13 Copyfo14 Copyfo15 CopyFO16 CopyFO17 CopyFO18 CopyFO19 CopyFO20 CopyFO21 Copy

 

 

DI GRASSI COM PROBLEMAS EM MOSCOVO

Fórmula E: Temperatura de bateria impede Di Grassi de lutar pela vitória em Moscou

Antepenúltima corrida da temporada da Fórmula E foi disputada neste sábado e o piloto da Audi Sport ABT tirou boa diferença para o líder, mas um problema técnico o impediu de ir além. Assim, o brasileiro terminou em segundo lugar e subiu uma posição no campeonato

O risco de não marcar nenhum ponto mais uma vez assombrou Lucas di Grassi, desta vez durante o e-Prix de Moscou, antepenúltima corrida da temporada da Fórmula E. A temperatura excessivamente alta da bateria de seu carro nas quatro voltas finais impediu que o brasileiro partisse para um ataque ao líder na busca pela vitória, e teve de se conformar com o segundo lugar.

O piloto da Audi Sport ABT se classificou em terceiro para a largada e passou a primeira metade da corrida pressionando o Andretti do francês Jean-Eric Vergne. Com raros pontos de ultrapassagem no circuito de 13 curvas montado na Praça Vermelha, a estratégia de Lucas passou ser a de contar com uma parada eficiente para sair à frente. E foi o que aconteceu.

"Moscou é um lugar fantástico para correr, mas a única coisa que este traçado precisa é de um bom ponto de ultrapassagem", apontou. "No momento ela está um pouco como Mônaco, onde é difícil de passar mesmo se você está alguns décimos mais rápido que o carro da frente. Talvez uma chicane mais longa ou um hairpin diferente resolvam", sugeriu. "Tanto nesta corrida como na passada as provas foram vencidas na pista pelo piloto que largou em segundo, e fazendo a ultrapassagem no pole-position logo nos momentos iniciais", comparou.

Quando as posições na pista se restabeleceram após a rodada de pit stops, Lucas tinha uma desvantagem de seis segundos para o líder e passou a imprimir um ritmo forte tirando a diferença, que chegou a 1,6 segundo. Nas voltas finais, no entanto, a temperatura da bateria de seu carro o impediu de tentar o ataque - ao ponto de o brasileiro sequer ter usado o FanBoost, artifício que entrega cerca de 50 cavalos extras de potência por cinco segundos, e que é concedido aos três pilotos mais votados no site da categoria.

"Ganhei quase cinco segundos em cima do líder, nossa estratégia funcionou muito bem e eu tinha uma volta extra em termos de energia disponível, mas daí a bateria começou a esquentar demais, o que é estranho porque eu nem estava forçando tanto - e no final não pude atacar", estranhou. "A temperatura da bateria começou a ficar muito alta no final. Eu tinha bastante energia, mas este carro tem algum problema no gerenciamento da temperatura, e não se pode fazer nada quando ela sobe demais. Era o que eu tinha em mãos; a diferença era de um segundo e eu tinha mais energia do que o Nelson nas últimas três voltas, mas eu não pude usar o FanBoost porque a temperatura iria subir mais ainda e aí haveria risco em colocar tudo a perder. Mas eu adoraria poder ter atacado", explicou Di Grassi.

De qualquer forma, o segundo lugar traz um quê de alívio para o brasileiro, que venceu a etapa anterior em Berlim e foi desclassificado posteriormente em razão de um reparo na asa dianteira que sequer trouxe ganhos em performance.

"Para quem estava em dúvida se tivemos alguma vantagem em Berlim, isso mostra que tivemos um carro rápido aqui também e que a punição foi pesada demais para um item que sequer dava vantagem em desempenho. O final de semana em Londres vai ser bem interessante. Um erro pode custar 15, 20 ou até 25 pontos. O clima é bem imprevisível, então este também é um fator. Para mim, o campeonato ainda está em aberto. Temos de dar o máximo", concluiu.

