In order to view this object you need Flash Player 9+ support!

Get Adobe Flash player
Joomla! Slideshow

VELO CAB2012


BARREIROS EM IMOLA

 

Filipe Barreiros em Imola para o Ferrari Challenge Europa

 

20130719-H56B8451
Depois de ter estado ausente a última jornada do Ferrari Challenge Europa - Copa Shell em Hockenheim no início de Setembro, o piloto da Ferrari Portugal, Filipe Barreiros está de regresso ao Campeonato este fim-de-semana em Imola.
Uma jornada em que o piloto português espera conseguir um lugar entre os oito melhores, amealhando assim pontos importantes para as contas do Campeonato. Filipe Barreiros é agora 13º classificado à geral (quinto na sua categoria), fruto da ausência em Hockenheim mas a apenas 5 pontos do top 10, lugar que espera vir a alcançar.
No mítico circuito de Imola, o piloto da Ferrari Portugal está à vontade: "É uma pista que conheço e gosto. E espero ser bem sucedido já que no passado as coisas não correram tão bem. Vou voltar ao volante do Ferrari 458 Challenge, carro completamente diferente do GT3 que tenho pilotado ultimamente. Vai requerer nova habituação mas penso que será uma questão de tempo até voltar ao ritmo", começou por explicar.
Ciente dos objectivos que tem vindo a traçar ao longo da época, o foco para estas duas corridas será: "Assegurar lugares no top 8. Temos um carro competitivo, um bom andamento e certamente que vamos conseguir traduzir tudo isso num bom resultado. Vai ser uma corrida com muitos carros, muitas lutas o que torna tudo ainda mais aliciante", referiu Filipe Barreiros entusiasmado por estar de regresso ao Campeonato.
Na sexta-feira terá lugar as sessões de treinos. No Sábado as qualificações e primeira corrida e no Domingo a segunda prova.

 

RODRIGO CORREIA EM ACÇÃO

 

Só mesmo com a “garra” de campeão!

Rodrigo Correia só em 3 rodas faz corrida final em Portimão de trás para a frente…

Depois de um interregno de quase três meses, o Campeonato de Portugal de Karting – Troféu do Futuro regressou para a última prova do ano no passado fim-de-semana, 21 e 22 de Setembro em Portimão.

O jovem Rodrigo Correia, piloto ENI – Lubrificantes e Combustíveis apresentou-se na pista algarvia com vontade de terminar a época do “Troféu do Futuro” (Karting) 2013 Categoria Cadetes com um bom resultado!

Depois dos testes e da adaptação a uma pista nova, rápida e difícil, Rodrigo Correia foi melhorando os andamentos e aperfeiçoando as regulações do chassis Birel, o que tudo fazia prever tempos entre os três melhores depois do empenho da equipa técnica em lhe colocar um kart competitivo.

Para a corrida Final o Rodrigo Correia partiu da 5ª posição da grelha como resultado da 2ª Corrida de Qualificação no Domingo e, na sequência do 6º lugar na 1ª Corrida de Qualificação no Sábado.

Logo após o arranque o piloto de Oliveira de Frades entrou para a 2ª direita do traçado de 1.531 m, aonde se chega a fundo depois da reta da meta, da 1ª curva rápida e de uma reta de mais de 50 metros, na 3ª posição…

Mas, …, quando o Rodrigo Correia seguia a mais de 100 km/h, o piloto Luís Alves que o seguia, entrou-lhe pelo lado direito do kart, arrancando-lhe as carenagens frontais e ainda pior, danificou e empenou-lhe a mangadeixo do Chassis Birel, roda da frente direita!

Sendo arrastado para a berma da pista, ainda com o muito pó no ar e com o Kart nas piores condições, Rodrigo Correia mostrou toda a “fibra” e, regressou à competição, mesmo que em último.

Com praticamente mais de meia pista de atraso para o 8º classificado, Rodrigo Correia fez das “tripas coração” e logo com uma pista com 10 curvas para a direita só se pode imaginar as dificuldades sentidas pelo piloto com um kart a fazer toda a pista em três rodas com a roda da frente direita no ar!

Perdendo quase uma pista para os primeiros, Rodrigo Correia faz uma corrida totalmente de trás para a frente, chegando ao fim das apenas 10 voltas ao 6 lugar final, depois de um regresso à pista com os pneus muito sujos e degradados como consequência da saída da pista logo no início da corrida.

Não foi um fim-de-semana fácil, antes pelo contrário, mas o piloto Rodrigo Correia, passada a descompressão no final de uma corrida difícil, afirmou, … “mesmo se o resultado final não foi o esperado, o trabalho desenvolvido desde os treinos livres, aos treinos oficiais, faziam-me prever conseguir terminar entre os três primeiros, …, mas depois do toque, só quis regressar ao asfalto e chegar na melhor posição possível!”.

 

E a concluir, …, “quereria dedicar os meus agradecimentos com um lugar no pódio, mas o empenho e a garra da minha recuperação, tenho a certeza que são a melhor prova de homenagem aos que apostam e acreditam em mim, principalmente aos meus patrocinadores, ENI Lubrificantes e Gasolinas, PORTO CANAL, CAMPOAVES, ELITJOB, Clean Service, Construções Laurindo Almeida, Gapmec – Economistas e Consultores, Tic-Tac, Astrilusa, Notícias de Vouzela, MOTORES magazine, AUTOJAC e PROMOLAFÕES”!

IMG 5759_cpiaIMG 7407_cpiaIMG 7959_cpiaIMG 7979_cpia
 

MITSUBISHI OUTLANDER

 

Mitsubishi Outlander PHEV
Estreia-se
no Todo-o-Terreno


Ao mesmo tempo que no Japão, se iniciava a produção do Novo Outlander PHEV com as especificações europeias, a Mitsubishi Motors Corporation (MMC) decidiu realizar um último e inesperado teste de fiabilidade à sua tecnologia mais emblemática – Uma prova de Todo-o-Terreno…
(FIA) Rally Todo-o-Terreno da Asia
A MMC contínua convicta das virtudes do desporto motorizado como ambiente para testar o desenvolvimento de novas soluções tecnológicas. Embora os gloriosos dias do Rally Dakar e do Campeonato Mundial de Rally estejam já distantes para Mitsubishi, as conquistas do inovador i-MiEV Evo eléctrico em Pikes Peak ainda comprovam esta ideia.
No caso do Outlander PHEV, o Todo-o-Terreno foi considerado o ambiente mais adequado - tanto mais que seria uma vitrina incomum para a sua inovadora tecnologia com transmissão Plug-in Hybrid Eléctrica
Portanto, uma unidade de pré-produção do Outlander PHEV foi inscrito na edição 2013 do Asia Cross Country Rally "AXCR", que teve lugar de 10 a 16 de Agosto entre a Tailândia e o Laos.
A AXCR é uma prova oficial e regulamentada pela FIA e, é uma versão asiática do rally DAKAR, que este ano teve início em Pattava e terminou em Pakse, no sul do Laos.
Durante seis dias, os concorrentes conduziram mais de 2.000 km em várias superfícies com diferentes pisos e condições atmosféricas, incluindo estradas de montanha, selva enlameada, travessias do rios, etc, ..., tornando-se um verdadeiro desafio em termos de desempenho de condução e resistência física
pic06756
A Escolha Fiável
De um total de 20 entradas na categoria de quatro rodas motrizes (dos quais 19 terminaram), o Outlander PHEV atraiu bastante atenção, uma vez que era o único veículo híbrido plug-in a participar, a maioria dos concorrentes participou com pick-ups equipadas com os típicos potentes motores diesel.
Inscrito por uma equipa privada ("Two and Four Motor Sports "), apoiada pela Mitsubishi Motors, o Outlander PHEV terminou em 17 º da geral com nenhuma falha registada: um grande sucesso para o que era essencialmente um carro de produção em série - incluindo o Motor 4WD plug-in de transmissão híbrida eléctrica, bem como o sistema Super All Wheel Control (S-AWC) – As únicas modificações realizadas foram o reforço da suspensão, colocação de roll-bar, protecção da parte inferior do veículo e alteração do escape.
Novo Outlander Plug-In Híbrido (PHEV)
O novo Outlander PHEV distingue-se por ser um Veículo Eléctrico, complementado por um motor a gasolina que entra em funcionamento quando necessário e recorre ainda à reconhecida competência da Mitsubishi em tecnologia 4WD, sendo também o primeiro Veículo Eléctrico de produção em série com tração integral.
A arquitectura única do Outlander PH-EV com motor dianteiro eléctrico + motor traseiro eléctrico + motor a gasolina de tracção/geração traduz-se em três modos de condução:
o Puro (VE 4WD com dois motores eléctricos)
o Série (VE 4WD com dois motores eléctricos suportado por um Gerador de Combustão Interna)
o Paralelo (Motor de Combustão Interna suportado por dois motores eléctricos)
Ao equipar o novo Outlander, o sistema Mitsubishi Plug In Híbrido, vai permitir viagens de longo curso e muito baixas emissões, apresentando uma autonomia superior a 800 km e emissões de CO2 inferiores a 50g/km.
Os Mercados Mundiais
Completando um rali tão difícil sem nenhum problema, confirmou a durabilidade, bem como o desempenho dinâmico do Outlander PHEV poucos meses antes de começar a sua comercialização nos mercados mundiais.
No caso da Europa, a MMC irá lançar o Outlander PHEV sequencialmente, começando a partir de Outubro de 2013 com a Holanda, países nórdicos e Portugal, num calendário que se prolonga até ao 1º trimestre de 2014.

 

BOA APOSTA DA AÇORES TT TEAM

 

Baja TT Idanha-a-Nova

27 e 28 de Setembro

Campeonato de Portugal de Todo o Terreno / Desafio Total Mazda

 

 

Açores TT Team aposta no pódio

  • Equipa promove os Açores em mais uma prova internacional
  • Aposta forte num Desafio Mazda onde o piloto já foi campeão

 

Bruno Oliveira regressa amanhã, na Baja TT Idanha-a-Nova, à competição monomarca onde se sagrou Campeão em 2008. Fazendo dupla com Vânia Paim, o piloto dos Açores apresenta-se na prova beirã aos comandos de uma Mazda BT 50 que ostenta de forma inconfundível a magnífica imagem dos Açores.

 

Nesta que é a quinta etapa do Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno e a segunda jornada de 2013 do Desafio Total Mazda, a equipa volta a pautar a sua presença pela promoção da imagem dos Açores através da competição, sendo de destacar que na prova organizada pela Escuderia de Castelo Branco vão estar presentes várias equipas estrageiras, dado a prova estar inscrita no calendário internacional.

 

No ano passado tivemos um excelente desempenho nesta corrida e vamos tentar fazer o mesmo este ano. A nossa aposta em termos desportivos é conseguir alcançar o pódio, o que seria uma forma excelente de complementar a promoção dos Açores que continuamos a levar a cabo em que etapa do nacional de TT ”, salienta Bruno Oliveira.

 

A Baja TT Idanha-a-Nova arranca na 6ª feira com uma dupla passagem por uma super-especial com 9,04 km de extensão para, no Sábado, ser disputado um sector seletivo com uma distância total de 325 kms. Outras informações sobre a prova em www.escuderiacastelobranco.pt Aores TT_Team_01Aores TT_Team_02Aores TT_Team_03Bruno Oliveira_e_Vnia_Paim

 

VODAFONE MEXEFEST

Vodafone Mexefest


Primeiras confirmações nacionais:

The Legendary Tigerman
Discotexas Picnic Live

29 e 30 de Novembro, Avenida da Liberdade, Lisboa

www.vodafonemexefest.com | facebook.com/vodafonemexefest

 

Vem aí mais uma edição do Vodafone Mexefest. Muitos dos lugares da Avenida da Liberdade – este ano com a novidade Coliseu dos Recreios – estão reservados para duas noites de música nova e repletas de surpresas. Desde a primeira hora que o Vodafone Mexefest é mostra tanto da música internacional, como da nacional, em igual medida. The Legendary Tigerman e Discotexas Picnic Live são as primeiras confirmações portuguesas.

Paulo Furtado é já um dos mais icónicos artistas lusos. Nasceu para o mundo e para a música na Lusa Atenas e lá, entre doses de rebeldia e arrojo criativo, começou a traçar o seu percurso musical ecoando riffs explosivos de rock muito billy e igualmente punk. Como líder e compositor principal, comanda os destinos dos Wraygunn, fundindo blues, gospel e rock ‘n’ roll. Com o alter-ego The Legendary Tigerman, revela-se um virtuoso e mestre de muitos instrumentos: uma orquestra vazia de opulência mas directa, crua e muito impactante. The Legendary Tigerman é o condutor perfeito para as paixões do músico. Para além das melodias, a fotografia e o cinema fazem parte do conjunto de produções já oferecidas. As últimas edições, “Masquerade” e “Femina”, foram êxitos rotundos, projectando Mr. Tigerman para lá – muito para lá – das fronteiras que nos circundam. Com o menu farto que constitui o seu reportório, apresentar-se-á no Vodafone Mexefest. Porém, cumprindo a exigência de novidade e exclusividade que marcam o conceito Festival, este concerto não será mais um na sua carreira. O músico irá apresentar alguns dos temas do seu novo trabalho, “True”, com lançamento agendado para Fevereiro de 2014, num formato único que será anunciado oportunamente, marcando indelevelmente a edição deste ano.
 

A electrónica pulsante e taquicardíaca da vibrante editora Discotexas – em formato Picnic - vai desfilar pelo Vodafone Mexefest. Uma noite, vários dos artistas do catálogo, para uma enorme comemoração. Moullinex é Luís Clara Gomes. Junta guitarras, baixos regentes e batidas que nos remetem para os melhores dias do house e disco. Bruno Cardoso, aka Xinobi, é um dos co-fundadores da Discotexas. Tal como o seu parceiro de criação, Moullinex, com o projecto Xinobi a electrónica ecoa numa profusão de influências para ser contagiante e original.
 

A Moullinex e a Xinobi junta-se Da Chick. Os três, juntos, são a The Discotexas Band. Para o Vodafone Mexefest Da Chick trará a irreverência funk com o travo soul do costume. Com energia inesgotável, mostrará que a feminilidade é também sinónimo de entusiasmo e empolgamento.

Aos nomes já citados, adiciona-se Mirror People. Ideia de Rui Maia, teclista dos X-Wife, cresce ao vivo para um espectáculo onde um certo som electrónico vintage é protagonista. A performance de Mirror People é construída com base em elementos que estão para lá da música. A projecção de luzes e imagens são componentes imprescindíveis e conceptualmente importantes para Rui Maia.
 

Por fim, para fechar o cardápio do Picnic que a Discotexas vai oferecer, Mr. Mitsuhirato. É há muito um mestre das cabines. Por onde passa, os luxuosos desfiles indie, electro, pop e disco contaminam de festa as pistas de dança.

Entre os blues, o rock e a electrónica mais dançável, a música nacional com representação de excelência no Vodafone Mexefest.
 


Vodafone Mexefest. De palco em palco, a Música mexe na cidade.

Mais novidades a anunciar brevemente.


 

Já confirmados:

Autre Ne Veut

 

Daughter

Discotexas Picnic Live (Da Chick Live, Mirror People Live, Moullinex Live, Mitsuhirato DJ Set, Xinobi DJ Set)

John Grant

Legendary Tigerman

Savages

SILVA

Tropics

Woodkid

 

Primeiras confirmações nacionais


 

image

The Legendary Tigerman

 

Bio

Um dos mais influentes nomes nacionais de sempre, é um bluesman que bebe inspiração do delta do Mississipi reinventando-se a cada álbum. O seu último projecto, Femina, vendeu mais de 17 mil unidades. Para o início de 2014 há novo álbum a caminho: “True” chega em Fevereiro. Para levantar um pouco o véu, neste espectáculo, Legendary Tigerman vai apresentar alguns dos temas do tão aguardado “True”, num formato único e exclusivo que deixará a sua marca na história do Festival.

Sites e Vídeos

Site Oficial


Facebook

"Life Aint Enough For You"

 

 

imageMoullinex


 

Bio

Moullinex, ou Luís Clara Gomes, divide-se entre Lisboa e Munique. É desde tenra idade que se dedica à busca da sua própria sonoridade, tomando o Disco e o House como ponto de partida. Tem visto o seu trabalho reconhecido com remisturas de Cut Copy, Sebastian Tellier, Two Door Cinema Club, e colaborando com Peaches para uma versão da faixa clássica “Maniac”. É co-fundador da editora Discotexas, com Xinobi.

Sites e Vídeos

Site Oficial


Facebook

"Take My Pain Away (Gigamesh Remix)"

 

 

image

Xinobi

Bio

A sua música tornou-se universal depois da partilha e consequente popularidade de faixas como “BMX” ou “Day Off”. Apesar das suas músicas poderem ser rotuladas como Disco, House, Electro ou Techno, podem viajar do Funk a um ambiente mais deep com a coerência de uma banda sonora que une as palmeiras de Miami às noites gélidas de Berlim. Depois do lançamento do EP “The Best Of Me”, ganhou reconhecimento verdadeiro entre artistas de renome e reputados opinion makers.

Sites e Vídeos

Site Oficial


Facebook

"Day Off"

 

 

image

Da Chick

 

Bio

Desde 2009 que traz o Funk da velha escola, o groove eterno da Soul e salta ao balanço rítmico do Disco com um cocktail na mão, debitando letras sobre deliciosas batidas. Colaborou com Cavaliers of Fun e Memória de Peixe, partilhou o palco com Peaches, Hercules and Love Affair e Who Made Who, editou o EP “Curly Mess” – com o single e videoclip para “Cocktail” – em Junho de 2012 e nesse mesmo ano juntou-se aos seus produtores, irmãos escolhidos, Moullinex e Xinobi na Discotexas Band.

Sites e Vídeos

Site Oficial


Facebook

"Monsta"

 

 

image

Mirror People

Bio

"É tudo sobre a cor e ambiente certo para a música: tocar e modelar os sons no momento." explica Rui Maia, o homem por detrás de Mirror People e um entusiasta do vintage.  O teclista dos X-Wife, nesta sua versão mais puramente electrónica,  vê esta abordagem "live" como um caminho para a liberdade. O processo de estúdio envolve já parcerias com nomes como Rowetta dos Happy Mondays e tem recebido excelentes críticas nacionais e internacionais como na Mixmag, Djmag, Beatport. O Live show de Mirror People vai também ganhar luz e cor no Vodafone Mexefest.

Sites e Vídeos

Site Oficial


Facebook

"Machines"

 

 

image

Mr. Mitsuhirato

 

Bio

Fundador e co-editor da mítica Mondo Bizarre, serviu de embaixador indie para uma inteira geração de melómanos em Portugal. Hoje em dia, é o punho de ferro por detrás da Discotexas. Dos seus edits e remisturas assinados em nome próprio, é provavelmente o de Django Django que mais pistas incendiou nos últimos tempos. Indie, Disco ou Electrónica. Tudo se mistura para gerar a essencial das premissas: vontade de dançar. Dança e mexida em formato DJ Set no Vodafone Mexefest.

Sites e Vídeos

Site Oficial


Facebook

"Django Django - Default (Mr. Mitsuhirato Edit)"

 

 

Informação de Bilhetes


 

Preço dos Bilhetes

Preço único: €40

Troca obrigatória por pulseira no Cinema São Jorge a partir de dia 28 de novembro

Locais de Venda

www.blueticket.pt - Call Center 707 780 000, lojas FNAC, lojas Worten, El Corte Inglês (Lisboa e V. N. Gaia), Centros Comerciais Dolce Vita (Amadora, Porto, Vila Real, Ovar, Coimbra e Funchal), Casino de Lisboa, Galerias Campo Pequeno, Abep, Estações de Correios, lojas Media Markt, Turismo de Lisboa, www.ticketline.pt - Reservas e informações 1820 (24 horas), www.bilheteiraonline.pt, Coliseu de Lisboa.
Bilheteira do festival no Cinema São Jorge a partir de dia 28 de novembro.

 

Visite-nos em

www.musicanocoracao.pt

partilhe

FacebookTwitterGoogle plus

 

 

RAMPA DA PENHA

CAMPEONATO9 NACIONAL DE MONTANHA

 

 

UM FINAL PERFEITO

Surpresas Q.B. no arranque da Rampa da Penha, com a chuva a baralhar tudo no início. Mas mais importante foi numa prova em que os horários foram cumpridos à risca, apesar da aparente sobrecarga horária, serem encontrados os detentores dos títulos que estavam por entregar.

Na Categoria 1 António Nogueira é o virtual campeão, tendo tido a tarefa mais facilitada, pois o seu principal adversário, Joaquim Teixeira, não pôde participar por motivos profissionais.

O Troféu Nacional de Promoção de Montanha foi entregue a Ricardo Sousa, que de Fiat Uno, foi quem amealhou mais pontos, ao longo da época.

O campeonato da Categoria 2 estava ainda em aberto e Pedro Salvador, ao vencer, conseguiu os pontos que lhe entregam este título.

Na Categoria 3, o título já estava entregue a José Pedro Gomes e o mesmo se passou na Categoria 4, onde Francisco Marrão, era também já o vencedor.

primeira subida de treinos foi marcada pela chuva e como tal, por andamentos mais cautelosos, não vá “o Diabo tecê-las”…

Mesmo assim as surpresa acontecem e o tempo verdadeiramente canhão de Manuel Pereira, com o “velhinho” Lancer Evo VI, vem provar que isto está bom é para carros de ralis. Já no Caramulo Pereira tinha provado ser rápido e capaz de fazer milagres ao volante e desta vez até fez a “gracinha” de fazer o melhor tempo à geral com 1m 42, 042 segundos!

António Nogueira, apostado em ser Campeão da Categoria 1, faz o segundo melhor tempo da manhã. Roda em 1m 49,478 e em termos de campeonato está descansado. A oposição seria encabeçada por Joaquim Teixeira, mas compromissos de ordem profissional impediram-no de participar. O Campeonato da Categoria 1 está a um passo de ser entregue.

Nelson Trindade alinhou com o habitual Mitsubishi Lancer Evo IX e faz o segundo melhor tempo em 1m 52,929s. A tracção integral prova ser uma mais-valia no piso molhado, estreito e escorregadio, que a Penha oferece nesta manhã.

A oposição chega de Luís Silva, que alinha com um Evo VI e roda  97milésimas mais lento. No fundo vem reforçar a ideia de que o ideal é mesmo um carro de ralis. Tanto mais que o habitual BMW 320 Is vai ser usado no rali spint e assim Luis Silva poderá comparar o desempenho de ambos os carros, em condições idênticas.

Pedro Luís Castellón, em Silver Car S2 é o quarto mais rápido e lidera a Categoria 2, pela margem mínima de 2 décimas de segundo. Paulo Ramalho é segundo na categoria, depois de ter sentido algumas dificuldades em aplicar a tracção do Juno, no piso escorregadio.

Na Categoria 3 novamente o duelo Aníbel Rolo/José Pedro Gomes a estar na ordem do dia, com o homem do Renault 5 Turbo a levar a melhor sobre o do Ford Escort, por 1,2 segundos.

