In order to view this object you need Flash Player 9+ support!

Get Adobe Flash player
Joomla! Slideshow

VELO CAB2012


CHÁSSI MERCEDES JÁ RODOU

CHASSI MERCEDES JÁ RODOU EM INGLATERRA

 

O chássi Mercedes para 2015, já rodou em Inglaterra, onde a marca alemã, já começou a tirar algumas conclusões do nvo produtoi, conforme imagens anexas.MERCEDES1 CopyMERCEDES3 CopyMERCEDES21 Copy

 

PIRELLI EM NUMEROS

 

FORMULA ONE E PIRELLI: todos os números de 2014


Como Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli, explica: "A cada ano, temos tradicionalmente publicada todos os números que contam a história da nossa temporada de Fórmula Um. No ano passado, enfrentou o maior desafio que tínhamos vivido desde que entrou no esporte, graças a uma geração completamente nova de carros que contou com características muito diferentes de antes. No entanto, nos reunimos todas as nossas metas de ajudar a proporcionar corridas divertidas, muitas oportunidades de ultrapassagem, diversas opções de estratégia e uma média de duas paragens nas boxes por carro em cada Grande Prémio, apesar dos muitos fatores desconhecidos para todos. Pneus deste ano será evoluções dos 2.014 pneus, com apenas um pneu completamente novo: o supermacio, que tem uma construção traseiro fresco e composto. A gama 2015 do pneu será na pista de Jerez, em apenas alguns dias a partir de agora, mas enquanto isso, nós esperamos que você gosta de olhar para trás em 2014 temporada clássica de um ponto de vista dos pneus. "

 

Google Tradutor

 

AS IMAGENS DO NOVO FERRARI

AS IMAGENS DO NOVO FERRARI

 

Eis as imagens doi novo Ferrari que irá disputar o Mujnidal de Fórmula 1 deste ano, com Raikonen e Vettel ao volante, tencdo a marca italiana esperanças na obtenção de bonsresultados, depois duma época de 2014 para esquecer.fer1 Copyfer2 Copyfer3 Copyfer4 Copyfer5 Copyfer6 Copyfer7 Copyfer8 Copyfer9 Copyfer10 Copyfer11 CopyFERRARIF1 Copy_CopyFERRARIF2 Copy_CopyFERRARIF14 Copy_Copy

 

GALERIA DE IMAGENS

GALERIA DE IMAGENS

 

NOVO MCLAREN DE FÓRMULA 1

 

 

Eis uma série de imagens do novo McLaren que irá participar nesta época de 2015, onde surgem uma série de diferença spara o modelo utilizado na época passada, conforme as imagens que hoje apresentamos.10922523 868340359854507_7850607279896299651_n_CopyMC1 CopyMC2 CopyMC3 CopyMC4 CopyMC5 CopyMC6 CopyMC7 CopyMC8 CopyMC9 CopyMC10 CopyMC11 Copymc20 Copymc23 Copymc24 Copymc26 Copymc27 Copymc28 Copymc28 Copymc60 Copymc70 Copymc71 Copymc72 Copymc74 Copy

 

CALENDÁRIO MUNDIAL DE FÓRMULA 1 - 2015

CALENDÁRIO MUNDIAL DE FÓRMULA 1 - 2015

 

 

Já é conhecido o calendário do Mundial de Fórmula 1, na qual o aspecto mais curioso é a saída do Grande Prémio da Coreia, por troca com a estreoa do G.P.do MéxicoLotus-E23-Hybrid-05 Copy

 

Assim o calendário é o seguinte :

 

 

15 Março - Austrália

 

29 Março - Malásia

 

12 Abril - China

 

19 Abril - Bahrain

 

10 Maio - Espanha

 

24 Maio - Mónaco

 

7 Junho Canadá

 

21 JUnho - Austria

 

5 JUlho - Inglaterra

~

~19 Julho - Alemanha

 

26 JUlho Hungria

 

23 Agosto - Bélgica

 

6 Setembro - Itália

 

20 Setembro - Singapura

 

27 Setembro - Japão

 

11 Outubro - Russia

 

25 Outurbo - Estados Unidos da América

 

1 Novembro - México

 

15 Niovembro - Brasil

 

29 Novembro - Abi Dhabi

 

EIS O NOVO LOTUS PARA A ÉPOCA DE 2015

EIS O NOVO LOTUS PARA A ÉPOCA DE 2015

 

 

Já se conhece o novo Lotus com que Grosjean e maldonado irão disputar a época de 2015.Em termos estéticos há diferenças em relação ao modelo do ano passado, mas a escuderia britânica precisa dum carro mais competitivo, de forma a poder lutar pelos lugares da frente, o que não aconteceu na época passada, onde acabaram por rodar na cauda dio pelotão.lotusf1 Copylotusf2 Copylotusf3 Copy

 

SERÃO ESTAS AS CÔRES DA SAUBER?

SERÁO ESTAS AS CÔRES DA SAUBER

 

A imprensa europeia da especialidade fez hoje eco, daquilo que podeão vir a ser as côres que os Sauber irão ontentar esta época no MUndial de Fórmula 1.NOVASCORESSAUBER2015 Copy

 

FÓRMULA INDY NO BRASIL

Duda Bairros/Fotoarena
Clique na imagem para fazer o Donwload...
O brasileiro Tony Kanaan freia forte no Circuito do Anhembi, em 2013
Alta | Web

Indy esgota 5 dos 10 setores e segue vendendo em ritmo acelerado

Cota de ingressos promocionais, vendidos com 50% de desconto, já está encerrada. Mas ainda há entradas a partir de R$ 70

Cinco dos dez setores que estavam disponíveis para quem quer assistir a Brasília Indy 300 já estão esgotados. As arquibancadas E, G, H, I e J já foram totalmente vendidas. Lugares para os demais setores podem ser adquiridos na página www.livepass.com.br/indy. A relação de postos físicos de venda está disponível no endereço www.livepass.com.br/pontos-de-venda. Uma opção para não pagar taxa de conveniência é fazer a aquisição no Brasília Shopping - veja o endereço completo abaixo.
A organização também anunciou que o pacote de ingressos promocionais, com 50% de desconto, também foi esgotado. Agora só estão disponíveis tíquetes de entrada inteira ou meia-entrada, nos padrões normais. Com isso, os valores passam a variar entre R$ 70 (meia-entrada para o setor A) e R$ 170 (inteira para os setores C, D e F). Segundo cálculos da organização, o ritmo de vendas indica que não haverá entradas disponíveis nos dias que antecedem a corrida.

Treinos estão inclusos no pacote - Quem comprar o ingresso para a corrida, que será realizada em 8 de março, o segundo domingo do mês, terá também direito de assistir aos treinos oficias agendados para sexta-feira (6) e as tomadas de tempo, marcadas para o sábado (7).
A Brasília Indy 300 será a etapa de abertura da temporada 2015 da Fórmula Indy. A grande novidade para este ano é justamente a realização da prova no Autódromo Internacional Nelson Piquet, na Capital Federal - e não mais em um traçado de rua. Até 2013, quando foi disputada a quarta edição da prova no Brasil, as corridas aconteceram no Circuito do Anhembi, na Zona Norte da cidade de São Paulo. Dois brasileiros estão confirmados: o atual vice-campeão Helio Castroneves, pela Penske, e Tony Kanaan, sétimo colocado em 2015, que defenderá a Chip Ganassi. Confira os valores das entradas e os locais de venda.

Valores dos ingressos. Taxa de conveniência não inclusa:
Setor A: R$ 140 (ou R$ 70 para meia-entrada)
Setor B: R$ 160 (ou R$ 80 para meia-entrada)
Setor C: R$ 170 (ou R$ 85 para meia-entrada)
Setor D: R$ 170 (ou R$ 85 para meia-entrada)
Setor E: esgotado
Setor F: R$ 170 (ou R$ 85 para meia-entrada)
Setor G: esgotado
Setor H: esgotado
Setor I: esgotado
Setor J: esgotado

Venda de ingressos: www.livepass.com.br/Indy
Endereço de postos físicos: www.livepass.com.br/pontos-de-venda
Posto de venda no Brasília Shopping: SCN Quadra 05 Bloco A, 2º Subsolo Loja 1, G2 2º subsolo, Asa Norte - Brasília|DF.


 

FORCE INDIA JÁ APRESENTOU CARRO

FORCE INDIA JÁ APRESENTOU CARRO PARA 2015

 

 

A equipa de Fórmula 1 da Force India, já apresentou na cidade do México, o seu monolugar para a época de 2015, na qual irá contar com Hulkenberg e Sergio Perez, que foram a coqueluche dos imensos fans que estiveram presentes, conforme imagens anexas do evento.force1 Copyforce2 Copyforce3 Copyforce4 Copyforce5 Copyforce6 Copyforce7 Copyforce8 Copyforce8 Copyforce9 Copyforce11 Copyforce12 Copyforce14 Copyforce15 Copyforce16 Copyforce17 Copyforce18 Copyforce19 Copyforce21 Copyforce22 Copyforce23 Copyforce24 Copy

 

G.P.BRASIL FÓRMULA 1

Divulgação
Clique na imagem para fazer o Donwload...
XYZ é a nova agência do GP do Brasil de Fórmula 1
Alta | Web

Divulgação
Clique na imagem para fazer o Donwload...
XYZ é a nova agência do GP do Brasil de Fórmula 1
Alta | Web

XYZ Live é escolhida para atender GP do Brasil de F1


Organizadores do maior evento esportivo brasileiro anunciaram especialista em marketing de entretenimento

A organização do Grande Prêmio do Brasil de Fórmula 1 anunciou a escolha de sua agência para a temporada de 2015. A XYZ Live foi escolhida e apoiará o GP Brasil na área promocional.

Há anos, a XYZ vem sendo responsável pelas ativações promovidas pela Allianz e Red Bull na única prova de Fórmula 1 realizada anualmente no continente sul-americano.


Sobre a XYZ Live
A XYZ LIVE reúne um time de talentos e experts que operam o mais dinâmico portfolio de serviços, eventos, talentos e propriedades do mercado, criando conexões entre clientes e empresas através da emoção.

Focada nos segmentos de esporte e live music, a empresa tem como suas especialidades a criação e gestão de plataformas de patrocínio, consultoria sobre leis de incentivo, consultoria de marca, desenvolvimento de projetos on demand, licenciamento de produtos, gestão de talentos e eventos proprietários.



 

JASON BUTTON DEU O "NÓ"

JASON BUTTON DEU O "NÓ"

 

O piloto inglês deu o "no", há uns diuas atrás com a sua companheira ao longo dos Grande Prémios, onde nunca deixou de apoiar o piloto inglês.Neste momento o jovem casal está em lua de mel, numas ilhas paradisiacas, para depois Button rumar a Inglaterra, para começar a preparar a sua época de 2015, estando já presentejason Copy nos primeiros testes a ter lugar na pista de Barcelona em Espanha.

 

NIKO ROSBERG NÃO PERDE TEMPO

NIKO ROSBERG NÃO PERDE TEMPO

 

O vice campeão Mundial de Formula 1 não perde tempo, e depois da ida a Genebra, Niko Rosberg, em consonancia com a Mercedes, marcou presença hoje nik1 Copynik2 Copynik3 Copynik4 Copynik5 Copynik6 Copynik8 Copynik9 Copynik10 Copynik11 Copynik12 Copynik16 Copynik17 Copynik18 Copy numa feira textil que teve lugar na cidade de Berlin, conforme imagens anexas, onde o piloto alemão esteve ao lado do novo SLS AMG e do C 111, um protótipo cda Mercedes, que agora faz parte do Museu da marca.

 

RECORDAR JAMES HUNT

O JORNALISTA RICARDO GRILO RECORDA JAMES HUNT

 

 

Recordar James Hunt

Campeão do Mundo de Fórmula 1 de 1976, James Hunt cultivava um estilo de vida algo diferente daquele que imaginamos hoje em dia para um atleta do mais alto nível, como são hoje os pilotos das modalidades de topo do desporto automóvel.

As imagens que aqui partilho deixariam com os "cabelos em pé" qualquer director de equipa da actualidade e acabariam com a carreira de qualquer protegido do Dr. Helmut Marko (grosso modo, o "seleccionador" dos pilotos da Red Bull) Certo é que entre champanhe, lagosta e mulheres bonitas, viveu sempre como quis, sempre no limite, e morreu cedo, aos 45 anos, possivelmente vítima do seu estilo de vida. E foi melhor piloto que Marko...

Um personagem único, talvez a par com o seu amigo e companheiro de aventuras, Barry Sheene, campeão do mundo de motociclismo. Na época nem lhe achava muita graça, pois sonhando ser piloto de automóveis desconcertava-me o estilo diletante de Hunt. Mas com o tempo fui aprendendo a gostar do personagem e até a admirar o seu estilo.

A frase "When the playboys rules the world" define bem a época (sendo também o título mais do que apropriado de um documentário delicioso sobre os dois amigos)

 

AS CÔRES DO NOVO MCLAREN PARA 2015

AS CÔRES DO NOVO MCLAREN PARA 2015

 

 

Ao que tudo indica estas poderão ser as côres que os McLaren de Butten e Alonso irão ostentar.novomclaren Copy

 

FELIX DA COSTA VENCEU NA ARGENTINA NA FORMULA E

ANTÓNIO FELIX DA COSTA VENCEU NA ARGENTINA

 

O piloto portugues António Felix da Costa foi o brilhante vencedor de mais uma prova de Fórmula E, que desta feita deslocou-se até à Argentina.De referir que o piloto portugues saiu da oitava linha da grelha, nesta quarta corrida da temporada.Depois da partida, Felix da Costa coinseguiu desembarcar-se de Nicolas Prost, e frutoo duima excelentefelix1 Copyfelix2 Copyfelix3 Copyfelix4 Copyfelix5 Copyfelix6 Copyfelix7 Copyfelix8 Copyfelix9 Copyfelix10 Copyfelix11 Copyfelix12 Copyfelix14 Copyfelix15 Copyfelix16 Copyfelix17 Copyfelix18 Copyfelix20 Copyfelix15 Copyfelix21 Copyfelix22 Copyfelix23 Copyfelix24 Copyfelix25 Copyfelix26 Copyfelix27 Copyfelix28 Copyfelix29 Copyfelix30 Copyfelix31 Copyfelix32 Copyfelix33 Copyfelix34 Copye mudança de carro, voltou á pista consolidando a liderança, cortando a linha de chegada na 1ª posição partilhando o pódio com Nicolas Prost e Nelson Piquet Jr.

 

SENNA NA FÓRMULA e

 

Senna cobra para o quinto lugar agitado Argentina ePrix
 
Buenos Aires, Argentina, no que foi uma corrida rápido do início ao fim da Mahindra Corrida de Bruno Senna pegou uma forte distância de pontos na Fórmula FIA E ePrix esta tarde, em Buenos Aires depois de uma fantástica unidade para a quinta posição. O drama se desenrolava para Mahindra relativamente cedo quando Karun Chandhok, que tinha sido executado em alguns pontos de posição pagantes, ficou encalhado na pista devido a uma falha na suspensão traseira direita. Infelizmente este deixou o piloto indiano fora da disputa. No entanto, a equipe saiu com outra unidade de recuperação forte do piloto brasileiro Senna que lutou para tornar-se 14 posições ao longo da corrida.
 
Ambos os pilotos Mahindra Corrida atraiu fortes grupos de qualificação durante a qualificação loteria da manhã com Chandhok levando para o terceiro grupo e Senna o quarto - o sistema permitiria que a chance de ver o resto dos tempos da grade antes de sair-se. Chandhok, que tinha sido em forma durante todo o dia, defina o tempo mais rápido 10 garantindo sua posição de partida, contudo, uma bandeira vermelha interrompido grupo de Senna e no colo dele voando ele rapidamente veio por trás de tráfego que arruinou suas chances e deixou-o a iniciar na fileira de trás da grelha.
 
Com posições para ganhar tanto Mahindra Racing Drivers estavam apontando para uma corrida storming como eles alinhados no grid. E, como as luzes se apagaram Senna começou a empurrar com força e pelo fim do que era uma volta limpa para todos o piloto brasileiro estava em 17º, enquanto Chandhok estava segurando forte em décimo. Ao longo dos próximos voltas da corrida foi justo antes da primeira rodada de pit stops começou.
 
Infelizmente para Chandhok sua suspensão traseira direita falhou pouco antes de seu pit stop, que o enviou para a parede e fora da corrida. O carro de segurança resultante trouxe uma enxurrada de carros em ao pit lane incluindo Senna; no entanto, quando ele saiu para voltar ao circuito foi dolorosamente realizada no final do pit lane em uma luz vermelha.
 
Isso deixou a maior parte da grade fora de ordem atrás do Safety Car ea corrida estava sob amarelos completos para algumas voltas, enquanto as posições foram corrigidos. No reinício Senna, o único carro Mahindra Corrida deixada no campo, começou a empurrar com força, a fim de mover-se de sua posição 12ª qual ele rapidamente conseguiu.
 
No entanto, o drama real veio para o final da corrida, quando, com Senna carregamento através do campo, uma variedade de movimentação através de sanções, ultrapassa, incidentes e acidentes mudou o quadro. Como resultado Senna foi até uma quinta posição incrível pela última volta.
 
Refletindo sobre a corrida Senna disse: "É claro que marcar pontos decentes como este é muito bom para nós, especialmente considerando onde nós começamos a corrida. Mas agora precisamos ser marcando pontos ainda maiores como a temporada continua. Agora, vou voltar e olhar por cima nas duas últimas corridas para ver onde podemos melhorar e ter certeza de que nós começamos a corrida desde os cinco primeiros a partir de agora e obter esse pódio. "
 
Chandhok acrescentou: "Eu estava lá em cima na primeira metade da corrida e com boa aparência para um resultado muito forte no entanto, a suspensão traseira direita falhou no meu carro que arruinou a corrida. Eu tinha tomado esse canto da mesma forma durante todo o dia, por isso é um pouco difícil de entender e ao mesmo tempo é muito bom ver de Bruno aproveitando ao máximo o ritmo que é uma pena porque poderia ter sido lá em cima com ele. Em geral, eu não estou me sentindo bem sobre a corrida no entanto vamos seguir em frente e olhar para a frente de corrida em Miami. "
 
Team Principal Dilbagh Gill acrescentou: "Foi um pouco de uma corrida difícil para todos e foi má sorte para Karun cuja corrida foi encerrada devido a uma falha de componente. No entanto, a segunda metade da corrida melhorou muito para a equipe com o Bruno tornando-se assim muitas posições com um fantástico carro de sua posição inicial de 19 para terminar quinta. Podemos estar satisfeitos com o que, mas agora estamos correndo atrás de um pódio em Miami.

 

LUCAS DI GRASSI NA FORMULA E

Lucas di Grassi sai de Buenos Aires ainda na liderança da Fórmula E

Piloto brasileiro do Audi Sport ABT Formula E Team largou da quinta posição e liderava a corrida quando a quebra da suspensão obrigou-o a abandonar a prova, que foi vencida pelo português Antonio Felix da Costa

O ePrix de Buenos Aires, quarta etapa da Fórmula E, primeiro campeonato de carros elétricos do planeta, foi uma corrida cheia de alternativas e com um final repleto de tentativas - bem sucedidas e mal sucedidas - de ultrapassagem, garantindo bastante emoção ao público presente nas arquibancadas montadas no circuito levantado na região de Puerto Madero, belíssima localização da capital portenha.

A prova foi vencida pelo português Antonio Félix da Costa, da equipe Amlin Aguri. Mas esteve bem perto das mãos de Lucas di Grassi, que venceria sua segunda prova na temporada. O brasileiro do Audi Sport ABT Formula E Team largou da quinta posição e fez uma primeira metade com bastante agressividade e já estava em segundo lugar no momento do pit stop para a troca de carro.

"Fiz as três primeiras voltas forçando bastante e depois eu economizava por duas voltas para me manter perto do carro à frente, e então eu partia para a ultrapassagem. O safety car deu uma atrapalhada no final do stint, mas mesmo assim me mantive em segundo", lembrou.

Lucas, então, passou a pressionar o líder Sébastien Buemi. Na volta 22, o suíço da equipe e-Dams cometeu um erro e bateu, abrindo caminho para o brasileiro, que já mantinha vantagem confortável para o alemão Nick Heidfeld, da Venturi. "Eu já não estava mais forçando tanto, porque estava confortável na frente e já economizava o equipamento. Estava em uma tocada segura para levar o carro ao final, e no que seria minha segunda vitória na temporada", disse.

No entanto, a liderança só durou mais cinco voltas. No 27º giro, um parafuso da suspensão traseira direita do carro de Lucas rompeu-se, deixando o bólido sem controle e jogando-o direto ao muro da chicane, a oito voltas do final da corrida. A ameaça à liderança de Di Grassi era o britânico Sam Bird, da Virgin, vice-líder da tabela, mas que teve de cumprir um drive-through por não respeitar as luzes do pit lane.

Mesmo com o resultado adverso, Lucas sai da Argentina na liderança da Fórmula E. Com uma vitória, um segundo e um terceiro lugar em seus créditos, ele teve descontados oito pontos da vantagem anterior e agora tem 10 à frente de Bird, que terminou a prova em sétimo, mas com dois pontos a mais por ter marcado a volta mais rápida da corrida.

Di Grassi lançou um sinal de alerta no que diz respeito à confiabilidade dos carros da categoria. "Do ponto de vista da segurança, ok. Vimos acidentes piores na temporada e a parte de proteção ao piloto funciona perfeitamente. Mas, pelo que eu me lembro, é a terceira vez que a suspensão de um destes carros entra em colapso. Aconteceu com o (Jean-Eric) Vergne em Punta del Este, e aqui em Buenos Aires aconteceu comigo e com o (Karun) Chandhok", apontou.

"Nos dois acidentes de hoje foi visível que ambos os carros saíram da primeira perna da chicane com a roda traseira direita solta, resultado da suspensão quebrada. No meu caso, eu não havia tocado em nada para que isso acontecesse. E isso é um perigo. A Fórmula E e o fabricante do carro precisam olhar para estes detalhes com muito cuidado e atenção, porque já aconteceu pelo menos três vezes. Corremos em circuitos de rua, e os carros naturalmente estão sujeitos a um maior estresse dos componentes. É uma situação perigosa e que temos que discutir e o fabricante precisa fazer algo para que não volte a acontecer", afirmou.

No final, sair de Buenos Aires com dez pontos na liderança foi de saldo ainda positivo, na opinião do brasileiro. "Era para termos pelo menos 25 pontos na frente, ainda mais que os outros não haviam ido tão bem. Com o que aconteceu, queimamos um pouco da gordura que trabalhamos tão duro para acumular", concluiu.

A quinta etapa da Fórmula E acontece em Miami, nos Estados Unidos, em 14 de março.

Classificação da Fórmula E após quatro de nove etapas:
1-) Lucas di Grassi (BRA), 58 pontos
2-) Sam Bird (GBR), 48
3-) Sébastien Buemi (SUI), 43
4-) Nicolas Prost (FRA), 42
5-) Nelson Piquet Jr (BRA), 37
6-) Antonio Félix da Costa (POR), 29
7-) Jaime Alguersuari (ESP), 26
8-) Jerôme D’Ambrosio (BEL), 22



Audi Sport ABT Formula E Team
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Com um início agressivo, Lucas foi subindo posições, tendo largado em quinto
Alta | Web

Audi Sport ABT Formula E Team
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Brasileiro fez boas ultrapassagens e colocou pressão no líder Buemi, que bateu
Alta | Web

Audi Sport ABT Formula E Team
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Lucas tinha uma liderança confortável na segunda metade da prova
Alta | Web

Audi Sport ABT Formula E Team
Clique na imagem para fazer o Donwload...
No entanto, a quebra de um parafuso na suspensão traseira pôs fim à sua prova
Alta | Web

Audi Sport ABT Formula E Team
Clique na imagem para fazer o Donwload...
No fim, Di Grassi fez uma ressalva sobre a confiabilidade dos carros
Alta | Web

Audi Sport ABT Formula E Team
Clique na imagem para fazer o Donwload...
"O fabricante do carro precisa olhar para essa situação com muito cuidado", diz
Alta | Web

Audi Sport ABT Formula E Team
Clique na imagem para fazer o Donwload...
"É a terceira vez que isso aconteceu, e com três carros diferentes", apontou
Alta | Web

 

INDY EM BRASILIA

Carsten Horst/Fotoarena
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Largada da Indy no Anhembi: em 2015, prova será em Brasília
Alta | Web

 

Carsten Horst/Fotoarena
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Largada da Indy no Anhembi: em 2015, prova será em Brasília
Alta | Web

Indy abre venda de ingressos para estreia histórica em Brasília

Primeira prova da categoria na Capital Federal acontece dia 8 de março

Já estão a venda os ingressos para a Brasília Indy 300, quinta edição da etapa brasileira da Fórmula Indy. Quem se antecipar poderá adquirir passes com as tarifas especiais do pacote promocional lançado nesta terça-feira (06/01), com preços iniciando em apenas R$ 70 para o Setor A. Com quantidade de ingressos limitada, os valores do lote promocional equivalem aos de meia-entrada; ou seja, custam 50% do que será cobrado quando for lançado o segundo lote de ingressos, que terá valores integrais.

Compra de ingressos pela internet podem ser feitas na página www.livepass.com.br/indy. Uma relação de postos físicos de venda estará disponível no endereço www.livepass.com.br/pontos-de-venda a partir desta quarta-feira (7). Uma opção para não pagar taxa de conveniência é fazer a aquisição no Brasília Shopping - veja o endereço completo abaixo. A venda no shopping também terá início nesta quarta-feira.

Neste primeiro lote promocional, os valores para os dez setores espalhados pelo Autódromo Internacional Nelson Piquet, na Capital Federal, variam de R$ 70 (preço da meia-entrada e do ingresso promocional no setor A) a R$ 150 (setores E, I e J). Conforme forem se esgotando a cota de ingressos promocionais de cada setor, passarão a vigorar automaticamente os valores do segundo lote.

Treinos estão inclusos no pacote - Quem comprar o ingresso para a corrida, que será realizada em 8 de março, o segundo domingo do mês, terá também direito de assistir aos treinos oficias agendados para sexta-feira (6) e as tomadas de tempo, marcadas para o sábado (7).

A Brasília Indy 300 será a etapa de abertura da temporada 2015 da Fórmula Indy. A grande novidade para este ano é justamente a realização da prova no autódromo da Capital Federal - e não mais em um traçado de rua. Até 2013, quando foi disputada a quarta edição da prova no Brasil, as corridas aconteceram no Circuito do Anhembi, na Zona Norte da cidade de São Paulo. Dois brasileiros estão confirmados: o atual vice-campeão Helio Castroneves, pela Penske, e Tony Kanaan, sétimo colocado em 2015, que defenderá a Chip Ganassi. Confira os valores das entradas e os locais de venda.

Valores do lote promocional, equivalente ao custo de meia-entrada (50% do preço normal). Taxa de conveniência não inclusa:

Setor A:
R$ 70
Setor B: R$ 80
Setor C: R$ 85
Setor D: R$ 85
Setor E: R$ 150
Setor F: R$ 85
Setor G: R$ 85
Setor H: R$ 85
Setor I: R$ 150
Setor J: R$ 150





 

 

DI GRASSI NA FÓRMULA E

Foco de Di Grassi é em manter a liderança da Fórmula E

Primeira categoria dos carros elétricos inicia o ano esportivo com a quarta etapa do campeonato, desta vez nas ruas da capital argentina. Brasileiro da Audi Sport ABT tem 18 pontos de vantagem para o segundo colocado

Lucas di Grassi certamente nunca iniciou uma temporada no automobilismo tão cedo como em janeiro. O brasileiro, primeiro vencedor da história da Fórmula E e atual líder da classificação geral, parte para a quarta etapa do inovador campeonato dos carros elétricos. O e-Prix de Buenos Aires acontece neste sábado (10) em um circuito montado nas ruas de Porto Madero, belíssima região da capital portenha.

Com três pódios nas três primeiras corridas, Lucas teve um início dos sonhos nesta que é considerada uma nova era dentro do automobilismo, com carros rápidos e 100% movidos a eletricidade. Dono de uma vitória, um segundo lugar e um terceiro, Di Grassi soma 58 pontos, contra 40 do britânico Sam Bird e do suíço Sébastien Buemi.

"Três pódios em três corridas, e as coisas têm ido muito bem até aqui, mas não podemos relaxar, descansar sobre estes louros. Em Punta del Este tivemos um dia inteiro de testes coletivos após a corrida, e isso deve agrupar ainda mais as equipes, já que com o dia todo andando todos conseguiram juntar valiosas informações sobre o carro. Por isso, a competição em Buenos Aires vai ser ainda mais acirrada", espera Lucas.

A Audi Sport ABT Formula E Team, equipe defendida pelo brasileiro e pelo alemão Daniel Abt, está bem preparada, na opinião de Lucas. "Estamos bem, analisamos todos os dados da última corrida e do teste e também trabalhamos no simulador para nos familiarizarmos com o circuito da Argentina", disse.

O traçado portenho tem 2,44 quilômetros de extensão, 12 curvas e sentido anti-horário. "É o circuito mais rápido da temporada até agora. A reta onde será dada a largada é bem longa e eu gostei de uma parte bem rápida do traçado com a curva 3, que é bem longa e veloz. No ‘grampo’ há bastante espaço para ultrapassagens, mas as curvas 4 e 7, mais lentas, irão oferecer provavelmente as melhores oportunidades para este tipo de manobra", analisou.

Na Fórmula E todas as atividades de pista são concentradas em um único dia. O sábado (10) terá o primeiro treino livre às 8h15, com 45 minutos de duração; a segunda prática acontece das 10h30 às 11 horas. A sessão de classificação para definir as posições do grid terá 55 minutos de duração e se inicia ao meio-dia. A largada para o e-Prix de Buenos Aires será dada às 16 horas, com transmissão ao vivo pelo Fox Sports 2.


Curta Lucas di Grassi no Facebook: Lucas di Grassi Official

Siga Lucas di Grassi no Twitter: @lucasdigrassi

E também no Instagram: @lucasdigrassi

Conheça a categoria em: www.fiaformulae.com



FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Três corridas, três pódios: início de temporada nada mal para Lucas na Fórmula E
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Com 58 pontos, Di Grassi tem vantagem de 18 sobre Buemi e Bird
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Brasileiro colheu uma vitória, um segundo e um terceiro lugar
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Traçado de Buenos Aires tem 2,44 km de extensão, 12 curvas e sentido antihorário
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Circuito é rápido e oferece boas chances de ultrapassagem, segundo o piloto
Alta | Web

 

MAHINDRA NA FÓRMULA E

 

Corrida Mahindra apontando para forte resultado na Argentina
 
05 de janeiro de 2015, Donington UK. A equipe de Fórmula E Mahindra Racing até agora completou três corridas da temporada FIA Formula E inaugural e com pontos obtidos em cada corrida a equipe agora olha para frente para continuar a tendência em Buenos Aires, Argentina. Bruno Senna e Karun Chandhok estará de volta para a pista na América do Sul apenas poucas semanas após a sua visita anterior ao continente em Dezembro de 2014.
 
A quarta rodada da temporada em Buenos Aires é provável que seja um caso tórrido para os pilotos e equipes enquanto competem durante o auge do verão, com temperaturas de até 40 graus. Isto significaria que regula a temperatura da bateria e os componentes do carro de corrida Mahindra será essencial durante todo o fim de semana.
 
O circuito possui 12 voltas em torno da configuração 2,44 km e, ao contrário da anterior ronda do lado da praia, no Uruguai, a Buenos Aires ePrix será realizada no distrito de Puerto Madero, na capital. A cidade de Buenos Aires faz para uma perspectiva interessante para todo o paddock e prevê-se que a população estará com força total apoio a corrida na capital argentina.
 
A rodada anterior, em Punta del Este, no Uruguai, foi um espetáculo emocionante em que Senna saiu com pontos na sequência de uma unidade de formação de bolhas para o sexto lugar, desde o último slot grid. Chandhok, entretanto, teve a infelicidade de encontrar-se forçado a mudar seu plano de corrida seguinte danos causados por um alto calçada; trazê-lo em mais cedo do que o esperado durante a corrida.
 
No entanto os dois pilotos saíram da terceira rodada do sentimento temporada confiante no carro e o ritmo que tinha conseguido.
 
Senna disse: "É muito bom estar a correr na América do Sul novamente, e eu espero que seja tão emocionante como na rodada anterior no Uruguai. Punta del Este foi um fim de semana misto para nós, apesar de nossa posição de partida, fomos capazes de conquistar pontos e acabar com um ótimo acabamento - ele só vai mostrar a nossa velocidade e aumenta a perspectiva de o que poderíamos fazer se a nossa posição de partida teve sido um pouco melhor.
 
"A pista em Buenos Aires parece muito interessante, com algumas boas combinações de cantos que deve torná-lo um circuito bastante divertido de conduzir. Nosso objetivo é estar lá em cima e lutar por essas posições de topo. "
 
Chandhok disse: "Punta del Este não foi o melhor fim de semana para nós como uma equipe e não fomos tão competitivos como nos tinha sido nas duas primeiras rodadas. O teste no domingo nos deu um monte de respostas e estamos ansiosos para estar de volta lá fora e em forma em Buenos Aires. O objetivo deve ser o de tentar conseguir um pódio em breve, porque nós temos o potencial, só precisamos de cumpri-la. '

 

Google Tradutor

 

JEAN PIERRE BELTOISE MORREU

JEAN PIERRE BELTOISE MORREU

 

Foi ontem na sua casa em dakar no Senegal, que o conhecido piloto francês Jean Pierre Beltoise, depiois de sofrer dois avc.De referir que Jean Pierre Beltoise, passou por uma série de equipas de Fórmula1, obtendo grande destaque nas 24 Horas de Le Mans, ao volante dos Matra.beltoise1 Copybeltoise2 Copybeltoise3 Copybeltoise4 Copybeltoise5 CopyBELTOISE Copy

 

CEE QUER RESTRIÇÕES À PUBLICIDADE DE BEBIDAS ALCOOLICAS

COMUNIDADE EUROPEIA QUER RESTRIÇÕES À PUBLICIDADE DE BEBIDAS ALCOOLICAS

 

A União Europeia está a preparar legislação para proibir que bebidas alcollicas sejam publicitadas na Europa.Assim a Fórmula 1, será com certeza uma das mais afectadas, isso depois de há uns anos a esta parte ter perdido a publicidade ao tabaco.Com esta nova medida, a Fórmula 1 poderá abandonar o Velho Continente, pois não será demais recordar que algumas empresas produtoras de bebidas alcoolicas, utilizam a F 1 e outras categorias para publicitar os seus produtos, e com esta medida, todos estes planos poderão ficar congelados.