A finalíssima da temporada inaugural da Fórmula E acontece nos dias 27 e 28 deste mês em um circuito montado no Battersea Park, em Londres, em sistema de rodada dupla. Com 60 pontos em jogo, Lucas di Grassi aparece em terceiro na tabela a 17 do líder e a cinco do vice-líder da competição. "Ainda são muitos pontos em jogo e não vamos desistir nem por um momento. A disputa pelo título só termina depois da bandeirada da última corrida, e até lá vamos dar tudo de nós", falou.

Já nesta semana, no entanto, o foco de Lucas torna-se totalmente à disputa das 24 Horas de Le Mans, prova que começa no dia 13 e termina no dia 14. Lucas corre pela Audi Sport dividindo o Audi R18 e-tron quattro com o francês Loïc Duval e o britânico Oliver Jarvis na categoria LMP1 do Mundial de Endurance. Será a terceira participação do brasileiro na tradicional prova, na qual ele já conquistou dois pódios (um terceiro e um segundo lugar).

Resultado do e-Prix de Moscou (top-10):
1-) Nelson Piquet Jr (BRA) - China Racing - 35 voltas em 43min18s867
2-) Lucas di Grassi (BRA) - Audi Sport ABT - a 2s012
3-) Nick Heidfeld (ALE) - Venturi - a 11s548
4-) Jean-Eric Vergne (FRA) - Andretti - a 12s416
5-) Daniel Abt (ALE) - Audi Sport ABT - a 25s626
6-) Salvador Duran (MEX) - Amlin Aguri - a 28s960
7-) Antonio Félix da Costa (POR) - Amlin Aguri - a 30s529
8-) Nicolas Prost (FRA) - e.dams-Renault - a 31s556
9-) Sébastien Buemi (SUI) - e.dams-Renault - a 11s050*
10-) Justin Wilson (GBR) - Andretti - a 46s320
*Punido com a adição de 29 segundos em seu tempo de prova por liberação insegura do pit stop

Classificação do Campeonato (top-5):
1-) Nelson Piquet Jr - 128 pontos
2-) Lucas di Grassi - 111
3-) Sébastien Buemi - 105
4-) Nicolas Prost - 82
5-) Jerôme D’Ambrosio - 77





Audi Sport ABT
Clique na imagem para fazer o Donwload...
L.Di Grassi escrito em russo
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Di Grassi foi um dos mais votados e recebeu o FanBoost
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Brasileiro imprimiu um ritmo forte durante a segunda metade da corrida
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Mas superaquecimento da bateria o impediu de lutar pela vitória
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
No final, o segundo lugar lhe colocou na vice-liderança do campeonato
Alta | Web

Audi Sport ABT
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Di Grassi é o piloto que mais vezes subiu ao pódio na temporada
Alta | Web

Audi Sport ABT
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Final em Londres terá duas corridas em 60 pontos em jogo
Alta | Web

 

 

MAHINDRA NA FORMULA E EM MOSCOVO

 

Outing difícil para Mahindra em Moscou
 
6 de junho de Moscovo Rússia. Na sombra da espetacular Fórmula Praça Vermelha Mahindra Racing Moscow E Karun Chandhok do time e Bruno Senna, mais uma vez tem que enfrentar um novo sistema de rua do FIA Formula E Campeonato Mudou-se para a Rússia. Competindo bem no coração da cidade, a rua Jogou-se múltiplos desafios do sistema para o campo inteiro como eles manobraram seu caminho através das curvas apertadas ao redor da pista complicado e acidentado.
 
Obtendo-se para o carro esta manhã para a primeira sessão de treinos livres, ficou claro que eram ambos os motoristas que apreciam os desafios neste fim de semana estavam achando a pista e divertido de conduzir. Saindo da parte de trás de uma sessão de abertura foi forte Senna em terceiro na classificação geral com Karun em 11º enquanto olhavam para destacar suas intenções para o dia.
 
A segunda sessão de prática deu aos motoristas a oportunidade de trabalhar em seu ritmo de corrida Com Seus engenheiros - usando o tempo com sabedoria eles se concentraram cet em vez de definir um tempo de volta voando - no entanto Chandhok ainda estava olhando bom em sétimo da geral. Apenas uma hora mais tarde e Chandhok e Senna Ambos estavam em sua volta Mahindra Corrida Machines Como Eles alinharam para a qualificação de todos os significativa; Correndo no grupo final da sessão de definir um tempo de Senna Que veria o início _him_ Moscou ePrix 15 no grid com apenas Paralelamente _him_ Chandhok em 16º.
 