José Artur Teixeira é o mais rápido na Categoria 4.

Piso mais seco na segunda subida de treinos e os tempos a baixarem.

Pedro Salvador, que não tinha alinhado na primeira, por decidir fazer algumas alterações de set-up do Juno CN 11. Alinhou na segunda subida e veio fazer o melhor tempo marcou 1m 42,274s. Mesmo assim, não chegou para bater o tempo de Manuel Pereira.

António Nogueira, que é duas décimas mais lento que Salvador está agora com o terceiro melhor tempo da geral, 2m 42,438s é segundo na Categoria 1 e logo atrás, aparece Paulo Ramalho, que roda agora mais rápido e coloca o Juno na quarta posição da geral, segunda da Categoria 2.

Na Categoria 3, Aníbal Rolo melhora qualquer coisa como oito segundos, mas José Pedro Gomes tem um desempenho idêntico e a diferença mantém-se nos 1,2 segundos.

José Artur Teixeira continua na liderança da Categoria 4 e é, simultaneamente, o mais rápido dos clássicos.

Primeira subida de prova

As subidas de prova parecem ter despertado os favoritos, que arrancaram com vontade de colocar tudo na ordem…

Pedro Salvador decidiu que o segundo não é o seu lugar e fez, apesar da chuva, 1m32,653s! Tirou qualquer coisa com dez segundos à marca dos treinos. Além disso com a vitória vai ainda buscar pontos que lhe permitem vencer a Categoria 2, nas contas finais do Campeonato.

António Nogueira baixou até ao segundo 40 e mais três décimas. Faz segundo tempo à geral, lidera a Categoria 1 e o título da categoria está praticamente na mão.

Mais lento 4,4 segundos está agora Manuel Pereira, faz terceiro à geral, segundo na Categoria  e mostra como os 4X4 são importantes neste piso.

Paulo Ramalho, com o Juno CN 09, tem luta para durar. É o quarto mais rápido na geral, é segundo na Categoria 2 e tem Nelson Trindade em Mitsubishi Lancer Evo IX a, mais uma vez, mostrar que a tracção integral é trunfo nestas condições.

 Bernardo Sá Nogueira lá leva o Renault Clio RS 2000 até à sexta melhor marca da subida e com o segundo lugar entre os VSH (Veículos Sem Homologação) vai tentar buscar mais alguns pontos preciosos para as contas do título na Classe.

Mesmo assim nada está fácil e como sempre as diferenças são mínimas. Luis Silva está na luta, com mais 1,8 segundos e Miguel Ferreira da Silva anda lá por perto.

Aníbal Rolo continua a ditar lei com o Renault 5 Turbo, consegue dilatar ligeiramente a diferença para o Ford Escort de José Pedro Gomes, que agora roda a uma segundo e meio. Tudo muito longe de estar decidido.

Francisco Marrão, que é já o vencedor do Campeonato na Categoria 4, aparece cá para comparar andamentos com os dois da frente e anda cerca de 1,1 segundos mais lento que Gomes.

No Troféu Nacional de Baixa Cilindrada de Montanha, menos de 1.300cc dos clássicos, a liderança é de Rui Castro em Datsun 1200, embora Abel Marques e Domingos Fernandes andem à “cata” dos pontos.

Na Categoria 4, José Pires consegue o melhor tempo, retira nove segundos à melhor marca e passa para frente de José Artur Teixeira que perde nove décimas relativamente ao melhor tempo dos treinos.

Segunda subida de prova

Um minuto 37,846 segundos foi o tempo de Pedro Salvador na segunda subida de prova. Contas feitas e já podia seguir para o parque fechado, pois  o tempo total de 3m10,499s bastava-lhe para não ter que se preocupar em alinhar na derradeira corrida, num traçado que não vai secar.

Mantendo as contas da Categoria 2, Pedro Luís Castellon retira cinco segundos ao tempo anterior e passa para o segundo posto. Paulo Ramalho, a braços com problemas de electrónica nos comandos da caixa de velocidades devido à humidade, não conseguia defender o segundo posto e piorava 12,5 segundos.

Rui Ramalho fechava as contas com o quarto posto ente os protótipos.

Na Categoria 2 António Nogueira roda consistentemente no segundo 40 e retira mesmo uma décima ao tempo da subida anterior.  Ruma a parque fechado, termina a época para o homem do Porsche GT3 e é tempo de comemorar a vitória no Campeonato.

Manuel Pereira teima em fazer bons tempos e é o segundo da Categoria, lidera uma grupo bem animado, que confirma que os carros de ralis estão como “peixe na água” e vai dilatando a vantagem sobre  Nelson Trindade  (Mitsubishi Lancer Evo IX) e Luis Silva (Mitsubishi Lancer Evo VI).

Bernardo Sá Nogueira coloca o Renault Clio RS 2000 no quinto posto e está a três décimas do mais directo adversário na luta pelo Campeonato dos VSH, Luis Silva.

Miguel Ferreira da Silva é espectador de primeira fila desta luta e promete que nada está fechado até ao baixar da última bandeirada.

Herlander Trindade, com o Subaru a exibir alguma “fita cola” devido a um toque ligeiro na subida anterior é o sétimo, à frente Hugo Araújo e de Carlos Cerca.

Sofia Mouta, a melhor senhora em prova, veio à Penha com o “velhinho” Ford Sierra.

Ricardo Sousa, cumpre a segunda subida e assegura já os pontos que lhe permitem comemorar a vitória no Troféu Nacional de Promoção de Montanha, aos comandos do Fiat Uno ex-troféu.

Aníbal Rolo está agora mais descansado na frente da Categoria 3, tanto mais que o seu principal adversário, José Pedro Gomes, nem sequer alinhou. A oposição vem agora de Pedro Couceiro.

José Artur Teixeira regressa à liderança da Categoria 4 e, pelos vistos só se vai resolver depois da terceira subida.

Terceira subida de prova

Depois de três subidas praticamente sem percalços, apenas um ou outro toque, eis que Pedro Luís Castellón se despista com violência e obriga à interrupção da prova, quando apenas faltavam os irmãos Ramalho para subirem.

O Silver Car, ficava muito maltratado e o piloto seria assistido pelas equipas de emergência mas, felizmente,  nada de grave para a saúde do piloto.

Os dois mais rápidos da prova já estavam encontrados e com os carros arrumados em Parque Fechado. Pedro Salvador e António Nogueira já estavam a comemorar as vitórias, respectivamente Categorias 2 e 1, desde a subida anterior.

Manuel Pereira vai à luta, mas já não consegue melhorar, num traçado que teima em não secar. Mesmo assim é terceiro à geral e consegue o segundo posto na Categoria 2. Fica à frente de Pedro Luís Castellon.

Nelson Trindade arruma a seu favor a luta pelo terceiro posto da Categoria 1, contas feitas e detém uma vantagem de um segundo e meio sobre Luis Silva.

Bernardo Sá Nogueira faz quinto da Categoria, coloca Herlander Trindade e Miguel Ferreira da Silva, respectivamente por esta ordem, atrás.

Hugo Araújo, trouxe um Westfield 1.6 até ao oitavo lugar. Martine Pereira resolvia os problemas sentidos na subida anterior e ainda conseguia rodar em 1m51,305, que lhe davam o nono posto, à frente de Marco Cid, que encerra o top 10.

Paulo e Rui Ramalho decidem não alinhar na derradeira subida.

O mesmo fez Ricardo Sousa, que já estava descansado a comemorar o título.

Aníbal Rolo fazia a derradeira manga com menos oposição. José Pedro Gomes não alinhou nesta e apenas com um resultado oficial, fica fora da classificação.

A Categoria 4 fechou contas com a vitória a ser entregue a José Pires, pela margem de meio segundo, sobre José Artur Teixeira

Pedro Salvador vence à geral 

António Nogueira foi segundo e venceu o título da Categoria 1

Aníbal Rolo Venceu na Categoria 3

Francisco Marrão vencedor do título da Categoria 4

 

FARIA DE REGRESSO

 

Baja TT Idanha-a-Nova

27 e 28 de Setembro

Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno 2013

 

Ruben Faria de regresso ao nacional de TT

Luís Ferreira ausente devido à queda em Proença-Oleiros

 

Apesar de vitorioso na Baja TT Proença-Oleiros, Luís Ferreira será o grande ausente da Baja TT Idanha-a-Nova que se disputa a partir de amanhã. O piloto KTM / Motobrioso Racing Team teve de ser hospitalizado após a corrida, na sequência de uma queda já na parte final da prova e não está ainda em condições de regressar às competições. De regresso ao nacional de TT está por outro lado Ruben Faria.

 

Piloto de fábrica da KTM e que conta com o apoio da Motobrioso e da KTM Portugal, o consagrado Ruben Faria está de regresso às competições depois de, no passado mês de Julho, ter fraturado o pulso no decorrer do Rali dos Sertões. Antes, Ruben Faria tinha participado com sucesso na prova algarvia que teve Alcoutim como base, tendo terminado a corrida na 4ª posição. Para o piloto algarvio “é importante estar de regresso quando se aproximam as grandes competições internacionais. Já retomei os treinos com a equipa oficial da KTM e esta prova vai-me servir para ganhar a endurance que necessito para ganhar forma e estar à altura dos meus próximos desafios”.

 

Vencedor de três das cinco provas do Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno, Luís Ferreira está obrigado e fazer um repouso que não é minimamente compatível com andar de moto. “Numa temporada em que estou num projeto muito interessante com a KTM e a Motobrioso e para o qual já se tinham alcançado excelentes resultados é claro que esta paragem é um enorme balde de água fria”, salienta o piloto KTM / Motobrioso Racing Team.

 

Também David Megre, piloto oficial da marca austríaca irá participar na sexta e penúltima jornada do Campeonato Nacional de TT. Aos comandos de uma KTM XC 250 F o piloto ocupa o 2º lugar da Classe TT1. Destaque ainda para a presença de dois pilotos da equipa Motobrioso / KTM: Pedro Vargas, que lidera a Classe Veteranos e Salvador Vargas que ocupa o 5º lugar na Classe Promoção.

 

A Baja TT Idanha-a-Nova arranca amanhã 6ª feira com uma Super Especial que terá 9,04 km de extensão para, no dia seguinte, serem disputados dois sectores seletivos. O primeiro parte e termina em Monfortinho tendo uma extensão de 162,5 km. O segundo volta a partir de Monfortinho, mas termina em Idanha-a-Nova numa distância de 62,09 Km.Luis FerreiraLus Ferreira_MotobriosoRuben Faria

 

SALVADOR NA PENHA PARA VENCER

 

Pedro Salvador na Rampa da Penha



Com o Campeonato na mira




Pedro Salvador parte para a Rampa da Penha com o objectivo de conquistar o título de Campeão de Portugal de Montanha, na Categoria 2.

Mas mais do que ir à Penha para ganhar, Pedro Salvador pretende cumprir uma missão: “Vou também para lançar uma mensagem e algumas sementes. Gostaria de alertar as consciências para a necessidade de plantar árvores..."

 

GALERIA DE IMAGENS

GALERIA DE IMAGENS

 

 

RALI DE MORTÁGUA

 

 

Grupo de imagens captadas pelas objectivas de Armindo C01-00301-02601-049010102-00103-00403-00904-02404-02705-00905-01505-04805-04806-00806-02608-00308-01809-00310-00110-01511-00111-01612-00312-02014-02114-03215-00415-01515-01516-00216-02418-00418-01720-03020-03431-00432-01632-02133-00234-00234-01535-00335-01635-01636-02537-00137-00638-00238-01939-00539-017erqueira da Foto GTI no rali de Mortágua.

 

Fotos de Armindo cerqueira - Foto GTI

 

 

 

LISTA DE INSCRITOS - RAMPA DA PENHA

RAMPA DA PENHA - LISTA DE INSCRITOS

 

 

LISTA DE INSCRITOS - RAMPA DA PENHA 2

Categoria 2
1 ACL BY Rodrive - Pedro Salvador - Juno CN 11 
3 Ray Racing Team - Paulo Ramalho - Juno CN09 
6 Ray Racing Team - Rui Ramalho - Juno SSE 
8 Pedro Luis López - Pedro Luis López - Silver car S2

Categoria 1
21 Martine Pereira - Martine Pereira - Porsche 997 GT4
22 João Guimarães - João Guimarães - Peugeot 206 RC
23 Sérgio Monteiro - Sérgio Monteiro - Alfa Romeo 147 2.0 
24 Herlander Trindade - Herlander Trindade - Subaru Impreza 
25 António Nogueira - António Nogueira - Porsche 997 
31 Luis Nunes - Luis Nunes - Renault Clio RS 
32 Joaquim Teixeira - Joaquim Teixeira - Seat Leon SuperCopa 
35 Bernardo Sá Nogueira - Bernardo Sá Nogueira - Renault Clio RS 
38 Miguel Ferreira Silva - Miguel Ferreira Silva - Mitsibishi Lancer Evo IX
50 Luis Silva - Luis Silva - BMW 320 Is
51 Escudaria Rias Baixas - José Riveiro - Opel Corsa GT 
52 Ricardo Sousa - Ricardo Sousa - Fiat Uno 
53 Jorge Meira - Jorge Meira - Citroën Saxo Cup
58 Sofia Mouta - Sofia Mouta - Ford Sierra 
60 Sandra Fonseca - Sandra Fonseca - Fiat Uno
61 Nelson Trindade - Nelson Trindade - Mitsubishi Lancer Evo IX 
68 João Barros - João Barros 
75 Paulo Pinto - Paulo Pinto - Peugeot 106 Rallye 
79 Manuel Pereira - Manuel Pereira - Mitsubishi Lancer Evo IX
88 Carlos Cerca - Carlos Cerca - Porsche 911 Turbo GT 2 
90 Luis Anjos - Luis Anjos - Porsche 911 GT2 
54 Jalcar Team - Manuel Correia - Alfa Romeo 158 1.8 TS 
45 Jalcar Team - Pedro Antunes - Alfa Romeo 158 1.8 TS 
46 Vettra Motosport - José Correia - Seat Leon 
54 Hugo Gonçalves - Hugo Gonçalves - Westfild Sport 1600 
86 Vettra Motosport - Carlos Dias - BMW 325 i
58 José Machado - José Machado -Citroen Saxo
34 Marco Cid - Marco Cid - Renault Clio S 1600 

Categoria 3
163 Monteiros Competições - José Artur - Datsun 1200 
164 Domingos Fernandes - Domingos Fernandes - Autobianchi 
Pedro Couceiro - Pedro Couceiro - Opel 1904 
Rui castro - Rui Castro - Datsun 1200 
205 Anibal Rolo - Anibal Rolo - Renault 5 Turbo 
206 José Pedro Gomes - José Pedro Gomes - Ford Escort 
231 Abel Marques - Abel Marques - Autobianchi A112

Categoria 4
146 José Pires - José Pires - Ford Escort 
291 José Artur Teixeira - José Artur Teixeira - Austin Mini 
293 Francisco Marrão - Francisco Marrão - Ford Escort

 

HELDER RODRIGUES É NOTICIA

 

TMN Dream Team

24 de Setembro                                                                                                                                                                    

Sports Experience

 

Hélder Rodrigues em atividade radical

  • Piloto aproveitou evento do TMN Dream Team para descontrair
  • Marrocos é o próximo passo no programa desportivo de Hélder Rodrigues

 

Numa pratica que já vem sendo habitual os atletas do TMN Dream Team tiveram o seu encontro anual. O motociclista Hélder Rodrigues foi um dos que marcou presença em Sesimbra, para uma manhã absolutamente radical. Ao grupo de atletas do TMN Dream Team, a que se juntaram alguns convidados, foi proposto um desafio matinal de Coasteering, que consistiu em percorrer a linha de costa, recorrendo a natação, escalada, rappel, saltos para a água, slide e caminhada.

 

Para além de Hélder Rodrigues, a equipa do TMN Dream Team contou com Inês Correia (kitesurf), Patrícia Figueiredo (kick boxing), Rui Machado (ténis), Rodrigo Albuquerque (skate), Francisco Mendes Rosa (hipismo), Marta Simões (ski aquático), António Cardoso (bodyboard tow out), Emanuel Pombo (BTT – downhill) e André Neres (escalada). O único ausente, por motivos desportivos, foi Tiago “Saca” Pires (surf). Da parte da tarde o desafio continuou com uma atividade de Paintball.

 

Foi um dia magnífico de convívio, excelente camaradagem e reencontro dos atletas desta equipa multidisciplinar. Acho que o apoio que a TMN dá a atletas de várias modalidades é importantíssimo para o desporto português e pela minha parte tento retribuir com os melhores resultados possíveis. Quanto à atividade, o coasteering foi um enorme desafio, muito bem estruturado e com muita adrenalina. Saltar de mais de 10 metros de altura foi extremamente desafiante, tendo em conta os locais de onde saltávamos para a água. Para mim foi uma atividade ótima, que serviu de forma excelente para contrabalançar com o ritmo muito intenso de treinos e corridas do último mês e meio", explicou o piloto Honda, apoiado pela Red Bull e TMN.

 

No programa de Hélder Rodrigues seguem-se treinos em Marrocos e a participação na derradeira etapa do Campeonato do Mundo que também aí será disputada de 13 a 19 de Outubro.Hlder RodriguesHlder Rodrigues_Coasteering_01Hlder Rodrigues_Coasteering_02Hlder Rodrigues_Coasteering_03

 

PATRICK DE REGRESSO AO FIA GT

 

Patrick Cunha de regresso ao FIA GT Series 2013  

 

Depois de uma passagem vitoriosa pelas pistas nacionais, Patrick Cunha está de regresso no plano internacional, preparando-se para disputar no próximo fim-de-semana mais uma jornada do Campeonato do Mundo de Carros de Turismo, o FIA GT Series, no circuito espanhol de Navarra, que recebe a quinta e penúltima jornada desta competição em 2013.

O piloto da Veloso Motorsport, Patrick Cunha, que faz equipa com o piloto brasileiro Matheus Stumpf numa formação inscrita pela Rodrive, está motivado para um bom resultado no traçado espanhol, onde o Lamborghini Gallardo GT3 FLII, pode ser uma boa surpresa em termos de luta pelas primeiras posições da Categoria Pro AM.


“Depois de um início onde acusei sobremaneira o facto de ter estado parado muito tempo, estou agora muito mais à vontade e por isso espero sinceramente lutar pelas melhores posições na nossa categoria. A vitória e o tempo de pista que tive em Braga, trouxeram ainda mais motivação para este próximo desafio, pelo que espero que isto possa fazer a diferença em Navarra, pista que já conheço minimamente, depois do curto teste que fizemos aqui com o Lamborghini Gallardo na altura da sua aquisição. Isso pode jogar a nosso favor, uma vez que me deixa um pouco mais à vontade e com mais tempo para chegar a uma boa afinação. Estou confiante num bom resultado e confio no Matheus, para em conjunto podermos dar uma alegria a todos os que nos apoiam.” Disse Patrick Cunha.


Horário:

Sábado – 28.09.2013

10H00 - Treinos Livres 1 (80m)
12H35 - Treinos Livres 2 (80m)
17H00 – Qualificação (60m)

Domingo – 29.09.2013

09H00 – Warm Up (20m)
10H15 – Corrida de Qualificação (60m)
14H15 – Corrida Principal (60m)
VMS250913

 

CARCLASSE APOIA GOLF

 

Dia 28 de Setembro no Axis Golfe Ponte de Lima

CARCLASSE APOIA JAGUAR GOLF CUP 2013

*Concessionário reforça aposta no segmento premium

 

 

A Carclasse vai marcar presença no próximo Sábado, dia 28 de Setembro, na Jaguar Golf Cup 2013, no Axis Golf em Ponte de Lima.

 

Ao longo das diversas provas que compõem o evento, no cenário luxuriante do Axis Golf Ponte de Lima, será possível apreciar o conforto e os apontamentos de luxo dos modelos Jaguar XF e F-Type convertible, a nova coqueluche da Jaguar.

 

O concessionário da Mercedes tem vindo a aprofundar a sua aposta no segmento premium. Com a representação da Jaguar em Lisboa, onde apresenta uma área exclusivamente dedicada à marca,  a Carclasse torna-se numa das principais referências num segmento de mercado que, não obstante a difícil conjuntura económica, tem apresentado um dinamismo digno de realce.

 

Carclasse – Duas décadas de qualidade norteiam sucesso do concessionário

 

A Carclasse é, atualmente, um dos mais importantes concessionários nacionais das marcas Mercedes-Benz e smart, das quais tem representação para toda a região do Minho, onde está presente com instalações próprias nas cidades de Braga, Barcelos, Vila Nova de Famalicão, Guimarães e Viana do Castelo. Lisboa marcou o primeiro passo de expansão da rede do concessionário fora da zona Norte com a abertura de um dos maiores espaços de exposição, venda e oficina de automóveis do país.

 

Hoje em dia, a Carclasse é considerada um dos mais importantes concessionários nacionais, quer no universo Daimler quer no panorama nacional multimarcas. Para além da Mercedes-Benz, smart e Evobus, representa também a Suzuki, a Land Rover e o serviço pós-venda da MG Rover.

 

Com sede em Braga, a empresa tem conhecido um desenvolvimento de referência no setor automóvel nas últimas duas décadas, resultante da evolução sustentada da comercialização e do serviço pós-venda, cuja qualidade e profissionalismo são amplamente reconhecidos pelos clientes. O sucesso da empresa tem-se traduzido também no crescimento das infraestruturas, prova inequívoca de que Carclasse tem consolidado a sua presença no setor automóvel.

 

 

MAIO NA LUTA PELO TITULO

 

Baja TT Idanha-a-Nova

27 e 28 de Setembro

Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno 2013

 

António Maio numa luta emocionante pelo título

Piloto alentejano lidera Campeonato Nacional

Equipa Yamaha Pinhelworks Ray Just Energy com seis pilotos na prova beirã

 

António Maio tem sido um dos protagonistas de uma das mais interessantes lutas pelo título nacional de todo-o-terreno dos últimos anos. Disputadas que estão cinco provas o piloto alentejano parte para a Baja TT Idanha-a-Nova na liderança do campeonato, embora em igualdade de pontos com o atual campeão Mário Patrão. Aos comandos de uma Yamaha YZ 450F o piloto da equipa Yamaha Pinhelworks Ray Just Energy é por isso um dos candidatos à vitória na prova que arranca na próxima 6ª feira, sob a batuta da Escuderia de Castelo Branco.

 

“É uma prova com um percurso que é bastante do meu agrado. Vou naturalmente dar o meu máximo para conseguir chegar à vitória num campeonato que está extremamente renhido. Tenho pena que o Luís Ferreira não possa estar presente e desejo-lhe rápidas melhoras”, salientou o piloto alentejano.

 

Com seis pilotos inscritos na prova beirã a formação da Yamaha Pinhelworks Ray Just Energy mantém-se como a mais representada nas provas de TT. Para Frederico Fino que tem vindo a melhorar as suas prestações desportivas “esta é uma prova que me agrada e onde irei tentar lutar por uma das primeiras posições na corrida”, salienta o piloto que a par de Fernando Pinhel é um dos líderes deste projeto. “Como equipa continuamos a trabalhar no sentido de proporcionar ao António Maio as melhores condições para conseguir chegar ao título neste campeonato que tem estado ao rubro e onde lamentamos agora a ausência forçada do Luís Ferreira”.