 

Por exemplo a Johnnie Walker, conhecida marca de escosesa de wisky, tem patrocionado a Mclaren, na Sauber surge uma marca de tequilla, a José Cuervo, não esquecendo a Martini e Rossi que surgui nos flancos dos Williams Mercedes ao longo desta época.Depois temos a Smirnoff, conhecida marca de vodca, que surgui nos carros da Force Indias.

 

SE na realidade a CEE, banir o uso de publicidade a bebidas alccolicas, de certeza que a F 1, muda de continente, e basta ver que nesta fase 60% das provas já são disputadas fora da Europa,. o que vem atestar a solução das marcas construtoras para este impedimento.12518550763 aa361273f5_o_Copy

 

FORMULA E E A MAHINDRA

 

Unidade de recuperação forte por Senna em Punta del Este
 
 Punta del Este, Uruguai. Era uma unidade de recuperação brilhante para os pontos para o piloto brasileiro Bruno Senna, esta tarde como a terceira etapa da Fórmula FIA E Championship teve início em Punta del Este para a equipe de Fórmula E Mahindra Racing. Senna, que largou da parte de trás do grid, conseguiu a sua estratégia bem e voltou para casa para pegar seus primeiros pontos da temporada. Karun Chandhok não teve sorte de ter contato com a alta kerbing que não só danificou seu carro, mas também o forçou para os boxes mais cedo do que o previsto, que, por sua vez comprometida a sua estratégia para o restante da corrida.
 
O grupo de quatro qualificação desta tarde foi um caso misto, para os motoristas - Chandhok desenhou o primeiro grupo, que estava previsto para ser em uma pista de areia, enquanto Senna foi criado para se qualificar no terceiro. Ambos os pilotos Mahindra Corrida eram claramente rápida, com Senna no top ten e Karun do lado de fora, no entanto, uma penalidade para Senna significava que ele foi forçado a iniciar da última posição.
 
Apenas um par de curtas horas se passaram antes que as luzes se apagaram no grid para marcar o início da terceira etapa da Fórmula FIA E Championship. Felizmente, apesar da faixa de areia, ambos os pilotos Mahindra Corrida saiu bem e fez o seu caminho em torno da primeira curva com segurança.
 
Senna foi um grande motor durante os cantos de abertura e tinha rapidamente fez o seu caminho até a 17ª posição com Chandhok em nono, no entanto, um movimento lento Daniel Abt seguida pela Virgin Sam Bird bater na parede mudou a primeira parte da corrida, enquanto o carro de segurança foi na pista - e não demorou muito para que um segundo carro de segurança foi necessária para remover o carro Amlin Aguri atingidas de Antonio Felix da Costa.
 
No entanto, o formato da corrida seria ainda mais a mudança quando Chandhok bateu uma calçada que danificou seu carro; Isso inevitavelmente significava que ele precisava para entrar para sua mudança carro que foi, infelizmente, mais cedo do que o previsto - o jogo de seu plano de corrida fora de ordem. A sorte de Senna era melhor e depois de uma ligeira escova com a parede mesmo era capaz de vir para os boxes mais ou menos, conforme previsto, que o deixou em uma posição mais forte para o restante da corrida.
 
O stint final foi um caso de gestão do consumo de energia para Chandhok e ganhando posições para Senna. Chandhok funcionou bem com seu engenheiro para lidar com o seu stint mais longo porém encontrou os níveis de energia previsivelmente caindo nas últimas voltas que o viu cair para 13º geral.
 
Senna continuou a dar o máximo para ganhar posições dentro do top ten. Apesar de um período de safety car final, o piloto brasileiro conseguiu uma unidade de recuperação brilhante para a sexta posição da geral, apesar de ter começado desde o final do grid - dando seus primeiros pontos da temporada no processo.
 
Senna disse de sua raça, "Foi uma corrida muito difícil de ser honesto e muito agitado. Nós tinha tudo para nós hoje, mas nós tivemos que começar na parte de trás do grid que foi infeliz. Nós apanhamos os primeiros pontos da temporada hoje que temos de ser feliz com no entanto eu sei que poderia ter sido por um acabamento muito maior se tivéssemos começado mais para cima e se eu não tivesse tido a fim de evitar um incidente à frente. No geral, porém, eu estou feliz com os pontos e só precisamos mais disso agora. '
 
Chandhok acrescentou: "Eu peguei o meio-fio na virada 14/15 chicane que danificou meu carro - Eu não era o único que fez isso, eu só passou a fazê-lo algumas voltas antes do meu pit parada, que foi um problema durante o corrida. A equipe realizou um pit stop brilhante embora e apesar do último casal de voltas, tivemos realmente um bom ritmo que vai nos colocar em uma boa posição para a Argentina. "
 
Team Principal Dilbagh Gill acrescentou: "A meio da corrida foi um pouco de um momento tenso com ambos os carros danificados entrando para o seu pit stops no entanto, foi muito bom ver a recuperação após os danos causados por Bruno - que compõem 14 lugares de sua posição de partida. '

 

Google Tradutor

 

FÓRMULA E - LUCAS DI GRASSI

Fórmula E: Três corridas, três pódios. E Lucas di Grassi dispara na liderança

Brasileiro foi o terceiro colocado no e-Prix uruguaio de Punta del Este na tarde deste sábado (13) e abre 18 pontos de vantagem para o suíço Sébastien Buemi, vencedor da prova de hoje, e do britânico Sam Bird, que abandonou a corrida

Lucas di Grassi fez o dever de sua "segunda casa" como um relógio. Manteve o aproveitamento de 100% no pódio da Fórmula E chegando em terceiro lugar na tarde deste sábado (13) na terceira etapa da temporada, o e-Prix de Punta del Este, no Uruguai. A vantagem que antes da prova era de apenas três pontos para o britânico Sam Bird, subiu para 18 com o abandono do inglês, que agora está empatado com o suíço Sébastien Buemi, da e.Dams, vencedor da corrida.

O brasileiro largou da sexta colocação e chegou a passar três carros antes da freada para a primeira curva, mas acabou espremido pelo Virgin do espanhol Jaime Alguersuari. Para evitar a batida no muro, o piloto da Audi Sport ABT teve que recolher-se do ataque. "Isso me fez perder as posições para o Jaime, para o (Nicolas) Prost e para o (Nick) Heidfeld", lembrou.

A primeira parte da corrida teve Lucas atacando o espanhol a todo tempo. "Ele estava bem agressivo na defesa, e isso fez com que nós dois perdêssemos tempo. Com o safety car, acho que todos fizeram o pit stop na mesma volta, e conseguir sair na frente do Jaime e aí até cheguei a diminuir a diferença para o Nelson, mas neste traçado é bem difícil de ultrapassar se o piloto da frente dispõe da mesma quantidade de energia", apontou Di Grassi.

"Foi excelente, mais um pódio, provamos que temos um bom ritmo e estar mais uma vez lá em cima é ótimo. Correr aqui é como uma segunda casa, como vai ser também em Buenos Aires, pois estamos perto do Brasil. Um prazer estar aqui perto de casa, muitos brasileiros aqui torcendo e apoiando. Tomara que tenhamos uma corrida no Brasil no futuro. Ainda não temos uma corrida lá, mas vai ser muito legal se tivermos. Temos três pilotos brasileiros, temos grande apoio da mídia e da torcida, que estão acreditando nesta categoria", avaliou.

A regularidade no top-3 fez Lucas abrir boa margem na liderança do campeonato. Com a vitória em Pequim e o segundo lugar em Putrajaya, o brasileiro agora soma 58 pontos, contra 40 de Sébastien Buemi e Sam Bird. A próxima corrida é o e-Prix de Buenos Aires, no dia 10 de janeiro. E segundo o piloto da Audi, ainda há espaço para melhoras. "Três pódios em três corridas não é nada mal, vamos tentar manter essa média; claro que a meta é vencer sempre, mas vamos trabalhar para melhorar o carro, especialmente nos treinos classificatórios", concluiu.

Resultado do e-Prix de Punta del Este (Top-10):
1-) Sébastien Buemi (SUI), e.Dams, 31 voltas;
2-) Nelson Piquet Jr. (BRA), China Racing, a 0s732
3-) Lucas di Grassi (BRA), Audi Sport ABT, a 2s635
4-) Jarno Trulli (ITA), Trulli Racing, a 4s163
5-) Jaime Alguersuari (ESP), Virgin Racing, a 4s698
6-) Bruno Senna (BRA), Mahindra Racing, a 5s197
7-) Nicolas Prost (FRA), e.Dams, a 6s514
8-) Jerôme D’Ambrosio (FRA), Dragon Racing, a 7s567
9-) Oriol Servià (ESP), Dragon Racing, a 8s646
10-) Nick Heidfeld (ALE), Venturi, a 10s563

Campeonato da Fórmula E após três etapas (seis para o final):
1-) Lucas di Grassi (BRA), 58 pontos
2-) Sébastien Buemi (SUI), 40;
2-) Sam Bird (GBR), 40
4-) Nicolas Prost (FRA), 24;
5-) Nelson Piquet Jr. (BRA), 22;
5-) Jerôme D’Ambrosio (BEL), 22



Curta Lucas di Grassi no Facebook: Lucas di Grassi Official

Siga Lucas di Grassi no Twitter: @lucasdigrassi

E também no Instagram: @lucasdigrassi

Conheça a categoria em: www.fiaformulae.com



LAT Photo
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Di Grassi fechou a corrida mais uma vez no pódio e abre boa margem no campeonato
Alta | Web

LAT Photo
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Brasileiro fez boa largada, foi espremido, mas manteve bom ritmo para subir
Alta | Web

LAT Photo
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Lucas joga champanhe sobre Buemi, vencedor do e-Prix do Uruguai
Alta | Web

LAT Photo
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Piloto da Audi Sport ABT soma agora 58 pontos, contra 40 de Buemi e Bird
Alta | Web

LAT Photo
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Próxima etapa acontece em Buenos Aires, no dia 10 de janeiro
Alta | Web

 

LUCAS DI GRASSI NA FORMULA E

Lucas di Grassi vê e-Prix em Punta del Este como "segunda corrida em casa"

Categoria dos carros elétricos faz na "Monte Carlo sulamericana" a terceira etapa da temporada com brasileiro somando 43 pontos depois de uma vitória e um segundo lugar

Depois de duas etapas na Ásia, a Fórmula E chega à América do Sul para o terceiro e-Prix de sua temporada inaugural. Neste sábado (13), a primeira categoria de carros elétricos sancionada pela FIA corre nas avenidas de Punta del Este, belíssima cidade litorânea do Uruguai e localizada a pouco mais de 1,8 mil quilômetros de São Paulo. A corrida terá transmissão ao vivo do Fox Sports.

E na visão do líder do campeonato, o brasileiro Lucas di Grassi, o e-Prix de Punta del Este pode ser considerado "correr em casa". "É praticamente como correr no Brasil, porque meus amigos estarão aqui e meus pais também. Comparado às outras corridas que tivemos, como na China e na Malásia, a distância daqui em relação ao Brasil é incomparável - afinal, são países vizinhos. Então eu vejo, sim, esta corrida como se fosse em casa - assim como será em Buenos Aires, em janeiro", explicou Lucas, dono de uma vitória e um segundo lugar nas duas provas disputadas este ano.

O piloto da Audi Sport ABT venceu a prova inaugural na capital chinesa e depois, na capital administrativa da Malásia, terminou o segundo lugar depois de uma recuperação fantástica tendo largado da 18ª posição. Tal desempenho lhe confere a liderança da tabela com 43 pontos ante 40 do britânico Sam Bird, da Virgin, que venceu em Putrajaya e soma também um terceiro lugar na primeira disputa do ano.

O circuito montado nas ruas de Punta del Este passa pelo porto e pela Playa Brava, em Maldonado. O local já é considerado a "Monte Carlo da América do Sul", com a bela paisagem formada pelos iates no porto fazendo alusão à tradicional prova de Fórmula 1 em Mônaco.

"O circuito parece bem técnico, a paisagem é belíssima e estarei de fato me sentindo em casa. Querendo ou não, isso traz um pouco mais de pressão, mas o fato é que me mantenho focado em manter a liderança do campeonato e quem sabe abrir mais um pouco de distância com outro bom resultado", resumiu.

Na Fórmula E todas as atividades de pista são concentradas em um único dia. O sábado (13) terá o primeiro treino livre às 8h15, com 45 minutos de duração; a segunda prática acontece das 10h30 às 11 horas. A sessão de classificação para definir as posições do grid terá 55 minutos de duração e se inicia ao meio-dia. A largada para o e-Prix de Punta del Este será dada às 16 horas, com transmissão ao vivo pelo Fox Sports.


Curta Lucas di Grassi no Facebook: Lucas di Grassi Official

Siga Lucas di Grassi no Twitter: @lucasdigrassi

E também no Instagram: @lucasdigrassi

Conheça a categoria em: www.fiaformulae.com



Speedpool
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Lucas di Grassi corre no Uruguai "como se fosse em casa"
Alta | Web

Speedpool
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Brasileiro lidera o campeonato inaugural da Fórmula E
Alta | Web

Speedpool
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Di Grassi soma 43 pontos, contra 40 do britânico Sam Bird
Alta | Web

Speedpool
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Em duas corridas, foram uma vitória e um segundo lugar
Alta | Web

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

fórmula um e pirelli, o que mudou de 2013 para 2014

 

 

REVOLUÇÃO TECNOLÓGICA

 

 

Milão, 10 de Dezembro de 2014 – Após três anos a conceber pneus que apresentam uma degradação controlada, de acordo com a nossa missão,  este ano com novas e revolucionárias regras com a utilização do turbos e um elevado torque, levou à  necessidade de pneus mais consistentes e previsiveis, conduzindo à mesma média do número de paragens nas boxes por corrida (2 ou 3).

Mais uma vez, a Pirelli foi capaz de cumprir a sua tarefa e ajudar a melhorar a competição.

 

Pneus utilizados (Conjuntos)

2013

2014               %

Composto Duro - Laranja

Conjuntos utilizados

316

           83 

Quilómetros

           30.950

      9.139

Média de Kms/Conjunto

             96.94

    110.10            +12.41

Composto Médio - Branco

Conjuntos utilizados

720

         378

Quilómetros

            68.815

    36.521

Média de Kms/Conjunto

              95.57

      96.61              +1.08

Composto Macio - Amarelo

Conjuntos utilizados

135

         463

Quilómetros

              6.330

    43.239

Média de Kms/Conjunto

              46.88

      93.38            +99.18

Composto Super Macio -  Vermelho

Conjuntos utilizados

152

         177

Quilómetros

            10.002

    11.571

Média de Kms/Conjunto

              65.80

      65.37               -0.66

Paul Hembery,Responsável da Pirelli Motorsport:

 

“ Particularmente, ao mudar o pneu macio, a durabilidade média deste composto subiu de 47 para 93 quilómetros. Este facto, aumentou o número de opções para diferentes estratégias ao longo da corrida ”.  

 

 

 

Maiores turnos/Kms

2013

2014

Composto Duro - Laranja

Austin 259

Monza 202

Composto Médio - Branco

India 261

Russia 304

Composto Macio - Amarelo

Abu Dhabi 150

Austria 237

 

Composto Super Macio -  Vermelho

Mónaco 150

Mónaco 203

Paragens nas Boxes

2013

2014

Média de Paragens nas Boxes/corrida

51

44

Corrida com mais paragens*

Espanha 80

Bahrain 58

Corrida com menos paragens**

Monza 24

Monza 23

* Apenas corridas disputadas a seco

** Todas as corridas

 

 


 

 

MAHINDRA E A FÓRMULA 3

 

Mahindra Corrida pronto para correr ao lado da praia em Punta del Este
 
8 de dezembro de Donington, Reino Unido. Um retorno rápido para a Fórmula Mahindra Corrida E Equipe vai vê-los de volta em ação neste fim de semana na América do Sul, como a Fórmula FIA E Championship move para o outro lado do mundo para a terceira rodada da temporada. Deixando a chuva e umidade da Malásia atrás das quatro carros de corrida fizeram seu caminho para o Uruguai, onde será recebido por Karun Chandhok e Bruno Senna, que poderá ser visto do lado da praia correndo pelas ruas de Punta del Este.
 
A terceira rodada da temporada será uma mudança de ritmo para as equipes que tiveram a pesada chuva da tarde de lidar com a Malásia. Isto resultou em toda a programação de fim de semana sendo embaralhadas para dar tempo de perder as chuvas. No entanto deve ser necessário, na estância balnear de Punta del Este e o horário normal de fim de semana será retomado com duas sessões de treinos livres na parte da manhã, seguido de uma sessão de qualificação grupo fogo rápido e uma corrida à tarde lutou duramente nenhuma dessas precauções.
 
A rodada anterior, em Putrajaya, Malásia foi um caso misto, para os motoristas Mahindra corridas; Chandhok, mais uma vez pegou alguns pontos sólidos durante a sua corrida no entanto Senna aposentado na última volta depois de bater no muro enquanto perseguia difícil para uma posição no pódio. Com tanto Chandhok e Senna olhando para marcar o seu primeiro pódio na série, a corrida no Uruguai é susceptível de proporcionar um espetáculo emocionante.
 
O circuito de Punta del Este parece ser uma perspectiva animadora para os motoristas com a sua localização em frente à praia e mistura de curvas rápidas, juntamente com curvas complicadas - 20 no total. No entanto, o campo terá de se preparar para o circuito apertado 2,8 km e pode ter o desafio adicional de areia, em vez de mármores, na pista.
 
Olhando para o desafio, Karun Chandhok disse: "As duas primeiras rodadas foram razoavelmente bom para mim. Escolhemos um curso decente de pontos, embora os aspectos da corrida foi contra nós na Malásia e realmente um pódio deveria ter sido sobre os cartões.
 
"Mais uma vez eu vou estar em pista no início do fim de semana com a FIA de verificar certos aspectos do circuito no entanto ao primeiro olhar, parece que vai ser um circuito estreito com retas mais longas. O nível de aderência vai ser complicado, especialmente tão perto da praia com areia chutou para cima. Mas, em geral, sabemos que temos um carro rápido, e agora precisamos de capitalizar sobre isso em Punta del Este e apontar para que podium. As equipes em Bangalore e Inglaterra têm estado a trabalhar arduamente e devemos estar com uma chance de novo em Punta.
 
Bruno Senna acrescentou: "Ainda bem que tem sido um curto hiato entre raças; Agora estamos prontos para o Uruguai e olhando em frente para colocar o duas primeiras corridas da temporada atrás de nós. Perdemos alguns pontos fortes na Malásia que foi uma pena, porque claramente fomos rápidos porém eu não era capaz de conseguir o resultado que eu queria. Nós nos movemos para a próxima rodada com o objectivo de obter esses pontos e os resultados no quadro. Mais uma vez, é difícil julgar a pista até que nós estamos lá por isso vamos estar de sair cedo para a nossa pista de caminhada e chegar ao confronto com o que se parece com um outro circuito interessante.
 
"O Uruguai também será uma corrida especial para mim, porque é o mais próximo que o campeonato vai correr para a minha casa do Brasil, por isso tenho um monte de minha família vindo para a corrida e é muito emocionante ter todo o seu apoio."

 

Google Tradutor

 

FORMULA E É NOTICIA

 

Questões de ordem técnica com ... David Brown
 
A FIA Formula E Championship tem invadiram na cena de corrida com veículos elétricos, locais apertados centro da cidade e uma linha incrível para cima dos motoristas de todo o mundo; é tornar-se um campeonato para sentar-se e tomar nota. No entanto, poucas pessoas perceberam o esforço e curto prazo que as equipes tiveram para se ficar a conhecer os seus carros e prepará-los para a sua volta da aventura do mundo.
 
Como Mahindra Corrida de Fórmula E diretor técnico da equipe David Brown tinha um lugar na primeira fila e papel de liderança a desempenhar na abertura semanas, meses e corridas do FIA Formula E inaugural Championship, 'Quando recebemos os carros no verão que passou pelo mesmo sistema que passar por todos os carros ", diz Brown," basicamente, nós tomá-los em pedaços. Vamos verificar tudo e olhar para ele como um kit de peças que não estão prontos para ir para a pista ainda. Nós, então, tentar otimizar tudo o que pudermos.
 
Ao olhar para trás, os desafios que a equipe enfrentou durante os testes Brown compara a Fórmula carro E com carros anteriores, ele já trabalhou em, 'De repente, você tem este carro com um peso que é exagerado pela bateria enorme na parte de trás, que está sentado lá e desesperadamente tentando ultrapassar a frente do carro quando você freia. Mas você pode transformar isso em um enorme positivo - você tem um peso constante na parte de trás do carro, em vez de um tanque de combustível que está ficando mais leve e causando uma variação na distribuição de peso como a corrida continua. É o mesmo com o desgaste dos pneus - é relativamente consistente, como resultado durante todo o curso da corrida. Mas você também tem uma enorme diferença para se acostumar com a re-gen que é uma grande ferramenta à sua disposição durante todo o fim de semana e algo para você otimizar e obter o máximo de.
 
"Mas nós também a sorte de ter os engenheiros da Mahindra REVA trabalhando conosco, bem desde o início, que nos colocou em uma boa posição pronto para o primeiro evento. A colaboração entre todos nós tem sido um desafio, por vezes, porque são baseados em três locais diferentes ao redor do mundo (Donington e Farnham no Reino Unido e Bangalore, Índia), mas eu acho que isso também pode ser dito de ter trabalhado em nosso favor, porque nós tem grandes talentos puxou todos juntos com o único foco de desenvolvimento de um carro vencedor. "
 
As equipes tiveram apenas um punhado de dias para testes antes os carros precisavam ser embalados longe e enviados para a China para a rodada de abertura da temporada. Em Donington, a base do Campeonato, o trabalho duro estava apenas começando. "Foi um curto espaço de tempo em que precisávamos para começar tudo juntos e, apesar de ter três simulações de corrida, em preparação para a temporada eu não acho que ele realmente preparado para qualquer um como completo no dia da corrida foi realmente vai ser. No minuto em que você chega na pista no sábado você está em uma montanha-russa e você não pode sair. "
 
Então, o que Brown eo resto da equipe de engenharia Mahindra Corrida de aprender ao longo do fim de semana de corrida de abertura? "Eu acho que nós, juntamente com todos os outros times cima e para baixo no pit lane, vai admitir que havia coisas que precisávamos para melhorar depois de Pequim. Mas estas são as coisas que você simplesmente não pode se preparar para durante o teste - como o calor. Pensávamos que tinha tido um dia quente em Donington para ver como as temperaturas afetaram o carro, mas não era nada em comparação com o calor na China e como o carro foi afetado em realidade.
 
"No entanto, agora que estamos a duas corridas em que eu acho que nós podemos avaliar melhor como as coisas têm corrido e eu acho que como uma equipe tem sido muito bom. Em termos de ritmo outright estamos lá em cima, apesar de algumas coisas que não necessariamente vão para planejar na Malásia. Portanto, em geral, podemos chegar a sensação positiva sobre como as coisas têm ido tão longe e realmente vai usar esse 'como impulso para o resto da temporada.
 
Com duas corridas da temporada agora concluir que é um período relativamente curto de retorno para a equipe antes da próxima corrida, no Uruguai, onde os carros vão ser visto correndo do lado da praia, na popular estância de Punta del Este.
 
"Até agora, nós tivemos dois fins de semana de corrida diferentes em termos de programação," reflete Brown. "Pequim foi um calendário padronizado no entanto tivemos que mudar tudo para a frente por duas horas na Malásia para evitar as chuvas da tarde pesados no país. Mas olhando para as próximas corridas, e o resto da temporada para que o assunto, que agora deve ser capaz de manter o calendário original que significa que a engenharia-wise os fins de semana se tornará mais fácil. E isso só vai continuar como os avanços temporada e pequenas modificações que estão chegando através do campeonato também começam a esgotar-se um pouco. Mas na justiça ninguém fez isso antes, então sempre haverá coisas que precisam ser mudadas. "
 
Relatos da mídia sobre o campeonato têm sido mistos já que o conceito foi entregue nas fases iniciais; com um pouco de debater o valor de carros de corrida elétricos e até mesmo o formato do fim de semana de corrida nos centros das cidades. No entanto, para Brown o valor pode ser visto claramente como a sociedade olha para criar um futuro mais verde e sustentável.
 
"Eu posso ver 100% porque o campeonato é em torno neste momento no tempo, porque vai esperamos levar a um grande desenvolvimento e em breve tornar-se completamente relevante o que levará a fabricantes que utilizam a série como um campo de provas para os seus carros elétricos. Espero que a Fórmula E será um dos campeonatos que atrai grandes fabricantes e mentes talentosas, que já estamos vendo, que vai se esforçar constantemente para melhorar o que já está lá no momento.
 
"Mas eu não acho que você pode tirar qualquer coisa, desde que as equipes e campeonato que conseguimos até agora. Temos 10 equipes, 20 motoristas, 40 carros e toda a infra-estrutura e pessoal que vêm junto com que a Pequim e Putrajaya - e organizou duas corridas emocionantes no processo. Sim, você pode olhar para as coisas e dizer 'oh, isso não é perfeito ", mas o que se pode esperar? Um esforço conjunto incrível fez tudo isso uma realidade - e isso é incrível. Se continuarmos a empurrar, então todo o campeonato, e até mesmo a direção em que os carros elétricos e híbridos estão se dirigindo, significará que carros e corridas do futuro vai ser muito interessante, de fato. "

 

Google Tradutor

 

GALERIA DE IMAGENS -

GALERIA DE IMAGENS

 

GRupo de imagens do derradeiro Grande Prémio deste ano, que assim encerrou a época.f52 Copy_Copy_Copyf53 Copy_Copyf54 Copyf55 Copy_Copyf56 Copy_Copyf58 Copy_Copyf59 Copy_Copyf60 Copy_Copyf61 Copy_Copyf67 Copy_Copyf68 Copy_Copyf69 Copy_Copyf70 Copy_Copyf71 Copy_Copyf72 Copy_Copyf75 Copy_Copyf76 Copy_Copyf77 Copy_Copyf79 Copy_Copyf80 Copy_Copyf81 Copy_Copyf82 Copy_Copyf85 Copy_Copyf86 Copy_Copyf87 Copy_Copyf88 Copy_Copyf89 Copy_Copyf90 Copy_Copyf91 Copy_Copyf92 Copy_Copyf96 Copy_Copyf97 Copy_Copyf98 Copy_Copyf99 Copy_Copyf101 Copy_Copyf102 Copy_Copyf103 Copy_Copyf104 Copy_Copyf105 Copy_Copyf106 Copy_Copyf107 Copy_Copyf108 Copy_Copyf109 Copy_Copyf110 Copy_Copyf111 Copy_Copyf112 Copy_Copyf113 Copy_Copyf114 Copy_Copyf115 Copy_Copyf116 Copyf117 Copy_Copyf118 Copy_Copyf119 Copy_Copyf120 Copy_Copyf121 Copy_Copyf665 Copy_Copyf664 Copy_Copyf663 Copy_Copyf662 Copy_Copyf660 Copy_Copyf659 Copy_Copyf658 Copy_Copyf657 Copy_Copy

 

GALERIA DE IMAGENS

GALERIA DE IMAGENS

 

TESTES GP 2 E GP 3 EM ABU DHABIA

 

Grupo de imagens relativas aos testes de GP 2 e GP 3 que tiveram lugar na pista de Abu Dhabi.GP100 Copy_CopyGP101 Copy_CopyGP102 Copy_CopyGP103 Copy_CopyGP104 Copy_CopyGP105 Copy_CopyGP106 Copy_CopyGP107 CopyGP108 Copy_CopyGP109 Copy_CopyGP110 Copy_CopyGP111 Copy_CopyGP112 Copy_CopyGP113 Copy_CopyGP114 Copy_CopyGP115 Copy_CopyGP116 Copy_CopyGP117 Copy_CopyGP118 Copy_CopyGP119 Copy_CopyGP120 Copy_CopyGP121 Copy_CopyGP122 Copy_CopyGP123 Copy_CopyGP124 Copy_CopyGP125 Copy_CopyGP126 Copy_CopyGP127 Copy_CopyGP128 Copy_CopyGP129 Copy_CopyGP130 Copy_CopyGP131 Copy_CopyGP132 Copy_CopyGP133 Copy_CopyGP134 CopyGP135 Copy_CopyGP136 Copy_CopyGP137 Copy_CopyGP138 Copy_CopyGP139 Copy_CopyGP140 Copy_CopyGP141 Copy_CopyGP142 Copy_CopyGP143 Copy_CopyGP144 Copy_CopyGP145 Copy_CopyGP146 Copy_CopyGP148 Copy_CopyGP148 Copy_CopyGP149 Copy_Copy

 

TESTES DA PIRELLI EM ABU DHABI - F 1

TESTES DA PIRELLI EM ABU DHABI

 

 

 

 

Pirelli 2015 PNEUS fazer sua estréia
Não Dias PIRELLI específicas no teste final de ano
WEHRLEIN SETS tempo mais rápido no segundo dia USANDO SUPERSOFT


 No teste final na temporada do ano, realizada logo após o Abu Dhabi Grand Prix, 2015 pneus da Pirelli foram vistos pela primeira vez de fecho temporada - apesar de não haver dias dedicados de teste da Pirelli, com cada equipe se concentrar no seu próprio programa independente.
Cada equipe é alocado 135 conjuntos de pneus para fins de teste ao longo de 2014, e para o teste final das equipes anos teve 10 conjuntos de este subsídio existente substituído com 10 conjuntos de os novos 2.015 pneus. Pirelli trouxe os médios, macios e supermacios 2015 pneus para Abu Dhabi, em sua especificação definitiva. Todas as equipes tomaram a opção de funcionar com os novos pneus, em algum momento durante os dois dias, a fim de ter um primeiro olhar para o 2015 de borracha, que é uma evolução do pneu existente ao invés de uma nova partida.
Bem como testes de pneus novos, muitas das equipes tentaram também fora alguns novos drivers e componentes para 2015. adicionado à temperaturas da pista durante o dia e de ar quente, ao contrário das temperaturas em queda visto na qualificação e na corrida, isso significava que o tempos de volta fixados em testes não poderiam ser utilmente em comparação com aqueles na corrida. No entanto, os motoristas que testaram os novos pneus deram um feedback positivo sobre seu primeiro contato com a especificação P Zero de 2015.
Diretor de automobilismo da Pirelli, Paul Hembery, disse: "Estamos muito satisfeitos em ouvir as impressões iniciais dos condutores de nossos pneus novos, o que sugere que as melhorias que temos apontado para já estão em vigor. Fizemos algumas pequenas alterações: em particular, para a área da correia do pneu traseiro que fica na pegada. Esta nova construção otimiza a distribuição da temperatura através do pneu, a fim de distribuir o calor de forma mais uniforme, o que deve levar a um desempenho mais consistente e melhor tração. Nós também temos um novo composto supermacio na parte traseira, que é projetado para melhorar a resistência mecânica. Nossos objetivos com os 2.015 pneus permanecem os mesmos que sempre foram: fornecer entre dois e três pit stops por corrida. Um dos maiores fatores de curso será a maneira que os carros melhorar: nós estamos esperando para ver os carros que são um segundo por volta, ou mais rápido do que os carros de 2014 no próximo ano, e isso, obviamente, terá um impacto sobre o comportamento dos pneus ".
Fatos de teste:
Os dois dias de testes foram realizadas em condições quentes e secos, com temperaturas da pista que culminaram em 44 graus (33 graus ambiente) na terça-feira e 43 graus (32 graus ambiente) na quarta-feira.
O tempo mais rápido definido durante os dois dias do teste foi um 1m42.624s estabelecido pelo piloto da Mercedes Pascal Wehrlein nos pneus supermacios, nos momentos finais do segundo dia.
O maior número de voltas executadas em um dia foi de 114 voltas de Nico Rosberg na Mercedes, enquanto o maior número de voltas executados em dois dias foi de 112 de Marcus Ericsson na Sauber.
Os 2.015 pneus estavam disponíveis na especificação médio, macio e supermacio, com os quatro pneus na faixa de 2014 também estão disponíveis para as equipes para testar. No total, 454 voltas foram concluídas em 2015 os novos pneus e 903 voltas com os atuais 2.014 pneus.
O próximo teste será realizado na primeira sessão oficial de pré-época do ano, de 1-4 de fevereiro em Jerez, no sul da Espanha. Depois disso, haverá apenas mais duas sessões em Barcelona a partir de fevereiro 19-22 e 26 fevereiro-1 março, antes do início da temporada.
dia 1
Bottas Williams 1m43.396s 2015 New Soft
Raikkonen Ferrari 1m43.888s Supersoft usado
Rosberg Mercedes 1m44.512s New Soft
Palmer Force India 1m44.516s novo Supersoft
Sainz Red Bull 1m45.339s Supersoft usado
Stevens Caterham 1m45.436s novo Supersoft
Pic Lotus 1m46.167s New Soft
Ericsson Sauber 1m46.253s novo Supersoft
Verstappen Toro Rosso 1m47.194s New Soft
Vandoorne McLaren nenhum momento estabeleceu 2015 New Soft
dia 2
Wehrlein Mercedes 1m42.624s novo Supersoft
Marciello Ferrari 1m43.208s 2015 novo Supersoft
Verstappen Toro Rosso 1m43.763s novo Supersoft
Ericsson Sauber 1m44.551s novo Supersoft
Stevens Caterham 1m44.888s novo Supersoft
Goddard Force India 1m44.944s novo Supersoft
Ricciardo Red Bull 1m45.151s New Soft
Nasr Williams 1m45.937s 2015 New Soft
Lynn Lotus 1m46.168s New Soft
Ocon Lotus 1m47.013s New Soft
Vandoorne McLaren nenhum momento estabeleceu 2015 novo Supersoft

 

Google Tradutortestes1-abudhabi Copytestes2 Copy_Copytestes3 Copy_Copytestes4 Copy_Copytestes5 Copy_Copytestes6 Copy_Copytestes7 Copytestes8 Copytestes9 Copytestes10 Copy_Copytestes11 Copytestes12 Copytestes13 Copy_Copytestes14 Copy_Copytestes15 Copy_Copytestes16 Copy_Copytestes17 Copy_Copytestes18 Copy_Copytestes19 Copy_Copytestes20 Copy_Copytestes21 Copy_Copytestes22 Copy_Copytestes23 Copytestes24 Copy_Copytestes25 Copy_Copytestes26 Copy_Copytestes27 Copy_Copytestes28 Copy_Copytestes29 Copy_Copytestes45 Copy_Copytestes44 Copy_Copytestes43 Copy_Copytestes42 Copy_Copytestes41 Copy_Copytestes40 Copy_Copytestes40 Copy

 

GP 2 EM ABU DHABI

GP 2 EM ABU DHABI

 

VANDORRNE E COLETTI DIVIDEM VITÓRIAS

 

Vandoorne foi o brilhante vencedor da 1ª corrida de GP 2 que se realizou em Abu Dhabi, repartindo o pódio com Palmer e Evans.Nos lugares seguintes cortaram a linha de chegada Filipe Nasr, Richelmi e Cecotto Jr.