Como as luzes se apagaram no final da tarde a grade inteira sobreviveu à primeira curva ea primeira volta Em última análise sem incidentes Permitir em fazer o seu caminho através das impressionantes ruas de Moscou com facilidade. Ambos os pilotos Mahindra Corrida de seus cargos no próximo período com Senna poucos começando a colocar a pressão sobre à frente de Antonio Garcia _him_.
 
No entanto, se aproximando do ponto médio da corrida Senna, que estava olhando para ganhar assentos na corrida, girou enquanto ele saía virar um; um movimento qui sentir Sua traseira para forçar as barreiras _him_ para fazer o seu caminho de volta para o pit lane com sua asa traseira faltando. Apesar disso, ele perdeu pouco tempo voltar à pista para o estacionamento e foi ble para mover-se para sua segunda porque não muito à frente de filho Prever parada. Chandhok na cam na mão --outros um pouco mais tarde do que o seu companheiro de equipa e foi ble para re-saída em 16thposition Após sua parada.
 
Apenas alguns períodos mais tarde ritmo de Chandhok e economia de energia tornou-se aparente que ele estava com sua ble para continuar tempos fortes e logo foi o suficiente para a 13ª posição com Loic Duval definir frente Quem ele tinha em sua mira.
 
NO ENTANTO Seria fortunas dar um mergulho further por Senna no período final Poucos Quando ele foi entregue através de uma unidade penalidade por excesso de velocidade ao longo no pit lane; chegando no pit lane na volta seguinte o brasileiro tinha acabado de um período poucos remanescentes em qui para empurrar para a bandeira. Ele foi ble para se recuperar de sua corrida complicada para tomar posição global 16. Enquanto isso Chandhok continuava a correr bem e aos Seus alvos recebeu a bandeirada em 13º lugar.
 
Falando sobre o resultado Chandhok disse: 'O dia começou muito bem para nós e nos treinos livres 2 Especialmente Fiquei muito feliz com a forma como o carro estava - era agradável de conduzir. No entanto, em se qualificar como a pista tinha mais borracha para baixo, parecia lutar e outros encontraram mais ritmo do que nós Quem fez. A faixa foi complicado e nós ao fundo do poço, para que sobre não-tem o ritmo na qualificação e é eliminatória, onde tudo importa. O ritmo de corrida foi boa meta de lá, há muito pouco que você pode realizar alcançar. Nós-have Avaliações outro par de corridas em Londres para olhar para frente onde pretendemos melhorar. "
 
Senna acrescentou: "Começamos na parte de trás e estávamos bom para ritmo meta há um monte de outros ao seu redor fait that área. Nós decidimos ir por um longo primeiro stint eo segundo foi curto-circuito qui estava trabalhando muito bem para nós com um gol Infelizmente poucos span para ir no stint eu bati na parede. Essas coisas acontecem e eu tive que ir aos boxes antes do previsto. Isso comprometeu a minha segunda passagem ea corrida tinha ido embora de lá realmente. Algumas medidas positivas que fizemos neste fim de semana e olhar para continuar esta para as duas últimas corridas. "
 
Team Principal Dilbagh Gill disse: "Foi uma vergonha para vir longe da corrida sem qualquer Considerando Esse ponto esta manhã nos sentimos confiantes e foram satisfeitos com o nosso ritmo. Nós estávamos fora do ritmo na qualificação e com circuitos de rua todos nós sabemos o quão grande são as suas vagas para qualificação. Nós ganhou algumas posições e Chandhok estava em seu forte efeito acabamento 13º lugar não foi o fim de semana Nós esperávamos aqui em Moscou. "

 