 

A formação apoiada pela Yamaha conta ainda com a participação de Rui Porto Nunes e Rui Ventura, que ocupam respetivamente o 2º lugar da Classe Promoção e o 3º da Classe Veteranos, Miguel Guerra e Miguel Navarro. A Baja TT Idanha-a-Nova arranca na 6ª feira com uma super-especial de 9,04 km de extensão para, no Sábado, serem disputados dois sectores seletivos, o primeiro com uma extensão de 162,5 km e o derradeiro com 62,09 km.Antnio Maio

 

VOLTA AO MUNDO COM FRANCISCO SANDE E CASTRO

SANDE E CASTRO CONTINUA VOLTA AO MUNDO EM DUAS RODAS

 

 

 

Hoje de manhã saí do Lodge na floresta às nove a caminho da fronteira com o Butão, na esperança de ter o visto pronto quando lá chegasse.
Os cerca de 30 Km aqui são de boa estrada, alcatroada recentemente, à parte cerca de 2 Km que ainda estão em terra. Pelo caminho passei por enormes plantações de chá, uma planta que tem pouco mais de um metro de altura mas que forma uma espécie de tapete em altura que parece ter sido aparado. Pelo meio algumas árvores que têm ar de serem estrategicamente colocadas para não deixarem o sol queimar as folhas do chá e, provavelmente, manterem a humidade.
 Os guardas do portão de entrada no Butão reconheceram-me pela moto e nem perguntaram onde ia. O visto não estava pronto mas ainda bem que lá fui logo de manhã porque a mulher da agencia tinha-se esquecido da cópia do meu passaporte em casa e lá foi tirar outra para enviar por fax a um colega em Thimphoo, a capital, para ele ali obter o visto. O processo começou a atrasar-se e,  estando a pagar  290 dólares por cada dia no Butão, pedi que fizessem o visto só a partir de amanhã para poder entrar no país logo pela manhã e ter tempo para visitar as duas cidades onde quero ir.
Depois de confirmar que estava tudo encaminhado perguntei por um Hotel na pequena cidade do lado Indiano da fronteira e um dos empregados da agencia foi de carro à minha frente até lá. Estranhei logo porque o Butanês, em vez de atravessar a estrada onde estávamos, houvesse ou não traço contínuo, andou pela via esquerda uns 200 metros para cima para dar a volta numa rotunda. Confirmei este espírito suíço tão contrastante com o dos indianos onde, simplesmente, não há regras de transito quando, da parte da tarde, voltei à agencia para recolher o visto. Como costumo fazer aqui na Índia nestes dias de calor em pequenas distancias, ia na moto em mangas de camisa e sem capacete. Os guardas da fronteira do Butão mandaram-me parar e disseram-me que não poderia entrar no país sem capacete. Eu expliquei-lhes que ia só parar a moto cinquenta metros à frente para levantar o visto na agencia mas eles nem puseram essa hipótese: “Não. Não pode passar este portão sem capacete”. Pedi-lhes então para deixar ali a moto à entrada e acederam sem problema. O contraste parece abismal. Ainda aumentou mais a minha curiosidade. Será que a felicidade extrema inclui cumprir as regras escrupulosamente? Imaginava mais um local que dizem ser a própria felicidade como uma espécie de anarquia mas em que todos se respeitassem.
Entretanto hoje, aqui na Índia, é dia de “Vishwakarma”, o Deus dos Engenheiros, como me dizia há pouco o recepcionista do Hotel. É dedicado a tudo o que é maquinaria e então muitos carros andam com cordões de flores penduradas enquanto aqui no largo do Hotel montaram vários altares dedicados a este Deus, alguns com aparelhagens de música aos berros, outros com coisas doces com que intoxicam as crianças e outros nos quais as pessoas simplesmente entram e fazem uma pequena reza, certamente a pedir que o carro podre resista mais um ano.
Ontem levantei-me pelas nove e fui de moto à aldeia próxima, enviar à minha filha a mensagem que não tinha conseguido no dia anterior. Aproveitei depois para mudar as pastilhas dos travões da frente da “Cross Tourer”, operação que não tinha feito em Delhi porque ainda tinham alguma espessura mas agora estavam quase no “osso”. Ainda eram as que saíram de Portugal e as de trás  fazem pelo menos mais 5.000 Km.
Depois do almoço decidi ir visitar um local no meio da selva onde tratam de Tigres e Leopardos que me disseram ser a cerca de dez quilómetros. Entrei com a moto por uma estreita estrada de terra, selva dentro, mas passados doze quilómetros não havia vestígios de nada nem ninguém até que encontrei uma espécie de homem da selva, destes vestidos só com um pano à volta da cintura, que pastava três ou quatro cabeças de gado. Era escuro e tinha um ar carrancudo, sem expressão. Parei para lhe perguntar onde era este centro de recuperação animal mas fiquei com a ideia que não falava inglês nem qualquer outra língua, provavelmente por não ter ninguém com quem falar. Não emitiu um som e a sua expressão manteve-se inalterada. Como tinha numa das mãos uma enorme foice para se conseguir movimentar através da floresta achei melhor não prolongar o inquérito e segui caminho. Ele manteve-se estático, como se tivesse acabado de ver um extraterrestre numa nave especial que não o tinha assustado mas impressionado. Passados mais três quilómetros lá encontrei aquela base, como tudo aqui com um ar muito abandonado. Acabei por só ver um Leopardo que tinham acabado de capturar porque os outros animais estavam fechados em jaulas por supostamente estarem a fazer manutenção do espaço vedado onde eles costumam andar.
Quando me preparava para regressar estavam três miúdos e dois velhos maravilhados com a moto e um deles pediu se o levava a dar uma volta. Acelerei um bocado em segunda, com o velho à pendura, e ele saiu de lá como se tivesse tido a melhor experiencia da vida.
Hoje parti às cinco e meia da manhã para um Safari de Jipe, acompanhado de um simpático casal que tinha vindo de Calcutá, mas tivemos azar e acabámos por só ver um Búfalo e um Rinoceronte à distancia.  
Ontem à noite, tinha adormecido há pouco mais de cinco minutos no pesadelo daquele Hotel quando dei um salto da cama ao acordar com uma enorme explosão. Pensei que fosse uma bomba terrorista junto à esquadra da polícia, ali perto. Saí do quarto em calças de pijama e tronco nu e vim cá abaixo ver o que se passava. Os empregados estavam calmos e um deles disse-me que deveria ter sido um pneu dum camião a rebentar. Nunca vi nada assim.
Esta manhã voltou a reunir-se uma multidão à porta do Hotel para me verem partir, ainda não eram nove.
Segui pela estrada de ontem a caminho da fronteira com o Butão com a grande vantagem de esta parte da estrada ter muito menos camiões. Depois, à medida que o transito diminuía, também o piso ia melhorando. A uns 40 Km da fronteira vi um letreiro a anunciar um Lodge numa reserva animal, no meio da floresta. Entrei para beber uma água e ver como era. Ainda pensei ali ficar dois dias a descansar da “sova” que tinha levado no dia anterior mas quando me disseram que a época de Safaris estava fechada e só abria dentro de dois dias, decidi arrancar.
Na alfandega de saída da Índia perguntaram-me se já tinha o visto para o Butão e quando disse que não disseram que não me podiam carimbar a saída. O oficial indiano informou-me que teria que tratar pela Internet e demoraria 15 dias.
Decidi então ir falar com os homens da alfandega do Butão. Pedi aos guardas que me deixassem passar e expliquei ao chefe da alfandega que não poderia esperar quinze dias. Simpático, mandou-me ir ter com uma agencia de viagens do Butão, do outro lado da rua, que não acreditaram que o chefe da Alfandega me tivesse lá enviado. A dona mandou um empregado comigo junto de chefe confirmar a situação e depois disse-me que conseguiria o visto em duas horas. Não se lembrou foi que é feriado no Butão este Sábado e segunda pelo que só o terei na terça.
O Butão é supostamente o país onde a população é a mais feliz do mundo. A brochura que me entregaram sobre o país tem mesmo uma frase elucidativa: “A felicidade é um lugar”. Tenho muita curiosidade em saber se sentimos essa felicidade nas ruas. Só que a curiosidade paga-se caro e ali não querem visitantes pobres.
O visto custa 40 dólares o que é um valor normal mas, por cada dia que um turista passa no país cobram, logo à entrada, 290 dólares. Sim, 290 dólares americanos. Sabia que havia uma verba a pagar ao redor de 200 dólares mas não pensei que fosse tanto. Viajantes em grupo pagam “só” 250. Tinha ideia de ficar três ou quarto dias mas, tendo em conta o valor, pedi visto só para duas noites. Entro na terça e, quinta feira ao final do dia tenho que estar de saída. Espero que a ideia não pegue noutros países.
A boa notícia é que com esse valor não gastamos mais um tostão. Ele inclui o Hotel, a alimentação, entradas em espaços públicos como museus, etc. e até um guia para nos acompanhar, que vou pedir que esteja só nas cidades que vou visitar. Até a gasolina para a moto está incluída no pacote. Não deixa de ser muito caro. Os naturais dos países vizinhos, Índia e Bangladesh, estão isentos deste pagamento para além dos das Maldivas, vá-se lá saber porquê. Provavelmente é onde o rei do Butão costuma ir passar férias.
Lá deixei os 620 dólares com a dona da agencia e voltei cerca de 30 Km atrás para o Lodge na floresta, onde me instalei.
Aqui não há internet e para conseguir ver os mails desloquei-me à aldeia mais próxima onde um miúdo tem um “internet café”, com um único e velho computador que me parece estar livre a maior parte do tempo só que, estava há pouco mais de 20 minutos na Internet, prestes a mandar uma mensagem à minha filha, quando a eletricidade acabou na aldeia. O miúdo disse que às vezes era só durante 15 minutos mas como não regressou passada meia hora voltei ao Lodge e tento novamente amanhã.
Este Lodge, que pertence ao estado, não tem o “charme” daquele em que fiquei no Nepal mas pelo menos tem bons quartos e relativamente limpos, boas refeições e custa o equivalente a 25 euros por dia em pensão completa. Sou muito bem tratado e agora até me vieram perguntar se queria que levassem amanhã o pequeno almoço ao quarto. 


Hoje de manhã saí daquele Hotel de aldeia já a suar, mesmo depois do habitual duche frio matinal. Fora da zona montanhosa as temperaturas, nesta altura do ano, sobem até muito perto dos 40º. Continuei na mesma estrada que, ao aproximar-se da fronteira com a Índia, começava a ter muito movimento e, consequentemente, estava mais degradada mas nada com o que se possa comparar ao que encontrei mais tarde.
Passei a fronteira sem grandes problemas deixando para trás o Nepal que me seduziu, não pela confusão de Katmandu mas pelas gentes das aldeias de província, pela paisagem fabulosa e pela reserva animal que visitei com o divertido safari de elefante.
As pessoas são mais civilizadas que no norte da Índia, de um modo geral mais cultas e menos deslumbradas com a moto, por exemplo. Claro que paravam para ver mas perguntavam-me a cilindrada e não o preço, quanto atingia de velocidade e não quanto gastava.
Por outro lado não ligavam tanto Portugal aos jogadores de futebol, como em outros países (não na Índia que aí só têm olhos para o cricket) mas muitos sabiam onde ficava e vários me falaram em Lisboa, mesmo nunca tendo saído do seu país. Interessante também foi observar  bastante gente da classe media deles, como empregados de hotel, a jogarem xadrez.
Mas estava eu a passar a fronteira de regresso à Índia. Não há confusão possível, entro na bagunça mais à séria, principalmente porque a população por quilómetro quadrado é muito superior à do Nepal e logo, o lixo, o transito, os buracos na estrada e tudo o mais é a multiplicar. Até conseguir chegar a uma estrada em que se pudesse circular a mais de 20, 30 Km/h entre “rickshaws”, carroças, bicicletas, motos, vacas, etc. demorei mais de meia hora. Depois, quando pensava que iria percorrer os 200 Km que me separavam da fronteira com o Butão tranquilamente, apanhei 120 Km da pior estrada que alguma vez vi na vida. Foram 120 Km de buracos contínuos numa estrada que já foi de alcatrão mas agora é só terra e, mesmo numa prova de todo-o-terreno, seria considerada de muito mau piso. Indiscritível. Para agravar a situação, centenas de camiões a circularem nos dois sentidos e a ultrapassarem-se a 30 Km/h faziam daquela via um verdadeiro inferno, que se arrastou a tarde toda. Por duas vezes fui quase ao chão, apanhado de surpresa por enormes buracos quando seguia atrás de camiões e não os via. E não era possível afastar-me mais porque logo outro me ultrapassava. Outra vez, quando ia a passar um o condutor decidiu ultrapassar um outro e, como não têm retrovisores e ainda não me habituei à ideia de ir sempre a tocar a buzina, atirou-me para fora da estrada. Na berma, em terra inclinada, tive que travar forte para não passar por cima de um pastor deitado tranquilamente no meio daquela poeirada indiscritível.  
Quando começou a ficar noite parei no que me pareceu poder ser um Hotel mas era a quinta duma simpática família que me disseram logo para descansar um pouco e a irmã que se vê na fotografia foi buscar-me um chá e uma tosta que me souberam divinalmente. Convidaram-me para ficar a jantar mas não pude aceitar pois queria encontrar um hotel antes de anoitecer.
Parei na cidade seguinte. Foi o segundo inferno do dia. O melhor hotel desta cidade de província era tão ou pior que os piores que tenho encontrado. Só que aqui estava na Índia, numa cidade de província com uma população muito assinalável. Resultado: tive a sensação que toda a população tinha parado para vir ver a moto. Às tantas o gerente veio sugerir-me que a enfiasse num corredor que dava acesso ao Hotel e que, embora fosse aberto para a rua sempre era mais escondido. Não solucionou o problema. Começou a entrar gente e mais gente pelo corredor a querer ver a moto e subiam para o hotel para me verem a mim. O gerente mandou pôr uma capa por cima da moto mas tudo parecia que ainda os entusiasmava mais. Fechei-me no quarto e às tantas o homem veio chamar-me para a deslocar mais para a frente que estava a causar um pandemónio na entrada do Hotel. Quando lá cheguei abaixo assustei-me com a multidão.
Fui jantar ao restaurante do Hotel e os poucos clientes que tinham acesso ao local ficaram embasbacados a ver-me jantar. Dois deles, com as mesas quase todas livres, sentaram-se na mesa mesmo à minha frente os dois virados para mim. Passado um bocado o gerente do Hotel veio chamar-me porque tinha o chefe da polícia ao telefone. Perguntou-me quem eu era, o que se passava, de onde vinha e quando partia e qual a razão daquela confusão na cidade. Finalmente perguntou se precisava que mandasse alguém ou se queria guardar a moto na esquadra mas recusei ambas as soluções por me parecer que iriam agravar a situação.
Já tinha fugido para o quarto outra vez quando me bateram à porta. Quando abri entraram-me três pessoas pelo quarto dentro e outras 20 também queriam entrar. Um homem que me mostrou um cartão de jornalista disse que trabalhava para um jornal e televisão locais e queria entrevistar-me. Parecia que estava naquele filme do Woody Allen em que fabricam uma estrela sem qualquer razão e não a largam. Pedi para saírem e que já iria ter com ele ao restaurante mas com o máximo de mais três pessoas. Lá fui conceder a entrevista e depois pedir à multidão que se afastasse para tirarmos uma fotografias junto à moto. O homem agradeceu muito eu ter-lhe dado 15 minutos do meu tempo e que estava emocionado por ter estado a falar comigo. Tal qual o filme do Woody Allen. Ainda pensei que aparecesse alguém a dizer: “isto foi para os apanhados” antes de voltar a fugir para o quarto. O gerente garantiu-me que às onze horas fechavam as entradas para o corredor. Espero que a moto ainda tenha as peças todas amanhã.   

 

FESTA DA VELOCIDADE

 

Festa da Velocidade no Autódromo do Estoril

Taça de Portugal de Circuitos a 31 de Novembro e 1 de Dezembro

 

 

A grande festa de final de temporada da Velocidade Nacional vai ter lugar no Autódromo do Estoril a 30 de Novembro e 1 de Dezembro com a realização da Taça de Portugal de Circuitos que englobará a categoria GT e Clássicos. Uma jornada única com a realização de três corridas 'sprint' que vai colocar a prova pilotos e equipas.

 

Depois de um ano atípico, este será o evento certo para o veredicto final. Um fim-de-semana que se quer competitivo, com grelhas cheias e onde a animação estará garantida.

 

Para os promotores desta grande festa o objetivo é claro: "A Velocidade Nacional tem tudo para ser um Campeonato de sucesso. Pensamos que este evento, com a participação e envolvimento de todos, poderá ser um único. Temos muitos carros em Portugal e muitos pilotos com qualidade para fazerem destas três corridas, as corridas do ano. Será um fim-de-semana de consagração. A disputa da Taça será a melhor forma de terminar 2013 e de pensar 2014", referiram os responsáveis da Full Eventos.Supercars

 

DUNLOP CONQUISTA VITÓRIA

 

DUNLOP CONQUISTA UMA VITÓRIA, DOIS TÍTULOS E TRÊS PÓDIOS NO CAMPEONATO DO MUNDO DE RESISTÊNCIA DE FIM

 

 

  • A Sukuki Endurance Racing Team assegurou o seu 13º título.
  • As equipas 18 Sapeurs-Pompiers, R2CL, SERT e Honda TT Legends utilizaram o novo perfil de pneu traseiro que resistiu dois turnos na prova.

 

O título do Campeonato do Mundo de Resistência de FIM (EWC) foi decidido às 15:00 de domingo quando se baixou a bandeira aos quadrados depois das 24 Horas de Le Mans. A Suzuki Endurance Racing Team (SERT) assegurou o seu 13º título enquanto a Motors Events April Moto se tornou no vencedor da Taça do Mundo de Resistência de 2013.


A prova esteve repleta de altos e baixos com Vincent Philippe na moto SERT nº1 a sofrer uma queda precoce colocando a equipa na posição 49. Posteriores problemas no radiador e no motor complicaram as oportunidades de conquistar o pódio, ainda assim, com um motor reconstruído em metade da prova, a equipa terminou na 12ª posição na sua categoria, pelo que os pontos conseguidos foram suficientes para colocá-lo acima da moto da Yamaha France que era a única que poderia arrebatar o título nos últimos compassos da prova.

 

A equipa R2CL, com pneus Dunlop, teve uma prova excelente e desde muito cedo posicionou-se na luta pelo pódio. A equipa terminou na segunda posição da geral. Os pilotos Dylan Buisson e Gwen Giabbani uniram-se ao piloto de prova Guy Martin que recebeu o testemunho para a equipa francesa. Com o segundo lugar os pontos arrecadados fizeram a equipa R2CL subir ao quarto lugar do Campeonato.

Por sua vez, o quarto lugar na prova foi para a equipa 18 Sapeurs-Pompiers, formada por bombeiros. A equipa utilizou o novo perfil do pneu traseiro Dunlop tal com a R2CL, SERT e Honda TT Legends. Como se esperava, o pneu foi capaz de aguentar dois turnos em prova sem problemas e com bons comentários por parte dos pilotos.

Os pilotos Dunlop asseguraram os três primeiros postos do Campeonato na categoria Superstock. Motors Events April Moto finalizou a prova como quinta na geral e primeira na categoria levando o título, seguida pela equipa Júnior LMS Suzuki em segundo lugar na prova e no Campeonato. Apesar de retirar-se da prova devido a um problema na caixa de mudanças, o anterior líder das classificações, Penz13.com da equipa Franks Autowelt Racing, já havia conseguido suficientes pontos para conquistar o terceiro posto do ano.

A prova teve uma elevada taxa de desistências. Apenas 35 dos 56 pilotos que começaram a prova aguentaram as 24 horas. Os abandonos incluíram a equipa Honda TT Legends depois de um acidente grave na sexta hora. Simon Andrews era terceiro até ao momento em que se viu envolvido num acidente múltiplo. Sofreu várias lesões e está no hospital.

 

 

 

 

“Sabíamos que se a SERT se mantivesse afastada de problemas, o título seria seu mas tal não aconteceu. A equipa lutou de forma admirável para manter a moto depois do acidente e não desistiu de tentar alcançar a vitória. A resistência nunca é fácil e eles são dignos vencedores do título. Foi fantástico ver a equipa R2CL no pódio após uma grande prova e sem grandes incidentes para eles”, adianta Peter Chapman, coordenador da Dunlop no EWC.

 

“Estamos satisfeitos com o rendimento do novo pneu traseiro que deu tudo o que esperávamos dele. Conseguir os três primeiros postos da categoria Superstock da Taça do Mundo de Resistência e que dois deles tenham terminado a prova entre os seis primeiros da geral é excelente. Foi bom ver a equipa da Honda na disputa pelo pódio e os nossos pensamentos estão com Simon Andrews. Todos nós na Dunlop desejamos-lhe uma rápida recuperação”, conclui.

 

Acerca de Dunlop

A Dunlop é um dos maiores fabricantes de pneus para motos com um impressionante currículo de sucessos no motociclismo. A vasta experiência competitiva da Dunlop proporcionou o desenvolvimento de tecnologias inovadoras para pneus concebidos para o uso no dia-a-dia. Sempre com o objetivo de transmitir total confiança aos motociclistas, a Dunlop oferece a todos os tipos de motociclistas o desempenho e a durabilidade das mais recentes tecnologias de pneus. Em 2013 celebra-se o 125º aniversário da Dunlop e a criação do pneu pela mão do nosso fundador.

Muitos dos principais fabricantes de motociclos e scooters, incluindo KTM, Triumph, Honda, Kawasaki, Suzuki e Yamaha, aplicam produtos Dunlop de origem.

 

Para mais informações sobre a Dunlop visite www.dunlop.pt, a página do Twitter ou do Facebook.

 1497 _22092013_24_H_DU_MANS1598 _22092013_24_H_DU_MANS

 

DESAFIO A MIGUEL OLIVEIRA

 

Miguel Oliveira apela à participação em causa de solidariedade



Desafio lançado surpreende o piloto Português



81069885 554455544611694_902082219_nMO 27Uma semana depois da oficialização da parceria de Miguel Oliveira com a Associação Almadense Rumo ao Futuro (AARF), as respostas ao desafio lançado pelo piloto português foram recolhidas. O jovem piloto apela agora a que todos os interessados em ajudar escolham o novo design do capacete que usará na última corrida do campeonato, na página oficial do piloto Miguel Oliveira#44 Oficial Page, que posteriormente será leiloado.

Para o jovem da Charneca de Caparica foi uma surpresa a quantidade de desenhos reunidos que superaram muito as expectativas iniciais, revelando a vontade de participação destas pessoas e a importância que este tipo de iniciativas de solidariedade e inclusão têm. À sua maneira, cada utente se exprimiu como foi capaz, dificultando uma seleção que ilustra os diferentes tipos de deficiências e histórias de vida, às quais o piloto não fica indiferente.