 

Na segunda corrida, seria Stefano Coletti a cortar a linha de chegada na 1ª posição, trazendo na sua esteira Filipe Nasr e Arthur Pic, que tiveram assim direito a um lugar no pódio.Depois nas três posições seguintes classificaram-se Richelmi, Evans e o vencedor da 1ª prova Vandorrne.gp1 Copygp2 Copygp3 Copygp4 Copygp5 Copygp6 Copygp10 Copygp11 Copygp12 Copygp13 Copygp14 Copygp15 Copygp16 Copygp17 Copygp18 Copygp19 Copygp20 Copygp21 Copygp22 Copygp23 Copygp24 Copygp25 Copygp26 Copygp29 Copygp30 Copygp31 Copygp31 Copygp32 Copygp33 Copygp34 Copygp35 Copygp36 Copygp37 Copygp38 Copygp39 Copygp40 Copygp41 Copygp42 Copygp43 Copygp44 Copygp45 Copygp46 Copygp47 Copygp48 Copygp49 Copygp50 Copygp51 Copygp52 Copygp53 Copygp35 Copygp36 Copygp37 Copygp38 Copygp61 Copygp62 Copygp63 Copygp64 Copygp65 Copygp66 Copygp67 Copygp68 Copygp69 Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

LEWIS HAMILTON afirma que seu título do campeonato em primeiro lugar com PIRELLI PNEUS
Depois de vencer em ABU DHABI
Diferentes estratégias CONFIGURAR A TERMINAR ENTRE ANFITEATRO
Hamilton e Felipe Massa
  DANIEL Ricciardo RECLAMAÇÕES QUARTA depois de largar da PITLANE
AJUDADO POR estratégia alternativa
 Lewis Hamilton afirmou campeonato de segunda pilotos de sua carreira, mas o seu primeiro com pneus Pirelli, depois de vencer o decider título em Abu Dhabi, usando uma estratégia de duas paradas. O piloto da Mercedes começou no pneu supermacio P Zero Vermelho da segunda posição da grelha, mas assumiu a liderança no início, antes de completar dois stints na P Zero Amarelo macio.
A vitória por 16 Mercedes nesta temporada quebrou o recorde de todos os tempos, de 15 anteriormente detida pela Ferrari e McLaren. Hamilton também se torna o primeiro campeão mundial Mercedes desde Juan Manuel Fangio, ter reclamado 11 vitórias no total este ano.
Durante os estágios finais da corrida, Hamilton foi desafiado por Williams piloto Felipe Massa, que usou uma estratégia de duas paradas diferente para ele. Massa começou na supersoft da quarta posição da grelha, mudou para o macio, e, em seguida, correu as 13 voltas finais sobre o supersoft de novo, que foi em torno de um segundo por volta mais rápido do que o macio.
Isso permitiu que o brasileiro para fechar até menos de três segundos atrás de Hamilton no fim, enquanto seu companheiro de equipe Williams Valtteri Bottas completou o pódio. Bottas usou uma estratégia supersoft-soft-soft.
Depois de ser excluído da qualificação, os dois pilotos da Red Bull começou a partir do pitlane, adotando uma estratégia de soft-soft-supersoft similar. Isso ajudou Daniel Ricciardo para terminar em quarto, depois de ter subido tão alto como em terceiro lugar, e estabeleceu a volta mais rápida da corrida. Ricciardo também foi o maior finalizador colocado para começar a corrida com o pneu macio, com todos, mas seis pilotos de iniciar o grand prix na supersoft.
Com a queda dos temperaturas da pista e do ar, o circuito tendem a chegar mais rápido como a corrida progrediu, o que significa que as equipes tiveram que controlar o desgaste dos pneus e degradação cuidadosamente. Ambos os compostos realizado exatamente em linha com as expectativas, permitindo que pilotos e equipes para empurrar ao máximo.
Diretor de automobilismo da Pirelli, Paul Hembery, disse: "Parabéns a Lewis Hamilton para a conquista do título, e também para Nico Rosberg, que lhe forneceu fantástica oposição durante todo o ano. Os pneus realizada como se esperava-los para cá, em linha com os dados que havia coletado antes da corrida. Vimos uma grande variedade de estratégias interessantes no trabalho hoje, com Massa mostrando a velocidade do supersoft no final da corrida, e Ricciardo colocando em um grande desempenho na parte de trás depois de iniciar no macio. Tem sido um fim fascinante para uma temporada convincente, mas já estamos voltando nossa atenção para 2015, tal como nós embarcar no teste final da temporada aqui na próxima semana na terça-feira e quarta-feira, onde alguns dos nossos novos pneus farão sua estréia. "
Vezes mais rápido do dia por composto:
  Supersoft macio Intermediate Wet
Primeiro Ric 1m44.496s Ham 1m45.599s N / A N / A
Segunda Mas 1m44.826s Bot 1m45.727s N / A N / A
Terceiro Vet 1m45.552s Ric 1m46.098s N / A N / A
Longest stint da corrida:
Supersoft Hulkenberg (18 voltas)
Macio Grosjean (33 voltas)
Truth-O-Meter:
Nós previmos duas paradas como sendo a estratégia mais rápida para a corrida de 55 voltas, com início no supersoft e depois mudar para o suave no voltas oito e 31. Hamilton seguiu exatamente essa estratégia, mas foi um pouco mais longo do que o esperado em sua primeira passagem supersoft, parando em voltas 10 e 31.

 

Google Tradutorf22 Copyf23 Copyf24 Copyf25 Copyf26 Copyf27 Copyf28 Copyf29 Copyf30 Copyf31 Copyf32 Copyf33 Copyf34 Copyf35 Copyf36 Copyf37 Copyf38 Copyf39 Copyf40 Copyf41 Copyf42 Copyf43 Copyf44 Copyf45 Copyf46 Copyf48 Copyf49 Copyf50 Copy

 

HAMILTON VENCE MUNDIAL DE F 1

 

Lewis Hamilton vence Mundial de Pilotos da Fórmula 1 em 2014
• MERCEDES AMG PETRONAS alcança os dois primeiros lugares no mundial de pilotos da Fórmula 1;
• Lewis Hamilton é o primeiro condutor dos míticos Silver Arrows a vencer o título desde Juan Manuel Fangio, em 1955;
• Nico Rosberg termina a época com a segunda posição no mundial de pilotos;
• 16 vitórias, 18 pole positions e 31 pódios em 2014 para a primeira época dos Silver Arrows na nova era hibrida da Formula 1;
• Mercedes-Benz celebra deste modo 120 anos de desporto automóvel e o 80º aniversário do Silver Arrows.
Foi um final de época de Fórmula 1 triunfante para a equipa MERCEDES AMG PETRONAS, com Lewis Hamilton a vencer o título mundial de pilotos no circuito de Yas Marina, em Abu Dhabi, e a sagrar-se assim bicampeão de Fórmula 1 na sua carreira.
O seu colega de equipa Nico Rosberg termina o campeonato na segunda posição no mundial de pilotos. Em conjunto, Hamilton e Rosberg acumularam 16 vitórias em 2014, 18 pole positions, 12 das voltas mais rápidas e um total de 31 pódios para a equipa.
Com 11 vezes a terminaram na primeira e segunda posição, a equipa MERCEDES AMG PETRONAS ultrapassou o recorde estabelecido pela McLaren em 1988. A 16ª vitória alcançada no Grande Prémio de Abu Dhabi faz da MERCEDES AMG PETRONAS a equipa com o maior número de vitórias numa única época de Fórmula 1.
Lewis Hamilton_1_CopyLewis Hamilton_2_Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2014 Abu Dhabi Grand Prix - pneu Começando line-up
No Abu Dhabi Grand Prix 2014 os motoristas começaram a corrida com os seguintes pneus:
VETTEL SOFT
Ricciardo SOFT
HAMILTON SUPERSOFT
ROSBERG SUPERSOFT
Raikkonen SUPERSOFT
ALONSO SUPERSOFT
MALDONADO SUPERSOFT
GROSJEAN SUPERSOFT
BUTTON SUPERSOFT
MAGNUSSEN SOFT
PEREZ SOFT
Hulkenberg SOFT
GUTIERREZ SUPERSOFT
SUTIL SUPERSOFT
VERGNE SOFT
Kvyat SUPERSOFT
Bottas SUPERSOFT
MASSA SUPERSOFT
KOBAYASHI SUPERSOFT
ERICSSON SUPERSOFTf1 Copyf2 Copyf3 Copyf5 Copyf6 Copyf7 Copyf8 Copyf9 Copyf10 Copyf11 Copyf12 Copyf13 Copyf15 Copyf16 Copyf17 Copyf18 Copyf19 Copyf20 Copyf21 Copy

 

FERNANDO ALONSO REGRESSA À MCLAREN

FERNANDO ALONSO REGRESSA À FÓRMULA 1

 

O piloto espanhol Fernando Alonso vai regressar em 2015 ao volate do McLaren,depois dumas épocas na Ferrari.Nada foi ainda comunicado oficialmente, mas no paddock, rapidamente se soube da nova equipa, numa altura em que Vettel já foi anunciado na marca italiana, no lugar de Alonso, tendo como colega de equipa Raikonen.

 

No seio da McLaren, para já tudo em silencio, mas o mais provavel seja Button a sair, pois no mercado falou-se no Campeonato da WEC, inicialmente a Porsche, mas agora fala-se igualmente na Toyota e na Nissan, mas vamos ter de esperar para ver qual a decisão do piloto inglês, que pelos vistos segue os mesmos passos de Mark Webber, que no ano passado deixou a Red Bull e foi para a Porsche.f639 Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2014 Abu Dhabi Grand Prix - Qualifying
  Nico Rosberg RECLAMAÇÕES POLE PARA CAMPEONATO DECIDER
ON P ZERO RED SUPERSOFT PNEUS
  TWO-STOP estratégia mais prováveis: TRÊS-STOP SPRINT ESTRATÉGIA
TAMBÉM É POSSÍVEL
  Temperaturas da pista superior a 30 graus, até mesmo à noite
  f218 -_Cpia_Copyf411 Copyf412 Copyf413 Copyf414 Copyf415 Copyf416 Copyf417 Copyf418 Copyf419 Copyf420 Copyf421 Copyf435 Copyf434 Copyf433 Copyf432 Copyf431 Copyf430 Copyf429 Copyf428 Copyf427 Copyf426 Copyf425 Copyf424 Copyf423 Copyf422 Copyf421 Copyf420 Copy o piloto da Mercedes Nico Rosberg assumiu a pole position para o Grande Prêmio de Abu Dhabi a partir de seu companheiro de equipe Lewis Hamilton, usando o pneu supermacio P Zero Red, que é pouco mais de um segundo mais rápido que o macio P Zero Amarelo pneu que também foi nomeado para a última corrida da temporada. Estatisticamente, em cinco corridas realizadas até agora em Abu Dhabi, a posição pole só passou a ganhar o grand prix uma vez (Sebastian Vettel em 2010), enquanto o segundo lugar no grid ganhou três vezes. Mercedes agora iguala o recorde mundial de 12 bloqueios da linha de frente em uma temporada.
Condições permaneceu seco e quente, como tem sido o caso todo fim de semana, com a sessão Q3 definitiva início logo após a 17:40 com a temperatura da pista de 31 graus centígrados e ambiente de 27 graus centígrados. Temperaturas da pista caiu ao longo da sessão, que alterou o padrão habitual da evolução pista e tornava difícil saber em que ponto em cada sessão do circuito foi o mais rápido.
Williams Valtteri Bottas foi o único piloto a completar Q1 usando apenas o pneu macio, com todos os outros que usam o supermacio. Com o esperado macio para ser o principal pneu de corrida, as equipes geralmente usado o mais rápido supersoft na qualificação.
Em ambos Q1 e Q2, os pilotos da Mercedes usado apenas um conjunto de supersofts em cada sessão, juntamente com a da Red Bull, Daniel Ricciardo. A posição contendores pólo todos completou duas corridas no pneu supermacio no Q3, com Rosberg indo mais rápido na primeira corrida depois de Hamilton cometeu um pequeno erro. Hamilton escolheu para executar passado para a parte final do Q3, mas não conseguiu bater o seu companheiro de equipe, enquanto Bottas qualificado terceiro.
Após Hamilton foi o mais rápido nas duas sessões de treinos livres de ontem, Rosberg foi o mais rápido nas condições quentes do FP3 esta tarde, usando o pneu supermacio.
Diretor de automobilismo da Pirelli, Paul Hembery, disse: "Com tanta coisa em jogo, foi uma sessão de qualificação emocionante que, como de costume desci até os segundos finais muito. Desempenho do pneu ficou em linha com as nossas expectativas, e com o primeiro stint em especial amanhã no pneu supermacio será crucial na determinação do comprimento stint para o resto do grand prix. Nós ainda estamos olhando para duas paradas para a corrida, com a possibilidade de três para alguns concorrentes ".
O preditor estratégia Pirelli:
A estratégia de duas paradas é teoricamente mais rápido para a corrida de 55 voltas. A estratégia mais rápida vai: começar em supersoft, mude para suave na oitava volta, então macio novamente na volta 31. A estratégia de sprint de três paradas também é viável, mas traz riscos em termos de tráfego. A estratégia de três paradas mais rápida é: comece em supersoft, mude para suave na sétima volta, macio novamente na volta 23 e macio, mais uma vez na volta 39. Enquanto não há também muitos altos preensão com tráfego, esta estratégia é, em teoria menos de dois segundos mais lento ao longo da distância da corrida cumulativo 305,355 quilômetros. Com apenas uma probabilidade de carro de segurança de 40%, isso não é, historicamente, um fator-chave na estratégia.
Compostos mais rápidos FP3:
  Rosberg 1m41.424s novo Supersoft
  Hamilton 1m41.793s novo Supersoft
  Massa 1m42.429s novo Supersoft
Top 10 utilização de pneus:
  Rosberg 1m40.480s novo Supersoft
  Hamilton 1m40.866s novo Supersoft
  Bottas 1m41.025s novo Supersoft
  Massa 1m41.119s novo Supersoft
  Ricciardo 1m41.267s Supersoft usado
  Vettel 1m41.893s novo Supersoft
  Kvyat 1m41.908s Supersoft usado
  Botão 1m41.964s novo Supersoft
  Raikkonen 1m42.236s novo Supersoft
  Alonso 1m42.866s novo Supersoft

 

FORMULA E NA MALÁSIA

Nervos de aço, 16 posições e a liderança do campeonato: foi o sábado de Di Grassi na Malásia

Mesmo com uma batida durante o treino de definição do grid e apenas o 18º lugar para a largada, primeiro vencedor da história da Fórmula E cruzou a linha de chegada na segunda posição e manteve a ponta na tabela

O calor e a umidade elevados são características típicas da Malásia, país que recebeu, na cidade de Putrajaya, a segunda etapa da Fórmula E, primeiro campeonato de carros elétricos chancelado pela FIA. E o objetivo do brasileiro Lucas di Grassi, primeiro vencedor da história da categoria, era manter a liderança do campeonato.

O piloto da Audi Sport ABT viu que a missão seria das mais complicadas após um toque no muro do circuito de 2,5 quilômetros montado nas ruas de Putrajaya, durante o treino classificatório. Com três horas entre a sessão que define o grid e a largada, a missão da equipe era difícil, mas tinha que ser cumprida com rapidez e eficiência.

Assim, Di Grassi foi relegado ao 18º lugar entre os 20 inscritos, com pole position do espanhol Oriol Servià em uma corrida muito mais movimentada do que a que foi vista na abertura da temporada na capital chinesa. Alguns acidentes, uma entrada do safety car, um ritmo seguro, rápido e eficiente, Lucas foi subindo de posições mesmo após o pit stop para troca de carro.

"Lucas mostrou ter nervos de aço", destacou o chefe da equipe Audi Sport ABT, Hans-Jürgen Abt. "Fazer o que ele fez apenas três horas depois de ter escorregado no treino de classificação mostra sua verdadeira força", elogiou.

Ao final das 31 voltas de prova, o brasileiro cruzou a linha de chegada em segundo lugar, apenas 4s175 depois do vencedor da prova, o britânico Sam Bird, da Virgin. A dupla é a que teve o melhor aproveitamento na soma de pontos nas duas primeiras corridas da temporada: Bird foi terceiro em Pequim e venceu em Putrajaya, somando agora 40 pontos, ao passo que Di Grassi venceu na China e foi segundo na Malásia e conta agora 43. Os dois pilotos abriram grande distância para o restante do grid na tabela: o terceiro colocado é Franck Montagny, com 18 pontos, empatado com Karun Chandhok, Jerôme D’Ambrosio e Nicolas Prost.

"O fim de semana foi além das minhas expectativas. Todos estão aqui para vencer, todos forçam até o limite e o traçado provou que estes carros são manhosos de pilotar. A menor margem pode arruinar seu fim de semana e foi o que me aconteceu no treino classificatório; então, ir do final do grid para o segundo lugar na corrida, em uma pista de rua, traz um sentimento incrível. Sinto que fiz uma corrida muito melhor aqui do que em Pequim, onde venci", falou o piloto da Audi.

Além da comparação no próprio desempenho, Lucas também destacou que o segundo e-Prix da Fórmula E foi melhor, em termos gerais, do que a estreia da categoria.

"Parabéns aos vencedores e também para os organizadores. Foi um evento perfeito. Naturalmente, eu nem sonhava com um resultado como o de hoje depois do treino classificatório que tive. Antes da corrida, no entanto, conversamos na equipe e dissemos que nunca desistiríamos - essa força de vontade valeu a pena e é uma de nossas forças. Trabalhar junto, como equipe, é extremamente divertido. Agora temos mais duas corridas dentro das próximas sete semanas, então a Fórmula E está agora embalando - e mal posso esperar".

O terceiro e-Prix da temporada acontece em Punta del Este, no Uruguai, no dia 13 de dezembro. Antes disso, porém, Lucas di Grassi retorna ao Brasil para a disputa das 6 Horas de São Paulo no circuito de Interlagos, etapa final do Campeonato Mundial de Endurance, onde também compete pela Audi.

Confira o resultado do e-Prix de Putrajaya (top-10):
1-) Sam Bird (GBR/Virgin) - 31 voltas;
2-) Lucas di Grassi (BRA/Audi ABT) - a 4s175
3-) Sébastien Buemi (SUI/e.Dams) - a 5s739
4-) Nicolas Prost (FRA/e.Dams) - a 9s552
5-) Jerôme D’Ambrosio (BEL/Dragon) - a 13s722
6-) Karum Chandhok (IND/Mahindra) - a 17s158
7-) Oriol Servià (ESP/Dragon) - a 18s621
8-) Antonio Felix da Costa (POR/Aguri) - a 19s926
9-) Jaime Alguersuari (ESP/Virgin) - a 20s053
10-) Daniel Abt (ALE/Audi ABT) - a 45s663

Classificação da Fórmula E após duas etapas (top-6):
1-) Lucas di Grassi, 43 pontos;
2-) Sam Bird, 40
3-) Franck Montagny, 18
4-) Karun Chandhok, 18
5-) Jerôme D’Ambrosio, 18
6-) Nicolas Prost, 18



Curta Lucas di Grassi no Facebook: Lucas di Grassi Official

Siga Lucas di Grassi no Twitter: @lucasdigrassi

E também no Instagram: @lucasdigrassi

Conheça a categoria em: www.fiaformulae.com



FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Depois de toque no muro em treino, Lucas concluiu que missão seria difícil
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
E após a bandeira quadriculada, brasileiro comemorou efusivamente com o time
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Recuperação espetacular fez Lucas (de vermelho) comemorar como vitória
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Comemoração foi mais efusiva que até mesmo na ocasião da vitória em Pequim
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
O e-Prix de Putrajaya foi mais movimentado que a prova inaugural de Pequim
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Circuito de 2,5 km foi montado em um dos belos cartões postais da cidade malaia
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Di Grassi elogiou o trabalho da equipe no curto tempo entre treino e largada
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Próxima missão é as 6 Horas de São Paulo, pelo WEC, em Interlagos
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
E o próximo encontro da Fórmula E será em 13/12 em Punta del Este, no Uruguai
Alta | Web

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2014 Abu Dhabi Grand Prix - sessões de treinos
  PERFORMANCE GAP de cerca de 1,2 segundos entre SOFT
E SUPERSOFT compostos assim FAR
  QUEDA temperaturas da pista IN FP2 CLOSELY REPRESENTANTE
DA PROVA: HAMILTON mais rápido na SUPERSOFT
  Uma variedade de estratégias diferentes são possíveis para o GRAND PRIX
  f216 Copyf217 Copyf218 Copyf219 Copyf220 Copyf221 Copyf222 Copyf223 Copyf224 Copyf225 Copyf226 Copyf227 Copyf228 Copyf230 Copyf231 Copyf232 Copyf233 Copyf234 Copyf235 Copyf236 Copyf237 Copyf238 Copyf239 Copyf240 Copyf300 Copyf301 Copyf302 Copyf303 Copyf304 Copyf400 Copyf402 Copyf403 Copyf404 Copyf405 Copyf406 Copyf407 Copyf408 Copyf409 Copyf410 Copy A GP de Abu Dhabi começa no final da tarde e termina à noite, o que significa que raramente acompanhar as temperaturas tendem a cair à medida que a corrida continua. Condições em FP2, iniciada em 17:00, vai ser representativa da corrida, mas a FP1 anterior seguiu padrão diferentes, com temperaturas pista e ar subindo.
Isto teve um efeito sobre o desempenho dos pneus, com os dois pneus mais macios no intervalo indicado para o grand prix final do ano no circuito de baixa abrasão Yas Marina: P Zero Amarelo macio e supermacio P Zero Vermelho. Na segunda sessão, houve alguma granulação de luz com o supermacio só no pneu frontal direito em particular.
As equipes se concentrou na sessão da tarde, a fim de determinar a qualificação e corrida set-up, em ambos os compostos com cargas altas e baixas de combustível. As informações obtidas irão decidir a estratégia utilizada para a corrida, com dois pit stops olhando como a opção mais provável, neste ponto, para a maioria dos concorrentes. O tempo mais rápido do dia foi estabelecido pelo piloto da Mercedes Lewis Hamilton em FP2 no pneu supermacio, que estabeleceu um valor de referência de 1m42.113s.
A diferença de desempenho entre os dois compostos é atualmente cerca de 1,2 segundos, mas é provável que desça para cerca de um segundo sobre o resto do fim de semana como as borrachas de trilha em e evolui. Os dois protagonistas do campeonato dominado as sessões de treinos livres, com Hamilton e Nico Rosberg terminar em primeiro e segundo lugar de cada um.
Paul Hembery: "Temos que fora ao começo que esperávamos em Abu Dhabi: a corrida que vai decidir o campeonato mundial. O desgaste e degradação é baixa no pneu macio, que esperamos ser o principal pneu de corrida. Com um intervalo de pouco mais de um segundo entre os dois compostos, pensamos que o supermacio será a melhor escolha para a qualificação, mas esta diferença de tempo deixa muitas opções de estratégia aberta: talvez com alguns ganhos interessantes a serem gerados pela execução da estratégia inversa e utilizando o primeiro pneu suave no início da corrida. "
FP1: FP2:
1.Hamilton 1m43.476s macio usado 1.Hamilton 1m42.113s novo Supersoft
2.Rosberg 1m43.609s macio usado 2.Rosberg 1m42.196s novo Supersoft
3.Alonso 1m45.584s macio 3.Magnussen novo 1m42.895s novo Supersoft
Estatísticas de pneus do dia:
  Supersoft macio Intermediate Wet
kms conduzido * 1460 4737 0 0
conjuntos utilizados global ** 19 0 0 62
maior número de voltas ** 19 31 0 0
* O número acima apresenta o montante total de quilómetros percorridos no FP1 e FP2 hoje, todos os drivers combinados.
** Por composto, todos os drivers combinado.
Pirelli fato do dia:
Abu Dhabi organizou um teste exclusivo para Pirelli em janeiro de 2011: a única vez na história da Fórmula Um que um carro foi executado no molhado durante a noite. Pedro de la Rosa dirigiu Toyota TF109 carro de teste da Pirelli no teste de pneus de chuva, com o circuito artificialmente umedecido com 140 mil litros de água.

 

ROSBERG COM O MELHOR TEMPO EM ABU DHABI

 

ROSBERG COM O MELHOR TEMPO

 

 

Niko Rosberg foi o autor do melhor tempo de treinos para o Grande Prémio do Abu Dhabi, que irá encerrar a época do Mundiald e Fórmula 1.A seu lado Rosber, terá o seu coelga de equipa Hamilton, enquato a segunda linha da grelha será ocuipada pelos Williams  de Bottas e Massa, ficando a lina seguinte nas ma~so dos Red Bull, com Ricciardo e Vettel.A 4º linha foi pertença do Toro Rosso com Kvyat e o McLaren de Button, ficando o "top ten" completo em termos de grelha com os Ferrari de Raikonen e Alonso.f161 Copyf162 Copyf163 Copyf164 Copyf165 Copyf166 Copyf167 Copyf168 Copyf169 Copyf170 Copyf171 Copyf172 Copyf173 Copyf175 Copyf176 Copyf177 Copyf178 Copyf179 Copyf180 Copyf182 Copyf183 Copyf184 Copyf185 Copyf186 Copyf187 Copyf188 Copyf189 Copyf190 Copyf214 Copyf213 Copyf212 Copyf211 Copyf210 Copyf209 Copyf206 Copyf205 Copyf204 Copyf203 Copyf202 Copyf201 Copyf200 Copyf199 Copyf198 Copyf196 Copyf195 Copyf194 Copyf193 Copyf192 Copyf191 Copyf190 Copy

 

G.P.F 1 EM ABU DHABI

GRANDE PRÉMIO DE FÓRMULA 1 EM ABU DHABI

 

HAMILTON PARA JÁ NA FRENTE DE ROSBERG

 

 

Nos treinos livres para o derradeiro Grande Prémio deste ano, para já é Lewis Hamilton quem está na liderança, tendo logo atrás de si, o seu colega de equipa Niko Rosberg, ambos ao volante dos Mercedes.Depois na 3ª posição surge o McLaren de Magnussen, seguido pelo Red Bull REnault de Vettel, e o Willima sde Bottas.Na 6ª posição ficou o Red Bull de Ricciardo, seguido pelo Ferrari de Raikonen, ficando o "top ten" completo com o McLaren de Button, o Toto Rosso de Kvyat e o Williams de Filipe Massa.f1 Copyf2 Copyf3 Copyf4 Copyf5 Copyf6 Copyf7 Copyf8 Copyf9 Copyf10 Copyf11 Copyf12 Copyf13 Copyf14 Copyf15 Copyf16 Copyf17 Copyf18 Copyf19 Copyf100 Copyf101 Copyf102 Copyf103 Copyf104 Copyf105 Copyf106 Copyf107 Copyf150 Copyf160 Copyf159 Copyf158 Copyf157 Copyf156 Copyf155 Copyf154 Copyf153 Copyf152 Copyf151 Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

GP de abu dhabi  de 20  a 23  de NOVEMBRO  de 2014

 

pneus macios e super macios para o último grande prémio da época

 

excelente piso e curvas a 90º graus para a decisão do campeonato, com pontos a dobrar por atribuir

 

testes de dois dias, após o grande prémio

 

 

O ultimo grande prémio da temporada terá lugar em Abu Dhabi e serão usados os pneus com compostos macios e super macios, uma opção mais suave que os seleccionados no ano passado(compostos médios e macios). Yas Marina é um circuito que a Pirelli conhece bem, uma vez que realizou testes privados em 2011, antes de entrar novamente na Formula Um, como assim, Abu Dhabi também é um local bem conhecido pelos testes oficiais. Este ano, não será excepção com dois dias de testes de final de época, agendados para terça e quarta-feira, logo após o Grande Prémio.

 

O piso da pista é excelente, e possui uma série de curvas a 90 graus. A outra característica deste grande prémio, tal como o Bahrein, ambos começam ao final da tarde e terminam à noite, o que significa que a pista tende a arrefecer com o desenrolar da corrida, o que condiciona a estratégia.

 

No presente ano, o dobro dos pontos estão em disputa, originando que os riscos são acrescidos e que as equipas irão concentrar-se mais que nunca na estratégia a adoptar, para que seja prioritário terminar a corrida.

 

O clima tende a ser quente e seco, com a pista a proporcionar a utilização dos pneus com os compostos macios e supermacios, os pneus mais rápidos da gama Pirelli.

 

 

Paul Hembery (Responsável da Pirelli Motorsport): ” É sempre um prazer regressar a Abu Dhabi, e este ano, a prova ainda terá mais significado que o costume, com o campeonato de pilotos a decidir com a atribuição do dobro dos pontos disponíveis. Normalmente a estratégia é condicionada pela invulgar evolução das condições da pista, devido à queda das temperaturas ao longo da tarde, quando a corrida tem o seu inicio. Este caso, é o mesmo que no Bahrein, no inicio do ano, acabou por ser uma das mais espectaculares e imprevisíveis corridas da época. Como resultado, as sessões de treinos livres serão cruciais para as equipes reunirem a máxima informação possível, acerca do comportamento dos carros com ambos os compostos, não apenas com as diferentes cargas de combustível, mas também pelas diferentes temperaturas da pista. Com tantos pontos em disputa, existe uma grande oportunidade para as equipes que têm menos a perder para tentar uma estratégia inesperada, de modo a obter alguns pontos significativos.“

 

Jean Alesi (Consultor da Pirelli): “ Eu nunca conduzi um carro de Fórmula Um em Abu Dhabi, mas gosto da pista, especialmente pelos elevados níveis de segurança e a longa recta proporciona várias oportunidades para ultrapassar, também graças ao uso do DRS. A capacidade de adaptação às situações de mudança é um factor essencial, uma vez que a corrida tem o seu inicio às 5 da tarde e as temperaturas de ambiente e pista baixam gradualmente, o que afectam a pressão dos pneus. Tenho dito, que a maior pressão que os pilotos vão sentir este ano, é o facto que os pontos desta corrida são a dobrar. Mesmo com a vantagem dos pontos normal, o actual líder do campeonato poderia dar tudo a perder, apenas por um pequeno erro ”.

O circuito do ponto de vista dos pneus:

O pneu com composto super macio é um composto de baixa gama de trabalho, capaz de alcançar um ótimo desempenho, mesmo numa vasta gama de temperaturas baixas. O pneu macio é um composto de alta gama de trabalho. Com os dois compostos mais macios da gama e o excelente piso da pista, certamente que o Warm-up não será um problema.

 

Esperamos um certo índice de degradação térmica que pode influenciar as estratégias  e a afinação dos carros. A primeira e terceira sessões de treinos livres, geralmente são realizadas em condições que não representam a corrida e qualificação, porque são disputadas durante o dia, com temperaturas muito mais altas.

 

A primeira parte do circuito contém uma série de curvas rápidas, as quais aquecem repentinamente o pneu, em seguida este arrefece numa longa recta, com os carros em aceleração total durante aproximadamente 15 segundos, o equivalente a 800 quilos de “downforce”.

 

De modo a obter a máxima aderência, geralmente em Abu Dhabi os carros são afinados para colocar a parte traseira mais macia, no entanto este facto, poderá ocasionar um aumento do desgaste do pneu traseiro. Se a afinação é dura na traseira, o problema oposto poderá acontecer com o excessivo “patinar” dos pneus, que também degrada os pneus.

 

A estratégia vencedora no ano passado foi de duas trocas de pneus, com Sebastian Vettel em Red Bull a parar nas voltas 14 e 37. O Alemão iniciou com o composto macio, e completou os dois últimos turnos com pneus de composto médio.

 

Mais informações sobre Abu Dhabi, e procura de informação sobre os pneus, pode ser visualizado numa animação realizada em 3D com um novo visual produzido pela Pirelli.

 

Videos e fotografias de livre utilização, disponíveis em www.pirelli.com/f1pressarea

 

As escolhas de pneus até agora:

 

 

P Zero vermelho

P Zero

Amarelo

P Zero

Branco

P Zero Laranja

Australia

 

Macio

Medio

 

Malasia

 

 

Medio

Duro

Bahrein

 

Macio

Medio

 

China

 

Macio

Medio

 

Espanha

 

 

Medio

Duro

Mónaco

Super macio

Macio

 

 

Canadá

Super macio

Macio

 

 

Áustria

Super macio

Macio

 

 

Inglaterra

 

 

Médio

Duro

Alemanha

Super macio

Macio

 

 

Hungria

 

Macio

Medio

 

Bélgica

 

Macio

Medio

 

Itália

 

 

Médio

Duro

Singapura

Super macio

Macio

 

 

Japão

 

 

Médio

Duro

Russia

 

Macio

Medio

 

USA

 

Macio

Medio

 

Brasil

 

Macio

Medio

 

Abu Dhabi

Super macio

Macio

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Revista P Zero:

A nova revista P Zero, uma inovação da Pirelli para a presente temporada, contém factos sobre o Grande Prémio de Abu Dhabi e do seu ilustre património. Esta nova e dinâmica revista electrónica, contém um vídeo e outros conteúdos interativos atualizados no fim de semana.