Google Tradutor

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2015 Canadian Grand Prix - sessões de treinos
SEGUNDA SESSÃO LIVRE PRÁTICA interrompido por chuva forte,
FUNCIONAMENTO EM LIMITAR SUPERSOFT NOVO PNEU
LEWIS HAMILTON MAIS RÁPIDO NO VERMELHO P ZERO SUPERSOFT,
Batendo o seu REFERÊNCIA DA SESSÃO MESMO ANO PASSADO
Tempo instável ainda é possível para o resto do fim de semana:
Diferentes estratégias muitos esperavam


 Pelo segundo grande custo de funcionamento, a segunda sessão de treinos livres na sexta-feira foi interrompida por uma chuva pesada - como foi o caso em Mônaco há duas semanas.
Como resultado, as equipes tiveram funcionamento limitado sobre o novo para 2015 P Zero Red pneu supermacio - Nomeado em conjunto com o composto macio Amarelo neste fim de semana - qui fez itos começando no Grande Prêmio de Mônaco. Antes da cam chuva, bem na hora e meia sessão FP2, confiável foram alguns motoristas para experimentar este novo pneu - Com Algumas equipes explorando a possibilidade de apenas uma estratégia de uma parada no domingo.
No entanto, para se ter alguns dados mais precisos, a terceira sessão de treinos livres na manhã de sábado mais uma vez tornaram-se cruciais, como equipes finalizar Suas estratégias Onde nós controlar o desgaste dos pneus e da degradação é tradicionalmente muito baixo. As previsões meteorológicas sugerem que as circunstâncias secas estão longe de ser garantida, o que significa que as equipas vão-tem que pensar em seus pés quando se trata de táticas.
Mercedes motorista Lewis Hamilton o mais rápido na FP2 Fui antes que a chuva chegou, estabelecendo um valor de referência de 1m15.988s no pneu supermacio: mais rápido do que o tempo equivalente top ele colocou em FP2 do ano passado em Montreal. Hamilton mais rápido em FP1 foi aussi sobre o pneu macio esta manhã: em torno de um segundo mais rápido que o tempo mais rápido FP1 no ano passado.
Paul Hembery: "O tempo viu Abebooks web Hoje era uma reminiscência do Grande Prêmio do Canadá de 2011, onde a chuva torrencial fez para uma corrida muito divertida, ganhou por Jenson Button na parte de trás. Obviamente, ainda é cedo no fim de semana as equipes têm-meta de estar preparado para qualquer condições potenciais. A terceira sessão de treinos livres de amanhã será particularmente importante, pois isso só agora Representa a oportunidade potencial para reunir dados sólidos de longo prazo sobre o novo pneu supermacio 2015, qui deverias estar bem adaptado às exigências do circuito de Montreal do pneu. Dependendo das condições de corrida sccm possível um certo número de estratégias. No entanto, só vai ter uma imagem mais clara Depois FP3 amanhã. É uma vergonha Que la fãs sobre não ver muito em execução hoje, Canadá sempre visar Produz um fim de semana emocionante corrida. - Isso que estamos seguros Mesmo a forte chuva aqui hoje não vai diminuir o entusiasmo de ninguém "
FP1: FP2:
 1.Hamilton 1m16.212s 1m15.988s Supersoft macio 1.Hamilton novo novo
 2.Rosberg 1m16.627s 1m16.304s Supersoft macio 2.Vettel novo novo
 Suaves 3.Grosjean 1m17.721s 1m16.310s usado 3.Raikkonen novo Supersoft
Estatísticas de pneus do dia:
 Supersoft macio Intermediate Wet
km impulsionado * 1020 3222 8 0
conjuntos utilizado geral ** 20 58 2 0
Maior número de período ** 20 de janeiro 31 0
* O número acima dão a quantidade total de quilómetros percorridos no FP1 e FP2 hoje, todos os drivers combinados.
** Por composto, todos os drivers combinado.
Pirelli fato do dia:
Montreal tem a menor pit stop perda de tempo do ano, com os carros perdendo apenas 17 segundos do início ao fim do pit lane. Isso pode estimular os motoristas a optar por uma estratégia Alguns 'corrida' com um elevado número de pit stops, especialmente se o carro é rápido de qualquer maneira. A alta probabilidade de um carro de segurança significa agrupamento que uma estratégia flexível pode ganhar a corrida Muitas vezes, tornando a tarefa de formular a estratégia ainda mais complexo para os engenheiros.