De partida para Aragão, depois de dois dias de testes no circuito de Alcarrás, Miguel Oliveira confessa-se muito entusiasmado com este projeto, que irá definir a imagem do capacete com que se irá apresentar na última corrida da época, representando Portugal de uma forma muito pessoal, como único piloto luso no Campeonato do Mundo de Moto GP. "Devido às limitações destas pessoas, nunca esperei uma interacção tão grande. Isto revela o quão importante é terem algo diferente no seu dia-a-dia. Foi muito difícil eleger estes desenhos. Cada um deles representa a imaginação, o estado de espírito e o sonho de cada um, sem esquecer as suas diferentes limitações. Um destes desenhos vai ser usado no meu capacete, e conto com a vossa ajuda para eleição", refere.

Relativamente às 115 voltas efectuadas nos últimos dois dias de testes em Espanha, o piloto revela “ Testámos novas soluções no chassis e no motor com o objectivo de recolher o máximo possível de informação, que agora os engenheiros vão analisar e comparar. As sensações foram positivas, pelo que no próximo fim-de-semana espero poder utilizar algumas alterações.” 

O GP de Aragão é último da Europa antes da caravana partir para a ronda asiática, sendo que como habitual os treinos livres começam já na 6ª feira pelas 08:00 da manhã.

 

LOPES QUER VITÓRIA

 

Baja TT Proença-Oleiros

7 e 8 de Setembro

Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno 2013

 

João Lopes vai lutar pela vitória em Idanha

Polaris RZR do campeão totalmente recuperado

Luís Caseiro e Valter Martins completam formação do JL Racing

 

O Campeão Nacional João Lopes, acompanhado de Bruno Santos, apresenta-se a partir de 6ª feira em Idanha-a-Nova para disputar a 6ª jornada do Campeonato Nacional de Todo-o-Terreno 2013, a Baja TT Idanha-a-Nova. Aos comandos de um Polaris Ranger RZR XP de chassis longo, o piloto de Torres Vedras e da equipa JL Racing, que já averbou duas vitórias nas cinco provas disputadas esta temporada, quer regressar aos triunfos, depois do revés que foi a sua primeira desistência desde que se transferiu para esta nova disciplina do TT no início de 2012, ocorrida há três semanas em Proença-a-Nova.

 

“Trabalhámos muito ao longo destas três semanas para nos podermos apresentar nesta prova na máxima força e discutirmos a vitória. É uma prova com um traçado interessante onde tudo faremos para superar o momento de pouca sorte que tivemos na anterior corrida, salientou João Lopes o piloto da JL Racing.

 

Na Baja TT Idanha-a-Nova a equipa JL Racing inscreve ainda a dupla Valter Martins/Bruno Alvarinhas e o piloto conimbricense Luís Caseiro, ambos aos comandos de Polaris XP900. A prova arranca na 6ª feira com uma super-especial de 9,04 km de extensão para, no Sábado, serem disputados dois sectores seletivos, o primeiro com uma extensão de 162,5 km e o derradeira tendo 62,09 m.Joo Lopes_com_Bruno_Santos

 

ATENÇÃO CONDUTORES

 

Construção do Nó de Soure (A1)

 

Entre 30 de Setembro e 5 de Outubro


A Brisa Concessão Rodoviária informa que, na sequência das obras de construção do Nó de Soure no sublanço Pombal/Condeixa, da A1 – Auto-estrada do Norte, serão implementados os seguintes condicionamentos de trânsito:

De 30 (segunda-feira) de Setembro para 1 (terça-feira) de Outubro

Entre as 10h00 e as 18h00, corte de via direita, no sentido sul/norte, entre os km’s 167,8 e 169,7

Entre as 18h00 e as 24h00, corte de via esquerda, no sentido sul/norte, entre os km’s 167,8 e 169,7

Entre 1 (terça-feira) e 5 (sábado) de Outubro

Entre as 0h00 de dia 1 e as 24h00 de dia 5, condicionamento de via esquerda, no sentido sul/norte, entre os km’s 167,8 e 169,7

A Brisa agradece antecipadamente a compreensão e colaboração dos automobilistas e espera contribuir para reduzir eventuais inconvenientes decorrentes desta operação.

 

Para informação actualizada poderá ainda consultar o site www.brisa.pt.

 

ATENÇÃO CONDUTORES

 

Beneficiação do pavimento no sublanço Coimbra Sul/Coimbra Norte (A1)

 

A 26 e 27 de Setembro


A Brisa Concessão Rodoviária informa que estão em curso as obras de beneficiação do sublanço Coimbra Sul / Coimbra Norte da A1 – Auto-estrada do Norte.

Na sequência destes trabalhos, realizados em período nocturno (entre as 21h00 e as 7h00) de forma a minimizar os impactes para os automobilistas, serão implementados os seguintes condicionamentos de trânsito:

De 26 (quinta-feira) para 27 (sexta-feira) de Setembro

Corte de via direita, no sentido norte/sul, entre os km’s 192,7 e 191,6

 

De 27 (sexta-feira) para 28 (sábado) de Setembro

Corte de via direita, no sentido norte/sul, entre os km’s 192,7 e 191,6

 

A Brisa agradece antecipadamente a compreensão e colaboração dos automobilistas e espera contribuir para reduzir eventuais inconvenientes decorrentes desta operação.

 

Para informação actualizada poderá ainda consultar o site www.brisa.pt.

 

NOTICIAS DO BRASIL

 

Campeonato Brasileiro de Endurance tem calendário alterado

Por conta de um pedido da Federação Paranaense de Automobilismo, etapa que seria disputada em Cascavel foi cancelada

A Confederação Brasileira de Automobilismo anunciou na manhã desta quarta-feira (25) uma mudança no calendário do Campeonato Brasileiro de Endurance. A etapa de Cascavel (PR), que aconteceria no autódromo Zilmar Beux, foi cancelada a pedido da Federação Paranaense de Automobilismo (FPrA). De acordo com a entidade estadual, não havia possibilidade de o local receber a prova do torneio nacional de corridas de longa duração nesta data.

Com a alteração, o Campeonato Brasileiro de Endurance passa a ter apenas mais duas provas, uma no autódromo Nelson Luiz Barro, em Guaporé (RS), em 27 de outubro, e outra em Viamão (RS), no dia 15 de dezembro, dentro da programação das 12 Horas de Tarumã.
 

GRANCHA QUER SER VICE CAMPEÃO

Pedro Grancha quer ser vice-campeão

  • Dupla Pedro Grancha/Inês Ponte em busca do 5º pódio consecutivo
  • Piloto de Cascais ocupa 2º lugar no Campeonato

 

Depois de, na Baja TT Proença-Oleiros terem reassumido o 2º lugar da classificação absoluta do Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno, o piloto Pedro Grancha e a sua navegadora Inês Ponte irão participar, no próximo fim-de-semana, na Baja TT Idanha-a-Nova, competição onde estão apostados em conquistar o 5º pódio consecutivo desta temporada.

 

Nesta prova organizada pela Escuderia de Castelo Branco a dupla irá ostentar o nº 2 no BMW Evo X1 inscrito pela equipa PMG Motorsport e Pedro Grancha assume que o seu grande objectivo é, a partir de agora, conquistar o vice-campeonato. O facto de o título já ter sido atribuído quando ainda faltam disputar duas provas não parece todavia, ao piloto de Cascais, ser muito dignificante para a imagem do campeonato.

 

“Fomos ao pódio em todas as quatro provas já disputadas e apesar de em todas elas o vencedor ter sido o mesmo, não me parece equilibrado ver o título atribuído após 2/3 do campeonato. Apesar desta incongruência desportiva, vamos trabalhar para manter o nosso nível competitivo e conseguir mais um lugar no pódio”, salienta Pedro Grancha.

 

A Baja TT Idanha-a-Nova arranca na 6ª feira com uma dupla passagem por uma super-especial com 9,04 km de extensão para, no Sábado, ser disputado um sector seletivo com uma distância total de 325 kms.

 Outras informações sobre a prova em www.escuderiacastelobranco.pt Pedro Grancha_BMW_X1Pedro Grancha_em_2_do_CampeonatoPedro Grancha_e_Ins_Ponte

 

WIDGET SEAT LEON

WIDGET SEAT LEON

 

 

 

 

O widget que criámos permite ver o SEAT Leon ST em 360º.

Pode encontrar o widget em: http://leonstwidget.seat.pt/LeonST/pt/ e aí também encontrará o código para incluir o widget no seu blog.

 

TOYOTA NA 2ª POSIÇÃO

 

Toyota Racing termina no 2º lugar na estreia das 6h no Circuito das Américas em Austin

FIA WEC 2013 – TOYOTA Racing - 6h do Circuito das Américas

Toyota Racing termina no 2º lugar na estreia das 6h no Circuito das Américas em Austin

A Toyota Racing lutou pela vitória ao longo das 6h do Circuito das Américas, terminando na segunda posição, na 5ª ronda do Campeonato Mundial de Endurance FIA.

O TS030 Hybrid #8 conseguiu o terceiro pódio da época depois de uma disputa afincada pela liderança da corrida proporcionada por Anthony Davidson, Sébastien Buemi e Stéphane Sarrazin.

Depois de 6h de corrida na qual se verificou sempre temperaturas altas, o carro #8 terminou a apenas 23.617 segundos do vencedor.
  
Sébastien iniciou a corrida partindo do terceiro posto e, logo após um período de 15 minutor de safety car, conseguiu subir uma posição. Com a conquista da segunda posição, iniciou-se uma luta muito próxima com o Audi #1 até à primeira paragem nas boxes.

Após um acidente que danificou o carro #1, Sébastien focou-se na liderança e na diferente estratégia adotada pelo Audi #2.

O TS030 hybrid conseguiu uma excelente performance ao longo de dois turnos de condução apesar de manter o mesmo jogo de pneus. Este facto combinado com as paragens rápidas permitiu reduzir o tempo de gasto nas boxes do carro #8.

Com uma estratégia bem definida e bem sucedida permitiu a troca de pilotos, entre Sébastien e o Stéphane, manter a liderança na corrida quando estavam percorridos 1/3 da corrida, situação que se manteve até meio.

Anthony, no dia em que foi pai pela segunda vez após o nascimento da sua filha, tomou os comandos do TS030 #8 para um único turno de condução.

De volta ao volante, Sébastien teve de imprimir um ritmo bastante rápido numas condições extremamente exigentes de elevadas temperaturas.

Depois de um esforço épico, o Sébastien trocou com Stéphane para o curto turno de condução terminando na segunda posição.

A próxima ronda é a corrida de casa da Toyota Racing, com a realização das 6h de Fuji, a 20 de Outubro, no qual a equipa vai ter dois carros a participar; com o TS030 Hybrid #7 a competir com os pilotos Alex Wurz, Nicolas Lapierre e Kazuki Nakajima.

TS030 HYBRID #8   
• Anthony Davidson
• Stéphane Sarrazin
• Sébastien Buemi

Corrida:   2º lugar (+23,617 seg); 187 voltas
Paragens na boxe:  7
Volta mais rápida:  1:48.745 segundos

Yoshiaki Kinoshita, Diretor de equipa: “Foi uma corrida bem disputada; ninguém conseguia prever quem iria vencer até a última paragem nas boxes. O nosso carro esteve muito bem, especialmente durante as 3 primeiras horas de corrida, com um equilíbrio perfeito. Um dos pontos negativos neste circuito e que apenas temos 4 pontos de recuperação de energia contra os 5 que havia no Brasil. De certa forma acabou por nos limitar, pois a potência extra do sistema híbrido é um dos nossos trunfos. Nesta corrida foi a primeira vez que podemos ver a performance com o nosso conjunto aerodinâmico de elevada carga. Estamos muito satisfeitos por ser muito competitivo. O meu agradecimento a equipa de pilotos, realizaram um trabalho incrível, pois as temperaturas atingidas no interior do carro dificultaram a tarefa!”.

Fotos para utilização editorial em: www.toyotahybridracing.com.

Acerca da TOYOTA Racing no Campeonato Mundial de Endurance FIA

A Toyota participou pela primeira vez no Campeonato Mundial de Endurance FIA em 1983, iniciando a longa participação em corridas de resistência, incluindo as 24 horas de Le Mans. A Toyota participou em 14 edições das 24 horas, com um total de 38 carros. Em 2012, a Toyota regressou às corridas de resistência, participando no Campeonato Mundial de Endurance FIA com um veículo hibrido desenvolvido para a categoria LMP1, o TS 030 HYBRID.
Este carro venceu a primeira corrida nas 6h de São Paulo em Setembro, na sua 3ª corrida realizada e continuou o sucesso ao longo de 3 das 6 corridas realizadas. O chassis, alterado para a época 2013, foi desenvolvido pela TOYOTA Motorsport GmbH (TMG), onde a equipa tem a sua sede. A TMG foi a base da equipa dos projetos TOYOTA’s World Rally e Formula 1 e foi responsável pelo desenho e desenvolvimento do carro para Le Mans Toyota TS020 (GT-One) que competiu em 1998-99.
Atualmente a TMG combina a participação e desenvolvimento de projetos no desporto automóvel, assim como a consultadoria em engenharia e fornecimento de serviços a empresas externas, ou a parceiros da Toyota.tjm1322se211tjm1322se301tjm1322se307

 

RALI ALÉM MAR - AÇORES

 

Rali Além Mar - Ilha Lilás > ANTEVISÃO

 

Moniz, Nóbrega, Cintra e Fontes compõem a "armada" ACB Racing no ataque ao Ilha Lilás

A ACB Racing volta a marcar uma presença forte no Rali Ilha Lilás que vai para as estradas da ilha Terceira já a partir da próxima sexta feira.

Henrique Moniz lidera o campeonato das duas rodas motrizes e pretende sair da Terceira com a sua posição consolidada.

"Estamos muito entusiasmados por voltar a correr na Ilha Terceira onde tentaremos, como sempre, fazer o nosso melhor" afirma o piloto cujo objetivo passa "por tentar vencer a competição reservada aos veículos de 2 rodas motrizes".

Henrique Moniz e Jorge Dinis estão cientes das capacidades dos adversários, "mas esta é a nossa postura e tudo faremos para concretizar os nossos objectivos", revela o piloto do Citroen C2 R2 Max. "Iremos, com certeza, premiar o público terceirense, que tanto nos tem apoiado, com muito espectáculo".

Henrique Moniz aproveita ainda para "agradecer a todos os nossos patrocinadores, à HM Sport e à ACB Racing que têm sido incansáveis com a nossa equipa", terminando com um sintomático "vamos à luta!!!".

 

Paulo Nóbrega e Miguel Ângelo regressam, com o Mitsubishi Lancer EVO VI a um rali "de onde temos conseguido trazer excelentes resultados", lembra o piloto do Faial. "Temos ótimas recordações das nossas duas últimas participações, nas quais obtivemos dois primeiros lugares no Open. A edição deste ano conta com um traçado novo e desconhecido para nós, o que nos trará novos desafios que vamos enfrentar com a mesma vontade de andar depressa e tentar oferecer o máximo de espetáculo ao público terceirense que nos acolhe sempre muito bem".

Paulo Nóbrega e Miguel Ângelo estão parados desde o Rali da Madalena, em julho, e por isso vão "tentar retomar rapidamente o ritmo" de maneira a "lutar para vencer a classe e subir o máximo possível na classificação geral".

 

Nuno Cintra e Miguel Soares apresentam-se no Lilás sem novidades na mecânica do Renault Clio R3. Cintra tentou fazer "evoluir a caixa introduzindo um autoblocante e alterando a relação de modo a que fique mais curta, mas infelizmente tal não ficou pronto a tempo do Lilás". O piloto realça a  "forte oposição" que vai enfrentar, tanto na fórmula como na classe e alerta o público para a "excelente oportunidade que esta edição do Lilás proporciona para se apreciar 3 evoluções diferentes do Clio R3 em competição".

 

Outro dos pilotos que estará com a ACB Racing é Fábio Fontes que faz dupla com Jorge Pereira no habitual Citroen Saxo 1.4. O piloto terceirense parte para o Ilha Lilás na segunda posição do Campeonato dos Açores VSH 2 Rodas Motrizes, e com o intuito de lutar pelo título. Fábio Fontes tem ainda como objetivo andar o máximo e dignificar os patrocinadores que o apoiam. Mais uma vez, o jovem piloto terceirense terá na ACB Racing uma grande ajuda para a concretização dos seus objectivos. "Sem o apoio de uma grande equipa de assistência está visto que não é possível que as coisas corram bem".

 

António Castelo Branco, o líder da ACB Racing já tem tudo pronto para que pilotos e navegadores possam enfrentar o Lilás sem outras preocupações que não sejam as de condução. "A máquina está muito afinada e como tal temos confiança que vai tudo correr dentro da normalidade e profissionalismo a que os nossos clientes já se habituaram", afirma o homem forte da ACB Racing. "Volto a estar muito satisfeito por poder contribuir no sentido de dar uma imagem positiva desta modalidade e por continuar a contar com a ajuda de parceiros fabulosos que permitem, por exemplo, que continuemos a promover passatempos e a levar adeptos dos ralis a visitarem outras ilhas para verem as provas do Campeonato dos Açores. Desta vez está connosco o André Silva que vem do Faial para ver este Lilás. Também é com iniciativas deste género que se faz com que os ralis andem para a frente" acentua António Castelo Branco que prepara já outras novidades para serem apresentadas muito em breve.

 Fbio-Fontes

 

RECORDAR VC POWER

RECORDAR É VIVER

 

 

Estas imagens já têm uns anos e referem-se à participação de Manuel Pedro Fvc1vc2vc3vcpowerernandes no Campeonato de Velocidade ao volante do BMW 320 diesel.

 

PRÉMIOS SLOT

GALERIOA DE IMAGENS

 

ENTREGA DE PRÉMIOS SLOT CLUBE DO PORTO

 

 

Conjunto de imagens refernete á entrega de prémios no Slot Clube do Porto.scp1scp2scp3scp5scp6scp7

 

 

Fotos de Paula Guimarães - www.velocidadeonline.com

 

JET SKI NO BRASIL

 

ANDRÉ MARTINS TREINA FORTE PARA O

15º JET WAVES WORLD CHAMPIONSHIP

O catarinense de Florianópolis tem muita experiência neste tipo de competição e quer mostrar um bom desempenho, na praia do Iró, em Laguna (SC).

 

O catarinense André Martins vem treinando forte para a disputa do 15º Jet Waves World Championship (campeonato de manobras com jet ski nas ondas). A competição, que também é válida pela terceira e última etapa do circuito mundial, será realizada de 25 a 27 de outubro, na praia do Iró, em Laguna, no litoral de Santa Catarina.

O piloto de Florianópolis está otimista para este 15º Jet Waves World Championship. “O treinamento está forte e intenso, porque espero ter um bom desempenho e terminar bem classificado. Também tenho uma casa em Tubarão, por isso, costumo treinar em Laguna, que é próxima. Conheço bem o local onde será a competição, as condições de mar e acredito que isso poderá me ajudar muito. Vou torcer para que as ondas estejam grandes, porque meu estilo é de surf e, consequentemente meu desempenho é melhor. Sei que também que tenho de fazer boas manobras aéreas, pois valem 50% da nota os outros 50% são para o surf”, argumentou o catarinense.

Martins competirá com o mesmo equipamento de 2012, quando ficou entre os cinco primeiros da etapa brasileira. Adiantou que um novo equipamento está sendo preparado, porém, não sabe se estreará neste 15º Jet Waves World Championship. Na temporada passada, o piloto de Santa Catarina participou de todas as etapas do circuito mundial, realizadas em Portugal, França, Estados Unidos e Brasil, terminando entre os 20 primeiros.

A programação do 15º Jet Waves World Championship tem início no dia 25 de outubro com inscrições e treinos livres no período das 8 às 11h30. Às 11 horas será realizada a reunião com os pilotos. Às 11h30 haverá a solenidade de abertura. Às 13 horas começa a pré classificatória e às 15 horas as disputas das baterias de consolação No dia 26 a movimentação tem início às 9h30 com a reunião dos pilotos. Às 10 horas está prevista a classificatória e às 11h30 a última chance. Ás 14 horas começarão as disputas das oitavas de finais. Às 15h30 está previsto o Best Jump.

No dia 27 às 10 horas, será realizada a reunião com os pilotos. Às 10h30 tem início as quartas de finais e às 11h30, as semifinais. Às 13h30, está marcada a final do Best jump. A disputa do terceiro lugar está prevista para as 14h30 e a decisão do título acontecerá às 15h30 e em seguida a premiação.

REGULAMENTO

De acordo com o regulamento, no 15º Jet Waves World Championship as baterias são disputadas homem a homem, permitindo que a avaliação dos juízes reflita as mudanças da condição do mar e aprimore o entendimento por parte do público e da mídia.  Ainda de acordo com o regulamento, 50% das notas são dadas para as manobras aéreas e outros 50% para o surf.

O sistema de chaves foi desenvolvido para até 20 pilotos. Caso esse número seja ultrapassado, uma fase de pré-qualificação irá determinar os pilotos que irão compor as chaves. Os 8 pilotos presentes melhor classificados no ranking da International FreeRide WaterCraft Association (IFWA) não competem na fase de pré-qualificação e avançam automaticamente para as chaves.

Havendo fase de pré qualificação, pilotos competem em baterias de 6 a 10 minutos (2 pilotos por bateria). As 10 maiores pontuações juntamente com 2 convidados “wilcards” (determinados pelo júri da IFWA) avançam para as chaves. Havendo tempo, os pilotos que avançarem para as chaves continuam em uma fase de consolação.  

O 15º Jet Waves World Championship é uma parceria entre a Prefeitura Municipal de Laguna e a FER (Federação de Esportes Radicais), com apoio da Revista Nautica e Nautica Sul, Triefe promoções, ProNáutica Jet Ski, FlyBoard Oficial Brasil, Acatmar, e sancionado pela IFWA (International FreeRide WaterCraft Association).


andr martins_2
 

CAMPANHA RETA

 

Oferta de desconto de 10%

RETA lança campanha de troca de tetos de semirreboques

 

Até 30 de novembro, a Reta – Serviços Técnicos e Rent-a-cargo S.A. oferece um desconto de 10% na troca de tetos de semirreboques de lonas. A campanha, intitulada “Este Inverno não meta água”, é valida nos Centros de Assistência Técnica do Carregado, Perafita e Vila Nova de Gaia.

 

Após o sucesso da campanha lançada em 2012, a Reta volta a apostar nesta área como forma de prevenir os transportadores para acautelar os danos que os ventos e as chuvas do Outono e Inverno podem provocar nos transportes de mercadorias, evitando custos desnecessários e tempos de paralisação não programados.

 

Nesta campanha o desconto é efetuado sobre o preço final e inclui material e mão-de-obra, para as trocas efetuadas nos Centros de Assistência Técnica do Carregado, Perafita e Vila Nova de Gaia.

 

Uma vez mais a Reta antecipa soluções e procura satisfazer as necessidades dos clientes e garante a qualidade do serviço prestado.