Podemos visitar através do site Pirelli, com o seguinte link : http://magazine.pzero.com

 

DI GRASSI NA MALÁSIA

Fórmula E: Di Grassi busca manter liderança na Malásia

Categoria dos velozes monopostos elétricos desembarca para a segunda etapa, na cidade de Putrajaya

Lucas di Grassi já escreveu seu nome na história do automobilismo ao vencer a primeira etapa da Fórmula E, categoria já conhecida pelo ineditismo de colocar, em circuitos de rua, velozes monopostos movidos a eletricidade e que vão de zero a 100 km/h em 2,5 segundos. Com o intervalo de mais de um mês entre a etapa inaugural, em Pequim, e a prova deste final de semana em Putrajaya, na Malásia, o brasileiro da equipe Audi ABT busca usar a experiência adquirida para manter a liderança do campeonato.

Di Grassi, com a vitória, soma 25 pontos diante de 18 do francês Franck Montagny e 15 do britânico Sam Bird. "Depois de um começo como o da China, com a vitória, foi até difícil esperar tanto tempo para entrar no carro da Fórmula E novamente. O bom é que neste intervalo eu estive completamente concentrado no FIA WEC e disputamos três etapas. Pelo menos agora estou chegando ao final da maratona!", disse Lucas.

O brasileiro encara no mês de novembro uma verdadeira maratona. Com a Audi, disptou as 6 Horas de Xangai no dia 2; e as 6 Horas do Barein no último fim de semana; disputa agora a segunda etapa da Fórmula E na Malásia e no dia 30 volta ao cockpit do Audi R18 e-tron quattro para as 6 Horas de São Paulo no autódromo de Interlagos.

Só de avião, nos deslocamentos, foram mais de 90 horas de voo. E ele ainda arrumou um tempo para disputar uma prova de triatlo com distância equivalente a meio IronMan. "Já estava no clima de maratona, então disputei um triatlo em Dubai com equipamento emprestado, e deu tudo certo", disse. Lucas disputou o Dubai International Triathlon. O percurso tinha 1,9 quilômetro da prova de natação, 21,1 de corrida e 90 pedalando. Ele completou a prova em 5h37min, tendo ingerido sete litros de líquidos durante a prova, queimando 4.836 Kcal e eliminando no total 2,7 quilos

O circuito urbano de Putrajaya tem 2,5 quilômetros de extensão e 12 curvas, girando no sentido horário. "Comparado com o traçado de Pequim, é um pouco mais curto, e parece ser mais exigente. O grande barato é que todos os circuitos são novos para todos os pilotos, então o segredo é se adaptar o mais rápido possível", afirmou.

"Claro que, como piloto, o objetivo é vencer sempre, mas a Fórmula E é imprevisível. Todos dispõem do mesmo material em mãos, a diferença nos tempos de volta é mínima e em pistas novas cada piloto reage de uma maneira e coloca suas características de maneira distinta e em pontos distintos do traçado. Nosso objetivo é o de sempre: vencer. E se não for possível, então vamos para um pódio ou somar pontos valiosos", resumiu o primeiro vencedor da história de uma competição de carros elétricos sancionada pela FIA.

Concentração é o ingrediente principal, de acordo com o piloto da Audi ABT. "A vitória em Pequim é uma bela lembrança - não mais que isso. Por isso que agora estamos nos preparando com a mesma concentração e vamos buscar outro fim de semana impecável com o time", concluiu.

O segundo e-Prix da temporada da Fórmula E acontece neste sábado (22), com transmissão ao vivo pelo canal Fox Sports. Treinos livres, classificação e corrida acontecem no mesmo dia. A largada acontece às quatro horas da madrugada de sexta (21) para sábado (22).


Curta Lucas di Grassi no Facebook: Lucas di Grassi Official

Siga Lucas di Grassi no Twitter: @lucasdigrassi

E também no Instagram: @lucasdigrassi

Conheça a categoria em: www.fiaformulae.com


l

Audi Sport
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Lucas di Grassi diz que experiência do primeiro e-Prix ajudará na fluidez
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Pilotos, segundo ele, já entendem melhor o comportamento do carro
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Brasileiro lidera o campeonato após a vitória no e-Prix de Pequim
Alta | Web

FIA Formula E
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Prova da Malásia terá transmissão pelo Fox Sports às 4 da manhã do dia 22
Alta | Web

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

SOFT E SUPERSOFT para a final GRAND PRIX DA TEMPORADA
LISOS asfalto e 90 graus CANTOS PARA O CAMPEONATO DECIDER, com pontos de duplos à sua disposição
  DOIS DIAS APÓS O TESTE do Grande Prémio
 O último Grande Prémio da temporada terá lugar em Abu Dhabi, usando o pneu macio e supermacio: um passo mais suave do que a nomeação de médio e macio do ano passado. Yas Marina é um circuito que Pirelli conhece bem, tendo completado alguns de seus testes privados lá antes de entrar Formula One de volta em 2011, com Abu Dhabi ser um local bem conhecido para os testes oficiais também. Este ano não é excepção, com o teste de dois dias final da temporada a ter lugar logo após o Grand Prix, a partir de terça-feira para quarta-feira.
A superfície da pista é muito bom, com uma variedade de curvas de 90 graus. A outra característica que define o Grand Prix é que, como Bahrein, que começa no final da tarde e termina à noite - o que significa que a pista tende a arrefecer como a corrida continua, o que afeta a estratégia.
Este ano, o dobro de pontos estão em oferta, de modo que os riscos são ainda maiores e as equipes irão se concentrar em estratégia mais do que nunca, enquanto priorizando um acabamento seguro.
O clima tende a ser quente e seco, com a faixa bem adequada para os supermacios e macios compostos: os pneus mais rápidos da gama da Pirelli.
Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli: "É sempre um prazer voltar a Abu Dhabi eo evento deste ano será ainda mais significativa do que o habitual, com o campeonato de pilotos e sendo decidido o dobro de pontos disponíveis. A estratégia é normalmente muito afetado pela evolução pista incomum, devido às temperaturas caem causados pelo início da tarde. Este foi o caso no Bahrein, bem como, que acabou por ser uma das corridas mais emocionantes e imprevisíveis da temporada, no início deste ano. Como resultado, as sessões de treinos livres será particularmente importante, já que as equipes tentam reunir o máximo de informação possível sobre a forma como o carro vai realizar em ambos os compostos: não só com diferentes cargas de combustível, mas também com diferentes temperaturas da pista. Como tantos pontos estão em oferta, há uma grande oportunidade para as equipes que têm menos a perder para tentar uma estratégia inesperada, a fim de fazer alguns ganhos potencialmente significativos. "
Jean Alesi, consultor Pirelli: "Eu nunca dirigi um carro de Fórmula Um em Abu Dhabi, mas eu gosto da pista, especialmente por causa de seus elevados níveis de segurança ea longa reta que oferece algumas oportunidades de ultrapassagem, graças também ao uso de DRS. Como a corrida começa às 17:00, com ambiente e acompanhar as temperaturas caindo gradualmente, a capacidade de se adaptar a uma situação de mudança é essencial. Estas condições variáveis afetam a pressão dos pneus também. Tendo dito isso, o maior estresse para os motoristas este ano será o fato de que a corrida conta para o dobro de pontos. Mesmo com a vantagem normalmente qui ponto importante, actual líder do campeonato podia ver tudo tirado dele por apenas um simples erro ".
O circuito do ponto de vista dos pneus:
O pneu supersoft é um composto de baixo alcance de trabalho, capazes de alcançar um desempenho óptimo, mesmo a uma ampla gama de temperaturas baixas. O pneu macio é um composto de alta gama de trabalho. Com os dois compostos mais macios da gama e uma superfície de pista lisa, warm-up não deve ser um problema.
Podemos esperar um certo grau de degradação térmica que possa influenciar as estratégias ea configuração dos carros. A primeira ea terceira sessões de treinos livres são geralmente executados em condições que não são representativas para a qualificação e corrida devido a temperaturas muito mais altas experimentadas durante o dia.
A primeira parte do circuito de forma eficaz consiste de uma série de curvas non-stop, a qual aquece o composto do pneu. O composto, em seguida, recebe uma chance de esfriar na longa reta, com os carros em aceleração total por cerca de 15 segundos, o equivalente a cerca de 800 quilos de downforce.
Para ajudar a ganhar força máxima, os carros são muitas vezes criados com uma extremidade traseira bastante suave em Abu Dhabi, mas isso pode levar a um aumento do desgaste do pneu traseiro. Se o set-up é muito dura na parte de trás, o problema oposto pode ocorrer: wheelspin excessiva, o que também leva a vida dos pneus.
A estratégia vencedora no ano passado foi um dois-rolha. Da Red Bull, Sebastian Vettel começou no pneu macio, sem caroço para o meio na volta 14, então confrontado novamente para o meio na volta 37 sem nunca perder a liderança.
Mais informações sobre Abu Dhabi pode ser encontrado em um vídeo de animação 3D produzido pela Pirelli. Este é livre de direitos autorais para uso de mídia na Fórmula Um site da Pirelli: www.pirelli.com/f1pressarea
As escolhas de pneus até agora:
  P Zero Red P Zero Yellow P Zero Branco P Zero Laranja
Austrália Suave Médio
Malásia Médio Difícil
Bahrain Suave Médio
China Suave Médio
Espanha Médio Difícil
Monaco Supersoft Macio
Canadá Supersoft Macio
Áustria Supersoft Macio
Grã-Bretanha Médio Difícil
Alemanha Supersoft Macio
Hungria Suave Médio
Bélgica Suave Médio
Itália Médio Difícil
Cingapura Supersoft suave
Japão Médio Difícil
Rússia Suave Médio
EUA Suave Médio
Brasil Suave Médio
Abu Dhabi Supersoft Macio
No P Zero Magazine:
A nova revista P Zero, uma inovação da Pirelli para esta temporada, contém fatos sobre o Grande Prêmio de Abu Dhabi, além de recursos, história e informação de fundo. Oficial e-magazine da Pirelli foi lançado este ano e também contém vídeos e outros conteúdos interativos atualizados no fim de semana. Ele pode ser acessado através do site da Pirelli no seguinte link: http://magazine.pzero.com/

 

Google Tradutor

 

GALERIA DE IMAGENS

GALERIA DE IMAGENS

 

 

GRANDE PRÉMIO DO BRAISL DE FÓRMULA 1

 

Grupo de imagens referentes ao Grande Prémio do Brasil de Fórmula 1, que decorreu no passado fim de semana no circuito de Interlagos na cidade de S.Paulo no Brasil.F214 CopyF215 CopyF216 CopyF217 CopyF218 CopyF219 CopyF220 CopyF221 CopyF222 CopyF223 CopyF224 CopyF225 CopyF226 CopyF227 CopyF228 CopyF229 CopyF230 CopyF231 CopyF232 CopyF233 CopyF234 CopyF235 CopyF236 CopyF237 CopyF238 CopyF239 CopyF240 CopyF241 CopyF242 CopyF243 CopyF244 CopyF245 CopyF246 CopyF247 CopyF248 CopyF250 CopyF252 CopyF254 CopyF256 CopyF257 CopyF258 CopyF259 CopyF260 Copyf270 Copyf271 Copyf272 Copyf273 Copyf274 Copyf280 Copyf281 Copyf282 Copyf283 Copyf284 Copyf285 Copyf286 Copyf287 Copyf288 Copyf289 Copyf290 Copyf295 Copyf296 Copyf297 Copyf298 Copyf299 Copyf300 Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2014 Grande Prêmio do Brasil - Corrida
Seis primeiros FINISHERS usar três-STOP ESTRATÉGIA NO BRASIL:
Raikkonen PARA DUAS VEZES
Mais QUENTES temperaturas da pista na história recente em Interlagos,
COMBINADO COM NOVO ASFALTO, proporcionar um desafio BIG
PARA Pneumáticos em primeiro turno
Batalha tática estreita entre pilotos da Mercedes para a vitória
f62 Copyf63 Copyf64 Copyf65 Copyf66 Copyf67 Copyf68 Copyf69 Copyf70 Copyf72 Copyf73 Copyf74 Copyf75 Copyf76 Copyf77 Copyf78 Copyf79 Copyf80 CopyF200 CopyF201 CopyF202 CopyF203 CopyF204 CopyF205 CopyF206 CopyF207 CopyF208 CopyF209 CopyF210 CopyF211 CopyF212 CopyF213 Copyo piloto da Mercedes Nico Rosberg fechou a lacuna no campeonato de pilotos com seu companheiro de equipe Lewis Hamilton depois de vencer o Grande Prêmio do Brasil de pólo, usando uma estratégia de três paradas. Rosberg fez uma passagem de abertura sobre o pneu macio e, em seguida completou a corrida com o pneu médio, em altas temperaturas que estavam em contraste com a chuva esperado.
Hamilton adotou uma estratégia semelhante para terminar vice-campeão, 1.5 segundos atrás de seu companheiro de equipe, depois de perder algum tempo, quando ele correu grande no início da corrida. Depois ambos fizeram seus pit stops finais, Hamilton foi capaz de usar os pneus que estavam uma volta mais fresco para desafiar Rosberg para a liderança, a criação de um final emocionante. No final, Rosberg selou sua oitava vitória na carreira e sua quinta vitória de 2014.
A maioria dos motoristas começou no pneu macio, que era até um segundo por volta mais rápido em torno de Interlagos do que o composto médio. Da Force India de Nico Hulkenberg adotou uma estratégia de três paradas alternativa, usando o pneu médio desde o início até o seu stint final sobre o macio. A velocidade extra no final da corrida o ajudou a terminar em oitavo, tornando-se quatro lugares de sua posição no grid. Daniil Kvyat (Toro Rosso) usou uma estratégia similar para terminar fora dos pontos do penúltimo lugar no grid.
Como esperado nas temperaturas da pista altas de mais de 50 graus - a mais alta visto no Grande Prêmio do Brasil nos últimos anos - a estratégia de três paradas, teoricamente, o mais rápido foi utilizado por quase todos os motoristas. O motorista mais bem colocado para parar apenas duas vezes foi da Ferrari Kimi Raikkonen, que terminou em sétimo após uma emocionante batalha que era tão intenso como o que ocorreu bem na frente do campo. Campeonato de pilotos será agora decidido na última corrida da temporada em Abu Dhabi, com o dobro de pontos em oferta.
Diretor de automobilismo da Pirelli, Paul Hembery, disse: "Nós vimos uma batalha fascinante entre os dois pilotos da Mercedes, durante o qual eles tiveram que equilibrar o seu desejo de vencer uns aos outros com a necessidade de tirar o máximo proveito dos pneus nessas temperaturas muito altas. Temperaturas ambiente e da pista estavam certamente maior do que todo mundo esperava, o que causou um certo grau de formação de bolhas e granulação, especialmente no início da corrida com combustível pesado, pneus macios e as temperaturas mais quentes do dia. Isso, contudo, não afeta o desempenho do pneu. A nova superfície criada uma série de desafios para todos, todo fim de semana, incluindo as equipes, os pilotos e para nós mesmos. A maioria dos motoristas passou por uma estratégia de três paradas, que previu a ser o mais rápido em torno de Interlagos. No entanto, Kimi Raikkonen fez um trabalho de estratégia de duas paradas, bem como, em uma das corridas mais exigentes do ano. "
Vezes mais rápido do dia por composto:
  Médio macio Intermediate Wet
Primeiro Ham 1m13.555s Hul 1m13.728s
Segundo Ros 1m13.619s Gro 1m14.070s
Terceiro Mas 1m13.999s Kvy 1m14.144s
Longest stint da corrida:
Médio Raikkonen (36 voltas)
Macio Hulkenberg e Kvyat (11 voltas)
Truth-O-Meter:
Nós previmos três paradas como teoricamente a estratégia mais rápida para a corrida de 71 voltas, e por causa do alto grau de desgaste dos pneus, bem como, este foi adotado por todos, mas um dos concorrentes. Nossa previsão era de um curto período no soft antes de mudar para o meio; meio novamente na volta 21 e um stint final sobre o meio de lap 46. Rosberg seguiu este padrão exatamente, parando no colo sete, 26 e 50.

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

 

 

2014 Grande Prêmio do Brasil - pneu partida line-up
No Grande Prêmio do Brasil 2014 os pilotos começaram a corrida com os pneus seguintes:
VETTEL SOFT
Ricciardo SOFT
HAMILTON SOFT
ROSBERG SOFT
ALONSO SOFT
Raikkonen SOFT
GROSJEAN MÉDIO
MALDONADO SOFT
BUTTON SOFT
Magnussen SOFT
Hulkenberg MÉDIO
PEREZ SOFT
SUTIL MÉDIO
GUTIERREZ SOFT
VERGNE SOFT
Kvyat MÉDIO
MASSA SOFTf40 Copyf41 Copyf42 Copyf43 Copyf44 Copyf45 Copyf46 Copyf47 Copyf48 Copyf49 Copyf50 Copyf51 Copyf52 Copyf53 Copyf54 Copyf55 Copyf56 Copyf57 Copyf58 Copyf59 Copyf60 Copyf61 Copy

 

VETTEL E MASSA

Andrew Hone/Getty Images
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Da Costa, Mineiro e Vettel
Alta | Web

Andrew Hone/Getty Images
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Mineirinho e Sebastian Vettel
Alta | Web

Andrew Hone/Getty Images
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Da Costa, Mineiro e Vettel
Alta | Web

Divulgação/XYZLIVE
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Mineiro, Felipe Massa e Felipinho
Alta | Web

Vettel e Massa recebem Adriano de Souza em Interlagos


Estrela do Mundial de Surf até faz proposta para tetracampeão encarar uma onda com ele em Pipeline, após alemão sugerir um dia de "aulas".

Aproveitando o intervalo antes da grande decisão do Mundial de Surf, que acontece na clássica praia de Pipeline, no Hawaii, Adriano de Souza teve a oportunidade de visitar os boxes da Fórmula 1 em Interlagos, palco do GP do Brasil.

Convidado pela Red Bull, Mineirinho foi recebido efusivamente por dois pilotos da equipe que adoram o esporte: o tetracampeão Sebastian Vettel e o reserva Antonio Felix da Costa - o mais fanático por surf, Daniel Ricciardo, estava envolto em compromissos e não pôde comparecer ao encontro.

Enquanto apresentavam a estrutura dos boxes, Felix da Costa e Vettel contaram com empolgação o dia de surfe que tiveram com o big rider Carlos Burle durante esta semana na Barra da Tijuca. O alemão inclusive mostrou ter conhecimento geográfico ao perguntar se o Guarujá, terra de Mineirinho, ficava perto de Santos.

Porém, o grande momento foi quando Vettel propôs um dia de surfe com a dupla e Adriano o convidou para ir a Pipeline encarar com ele as grandes ondas. O alemão gentilmente recusou - ele se contenta com os caldos que sofreu nas ondas da Barra.

Além da turma da Red Bull, outro que fez questão de registrar o momento e apresentar seu filho a Mineirinho foi Felipe Massa, que mostrou também ter um bom conhecimento sobre o esporte. "Foi muito irado! Já havia vindo uma vez, mas nunca havia tido tanto acesso aos boxes e aos pilotos. Fiquei amarradão! E fiquei muito feliz em ver que os pilotos nos acompanham. Vamos ver se o Vettel tem coragem de encarar umas ondas com a gente!", brinca Adriano.



 

Andrew Hone/Getty Images
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Da Costa, Mineiro e Vettel
Alta | Web

Andrew Hone/Getty Images
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Mineirinho e Sebastian Vettel
Alta | Web

Andrew Hone/Getty Images
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Da Costa, Mineiro e Vettel
Alta | Web

Divulgação/XYZLIVE
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Mineiro, Felipe Massa e Felipinho
Alta | Web

 

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2014 Grande Prêmio do Brasil - Qualificação
Mais rápido de sempre POLE POSITION em Interlagos Nico Rosberg
NO P ZERO AMARELO SOFT PNEUS
Condições quentes e nublado para a qualificação:
Pancadas de chuva esperados para a raça
Três paradas teoricamente FASTEST estratégia de corrida:
Duas paradas mais provável PARA EVITAR DE TRÁFEGO
 pole position de Nico Rosberg para o Grande Prêmio do Brasil, usando os P Zero Yellow pneus macios, foi a volta mais rápida de sempre pólo nunca visto na história de Interlagos 41 anos. Rosberg definir um tempo mais rápido de 1m10.023s na sessão de qualificação final, batendo o recorde pólo de Ruben Barrichello de 1m10.646s de 2004. O tempo de Rosberg estava nem perto de todos os tempos volta mais rápida de Interlagos, que foi criado por Barrichello na primeira qualificação no mesmo ano: 1m09.822s. Mercedes também igualou o recorde de Red Bull por 18 pole positions em uma temporada, enquanto Rosberg conquistou o troféu pole position para este ano.
Com uma boa quantidade de aderência e alta evolução faixa no asfalto recém-estabelecidas no Brasil, os tempos tornaram-se rapidamente mais rápido - com o recorde da pole já batido no Q1. Todos os pilotos usaram o composto mais macio, na tentativa de chegar até Q2, com os pilotos da Williams o último a mudar a partir do meio. Em média, a diferença entre os dois compostos manteve-se entre 0,8 a 1,0 segundo, dependendo do carro.
Apesar das previsões generalizadas de chuva, e uma tempestade durante a noite, de qualificação permaneceu seco, com a sessão a partir de 27 graus centígrados ambiente e 39 graus de temperatura da pista. No entanto, pancadas de chuva ainda são esperados para a corrida de amanhã, que será, sem dúvida complicar a estratégia, especialmente porque a probabilidade carro de segurança histórico já é de 60%.
Normalmente uma estratégia de três paradas seria mais rápida, mas com uma pista curta de apenas 4,309 km, o tráfego será um problema e isso vai afetar a escolha de cada equipe de táticas. Diferentes estratégias já estavam em evidência hoje, com da Toro Rosso Daniil Kvyat eleger para não correr em tudo no Q2 e poupar pneus, como pena significa que ele será a partir da parte de trás, em qualquer caso. Os pilotos da Ferrari foram os únicos a completar apenas uma corrida no Q3, também poupar um jogo de pneus. Como foi o caso nos Estados Unidos na semana passada, apenas quatro carros foram eliminados no Q1 e Q2 em mais quatro.
Rosberg também continuou seu monopólio das sessões de treinos livres no Brasil, definindo o tempo mais rápido em FP3 esta manhã, usando o pneu médio.
Diretor de automobilismo da Pirelli, Paul Hembery, disse: "Nós tivemos condições mais frias, hoje, que os nossos pneus adequados nomeados melhor do que as temperaturas da pista invulgarmente quentes que vimos ontem. A qualificação foi uma batalha extremamente apertado, com a ameaça de chuva proporcionando uma vantagem extra, mas que ameaça se alguma coisa vai intensificar amanhã. Obviamente, isso terá um grande efeito sobre a estratégia, mas se ele permanece seco a estratégia teórica mais rápida é um três-rolha, apesar de que seria de esperar a maioria das equipes para tentar um dois-rolha, a fim de evitar ser pego no trânsito. Depois de um dia interrompida ontem todas as equipes conseguiram recolher mais dados de hoje, com as duas primeiras eliminatórias separados por apenas três centésimos de segundo. Vimos a mais rápida de sempre pólo colo de Interlagos hoje, que sublinha a forma que os carros e os pneus têm desenvolvido ao longo dos últimos 10 anos. "
O preditor estratégia Pirelli:
A estratégia de três paradas é teoricamente o mais rápido para a corrida de 71 voltas em Interlagos; a pista com a volta de segunda mais curto do ano depois de Mônaco. No entanto, isto significa que o tráfego é um problema real - por isso esta estratégia é um risco para outra coisa senão os carros muito mais rápidos. A estratégia teórica mais rápida é: de um curto período no soft antes de mudar para o meio; meio novamente na volta 21 e um stint final sobre o meio de lap 46. Uma estratégia de duas paradas é quase tão rápido e carrega muito menor risco de assaltos: começar no soft, a mudança para o meio na volta 13, então meio novamente na volta 42. Aqueles que escolherem para começar no meio tem uma outra opção de duas paradas: a mudança para o meio novamente na volta 29, em seguida, tentar ganhar tempo no final da corrida, alternando para suave na volta 58. a maioria das equipes provavelmente começar com a idéia de fazer uma estratégia de duas paradas, mas manter a flexibilidade para fazer um três-rolha, se necessário. Se chover, como parece altamente provável, então toda a estratégia muda completamente.
Compostos mais rápidos na FP3:
Rosberg 1m10.446s novo Macio
Hamilton 1m10.560s novo Macio
Massa 1m10.875s novo Macio
Top 10 utilização de pneus:
Rosberg 1m10.023s novo Macio
Hamilton 1m10.056s novo Macio
Massa 1m10.247s novo Macio
Bottas 1m10.305s novo Macio
Botão 1m10.930s macio usado
Vettel 1m10.938s novo Macio
Magnussen 1m10.969s macio usado
Alonso 1m10.977s novo Macio
Ricciardo 1m11.075s novo Macio
Raikkonen 1m11.099s novo Macio

 

Google Tradutorf18 Copyf19 Copyf20 Copyf21 Copyf22 Copyf23 Copyf24 Copyf25 Copyf26 Copyf28 Copyf29 Copyf30 Copyf31 Copyf32 Copyf33 Copyf34 Copyf35 Copyf36 Copyf37 Copyf38 Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2014 Grande Prêmio do Brasil - Sessões Práticas
TRACK EVOLUTION um fator importante em Interlagos
MÉDIO E SOFT PNEUS separados por 0,8-1,0 SEGUNDOS
Tempo muito quente HOJE: CHUVA
AINDA A POSSIBILIDADE DE RESTO DO FIM DE SEMANA
 evolução Pista provou ser a característica que define o primeiro dia de correr no famoso local de Interlagos, em São Paulo, com o circuito de ter sido recentemente ressurgiu e uma nova entrada do pit lane instalado também.
O primeiro dia teve lugar em condições de calor, com temperaturas ambiente e acompanhar atingindo um máximo de 34 e 57 graus centígrados, respectivamente. No entanto, estas condições estão longe de ser garantido para permanecer para o resto do fim de semana, com a previsão do tempo previsão chuva intermitente: em particular durante a qualificação. Houve uma diferença de mais de 20 graus na temperatura média pista entre as sessões da manhã e da tarde, parcialmente representando a diferença em tempos de volta entre as duas sessões.
Isto significa que as equipas terão de estar preparados para uma grande variedade de condições, de modo que hoje concentrada em reunir o máximo de dados possível em diferentes cargas de combustível, utilizando ambos os compostos nomeados: P Zero Branco médio e P Zero Amarelo macio.
Mercedes terminou em primeiro e segundo em cada uma das duas sessões, com Nico Rosberg líder Lewis Hamilton em ambas as ocasiões. Na parte da manhã Rosberg colocou seu melhor tempo no pneu médio, antes de usar o pneu macio na parte da tarde para ir de seis décimos de segundo mais rápido.
Em média, existe um intervalo de cerca de 0,8 a 1,0 segundos entre os dois compostos nomeados desempenho, mas isso irá provavelmente descer como evolui a faixa adicional.
Paul Hembery: "Começamos o dia vendo uma alta influência da nova superfície e sua interação com o pneu, mas isso foi mudando rapidamente como as sessões continuou, com forte evolução pista. Nós também estamos vendo que o pneu traseiro é o fator limitante aqui, e em algumas ocasiões, com perto de 60 graus de temperatura da pista, havia alguma bolhas - que é o que previa trazer o pneu mais macio aqui, quando as condições eram quente. Temos cerca de um segundo de diferença de desempenho entre os dois compostos, mas devido a interrupções de bandeira vermelha hoje nós ainda não temos uma indicação clara dos níveis de degradação verdade estamos indo finalmente ver. Assim, hoje é ajustado para ser uma sessão muito importante ".
FP1: FP2:
1.Rosberg 1m12.764s Meio utilizado 1.Rosberg 1m12.123s novo Macio
2.Hamilton 1m12.985s Meio utilizado 2.Hamilton 1m12.336s novo Macio
3.Kvyat 1m13.723s Meio utilizado 3.Raikkonen 1m12.696s novo Macio
Estatísticas de pneus do dia:
  Médio macio Intermediate Wet
kms impulsionado * 3166 978 0
conjuntos usados em geral ** 53 16 0
maior número de voltas ** 27 22 0
* O número acima apresenta o montante total de quilómetros percorridos no FP1 e FP2, hoje, todos os condutores combinados.
** Por composto, todos os drivers combinado.
Pirelli fatos do dia:
Pirelli ganhou recentemente o Índice de Clima Disclosure Leadership in Italy, que reconhece inovações estratégicas da empresa no sentido de reduzir o impacto ambiental e transparência quando se trata de comunicar sobre as questões ambientais. Em 2020, a Pirelli aponta para uma redução de 15% nas emissões de CO2 em todo o mundo e uma redução de 18% no consumo de energia em todas as suas fábricas em todo o mundo.

 

Google Tradutorf1 Copyf2 Copyf3 Copyf4 Copyf5 Copyf6 Copyf7 Copyf8 Copyf9 Copyf10 Copyf11 Copyf12 Copyf13 Copyf14 Copyf15 Copyf16 Copyf17 Copy

 

ROSBERG COM O MELHOR TEMPO

ROSBERG COM O MELHOR TEMPO EM INTERLAGOS

 

 

Hoje foi dia dos primeiros treinos livres para o Grande Prémio de Fórmula 1 do Brasil, que se realiza no circuito de Interlagos na cosmopolita cidade de S.Paulo.Nico Rosberg, acabou por fazer o melhor tempo, tendo atrás de si o seu colega de equipa Lewis Hamilton, ambos ao volante dos Mercedes.Depois na 3ª posição surge o Toto Rosso de Kvyat, seguido pelo Ferrari de Alonso, que teve na sua peugada o Williams de Filipe Massa, e o Toro Rosso de Verstappen.Depois com o 7º melhor tempo surge o Lotus de Maldonado, seguido pelo Ferrari de Raikonen, fican do o "top ten" completo com o McLaren de Magnussen e o Red Bull de Ricciardo.f1 Copyf2 Copyf3 Copyf4 Copyf5 Copyf6 Copyf7 Copyf8 Copyf9 Copyf10 Copyf11 Copyf12 Copyf13 Copyf14 Copyf15 Copyf16 Copyf18 Copyf19 Copyf20 Copyf21 Copyf22 Copyf23 Copyf24 Copyf25 Copyf26 Copyf27 Copyf28 Copyf29 Copyf30 Copyf31 Copyf32 Copyf33 Copyf34 Copyf35 Copyf36 Copyf37 Copyf39 Copyf40 Copyf42 Copyf44 Copyf45 Copy

 

SPIES HECKER FELICITA EQUIPA DA MERCEDES DE F 1

Spies Hecker felicita a MERCEDES AMG PETRONAS Formula One™ Team

MERCEDES AMG PETRONAS Formula One™ Team vence o Campeonato Mundial de Construtores de Fórmula 1 da FIA de 2014 .

A Spies Hecker – um dos fornecedores da equipa Equipa Oficial de Fornecedores – gostaria de felicitar a MERCEDES AMG PETRONAS Formula One™ Team pela sua vitória no Campeonato Mundial de Construtores de Fórmula 1 da FIA de 2014.

“Esta é realmente uma temporada fantástica – e inclusivamente histórica – para a MERCEDES AMG PETRONAS Formula One™ Team,” disse Anthony Cashel, Marketing Manager da Axalta Coating Systems no Reino Unido e Irlanda. “O Campeonato Mundial de Construtores de Formula OneTM da FIA de 2014 assinala a primeira vez que uma equipa da Mercedes-Benz ganha este título, concedido pela primeira vez pela FIA em 1958. O carro híbrido F1 W05 da Mercedes-Benz é um excelente carro de corrida e a Spies Hecker está muito satisfeita com o facto de ter sido envolvida neste projecto e com a equipa da MERCEDES AMG PETRONAS.”

A cor distintiva da carroçaria, alumínio prateado com efeitos, com os seus matizes de cor turquesa, foi especialmente criada para a temporada de 2014 pelas equipas técnicas e de design da Spies Hecker.

“Embora o aspecto do carro seja importante, a qualidade e o peso da tinta são cruciais,” diz ainda Cashel. “Com carros que atingem velocidades superiores a 190mph, a equipa precisa de confiar na durabilidade da pintura. Este é o segundo ano consecutivo em que a MERCEDES AMG PETRONAS Formula One™ Team escolhe as soluções de sistemas de pintura, a formação e o apoio técnico no local da Spies Hecker, o que envolve um trabalho em estreita colaboração com a equipa. O sistema Permahyd Hi-TEC está em conformidade com a Directiva da UE 2004/42/EC sobre as emissões de COV, tornando-se o parceiro ideal para a equipa e para as condições exigentes dos circuitos actuais de F1 internacionais.”



SH_Mercedes_AMG_Petronas
 

GALERIA DE IMAGENS

GALERIA DE IMAGENS

 

 

GRANDE PRÉMIO DE F1 DOS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA

 

 

Grupo de imagens referentes ao Grande Prémio dos Estados Undiso, que teve lugar no passado fim de semana.f552 Copyf553 Copyf554 Copyf555 Copyf556 Copyf557 Copyf558 Copyf559 Copyf560 Copyf561 Copyf562 Copyf563 Copyf565 Copyf566 Copyf567 Copyf569 Copyf570 Copyf571 Copyf572 Copyf573 Copyf574 Copyf575 Copyf576 Copyf577 Copyf578 Copyf579 Copyf580 Copyf581 Copyf582 Copyf583 Copyf584 Copyf585 Copyf586 Copyf587 Copyf588 Copyf589 Copyf590 Copyf591 Copyf592 Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

GP do BRASIL de 6  a 9  de NOVEMBRO  de 2014

 

pneus macios e médios para um dos mais curtos circuitos, mas com  a volta mais exigente do ano

 

tempo instável previsto para são paulo

 

brasil é um mercado chave para a pirelli, com forte tradição em fórmula um

 

f535 Copyf536 Copyf537 Copyf538 Copyf539 Copyf541 Copyf542 Copyf543 Copyf544 Copyf545 Copyf546 Copyf547 Copyf548 Copyf549 Copyf550 Copyf551 Copy No coração de São Paulo, o circuito de Interlagos possui a volta mais pequena do ano, a seguir ao Mónaco, com uma série de curvas e diferentes declives, oferecem um desafio fascinante para os pilotos, automóveis e certamente para os pneus.