 

Google Trsdutorfo1 Copyfo2 Copyfo3 Copyfo4 Copyfo5 Copyfo6 Copyfo7 Copyfo8 Copyfo9 Copyfo10 Copy

 

DI GRASSI NA FÓRMULA E

Redes sociais viram "armas" dos pilotos da Fórmula E

Interação com os fãs por meio das diversas plataformas pode render alguns cavalos a mais de potência nas corridas da categoria

O e-Prix de Moscou, nona etapa da Fórmula E, acontece neste sábado (6) com largada às 10 horas (de Brasília) com transmissão ao vivo pelos canais Fox Sports. Diante do belo cenário do circuito anti-horário de 13 curvas localizado ao lado da Praça Vermelha e do Kremlin, a disputa pelo título se desenha entre três pilotos a três corridas do final - a etapa de Londres, em 27 e 28 de junho, terá duas corridas.

E uma das armas dos pilotos é o FanBoost, uma novidade implantada pela categoria em que os três pilotos mais votados pelo público na internet ganham uma potência extra de 40 cavalos por cinco segundos em cada carro durante a prova. A importância do artifício já foi sacramentada por pilotos e chefes de equipe, com alguns competidores fazendo bom uso do FanBoost seja para uma ultrapassagem ou para anotar a volta mais rápida da corrida - o que confere dois pontos extras no campeonato.

Os votos são computados no site oficial da categoria pelo FanBoost Formula E ou também pelo aplicativo da F-E, disponível grátis em todas as plataformas.

O engajamento dos pilotos nas redes sociais proporcionam uma maior aproximação com os fãs, e isso pode se transformar em mais votos para a corrida. "É uma corrida à parte, essa pela preferência dos fãs. Na primeira corrida, na China, onde venci, eu tinha o FanBoost, mas não usei porque estava sem informações no painel do carro e não sabia o quanto aquilo iria comprometer a quantidade de energia que eu ainda tinha disponível", lembrou Lucas di Grassi.

"Acho uma ferramenta muito legal; a Fórmula E acertou em cheio nisso porque promove uma maior interação dos fãs com os pilotos e a categoria", disse o piloto da Audi Sport ABT, terceiro colocado no campeonato com 93 pontos - a dez do líder.

Lucas é um dos pilotos mais ativos nas redes sociais. Com quase cinco milhões de visualizações em seu canal oficial do YouTube, Di Grassi tem 150 mil seguidores no Twitter, 55 mil no Instagram e 25 mil em sua página oficial no Facebook.

"É uma ferramenta muito importante para ganharmos um desempenho extra na corrida, e o mais legal foi que isso trouxe mais interação com os fãs. Foi uma descoberta e estou aproveitando muito", disse. O pessoal está levando bem a sério, pedindo votos em entrevistas e tudo mais", afirmou.

O e-Prix de Moscou tem largada às 10 horas de Brasília e transmissão ao vivo pelo Fox Sports. Lucas aparece em segundo lugar na votação, que fica aberta até a manhã do sábado (6). Os três vencedores são anunciados minutos antes da largada.

Vote em Lucas di Grassi no FANBOOST da Fórmula E:FanBoost Formula E

Curta Lucas di Grassi no Facebook: Lucas di Grassi Official

Siga Lucas di Grassi no Twitter: @lucasdigrassi

E também no Instagram: @lucasdigrassi

Conheça a categoria em: www.fiaformulae.com



Divulgação
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Como votar em Di Grassi no FanBoost da Fórmula E
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Votação confere potência extra aos pilotos na corrida
Alta | Web

Audi Sport ABT
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Lucas (esq) e seu companheiro de equipe Daniel Abt em Moscou
Alta | Web

 

DI GRASSI NA FÓRMULA E

De caça a caçador: Di Grassi concentrado na busca do título da Fórmula E

Apos desclassificação por um conserto mal feito na asa dianteira em Berlim, Lucas tem que recuperar pontos

Faltam três corridas para que se decida o primeiro campeão da história da Fórmula E, categoria de carros movidos 100% a eletricidade criada pela FIA (Federação Internacional do Automóvel). E no próximo sábado (6) a temporada inaugural da série vai para a primeira das últimas três corridas com o e-Prix de Moscou. É a última prova antes da grande final em Londres, nos dias 27 e 28 de junho, que será realizada em sistema de rodada dupla.