 

Sobre a Reta

O core business da Reta compreende a manutenção e reparação, venda e aluguer de semirreboques e aluguer de curta duração de tratores. A empresa conta com uma rede de Centros de Assistência Técnica, estrategicamente localizados e com boas acessibilidades, nas localidades do Carregado, Vila Nova de Gaia e Perafita.

 

Campanha Tetos
 

PASSATEMPO ENI - RUSH

 

 Passatempo - Filme RUSH

A EPassatempo RUSHni em parceria com a Zon Lusomundo está a publicitar o filme RUSH – Duelo de Rivais.

 

Aproveitando esse facto, estamos a promover um passatempo no Facebook onde se pretende oferecer convites para a antestreia do filme no Porto e Lisboa.

 

Poderá ver o passatempo em:

 

https://www.facebook.com/photo.php?fbid=632238683465510&;set=a.417019718320742.91488.416732518349462&type=1&theater
 

NUNO MATOS DE REGRESSO

 

Nuno Matos regressa ao palco onde se estreou a vencer à geral no Campeonato de Portugal de TTNuno Matos_Filipe_Serra_01Nuno Matos_Filipe_Serra_01_2
Após o inglório desfecho de há três semanas na Baja Proença-Oleiros, Nuno Matos e Filipe Serra estão de regresso à Beira Baixa e à prova onde festejaram, há exatamente dois anos, a sua primeira vitória à geral no Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno (CPTT).
Antecipada para sexta-feira e sábado, devido às Eleições Autárquicas do próximo domingo, a Baja TT Idanha-a-Nova constitui a quinta e penúltima jornada do ano e a segunda consecutiva com o selo organizativo da Escuderia de Castelo Branco.
Já com o principal título decidido desde a última prova, Nuno Matos e Filipe Serra encaram esta segunda deslocação do ano à Beira Baixa com natural expetativa, até em face dos resultados aqui alcançados nas últimas edições (venceram em 2011 e foram terceiros em 2012), embora sem esconderem, também, alguma apreensão pela resolução tardia do problema que ditou o seu abandono em Proença-a-Nova.
“A seguir a Portalegre, esta é uma das minhas provas preferidas em todo o calendário, já que foi precisamente aqui que me estreei a vencer no Campeonato português há dois anos, então ainda com o Opel Astra. Em circunstâncias normais, deveríamos estar bastante otimistas e confiantes à entrada para esta jornada, cujo traçado muito aprecio... Mas a verdade é que não conseguimos preparar da melhor forma esta prova! O facto de termos partido o veio primário da caixa de velocidades na anterior Baja complicou tudo, de tal forma que só deveremos ter o carro totalmente pronto no dia anterior à partida”, explica Nuno Matos.
“Sabíamos que o calendário iria ser apertado, mas fomos surpreendidos por um problema logístico no envio das peças desde França… Neste momento, não temos ainda o veio primário em Portugal, pelo que estamos já a preparar uma solução de recurso que nos permita estar à partida desta prova”, revelou o piloto de Portalegre.
Nesse contexto, Nuno Matos prefere ser algo mais cauteloso na hora de estabelecer um objetivo mais ambicioso: “Apesar de termos tido alguns azares este ano, acho que já provamos o enorme potencial deste projeto. Apontar a um pódio seria o meu objetivo natural, mas face a todas as condicionantes já referidas, o meu principal objetivo é mesmo conseguir estar à partida com o carro em perfeitas condições. A partir daí, vamos definindo metas”, resume Nuno Matos.
Juntando automóveis, motos, quads e buggies, a Baja TT Idanha-a-Nova será disputado ao longo de 343 km, nos quais estão incluídos uma dupla passagem pela Super Especial, a realizar na tarde de sexta-feira, e um Setor
Seletivo único com 325 km, a percorrer na tarde de sábado. A chegada dos concorrentes ao final está prevista para cerca das 18h00.
PROGRAMA
Sexta-feira, 27 de setembro
10h00/14h00 – Verificações Administrativas (Escola Superior de Gestão)
10h30/12h30 – Reconhecimento da Super Especial
10h30/14h30 – Verificações Técnicas (Parque de Feiras)
16h10 – Partida do Pódio (Praça do Município) para a Super Especial
16h30 – Partida para a 1ª Super Especial (9,04 km)
17h50 – Partida para a 2ª Super Especial (9,04 km)
19h45 – Conferência de Imprensa (Escola Superior de Gestão)
Sábado, 28 de setembro
12h25 – Partida do Pódio (Praça do Município) para a 2ª Etapa
12h45 – Partida para o Setor Seletivo (325,02 km)
18h00 – Chegada prevista ao final do Setor Seletivo
19h30 – Cerimónia do Pódio (Praça do Município)

 

GALERIA DE IMAGENS

GALERIA DE IMAGENS

 

 

ALMS NOS ESTADOS UNIDOS

 

 

MaisCircuit-des-Ameriques-6-02113809-119 hdprot1prot2prot3prot4prot5prot6prot7 pequeno grupo de imagens relativas á prova do passado fim de semana disputada nos Estados Unidos, com a vitória da Audi.

 

MARTINE PEREIRA DE PORSCHE NA PENHA

 

CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA

 

RAMPA DA PENHA 2

 

MARTINE PEREIRA DE PORSCHE NA RAMPA DA PENHA

martinex1

Martine Pereira vai alinhar já este fim de semana na derradeira prova do Nacional de Montanha, não ao volante do seu Alfa Romeo mas sim ao volante do Porsche GT 4.Sobre esta mudança o piloto de Famalicão explicou-nos a razão “ tenho três carros para a Montanha, e já tinha saudades de conduzir o Porsche. Como não foi alugado para esta prova, o que tem sucedido em provas anteriores, optei por me inscrever com este carro”.

 

Sobre o Alfa Romeo,” também vai para a rampa, mas vai estar exposto no pavilhão Multiusos de Guimarães, pois assim é uma oportunidade das pessoas verem este carro mais de perto”.

 

GALERIA DE IMAGENS

GALERIA DE IMAGENS

 

Grupo de imagens referentes ao espaço que a Masmas1mas2mas3mas4mas5mas6mas7mas8mas9mas10mas11mas12mas14erati teve no salão de Frankfurt.

 

ACÇÃO MARTINSSPEED

ACÇÃO MARTINSSPEED

 

Solicitado por uma força politica em Vila Real, Luis Martisn e as Martinsspeed, juntaram-se a uma iniciativa para trazer as corridas de regresso à capital transmontana, na qual tiveram nestes dias à noite, num precurso junto das boxes e das antigas bancadas, o Seat Leon de Joaquim Teixeira,, o Juno CN 09 com Luis Martins ao volante, o Ford Escort com Victor Martins e finalmente o Westfield, que serviu para mostrar a alguns dos presentes o que são verdadeiras  emoções.Para além disso, estiveram também presentes quatro kart conduzidos por Daniel Azevedo, Carlos Relvas, Luis e Filipe.

 

lui1lui2lui3lui4lui5lui6lui7lui8lui9lui10lui11lui12lui14lui15lui16

Fotos de Luis Martins - www.velocidadeonline.com

 

FPAK VAI VERIFICAR FACTOS OCORRIDOS EM BRAGA

 

FPAK VAI VERIFICAR FACTOS OCORRIDOS EM BRAGA

 

FOX 7562

 

 


Na sequência dos factos ocorridos na última prova do Campeonato
de Portugal de Circuitos – 61º Circuito Automóvel CAM III – que
teve lugar nos dias 14 e 15 de Setembro de 2013, informamos que,
após recepção dos relatórios dos Oficiais de Prova e de um membro
da actual Direcção, entendeu esta enviar este processo para a devida
apreciação do Conselho de Disciplina da FPAK

 

FPAK MANTÉM ESTATUTO DE UTILIDADE PÚBLICA

 

ESTATUTO DE UTILIDADE PÚBLICA

 


É com grande prazer que damos a conhecer o despacho de S. Exa. O Ministro
da Presidência e dos Assuntos Parlamentares, que declara o Estatuto de
Utilidade Pública à FPAK:

 


Despacho


Declaração de Utilidade Pública

 


A Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting, pessoa coletiva de direito privado n.º
503256870, com sede em Lisboa, presta, desde 1994, relevantes e continuados serviços à
comunidade onde se insere através da promoção e da regulamentação do automobilismo e do
karting. Na prossecução dosseusfins, coopera com o Instituto Português do Desporto e Juventude,
sendo detentora do estatuto de utilidade pública desportiva.
Por estes fundamentos, conforme exposto nas informações DAJD/226/2013 e DAJD/650/2013 do
processo administrativo n.º 106/UP/2012 instruído na Secretaria‐Geral da Presidência do Conselho
da Ministros, declaro a utilidade pública da Federação Portuguesa de Automobilismo e Karting, nos
termos do Decreto‐Lei n.º 460/77, de 7 de novembro, com a redação dada pelo Decreto‐Lei n.º
391/2007, de 13 de dezembro, pelo período de umano.
Encontrando‐se em instrução o processo de renovação do estatuto de utilidade pública desportiva
da Federação, e apenas para esse fim, o presente despacho reporta os seus efeitos a 31 de
dezembro de 2012.
O Ministro da Presidência e dos Assuntos Parlamentares
Luís Maria de Barros Serra MarquesGuedes
Congratulamos com esta merecida distinção à FPAK, que nos honra poder
partilhar com todos e que em muito enaltece o Desporto Automóvel Nacional.
Todo o nosso empenho está agora focado no processo de renovação do
Estatuto de Utilidade Pública Desportiva, d

 

DOMINGOS FERNANDES QUER SER CAMPEÃO

 

CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA

FOX 6017

RAMPA DA PENHA

 

DOMINGOS FERNANDES QUER SER CAMPEÃO

 

Graças ao bom resultado obtido na rampa do Caramulo, catapultou Domingos Fernandes para a liderança da classe, por isso o piloto de Armamar, irá alinhar este fim de semana na derradeira prova deste ano do campeonato Nacional de Montanha, na rampa da Penha.

Sobre esta participação, Domingos Fernandes fez-nos uma antevisão” é o tudo ou nada, este ano quero ser campeão, por isso vai ser a dar os máximos dos máximos em todas as subidas, e espero poder sair de Braga, com este titulo no bolso, são estes os meus objectivos. O carro tem andado perfeito nas ultimas provas, espero que assim se mantenha”, confidenciou-nos.

 

BERNARDES SEM SORTE EM MORTÁGUA

 

RALI DE MORTÁGUA

 

 

 

BERNARDES SEM SORTE EM MORTÁGUA


BERNARDES

Decididamente, Joaquim  Bernardes não teve a sorte pelo seu lado, pois nos seus planos constava poder nesta prova sagrar-se Campeão na categoria, só que os planos foram por água abaixo, como nos explicou “ não percebi ainda o que se passou, pois apenas fizemos meia dúzia de quilómetros no primeiro troço, e de repente o motor calou-se….não sei o que se passou.”

Mas a verdade é que esta infelicidade veio alterar os planos da equipa como explicou “é um facto, pois para nós bastava ter terminado este rali, e seria campeão na categoria de dois litros. Assim vou ter de ir ao rali do Algarve, para colmatar esta lacuna pontual, e só espero que desta vez tenha sucesso completo, não haja problemas com o carro, e consiga atingir os objectivos a que me proponho”, disse-nos

 

A MINHA OPINIÃO - POR JOÃO RAPOSO

 

A MINHA OPINIÃO

 

 

QUE FUTURO PARA OS GT EM PORTUGAL?

 

 

Foi verdadeiramente triste o final do Campeonato GT há dois fins de semana  no circuito Vasco Sameiro em Braga .Apenas quatro carros alinharam, e apenas três cortaram a linha de chegada, num verdadeiro passeio sem qualquer tipo de interesse para o público presente, que ocorreu num bom numero, mas que na corrida desta categoria(é considerada a prova rainha), foi completamente defraudado.  Que futuro para esta categoria em Portugal? Analisando esta época que passou, e  a de 2012, independentemente da crise (sempre ela que não poder ser responsabilizada de tudo, pois o promotor tem de assumir o que faz), o novo formato implementado em 2012 pela empresa Full Eventos, não foi a mais correcta,  com provas de duas horas de duração.

Curiosamente apuramos junto do promotor que no início da época, uma série de equipas acharam interessante o módulo utilizado, apenas António Nogueira mostrou e com razão o seu desacordo. Em 2012 fizeram-se grelhas que chegaram a atingir dezasseis carros, em  2013, mal chegaram a uma dezena, com excepção do circuito da Boavista, e para chegarem a quinze carros  não foi de modo algum fácil. Deixo aqui uma sugestão construtiva, e uma questão, se o promotor viu que nas primeiras provas não estava a atingir os resultados pretendidos, porque razão no circuito da Boavista não voltou a organizar duas corridas, com cinquenta minutos cada? Porquê a insistência numa fórmula, que na Boavista poderia ter terminado mal com a questão dos reabastecimentos, quando sabemos que este circuito citadino não tem infra-estruturas para receber esse tipo de operações. Graças a Deus correu tudo bem, e não houve incidentes, houve assim uma confusão muito grande entre participantes, nas quais o vencedor foi encontrado de forma muito estranha, e fora do habitual. Por mais que pense, continuo a não entender na teimosia da insistência em provas de 2 horas, quando por essa Europa fora, que não está em crise como é o nosso caso, tem diminuído a duração das corridas de GT, e em Portugal , pelo contrário aumenta-se a duração das mesmas, com a alusão  que com o ingresso dum terceiro piloto, os custos poderiam diminuir para os pilotos. Na minha opinião, puro engano, pois esqueceram-se que numa prova deste tipo, vai haver maior desgaste de material, pneus, combustível, desgaste das peças dos carros, em suma tudo mais caro. Porque razão  o campeonato não voltou á fórmula do ano passado, em que cada corrida terá uma duração máxima de cinquenta minutos, com um ou dois pilotos ao volante?

Agora já se fala em termos de bastidores que em 2014, vai-se voltar à forma antiga, mas já agora sugerimos, porque razão as equipas não fazem em cada fim de semana três corridas com três pilotos, tendo uma duração de meia hora cada? Assim vence quem melhor resultado obtiver ao longo das três corridas e não numa só. Será que o ano de 2013, serviu com este promotor, para matar as corridas de GT?  Esperemos que a nova FPAK se pronuncie sobre este assunto, de forma a não deixar morrer esta categoria, o que já aconteceu no passado com outras categorias.

Outro aspecto  que não entendo, e poderá estar na altura de mudar, independentemente do numero de carro em pista em cada categoria, todos deveriam pontuar na integralidade, para evitar situações como aquela que surgiu em Braga, com a equipa da Nova Driver a retirar-se por diferentes razões, e depois a Lamborghini presente com apenas um carro não pode pontuar, isso em virtude de ser o único carro da sua categoria em pista .Sou de opinião que isto não é justo, pois nesta pista de Braga, originou que houvesse um “passeio” de duas horas para um carro…..Outro aspecto curioso, é que um dos promotores, é Paulo Ferreira, que por sinal é proprietário da Sports & You, que tem a seu cargo dois Mercedes SLS, que têm sido conduzidos por José Pedro Fontes/Miguel Barbosa e António Coimbra. Porque razão não fizeram um esforço para alinharam na prova de Braga? Por cima ainda o promotor vendo que iria ter poucos carros em pista, porque razão não participou com os seus dois carros?

Para terminar, está na hora da FPAK  meter “mãos à obra”, pois a nova direcção já tomou posse, agora só há quis mostrar serviço, e não cair no marasmo das direcções protagonizadas por Luis Pinto de Freitas, sem dúvida algum o pior presidente que passou pela FPAK ao longo da sua história.

Texto de João Raposo – www.velocidadeonline.com

 

VOLTA AO MUNDO COM FRANCISCO SANDE E CASTRO

VOLTA AO MUNDO COM FRANCISCO SANDE E CASTRO DE MOTO

 

 

 

 

Ontem há noite, tinha adormecido há pouco mais de cinco minutos no pesadelo daquele Hotel quando dei um salto da cama ao acordar com uma enorme explosão. Pensei que fosse uma bomba terrorista junto à esquadra da polícia, ali perto. Saí do quarto em calças de pijama e tronco nu e vim cá abaixo ver o que se passava. Os empregados estavam calmos e um deles disse-me que deveria ter sido um pneu dum camião a rebentar. Nunca vi nada assim.
Esta manhã voltou a reunir-se uma multidão à porta do Hotel para me verem partir, ainda não eram nove.
Segui pela estrada de ontem a caminho da fronteira com o Butão com a grande vantagem de esta parte da estrada ter muito menos camiões. Depois, à medida que o transito diminuía, também o piso ia melhorando. A uns 40 Km da fronteira vi um letreiro a anunciar um Lodge numa reserva animal, no meio da floresta. Entrei para beber uma água e ver como era. Ainda pensei ali ficar dois dias a descansar da “sova” que tinha levado no dia anterior mas quando me disseram que a época de Safaris estava fechada e só abria dentro de dois dias, decidi arrancar.
Na alfandega de saída da Índia perguntaram-me se já tinha o visto para o Butão e quando disse que não disseram que não me podiam carimbar a saída. O oficial indiano informou-me que teria que tratar pela Internet e demoraria 15 dias.
Decidi então ir falar com os homens da alfandega do Butão. Pedi aos guardas que me deixassem passar e expliquei ao chefe da alfandega que não poderia esperar quinze dias. Simpático, mandou-me ir ter com uma agencia de viagens do Butão, do outro lado da rua, que não acreditaram que o chefe da Alfandega me tivesse lá enviado. A dona mandou um empregado comigo junto de chefe confirmar a situação e depois disse-me que conseguiria o visto em duas horas. Não se lembrou foi que é feriado no Butão este Sábado e segunda pelo que só o terei na terça.
O Butão é supostamente o país onde a população é a mais feliz do mundo. A brochura que me entregaram sobre o país tem mesmo uma frase elucidativa: “A felicidade é um lugar”. Tenho muita curiosidade em saber se sentimos essa felicidade nas ruas. Só que a curiosidade paga-se caro e ali não querem visitantes pobres.
O visto custa 40 dólares o que é um valor normal mas, por cada dia que um turista passa no país cobram, logo à entrada, 290 dólares. Sim, 290 dólares americanos. Sabia que havia uma verba a pagar ao redor de 200 dólares mas não pensei que fosse tanto. Viajantes em grupo pagam “só” 250. Tinha ideia de ficar três ou quarto dias mas, tendo em conta o valor, pedi visto só para duas noites. Entro na terça e, quinta feira ao final do dia tenho que estar de saída. Espero que a ideia não pegue noutros países.
A boa notícia é que com esse valor não gastamos mais um tostão. Ele inclui o Hotel, a alimentação, entradas em espaços públicos como museus, etc. e até um guia para nos acompanhar, que vou pedir que esteja só nas cidades que vou visitar. Até a gasolina para a moto está incluída no pacote. Não deixa de ser muito caro. Os naturais dos países vizinhos, Índia e Bangladesh, estão isentos deste pagamento para além dos das Maldivas, vá-se lá saber porquê. Provavelmente é onde o rei do Butão costuma ir passar férias.
Lá deixei os 620 dólares com a dona da agencia e voltei cerca de 30 Km atrás para o Lodge na floresta, onde me instalei.
Aqui não há internet e para conseguir ver os mails desloquei-me à aldeia mais próxima onde um miúdo tem um “internet café”, com um único e velho computador que me parece estar livre a maior parte do tempo só que, estava há pouco mais de 20 minutos na Internet, prestes a mandar uma mensagem à minha filha, quando a eletricidade acabou na aldeia. O miúdo disse que às vezes era só durante 15 minutos mas como não regressou passada meia hora voltei ao Lodge e tento novamente amanhã.
Este Lodge, que pertence ao estado, não tem o “charme” daquele em que fiquei no Nepal mas pelo menos tem bons quartos e relativamente limpos, boas refeições e custa o equivalente a 25 euros por dia em pensão completa. Sou muito bem tratado e agora até me vieram perguntar se queria que levassem amanhã o pequeno almoço ao quarto. 


Hoje de manhã saí daquele Hotel de aldeia já a suar, mesmo depois do habitual duche frio matinal. Fora da zona montanhosa as temperaturas, nesta altura do ano, sobem até muito perto dos 40º. Continuei na mesma estrada que, ao aproximar-se da fronteira com a Índia, começava a ter muito movimento e, consequentemente, estava mais degradada mas nada com o que se possa comparar ao que encontrei mais tarde.
Passei a fronteira sem grandes problemas deixando para trás o Nepal que me seduziu, não pela confusão de Katmandu mas pelas gentes das aldeias de província, pela paisagem fabulosa e pela reserva animal que visitei com o divertido safari de elefante.
As pessoas são mais civilizadas que no norte da Índia, de um modo geral mais cultas e menos deslumbradas com a moto, por exemplo. Claro que paravam para ver mas perguntavam-me a cilindrada e não o preço, quanto atingia de velocidade e não quanto gastava.
Por outro lado não ligavam tanto Portugal aos jogadores de futebol, como em outros países (não na Índia que aí só têm olhos para o cricket) mas muitos sabiam onde ficava e vários me falaram em Lisboa, mesmo nunca tendo saído do seu país. Interessante também foi observar  bastante gente da classe media deles, como empregados de hotel, a jogarem xadrez.
Mas estava eu a passar a fronteira de regresso à Índia. Não há confusão possível, entro na bagunça mais à séria, principalmente porque a população por quilómetro quadrado é muito superior à do Nepal e logo, o lixo, o transito, os buracos na estrada e tudo o mais é a multiplicar. Até conseguir chegar a uma estrada em que se pudesse circular a mais de 20, 30 Km/h entre “rickshaws”, carroças, bicicletas, motos, vacas, etc. demorei mais de meia hora. Depois, quando pensava que iria percorrer os 200 Km que me separavam da fronteira com o Butão tranquilamente, apanhei 120 Km da pior estrada que alguma vez vi na vida. Foram 120 Km de buracos contínuos numa estrada que já foi de alcatrão mas agora é só terra e, mesmo numa prova de todo-o-terreno, seria considerada de muito mau piso. Indiscritível. Para agravar a situação, centenas de camiões a circularem nos dois sentidos e a ultrapassarem-se a 30 Km/h faziam daquela via um verdadeiro inferno, que se arrastou a tarde toda. Por duas vezes fui quase ao chão, apanhado de surpresa por enormes buracos quando seguia atrás de camiões e não os via. E não era possível afastar-me mais porque logo outro me ultrapassava. Outra vez, quando ia a passar um o condutor decidiu ultrapassar um outro e, como não têm retrovisores e ainda não me habituei à ideia de ir sempre a tocar a buzina, atirou-me para fora da estrada. Na berma, em terra inclinada, tive que travar forte para não passar por cima de um pastor deitado tranquilamente no meio daquela poeirada indiscritível.  
Quando começou a ficar noite parei no que me pareceu poder ser um Hotel mas era a quinta duma simpática família que me disseram logo para descansar um pouco e a irmã que se vê na fotografia foi buscar-me um chá e uma tosta que me souberam divinalmente. Convidaram-me para ficar a jantar mas não pude aceitar pois queria encontrar um hotel antes de anoitecer.
Parei na cidade seguinte. Foi o segundo inferno do dia. O melhor hotel desta cidade de província era tão ou pior que os piores que tenho encontrado. Só que aqui estava na Índia, numa cidade de província com uma população muito assinalável. Resultado: tive a sensação que toda a população tinha parado para vir ver a moto. Às tantas o gerente veio sugerir-me que a enfiasse num corredor que dava acesso ao Hotel e que, embora fosse aberto para a rua sempre era mais escondido. Não solucionou o problema. Começou a entrar gente e mais gente pelo corredor a querer ver a moto e subiam para o hotel para me verem a mim. O gerente mandou pôr uma capa por cima da moto mas tudo parecia que ainda os entusiasmava mais. Fechei-me no quarto e às tantas o homem veio chamar-me para a deslocar mais para a frente que estava a causar um pandemónio na entrada do Hotel. Quando lá cheguei abaixo assustei-me com a multidão.
Fui jantar ao restaurante do Hotel e os poucos clientes que tinham acesso ao local ficaram embasbacados a ver-me jantar. Dois deles, com as mesas quase todas livres, sentaram-se na mesa mesmo à minha frente os dois virados para mim. Passado um bocado o gerente do Hotel veio chamar-me porque tinha o chefe da polícia ao telefone. Perguntou-me quem eu era, o que se passava, de onde vinha e quando partia e qual a razão daquela confusão na cidade. Finalmente perguntou se precisava que mandasse alguém ou se queria guardar a moto na esquadra mas recusei ambas as soluções por me parecer que iriam agravar a situação.
Já tinha fugido para o quarto outra vez quando me bateram à porta. Quando abri entraram-me três pessoas pelo quarto dentro e outras 20 também queriam entrar. Um homem que me mostrou um cartão de jornalista disse que trabalhava para um jornal e televisão locais e queria entrevistar-me. Parecia que estava naquele filme do Woody Allen em que fabricam uma estrela sem qualquer razão e não a largam. Pedi para saírem e que já iria ter com ele ao restaurante mas com o máximo de mais três pessoas. Lá fui conceder a entrevista e depois pedir à multidão que se afastasse para tirarmos uma fotografias junto à moto. O homem agradeceu muito eu ter-lhe dado 15 minutos do meu tempo e que estava emocionado por ter estado a falar comigo. Tal qual o filme do Woody Allen. Ainda pensei que aparecesse alguém a dizer: “isto foi para os apanhados” antes de voltar a fugir para o quarto. O gerente garantiu-me que às onze horas fechavam as entradas para o corredor. Espero que a moto ainda tenha as peças todas amanhã.   