 

Os compostos médio e macio foram os escolhidos para Interlagos, mas tradicionalmente existe um risco de chuva e as previsões iniciais, prevêm o tempo molhado para parte do fim de semana. Um número elevado de curvas em apenas 4309 Km/s, significa que os pneus trabalham de uma forma constante e a relativa escassez de retas não proporciona o seu arrefecimento. Além disto, a pista é reconhecida por ser irregular com curvas rápidas e pequenas escapatórias, exigindo a máxima concentração dos pilotos.

 

Acima de tudo, Interlagos é conhecido pelos seus ferverosos fãs e uma atmosfera única. É o circuito onde mais titulos foram decididos no passado, mas com a pontuação a dobrar em disputa no último grande prémio de 2014 em Abu Dhabi, não vai ser o caso neste fim de semana.

 

 

Paul Hembery (Responsável da Pirelli Motorsport): ” O Brasil é um dos maiores mercados do mundo para a Pirelli, por isso é um prazer lá estar com os nossos amigos e simpatizantes. Uma volta ao circuito exige muito dos pneus devido à contínua sucessão  de curvas, muitas, a velocidades elevadas. Assim, retirar o máximo proveito dos pneus e uma estratégia eficaz, certamente que vai ser de vital importância para a corrida. No passado em Interlagos, assistimos a uma série de corridas com chuva, o que parece ser uma forte possibilidade, também para este ano. Todos estes factos contribuem para a reputação do Grande Prémio do Brasil em acolher corridas emotivas, onde ninguém sabe o desfecho, por isto, vamos assistir a mais outro fim de semana emocionante na frente de uma multidão verdadeiramente apaixonada por Fórmula Um”.

 

Jean Alesi (Consultor da Pirelli): “ Eu corri 12 vezes em Interlagos, e adorei ! embora seja muito exigente em termos fisicos para o piloto, uma vez que o carro está constantemente em curva e estamos sujeitos a diferentes forças. Em particular, ele coloca demasiada pressão nos musculos do pescoço, e no passado esta situação ainda foi mais complicada, quando o Brasil era no inicio da época, e não estávamos habituados ou preparados. Lembro-me da pista acidentada. Na sexta feira o piso tende a ser bastante escorregadio antes de entregar a máxima aderência, também por causa da especificidade do asfalto que é abrasivo, agora vamos ver se ele é o mesmo”.

O circuito do ponto de vista dos pneus:

Interlagos é um dos poucos circuitos do ano que corre no sentido inverso dos ponteiros do relógio (em conjunto com o circuito das Américas e o YAS Marina – o que significa que o final da temporada consiste inteiramente em circuitos neste sentido.

 

O pneu médio é um composto de baixa gama de trabalho, capaz de alcançar um ótimo desempenho, mesmo numa vasta gama de temperaturas baixas. Pelo contrário, o pneu macio é um composto de alta gama de trabalho, adequado para temperaturas mais elevadas. Fatores com um efeito sobre a estratégia da corrida.

 

Em Interlagos, os pneus estão sujeitos a forças combinadas, com pressões laterais e longitudinais ao mesmo tempo, elevando a temperatura do composto. Os níveis de “Downforce” geralmente são altos, com proporções iguais em termos de exigências aerodinâmicas e de aderência mecânica.

 

A estratégia vencedora no ano passado foi de duas trocas de pneus, com Sebastian Vettel em Red Bull a parar nas voltas 24 e 47. O Alemão iniciou com o composto médio, trocou  para médio novamente e completou o ultimo turno com o pneu duro. Previamente, se no inicio da corrida existe tempo instável, complica os calculos da estratégia a delinear.

 

Mais informaçôes sobre Interlagos, e procura de informação sobre os pneus, pode ser visualizado numa animação realizada em 3D com um novo visual produzido pela Pirelli.

 

Videos e fotografías de livre utilização, disponiveis em www.pirelli.com/f1pressarea

 

As escolhas de pneus até agora:

 

 

P Zero vermelho

P Zero

Amarelo

P Zero

Branco

P Zero Laranja

Australia

 

Macio

Medio

 

Malasia

 

 

Medio

Duro

Bahrein

 

Macio

Medio

 

China

 

Macio

Medio

 

Espanha

 

 

Medio

Duro

Mónaco

Super macio

Macio

 

 

Canadá

Super macio

Macio

 

 

Áustria

Super macio

Macio

 

 

Inglaterra

 

 

Médio

Duro

Alemanha

Super macio

Macio

 

 

Hungria

 

Macio

Medio

 

Bélgica

 

Macio

Medio

 

Itália

 

 

Médio

Duro

Singapura

Super macio

Macio

 

 

Japão

 

 

Médio

Duro

Russia

 

Macio

Medio

 

USA

 

Macio

Medio

 

Brasil

 

Macio

Medio

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Revista P Zero:

A nova revista P Zero, uma inovação da Pirelli para a presente temporada, contém factos sobre o Grande Prémio do Brasil e do seu ilustre património, bem como as novidades que acontecem no mundo Pirelli, no passado, presente e futuro. Como sempre existe uma nova receita do Chefe Pirelli, experimentado e apreciado nos paddocks de F1 de todo o mundo, além de recursos e um pouco de história. Esta nova e dinâmica revista electrónica, contém um vídeo e outros conteúdos interativos atualizados no fim de semana.

Podemos visitar através do site Pirelli, com o seguinte link : http://magazine.pzero.com

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

MÉDIO E PNEUS suave para um dos mais curtos
Mas a maioria das LAPS INTENSA DO ANO
Variável tempo ESPERADO EM SÃO PAULO
BRASIL um mercado chave para PIRELLI, COM FÓRMULA forte PATRIMÓNIO
f521 Copyf522 Copyf523 Copyf524 Copyf525 Copyf526 Copyf527 Copyf528 Copyf529 Copyf530 Copyf531 Copyf532 Copyf533 CopyO circuito de Interlagos, no coração de São Paulo, é o colo de segunda mais curto do ano depois de Mônaco, com uma série de voltas, voltas e mudanças de altitude que oferece um desafio fascinante para os motoristas, carros e de curso pneus.
Os compostos médios e macios foram nomeados para Interlagos, mas, tradicionalmente, há um alto risco de chuva, e as previsões iniciais de longo alcance prever o tempo molhado por pelo menos parte do fim de semana. O grande número de cantos embalados em apenas 4,309 km significa que os pneus constantemente tem trabalho a fazer, ea relativa falta de quaisquer longas rectas não lhes dá a chance de esfriar. Além disso, a pista é bem conhecida por ser irregular, com curvas de alta velocidade e pequenas áreas de escape, exigindo concentração máxima dos motoristas.
Acima de tudo, Interlagos é conhecido por seus fãs entusiasmados e atmosfera única. É um circuito onde muitos títulos foram decididos no passado, mas com o dobro de pontos em oferta para o finale 2014 em Abu Dhabi, que não vai ser o caso neste fim de semana.
Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli: "O Brasil é um dos maiores mercados do mundo para a Pirelli, por isso é um prazer estar lá entre os nossos amigos e simpatizantes. A volta exige muito dos pneus devido à sucessão quase non-stop de cantos, alguns dos quais são de alta velocidade. Então, tirar o máximo proveito dos pneus ea estratégia é claro que vai ser de vital importância para a raça. Temos visto uma série de corridas molhadas no passado em Interlagos, o que parece ser uma forte possibilidade de este ano também. Tudo isso contribui para a reputação do Grande Prêmio do Brasil por sediar corridas dramáticas, onde ninguém sabe o que esperar, por isso é provável que nós podemos olhar para a frente a outro fim de semana emocionante na frente de uma multidão que é verdadeiramente apaixonado Fórmula Um. "
Jean Alesi, consultor Pirelli: "Eu corri em Interlagos 12 vezes: eu adoro isso, embora seja extremamente exigente fisicamente para o condutor, como o carro está constantemente curvas e você está sujeito a uma série de forças. Em particular, ele colocou demandas pesadas sobre os músculos do pescoço e esta situação foi ainda mais complicada no passado, quando o Brasil chegou no início da temporada, para que você não se acostumar com isso. Lembro-me de a pista estar acidentado: na sexta-feira a superfície tende a ser bastante escorregadio antes de entregar mais e mais aderência, como o fim de semana passou, também por causa do caráter do asfalto, que foi bastante abrasivo. Agora vamos ver se ele é o mesmo ".
O circuito do ponto de vista dos pneus:
Interlagos é um dos poucos circuitos do ano que corre anti-horário (em conjunto com o Circuito das Américas e Yas Marina - o que significa que o final da temporada consiste inteiramente de layouts anti-horário).
O pneu médio é um composto de baixo alcance de trabalho, capazes de alcançar um desempenho óptimo, mesmo a uma ampla gama de temperaturas baixas. O pneu macio pelo contrário é um composto de alta escala de trabalho, adequado para temperaturas mais elevadas. Isto tem um efeito sobre a estratégia de corrida.
Os pneus são frequentemente sujeitos a forças combinadas em Interlagos: exigências laterais e longitudinais, ao mesmo tempo. Isto eleva a temperatura do composto. Níveis de downforce são geralmente elevados, com exigências aerodinâmicas e mecânicas de aderência mais ou menos em igual proporção.
A estratégia vencedora no ano passado foi um dois-rolha. Da Red Bull, Sebastian Vettel começou no pneu médio, sem caroço para o meio novamente na volta 24, depois passou para o composto duro na volta 47. Antes do início da corrida não tivesse havido o funcionamento a seco, o que complica os cálculos de estratégia.
Mais informações sobre Interlagos pode ser encontrada em uma animação 3D de vídeo novo visual produzido pela Pirelli. Este é livre de direitos autorais para uso de mídia na Fórmula Um site da Pirelli: www.pirelli.com/f1pressarea
As escolhas de pneus até agora:
  P Zero Red P Zero Yellow P Zero Branco P Zero Laranja
Austrália Suave Médio
Malásia Médio Difícil
Bahrain Suave Médio
China Suave Médio
Espanha Médio Difícil
Monaco Supersoft Macio
Canadá Supersoft Macio
Áustria Supersoft Macio
Grã-Bretanha Médio Difícil
Alemanha Supersoft Macio
Hungria Suave Médio
Bélgica Suave Médio
Itália Médio Difícil
Cingapura Supersoft suave
Japão Médio Difícil
Rússia Suave Médio
EUA Suave Médio
Brasil Suave Médio
No P Zero Magazine:
A nova revista P Zero, uma inovação da Pirelli para esta temporada, contém fatos sobre o Grande Prêmio do Brasil, além de recursos, história e informação de fundo. Este novo e-revista foi lançada este ano e também contém vídeos e outros conteúdos interativos atualizados no fim de semana. Ele pode ser acessado através do site da Pirelli no seguinte link: www.pirelli.com/f1.

 

HAMILTON VENCE NOS ESTADOS UNIDOS

 

Lewis Hamilton vence GP dos Estados Unidos da América
Lewis Hamilton alcançou a sua 3ª vitória no GP dos EUA com um avanço de 5 segundos para o seu colega de equipa Nico Rosberg e numa prova muito competitiva no circuito das Américas.
• Lewis Hamilton e Nico Rosberg conquistaram pela 10ª vez esta temporada a 1ª e 2ª posição igualando o recorde da McLaren em 1988;
• Com este resultado, apenas um dos pilotos da MERCEDES AMG PETRONAS pode alcançar o título de campeão de pilotos em 2014;
• Com a conquista da 10ª vitória em 2014, Lewis Hamilton é o piloto britânico mais bem-sucedido de sempre na F1 (32 vitórias);
• Ambos os pilotos tiveram apenas duas paragens para mudança de pneus.
Piloto
Car No.
Chassis
Resultado final / Volta + rápida
Lewis Hamilton
44
F1 W05 Hybrid/05
P1 1:41.929
Nico Rosberg
6
F1 W05 Hybrid/04
P2 1:41.932F1GP17USA HZ11481_CopySNE22422 Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

Hamilton e Rosberg PRIMEIRA E SEGUNDA DE USAR IDÊNTICO
Duas estratégias PARADA
VETTEL ESCALA DE PIT LANE para o sétimo USANDO INOVADOR
TÁTICAS DE PNEUS
VASTA GAMA DE ESTRATÉGIAS DE TODO O Grande Prémio
f500 Copyf501 Copyf502 Copyf503 Copyf504 Copyf505 Copyf506 Copyf507 Copyf508 Copyf509 Copyf510 Copyf511 Copyf512 Copyf513 Copyf514 Copyf515 Copyf515 Copyf516 Copyf517 Copyf518 Copyf519 Copyf520 Copy o piloto da Mercedes Lewis Hamilton usou uma estratégia de duas paradas para selar a vitória do segundo lugar no grid no Grande Prêmio dos Estados Unidos e garantir que somente ele ou seu companheiro de equipe Nico Rosberg vai ganhar o título de 2014 pilotos . 32 vitória de Hamilton significa que ele é agora quinto na lista dos vencedores de todos os tempos, igualando Fernando Alonso, e tem o maior número de Fórmula Um vitórias de qualquer piloto britânico.
Hamilton começou no pneu macio e então completou dois stints sobre o pneu médio para ganhar a corrida por quatro segundos: uma estratégia que foi ecoado por seu companheiro de equipe. Todos os drivers para além de Nico Hulkenberg (Force India), Daniil Kvyat (Toro Rosso) e Sebastian Vettel (Red Bull) começou no pneu macio, com Vettel em particular na esperança de que uma estratégia diversificada iria ajudá-lo progredir após um início pit lane .
Ambos pilotos da Williams usou uma estratégia de duas paradas diferente para os carros na frente deles, completando dois stints de abertura sobre o pneu macio para maximizar sua velocidade no início da corrida e um stint final sobre o meio. Da Red Bull, Daniel Ricciardo também fez a maioria das oportunidades disponíveis, parando mais cedo do que seus rivais diretos (uma manobra conhecida como "o alívio") e empurrando duro durante a sua entrada e saída voltas para reivindicar seu oitavo pódio na Fórmula Um. A Ferrari de Alonso tinha uma escola de pensamento diferente: o único top-10 finisher indo para uma estratégia de soft-médio-macio.
Um carro de segurança na volta de abertura solicitado um número de motoristas que vir para os boxes, mudando suas estratégias, incluindo tanto as McLarens. A tática mais interessante foi de Vettel, que fez apenas uma volta com os pneus macios sob o carro de segurança - potencialmente permitindo-lhe para correr todo o caminho até o final da corrida de 56 voltas sem parar novamente. No final, ele parou quatro vezes no total, acabou terminando em alguns pontos marcando o sétimo lugar.
Diretor de automobilismo da Pirelli, Paul Hembery, disse: "Nós vimos algumas corridas muito perto todo o caminho desde a frente até a parte de trás do grid, colocar em um grande show para a multidão aqui nos Estados Unidos. Isso tem sido ajudado pela escolha de pneus, que foi exatamente o mesmo em termos de degradação e aderência, permitindo uma ampla gama de estratégias e muita animação desde o início todo o caminho até o fim. Desempenho dos pneus, obviamente, mudou em relação a ontem por causa das temperaturas mais quentes, o que levou a algumas chamadas rápidas sobre a parede do poço. Lewis Hamilton foi capaz de usar os pneus perfeitamente para ganhar uma vantagem no momento mais importante ao longo de um companheiro de equipe muito forte. Parabéns a Mercedes para ganhar o campeonato de pilotos - agora só temos que esperar e ver com qual driver "!
Vezes mais rápido do dia por composto:
  Médio macio Intermediate Wet
Primeiro Ham 1m41.929s 1m41.379s Vet
Segundo Ros 1m41.932s Alo 1m41.474s
Terceiro Bot 1m42.505s Kvy 1m41.689s
Longest stint da corrida:
Médio Magnussen (26 voltas)
Massa mole (18 voltas)
Truth-O-Meter:
Nós previmos três paradas como teoricamente a estratégia mais rápida para a corrida de 53 voltas, mas também disse que duas paradas eram a opção mais provável, por causa do tráfego. A estratégia teórica mais rápido foi: começar no soft, mudar a suave na volta 12, macio novamente na volta 25 e depois meio no colo 38. era esperada A estratégia de duas paradas mais rápido para ser começar no soft, a mudança para o meio na volta 14 e então meio novamente no colo 35. Hamilton sem caroço para médiuns em volta 16 e volta 33: muito perto do nosso segundo previsão (embora o comprimento do primeiro stint foi afetada pelo carro de segurança).

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

POLE POSITION IN EUA é 0,3 segundos mais rápido que no ano passado
PNEU SOFT ENTREGA POLE PARA Nico Rosberg em circunstâncias frescas
Três paradas teoricamente ESTRATÉGIA PARA O MAIS RÁPIDO do Grande Prémio
f119 Copyf121 Copyf122 Copyf123 Copyf124 Copyf125 Copyf126 Copyf127 Copyf128 Copyf129 Copyf130 Copyf131 Copyf132 Copyf133 Copyf134 Copyf135 Copyf136 Copyf137 Copy Usando os P Zero Yellow pneus macios, Nico Rosberg definir um tempo da pole position no Circuito das Américas, que foi três décimos de segundo mais rápido do pólo do ano passado. Tempo de Rosberg de 1m36.067s, situado no fim do Q3, confortavelmente eclipsou o tempo da pole position 1m36.338s em 2013, quando os carros tinham motores maiores e mais downforce.
Condições aquecido durante o dia, com a última sessão de qualificação começa a acontecer em ambientes com temperaturas de 22 graus centígrados e temperaturas de pista de 36 graus centígrados. Ambos os compostos macios e médios foram capazes de atingir rapidamente as suas temperaturas ideais de operação. Na qualificação, a diferença de desempenho entre os dois compostos foi de pouco mais de um segundo.
Com apenas 18 carros na corrida de qualificação teve um formato ligeiramente diferente ao habitual, com quatro carros eliminados no Q1 e Q2 em mais quatro. Da Red Bull, Sebastian Vettel optou por não correr atrás Q1, porque uma pena significa que ele será a partir do pit lane em qualquer caso. O atual campeão mundial completou apenas uma corrida com os pneus macios no Q1, o que significa que ele terá uma dotação completa de pneus para a corrida de amanhã.
Vettel, consequentemente, ser capaz de tirar vantagem de uma ampla gama de opções de estratégia para a corrida de amanhã, com três paradas sendo teoricamente a maneira mais rápida. No entanto, a maioria dos motoristas são esperados para usar uma estratégia de duas paradas: uma parada mais do que a escolha mais popular no ano passado (quando médio e difícil foram nomeados).
A última sessão de treinos livres desta manhã foi uma das mais legais visto durante toda a temporada, com Lewis Hamilton batendo seu companheiro de equipe por oito décimos de segundo em novos pneus macios.
Diretor de automobilismo da Pirelli, Paul Hembery, disse: ". Rápido" "Se eu tivesse que descrever qualificação em uma palavra seria o aumento da velocidade em comparação com 2013 não vem apenas dos compostos mais macios que estamos usando neste ano, mas também do fato de que o equipes estão realmente tirar o máximo proveito dos carros que nos aproximamos do final da temporada. Como esperado, a degradação térmica vai ser um dos fatores-chave aqui, o que abre algumas oportunidades diferentes em termos de estratégia. No entanto, pensamos que a maioria das equipes vai optar por duas paradas, apesar de uma "estratégia de sprint 'favoreceria um três-rolha. Com a maneira que tem qualificação garimpou para fora, devemos estar em uma corrida muito interessante amanhã. "
O preditor estratégia Pirelli:
A estratégia de três paradas é teoricamente o mais rápido para a corrida de 56 voltas no Circuito das Américas, mas o inconveniente potencial é o tráfego - por isso só irá funcionar para os carros mais rápidos, que são capazes de ultrapassar de forma limpa. A estratégia mais rápida é: começar no soft, mude para suave na volta 12, macio novamente na volta 25 e depois meio no colo 38. A estratégia de duas paradas mais rápido se iniciar no soft, a mudança para o meio na volta 14 e, em seguida, novamente em meio lap 35. para aqueles que começam fora do top 10, que têm a possibilidade de iniciar no pneu médio, uma estratégia que é quase tão rápida vai: comece em média, suave na volta 22, então meio novamente na volta 36. uma longa primeiro stint no meio tem a vantagem de ganhar posição na pista como aqueles que começam em softs ir para os boxes, então a passagem do meio do pneu macio deve dar uma vantagem de velocidade também.
Compostos mais rápidos na FP3:
Hamilton 1m37.107s novo Macio
Rosberg 1m37.990s novo Macio
Massa 1m38.214s novo Macio
Top 10 utilização de pneus:
Rosberg 1m36.067s novo Macio
Hamilton 1m36.443s novo Macio
Bottas 1m36.906s novo Macio
Massa 1m37.205s novo Macio
Ricciardo 1m37.244s novo Macio
Alonso 1m37.610s novo Macio
Botão 1m37.655s novo Macio
Magnussen 1m37.706s novo Macio
Raikkonen 1m37.804s novo Macio
Sutil 1m38.810s novo Macio

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

emperaturas variáveis ​​esperado para UNITED STATES
GRAND PRIX DE SEMANA
  DESEMPENHO GAP de 1,3 segundos entre o meio e suave PNEUS
  HAMILTON mais rápido em ambos os compostos NOS LIVRE PRÁTICA

 

 


 O Circuito das Américas é tudo sobre variedade: tanto em termos das demandas colocadas sobre os pneus em todo o colo e as condições meteorológicas esperadas durante o decorrer de cada dia, bem como o fim de semana como um todo .
Entre a primeira ea segunda sessões de treinos livres, temperaturas ambiente e de pista aumentou seis e 16 graus centígrados, respectivamente. Essa diferença importante tem um profundo efeito sobre o comportamento do meio P Zero Branco e P Zero Amarelo macio compostos que foram nomeados para Austin. Este é um passo mais suave do que os médios e duros pneus que foram usados ​​durante duas ocasiões anteriores, que o Grande Prêmio dos Estados Unidos tem sido executados no Circuito das Américas.
As condições meteorológicas amanhã são esperados para ser muito mais frio do que eram hoje, com uma alta de apenas 19 graus centígrados de previsão.
Até agora, há uma diferença de desempenho de cerca de 1,3 segundo entre os dois compostos, em um dos mais longos circuitos do calendário do Grande Prémio deste ano. Na sessão da tarde, o desgaste e degradação foi maior do que era na parte da manhã, o que significa que as equipes terão de adotar uma abordagem flexível para a estratégia, com as táticas corretas proporcionando uma oportunidade de ganhar posição na pista.
O piloto da Mercedes Lewis Hamilton foi o mais rápido durante as duas sessões de treinos livres de hoje, usando o pneu médio para definir o seu melhor tempo na parte da manhã e da suave para ir mais rápido na parte da tarde, com um tempo de referência de 1m39.085s; apenas 0,003 segundo mais rápido que seu companheiro de equipe.
Paul Hembery: "Nos três anos que temos vindo a corrida em Austin, a pista, definitivamente, evoluiu para proporcionar mais aderência - e vimos uma maior evolução pista durante o dia de hoje, agravada pela grande variedade de temperaturas que estávamos correndo em . Estamos esperando uma variação semelhante nas temperaturas para o resto do fim de semana, incluindo as condições que podem ser muito mais frio para a qualificação de amanhã. Pelo que podemos ver até agora uma estratégia de duas paradas parece ser a mais provável, mas também com o potencial de algumas estratégias mistas indo para baixo da grade, dependendo da posição da faixa. "
FP1: FP2:
1. Hamilton 1m39.941s Médio nova 1. Hamilton 1m39.085s novo Macio
2. Rosberg 1m40.233s Meio utilizado 2. Rosberg 1m39.088s novo Macio
3. Botão 1m40.319s Meio utilizado 3. Alonso 1m40.189s novo Macio
Estatísticas de pneus do dia:
  Médio macio Intermediate *** Wet
kms impulsionado * 3908 1653 44 0
conjuntos usados ​​em geral ** 54 19 7 0
maior número de voltas ** 28 24 2 0
* O número acima apresenta o montante total de quilómetros percorridos no FP1 e FP2, hoje, todos os condutores combinados.
** Por composto, todos os drivers combinado.
*** Sete motoristas completou voltas de instalação no FP1 usando os intermediários, devido à humidade ligeiramente condições.
Pirelli fatos do dia:
A sede da Pirelli nos Estados Unidos está em Roma ... mas não há um coliseu em vista, como estamos falando de Roma, Georgia. A filial americana da empresa italiana comemorou sua primeira década em Roma (Geórgia) no ano passado, mas a Pirelli tem sido a fabricação de pneus nos Estados Unidos desde 1988. Todos gama de pneus premium, incluindo P Zero e Cinturato da Pirelli, são feitas no Estados Unidos para o mercado interno.

 

Google Tradutorf100 Copyf101 Copyf102 Copyf103 Copyf104 Copyf105 Copyf106 Copyf107 Copyf108 Copyf109 Copyf110 Copyf111 Copyf112 Copyf112 Copyf113 Copyf114 Copyf115 Copyf117 Copyf118 Copy

 

OS PREPARATIVOS PARA O GP DOS ESTADOS UNIDOS

OS PREPARATIVOS PARA O GRANDE PRÉMIO DE F1 NOS ESTADOS UNIDOS

 

 

Grupo de imagens de algumas das acções levadas a cabo pelas equipas principais do Circo, dias antes do inicio do Grande Prémio dos Estados Unidos.f1 Copyf2 Copyf3 Copyf4 Copyf5 Copyf6 Copyf7 Copyf8 Copyf9 Copyf10 Copyf11 Copyf12 Copyf13 Copyf14 Copyf15 Copyf16 Copyf17 Copyf18 Copyf19 Copyf20 Copyf21 Copyf22 Copyf23 Copyf24 Copyf25 Copyf26 Copyf27 Copyf28 Copyf29 Copyf30 Copyf31 Copyf32 Copyf33 Copyf34 Copyf35 Copyf36 Copyf37 Copyf38 Copyf39 Copyf40 Copyf41 Copyf42 Copyf50 Copyf51 Copyf52 Copyf53 Copyf54 Copyf55 Copyf56 Copyf57 Copyf58 Copyf59 Copyf60 Copyf61 Copyf62 Copyf63 Copyf65 Copyf66 Copyf67 Copyf68 Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

GP dos estados unidos – Austin, de 30  de outubro a 2 de novembro 2014

 

pneus p zero médios e macios para o circuito das américas

 

Um misto de longas retas com curvas técnicas, num dos mais recentes circuitos do calendário de Fórmula Um

 

para as ultimas corridas do ano, em seguida as equipes rumam ao brasil

 

O circuito das Américas, no Texas, é um dos mais recentes no calendário da Fórmula Um, tendo sido inaugurado apenas em 2012. Os compostos médio e macio são os eleitos pela primeira vez ( nos ultimos dois anos foram escolhidos os compostos médio e duro). Esta versátil seleção de compostos para 2014, é concebida para lidar com as diferentes exigências da pista, na qual conta com três longas retas, mas também uma série de curvas técnicas. Incluindo a longa curva 1, um gancho que coloca toda a energia nos pneus, bem como outras mudanças rápidas de direção que se assemelham aos circuitos de Silverstone ou Suzuka. Austin, é um circuito com muita adrenalina e com desafios unicos, pois existem 20 curvas com diferentes e impressionantes desníveis, em que estes condicionam as referências de travagem e o respetivo ponto correcto de travagem. Tudo em conjunto, faz com que o traçado da pista seja emocionante de forma a que os pilotos e espetadores desfrutem de uma forma intensa. O Grande Prémio dos Estados Unidos também marca o inicio da sequência final das corridas dos grandes prémios do ano, com as equipas em seguida  a rumarem para o Brasil – Circuito de Interlagos, para o qual foi anunciado a mesma indicação de compostos.

 

 

Paul Hembery (Responsável da Pirelli Motorsport): ” À semelhança de qualquer fabricante automóvel, os Estados Unidos é um mercado importante para a Pirelli. Portanto, estamos muito felizes por voltar a Austin que é uma ótima cidade para passar o tempo, bem como o lugar ideal para realizar uma corrida. O piso da pista tem agora três anos de idade, teoricamente tornou-se mais maduro e deveria oferecer uma melhor aderência face aos anos anteriores. Esperamos que os pneus médios e macios, nos coloquem no caminho correcto para uma corrida com duas paragens, no entanto vamos confirmar a nossa previsão, após os treinos livres. Muito dependerá do clima. Mesmo, com a corrida a realizar no mês de Novembro, o  clima sempre quente mas variável e a degradação térmica são fatores importantes. Como e quanto estes fatores influenciam o desgaste e a degradação no geral com a nova geração de carros deste ano e a estratégia de corrida, é algo que apenas vamos saber quando lá chegarmos. Em ambas as ocasiões anteriores, a estratégia vencedora foi sempre de uma paragem apenas, também por causa da corrida que é no final da época, e a maior parte das equipes já tem experiência e desenvolveu conhecimento para retirar o máximo proveito dos pneus”. 

 

 

Jean Alesi (Consultor da Pirelli): “ Austin é acima tudo, um circuito muito emocionante para os pilotos. Existem excelentes possibilidades para atacar e ultrapassar na travagem para a curva 1, como assim nos “Esses” , onde são possiveis diversas trajétórias. Várias oportunidades de ultrapassagem, geralmente asseguram um excelente Grande Prémio e esta pista está londe de ser “chata”. A variação de temperatura é outro fator importante, nos ultimos dois anos foi definitivamente frio de manhã, mas quente na hora da qualificação. Isto faz com que o pneu se encontre numa janela perfeita para o desafio acrescido de pilotos e equipes.

O circuito do ponto de vista dos pneus:

Três longas retas tendem a arrefecer os pneus, caindo ligeiramente a temperatura dos mesmos, condicionando as zonas de travagem como criticas. Isto, também afeta o desempenho em curvas rápidas, uma vez que o composto tem que voltar à temperatura ideal de uma forma rápida.

 

O pneu médio é um composto de baixa gama de trabalho, capaz de alcançar um ótimo desempenho, mesmo numa vasta gama de temperaturas baixas. Pelo contrário, o pneu macio é um composto de alta gama de trabalho, adequado para temperaturas mais elevadas. No ano passado houve uma grande escala de temperaturas da pista no Grande Prémio do Estados Unidos, entre 18 e 37 graus centigrados.

 

Um misto de retas e curvas, exigem um compromisso em termos de downforce, colocando uma forte ênfase na aderência mecânica dos pneus. Como assim, na longa curva 1 e nas rápidas mudanças de direção na primeira parte da volta, a curva  11 também exige muito dos pneus. O piloto começa a travar quando o carro está em curva, originando uma distribuição desigual de forças na borracha.

 

A estratégia vencedora no ano passado foi de uma troca de pneus, com Sebastian Vettel em Red Bull a iniciar a corrida com composto médio e a parar na volta 27, para trocar para composto duro. Os primeiros doze finalistas, apenas realizaram uma troca de pneus.

 

Mais informaçôes sobre Austin, e procura de informação sobre o circuito das Américas, pode ser visualizado numa animação realizada em 3D com um novo visual produzido pela Pirelli.

 

Videos e fotografías de livre utilização, disponiveis em www.pirelli.com/f1pressarea

 

As escolhas de pneus até agora:

 

 

P Zero vermelho

P Zero

Amarelo

P Zero

Branco

P Zero Laranja

Australia

 

Macio

Medio

 

Malasia

 

 

Medio

Duro

Bahrein

 

Macio

Medio

 

China

 

Macio

Medio

 

Espanha

 

 

Medio

Duro

Mónaco

Super macio

Macio

 

 

Canadá

Super macio

Macio

 

 

Áustria

Super macio

Macio

 

 

Inglaterra

 

 

Médio

Duro

Alemanha

Super macio

Macio

 

 

Hungria

 

Macio

Medio

 

Bélgica

 

Macio

Medio

 

Itália

 

 

Médio

Duro

Singapura

Super macio

Macio

 

 

Japão

 

 

Médio

Duro

Russia

 

Macio

Medio

 

USA

 

Macio

Medio

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Revista P Zero:

A nova revista P Zero, uma inovação da Pirelli para a presente temporada, contém factos sobre o Grande Prémio dos Estados Unidos e da vibrante cidade de Austin, bem como as novidades que acontecem no mundo Pirelli, no passado, presente e futuro. Como sempre existe uma nova receita do Chefe Pirelli, experimentado e apreciado nos paddocks de F1 de todo o mundo, além de recursos e um pouco de história. Esta nova e dinâmica revista electrónica, contém um vídeo e outros conteúdos interactivos actualizados no fim de semana.

Podemos visitar através do site Pirelli, com o seguinte link : http://magazine.pzero.com

 

 

MERCEDES JA TEM TITULO

MERCEDES AMG PETRONAS vence Campeonato Mundial de Construtores de Formula 1

A PETRONAS está orgulhosa da sua tecnologia Fluid Technology Solutions™.

Esta tecnologia proporcionou, mais uma vez, uma vantagem competitiva na pista à equipa de Fórmula 1 MERCEDES AMG PETRONAS, uma vez que assegurou a vitória no Campeonato Mundial de Construtores de Fórmula 1* da FIA de 2014 na 16.ª ronda da temporada de 2014 de Fórmula 1 em Sochi, na Rússia.

A importante ocasião ficou também assinalada pela colaboração bem-sucedida entre a PETRONAS e a Silver Arrows, materializada no novo motor de 1,6 litros V6 turbo. O ano 2014 apresentou aquela que é reconhecida como a maior revolução técnica desde a primeira época da Fórmula 1, com a eficiência energética como fator chave de desempenho.

Em conjunto, a PETRONAS e a Equipa de Fórmula 1 MERCEDES AMG PETRONAS passaram mais de três anos a trabalhar em estreita ligação de modo a criar uma nova classe de combustíveis e lubrificantes especiais que ajudam a fornecer uma vantagem competitiva em pista em 2014, e no futuro, levando a equipa ao pódio em todas as corridas deste ano. «Estamos extremamente satisfeitos com o sucesso que alcançámos em conjunto com a equipa e felicitamos todos os envolvidos pelo trabalho árduo. Este é verdadeiramente um marco histórico para a PETRONAS como parceiro técnico e produtor da fórmula vencedora para a equipa campeã nesta época», referiu o presidente da PETRONAS e CEO do Grupo, Tan Sri Dato’ Shamsul Azhar Abbas.