Lucas di Grassi e a Audi Sport ABT querem retomar na Rússia a disputa pelo título depois que o brasileiro teve sua vitória cassada após grande desempenho no e-Prix de Berlim há duas semanas. Com cinco pódios em oito corridas - mais do que qualquer outro piloto do grid, o paulistano de 30 anos tem deixado sua marca. A corrida mais recente, na Alemanha, pareceu ter produzido uma final antecipada na briga pelo título quando Lucas dominou e venceu a prova. Horas após o estouro do champanhe no pódio ele teve o resultado excluído pela FIA porque, na opinião dos comissários técnicos, uma parte da asa dianteira que havia recebido um reforço após uma quebra não estava 100% em conformidade com o regulamento.

"Para mim este caso está encerrado. Estou completamente concentrado, e nada mais, no próximo sábado em Moscou", fala Di Grassi. Na Rússia o brasileiro quer se colocar na melhor posição possível para o final de semana definitivo em Londres, que terá duas corridas. "Passei um bom tempo no simulador e me preparando intensivamente para a pista. O circuito de Moscou traz uma combinação desafiadora de trechos rápidos e hairpins estreitos, e acho que tanto nós pilotos como o público nas arquibancadas irão se divertir", disse.

De fato, o público moscovita pode esperar por um circuito e uma corrida de tirar o fôlego. O traçado passa diretamente pela Praça Vermelha e pelo Kremlin, bem no coração da capital russa. Na que vai ser a nona de um total de 11 corridas, os três primeiros colocados no campeonato estão separados por nada menos do que dez pontos, e no papel de caçador está Lucas di Grassi.

"A exclusão em Berlim, na nossa corrida em casa, foi um golpe duro para todos na equipe, especialmente porque Lucas foi privado da recompensa por seu fantástico desempenho pela decisão dos comissários", lembrou Hans-Jürgen Abt, chefe da equipe. "Aprendemos uma lição deste incidente e agora estamos indo para a Rússia com uma preparação ainda mais meticulosa. O grande encorajamento por parte de nossos fãs, que recebemos via e-mails e pelas redes sociais, nos dá uma motivação adicional. Estaremos mais fortes e vamos ao ataque", prometeu.

O e-Prix de Moscou tem largada às 10 horas de Brasília e transmissão ao vivo pelo Fox Sports.

Vote em Lucas di Grassi no FANBOOST da Fórmula E:FanBoost Formula E

Curta Lucas di Grassi no Facebook: Lucas di Grassi Official

Siga Lucas di Grassi no Twitter: @lucasdigrassi

E também no Instagram: @lucasdigrassi

Conheça a categoria em: www.fiaformulae.com



Audi Sport ABT
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Lucas di Grassi agora no papel de caçador: a dez pontos da liderança
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
e-Prix de Moscou é a antepenúltima corrida do campeonato
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Etapa é decisiva na disputa pelo primeiro título da história da categoria
Alta | Web

 

MAHINDRA NA FÓRMULA E

 

Moscou ePrix New Ventures para as marcas de Corrida Mahindra
 
. A FIA de Fórmula E Championship está novamente pronto para fazer história como a série se preparou para a corrida na capital russa, Moscou. A nona rodada do campeonato vai ver motoristas Mahindra Corrida de Bruno Senna e Karun Chandhok enfrentar estradas russas como as corridas do campeonato em plena vista de Comentários alguns dos mais famosos marcos da cidade e em torno da Praça Vermelha.
 
A pista é esperado para vomitar desafios Algumas batalhas emocionantes para posições e como o 20-forte campo de motoristas de classe mundial batalha em torno da configuração completa com 2,39 km hairpins e 90 graus canto - tudo qui provavelmente vai abalar a ordem.
 