 

 

COMEMORAÇÃO 50 ANOS DA LAMBORGHINI

GALERIA DE IMAGENS

 

 

50 ANOS PARA COMEMORAR OS 50 ANOS DA LAMBORGHINI

 

 

Grupo de imagens das comemoraçõeslambo1lambo2lambo3lambo4lambo5lambo6lambo7lambo8lambo9lambo10lambo11lambo12lambo13lambo14lambo15 de meio século da Lamborghini em Inglaterra.

 

GALERIA DE IMAGENS

GALERIA DE IMAGENS

 

 

FIA GT

 

Eis um grupo de imagens da prova do passado fim de semana de GT.gt1gt2gt3gt4gt5gt6gt7gt8gt9gt10gt11gt12gt14gt15

 

GALERIA DE IMAGENS

GALERIA DE IMAGENS

 

NOVO PORSCHE CABRIO

 

Eis um pequeno grupo de imagens da ultima joia da coroa do construtor de Stuttgart.cabrio1cabrio2cabrio3cabrio4cabrio5cabrio6cabrio7cabrio8

 

CAMPANIÇO COM NOVO COLEGA DE EQUIPE

 


Michael Ammermuler ao lado de César
Campaniço no FIA GT Series em Navarra

ammermuller 2
O alemão Michael Ammermuller foi o piloto escolhido pelo Team Novadriver e pela Audi
Sport Customer Services para fazer dupla com César Campaniço ao volante do Audi R8
LMS Ultra com as cores do Banco Sol, Circuito Estoril, Novatech, SIVA e Audi Sport
Customer Racing.
O jovem piloto alemão de 27 anos foi uma das grandes esperanças do desporto automóvel
alemão, exibindo uma longa carreira iniciada no karting e onde recebeu o apoio do sete
vezes campeão de Fórmula 1, Michael Schumacher. Michael Ammermuller passou pela
academia da RedBull, chegou a piloto de testes da disciplina máxima do desporto
automóvel, tendo finalizado este ciclo disputando a GP2.
Infelizmente não conseguiu o esperado acesso à Fórmula 1 e decidiu espalhar a sua
rapidez e classe nas disciplinas de GT, nomeadamente, no FIA GT3, no ADAC GT Masters (o
campeonato alemão de GT) e, mais recentemente, na Porsche Supercup onde, esta
temporada, ocupa o terceiro lugar.
Michael Ammermuller surge ligado à Audi Sport Customer Services após ter contribuído
para o segundo lugar alcançado por um Audi R8 LMS Ultra nas 24 Horas de Nurburgring de
2012. A partir dai, tem estado ao volante do GT3 da marca alemã no campeonato VLN.
O Team Novadriver é a única equipa a utilizar o Audi R8 LMS Ultra na categoria Pro-Am
do FIA GT Series, por isso a Audi Sport Customer Services colocou à disposição da equipa
este excelente piloto que com a sua rapidez e experiência ao volante de automóveis desta
categoria, será uma ajuda preciosa para o Team Novadriver tentar alcançar a melhor
classificação possível na sua classe.
César Campaniço – “Este voto de confiança dado pela Audi Sport Customer Racing,
dispensando um piloto com a experiencia e o valor do Michael, deixa-me muito satisfeito e
é a prova do excelente relacionamento entre o Team Novadriver e a Audi Sport Customer
Racing. O Michael Ammermuller é um piloto que se enquadra no que a equipa desejava
para poder enfrentar as duas ultimas jornadas duplas do FIA GT Series onde, recordo,
estamos no 3º lugar e com possibilidades de ainda chegar ao título. O Team Novadriver é
a única formação do FIA GT Series, categoria Pro-Am, que utiliza o Audi R8 LMS Ultra, pelo
que todos os elementos da equipa vão estar muito motivados para fazer o seu melhor, dar
as boas vindas ao Michael e mais uma alegria à Audi. Com esta alteração na formação de
pilotos do Team Novadriver, as sessões de testes antes do fim de semana competitivo
serão decisivas para que todos os elementos da equipa se adaptem ao novo piloto, mas
acredito que sairemos de Espanha com um excelente resultado.”

 

RALI CROÁCIA

 

JURAJ Sebalj e Toni KLINC está pronto para fazer BATALHA NA CROÁCIA RALLY - RALLY CAMPEONATO EUROPEU 2013

 

Juraj ebalj_-_Toni_KlincJuraj ebalj_in_action
Após um teste produtivo em seu carro Skoda Fabia S2000 em um palco pista no início desta semana, Juraj Sebalj diz que está se sentindo confortável no carro com a United Business farda.
"Foi um bom teste. Fizemos 50 km. Nossa equipe tem uma boa base e experiência de set-up, por isso foi realmente apenas uma questão de sentir o meu caminho de volta à pista com a Skoda. O carro estava ótimo, então eu não tenho dúvidas de que podemos estar no ritmo da primeira fase ", diz Sebalj.
Juraj Sebalj e seu co-piloto Toni Klinc contestou o Rally Croácia juntos há 14 anos e este rali e venceu três vezes no passado.
"É um rali pista técnica, com uma mistura de superfícies, a partir da calçada, estradas lisas e estradas sinuosas através da colina é uma mistura muito interessante. O evento também pode ter uma grande quantidade de chuva isolada, que faz com que informações sobre o tempo ea escolha de pneu de composto macio ou duro crítico. Este foi o segundo evento em 2013 com Skoda e terminou em primeiro lugar em Novi Vinodolski, então enquanto eu ainda sou relativamente inexperiente com este carro, mas eu não tive nenhum problema maior, no passado, ao mudar o carro ou classe, de modo que este é excelente desafio para me ". Sebalj diz" Obviamente, nós queremos estar a lutar pelo primeiro lugar, mas que vai ser difícil. Há um lote de pilotos que pode ser rápido aqui. Jan Kopecky, em particular, mas nos sentimos confortáveis ​​com o nosso pacote, então eu me sinto feliz antes de o nosso desafio ".
Sebalj e Klinc gastar 24-25 setembro reconhecimento fazendo através dos 240 km competitivas de 14 etapas especiais antes do oficial de curto prazo shakedown perto da cidade natal do evento de Porec. O rali terá início em quinta-feira, 26 setembro, com a cerimônia de abertura em Porec e terminará no sábado 28 de setembro, em Porec às 17h30. Após a chegada, haverá a Festa Winner, onde Sebalj espera ser o convidado de honra.

 

JOSÉ PEDRO GOMES DE REGRESSO

 

CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA

 

RAMPA DA PENHA 2


FOX 1087

JOSÉ PEDRO GOMES DE REGRESSO AO NACIONAL DE MONTANHA

 

Já com o titulo de categoria 3, tal como o prometido, José Pedro Gomes está de regresso ao campeonato Nacional de Montanha, na qual participa para vencer a categoria, como nos confidenciou” sempre que participo, vou para ganhar, e este fim de semana na Rampa da penha, não será de modo algum excepção. Irei dar o meu máximo para vencer a minha categoria, e para tentar subir o mais possível em termos de classificação geral, sei que não vai ser tarefa fácil, mas a vida é feita de desafios, a que gosto de responder, por isso vou andar depressa, esperando que não surjam contratempos de ordem técnica com o  meu Ford Escort, e que consiga fechar a época com “chave de ouro”, disse-nos.

 

RALIS NO BRASIL

Divulgação
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Nelsinho Piquet
Alta | Web

Divulgação
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Block e Piquet em Charlotte
Alta | Web

X Team Mitsubishi evolui e cresce dentro do GRC

Apesar do pouco tempo com o carro, Nelsinho Piquet andou entre os primeiros colocados na etapa de Charlotte e evolução agrada equipe, mesmo com câmbio maculando resultado final

O X Team Mitsubishi saiu neste domingo de Charlotte, nos Estados Unidos, conscientes de que estão cada vez mais dentro da briga no pelotão de elite do GRC (Global Rallycross). A equipe brasileira, que está em seu ano de estreia na categoria com o igualmente novo Mitsubishi EVO XTR, viu o ex-piloto de F-1 Nelsinho Piquet apresentar um desempenho muito consistente em todas as vezes que entrou na pista de terra de Charlotte, que arrancou sorrisos dos membros do time, que tem apoio de Mitsubishi, Petrobras, SKY e Outback.

Logo na classificação, Piquet mostrou velocidade ao ser o quarto colocado em seu grupo, andando muito próximo ao carro mais rápido da etapa, o de Ken Block, e mantendo a mesma posição na primeira bateria. Já na disputa seguinte (segunda bateria do dia), o pneu dianteiro direito furou quando o brasileiro estava almejando o segundo posto, o que acabou jogando Nelsinho ao LCQ (Last Chance Qualifier), quando surgiu o imprevisto na caixa de marchas durante a formação do grid e tirou do time a chance de brigar entre os melhores.

"O câmbio pegou todos de surpresa quando nos encaminhávamos ao grid para a disputa do LCQ. Isso foi um banho de água fria, pois ficamos de mãos amarradas, uma vez que qualquer tipo de reparo no câmbio demanda muito tempo. Foi uma grande pena, pois tanto o time quanto Nelsinho apresentaram um grande rendimento, com ótimos resultados. No fim, o saldo acabou positivo por conta disso: mostramos que estamos cada dia mais dentro da briga e aos poucos crescendo dentro da categoria", afirma o sócio da equipe, Geraldo Rodrigues.

Diretor Esportivo do X Team Mitsubishi, Henrique Cruz destacou a adaptação rápida de Nelsinho ao carro e circuito: Chefe do X Team Mitsubishi, Henrique Cruz destacou a adaptação rápida de Nelsinho ao carro e circuito: "Outro fator que é importante ressaltar: o Nelsinho andou somente na quarta a tarde e foi direto para a classificação no domingo, pois a chuva que caiu em Charlotte durante a madrugada adiou toda a programação, que era composta de treinos livres antes da classificação. Sendo assim, Nelsinho foi praticamente "cego" para o qualifying e fez bonito."

A próxima etapa do GRC acontece no dia sete de novembro, em Las Vegas.


FICHA TÉCNICA - PETROBRAS MITSUBISHI EVO XTR
Motor: 2.0L MIVEC Turbo (Garrett TR30R)
Potência: aproximadamente 475 cavalos
Câmbio: sequencial, seis marchas
Tração: integral
Suspensão: Exe-tc
Rodas: Enkei Nt03+M
Pneus: Cooper RallyCross
Freios, pinças e rotores: AP Racing
Capô e asa traseira: fibra de carbono
Portas, parachoques, carroceria traseira e paralamas: material composto
Painel: fibra de carbono
Banco, cinto, extintor e santantonio: de acordo com as especificações da FIA

Calendário do Global RallyCross em 2013
1ª etapa - 18 a 21 de abril - Foz do Iguaçu (Brasil)
2ª etapa - 16 a 19 de maio - Barcelona (Espanha)
3ª etapa - 27 a 30 de junho - Munique (Alemanha)
4ª etapa - 10 a 13 de julho - New Hampshire (Estados Unidos)
5ª etapa - 17 a 20 de julho - Bristol (Estados Unidos)
6ª etapa - 31 de julho a 3 de agosto - Los Angeles (Estados Unidos)
7ª etapa - 7 a 10 de agosto - Atlanta (Estados Unidos)
8ª etapa - 19 a 22 de setembro - Charlotte (Estados Unidos)
9ª etapa - data a definir - Las Vegas (Estados Unidos)

SOBRE OS X GAMES
Criados em 1995 nos Estados Unidos com o nome The Extreme Games, os X Games são considerados a Olimpíada dos esportes radicais. O evento é reconhecido no mundo todo como referência em esportes de ação. A partir de 2013, os X Games passam a ter seis eventos ao redor do mundo, com Foz do Iguaçu se juntando a Aspen (EUA), Tignes (FRA), Barcelona (ESP), Munique (ALE) e a cidade-sede Los Angeles (EUA). No Brasil, os melhores atletas das modalidades Moto X, Global RallyCross, Skate e BMX disputarão medalhas de ouro, prata, bronze e prêmios em dinheiro em 15 competições. No GRC, categoria do X Team Mitsubishi Racing, 16 pilotos correm em uma pista que se alterna entre asfalto e terra. Na briga pelo ouro, são classificados dez pilotos para a fase final. Eles disputam uma corrida de seis voltas, na qual vence quem ultrapassar primeiro a linha de chegada.

SOBRE A MITSUBISHI
A Mitsubishi Motors do Brasil, presente no país há 23 anos, é a única operação industrial de veículos Mitsubishi no mundo que não pertence à marca japonesa. Com uma fábrica instalada em Catalão (GO), a MMCB conta hoje com mais de 180 concessionárias, que levam veículos de última geração e todo o espírito inovador da marca para os vários cantos do território nacional. No segmento esportivo, organiza os ralis Mitsubishi Motorsports, Mitsubishi Outdoor e Mitsubishi Cup, além da competição de pista Mitsubishi Lancer Cup, e apoia atletas de ponta, como a dupla da Equipe Mitsubishi Petrobras, Guiga Spinelli e Youssef Haddad, o velejador Beto Pandiani, o surfista Carlos Burle, o multiesportista Luis Roberto Formiga, o alpinista Rodrigo Raineri, o paraquedista Luigi Cani e o piloto Ulysses Bertholdo.

SOBRE A SKY
A SKY é a maior a operadora de TV por assinatura via satélite do país. Transmite seu sinal 100% digital para todos os seus assinantes, em todo território nacional. É a operadora que trouxe o maior número de inovações tecnológicas em televisão no Brasil aliada a melhor programação e excelência no atendimento aos mais de 17 milhões de telespectadores que possui. Em 2011, mais uma vez, a SKY foi pioneira com o lançamento da primeira operação de banda larga 4G na América Latina. No segmento esportivo, apoia atletas e equipes de ponta em diversos segmentos, como a equipe Red Bull/SKY (Stock Car), o Pinheiros/SKY e o SKY/Basquete Cearense (basquete masculino), o Unilever do técnico Bernardinho (vôlei feminino), além dos atletas Vitor Belfort (UFC) e Felipe Nasr (GP2).

SOBRE A PETROBRAS
A primeira vez que a Petrobras exibiu sua logomarca em uma competição esportiva foi em 1956, na corrida de estreia das Mil Milhas Brasileiras de automobilismo. Atualmente, os patrocínios da Companhia a competições automobilísticas estão alinhados ao Programa Petrobras Esporte Motor, que tem como principal objetivo apoiar o automobilismo/motociclismo por meio da cooperação tecnológica e/ou patrocínios a eventos incluindo fornecimento de combustíveis e/ou lubrificantes, utilizando as competições como campos de pesquisas e desenvolvimento dos nossos produtos permitindo que os mesmos sejam testados e aprovados por quem os utiliza sob as condições mais rigorosas. Entre as categorias em que a Petrobras está presente podem ser citadas a Copa Petrobras de Marcas (Turismo), a Fórmula Truck (Caminhões), a Equipe Mitsubishi Petrobras (Rali), a Moto 1000 GP, a Seletiva de Kart Petrobras (Kart) e a Baja SAE Brasil-Petrobras.

SOBRE O OUTBACK STEAKHOUSE
A rede Outback Steakhouse possui 41 restaurantes no Brasil e está presente em 19 cidades e 11 estados brasileiros. No mundo está em 22 países entre Europa, Américas, Ásia e Oceania. O primeiro restaurante no país foi inaugurado na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, em 1997. Com seus cortes de carne especiais, o Outback caiu no gosto do brasileiro graças à qualidade, fartura e sabor marcante da culinária oferecida, somada à descontração no atendimento e às instalações aconchegantes.



 

RAMPA DA PENHA

 

Rampa da Penha - Guimarães



-Guimarães o palco de quase todas as decisões


Com três dezenas e meia de inscritos e apenas com o título absoluto já virtualmente entregue a Tiago Reis, quase tudo se vai decidri, numa prova que certamente será marcada pela chuva.

 

RAFAEL LOBATO DIVULGA NOVO PROJECTO

 

Rafael Lobato - Velocidade em 2014 é o objetivo


Lobato-130907-31

Depois de um ano em que os resultados no Off Road não foram os previstos, Rafael Lobato já pensa no futuro e na sua aposta para 2014.

Com uma carreira iniciada aos 8 anos de idade no karting, o piloto de Vila Real mudou-se para o ralicross assim que atingiu a idade mínima para poder competir na modalidade tendo conquistado dois títulos de Campeão Nacional.

Agora com 15 anos, e com o seu grande sonho de disputar um campeonato de GT’s ou Turismos, o piloto iniciou já contactos preliminares para avaliar a hipótese de se juntar ao plantel da Velocidade Nacional no próximo ano “até agora só podia correr no ralicross por causa da minha idade. Para o ano já tenho 16, ficando assim com mais hipóteses de escolha. Sempre sonhei com os circuitos de Velocidade e acho que chegou a altura de trabalhar para que o sonho se torne realidade. Quando tanto se fala no regresso das corridas a Vila Real, sinto-me ainda mais motivado pela possibilidade de poder correr na minha cidade” disse Rafael Lobato. “… estivemos no Circuito de Braga na semana passada e já falamos com algumas pessoas sobre este assunto, tendo ficado com uma ideia mais clara acerca do que será necessário. Vamos ter que aguardar mais um pouco para saber como vai ser a Velocidade no próximo ano e aí já teremos mais dados para decidir o que fazer. Espero em breve poder dar boas notícias”, acrescentou o jovem piloto.

 

PISTÃO DEITOU POR TERRA PLANOS DE JOÃO PAULO MATOS

 

SINGLE SEATERS - BRAGA

 

 

PISTÃO DEITOU POR TERRA PLANOS DE JOÃO PAULO MATOS

 

As corridas são assim mesmo, e foi o que aconteceu com o Hawke de João Paulo Matos, que estava optimista para a prova de Single Seaters que teve lugar no circuito Vasco Sameiro .Assim o piloto do Porto explicou-nos o que se passou “ são daqueles imprevistos com que não se conta, um pistão, acabou por apenas me permitir estar em pista meia dúzia de voltas, e fui obrigado a desistir. Na altura não sabíamos exactamente o que  se passou, sabia apenas que era algo no motor, e só depois de desmontar é que vimos, que foi um pistão que causou isto tudo.Agora há que fazer as substituições necessárias, e preparar já a próxima prova para o Estoril, onde espero poder “vingar” este resultado”, disse-nos.FOX 8068

 

MOTOS - BRASIL

Makarrão/EEA
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Fred Kyrillos
Alta | Web

Makarrão/EEA
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Jeff Campacci
Alta | Web

Makarrão/EEA
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Marcelo Simões
Alta | Web

Jump Festival contará como etapa do Brasileiro de FMX

Iniciativa aumenta expectativas para prova; "Temos cinco pilotos com chances concretas de vitória", comenta Fred Kyrillos, atual líder do ranking da categoria

Uma das grandes atrações do Jump Festival, a categoria Freestyle Motocross (FMX) tem tudo para arrepiar todos os que estarão presentes no estacionamento externo do Shopping Tamboré, nos dias 29 e 30 de setembro. O motivo é bem simples: o Jump Festival servirá como segunda etapa do Circuito Brasileiro da modalidade.

A notícia foi recebida com muito otimismo pelos atletas. Vencedor da primeira etapa, disputada no Rio de Janeiro, e atual líder do ranking, Fred Kyrillos celebrou a iniciativa: "O Jump Festival é um evento que já esta consolidado no meio radical assim como o Campeonato Brasileiro de FMX. Do meu ponto de vista, essa combinação tende a engrandecer o evento como um todo e dá um brilho ainda maior para o espetáculo."

Além da divisão PRO, que consta com os maiores nomes da modalidade, como Kyrillos, Marcelo Simões e Jeff Campacci, entre outros, a classe de acesso também está presente na programação do Jump - uma oportunidade para o público prestigiar e conhecer a nova geração de talentos, encabeçada por nomes como Rafael Arnellas e Leandro Kbs.

Para Kyrillos, esta é uma prova do crescimento e popularidade do FMX no Brasil, nivelando por cima o talento e as disputas. "Neste ano, o nível dos pilotos brasileiros subiu muito, hoje temos vários pilotos com varias variações de manobras de ‘backflip’. Acredito que temos aproximadamente cinco pilotos com chances concretas de vitória! Eu sou o líder do campeonato e pretendo manter minha liderança! Para o público, isso representa um show de manobras inéditas e uma disputa acirrada entre os pilotos!"