Estes desafios foram ultrapassados graças à tecnologia Fluid Technology Solutions™ da PETRONAS – uma abordagem inteligente às necessidades em termos de lubrificantes que potencia o desempenho através de produtos criados à medida e serviços especializados. As características do combustível PETRONAS PRIMAX e o seu desempenho durante a combustão são a chave para um funcionamento eficiente, potente e fiável do motor, enquanto os lubrificantes PETRONAS SYNTIUM têm um papel crucial ao assegurar um desempenho fiável da Unidade de Potência.

Estes lubrificantes são concebidos tendo em mente o carro Híbrido F1W05 da Mercedes-Benz por uma equipa de especialistas que trabalha em conjunto com engenheiros na Mercedes AMG High Performance Powertrains em Brixworth e a equipa de Fórmula 1 MERCEDES AMG PETRONAS em Brackley e, deste modo, o PETRONAS Primax e o PETRONAS Syntium apresentaram resultados extraordinários, proporcionando eficiência e desempenho à equipa sob os regulamentos estabelecidos pela FIA para este ano, que exigiram que os carros competissem com menos 30% de combustível.

«A PETRONAS tem tido, este ano, um papel importante no sucesso da MERCEDES AMG PETRONAS nas pistas», afirmou Toto Wolff, diretor da Mercedes-Benz Motorsport. «O desafio técnico dos regulamentos de 2014 centrou-se em proporcionar o desempenho mais eficiente possível. Graças ao compromisso e à competência dos nossos parceiros na PETRONAS, desenvolvemos a Unidade de Potência Híbrida e o carro de corrida híbrido mais competitivos da Fórmula 1 deste ano, alcançando mais potência e uma maior eficiência do que os nossos concorrentes. Em termos simples, não o poderíamos ter alcançado sem os nossos parceiros – e é um momento de orgulho para todos nós assegurar o primeiro Campeonato Mundial de Construtores de Fórmula 1 da FIA para a Mercedes-Benz e para a PETRONAS.»

A mesma competência técnica que cria os lubrificantes usados nos carros de Lewis Hamilton e de Nico Rosberg é também usada nos lubrificantes que protegem os automóveis do dia-a-dia. Utilizando a Fórmula 1 como o seu grande banco de ensaio, a equipa científica da PETRONAS utiliza a mesma abordagem ao desenvolver soluções fluidas personalizadas em situações extremas e exigentes para criar lubrificantes e óleos tecnologicamente superiores para os carros do dia-a-dia. No fim de contas, aplicam-se as mesmas preocupações – maximizar a potência do motor, a eficiência e a durabilidade e, em simultâneo, reduzir o consumo de combustível.
*Sujeito a confirmação oficial por parte da FIA dos resultados do Campeonato do Mundo de Fórmula 1 da FIA 2014.



Formula1-TituloConstrutores2014
 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

NOMEAÇÃO DE PNEUS PARA GRAND PRIX BRASILEIRA ALTERADO
 Depois de uma reunião do Grupo de Trabalho dos pneus, a nomeação de pneus para o Grande Prêmio do Brasil (06-09 novembro) foi alterado, na sequência da proposta da Pirelli e com o acordo unânime de todas as equipes.
Embora a nomeação duro e meio tem sido utilizado no Brasil nos últimos dois anos, o recente recapeamento da pista de Interlagos tem solicitado a mudança a médio e macio. Esta nova opção é a mesma nomeação como o Grande Prêmio dos Estados Unidos no fim de semana antes.
O diretor de automobilismo da Pirelli, Paul Hembery, disse: "Nós sempre dissemos que estaríamos abertos a quaisquer alterações, se tal for necessário. Após nova análise técnica do impacto da superfície do circuito revista, juntamente com uma avaliação de risco, sugerindo uma baixa probabilidade de superaquecimento composto devido a temperaturas extremas de pista, fizemos esta mudança com o acordo unânime de todos os 11 times. "
Escolhas de pneus de 2014:
  P Zero Red P Zero Yellow P Zero Branco P Zero Laranja
Austrália Suave Médio
Malásia Médio Difícil
Bahrain Suave Médio
China Suave Médio
Espanha Médio Difícil
Monaco Supersoft Macio
Canadá Supersoft Macio
Áustria Supersoft Macio
Grã-Bretanha Médio Difícil
Alemanha Supersoft Macio
Hungria Suave Médio
Bélgica Suave Médio
Itália Médio Difícil
Cingapura Supersoft suave
Japão Médio Difícil
Rússia Suave Médio
EUA Suave Médio
Brasil Suave Médio
Abu Dhabi Supersoft Macio
Versão PDF (228,06 KB)

 

MERCEDES VENCE MUNDIAL DE F 1

 

MERCEDES-AMG PETRONAS vence mundial de construtores de Fórmula 1

 

A equipa Mercedes-AMG Petronas alcançou este fim de semana, no Grande Prémio da Rússia, a vitória no Mundial de Construtores de Fórmula 1 tendo Lewis Hamilton vencido o 1º Grande Prémio a realizar-se na Rússia, em Sochi. Nico Rosberg terminou a corrida na segunda posição depois de uma recuperação incrível. Ambos os pilotos têm ainda a possibilidade de alcançarem o 1º lugar no mundial de pilotos.

 

  • Pela nova vez em 2014, a equipa Mercedes-AMG Petronas alcançou a primeira e segunda posição num Grande Prémio de Fórmula 1, tendo para isso atribuído a vitória no Mundial de Construtores para a Mercedes-Benz;
  • É a primeira vez que a Mercedes-Benz ganha este título;
  • Com esta vitória, Lewis Hamilton iguala Nigel Mansell, o piloto britânico com mais vitórias na F1;
  • Nas cinco primeiras posições a terminar este Grande Prémio estiveram motores Mercedes-Benz, uma excelente celebração para a conquista do Campeonato Mundial para a Mercedes-Benz.

 

  Piloto

 Viatura

  Chassis

  Resultado final / Volta mais rápida

  Lewis Hamilton

  44

  F1 W05 Hybrid/05

  P1        1:41.606

  Nico Rosberg

  6

  F1 W05 Hybrid/04

  P2        1:41.360MERCEDES-AMG PETRONAS_1_CopyMERCEDES-AMG PETRONAS_2_Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

AMPEONATO MERCEDES SEALS PRIMEIRO Construtores com a Pirelli
Nico Rosberg coloca a sua melhor volta TEMPO PESSOAL
SOBRE PNEUS MÉDIO QUE SÃO 51 voltas VELHO
APENAS UM PIT STOP durante a maioria dos concorrentes em Sochi
Mas as estratégias DIFERENTES
 Vitória de Lewis Hamilton e segundo lugar de Nico Rosberg no Grande Prêmio inaugural russo deu seus primeiros Mercedes campeonato de construtores com a Pirelli. Juan Manuel Fangio dirigia um Mercedes durante a sua temporada 1954 motorista campeonato de prêmios, durante o qual ele também usou um Maserati Pirelli-equipada, mas esta é a primeira vez que a Mercedes já conquistou o título em seu próprio direito, desde o campeonato de construtores foi criada em 1958.
Hamilton venceu desde a pole, mas o desempenho de Rosberg foi ainda mais notável quando ele mudou de P Zero Amarelo macio para P Zero Branco médio pneus na primeira volta, na sequência de um lock-up e local plano após o início. Como resultado, o alemão completou 52 voltas - mais de 300 quilômetros - em um jogo de pneus, tendo ressurgido em 20 lugar após seu pit stop. Rosberg colocou seu melhor tempo pessoal da corrida na volta 52, uma volta do final.
Da Sauber Adrian Sutil também completou 40 voltas, desta vez em seu jogo de pneus macios abertura, destacando a baixa taxa de desgaste dos pneus e degradação em Sochi.
A maioria dos motoristas começou no pneu macio, com o motor de arranque de mais alto colocado no meio sendo da Force India Sergio Perez em 12 º. Perez completou 23 voltas com seu primeiro jogo de pneus, antes de mudar para os pneus macios mais rápido para compensar lugares no final da corrida e conquistar o 10 º lugar. Ele lutou com Williams motorista Felipe Massa: o mais bem colocado dois-rolha, que terminou em 11 º após o início do 18o no grid.
O diretor de automobilismo da Pirelli, Paul Hembery, disse: "O desgaste e degradação foram extremamente baixas neste novo circuito em Sochi, o que permitiu a maioria dos motoristas que utilizam a estratégia de uma parada e Nico Rosberg para reivindicar o segundo lugar depois de completar 52 voltas em um jogo de pneus. Parabéns a Mercedes para ganhar o campeonato de construtores pela primeira vez e estamos ansiosos para a continuação da batalha pelo título de pilotos. Este foi um evento fantástico organizado aqui na Rússia e temos feito para se sentir muito bem-vindos neste local incrível. "
Vezes mais rápido do dia por composto:
  Médio macio Intermediate Wet
Primeiro Bot 1m40.896s Kvy 1m42.022s
Segundo Ros 1m41.360s Hul 1m42.685s
Terceiro Ham 1m41.606s Mas 1m42.879s
Longest stint da corrida:
  Médio Rosberg (52 voltas)
  Sutil Suave (40 voltas)
Truth-O-Meter:

 

Google Tradutor

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2014 Russian Grand Prix - pneu Começando line-up
No Russian Grand Prix 2014, os pilotos começaram a corrida nos seguintes pneus:
Hamilton macio
Rosberg macio
Bottas macio
botão macio
Kvyat macio
Ricciardo macio
Alonso macio
Raikkonen macio
Vergne macio
Vettel macio
Magnussen macio
Perez Médio
Gutierrez macio
Sutil Médio
Grosjean macio
Ericsson macio
Hulkenberg Médio
Massa Médio
Kobayashi Médio
Chilton Médio
Maldonado Médio
 
Começando pneu line-up - Rússia 14f377 Copy_Copyf378 Copy_Copyf379 Copy_Copyf380 Copy_Copyf700 Copy_Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2014 Russian Grand Prix - Qualifying
HAMILTON NO PÓLO COM PNEU SOFT PARA ABERTURA DA RÚSSIA GRAND PRIX
LAP TEMPO DIFERENÇA ENTRE MÉDIO E SOFT PARA BAIXO PARA 1,2 segundos
UMA PARADA estratégia possível: o desgaste e degradação muito baixo
 o piloto da Mercedes Lewis Hamilton assumiu a pole position para o primeiro russo Grand Prix usando o pneu macio P Zero Amarelo, indicado junto com o P Zero Branco médio pneu em Sochi. O inglês definir um tempo de 1m38.513s com o pneu macio no 3 º trimestre, à frente de seu companheiro de equipe Nico Rosberg. Este foi o nono Mercedes dobradinha na qualificação nesta temporada.
A diferença de desempenho entre os dois compostos P Zero desceu em relação a ontem, de 1,5 segundos para 1,2 segundo. Esta diferença ainda deixa muitas opções de estratégia aberta, com a possibilidade de que algumas equipes podem tentar parar apenas uma vez por conta do baixo desgaste e degradação.
A estratégia de uma parada tornou-se ainda mais provável com a notícia de que o limite de velocidade pit lane foi reduzido para 60kph por razões de segurança. Isto irá aumentar o tempo total de parada de cerca de 24 segundos e, o que significa que as equipes terão como objectivo reduzir a quantidade de tempo gasto nos boxes durante a corrida.
Nenhuma equipe sentiu-se confiante o suficiente para tentar obter através Q1 apenas com os pneus médios, com a qualificação pneu macio dominante, realizada em tempo quente e seco com temperaturas de 25 graus centígrados.
Hamilton completou apenas uma corrida na sessão Q3 final, estabelecendo um tempo mais rápido que na verdade não era tão rápido quanto o tempo ele colocou em Q2. Da Toro Rosso Daniil Kvyat deu o seu melhor desempenho de sempre qualificar para a linha em quinto no grid para o GP caseiro.
O diretor de automobilismo da Pirelli, Paul Hembery, disse: "Como esperado, a diferença de desempenho entre os dois compostos desceu um pouco em relação a ontem, quando a degradação é mínima. Provavelmente vamos ver os drivers manter seus pneus para o maior tempo possível, com uma estratégia de uma parada olhando agora uma possibilidade distinta, também devido ao fato de que o limite de velocidade pit lane foi reduzido. Os carros mais rápidos podem permitir-se o luxo de um dois-rolha, após mais de uma estratégia de sprint. De qualquer maneira, vai ser uma corrida interessante em um novo espaço significativo, onde as táticas de pneus irão desempenhar um papel central. "
O preditor estratégia Pirelli:
A estratégia de uma parada é teoricamente mais rápido para a 53 voltas russo Grand Prix, agora que o limite de velocidade pit lane foi reduzido para 60kph. No entanto, isso dependerá também da velocidade inerente em cada carro, bem como a posição da faixa. A estratégia de uma parada ideal é o seguinte: começar com o pneu macio, mudar para o meio na volta 34 e depois correr para o fim. A estratégia oposta é tão rápida: começar no meio e, em seguida, mudar para o suave na volta 18, embora isso não será usado pela top 10 no grid. A estratégia de duas paradas a mais rápida é: comece no macio, mude para o macio novamente na volta 20, depois para o meio na volta 50.
Compostos mais rápidos FP3:
  Hamilton 1m38.726s New Soft
  Rosberg 1m39.016s New Soft
  Bottas 1m39.097s New Soft
Top 10 utilização de pneus:
  Hamilton 1m38.513s New Soft
  Rosberg 1m38.713s New Soft
  Bottas 1m38.920s New Soft
  Botão 1m39.121s New Soft
  Kvyat 1m39.277s New Soft
  Magnussen 1m39.629s New Soft
  Ricciardo 1m39.635s New Soft
  Alonso 1m39.709s New Soft
  Raikkonen 1m39.771s New Soft

 

Google Tradutorf368 Copyf369 Copy_Copyf370 Copyf371 Copy_Copyf372 Copy_Copyf373 Copyf374 Copy_Copyf375 Copy_Copyf376 Copy_Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2014 Russian Grand Prix - sessões de treinos
HAMILTON mais rápido na PNEU SOFT Depois de abrir dia de ação em Sochi
Diferença de cerca de 1,5 segundos, de forma FAR entre médio e suave PNEUS
Alto grau de TRACK EVOLUÇÃO EM NOVO CIRCUITO DA RÚSSIA
 A última pista para participar da Fórmula Um calendário teve seu dia de estréia de ação com treinos livres para o Grande Prêmio inaugural da Rússia, onde o piloto da Mercedes Lewis Hamilton definir o tempo mais rápido com o pneu macio P Zero Amarelo: 1m39. 630S em FP2.
Há uma lacuna de desempenho de cerca de 1,5 segundos até agora entre o macio eo P Zero Branco médio de pneus, que também foi nomeado para a Rússia. Esta diferença deve vir para baixo sobre o resto do fim de semana, com o tempo total de colo também é passível de descer consideravelmente.
Isso é por causa do alto grau de evolução pista inerente a um novo circuito, com óleos em asfalto fresco subindo à superfície antes de eventualmente ser limpos fora como mais carros esfregar a pista. A sujeira ea poeira na superfície também é varrida gradualmente fora, com um pano limpo e emborrachados-in line, finalmente, emergir.
Sendo esta a primeira vez que a faixa de Sochi já tenha sido utilizado, o trabalho realizado nos treinos livres foi essencial para as equipes para ter uma idéia inicial de taxas de desgaste e degradação na variação das cargas de combustível. No entanto, isso não é fácil de calcular como a pista está ficando cada vez mais rápido, com os motoristas também cada vez mais familiarizado com ele. O desgaste e degradação foi mínima, com motoristas extrair mais de uma volta rápida ainda no composto mais macio.
Condições permaneceu seco e quente durante toda a sessão, com 25 graus de temperatura do ar e 44 graus na pista na metade do FP2. As previsões iniciais sugerem que o tempo pode ser um pouco mais frio para a qualificação e corrida, adicionando outro elemento imprevisível para este novo grand prix.
Paul Hembery: "Pelo que podemos ver do primeiro dia de ação na Rússia estamos felizes com nossas escolhas. A médio e pneus macios são a escolha certa para uma nova faixa. Com sua vez, três em particular o pneu supermacio pode não ter funcionado, mas vamos analisar tudo isso com cuidado após o Grand Prix. Estamos vendo muito baixo desgaste e degradação, o que nos coloca no caminho certo para uma média de duas paragens nas boxes por carro durante a corrida. Nós também estamos enfrentando um alto grau de evolução pista, o que é normal para um novo circuito, o que pode ainda alterar o quadro geral do comportamento dos pneus. Como o circuito era tão escorregadio que havia um risco de granulação hoje - que é sempre o caso de uma nova pista - mas no final isso não vir a ser um fator importante. Temos abundância de dados de olhar para esta noite e nossa compreensão do circuito já melhorou. "
FP1: FP2:
Rosberg 1m42.311s Medium novo New Soft Hamilton 1m39.630s
Hamilton 1m42.376s Médio nova Magnussen 1m40.494s New Soft
Botão 1m42.507s Meio utilizado Alonso 1m40.504s New Soft
Estatísticas de pneus do dia:
  Médio macio Intermediate Wet
kms impulsionado * 4664 1908 0 0
foram utilizados grupos geral ** 62 21 0 0
maior número de voltas ** 26 21 0 0
* O número acima apresenta o montante total de quilómetros percorridos no FP1 e FP2, hoje, todos os condutores combinados.
** Por composto, todos os drivers combinado.
Pirelli fatos do dia:
Este é o primeiro russo Grand Prix da era moderna, mas o Grande Prémio de São Petersburgo foi realmente realizada duas vezes antes, em 1913 e 1914 (quando a cidade era conhecida como Petrogrado). A primeira corrida foi vencida pelo piloto russo Georgy Suvorin em um Benz, enquanto o alemão Willy Scholl venceu a segunda corrida, também em um Benz de 35 cavalos de potência. O evento foi abandonado devido à Primeira Guerra Mundial Pirelli foi última representada no automobilismo internacional russo de volta em 2009, no Rally Rússia. Isto foi baseado em Vyborg: a cidade natal do piloto de F1 russo Vitaly Petrov.

 

Google Tradutorf356 Copyf357 Copyf358 Copyf359 Copyf360 Copyf362 Copyf363 Copyf366 Copyf367 Copyf368 Copyf369 Copyf370 Copy

 

MERCEDES IRÁ FORNECER MOTORES À LOTUS

 

Mercedes-AMG irá fornecer motores para a Lotus F1 Team em 2015
A Mercedes-AMG irá fornecer em 2015 os motores à Lotus F1 Team, um acordo que será válido entre as duas empresas até ao final da atual geração de motores.
Ao abrigo do acordo celebrado, os motores produzidos pela Mercedes AMG High Performance Powertrains (HPP), com sede em Brixworth, serão fornecidos à equipa de F1 da Lotus já a partir do início da temporada. A equipa da Lotus irá continuar a desenvolver e produzir as suas próprias transmissões em Enstone, onde já se encontra a desenvolver o monolugar da próxima época, o E23 Hybrid.
Atualmente, a Mercedes-AMG fornece igualmente os motores para as equipas da McLaren, Williams e Force India. Todas estas equipas têm apresentado resultados bastante positivos nos Grandes Prémios de Fórmula 1 em 2014.
A equipa Mercedes-AMG Petronas é atualmente a líder do campeonato de F1 em construtores e também de pilotos, com Lewis HamMercedes-AMG Copy

 

GALERIA DE IMAGENS

GALERIA DE IMAGENS

 

PREPARATIVOS PARA O GRANDE PRÉMIO DE FÓRMULA 1 NA RUSSIA

 

 

Grupo de imagens alusivas aos preparativos para o Grande Prémio da Russia de Fórmula 1.f500 Copy_Copyf502 Copy_Copyf504 Copy_Copyf505 Copy_Copyf506 Copyf508 Copyf509 Copyf510 Copyf510 Copyf511 Copyf512 Copyf514 Copyf515 Copyf516 Copyf517 Copyf518 Copyf519 Copyf520 Copyf521 Copyf522 Copyf523 Copyf524 Copyf525 Copyf526 Copyf527 Copyf528 Copyf529 Copyf530 Copyf540 Copyf541 Copyf542 Copyf543 Copyf544 Copyf545 Copyf546 Copy

 

DOIS COMBATENTES.....

DOIS COMABTENTES

 

Dois pilotos de Fórmula 1 no limiar da vida.Schumacher, que se encontra em casa a tentar voltar a sua vida normal e Jules Bianchi que ainda se encontra no Japão, ainda com prognostico reservado.Dois combatentes a lutar pela vida.doiscombatentes Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

PIRELLI TERMINA 2014 FORMULA ONE ESCOLHAS COMPOSTO
f1 Copyf2 Copyf50 Copyf70 CopyAs escolhas de pneus para esta temporada estão agora completa, com a Pirelli ter anunciado os compostos que serão usados ​​para a final três grandes prêmios do ano, nos Estados Unidos, Brasil e Abu Dhabi.
Para o Circuito das Américas, a médio P Zero Branco e P Zero Amarelo pneus macios será nomeado. Esta tem sido a indicação mais freqüente deste ano, e é bem adequado para circuitos com uma série ampla de reivindicações, como a Austin com sua combinação de curvas rápidas e secções mais técnicas.
Os dois compostos mais duros da gama foram nomeados para o Brasil: P Zero Laranja duro e médio P Zero Branco. Enquanto Interlagos é o colo mais curto do ano, a demanda de energia é alta como a pista sentido anti-horário, essencialmente consiste em uma série de cantos sem parar, com um alto nível de asfalto rugosidade.
Por outro lado, Abu Dhabi é uma das faixas mais suaves do ano, e território bem conhecido pela Pirelli, com um monte de testes da empresa realizado lá antes de sua chegada na Fórmula Um. A corrida acontece na noite, com temperaturas ambiente e de pista queda, a escolha mais adequada dos pneus é o supersoft macio P Zero Amarelo e Vermelho P Zero, que irá colocar o acento na estratégia.
As escolhas de pneus até agora:
  P Zero Red P Zero Yellow P Zero Branco P Zero Laranja
Austrália Suave Médio
Malásia Médio Difícil
Bahrain Suave Médio
China Suave Médio
Espanha Médio Difícil
Monaco Supersoft Macio
Canadá Supersoft Macio
Áustria Supersoft Macio
Grã-Bretanha Médio Difícil
Alemanha Supersoft Macio
Hungria Suave Médio
Bélgica Suave Médio
Itália Médio Difícil
Cingapura Supersoft suave
Japão Médio Difícil
Rússia Suave Médio
EUA Suave Médio
Brasil Médio Difícil
Abu Dhabi Supersoft Macio

 

GALERIA DE IMAGENS

GALERIA DE IMAGENS

 

AINDA O GRANDE PRÉMIO DO JAPÃO DE FÓRMULA 1

 

 

Grupoo de imagens refernets ao Grande Prémio do Japão.f51 Copyf52 Copyf53 Copyf54 Copyf55 Copyf60 Copyf61 Copyf62 Copy_Copyf63 Copyf64 Copyf65 Copyf66 Copyf67 Copyf68 Copyf69 Copyf70 Copyf71 Copyf72 Copyf73 Copyf75 Copyf76 Copyf77 Copyf78 Copyf79 Copyf81 Copyf100 Copyf101 Copyf102 Copyf103 Copyf104 Copyf105 Copyf106 Copyf107 Copyf108 Copyf109 Copy

 

GRANDE IDEIA

GRANDE IDEIA

 

veja caro elitor a ideia protagonizada por estes jovens ingleses que reproduziram um Williams de Fõrmula 1, todo feito com latas vazias...um espectáculo.grandeideia1-para fins_de_caridade-diftiposdelata_Copygrandeideia2-wiloliams em_inglaterra_Copygrandeideia3 Copy

 

AS ESPECULAÇÕES NO MUNDO DA F 1

AS ESPECULAÇÕES NO MUNDO DA F 1

 

 

Muito se tem especulado no mundo da Fórmula 1, onde as ultimas que se ouviram foi a passagem de Sebastien vettel para a Ferraro, e de Fernando Alonso para  Red Bull.Mas ontem chegou mais uma especulação, pois houve orgãos da especialidade que apostamm a entrada de Alonso e Vettel para a equipa da McLaren.O que se segue?????f62 Copy

 

IMAGENS MARCANTES DO ACIDENTE DE BIANCHI

IMAGENS MARCANTES DO ACIDENTE DE BIANCHI

 

Pequeno grupo de imagene marcantes do acidente de Bianchi, com Sutil a asssitir chocado com o estado do seu amigo Jules Bianchi.bianchi1BIANCHI3 CopyBIANCHI Copy

 

LEWIS HAMILTON DE REGRESSO À MCLAREN?

LEWIS HAMILTON DE REGRESSO À MCLAREN?

 

Esta foi sem dúvida alguma a noticia de hoje, a possibilidade de Hamilton regressar à McLaren.Para isso quem terá de sair, e os bastidores referem-se a possibilidade de ser Button a sair para a equipa da Porsche que paerticipa na WEC.Um assunto para ser seguido de perto.HAMIL Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

Grande russo Prix Preview: Sochi, 9-12 de outubro 2014
MÉDIO E SOFT Pneus para a primeira marca novo circuito DESDE AUSTIN
A Rússia de SOCHI pista é de velocidade média, com 18 CANTOS
  E uma variedade de demandas DIFERENTES
Um novo território para FORMULA ONE abre mais imprevisibilidade
 Formula One cabeças em um novo território com novo circuito de Sochi, perto do Mar Negro na Rússia: a casa dos 2014 Jogos Olímpicos de Inverno. Este será o primeiro novo circuito introduzida no calendário grand prix desde Austin, em 2012.
Com a faixa de só ter sido recentemente concluído, não há uma grande quantidade de dados reais disponíveis. No entanto, a Pirelli realizou simulações computacionais avançados em colaboração com as equipes para se preparar para as exigências de um novo local e prever as estratégias prováveis.
Como resultado, a médio P Zero Branco e P Zero Amarelo pneus macios foram escolhidos para a Rússia: uma combinação que foi visto pela última vez no Grande Prêmio da Bélgica em Spa.
Sochi é um circuito de média velocidade, com uma variedade de diferentes cantos, incluindo um canhoto que foi inspirado no longa Ligue ápice triplo 8 em Istambul Park, que tem uma enorme quantidade de energia para fora do pneu dianteiro direito. No total, há 12 direita e seis curvas para a esquerda, com a 650 metros em linha reta entre o primeiro eo segundo turnos, em que se espera dos carros para bater uma velocidade máxima de cerca de 320kph. A velocidade média volta será na região de 215kph, com a pista projetada pelo renomado arquiteto Hermann Tilke circuito, cuja criação F1 última era Austin, no Texas.
Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli: "A Rússia é um território chave para a Pirelli, juntamente com todos os principais fabricantes de automóveis do mundo, por isso estamos muito ansiosos para Sochi eo primeiro russo Grand Prix, que é um marco significativo no história do esporte. De uma perspectiva do pneu deve ser um desafio interessante; nós temos uma grande variedade de cantos, que deve testar todos os aspectos do desempenho. Como tem sido o caso em todos os Grand Prix deste ano, nós estamos apontando para entre dois e três pit stops por corrida ea nomeação fizemos reflete isso. Em termos de demanda de energia global de pneus, a Rússia está em algum lugar no meio, e as medidas também indicam baixa abrasão do asfalto. Em relação ao tempo, as previsões iniciais sugerem que condições será temperado. Indo para um novo circuito é sempre emocionante e é só quando chegarmos lá que vamos ter uma idéia completa do que esperar, assim que o trabalho feito nos treinos livres será particularmente importante para todos ".
Jean Alesi, consultor Pirelli: "Com a tecnologia de simulação que existe agora, é muito mais fácil para pilotos, equipes e empresas de curso de pneus para se preparar para um novo grand prix do que era na minha época. Mas ainda há uma grande diferença entre a realidade virtual e: simulação nunca poderá replicar tudo. Por isso, será importante para os pilotos e engenheiros para inspecionar a pista com cuidado; compreender a natureza da superfície você tem que tocá-lo e senti-lo. No primeiro dia, em especial, a pista será muito suja e difícil de conduzir, o que torna muito difícil ter a idéia correta sobre a configuração e as características dos pneus. Sem informações anteriores, é fácil compreender mal as coisas ou ir na direção errada no set-up, o que só aumenta o desafio de um completamente novo local. "
O circuito do ponto de vista dos pneus:
Sochi não é especialmente semelhante a qualquer um Fórmula Um atual trilhas, mas tem algumas características em comum com o circuito de rua de Valência utilizadas até 2012. Assim como Montreal e Melbourne, Sochi é uma instalação semi-permanente, e tem outra coisa em comum com os demais Montreal, correndo em torno de um ex-sede olímpica.
O meio pneumático é um composto de baixo alcance de trabalho, capazes de alcançar um desempenho óptimo, mesmo a uma vasta gama de temperaturas baixas. O pneu macio pelo contrário é um composto de alta faixa de trabalho, adequado para temperaturas mais altas. Temperaturas ambientes variando 15-20 graus centígrados são comuns para Sochi nesta época do ano.
Uma das razões pelas quais novo asfalto é tão escorregadia é que os óleos usados ​​para fazer o betume subir para a superfície, quase criando uma película invisível na parte superior da pista. Com o tempo, estes óleos são apagadas ea superfície, eventualmente, torna-se mais abrasivo. Se chover - o que é absolutamente impossível nesta época do ano - a pista é especialmente traiçoeiro.
A pista de 5.853 quilômetros de extensão será o terceiro mais longo do ano, atrás de Spa e Silverstone. Cerca de 1,7 quilômetros dessas são executados em vias públicas, ea corrida terá a duração de 53 voltas.
Mais informações sobre o novo circuito de Sochi podem ser encontrados em uma animação 3D de vídeo com novo visual produzido pela Pirelli. Este é livre de direitos autorais para uso de mídia na Fórmula Um site da Pirelli: www.pirelli.com/f1pressarea
As escolhas de pneus até agora:
  P Zero Red P Zero Yellow P Zero Branco P Zero Laranja
Austrália Suave Médio
Malásia Médio Difícil
Bahrain Suave Médio
China Suave Médio
Espanha Médio Difícil
Monaco Supersoft Macio
Canadá Supersoft Macio
Áustria Supersoft Macio
Grã-Bretanha Médio Difícil
Alemanha Supersoft Macio
Hungria Suave Médio
Bélgica Suave Médio
Itália Médio Difícil
Cingapura Supersoft suave
Japão Médio Difícil
Rússia Suave Médio
Na P Zero Magazine:
A nova revista P Zero, uma inovação da Pirelli para esta temporada, contém recursos sobre o primeiro Grande Prêmio da Rússia e tudo mais acontecendo no mundo da Pirelli com o passado, presente e futuro. Como sempre há uma nova receita do chef da Pirelli, experimentado e apreciado nos paddocks de F1 do mundo, além de mais conhecimento de Jean Alesi e um pouco de história. Esta nova revista eletrônica dinâmica foi lançado este ano e também contém vídeos e outros conteúdos interativos atualizados no fim de semana. Ele pode ser acessado através do site da Pirelli no seguinte link: http://magazine.pzero.com/

 

Google Tradutorf28 Copyf29 Copyf30 Copyf35 Copyf36 Copyf40 Copyf41 Copyf42 Copyf43 Copyf44 Copyf46 Copyf48 Copyf49 Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2014 Grande Prêmio do Japão - Race
Hamilton vence IN JAPAN USANDO CINTURATO MOLHADO E INTERMEDIÁRIO PNEUS
PARA ESTENDER liderança do campeonato
Condições de chuva SIGNIFICA QUE DURA E MÉDIAS PNEUS NÃO SÃO UTILIZADOS
PENSAMENTOS Pirelli SÃO COM JULES BIANCHI E Marussia
f11 Copyf12 Copyf14 Copyf15 Copyf16 Copyf17 Copyf18 Copyf19 Copyf20 Copyf21 Copyf22 Copyf23 Copyf24 Copyf25 Copyf26 Copyf27 Copy Lewis Hamilton venceu o Grande Prêmio do Japão prematuramente terminou para estender sua liderança do campeonato, com os Cinturato Azul pneus de chuva Cinturato Verde e intermediário. As condições de chuva, como resultado do tufão Phanfone, fez com que os pneus slicks duros e médios nomeados para o fim de semana não foram usados. A corrida foi interrompida, após um acidente com a Marussia de Jules Bianchi, no final da primeira volta 46.
A corrida teve início atrás do safety car pela primeira vez desde o GP do Canadá em 2011: primeiro ano de Fórmula Um da Pirelli. Ele foi parado novamente, ainda com o safety car, na terceira volta e havia uma segunda partida 20 minutos depois com o safety car mais uma vez - o que significa que os motoristas foram obrigados a utilizar os pneus de chuva completa (como é o caso com qualquer segurança arranque do carro).
A pista permaneceu úmida após o safety car entrou na volta 10, exigindo o uso de intermediários para a maioria da raça. Quando a chuva caiu com mais força, no final da corrida, alguns pilotos fizeram uso do período de safety car final para mudar de volta para o azul Cinturato pneu cheio molhado.
O diretor de automobilismo da Pirelli, Paul Hembery, disse: "O GP do Japão foi realizado sob condições extremamente complicadas, mas, obviamente, a nossa principal preocupação, juntamente com a de todo o paddock, é o acidente que interrompeu a corrida envolvendo Jules Bianchi e Marussia."
Vezes mais rápido do dia por composto:
  Difícil Médio Intermediate Wet
Primeiro N / A N / A Ham Ham 1m51.600s 1m52.563s
Segundo N / A N / A Mas 1m51.721s Ros 1m52.607s
Terceiro N / A N / A Vet 1m51.915s Mag 1m55.284s
Longest stint da corrida:
Intermediário Bottas e Vergne (27 voltas)
Wet Hamilton (12 voltas)
Truth-O-Meter:
Nós previmos duas paradas para a corrida: começar com o pneu médio, mudar para o meio novamente na volta 22 e, finalmente, para o disco na volta 42 No entanto, a corrida molhada fez com que isso nunca ia acontecer: Hamilton começou em molha completos e parou nas voltas 14 e 35 para os pneus intermediários.