Constantemente vigiando-os no fundo de toda a ação de corrida neste fim de semana será a impressionante e imponente vista da Catedral de Kremlin e de São Basílio - Ambos qui Have Become hotspots turísticas. Os carros de Fórmula E irá transmitir ao redor da Praça Vermelha em frente do que é esperado para ser uma grande multidão como a capital Congratula-se de competência elétrico pela primeira vez.
 
Mahindra Racing irá estar à procura para fazer a maior parte da ação na Rússia e subir no campeonato como resultado.
 
Falando em antecipação do fim de semana Senna disse: "Estou animado com corrida em Moscou. É um lugar muito legal para ser e ela vai definitivamente ser incrível para correr no próximo ano e para historique significativa como a Praça Vermelha. Estou confiante que muitos fãs vão virar-se para assistir esta corrida. Eu só tenho beens para Sochi, na Rússia e foi um ótimo lugar, mas eu estou realmente ansioso para ver Moscou! "
 
Chandhok acrescentou: "Eu tenho boas lembranças de Moscovo - Eu fui lá em 2011 para um programa demonstrativo F1 eo comparecimento às urnas foi incrível. Os fãs eram favoráveis ​​e porque estamos competindo em praticamente o mesmo site como o demo eu espero que la mídia vai ser brilhante, bem como para a Fórmula E. Eu estive no simulador eo brackdrop com o Kremlin vai fazer para incrível visualização e corrida - Especialmente juntamente com alguns bons pontos de ultrapassagem e retas na pista. Em geral, nós sabemos que-ter um pouco de trabalho a fazer neste fim de semana para se recuperar de Berlim propósito agradecemos-tem uma redefinição agora e aproximar as três últimas corridas com a intenção de lutar Mais acima da grade. "

 