O atual líder do ranking também faz uma análise de como será a pista. "Nessa edição do Jump Festival por conta do espaço físico do local, nossa pista será bem reduzida; no entanto, ela continua uma pista técnica que não permite que o piloto cometa muitos erros. Acredito que esse formato de pista deixa a competição com um nível bem elevado de manobras!", completa Kyrillos.

O Jump Festival é organizado pela CBER (Confederação Brasileira de Esportes Radicais), com apoio do Ministério do Esporte através da Lei de Incentivo ao Esporte e patrocinado por Riachuelo e Atento, além de contar com o Shopping Tamboré como parceiro. O evento tem como mídia parceira a Rádio Metropolitana, além da parceria técnica com a CBSk (Confederação Brasileira de Skate) e com a FPS (Federação Paulista de Skate). Conta ainda com apoio da X-Trax, G-Shock, Stocovich Design, Dafiti Sports e Wickbold. A comercialização é da XYZ Live.

Serviço
Jump Festival
Local:
Estacionamento externo do Shopping Tamboré
Endereço: Av. Piracema, 669 - Tamboré / Barueri - SP
Entrada: Gratuita
Período dos campeonatos: de 26/09 até 29/09, das 9h às 18h.

Programação do Jump Festival

Quinta-feira, 26 de setembro

9h às 11h - Treino FMX Profissional
11h às 13h - Treino BMX Vertical Amador
11h às 14h - Treino BMX Dream-Ramp Amador
12h às 14h - Treino do FMX Acesso
12h às 17h - Treino do Skate Street Amador
13h às 15h - Treino do Skate Vertical Profissional
14h às 17h - Treino do BMX Dream-Ramp Profissional
15h às 17h - Treino do Skate Vertical Amador

Sexta-feira, 27 de setembro
9h às 11h - Treino FMX Profissional
10h às 12h30 - Treino BMX Vertical Amador
10h às 14h - Treino BMX Dream-Ramp Amador
12h às 14h - Treino do FMX Acesso
12h às 17h - Treino do Skate Street Amador
12h30 às 15h - Treino do Skate Vertical Profissional
14h às 17h - Treino do BMX Dream-Ramp Profissional
15h às 17h30 - Treino do Skate Vertical Amador

Sábado, 28 de setembro
9h às 12h - Final do BMX Vertical Amador
9h às 13h - Final do FMX Acesso
9h às 14h - Eliminatória do BMX Dream-Ramp Amador
11h às 18h - Eliminatória do Skate Street Amador
12h às 15h - Eliminatória do Skate Vertical Profissional
13h às 16h - Eliminatória do FMX Profissional
14h às 18h - Eliminatória do BMX Dream-Ramp Profissional
15h às 18h - Eliminatória do Skate Vertical Amador

Domingo, 29 de setembro
9h às 12h - Final do FMX Profissional
9h às 12h - Semifinal do BMX Dream-Ramp Amador
10h às 10h30 - Final do Skate Vertical Feminino
10h30 às 12h - Final do Skate Vertical Profissional
11h às 14h - Semifinal do Skate Street Amador
12h às 14h - Final do BMX Dream-Ramp Amador
12h30 às 14h - Final do Skate Vertical Amador
14h às 15h - Final do Skate Street Amador
14h às 16h - Final do BMX Dream-Ramp Profissional


Para saber mais sobre o Jump Festival, acesse o site da CBER (www.cber.com.br) e a página do Jump Festival no Facebook: http://www.facebook.com/jumpfestival

 

EXTREME SAILING - NICE - FRANÇA

 

All4One Racing Team voltar ao Extreme Sailing Series ™
EXT
O francês de bandeira Racing Team All4One está definido para retornar ao Extreme Sailing Series ™ como a equipe convite no penúltimo ato do ano em Nice , 3-6 de outubro de apresentado pela Land Rover. Depois de uma estreia bem-sucedida ' Stadium Racing' , em 2011 , em Cingapura , a equipe de especialistas franceses multicascos irá testar a sua coragem contra os experientes extremos 40 equipes com as cores da ' o primeiro clube por All4One " apoiado pelo primeiro clube, o ID- PROM e Land Rover.
Jean -Christophe Mourniac será o homem no banco do motorista e traz uma massa de experiência multihull que vão desde o Tornado, F18 , Open 60 e Extrema 40 corridas. Mourniac , que no navegou na série em 2012, com Alinghi , está ansioso para voltar ao Extremo 40 autódromo : " The Extreme Sailing Series ™ é um circuito muito interessante , onde o nível desportivo é extremamente elevada e onde muito bem conhecido equipes participam . Raças todos no mesmo barco , o extremo de 40 anos, multihull muito rápido . Temos a sorte de ser capaz de navegar próximo ao público e fazer mais do que 30 corridas em cada ato . . , O conceito é mágico , a organização é altamente profissional, e por isso o resultado é um circuito excepcional " Continuando a falar sobre as aspirações futuras de All4One Racing Team Mourniac disse:" Esta será a segunda vez que participamos do Extreme Sailing Series ™ com Stéphane Kandler , CEO da equipe. O objetivo comum é fazer o melhor que podemos em Nice com a visão de entrar em um barco para toda a temporada de 2014 . "
Mutlihull especialista Stéphane Christidis , o representante francês Olímpicos de Londres 2012 na 49er , cuja cidade natal é Nice, será o trimmer da vela grande , enquanto Arnaud Jarlegan , um Nacra 17 marinheiro que fez parte da equipe de energia na Copa do Mundo Series da América, vai cortar a vela de proa . Julien Cressant um Open experiente 60 e Extrema 40 marinheiro, que também vem de Nice, estará no arco , enquanto Romain Petit trará valiosas 40 experiência Extreme para o papel do estrategista ter navegado com Groupe Edmond de Rothschild em 2012 que ganhou o ato em Nice ano passado. Ver os perfis tripulação completa aqui.
Stéphane Kandler , CEO da All4One Racing Team , comentou: " Estou muito animado para voltar ao extremo Sailing Series ™ depois da nossa primeira Lei em Singapura, em 2011. A série é um dos principais circuitos de vela profissionais em todo o mundo e oferece um verdadeiro retorno sobre o investimento para os nossos patrocinadores. O multihull será cada vez mais proeminente nas regatas e um exemplo é a Copa América . A equipe, como All4One deve participar neste evento , especialmente considerando o grande talento francês neste tipo de barcos. Como tem sido o caso em eventos de vela anteriores, em que temos participado com sucesso , eu coloquei em prática métodos inspirados no mundo corporativo para ser capaz de maximizar o retorno para os nossos parceiros e para melhorar o desempenho do elemento esportivo. "
A frota de oito extremos 40 catamarãs vai correr na Baía dos Anjos, em frente à mundialmente famosa Promenade des Anglais para o penúltimo ato do ano. Siga a corrida sobre a comunicação ao vivo todos os dias ou no fluxo de vídeo ao vivo em www.extremesailingseries.com . Siga All4One Racing Team em www.all4onechallenge.com

 

20 ANOS MONDEO

 

Ford Celebra 20 Anos do Mondeo e Mais de 4.5 Milhões de Unidades Vendidas na Europa

 

  • O Ford Mondeo celebra 20 anos com mais de 4.5 milhões de veículos vendidos em toda a Europa

 

  • Ford disponibiliza um novo vídeo na internet que celebra duas décadas de Mondeo e que conta com a locução do conhecido actor Ray Winstone

 

  • Ao longo da sua história, o Mondeo introduziu avançadas tecnologias de vanguarda nas quais se incluem airbags, controlo de tracção, sistemas de protecção inteligente, Controlo de Velocidade Adaptativo e motores EcoBoost

 

 

FordMondeo Ajudou a tornar os airbags equipamento de série. James Bond andou com um e passou a atrair um novo tipo de clientes.

 

O Ford Mondeo, o modelo familiar da Ford, está a celebrar o seu 20º aniversário e mais de 4.5 milhões de unidades vendidas na Europa. E isto é apenas o início.

 

“O Mondeo tem uma grande história e um future brilhante,” disse Barb Samardzich, vice- presidente de Desenvolvimento de Produto, Ford Europa. “Ao longo de duas décadas, o Mondeo tem sido sinónimo de grande dinâmica de condução, tecnologias surpreendentes, segurança excelente e extraordinária eficiência de combustível.”

 

Para celebrar duas décadas de Mondeo, a Ford acabada de divulgar um novo vídeo disponível na internet, com locução do actor de Hollywood Ray Winstone, estrela de filmes como “The Sweeney,” “Indiana Jones e o Reino da Caveira de Cristal” e “The Departed” (Entre Inimigos).

 

O primeiro Mondeo foi apresentado em 1993 depois de um programa de desenvolvimento de cinco anos e 4.600 milhões de dólares. O Mondeo foi distinguido com o título de Carro do Ano em 1994 e tem continuado a definir padrões na sua classe ao longo de duas décadas, ganhando prémios em toda a Europa.

 

O Mondeo tem colocado disponíveis e acessíveis aos clientes europeus avançadas funcionalidades. O modelo de primeira geração introduziu de série o airbag do condutor e o airbag de passageiro opcional e também ofereceu novos e avançados recursos, como o controlo de tracção, suspensão adaptativa, Sistema de Travagem Anti-Bloqueio (ABS) e direcção assistida.

 

Uma versão revista do Mondeo de 1996, com um estilo actualizado, incluía airbags laterais opcionais, que passaram a ser de série dois anos depois, ABS de quatro canais e peso reduzido.

 

A segunda geração do Ford Mondeo foi lançada em 2000, com Sistema de Protecção Inteligente da Ford, que utilizava um sistema de sensores para calcular os recursos de segurança mais eficazes em caso de acidente. Adicionalmente, o Mondeo passou a disponibilizar pela primeira vez aos seus clientes aquecimento de bancos traseiros, faróis automáticos e sensores de chuva.

 

Era tão popular no Reino Unido que passou a fazer parte do léxico a expressão "Mondeo Man" para definir um novo tipo de classe no início da década passada.

 

A terceira geração do Mondeo chegou em 2007, após uma participação especial no cinema como um dos carro de James Bond no filme "Casino Royale", em 2006.

 

O novo modelo fez com que os clientes Ford fossem dos primeiros a beneficiar de tecnologias como e Controlo de Velocidade Adaptativo, Controlo Dinâmico Interactivo do Veículo e do sistema Ford Easy Fuel que previne o abastecimento de combustível errado.

 

O Mondeo voltou novamente a ser alvo de actualização em 2010 com a mais recente tecnologia de motores de gasolina Ford EcoBoost e tecnologias adicionais, incluindo o Aviso de Saída de Faixa, o Alerta ao Condutor e o Controlo Automático de Luzes de Máximos.

 

O Mondeo foi reconhecido com mais de 20 prémios em 20 anos em países como a Alemanha, Croácia, Espanha, Holanda, Noruega, Reino Unido, República Checa e Rússia.

 

A dinâmica de condução referencial na sua classe tem sido sempre o pilar da experiência Mondeo, demonstrada pelos últimos modelos de elevado desempenho, como o ST24, ST200 ST220 V6 e os actuais modelos 2.2 Duratorq diesel 220cv e o 2.0 EcoBoost a gasolina com 240cv.

 

A Ford também melhorou recentemente o Mondeo para passar oferecer emissões de CO2 de apenas 119 g/km e um consumo de 4,6 l/100km com o motor 2.0 diesel Duratorq disponível com potência até 163cv, significando que o Mondeo agora oferece mais potência do que qualquer dos seus principais concorrentes abaixo das 120g/km de CO2.

 

O Mondeo também incorpora a tecnologia de Carregamento Regenerativo Inteligente Ford ECOnetic, o sistema de informação ao condutor Ford EcoMode e foi o primeiro Ford com o sistema de Fecho Activo da Grelha, o que reduz o arrasto aerodinâmico.

 

O novo Mondeo global chegará à Europa em finais de 2014, apresentando novas e avançadas tecnologias, incluindo o premiado motor Ford 1.0 EcoBoost a gasolina, motorização híbrida eléctrica e a gasolina, faróis LED adaptativos pela primeira vez no segmento e a estreia europeia de cintos de segurança traseiros insufláveis, projectados para reduzir lesões da cabeça, pescoço e peito dos passageiros dos assentos traseiros.

 

"O futuro do Mondeo é muito brilhante e na Ford Motor Company desejamos oferecer mais 20 anos de inovação para os condutores de toda a Europa", acrescentou Samardzich.

 

 

# # #

 

 

* Os valores de consumo de combustível e emissões de CO2 são medidos de acordo com os requisitos e especificações técnicas do Regulamento Europeu (EC) 715/2007 de acordo com as mais recentes actualizações. Os resultados podem diferir dos valores de consumo de combustível obtidos noutras partes do mundo devido aos diferentes ciclos de condução e regulamentação em vigor nesses mercados.

 

 

 

 

# # #

 

Sobre a Ford Motor Company
A Ford Motor Company, empresa líder da indústria automóvel global, com sede em Dearborn, Michigan (EUA), produz e distribui automóveis em seis continentes. Com aproximadamente 177.000 empregados e 65 fábricas em todo o mundo, as marcas automóveis da empresa incluem Ford e Lincoln. A companhia presta serviços financeiros através da Ford Motor Credit Company. Para mais informações sobre os produtos Ford, por favor consulte www.corporate.ford.com.

 

A Ford Europa é responsável por produzir, comercializar e assistir os veículos da marca Ford em 50 mercados e emprega aproximadamente 47,000 trabalhadores nas suas instalações e aproximadamente 67,000 incluindo as ‘joint-ventures’. Em conjunto com a Ford Motor Credit Company, as operações da Ford Europa incluem a Divisão de Serviço ao Cliente e 22 instalações fabris (13 detidas integralmente ou instalações em ‘joint-ventures’ consolidadas e 9 em 'joint-ventures' não consolidadas). Foi em 1903 que os primeiros veículos Ford foram transportados para a Europa, no mesmo ano em que a Ford Motor Company foi fundada. A produção europeia iniciou-se em 1911.

 

RP MOTORSPORT COMEMOROU OBTENÇÃO DO 1º TITULO

 

CAMPEONATO DE CLÁSSICOS

 

 

RP MOTORSPORT COMEMOROU OBTENÇÃO DO 1º TITULO


Imagem 131

Foi no passado circuito de Braga, que a RP Motorsport comemorou de forma efusiva a obtenção do seu primeiro titulo através de Domingos Sousa Coutinho que se sagrou campeão no  H 71, o que logicamente veio demonstrar o que esta jovem equipa é  capaz de fazer. Assim sobre  este primeiro titulo, Ricardo Pereira, o responsável pela RP Motorsport” eu no meu curriculum tenho mais títulos, mas nessa altura trabalhava para outras equipas. Este titulo é para mim, e para a minha equipa especial, pois é o primeiro. Para além disso este titulo é obtido com o Domingos Sousa Coutinho, na qual sou responsável pela preparação do BMW 2.8 há cinco anos, e por isso conheço bem este carro, e todos os anos temos vindo sempre a fazer melhoramentos, e o resultado está à vista”.

Na sua passagem pelo circuito de Braga, a RP Motorsport, teve em pista  outro BMW, um 323 que foi conduzido por Jorge Cruz, que terminaria as duas corridas, como nos confidenciou “ correu bem, o Jorge Cruz está cada vez mais adaptado ao comportamento do carro em pista, está cada vez mais rápido, não cometeu excessos, por isso este fim de semana foi para nós, digamos glorioso”.

 

AMNSPORT NA MÁXIMA FORÇA

 

CAMPEONATO NACIONAL DE MONTANHA

 

 

RAMPA DA PENHA 2

 

 

 

AMNSPORT NA MÁXIMA FORÇA NA RAMPA DA PENHA


FOX 6152

A equipa da AMNSport tal como aconteceu na Rampa do Caramulo, irá estar presente na máxima força na Rampa da Penha que irá ter lugar já este fim de semana na zona de Guimarães.  Assim a AMNSport inscreveu três Porsche, o GT 3 R para António Nogueira, o 997 Biturbo para Luís Anjos, e o GT 2 para Carlos Cerca.

Assim António Nogueira está optimista para a prova do fim de semana que se aproxima” vou para lutar pelas vitória na categoria 1, e ficar o melhor classificado em termos de geral. Vamos lá ver como como é que o Porsche GT 3 se vai comportar na Penha, pois é uma rampa que não tem muitas rectas, daí não poder tirar o maior partido das potencialidades deste carro, mas vamos lá ver seja o que Deus quiser”, disse-nos.

Em relação a Luís Anjos, é a segunda prova que vai participar, depois da estreia na Rampa do caramulo” para já terminar todas as subidas, de preferência sempre a melhorar tempos, sem cometer excessos, e o mais importante, é aprender. Nunca corri nesta rampa, por isso conto com as dicas do meu tio António Nogueira, para ficar a conhecer melhor todo o percurso, e poder fazer o melhor possível”.

 

Carlos Cercaé a primeira vez que vou correr nesta rampa, por isso as primeiras subidas irão ser feitas com cuidado, mas depois espero poder melhorar os meus tempos em cada subida de prova”.

 

MOTOS - BRASIL

 

Abertas as inscrições para o Enduro FIM em Orleans

Estão abertas as inscrições pela Internet para o Enduro FIM Santa Catarina, que acontecerá no dia 6 de outubro, em Orleans. O evento é a última etapa da prova deste ano e contará com a participação de pilotos de todo o país. Quem está à frente da competição é organizador do Rally Serramar Santa Catarina, Erasmo Balbinot.

“Nosso objetivo é fazer uma prova que fique marcada na vida de cada piloto. Por isso, estamos trabalhando muito para fazer que esta etapa se torne calendário no estado e quem sabe no futuro até nacional”, ressaltou Erasmo.

Os pilotos irão passar pala comunidade de Rio das Furnas, que vai encantar pela paisagem do sul do estado. Haverá troféu até o 5º de cada categoria e as inscrições podem ser feitas pelo site: www.endurosc.com.br. Mais informações, ligue para (48) 3226-0383.Cartaz

 

ORACLE VENCE TAÇA AMERICA

Oracle Team USA revalida Taça América em reviravolta inédita

A perder por 6-0 diante do Emirates Team New Zealand e à beira da derrota nas últimas oito regatas, a tripulação norte-americana operou uma sensacional reviravolta, vencendo o desafiante por 9-8, na que foi ainda a mais longa final dos 162 anos de história desta Taça América, com teve a duração de 19 dias.

A equipa do Oracle cruzou a meta com 44 segundos de avanço para o veleiro neozelandês, obtendo ainda uma inédita série de oito vitórias consecutivas.

Agência Lusavela1vela2vela4vela5vela6vela7vela8vela9vela10vela11vela12vela13vela14vela15vela16vela18vela19vela20vela100vela101vela102vela103vela104vela176vela1000vela1001vela1002vela1003vela1005vela1006vela1007vela1008vela1009vela1010vela2000vela2001vela2002vela2003vela2004vela2005vela2006vela2007vela2008vela5000vela5001vela6000vela6001vela6003vela6004vela6005vela6006vela7000vela7001vela7002velas3vewla6002

 

ALBUQUERQUE MOTIVADO

 

Albuquerque com motivação renovada para Zandvoort

 

2013 russia_albuquerque8A aproximação a mais uma jornada do DTM desta vez na Holanda em Zandvoort deixa Filipe Albuquerque mais motivado que nunca. Depois de um início de temporada atribulado o piloto português teve, na jornada passada, a desforra, ao conseguir os primeiros 15 pontos da época e um excelente quarto lugar.

 

Assim as expectativas face a um novo bom resultado são elevadas: "Vamos para uma pista onde sempre fui rápido e com a confiança redobrada acredito que podemos andar na frente novamente. O nosso objetivo passa por voltar a amealhar pontos. Essa é a principal meta. Mas, se estiver perto dos lugares do pódio não vou desperdiçar oportunidades", começou por dizer Filipe.

 

Filipe sempre mostrou ao longo da época andamento para estar na frente mas uma série de percalços alheios ao seu desempenho condicionaram os resultados: "Acho que agora encarrilhámos finalmente. Por isso, temos de aproveitar estas duas corridas que faltam para mostrar o que valemos. Vontade não me falta", rematou o piloto português.

 

Ao contrário do que vem sendo habitual a Sporttv este fim-de-semana de 28 e 29 de Setembro, não transmitirá em direto quer a qualificação quer a corrida, apenas em diferido no sábado pelas 15h a qualificação e na segunda-feira a corrida pelas 9.40h na Sporttv Live.

 

 

 

BOLEIAS NA FÓRMULA 1

BOLEIAS NA FÓRMULA 1

 

 

Dar boleias aos colegas da Fórmula 1, não é novidade o que se passou no passado fim de semana do Grande Prémio de Singapura, conforme imagem anexa.boleias

 

COMEMORAÇÕES ASTON MARTIN

COMEMORAÇÕES ASTON MARTIN

 

 

No ano de centenário, a Aston Martin continua a comemora de forma digna com diferentes eventos, conforme fotos anexas.ast1ast2ast3ast4ast5ast6ast7ast8

 

GALERIA DE IMAGENS

GALERIA DE IMAGENS

 

AMERICAN LE MANS SERIES

 

 

alms1alms2alms3alms4alms5alms6alms7alms8alms9alms10alms11alms12alms14alms15alms15alms16alms17alms18alms19alms20alms21alms22Grupo de imagens da prova que teve lugar no passado fim de semana nos Estadops Unidos.

 

SUCESSO DUNLOP

 

EQUIPA G-DRIVE RACING CONQUISTA CAMPEONATO DO MUNDO DE RESISTÊNCIA COM PNEUS DUNLOP

 

  • Completa volta mais rápida da prova na categoria LMP2 nas Seis Horas do Circuito das Américas.

Roman Rusinov, Mike Conway e John Martin transformaram a pole numa vitória no Campeonato do Mundo de Resistência da FIA (WEC) nas 6 horas do Circuito das Américas – à semelhança da última prova que tinha tido lugar no Brasil. Num dos campeonatos onde participam vários fornecedores de pneus que lutam pela vitória, a equipa G-Drive Racing classificou o Nissan Oreca com uma impressionante margem de um segundo na quarta volta/sistema de média dos dois condutores, com uma volta rápida individual de 1:54.656. Esse tempo foi inclusivamente melhorado com menos uma décima de segundo, reduzindo o tempo para 1:54,559 na volta mais rápida.

 

A equipa G-Drive não teve a vida facilitada durante a prova. Os Oak Racing Morgans nº 24 e nº35 adiantaram-se ao Oreca durante a primeira paragem nas boxes, passando para uma luta entre eles, talvez demasiado dura. Uma altercação levou os dois carros a necessitarem de assistência e a partir desse momento, depois de 2 horas e 30 minutos, não houve volta atrás para o G-Drive que cruzou a linha da meta com mais de uma volta de vantagem sobre o carro LMP2 na perseguição.

 

O Lotus nº32 fez a sua primeira aparição no pódio este ano, o primeiro para o Lotus T128, que terminou em terceiro lugar. Tendo começado como oitavo na sua categoria, manteve uma condução constante solucionando os problemas e subindo posto após posto.