 

ANDREA DE CESARIS MORREU

ANDREA DE CESARIS MORREU

 

O antigo piloto de Fórmula 1, falecu ontem vitima dum acidente de moto em Italia.A toda a sua familia e fãs as mais sentidas condolências de toda a nossa equipa.andreacesaris2 Copyandreacesaris3 Copyandreacesaris Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2014 Grande Prêmio do Japão - Qualifying
ROSBERG NO PÓLO utilizando meio de pneu: AMBOS MERCEDES capaz de salvar
Pneus em Q2 e manter um conjunto NOVO PARA A PROVA
TEMPO QUENTE CONTINUA NA QUALIFICAÇÃO em Suzuka
DOIS pit stops é o mais rápido ESTRATÉGIA Se a corrida permanece seco:
TUFÃO PHANFONE AINDA É UMA AMEAÇA
 Pela oitava vez este ano, há uma fila all-Mercedes, com Nico Rosberg líder Lewis Hamilton. Ambos os pilotos utilizado estratégia de pneus durante a qualificação, sendo as únicas pessoas capazes de completar apenas uma corrida em Q2 com pneus médios, nomeados juntamente com o pneu duro neste fim de semana. Como resultado, Rosberg e Hamilton são os únicos pilotos do top 10 para ter um novo conjunto de pneus médios para a corrida.
As condições quentes visto ontem continuou durante a qualificação, com temperaturas de 27 graus centígrados e uma temperatura da pista de 38 graus no início da sessão. Apenas os Mercedes, Williams, McLaren, Red Bulls e Ferrari de Fernando Alonso usado apenas o pneu duro para passar Q1.
Daquele ponto em diante, todos os pilotos usaram o pneu médio só: agora calculado em pouco mais de meio segundo mais rápido do que o disco, com a diferença de desempenho entre os dois compostos tendo descido, como resultado da evolução pista.
O pneu médio é susceptível de ser o mais crucial para a corrida - por isso os motoristas tentou manter tantos conjuntos frescos quanto possível, por causa da degradação térmica alta. No Q2, apenas os pilotos da Mercedes foram capazes de salvar um jogo de pneus médios (em comparação com os outros) através do preenchimento de apenas uma corrida. Como todos os corredores Q3, eles fizeram duas corridas na sessão final. Rosberg definir seu colo pólo em sua segunda corrida, e apesar de a pista foi ficando cada vez mais rápido, ninguém foi posteriormente capaz de vencê-lo.
Williams Valtteri Bottas, que se classificou em terceiro lugar, foi a única pessoa além de Hamilton para chegar a menos de um segundo de pólo. Na última sessão de treinos livres desta manhã, Rosberg foi novamente o mais rápido usando o pneu médio.
O diretor de automobilismo da Pirelli, Paul Hembery, disse: "Mais uma vez, não houve grandes surpresas hoje - na pista, pelo menos. A diferença de desempenho entre os dois compostos desceu ligeiramente, como prevíamos, mas o meio ainda é esperado para ser o principal pneu de corrida. Isso é supondo que não chova, é claro, e ainda há um forte elemento de dúvida sobre isso por causa do tufão nas proximidades. Assim, poderia ser uma história muito diferente amanhã e vai ser interessante ver o que acontece. "
O preditor estratégia Pirelli:
A estratégia de duas paradas tende a ser melhor para a corrida de 53 voltas (que também foi a estratégia vencedora no ano passado). A estratégia ideal é começar com o pneu médio, mudar para o meio novamente na volta 22 e, finalmente, para o disco na volta 42 Algumas equipes podem tentar um três-rolha, caso em que a forma mais rápida é começar com o pneu médio , mude para médio novamente na volta 18, média de novo na volta 33, e, finalmente, duro na volta 47 - embora este seja teoricamente em torno de sete segundos mais lento. Se chover, a estratégia vai para fora da janela: torna-se então uma questão de antecipar e reagir às mudanças nas condições da melhor forma possível. Se as condições são mais frias do que foram hoje e na sexta-feira, o que também pode afetar os níveis de degradação e, portanto, de estratégia.
Compostos mais rápidos FP3:
  Rosberg 1m33.228s nova Médio
  Hamilton 1m34.210s rígido novo
  Alonso 1m34.439s nova Médio
Top 10 utilização de pneus:
  Rosberg 1m32.056s nova Médio
  Hamilton 1m32.703s nova Médio
  Bottas 1m33.128s nova Médio
  Massa 1m33.527s nova Médio
  Alonso 1m33.740s nova Médio
  Ricciardo 1m34.075s nova Médio
  Magnussen 1m34.242s nova Médio
  Botão 1m34.317s nova Médio
  Vettel 1m34.432s nova Médio
  Raikkonen 1m34.548s nova Médiof1 Copyf2 Copyf3 Copyf4 Copyf5 Copyf6 Copyf7 Copyf8 Copyf9 Copyf10 Copy

 

NOVO MOTOR HONDA PARA A F 1

 

Honda Revela Imagem do Novo Motor de F1

 

 

 

 

 

Durante o próximo Grande-Prémio de F1, agendado para este fim-de-semana no Circuito de Suzuka, Japão, a Honda vai revelar em primeira mão a imagem do seu motor de F1 que está actualmente em desenvolvimento. Durante o fim-de-semana, a Honda fará também uma exposição histórica dos modelos F1 e será divulgada a sonoridade deste novo motor. O vídeo desse evento será partilhado com o público, através dos sites Honda na Internet e dos meios de comunicação social, a partir de 6 de Outubro de 2014.

 

 

Para mais informações acerca deste motor F1, visite:

http://world.honda.com/Formula-1/powerunit/

 

 

Para mais informações acerca do stand da Honda, visite:

http://world.honda.com/motorsports/2014/news06/

 

 

Último vídeo do motor F1:

http://world.honda.com/motorsports/video/20141006/

 

 

 

 

 

 

Nas palavras de Yasuhisa Arai, Director do Centro de R&D da Honda e líder do projecto F1:

 "Com vista à participação da Honda na época de F1 para 2015, os trabalhos de desenvolvimento do novo motor F1 estão agora a chegar à sua fase mais importante no nosso centro de R&D em Sakura (Tochigi, Japão), para onde transferimos o desenvolvimento de toda a competição automóvel no início deste ano. No seguimento das simulações já realizadas, avançámos agora para a fase seguinte, onde este motor passará por testes completos no banco de potência e já com ligação aos sistemas de turbo-compressor e de recuperação de energia. Entretanto, a nossa base de operações de competição em Milton Keynes, Reino Unido, já está totalmente funcional. Por agora revelamos uma imagem deste novo motor que temos em desenvolvimento e sobre o qual toda a equipa está focada, preparando o início da próxima época de F1, que acontecerá daqui por 6 meses. Brevemente teremos mais novidades."

 Honda F1_Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2014 Grande Prêmio do Japão - Sessões Práticas
  HAMILTON mais rápido para MERCEDES P ZERO NO BRANCO MÉDIO DE PNEUS
Menos de um segundo separa o MÉDIO E COMPOSTOS DURO
INCERTEZA SOBRE O TEMPO PARA O RESTO DO FIM DE SEMANA
 tempo em Suzuka neste fim de semana Seem previsto para ser cheia de contrastes, com temperaturas durante os treinos livres de hoje tão quente quanto o verão europeu, chegando a 29 graus centígrados ambiente e 41 graus na pista, em meio à possibilidade de chuva torrencial mais tarde, se um tufão nas proximidades afeta a região. Até o final do FP2, já havia algumas gotas de chuva na pista.
É evidente que esta terá um impacto profundo na estratégia de pneus, com as lições aprendidas com os treinos livres não necessariamente relavant para a qualificação e corrida. Os P Zero Laranja duro e P Zero Branco pneus médios foram nomeados para o GP do Japão, com todos os pilotos Completando FP1 usando apenas o mais duro dos dois compostos como normal. Na parte da tarde, FP2 incluído Ambos os compostos com séries mais longas e diferentes cargas de combustível para simular as condições de qualificação e corrida. Isto permitiu que as equipes de calcular os níveis esperados de desgaste dos pneus e degradação.
O tempo mais rápido do dia foi de setembro pelo piloto da Mercedes (e líder do campeonato) Lewis Hamilton, com um valor de referência de 1m35.078s no FP2 - na segunda volta rápida de sua execução com novos pneus médios. Até agora, há uma diferença no tempo de volta de cerca de 0,8-1,0 segundos entre os dois compostos, embora seja provável que venha para baixo como o fim de semana passa e as borrachas de traçado.
A história foi feita hoje também para a Fórmula Um e Pirelli, quando o holandês Max Verstappen se tornou o piloto mais jovem a participar de um grande fim de semana prix e usar os pneus P Zero, com a idade de apenas 17 anos e três dias.
Paul Hembery: "Após o primeiro dia de funcionamento foram lá sem grandes surpresas de nossa parte: em vez dos pontos de interrogação são todos sobre o tempo. E, obviamente, o uso de pneus vai ser muito marcadas por isso. Este é um dos circuitos mais exigentes do ano para os pneus como eles estão constantemente em curva, travagem ou aceleração: não há trégua real em qualquer lugar no colo. Estes Apesar demandas significativas, ainda estamos esperando 02:58 pit stops para a maioria dos motoristas, em circunstâncias normais, enquanto o desgaste e degradação ainda estão muito Dentro dos limites que seria de esperar. Graining tem sido extremamente contida, bem como: quase insignificante. Só uma coisa é certa, que é o que há muito mais por vir a partir deste fim de semana. "
FP1: FP2:
1 Rosberg 1m35.461s 1m35.078s Hamilton Médio Difícil 1 usado novo
2 Hamilton Rosberg 1m35.318s 1m35.612s Hard 2 usado nova Médio
3 Alonso 1m36.037s 1m36.279s duro Médio Bottas novo 3 novos
Estatísticas de pneus do dia:
  Difícil Médio Intermediate Wet
kms impulsionado * 3790 1527 0 0
foram utilizados grupos geral ** 67 20 0 0
maior número de voltas ** 22 20 0 0
* O número acima apresenta o montante total de Quilômetros conduzido em FP1 e FP2, hoje, todos os condutores combinados.
Para agravar **, todos os drivers combinado.
Pirelli fatos do dia:
Se um furacão atinge o Grande Prêmio do Japão, não seria a primeira vez que isso que tem acontecido. Em 2004, perto de Suzuka tufão dizimado ação de sábado, forçando qualificação de ser adiadas para domingo de manhã. Uma solução para evitar esse risco poderia ser para segurar o grand prix mais cedo do que o previsto, mas isso quase nunca aconteceu na história da Fórmula Um. No Grand Prix tem sido realizada em um sábado desde a África do Sul em 1985 Em 1976, o primeiro Grande Prêmio do Japão em Fuji foi atingida por um tufão que atrasou o início e James Hunt acabou resultando em ser coroado campeão do mundo depois de uma corrida caótica - como alguém que assistiu a corrida do filme recentemente saberá.

 

Google Tradutor

 

G.P.JAPÃO DE F 1

GRANDE PRÉMIO DO JAPÃO DE F 1

 

A VEZ DE ROSBERG

 

 

Na sessão de treinos livres o dominio foi inteiro Hamilton e Rosber, mas no momento exacto seria este ultima a ter acessso à pole position para o Grande P´remio do Japão, na qual a Mercedes domina a seu belo prazer.A segunda linha é pertença da Williams com Bottas e Massa, que por sua vez tem atrás de si o Ferrari de nAlonso, o Red Bull de Ricciardo, e os McLaren de Magnussen e Button.Para compeltar o "top ten" fala referir o 9º lugar de Vettel, seguido pelo Ferrari de Raikonen.F1 CopyF2 CopyF3 CopyF4 CopyF5 CopyF6 CopyF7 CopyF8 CopyF9 CopyF10 CopyF11 CopyF12 CopyF14 CopyF15 CopyF17 CopyF18 CopyF19 CopyF20 CopyF21 CopyF22 CopyF23 CopyF24 CopyF26 CopyF27 CopyF29 CopyF30 CopyF31 CopyF32 CopyF34 CopyF35 CopyF36 CopyF37 CopyF38 CopyF39 CopyF40 CopyF41 CopyF42 CopyF43 CopyF44 CopyF45 CopyF47 CopyF48 CopyF59 CopyF60 Copyf100 Copyf101 Copyf102 Copyf103 Copyf104 Copyf105 Copyf200 Copyf201 Copyf202 Copyf203 Copyf204 Copy

 

ATITUDE ESPERADA POR PARTE DE VETTEL

Sebastian Vettel fora da Red Bull Racing!

Foi na madrugada de hoje que a Red Bull anunciou que o piloto alemão irá deixar a equipa no fim da época. Entretanto, Christian Horner já afirmou que Vettel vai ser piloto Ferrari em 2015, muito provavelmente no lugar de FernandoAlonsoOficial.

Com a saída de Vettel, é Daniil Kvyat quem se vai juntar a Daniel Ricciardo em 2015, deixando um lugar vago na Scuderia Toro Rosso

 

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

GP do japão de 2  a 5  de outubro de 2014

 

os pneus mais duros da gama, prontos para a ação no japão

 

AS reconhecidas curvas “Spoon” e  “130R” , fornecem as maiores cargas de energia lateral do ano

 

clima frio com a possibilidade de chuva, num dos circuitos mais exigentes do calendário

 

 A Fórmula Um está no final de temporada, levando as equipes para o épico circuito Japonês de Suzuka, no qual os pneus mais duros da gama irão estar em ação, com o P Zero Laranja (Composto Duro) e o P Zero Branco (Composto médio). Esta combinação de compostos foi utilizada pela ultima vez,no circuito de Monza. Os dois circuitos são muito diferentes em carácter, o circuito de Suzuka possui semelhanças com o de Spa em que os pilotos conhecem bem o seu traçado com curvas rápidas e exigentes  cargas de energia lateral. Como resultado, o circuito de Suzuka está um passo acima em termos de dificuldade que Spa, com a utilização dos compostos duro e médio, em vez de médio e macio.

Isto, não torna a vida mais fácil para os pneus, no entanto, como existe uma série contínua de exigências para ultrapassar, juntamente com o alto teor abrasivo da pista, significa que o desgaste e a degradação são maiores. As primeiras previsões meteorológicas indicam clima frio, comum nesta época do ano no Japão. No Passado, registaram-se fortes períodos de chuva, o que tem sido uma caracteristica de Suzuka, contribuindo para a hipótese de assistirmos a uma corrida com piso molhado.

 

 

Paul Hembery (Responsável da Pirelli Motorsport): ” O Japão é um dos momentos altos do ano, não apenas para nós, mas para toda a Fórmula Um. Os fãs são absolutamente excecionais pelo seu entusiamo e conhecimento desportivo, que é quase inigualável em qualquer parte do mundo. O circuito de Suzuka é para verdadeiros pilotos, e por isso é um grande desafio para os pneus com as maiores cargas de energia lateral do ano. Como resultado, admito a probabilidade de  duas ou três trocas de pneus, em que uma correcta gestão dos pneus poderá ser a fórmula chave da corrida. No entanto vamos comprovar e saber mais desta questão, após os treinos livres. É  uma pista onde várias forças agem ao mesmo tempo sobre os pneus, com um aumento do binário, mas com a diminuição do “Downforce” nos carros deste ano, vai provocar uma maior exigência sobre a aderência mecânica. Assim, se um pneu tem um bom desempenho em Suzuka, ele pode ter um bom desempenho em quelquer lugar. “

 

Jean Alesi (Consultor da Pirelli): “ Suzuka é apenas uma pista fantástica para a perspectiva de um piloto. É muito técnico, e cada parte do circuito é diferente dos outros. Eu diría que a 130R é uma das curvas mais exigentes do ano, que requer o “Set-up” ideal e o carro tem que estar bem agarrado ao solo. Os “Ésses” também são muito exigentes, e no caso de  cometermos um erro, iremos condicionar toda a sequência e perder muito tempo.Já corremos muitas vezes em Suzuka com chuva, e nestas situações a visibilidade é muito baixa. Ao longo do fim de semana iremos avaliar a evolução da pista, pois vamos começar com um piso muito abrasivo e “verde”, em que o piloto tem de prestar muita atenção à forma de evolução do fim de semana e por sua vez, as condicionantes que afetam os pneus

O circuito do ponto de vista dos pneus:

O circuito de Suzuka no Japão é caracterizado pela forte carga de energia lateral, combinada com algumas das mais baixas pressões longitudinais. A curva 15, conhecida como a 130R, é realizada totalmente em velocidades acima dos 300 Km/h. Isto, coloca uma carga constante sobre os pneus, submetendo-os a massivas forças “G”, como assim aos pilotos. O pneu dianteiro esquerdo é o que tem um desempenho maior em Suzuka.

 

O pneu médio é um composto de baixa gama de trabalho, capaz de alcançar um ótimo desempenho, mesmo numa vasta gama de temperaturas baixas. Pelo contrário, o pneu duro é um composto de alta gama de trabalho, adequado para temperaturas mais elevadas. As temperaturas esperadas para este ano são baixas, com possibilidade de chuva.

 

O asfalto em Suzuka é muito abrasivo, mas existe uma evolução da pista. Obter o “Set-up” ideal é essencial, para manter uma linha ideal de corrida. Pode haver o risco de granulação, especialmente durante as primeiras sessões de treinos do fim de semana, quando a pista ainda se encontrar com pouca utilização.

 

 

A estratégia vencedora no ano passado foi de duas trocas de pneus, com Sebastian Vettel em Red Bull a parar nas voltas 14 e 37. O Alemão iniciou com o composto médio, e completou os dois ultimos turnos com o pneu duro.

 

Mais informaçôes sobre o Japão, e procura de informação sobre os pneus, pode ser visualizado numa animação realizada em 3D com um novo visual produzido pela Pirelli.

 

Videos e fotografías de livre utilização, disponiveis em www.pirelli.com/f1pressarea

 

As escolhas de pneus até agora:

 

 

P Zero vermelho

P Zero

Amarelo

P Zero

Branco

P Zero Laranja

Australia

 

Macio

Medio

 

Malasia

 

 

Medio

Duro

Bahrein

 

Macio

Medio

 

China

 

Macio

Medio

 

Espanha

 

 

Medio

Duro

Mónaco

Super macio

Macio

 

 

Canadá

Super macio

Macio

 

 

Áustria

Super macio

Macio

 

 

Inglaterra

 

 

Médio

Duro

Alemanha

Super macio

Macio

 

 

Hungria

 

Macio

Medio

 

Bélgica

 

Macio

Medio

 

Itália

 

 

Médio

Duro

Singapura

Super macio

Macio

 

 

Japão

 

 

Médio

Duro

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Revista P Zero:

A nova revista P Zero, uma inovação da Pirelli para a presente temporada, contém factos sobre o Grande Prémio do Japão e do seu ilustre património, bem como as novidades que acontecem no mundo Pirelli, no passado, presente e futuro. Como sempre existe uma nova receita do Chefe Pirelli, experimentado e apreciado nos paddocks de F1 de todo o mundo, além de recursos e um pouco de história. Esta nova e dinâmica revista electrónica, contém um vídeo e outros conteúdos interativos atualizados no fim de semana.

Podemos visitar através do site Pirelli, com o seguinte link : http://magazine.pzero.com

 

SAFETY CAR DA FÓRMULA E

SAFETY CAR DA FÓRMULA E É UM BMW

 

A BMW foi a marca selecionada para fornecer o safety car, a esta nova competição de monolugares, que teve o seu inicio há quinze dias na China.fe1 Copyfe2 Copyfe3 Copyfe4 Copyfe5 Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

Grande japonês Prix Preview: Suzuka 2-5 outubro 2014
OS DOIS PNEUS mais difícil na parte de trás GAMA EM AÇÃO NO JAPÃO
CANTOS COMO 130R E COLHER FORNECER
Alguns dos mais altos CARGAS DE ENERGIA LATERAIS DO ANO
Clima frio esperado com a POSSIBILIDADE DE CHUVA
AT uma das pistas mais exigentes do CALENDÁRIO
 Fórmula Um do final de temporada de longa distância série de eventos agora leva as equipes para o circuito épico Suzuka no Japão, onde os dois pneus mais duros da gama estarão em ação: o P Zero Laranja duro e P Zero Branco médio, a mesma combinação que foi visto pela última vez em Monza. Enquanto os dois circuitos são muito diferentes em caráter, Suzuka tem alguns elementos em comum com Spa: circuito de outro motorista conhecido com cantos fluindo, mas até mesmo superior lateral, a demanda de energia. Como resultado, a nomeação de Suzuka é um passo mais difícil do Spa: duro e meio, em vez de médio e macio.
Isso não torna a vida mais fácil para os pneus no entanto, como existe uma série ininterrupta de demandas para lidar com. Juntamente com uma superfície de pista que é relativamente abrasiva, isto significa que o desgaste e degradação é maior. As previsões iniciais sugerem clima frio, o que não é incomum para o Japão nesta época do ano. Pancadas de chuva pesados ​​têm sido uma característica de Suzuka, no passado, fazendo uma corrida molhada uma possibilidade distinta.
Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli: "O Japão é um dos destaques do ano, não apenas para nós mesmos, mas para o conjunto da Formula One. Os fãs são absolutamente brilhante, com enorme entusiasmo e conhecimento do esporte, que é quase inigualável em qualquer parte do mundo. Suzuka é um circuito de reais dos motoristas, e por isso é um grande desafio para os pneus, com algumas das maiores cargas de energia laterais do ano. Como resultado, ele provavelmente seria realista de olhar para entre 2-3 pit stops, com a gestão dos pneus formando uma peça-chave da corrida. No entanto, vamos obviamente sabe mais sobre isso depois do treino livre. É uma pista onde várias forças estão agindo muitas vezes no pneu de uma vez, eo torque aumentou, mas diminuiu downforce dos carros deste ano só vai colocar mais exigências sobre a aderência mecânica. Se um pneu pode ter um bom desempenho em Suzuka, ele pode ter um bom desempenho em quase toda parte. "
Jean Alesi, consultor Pirelli: "Suzuka é apenas uma faixa surpreendente do ponto de vista de um motorista. É muito técnico, com cada bit do circuito muito diferente dos outros. Eu diria que a 130R é um dos cantos mais exigentes de todo o ano, o que requer o direito de set-up e um carro que é absolutamente plantados no chão. O Esses também são extremamente exigentes: se você fizer apenas um erro aqui que vai interromper toda a seqüência e você perde um monte de tempo. Nós já corri muitas vezes em Suzuka na chuva: nessas situações, a visibilidade é extremamente baixo. Nós também tendem a ver um monte de evolução pista ao longo do fim de semana. Então, vamos começar com uma superfície que é muito abrasivo e 'verde', mas o motorista tem que pagar um monte de atenção à forma como a situação muda no fim de semana e como ", por sua vez, que afeta os pneus.
O circuito do ponto de vista dos pneus:
Japão é caracterizada por altas cargas de energia laterais, combinadas com algumas das mais baixas exigências longitudinais visto durante todo o ano. Vire 15, conhecido como 130R, é tomado totalmente plana em velocidades acima de 300kph. Isso coloca uma carga constante sobre os pneus, submetendo-os (eo motorista) para maciços g-forças. O pneu dianteiro esquerdo é trabalhado mais difícil em Suzuka.
O meio pneumático é um composto de baixo alcance de trabalho, capazes de alcançar um desempenho óptimo, mesmo a uma vasta gama de temperaturas baixas. O pneu duro pelo contrário é um composto de alta faixa de trabalho, adequado para temperaturas mais altas. As temperaturas baixas são esperadas para este ano o Grande Prêmio do Japão, com uma ameaça de chuva.
O asfalto em Suzuka é muito abrasiva, mas existe um elevado grau de evolução pista. Obtendo o direito set-up é essencial, para ser capaz de manter a linha de corrida ideal. Não pode haver um risco de granulação: especialmente durante os primeiros estágios de fim de semana, quando a pista fica mais verde.
A estratégia vencedora no ano passado foi um dois-rolha, com o Red Bull Sebastian Vettel parando nas voltas 14 e 37 O alemão iniciados no meio e completou seus dois últimos stints com o pneu duro.
Mais informações sobre o Japão e as demandas exclusivas Suzuka lugares pneus podem ser encontrados em um vídeo de animação 3D novo visual produzido pela Pirelli. Este é livre de direitos autorais para uso de mídia na Fórmula Um site da Pirelli: www.pirelli.com/f1pressarea
As escolhas de pneus até agora:
  P Zero Red P Zero Yellow P Zero Branco P Zero Laranja
Austrália Suave Médio
Malásia Médio Difícil
Bahrain Suave Médio
China Suave Médio
Espanha Médio Difícil
Monaco Supersoft Macio
Canadá Supersoft Macio
Áustria Supersoft Macio
Grã-Bretanha Médio Difícil
Alemanha Supersoft Macio
Hungria Suave Médio
Bélgica Suave Médio
Itália Médio Difícil
Cingapura Supersoft suave
Japão Médio Difícil
Na P Zero Magazine:
A nova revista P Zero, uma inovação da Pirelli para esta temporada, contém fatos sobre o Grande Prêmio do Japão e do seu património ilustre, assim como tudo o mais acontece no mundo da Pirelli com o passado, presente e futuro. Como sempre há uma nova receita do chef da Pirelli, experimentado e apreciado nos paddocks de F1 do mundo, além de recursos e um pouco de história. Esta nova revista eletrônica dinâmica foi lançado este ano na F 1.

 

também contém vídeos e outros conteúdos interativos atualizados no fim de semana. Ele pode ser acessado através do site da Pirelli naf392 Copyf393 Copyf394 Copyf395 Copyf396 Copyf397 Copyf398 Copyf399 Copyf400 Copyf401 Copyf401 Copyf402 Copyf403 Copyf405 Copyf406 Copyf407 Copyf408 Copyf409 Copyf410 Copy

 

MERCEDES VENCEU EM SINGAPURA

 

Grande Prémio de Singapura – MERCEDES AMG PETRONAS

 

14F1Singapur2014-3571 Copy
Lewis Hamilton venceu ontem, no Circuito de Marina Bay, o Grande Prémio de Singapura de 2014 após uma difícil corrida para a equipa. Nico Rosberg foi obrigado a abandonar a prova.
• Lewis Hamilton dominou a prova de Singapura desde a pole position;
• Com esta vitória Lewis Hamilton completou a sua 29ª vitória da carreira, a sua 8ª pela equipa MERCEDES AMG PETRONAS;
• Nico Rosberg foi obrigado a abandonar a prova devido a problemas técnicos na volta 13;
• Hamilton é agora o líder isolado no campeonato de pilotos de Fórmula 1 depois de Rosberg ter abandonado a prova e perdido os 22 pontos que trazia de avanço;
• A equipa MERCEDES AMG PETRONAS continua a liderar o campeonato de construtores com uma diferença de 174 pontos.
Pilotos
Viatura.
Chassis
Resultado / Volta + rápida
Lewis Hamilton
44
F1 W05 Hybrid/05
P1 1:50.417
Nico Rosberg
6
F1 W05 Hybrid/04
DNF 1:56.769

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

MISTURA DE ESTRATÉGIAS DE PNEUS EM MAIS LONGO GRAND PRIX DO ANO
  Hamilton vence liderança do campeonato de pólo a REIVINDICAR: 100% RECORDE DE SEGURANÇA MANTIDA CAR, com efeitos a PNEU ESTRATÉGIA
  RED BULL-usa duas paradas para colocar as duas CARROS NO PÓDIO
 Mercedes Lewis Hamilton fez a maior parte de uma estratégia de três paradas para vencer Cingapura e reivindicar a liderança do campeonato mundial. Ele fez três passagens abertura no supermacio P Zero Red antes de completar a corrida, que correu até o limite de tempo de duas horas em vez das 61 voltas programadas, no macio P Zero Amarelo.
No entanto, ele estava intimamente desafiado pelo atual campeão mundial da Red Bull, Sebastian Vettel, que dirigia uma estratégia de duas paradas de quarto no grid. Vettel fez duas passagens na abertura supermacio e depois de uma temporada final sobre o macio no final do Grand Prix, quando o carro foi à sua leve com pouco combustível. Seu companheiro de equipe, Daniel Ricciardo Seguido a mesma estratégia para terminar em terceiro na frente da Ferrari de Fernando Alonso.
Isso permitiu que Vettel para reivindicar a liderança nos momentos finais da corrida, perfeitamente ilustrando como estratégia de pneus pode fazer uma diferença crucial. Com um intervalo de tempo de cerca de dois segundos entre os compostos, todos os pilotos começaram no supersoft mais rápido. Como eles usaram os pneus depois disso provou ser crucial, fornecendo a chave para a estratégia.
Cingapura manteve seus 100% de registro safety car Após o contato entre dois concorrentes a meio da corrida. Alonso e McLaren Jenson Button aproveitou a oportunidade para o período de safety car sete voltas de pit para pneus macios. Ambos Red Bull e Williams já tinha motoristas sem caroço para pneus macios antes do safety car, o que significa que suas opções foram abertas após a execução Ambos os compostos na primeira metade da corrida.
Após o safety car entrou, Hamilton precisava ampliar sua vantagem para cerca de 25 segundos: o tempo necessário para entrar e sair dos pits. Mas o piloto da Mercedes ressurgiu em segundo lugar depois de sua última parada na volta 52, e usou sua vantagem de paz para assumir a liderança de volta de Vettel pouco depois.
Paul Hembery, disse: "Mais uma vez vimos mais uma corrida muito tensa e emocionante, onde diferentes estratégias de pneus formaram uma parte crucial do resultado. Na fase final do Grand Prix cheesy Hamilton em novos pneus macios atrás de Vettel com pneus macios mais velhos, ou seja, ele teve que ultrapassar corrida para selar a vitória. Antes disso, a situação extravagante em que Hamilton, mais rápido com o pneu supermacio, tiveram de construir-se uma meia-hora ou assim fundamental lacuna depois do carro de segurança para dar-lhe tempo suficiente para entrar e sair dos boxes e mudar para o soft pneu. Assim, como já vimos antes, apesar da reputação havia diferentes estratégias de trabalho, era um acabamento extremamente estreita ".
Vezes mais rápido do dia por composto:
  Supersoft suave Intermediate Wet
Primeiro Ham 1m50.417s 1m51.761s Kvy N / A N / A
Segundo Ros Maio 1m51.639s 1m51.937s N / A N / A
1m52.515s terceiros para 1m52.007s Mas N / A N / A
Longest stint da corrida:
  Solo macio (38 voltas)
  Supersoft Hamilton (26 voltas)
Truth-O-Meter:
Nós previmos três paradas para a corrida: começar na supersoft, supersoft a mudar novamente na volta 20, supersoft novamente na volta 36 e, em seguida, terminar a corrida na suave de volta 51, ​​Lewis Hamilton segue a seqüência que esperávamos, mas parou na volta 15 , volta 28 e volta 52 no entanto, este foi afetado pela safety car, que fez uma grande diferença para o momento pit stop.