Google Tradutor

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

Grande canadense Prix Preview: Montreal, junho 4-7, 2015
SOFT e novamente para SUPERSOFT CANADÁ: OUTRO semi-permanente
FACILIDADE com ênfase na aderência mecânica
Aceleração e frenagem SÃO AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS:
MÉDIO insta a PNEUS, já que não existem curvas longas
MAIS DE UM PROVÁVEL pit stop, com maior Cargas longitudinais
DE MONACO, uma pista mais grave, e as oportunidades de usar a estratégia
Milão, 01 de junho de 2015 - O Canadá tem a mesma indicação de pneus como Monaco - macio e supermacio - mas um desafio completamente diferente. A pista é muito mais do que Exigir pneus para Mônaco, qui shoulds levam a um maior grau de desgaste e degradação. As maiores forças no trabalho são longitudinal (aceleração e frenagem) Em vez de lateral (curvas) - ea tese são factoring que influencia o desgaste e degradação no Canadá. A natureza da pista significa aussi agrupamento que há mais oportunidade de usar estratégia de pneus para ganhar posição na pista, com uma variedade de diferentes estratégias no mix do ano passado. Embora as exigências sobre os pneus Arent Especialmente elevado, devido a uma superfície de baixa aderência há grande Kerbs que alguns exigem uma estrutura de pneu duro eo sistema est aussi notoriamente difícil em freios. Tempo incerto é um fator muitas vezes na pista semi-permanente, acrescenta qui Comentários outro elemento de imprevisibilidade.
Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli: "Muitas vezes, Canadá acaba por ser uma das melhores corridas da temporada, com um conjunto de características faixa que Arent replicado em qualquer outro lugar ao longo do ano. Como resultado, muitas vezes, joga-se algumas surpresas e é aussi possível para ganhar de mais para baixo da grade, especialmente se você usar uma estratégia inteligente do pneu, ou se chover, ou se houver um carro de segurança: todos qui são muito viável em Montreal. Mais uma vez, tenho-os pneus macios e supermacio nomeados: o composto supermacio tem-se completamente redesenhado chamadas este ano para oferecer maior resistência ao graining e bolhas. Com o clima frio Abebooks web Muitas vezes vejo em Montreal, essa resistência à graining em particular, que é algo que deverias ser apreciado pelas equipes. Como tudo pode acontecer no Canadá, a melhor estratégia é sempre aquela que: tem um certo grau de flexibilidade, permitindo que as equipes de reagir à evolução das circunstâncias. Como vimos no Mónaco, a estratégia pode ser muito high stakes. "
Os maiores desafios para os pneus:
Geralmente aperto no Canadá é baixo: Especialmente no início do fim de semana Quando a pista é 'verde', porque a forma Olímpico vindo não é usado extensivamente durante o ano. A baixa aderência tendem a continuar na corrida: uma das principais razões por que tantos drivers-se familiarizaram-se com o "muro dos campeões 'infame - levando a incidentes que podem alertar Às vezes, um carro de segurança.
O ano Kerbs são fator significativo no Canadá como os carros bater 'em em cerca de 130kph, testando a estrutura do pneu. No entanto, durante testes de laboratório em Milão, Formula One pneus da Pirelli são acelerados a velocidades de até 450kph sua integridade para testar as condições em acima do limite de costume - com a estrutura que permanece intacta.
Ao contrário de Monaco, os carros tendem a correr baixo downforce em Montreal, a fim de maximizar sua velocidade máxima de mais de 300kph nas retas. Não há realmente longos cantos do Canadá: em vez disso, é tudo sobre a aceleração e travagem, com o desafio para os freios especialmente tendo Algumas equipes capturados no passado. Os motoristas devem aussi Tenha cuidado para evitar wheelspin, qui pode acelerar o desgaste dos pneus.
A estratégia do ano passado e como a corrida foi ganha: Uma variedade de uma e de duas paradas estratégias foram vistos na corrida do ano passado, qui Foi caractérisé por dois períodos de safety car. Daniel Ricciardo venceu a corrida para a Red Bull usando uma estratégia de duas paradas, assumindo a liderança com pneus mais frescos com dois períodos para ir. Os quatro top tudo parou duas vezes, com a mais alta colocado one-stop sendo de branco Force India Nico Hulkenberg em quinto, que começou na macio e completou uma temporada de 41 voltas antes de mudar para supermacio.
Diferença de desempenho esperado entre les dois compostos: 1,0-1,2 segundos por volta.
A equipe Pirelli escolher seus números de competição: # 84, Stella Narciso (assessoria de imprensa F1)
"Como um ávido leitor, eu escolheria 84: tal como em 1984 um dos meus livros favoritos por autor George Orwell. Como um bom napolitano, eu sou um grande crente em números de sorte: diga-me um número, e eu lhe direi o que realmente significa agrupamento ... "
Quem estamos Seguindo esta semana no Twitter: @ nigelmansell.'Il Leone 'foi-on Twitter por um tempo agora, e ele não segurar. Seu relato é melhor resumido por um filho de próprios posts recentes: "Eu sou uma voz independente e sempre falar como me sinto. Eu sou um fã de todos os esportes de uso aussi Acima de Tudo me orgulho como um desportista puro-sangue. "
As escolhas de pneus até agora este ano:
 P Zero Amarelo Vermelho P Zero P Zero Branco Laranja P Zero
Austrália Suave Médio
Malásia Médio Difícil
China Suave Médio
Bahrain Suave Médio
Espanha Médio Difícil
Monaco Supersoft Macio
Canadá Supersoft Macio

 

Google Tradutor

 

GALERIA DE IMAGENS - G.P.MÓNACO DE F 1

fo29 Copyfo30 Copyfo31 Copyfo32 Copyfo32 Copyfo33 Copyfo34 Copyfo35 Copyfo36 Copyfo37 Copyfo38 Copyfo39 Copyfo40 Copyfo41 Copyfo42 Copyfo43 Copyfo45 Copyfo46 Copyfo47 Copyfo48 Copyfo49 Copyfo50 Copyfo51 Copyfo52 Copyfo53 Copyfo54 Copyfo55 Copyfo56 Copyfo57 Copyfo58 Copyfo59 Copyfo60 Copyfo28 Copy

 
Mais artigos...

João Raposo

Telemóvel: +351 961 686 867
E-mail: jraposo-air@portugalmail.pt