 

Google Tradutor

 

HAMILTON QUER CHEGAR AO TITULO

GRANDE PRÉMIO DE SINGAPURA - FÓRMULA 1

 

 

HAMILTON QUER CHEGAR AO TITULO

 

 

Desta feita Hamilton venceu um Grande Prémio numa altura em que o seu colega de equipa e adversário ficou pelo caminho, fruto de problemas.O pódio final, foi partilhado por Hamilton e pelos dois pilotos da Red Bull Renault Vettel e Ricciardo, que ofereceram uma dobradinyha para a equipa pela 1ª vez este ano.Nos tres lugares seguintes cortaram a linha de chegada o Ferrari de Fernando Alonso, o Williams de Felipe Massa, e o Toro Rosso de Eric Vergne.f119 Copyf120 Copyf121 Copyf122 Copyf300 Copyf301 Copyf302 Copyf304 Copyf305 Copyf306 Copyf307 Copyf308 Copyf311 Copyf312 Copyf313 Copyf314 Copyf315 Copyf316 Copyf317 Copyf318 Copyf319 Copyf320 Copyf321 Copyf322 Copyf323 Copyf324 Copyf325 Copyf326 Copyf327 Copyf327 Copyf328 Copyf329 Copyf330 Copyf331 Copyf332 Copyf333 Copyf334 Copyf335 Copyf336 Copyf337 Copyf338 Copyf339 Copyf340 Copyf341 Copyf342 Copyf343 Copyf344 Copyf345 Copyf346 Copyf347 Copyf348 Copyf349 Copyf350 Copyf351 Copyf352 Copyf353 Copyf354 Copyf355 Copyf356 Copyf357 Copyf358 Copyf359 Copyf360 Copyf361 Copyf410 Copyf409 Copyf408 Copyf407 Copyf406 Copyf405 Copyf405 Copyf403 Copyf402 Copyf401 Copyf400 Copyf399 Copyf398 Copyf397 Copyf396 Copyf395 Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2014 Grande Prêmio de Cingapura - pneu Começando line-up
Aos pilotos do Grande Prêmio de Cingapura de 2014 começou a corrida com os pneus a seguir:
Hamilton Supersoft
Rosberg Supersoft
Ricciardo Supersoft
Vettel Supersoft
Alonso Supersoft
Massa Supersoft
Raikkonen Supersoft
Bottas Supersoft
Magnussen Supersoft
Kvyat Supersoft
Botão Supersoft
Supersoft Vergne
Hulkenberg Supersoft
Gutierrez Supersoft
Perez Supersoft
Grosjean Supersoft
Sutil Supersoft
Maldonado Supersoft
Branco Supersoft
Kobayashi Supersoft
Chilton Supersoft
Ericsson Supersoftf80 Copy_Copy_Copyf85 Copyf86 Copy_Copyf87 Copy_Copyf100 Copy_Copyf101 Copy_Copyf102 Copy_Copyf103 Copy_Copyf104 Copy_Copyf105 Copy_Copyf118 Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2014 Singapore Grand Prix - Qualifying
PNEU ESTRATÉGIA DE QUALIFICAÇÃO tão evidente do início ao MOTORISTAS EM USO SUPERSOFT Q1
Mais próximo HAMILTON NA POLE após a qualificação sessão do ano
  TRÊS pit stops prevista para ser MAIS RÁPIDO estratégia de corrida, COM HISTÓRICO 100% de probabilidade de UM CARRO DE SEGURANÇA
 Com a primeira e segunda posição da grelha em Singapura graças a Lewis Hamilton e Nico Rosberg, da Mercedes fez sua sétima monopólio da primeira fila nesta temporada -, mas a estratégia de pneus será extremamente importante para a corrida de amanhã. Foi a sessão de qualificação mais próximo do ano, com Hamilton conquistar pólo de Seu companheiro de equipe por apenas sete milésimos de segundo, usando o pneu supermacio P Zero Vermelho.
Durante Q1, que teve início em temperaturas ambiente de 28 graus e 34 graus de temperatura da pista, a maioria dos motoristas usado tanto os pneus macios e supermacios. Todos os pilotos terminaram a sessão no supersoft - uma situação incomum, pois normalmente os principais corredores passar Q1 usando apenas o mais duro dos dois compostos disponíveis.
Mas com uma diferença de tempo considerável entre os dois compostos de pouco mais de dois segundos, foi necessário até mesmo para os homens da frente a usar o supermacio no Q1: Afetando a estratégia para o resto da qualificação. Em um mundo ideal, pilotos do top 10 iria querer dois novos conjuntos de supersofts para Q3, permitindo-lhes duas corridas por um tiro no pólo. Como resultado, um número de motoristas - incluindo Hamilton, Ricciardo e Ambos os pilotos da Ferrari - só decidiu ir para uma corrida aos novos supersofts no Q2, Maximizar a vida do pneu para Q3, onde ao abrigo dos regulamentos deste ano o top 10 recebem um extra em setembro do composto mais macio para usar na sessão. Todos os pilotos foram para duas corridas no Q3, poupando um conjunto de novas supersofts para a segunda corrida.
Totalizando 23 cantos, Cingapura tem o mais voltas da temporada. Isso tem o efeito de ampliar o intervalo de tempo entre os compostos macios e supermacios da Pirelli que foram nomeados para o fim de semana, por causa da tração de curvas lentas - que tipificam Singapura - é onde a maioria desempenho é obtido ou perdido. Como resultado, a ultrapassagem é bastante complicado e ganhar uma boa posição na grelha é vital. Mas, com a diferença de tempo entre os dois compostos, deve ainda haver muita ação.
Piloto da Ferrari Fernando Alonso foi o piloto mais rápido na sessão de treinos livres esta manhã, como carros particularmente concentrado na corrida sozinho. Alonso - um dos três únicos pilotos que já venceu em Singapura - definir um tempo de 1m47.299s na borracha supermacio.
O diretor de automobilismo da Pirelli, Paul Hembery, disse: "Nós vimos a sessão de qualificação mais próximo do ano, e muito disso foi para o intervalo de dois segundos entre os compostos, o que tem realmente vir um pouco para baixo Em comparação com os treinos livres de ontem. Por causa dessa diferença época, havia um elemento estratégico desde o início da fase de qualificação, com todos os drivers de ter que usar o supermacio mesmo no Q1. A batalha pela pole position foi extremamente emocionante, com um número de pilotos na disputa pelo primeiro lugar, que é ótimo para o esporte. Estamos esperando um três-rolha para ser a estratégia mais rápida, mas com a diferença de tempo entre os compostos ligeiramente reduzida agora, tudo o que preciso é a paz de gerenciamento correto ou um safety car no momento certo para fazer um trabalho de dois rolha. "
O preditor estratégia Pirelli:
A estratégia de três paradas em setembro parece ser melhor para a corrida de 61 voltas. Nossa simulação teórica, considerando a alta probabilidade de o carro de segurança Especialmente no início da corrida, sugere: começar na supersoft, supersoft a mudar novamente na volta 20, supersoft novamente na volta 36 e, em seguida, terminar a corrida na suave de volta 51 no papel, este deve resultar em um tempo de corrida cumulativa que é cerca de 10 segundos mais rápido que o mais rápido dois-rolha (início em supersoft, supersoft a mudar novamente na volta 22 e na volta 44 suave). Na verdade, historicamente, há 100% de probabilidade de um carro de segurança em Cingapura, e claramente isso terá um efeito significativo sobre a estratégia.
Compostos mais rápidos FP3:
Alonso 1m47.299s novo Supersoft
Ricciardo 1m47.350s novo Supersoft
Rosberg 1m47.488s novo Supersoft
Top 10 utilização de pneus:
Hamilton 1m45.681s novo Supersoft
Rosberg 1m45.688s novo Supersoft
Ricciardo 1m45.854s novo Supersoft
Vettel 1m45.902s novo Supersoft
Alonso 1m45.907s novo Supersoft
Massa 1m46.000s novo Supersoft
Raikkonen 1m46.170s novo Supersoft
Bottas 1m46.187s novo Supersoft
Magnussen 1m46.250s novo Supersoft
Kvyat 1m47.362s novo Supersof

 

Google Tradutorf74 Copyf75 Copyf76 Copyf76 Copyf77 Copyf78 Copyf79 Copyf80 Copyf81 Copyf82 Copyf83 Copyf84 Copyf85 Copyf86 Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

2014 Singapore Grand Prix - sessões de treinos
  Cerca de 2,5 segundos entre o SOFT E COMPOSTOS SUPERSOFT
TRÊS pit stops esperado para o CIRCUITO
MAIS COM OS CANTOS DO ANO
  Estratégia vital que se espera em uma corrida
Para durar a duas horas
 Com 23 cantos, Cingapura é a faixa com o maior número de voltas e reviravoltas do ano, ea mesma é susceptível de ser verdade quando se trata da história da corrida.
Embora o Grande Prémio é realizada à noite, temperatura ambiente e umidade em particular é extremamente alta, como foi o caso durante os treinos livres esta noite. Junto com pouco espaço run-off, isso garante que Cingapura é uma das corridas mais imprevisíveis do ano.
Três pit stops são mais prováveis, dependendo também carros de segurança. Os pneus supermacios P Zero Vermelhos e compostos de pneus macios P Zero Yellow foram nomeados para o fim de semana, com uma diferença de cerca de 2,5 segundos por volta em paz até o momento. Essa lacuna é provável que desça um pouco com a gestão e paz como as borrachas circuito em e limpa: não havia restos de um programa completo de eventos de apoio no hoje da pista, bem como uma breve chuva de manhã antes os carros eram execução.
A diferença de tempo significa colo-Que o supermacio será a escolha automática para a qualificação, e isso vai afetar a estratégia de corrida inteira. No passado, o Grande Prêmio de Cingapura, muitas vezes tem ido para as duas horas de ação - por causa das velocidades médias relativamente baixas e interrupções freqüentes. Como resultado disso, a estratégia será absolutamente crucial, com as equipes tentando ganhar uma vantagem tática através da tempestividade do seu pit stops.
O tempo mais rápido do dia foi em setembro de Lewis Hamilton para a Mercedes em FP2 no pneu supermacio, com um valor de referência de 1m47.490s. No entanto, da Ferrari, Fernando Alonso - o mais rápido no FP1 - era apenas um décimo de segundo atrás do mesmo pneu.
Paul Hembery: "A diferença de tempo entre os dois compostos foi, talvez, um pouco maior do que esperávamos, mas a natureza da pista e as condições são mais disponíveis que é improvável que isso altere consideravelmente com o fim de semana passa. Com a alta incidência de carros de segurança e a vantagem da velocidade do supersoft, a estratégia será um importante consideração desde o início da fase de qualificação. Estratégias terá, obviamente, de ser flexível, e que seria de esperar para ver três paragens. Como esperado degradação térmica será o maior desafio aqui, com os níveis de degradação do macio e pneu supermacio realmente não tão diferentes. Precisamos olhar para os dados a partir de amanhã, bem, a fim de ter uma idéia completa do amoras estratégia de corrida ideal, mas é evidente que a gestão dos pneus vai desempenhar um papel significativo. "
FP1: FP2:
1 Alonso Hamilton 1m47.490s 1m49.056s suave 1 novo novo Supersoft
2 Novo 2 Alonso Hamilton suave 1m49.178s 1m47.623s novo Supersoft
3 macio Rosberg 1m49.205s 1m47.790s Supersoft Ricciardo novo 3 novos
Estatísticas de pneus do dia:
  Supersoft suave Intermediate Wet
kms conduzido * 1547 3900 0 0
foram utilizados grupos geral ** 22 66 0 0
maior número de voltas ** 21 25 0 0
* O número acima apresenta o montante total de Quilômetros conduzido em FP1 e FP2, hoje, todos os condutores combinados.
Para agravar **, todos os drivers combinado.
Pirelli fatos do dia:
Historicamente, há uma probabilidade de 100% de um carro de segurança em Cingapura durante o Grande Prêmio: um carro de segurança saiu pelo menos uma vez em todas as ocasiões a raça tem sido realizado desde a sua estreia em 2008 Sebastian Vettel, Fernando Alonso e Lewis Hamilton são as únicas pessoas a terem cada venceu o Grande Prêmio de Cingapura.

 

Google Tradutorf61 Copyf62 Copyf63 Copyf64 Copyf65 Copyf66 Copyf67 Copyf68 Copyf69 Copyf70 Copyf71 Copyf72 Copyf73 Copy

 

GARNDE PREMIO DE F1 - SINGAPURA

GRANDE PREMIO DE SINGAPURA - FÓRMULA 1

 

DECISÃO NO SEIO DA MERCEDES...PARA NÃO VARIAR.....

 

HAMILTON COM POLE POSITION

 

 

Lewis Hamilton foi o autor da pole position para o Grande P´remio de Fórmula 1 em Singapura, tendo a seu lado na grelha de partida o seu colega de equipa, Niko Rosberg.Nas linhas seguintes irão partir o Red Bull Renault de Ricciardo e Vettel, seguidos pelo Ferrari de Fernando laonso, e pelo Williams Mercedes de Filipe Massa.A 4ª e 5ª linha da grelha foram ocupadas respectivamente pelo Ferrari de Kimi Raikonen, o Williams Mercedes de Bottas, o McLaren de Magnussen e o Toro Rosso de Kvyat, sendo este o top ten para este Grade Prémio nocturno.f1 Copyf2 Copy                                                                      f3 Copyf4 Copyf5 Copyf6 Copyf7 Copyf8 Copyf9 Copyf10 Copyf11 Copyf12 Copyf14 Copyf15 Copyf16 Copyf17 Copyf18 Copyf19 Copyf20 Copyf21 Copyf22 Copyf23 Copyf24 Copyf25 Copyf26 Copyf27 Copyf28 Copyf29 Copyf30 Copyf31 Copyf32 Copyf33 Copyf34 Copyf35 Copyf36 Copyf37 Copyf38 Copyf39 Copyf40 Copyf41 Copyf42 Copyf43 Copyf44 Copyf45 Copyf46 Copyf47 Copyf48 Copyf49 Copyf50 Copyf51 Copyf52 Copyf53 Copyf54 Copyf55 Copyf56 Copyf57 Copyf58 Copyf59 Copyf60 Copy

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

GP de Singapura de 18  a 21  de Setembro de 2014

 

Pneus macios e super macios para o ultimo

circuito citadino da época

 

Corrida noturna assegura uma evolução diferente

da pista e temperaturas

 

um dos grandes prémios mais dificeis fisicamente

para os pilotos

 

Depois de Monza, em que os compostos nomeados  foram os mais duros da gama, a Formula Um ruma a Singapura, com a utilização dos dois compostos mais macios da gama, os P Zero Amarelo (Macio) e o P Zero Vermelho (Super macio). Singapura é um circuito citadino, bastante incomum. A corrida é disputada exclusivamente à noite, o que significa que as evoluções da pista e temperatura são diferentes de uma corrida normal de fim de semana de Grande Prémio.

No entanto, as temperaturas ambientais são geralmente elevadas, a par da natureza fechada da pista no coração da cidade, tornando especificamente esta corrida, como uma das mais exigentes do ano, em termos  fisicos para os pilotos.

 

A tração e a travagem são os elementos chave para o circuito citadino de Marina Bay, onde também o piso irregular, proporciona uma inconsistente tração. Mais, existe o mobiliário urbano, incluindo as linhas brancas no piso e as tampas das condutas das águas pluviais que potenciam as saídas para fora da pista e são um perigo extra para os pneus. Singapura possui mais curvas que qualquer outra pista do calendário de Fórmula Um, proporcionando ainda mais trabalho para os pneus.

 

 

Paul Hembery (Responsável da Pirelli Motorsport): ” Para nós, é  sempre um grande prazer chegar a Singapura, que já provou ser uma das corridas mais espetaculares do ano. Proporciona uma atmosfera íncrivel, mostrando a Fórmula Um no seu melhor, uma vez que compete-se sob as luzes numa cidade vibrante. A natureza única  de uma corrida à noite, obviamente, tem um impacto sobre os pneus, para tal,  nomeámos os dois compostos mais macios da gama, para um rápido aquecimento e elevados níveis de aderência mecânica, estes fatores preponderantes num circuito citadino. Realmente, este será um passo mais suave do que no ano passado, quando nomeámos os compostos Médios e Supermacios, por isso, vamos assistir a interessantes e diferentes estratégias de pneus, com  as equipes a aproveitar o máximo desempenho. Tradicionalmente existe muita incidência de Safety Cars na pista, condicionando a estratégia, logo,  esta terá que ser flexivel para suportar esta eventualidade. Com o campeonato a aproximar-se do fim, todos os sinais indicam que estamos em mais uma corrida emocionante e imprevisivel. “

 

Jean Alesi (Consultor da Pirelli): “ Realmente nunca corri em Singapura, mas a minha impressão é que é semelhante ao Mónaco, com a capacidade de um erro, transformar-se num desastre absoluto, dado ao escasso “run-off” que existe. Aqui, também temos que adicionar as elevadas temperaturas ambientais existentes e os altos valores de humidade, para além do facto que a corrida se disputa à noite, mantendo o calendário de horas europeias. Por isso, é fácil observar como é fatigante e cansativa a corrida para os pilotos. Pelo ponto de vista técnico, o aspeto mais importante é ter um carro com a melhor tração possível. Consequentemente é importante preservar ou poupar os pneus traseiros, caso contrário, perdemos muito tempo a sair das curvas  (maioritáriamente curvas lentas em Singapura), o que pode comprometer a corrida, caso não sejamos cuidadosos.”

O circuito do ponto de vista dos pneus:

Em Singapura, a tração e travagem são tudo. Em particular, os pneus traseiros têm um duro trabalho na saída das curvas lentas. A traseira esquerda é particularmente afetada, uma vez que tem de lidar com duas acelarações, longitudinais e  laterais, e a tração ainda é comprometida pela superficie irregular da estrada, utilizada para o circuito.

 

O pneu super macio é um composto de baixa gama de trabalho, capaz de alcançar um ótimo desempenho, mesmo numa vasta gama de temperaturas baixas. Pelo contrário, o pneu macio é um composto de alta gama de trabalho, adequado para temperaturas mais elevadas. As temperaturas são geralmente quentes em Singapura, entre os 30 - 35º, e ainda não aconteceu uma corrida à chuva.

 

Singapura é o mais abrasivo dos circuitos citadinos, mas o asfalto demora mais tempo a acumular borracha, por isso a evolução na pista é lenta, tal como acontece em circuitos não permanentes. Fortes chuvadas ao fim da tarde, são uma ocorrência frequente, estas provocam  o efeito de lavagem que retira uma grande quantidade de borracha, já acumulada na pista.

 

A estratégia vencedora no ano passado foi de duas trocas de pneus, com Sebastian Vettel em Red Bull a parar nas voltas 17 e 44. O Alemão iniciou com o Super macio, trocou para o médio e completou a corrida novamente com o Super macio.

 

Mais informaçôes sobre Singapura, e procura de informação sobre os pneus, pode ser visualizado numa animação realizada em 3D com um novo visual produzido pela Pirelli.

 

Videos e fotografías de livre utilização, disponiveis em www.pirelli.com/f1pressarea

 

As escolhas de pneus até agora:

 

 

P Zero vermelho

P Zero

Amarelo

P Zero

Branco

P Zero Laranja

Australia

 

Macio

Medio

 

Malasia

 

 

Medio

Duro

Bahrein

 

Macio

Medio

 

China

 

Macio

Medio

 

Espanha

 

 

Medio

Duro

Mónaco

Muito macio

Macio

 

 

Canadá

Muito macio

Macio

 

 

Áustria

Muito macio

Macio

 

 

Inglaterra

 

 

Médio

Duro

Alemanha

Muito macio

Macio

 

 

Hungria

 

Macio

Medio

 

Bélgica

 

Macio

Medio

 

Itália

 

 

Médio

Duro

Singapura

Muito macio

Macio

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Revista P Zero:

A nova revista P Zero, uma inovação da Pirelli para a presente temporada, contém factos sobre o Grande Prémio de Singapura e a sua impressionante corrida noturna, bem como as novidades que acontecem no mundo Pirelli, no passado, presente e futuro. Como sempre existe uma nova receita do Chefe Pirelli, experimentado e apreciado nos paddocks de F1 de todo o mundo, além de recursos e um pouco de história. Esta nova e dinâmica revista electrónica, contém um vídeo e outros conteúdos interativos atualizados no fim de semana.

Podemos visitar através do site Pirelli, com o seguinte link : http://magazine.pzero.com

 

 

LUCAS DI GRASSI FALA DA VITÓRIA NA FÓRMULA E

Perguntas e respostas: Lucas di Grassi

Piloto brasileiro venceu a primeira corrida da história da Fórmula E, no último sábado, e já viaja para os Estados Unidos para a disputa da quarta etapa do Mundial de Endurance pela Audi

Lucas di Grassi mal teve tempo de comemorar a vitória na corrida inaugural da Fórmula E no último sábado (13) e já deixou a China rumo aos Estados Unidos. O brasileiro, que venceu a primeira corrida de carros elétricos chancelada pela FIA na história, troca o vermelho do macacão da Audi Sport ABT para o prateado da Audi Sport Team Joest para a disputa da quarta etapa do FIA WEC, o Campeonato Mundial de Endurance, no Circuito das Américas em Austin, no Texas.

Neste campeonato, o segundo lugar em Spa-Francorchamps e nas 24 Horas de Le Mans deixam o brasileiro e seu parceiro de condução Tom Kristensen na terceira posição no campeonato, com 54 pontos - 26 atrás dos líderes (Davidson/Buemi/Lapierre) e apenas seis atrás dos companheiros de equipe Lotterer/Tréluyer/Fässler.

Di Grassi respondeu algumas perguntas sobre a histórica vitória do primeiro e-Prix da Fórmula E e também falou sobre a expectativa de correr pela primeira vez no circuito norte-americano na volta aos protótipos depois das 24 Horas de Le Mans, que foram disputadas em junho.

Que significado tem para você o fato de ter vencido o primeiro e-Prix da história?
Significa muito para mim e entra na lista dos meus melhores momentos dentro da pista em toda minha carreira. Estive envolvido no desenvolvimento da Fórmula E desde o comecinho e me preparei intensamente para o fim de semana trabalhando nos últimos meses com a Audi Sport ABT. Todos estávamos ansiosos com a primeira corrida e o trabalho duro foi coroado com a vitória, e isso foi uma grande recompensa para todos no time.

Quais são os maiores desafios na Fórmula E?
Na Fórmula E nós temos apenas uma quantidade limitada de energia disponível que temos de gerenciar por toda a corrida. Embora eu esteja familiar com o conceito por guiar o Audi R18 e-tron quattro do regulamento deste ano do Mundial de Endurance, isso tem um significado ainda maior na Fórmula E. Além disso, o grid é muito forte, com mais de 10 pilotos que já tiveram experiência na Fórmula 1. Mais: corremos em circuitos de rua no meio das cidades e nossos treinos livres, classificação e corrida acontecem em questão de algumas horas, o que nos deixa pouco tempo para acostumar com o traçado. Então, como resultado, um trabalho de equipe perfeito e a eficiência na pilotagem e na condução de todas estas tarefas são particularmente importantes neste primeiro momento - e eu gosto disso.

O que você achou do clima, da atmosfera no evento inaugural da categoria?
Fiquei boquiaberto e aqui vai um elogio enorme aos organizadores. Montar uma pista e uma pequena cidade para os torcedores em uma metrópole como Pequim é um desafio gigantesco. Fiquei particularmente impressionado com o grande interesse dos fãs e da mídia. Como pilotos, fomos recebidos calorosamente por todas as pessoas e tivemos um final de semana fabuloso.

A festa foi até que horas?
Claro que comemoramos com todos os pilotos e membros das equipes no sábado à noite - nossa vitória, assim como o sucesso do primeiro evento da categoria. Mas não pude ficar muito tempo porque segunda-feira viajo direto de Pequim para os Estados Unidos, onde tenho a etapa do FIA WEC (Mundial de Endurance) com a Audi no próximo fim de semana. Estamos na luta pelo título e lá vou encontrar minha equipe e me juntar aos meus companheiros de equipe cheio de energia positiva.

Quais são suas expectativas para as 6 Horas de Austin?
É a primeira vez que vou disputar uma corrida neste circuito, e agora iniciamos a segunda metade da temporada do WEC na posição de ataque. Lideramos boa parte das 24 Horas de Le Mans e terminamos em segundo lugar, como aconteceu na corrida anterior em Spa. Ainda há mais cinco corridas na agenda e estamos separados dos nossos companheiros de equipe por apenas seis pontos. Tudo é possível neste ano. Estou ansioso para ver como será pilotar o Audi R18 e-tron quattro no Circuito das Américas. E todos os meus companheiros também estão.



Audi Motorsport
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Di Grassi e a Audi Sport ABT comemoram primeira vitória da história da Fórmula E
Alta | Web

Audi Motorsport
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Primeiro e-Prix da história aconteceu nas ruas de Pequim, na China
Alta | Web

Audi Motorsport
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Brasileiro agora viaja diretamente ao Texas, nos Estados Unidos
Alta | Web

Audi Motorsport
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Onde se juntará aos companheiros Tom Kristensen e Loïc Duval no Audi R18 e-tron
Alta | Web

Audi Motorsport
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Lucas volta à direção do carro #1 após três meses de "separação"
Alta | Web

Audi Motorsport
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Quando foi o segundo colocado nas 24 Horas de Le Mans, em junho
Alta | Web

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

Singapore Grand Prix Preview: Singapura, 18-21 setembro 2014
SUPERSOFT SOFT E PNEUS PARA FINAL DO CIRCUITO DE RUA DO ANO
Garante UNUSUAL TRACK RACE NOITE E EVOLUÇÃO DE TEMPERATURAS
UM DOS MAIS exigente fisicamente Grandes Prémios DO ANO
Para os motoristas
 Depois de Monza, onde os dois compostos mais duros da gama Pirelli F1 foram nomeados, Formula One agora segue para Cingapura, onde os dois compostos mais macio da gama estará presente: P Zero Amarelo macio e supermacio P Zero Vermelho .
Cingapura é um circuito de rua, mas um altamente incomum. A corrida é realizada inteiramente por noite, o que significa-que rastreiam e temperatura evoluções são um pouco diferentes para o curso normal de um grande fim de semana prix. No entanto, a temperatura ambiente ainda são altos geral, que, juntamente com a natureza fechada da pista, no coração da cidade, significa-Que este é um dos mais exigentes fisicamente faixas do ano para os motoristas.
Tração e frenagem são os elementos-chave para o circuito de rua Marina Bay, e há também uma superfície irregular, que faz encontrar tração consistente todas as amoras difícil. Bem como que, há o mobiliário urbano correntes, incluindo brancos pintados linhas e vigias que pode pegar motoristas fora e Lojas oferecem um risco extra para os pneus. Cingapura tem amoras cantos do que qualquer outra pista do calendário da F1, criando ainda mais trabalho para os pneus.
Paul Hembery, diretor de automobilismo da Pirelli: "É sempre um grande prazer para nós para chegar a Singapura, que tem consistentemente provou ser uma das corridas mais espetaculares do ano. Competindo sob as luzes já disponíveis em uma cidade vibrante proporciona uma atmosfera incrível que mostra Formula One no seu melhor. A natureza única da corrida à noite, obviamente, tem um impacto sobre os pneus, e nós selecionamos os dois pneus na Softest gama à sua rápida warm-up e altos níveis de aderência mecânica: características vitais em um circuito de rua. Este é realmente um passo mais suave do que no ano passado, quando nós nomeada a médio e supermacio, por isso, devemos ver algumas estratégias interessantes de pneus com as equipes aproveitando ao máximo o desempenho em oferta. Há muita tradicionalmente elevada incidência de carros de segurança, de modo que cada estratégia tem de ser flexível o suficiente para suportar esta eventualidade em mente também. Com o campeonato aparentemente se aproximando, todos os sinais indicam que estamos em uma corrida emocionante e imprevisível. "
Jean Alesi, consultor Pirelli: "Eu nunca realmente correu em Cingapura, mas a minha impressão é que é um pouco como Mônaco, com sua capacidade de transformar um simples erro em um desastre absoluto, dado o pouco run-off que existe. Aqui você diner para adicionar nas altas temperaturas ambientes e alta umidade, além da reputação que você está correndo à noite, mantendo um calendário europeu. Eu sei que é fácil ver como a corrida pode ser fisicamente cansativo para os motoristas. De um ponto de vista técnico, o aspecto mais importante é ter um carro com a melhor tração possível. Consequentemente, é importante cuidar dos pneus traseiros, senão você perde muito tempo a sair dos cantos (que são quase todas curvas lentas em Cingapura). Isso pode realmente comprometer a sua corrida, se você não for cuidadoso. "
O circuito do ponto de vista dos pneus:
Cingapura é tudo sobre tração e frenagem. Em particular, os pneus traseiros são trabalhou duro na saída de todas as curvas lentas. A traseira esquerda é acentuada, uma vez que tem de lidar com as duas acelerações longitudinais e laterais. A tracção é further comprometida pela superfície irregular das rodovias normais utilizados para o circuito.
O pneu supersoft é um composto de baixo alcance de trabalho, e capaz de alcançar um desempenho óptimo, mesmo a uma vasta gama de temperaturas baixas. O pneu macio pelo contrário é um composto de alta faixa de trabalho, adequado para temperaturas mais altas. Temperaturas ambientes são normalmente você entre 30-35 graus centígrados em Cingapura e não has not ainda sido uma corrida molhada.
Cingapura tem maior desgaste do que a maioria dos circuitos de rua, mas o asfalto leva mais tempo do que a maioria das faixas para a evolução de borracha da pista é lenta no saber; Em geral, como é o caso com as instalações não permanentes. Pancadas de chuva no fim da tarde - uma ocorrência frequente - diner o efeito de lavagem para retirar uma grande quantidade de borracha que já tenha sido previsto.
A estratégia vencedora no ano passado foi um dois-rolha, com o Red Bull Sebastian Vettel parando nas voltas 17 e 44 O alemão começou no supersoft, alterado para o meio, e, em seguida, completou a prova na supersoft novamente.
Mais informações sobre Cingapura e as demandas exclusivas Isso coloca sobre pneus de corrida pode ser encontrado em um vídeo de animação 3D novo visual produzido pela Pirelli. Este é livre de direitos autorais para uso de mídia na Fórmula Um site da Pirelli: www.pirelli.com/f1pressarea
As escolhas de pneus até agora:
  P Zero Red P P Zero Yellow P Zero Branco Laranja Zero
Austrália Suave Médio
Malásia Médio Difícil
Bahrain Suave Médio
China Suave Médio
Espanha Médio Difícil
Monaco Supersoft Macio
Supersoft suave Canadá
Áustria Supersoft Macio
Grã-Bretanha Médio Difícil
Alemanha Supersoft Macio
Hungria Suave Médio
Bélgica Suave Médio
Itália Médio Difícil
Cingapura Supersoft suave

 

Google Tradutor

 

SEGUNDO AS PREVISÕES DA PIRELLI

 

pirelli revela os compostos de pneus a utilizar

no japão e rússia

 

 

 A Pirelli revelou os compostos para os próximos grandes prémios a disputar no Japão e Rússia.

 

O Grande prémio do Japão será no espetacular circuito de Suzuka, uma das pistas mais exigentes do ano em termos de energia lateral. Por esta razão, os dois compostos mais duros da gama foram os selecionados: P Zero Laranja (composto duro) e P Zero Branco (composto médio). Estes, prontos para lidar com as altas velocidades, elevado desgaste e curvas rápidas.

 

As opções para o recente circuito de Sochi, na Rússia, é muito mais complexa, uma vez que não existe qualquer experiência ou referências da pista. No entanto, utilizando os dados de simulação, os engenheiros da Pirelli calcularam que a escolha mais adequada deverá ser o P Zero Branco (Composto médio) e o P Zero Amarelo (Composto médio), uma combinação com capacidade de satisfazer uma ampla gama de condições.

 

As escolhas para as três ultimas corridas do ano, serão anunciadas após o Grande Prémio da Rússia.

As escolhas de pneus até agora:

 

P Zero vermelho

P Zero

Amarelo

P Zero

Branco

P Zero Laranja

Australia

 

Macio

Medio

 

Malasia

 

 

Medio

Duro

Bahrein

 

Macio

Medio

 

China

 

Macio

Medio

 

Espanha

 

 

Medio

Duro

Mónaco

Muito macio

Macio

 

 

Canadá

Muito macio

Macio

 

 

Áustria

Muito macio

Macio

 

 

Inglaterra

 

 

Médio

Duro

Alemanha

Muito macio

Macio

 

 

Hungria

 

Macio

Medio

 

Bélgica

 

Macio

Medio

 

Itália

 

 

Médio

Duro

Singapura

Muito macio

Macio

 

 

Japão

 

 

Médio

Duro

Russia

 

Macio

Medio

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

ATRIBUIÇÃO DE SUPER LICENÇAS PARA A F1

ATRIBUIÇÃO  DE SUPER LICENÇA DE F 1 VAI SER CONDICIONADA

 

 

A atribuição da Super Licença para a Fórmula 1 vai estar sujeita a novas regras, na qual na actualidade um poiloto para ter acesso a este documento, um piloto terá de rodar cerca de 300 km ao volante dum F 1, ou então tenha dado provas de competividade noutras categorias como a GP 2 e GP 3.A entrada de Verstappen na F 1, veio levantar este assunto, obrigando a FIA a rever toda esta situação, que pelos vistos para 2015, irá ter novas regras.

 

MAHINDRA NA FÓRMULA E

 

Quinta Chandhok, Senna azar no inaugural Formula E raça
 
Pequim, Índia, 13 de setembro; Karun Chandhok da Índia ficou em primeiro pontos da Mahindra Racing na nova FIA Formula E Championship hoje, na corrida inaugural, em Pequim, China. Chandhok terminou um quinto forte Após alguns próximos de corrida em torno do circuito do Parque Olímpico de rua. Companheiro de equipe, Bruno Senna, que não conseguiu colocar um tempo de qualificação hoje cedo a um problema de duas baterias, bateu amoras desgraça após danos suspensão na primeira volta forçou a se aposentar mais cedo.
 
Após a sessão de qualificação desta manhã, Chandhok alinhados quarta para a corrida de hoje, com Senna 19. Uma vez que a pista tinha clareado de dignitários e convidados, incluindo Mahindra Presidente Anand Mahindra, os carros completaram a sua volta de apresentação.
 
Como as luzes se apagaram para o primeiro evento de Fórmula E começar Chandhok saiu bem, mas foi passado por um Nick Heidfield rápido a partir de trás. Senna, entretanto, foi fazendo de tudo para ganhar posições, mas no meio da confusão das primeiras curvas foi empurrado na Krebs Qual foi demais para a sua suspensão dianteira esquerda desmoronou Isso colocá-lo fora da corrida.
 
O safety car estava na terceira volta com brought Chandhok ainda correndo quinto lugar. Após o carro de Senna tinha sido recuperado, a ação corrida foi retomada na quinta volta, com Chandhok agarrada em quinto lugar com o reinício. Algumas voltas mais tarde Chandhok continuava a pressionar e manter o quinto lugar para ficar à frente de Franck Montagny. Montagny estava cobrando embora e passou Chandhok na volta 12 para assumir o quinto lugar.
 
Chandhok fez sua mudança de carro na volta 15, a mudança para um carro novo com carga completa da bateria para completar o restante da corrida. Emergindo de volta nos trilhos, Chandhok tinha perdido uma posição para Sam Bird, mas o motorista Mahindra Racing estava em uma carga e poucas voltas depois colocar em uma das ultrapassagens movimentos da corrida para reclamar o sexto lugar na volta 21.
 
Uma bateria de superaquecimento dificultado o progresso de Chandhok no final da corrida, porém, o piloto indiano perdeu vários segundos permitidos Qual Bird e Charles Pic passado colocando Chandhok baixo para oitavo. A última volta dramática No entanto, para os líderes Nicholas Prost e Nick Heidfield, que viu dois pilotos fora da corrida, Chandhok elevado a sexta na bandeira. O motorista Mahindra Racing composta por uma posição adicional após a corrida Quando terceiro homem colocou Daniel Abt foi entregue uma penalidade de tempo para emissão Que não revelada ele caiu para décimo.
 
Chandhok refletiu: "Foi uma boa corrida; Eu estava confortável ficar com o grupo da frente e passou Sam e Daniel estava pegando, mas depois a bateria mais aquecida e eu perdi um punhado de segundos nas voltas finais, que me perdeu dois lugares. Estávamos rápido, porém, a nossa paz global tem sido com o grupo da frente. Há muitos aspectos positivos a serem levados e algumas lições aprendidas também. "
 
Companheiro de equipe, Senna acrescentou: "Este é corrida, às vezes essas coisas acontecem. Esperemos que estamos recebendo toda a nossa má sorte fora do caminho cedo. Nós aprendemos com cada lote embora e eu acho que nós vamos estar bem preparado para a Malásia. O objectivo será o de ser mais rápido nos treinos novamente, mas da próxima vez segui-lo com a pole position e uma vitória. Isso é o que temos de apontar para. "
 
Team Principal Dilbagh Gill concluiu: "Nós temos sentimentos mistos realmente. É fantástico ver Karun dar os primeiros pontos como uma equipe na Fórmula E, mas sabemos o potencial brega para Ambos os carros que ser lá em cima um desafio para o pódio e, possivelmente, a vitória, eu sei que é frustrante que Bruno encontrou tantos problemas hoje . No entanto, vamos voltar ainda mais forte para a Malásia que já é nosso foco ".

 

Google Tradutor
 

 
Mais artigos...

João Raposo

Telemóvel: +351 961 686 867
E-mail: jraposo-air@portugalmail.pt