 

O calendário do Campeonato Mundial de Resistência para 2014 foi conhecido este fim de semana com os mesmos circuitos e datas semelhantes às desta temporada.

 

"O circuito foi bastante fácil para os pneus e, tal como esperávamos, tinha a superfície lisa com pouca aderência. A mesma mudou ao longo do fim de semana, especialmente na sexta-feira quando não houve sessão de treino em piso seco, ao contrário de sábado em que a chuva abrandou. Durante a prova o tempo foi seco e quente e a temperatura ambiente atingiu os 32 graus, enquanto o piso do circuito chegou aos 50 graus centígrados“, afirma Mike McGregor, engenheiro de serviço.

 

“As equipas referiram que estavam impressionadas com o rendimento dos pneus, o que foi bom. Agora temos mais dados deste circuito para melhorar o design dos pneus para 2014“, acrescentou.

 

“Desde o início da prova que as nossas equipas foram capazes de fazer voltas duplas se assim quisessem e os tempos continuaram a ser consistentes. As voltas rápidas foram conseguidas com pneus que tinham superado as 40 voltas. O carro G-Drive correu muito bem, tal como o Lotus que conseguiu o seu primeiro pódio do ano. Foi uma pena que os carros da equipa Oak Racing tivessem problemas, mas tenho a certeza que voltaremos a vê-los em forma no Japão”, concluiu Mike McGregor.

 

Para conhecer todos os resultados e consultar o calendário de 2014: http://www.fiawec.com

                 

                                                                            

Acerca de Dunlop

A Dunlop é um dos maiores fabricantes de pneus para motos com um impressionante currículo de sucessos no motociclismo. A vasta experiência competitiva da Dunlop proporcionou o desenvolvimento de tecnologias inovadoras para pneus concebidos para o uso no dia-a-dia. Sempre com o objetivo de transmitir total confiança aos motociclistas, a Dunlop oferece a todos os tipos de motociclistas o desempenho e a durabilidade das mais recentes tecnologias de pneus. Em 2013 celebra-se o 125º aniversário da Dunlop e a criação do pneu pela mão do nosso fundador.

Muitos dos principais fabricantes de motociclos e scooters, incluindo KTM, Triumph, Honda, Kawasaki, Suzuki e Yamaha, aplicam produtos Dunlop de origem.

 

Para mais informações sobre a Dunlop visite www.dunlop.pt, a página do Twitter ou do FacebookPodium Circuit-des-Ameriques-6H

 

ALEXANDRE FRANCO QUER VENCER

 

Alexandre Franco só pensa na vitória em Idanha-a-Nova

 

Alexandre e Rui Franco asseguraram o vice-campeonato da Categoria T2 na ronda anterior, mas agora em Idanha-a-Nova o objectivo da equipa é muito claro: Obter a primeira vitória da temporada.

 

Depois de uma tremenda luta pela vitória na Baja TT Proença-Oleiros, que os levou a terminar em segundo a pouco mais de meio minuto dos vencedores, a dupla alenquerense assegurou o vice-título na Categoria T2, partindo para mais uma prova organizada pela Escuderia Castelo Branco com o claro intuito de vencer.

 

“Partimos para esta prova com o Vice-Campeonato garantido na Categoria T2 e o nosso objectivo passa exclusivamente por tentar atingir a vitória em Idanha-a-Nova”, começou por dizer o piloto da Scuderia Goldenstrans/DURA Automotive Systems.

 

Alexandre Franco contou-nos ainda que “esta é uma prova que gostámos muito de fazer o ano passado. Foi uma prova rápida mas também com algumas zonas de condução. Não será porventura a prova mais adequada para o nosso carro, mas vamos dar tudo para oferecer uma vitória á nossa equipa”.

 

“Em termos de campeonato, ainda não mandámos a toalha ao chão, mas sabemos que será bastante difícil poder chegar ao título pois não dependemos de nós, mas enquanto as contas estiverem em aberto, tudo pode acontecer, ainda que seja tremendamente difícil, como tal, o nosso objectivo para esta prova passa por andar de pé no fundo”, finalizou Alexandre Franco, que fazendo dupla com o seu irmão Rui Franco, tem sido uma das boas sensações do Campeonato de Portugal de Todo-o-Terreno, ocupando mesmo um excelente sexto posto absoluto.

 

A Baja TT Idanha-A-Nova vai ter lugar nos dias 27 e 28 de Setembro, sendo composta por dupla passagem por uma Super-Especial de 9,8 kms na sexta-feira, para no sábado se cumprirem mais 325 kms em sector selectivo.

 Alexandre Franco_Oleiros_2013

 

TRW LANÇA CATALOGO

TRW lança novo catálogo de Superkits de travão

O Superkit é o kit de travões de tambor pré-montado da TRW (maxilas de travão e cilindros de roda) que é eficiente não só em termos de tempo, como também de custos.

altA TRW acaba de lançar o catálogo 2013 para o seu programa de Superkits. O Superkit é o kit de travões de tambor pré-montado da TRW (maxilas de travão e cilindros de roda) que é eficiente não só em termos de tempo, como também de custos. O catálogo também inclui informação detalhada sobre a gama de kits de travão da TRW, que são fornecidos com as maxilas de travão e cilindros de roda, em separado, numa caixa. Esta notícia destaca a posição da TRW como fornecedor líder de peças e sistemas "Corner Module" – travagem, direção e suspensão.

O catálogo, com a referência, XDB 917D é composto por 312 páginas que incluem 400 referências de peça para veículos ligeiros de passageiros e comerciais ligeiros de 42 fabricantes globais de veículos.

A publicação está dividida em três secções e inclui: uma secção de aplicações; um “guia do comprador” com a indicação do modelo e a respetiva lista de material (maxilas de travão e cilindros de roda) dos kits e Superkits de travão e uma secção detalhada de ilustrações técnicas que apresenta os diferentes cilindros de roda e dimensões.

O Superkit da TRW inclui todos os acessórios necessários para uma substituição mais segura e mais rápida. Inclui a unidade pré-montada do regulador, porcas e tampas, não havendo assim a necessidade de reutilizar os componentes velhos e com desgaste. Além disso, a unidade pré-montada pode ser instalada diretamente no eixo, possibilitando uma reparação mais segura. Ao reduzir em cerca de 50 por cento ou 30 minutos o tempo para substituir um travão de tambor, este produto inovador poupa dinheiro ao consumidores e ajuda a aumentar as oportunidades de negócio dos distribuidores e das oficinas. 

"Em linha com a nossa abordagem de disponibilizarmos uma gama abrangente e em atualização constante, ao publicarmos catálogos regularmente, asseguramos que as oficinas têm sempre acesso à informação mais atualizada sobre as nossas peças" explicou Jürgen Mehlis, gestor de dados global da TRW. 

E acrescenta: “Uma grande vantagem do novo catálogo é a combinação da informação da aplicação do produto com os desenhos técnicos. Apresentar toda a informação relevante num único local significa que os nossos clientes têm um acesso fácil ao catálogo e aos dados técnicos, para uma identificação rápida e precisa das referências; algo imprescindível nos negócios de hoje." 

"O Superkit da TRW celebra o seu 21º aniversário este ano. Desenvolvido internamente nas nossas instalações, foi uma inovação pioneira na manutenção de travões," explicou o diretor dos serviços de marketing da TRW, Soeren Kristensen. "A ideia foi concebida para reforçar o nosso objetivo de fornecer aos nossos clientes peças de elevada qualidade, de uma forma conveniente; não só para ajudá-los a poupar tempo e, consequentemente, dinheiro, mas também para fornecer uma experiência de condução mais segura ao utilizador final."

Tal como todos os sistemas de travagem, os travões de tambor necessitam de verificação regular e as peças em mau estado devem ser imediatamente substituídas. A TRW recomenda que todos os componentes do sistema sejam substituídos ao mesmo tempo. "Como líder global em sistemas de travão de tambor para o Equipamento Original (OE), traduzimos diretamente esta experiência no mercado pós-venda com o 'Superkit da TRW', que fornece a solução perfeita." 

Todos os elementos que compõem os Superkits são rigorosamente testados segundo as normas equivalentes para o Equipamento Original (OE) da TRW: todas as maxilas de travão são homologadas pela ECE R90 e incluem o ajustador ideal para o modelo; os cilindros de roda estão disponíveis com ou sem válvulas reguladoras de pressão (dependendo da aplicação OE) e todos os produtos têm molas e ajuste automático, onde aplicável. 



TRW Superkit TRWEU1213

 

EUROPEAN LE MANS

 

EUROPEU DE LE MANS SERIES 2013 - round5 :

 


3 HORAS DE CASTELLET (27 & 28September )


ALPINE e Nelson Panciatici está pronto para a final!

Nelson Panciatici

Depois de uma vitória histórica no circuito Hungaroring , após 35 anos ausência , a equipe Signatech -Alpine atualmente compartilham o primeiro lugar no Europeu de Le Mans Series championship.As a última corrida da temporada se prepara para roaron o circuito Castellet , Nelson Panciatici se sente pronto para a batalha em um sonhos finais são feitos!
O Alpine A450 tem comprovadamente mostrado seu potencial em cada corrida, com resultado positivo anoverall de dois pódios e uma vitória nas quatro corridas do Europeu de Le Mans Series ( ELMS ) campeonato. No entanto, para levar o título , um desempenho de alto nível no circuito Castellet é agora praticamente obrigatório. A equipe Signatech -Alpine , gerido pelo Philippe Sinault , têm trabalhado em todos os detalhes que poderiam fazer a diferença.
Motivação da equipe é compartilhado por um confiante Nelson Panciatici :
" O Alpine A450 tem capacidade para vencer, que é , sem dúvida , os pontos butall são para a tomar, incluindo a pole position , asthey poderia fazer toda a diferença na contagem final! Sinto-me toda confiante equipe Signatech -Alpine becausethe estão motivados para winand eles trabalharam duro para isso. Com o meu co-piloto , Pierre Ragues , nós mostramos várias vezes que podemos obter o desempenho e fazer uma boa corrida . Além disso, eu sei Le Castellet bem , eu gosto do layout, mas eu ainda fui no simulador ellip6 para chegar em minhas marcas novamente. Tivemos a volta mais rápida nos testes de inverno, ourMichelin pneus respondeu realmente Welland estavam em perfeita harmonia com o nosso carro ! Pessoalmente , eu não quero focar o título nesta corrida , mas , como sempre, no objectivo de ganhar , e Le Castellet é a minha casa , haverá ainda tempo para rever nossa estratégia, porque a coisa mais importante será o de se distanciar nossa acompanhar os rivais para o título ! Motriz para Alpine é uma fonte de orgulho que nos dá tudo o que pouco de uma vantagem que deve inclinar a balança a nosso favor ! "
Para a equipe Signatech -Alpine , uma vitória no campeonato continua a ser a grande prioridade para este fim de semana e Nelson Panciatici vai , mais uma vez, quero ser uma parte dela!

 

SUGESTÃO DA SEMANA

 

TRIBECA e o FADO



Noite de FADO no TRIBECA Jazz Club & Restaurante!

Jantar e Concerto 29 euros p/ pessoa, reserva necessária.

Só Concerto (5 euros consumíveis)

Num local que todos já conhecem pelo seu glamour, bom atendimento e bom ambiente.

Jazz, Blues, Soul e Bossa Nova é sempre de Quarta a Sábado

Sempre uma noite diferente num local diferente...

 

TT EM ANGOLA

 

Rali do Huambo - Classificações



 

Terminou o maior (até ao momento) rali do CARR.

Maior Prova Especial de Classificação – 80 km (o ano passado 105 km)

Maior numero de km em PEC – 240 km (por erro da organização deveriam ter sido 320 km)

Maior numero de pessoas envolvidas na Organização – mais de 200

2º maior numero de participantes – 40 pilotos

Estreias absolutas de pilotos no CARR: Paulo Trindade, Pajó Trindade, Alexandre Lopes, Hugo Carvalho, João Paulo Amaral. Regresso aos ralis do “veterano” Jorge Portugal.

Estreias absolutas de viaturas: Can-Am 1000 RSX (classe E2), Can-Am DXS 450 R (classe Q), Bombardier 650 DS (classe Q), Polaris Scrambler 850 (classe Q) e Isuzu D-Max (classe TT).

As famílias como pilotos também aumentaram: Maló (pai) e Deborah (filha), Paulo Trindade (pai) e Pajó (filho), José Mira (pai) e Cristiano (filho), Zé Comando (pai) e Joshua (filho).

Na Classe M, Vuty continua a vencer sem oposição. Talvez no próximo rali o Hugo Carvalho se possa aproximar e dar luta. De qualquer maneira o Vuty andou bem depressa fazendo os 80 km em 47 minutos 27 segundos, média de 101 km/h. Rui Afonso despistou no Prologo e partiu uma clavícula.

Na classe Q, o jovem Tiago Moniz do Namibe continua à espera que apreça um adversário. José Fernandes também se despistou no prologo e foi prontamente assistido pela MedLine. Como esteve inconsciente durante alguns minutos pensava-se que poderia ter tido consequências graves mas já tudo foi ultrapassado.

Na classe E1, João Lago foi fortemente aplaudido pela assistência por ter levado o FBF com motor Aprilia até ao fim.

Classe E2, a mais concorrida, levou novamente ao podium João Lota. Rodrigo Morais já a pensar em recolher pontos para o Campeonato, tentou acompanhar o seu adversário mas sem sucesso. Excelentes provas dos “Eleven” Miguel Mota e Xana Santos.

A Classe TT infelizmente só teve a presença de 2 pilotos e a dupla Miguel Raposo/Pedro Jesus aproveitou a adaptação do Maló/João Paulo à nova Isuzu e ganhou.

Com o Rali do Huambo realizou-se a 1ª prova do Polaris Cup.

De realçar a presença de 2 helicópteros que apoiaram a organização em termos de segurança e de divulgação da prova com as equipas de filmagens dos programas Motores e Ignição.

 

Bombardier 650_DSCan-Am MaverickCan Am_DSX_450_RPolaris Scramber_850

Próxima prova: Rali Porto Amboim dias 5 e 6 de Outubro.

 

BLUE PRINT

Blue Print – Nova Extensão da Gama de Amortecedores de Mala

As portas das bagageiras são um dos componentes do veículos mais sujeitos a stress.

alt Após o lançamento da gama de Amortecedores de Mala em 2012, a Blue Print continua a investir nesta família de produtos e por isso realiza agora um generoso alargamento da gama, dando assim seguimento à sua premissa de contínuo aumento da oferta de peças para veículos Asiáticos e Americanos.

As portas das bagageiras são um dos componentes do veículos mais sujeitos a stress, e por isso os Amortecedores de Mala tem tendência a falhar, visto que são submetidos a forças não controladas, o que leva a um desagaste prematuro.

Tendo por base os comentários e solicitações dos clientes, a Blue Print decidiu reforçar o número de produtos desta gama, e por isso introduziu no mercado 121 novas referências, dispondo agora de um total de 167 referências de Amortecedores de Mala, que permitem cobrir mais de 1.180 aplicações em veículos Asiáticos, Americanos e Europeus, muito populares no nosso país.

De destacar ainda a inclusão de novas referências de Amortecedores específicos para a utilização em Capots e Vidros Traseiros.

Para mais informações sobre esta família de produtos, apenas terá que consultar a secção de Carroçaria dentro do catálogo eletrónico Blue Print LIVE!, estando ainda disponíveis as dimensões dos produtos e imagens de alta-resolução.

Como em todos os produtos Blue Print, os Amortecedores de Mala estão abrangidos pelos 3 Anos de Garantia contra defeitos de fabrico.



Expansão Gama

 

KART - BRASIL

Visando Copa Brasil, Gianluca Petecof destaca evolução após disputa da Fórmula Minas

Durante a prévia da principal competição do kartismo do país neste fim de temporada, paulista buscou adaptação ao traçado mineiro no último fim de semana

A preparação de Gianluca Petecof para a Copa Brasil de Kart, competição que ocorre entre 8 e 12 de outubro no Kartódromo RBC Racing, em Vespasiano (região metropolitana de Belo Horizonte), teve um momento crucial no último fim de semana. Isso porque o paulista de 10 anos esteve no traçado mineiro para a disputa da Fórmula Minas, prova que serviu como prévia para o campeonato nacional. O objetivo principal do campeão brasileiro na categoria Júnior Menor era se adaptar melhor ao traçado e aprimorar as técnicas de pilotagem nesta pista, além de encontrar o melhor acerto para o seu kart, preparado pela equipe ONS Motorsport.

A participação de Gianluca em Vespasiano começou ainda na quinta-feira, quando disputou seu primeiro treino livre. No dia seguinte, foram realizadas mais três sessões no kartódromo mineiro. A boa quilometragem obtida acabou sendo fundamental para Petecof se ambientar à pista onde esteve poucas vezes, como em 2010, quando ainda era piloto da categoria Mirim, e neste ano, correndo no GP Nacional, em maio.

Na manhã de sábado, o jovem paulista foi à pista para a tomada de tempos, obtendo a terceira melhor marca. Desta forma, Gianluca abriu a segunda fila do grid na primeira bateria no RBC Racing. Nesta prova, largou bem e pulou para segundo, partindo para cima do líder durante boa parte da etapa, mas acabou perdendo rendimento na metade final da peleja, cruzando a linha de chegada em 5º. Nesta posição, Petecof abriu a disputa da segunda bateria. O paulista foi galgando posições com bastante propriedade e terminou a bateria derradeira da Fórmula Minas em 3º. Com a soma dos resultados, o piloto da ONS Motorsport fechou a competição em quarto lugar no geral da Júnior Menor.

Depois de ter encarado três competições em três finais de semana seguidos — Copa SP Light, Super Kart Brasil 13 e Fórmula Minas —, Gianluca faz uma pausa de uma semana e volta a competir no começo de outubro, quando retorna ao Kartódromo Internacional da Aldeia da Serra para correr a oitava etapa da Copa SP Light. E depois, Petecof viaja novamente para Minas Gerais para tentar mais um título nacional em 2013 na Copa Brasil, em Vespasiano.

Gianluca Petecof:

"Foi muito bom ter corrido neste fim de semana lá em Vespasiano como preparação para a Copa Brasil. Sempre gostei da pista, mas como corri poucas vezes lá, precisava me adaptar melhor. Conseguimos evoluir bastante, tanto na minha pilotagem como no acerto do carro. Tivemos uma sequência intensa de corridas, e agora vou aproveitar esse intervalo para descansar um pouco, colocar os estudos em ordem e ir com tudo para a Copa SP Light e, depois, para a Copa Brasil para fechar com chave de ouro esta maratona."

 

Gianluca Petecof destacou evolução obtida após prova no Kartódromo RBC Racing
Luiz Pinheiro

Clique na imagem para fazer o Donwload...

Piloto faz uma semana de pausa antes de etapa da Copa SP Light e da Copa Brasil
Jackson de Souza

Clique na imagem para fazer o Donwload...

 

VENDA DE LIGEIROS EM QUEDA

Vendas de ligeiros de passageiros na UE: Queda de 5,2% de Janeiro a Agosto; menos 5% em Agosto

Mercado Automóvel na Europa (UE-27).

alt 
Depois de um aumento de 5,0% em Julho, as matrículas de veículos ligeiros de passageiros cairam 5,0% em Agosto. O mês de Julho contou, em média, com mais um dia de trabalho em toda a UE, enquanto o mês de Agosto contou com um dia a menos, face aos meses homólogos de 2012.

Nos oito primeiros meses deste do ano, as vendas de veículos ligeiros de passageiros cifraram-se em 7.841.596 unidades, ou seja, 5,2% menos do que no mesmo período do ano passado.

Em Julho, Itália foi o único grande mercado a diminuir (-1,6%).Por sua vez, foi registado um crescimento de 0,9% em França, de 2,1% na Alemanha, de 12,7% no Reino Unido e de 14,9% em Espanha. No total, foram vendidos na UE 982.544 veículos ligeiros de passageiros, isto é, mais 5,0% do que em Julho de 2012.

Em Agosto, a queda prevaleceu em todos os mercados significativos, resultando numa diminuição global de 5,0% na UE. O Reino Unido foi o único mercado importante a crescer (10,9%), enquanto o mercado alemão contraiu 5,5%, o italiano menos 6,6%, o francês menos 10,5% e o espanhol menos 18,3%. As vendas de veículos ligeiros de passageiros na UE totalizaram 653.872 unidades no mês de Agosto.

De Janeiro a Agosto, a maioria dos principais mercados registaram quebras desde menos 3,6% em Espanha, a menos 6,6% na Alemanha, a menos 9,0% em Itália e a menos 9,8% em França. O mercado do Reino Unido foi o único a comportar-se melhor do que nos primeiros oito meses de 2012 (mais 10,4%). As vendas totais de veículos ligeiros de passageiros acumuladas no período em análise ascenderam a 7.841.596, o que representa o menor nível deste período (Janeiro a Agosto) alguma vez já registado(**).

 
alt





Gráfico Europa (1) Gráfico Europa (2)
 

VOLKSWAGEN LANÇA MARCA DE USADOS

 

Volkswagen lança marca de usados Das WeltAuto

 


dasweltauto logoDas WeltAuto_01 "Das WeltAuto" é a nova marca de automóveis usados lançada pela Volkswagen em Portugal. O objetivo da Volkswagen é propor uma oferta de veículos usados de várias marcas, sob o lema “Usados de Confiança. Garantidamente”, com o serviço de qualidade que só a sua rede de Concessionários pode oferecer. Com o compromisso Das WeltAuto, a Volkswagen está empenhada em fazer todos os esforços para garantir a total satisfação dos seus clientes na compra do seu automóvel usado.
Toda a informação detalhada em www.dasweltauto.pt.
Das WeltAuto é a nova marca de automóveis usados distribuída numa rede selecionada de Concessionários Volkswagen.
Cada automóvel usado vendido sob a marca Das WeltAuto é avaliado por técnicos especializados da Volkswagen, que garantem que ele é totalmente compatível com os mais elevados padrões de qualidade.
Com este programa, a Volkswagen assume um compromisso com os seus clientes, do qual se destacam os seguintes pontos:
• Viaturas multimarca
• Recondicionamento profissional Volkswagen
• Verificação de qualidade multipontos
• Garantia de 12 a 48 meses
• Satisfação ou troca até 15 dias (ou 1000Km)
• Serviço de mobilidade com Viatura de substituição
• Opções de financiamento
• Ensaio dinâmico
• Possibilidade de retoma
PRESS RELEASE
2
www.dasweltauto.pt www.volkswagen.pt
O site www.dasweltauto.pt disponibiliza, através de um serviço de localização de veículos, toda a oferta em cada momento, sendo possível pesquisar por tipo de automóvel, marca, modelo, idade, combustível ou número de quilómetros.
Das WeltAuto. Usados de Confiança. Garantidamente.
Marketing e Comunicação SIVA / Volkswagen
Ricardo Tomaz
Telef.: 263 407 217 / 263 407 256
Este endereço de e-mail está protegido de spam bots, pelo que necessita do Javascript activado para o visualizar
www.sivaonline.pt / www.volkswagen.pt

 

NOVO CATÁLOGO METELLI

Novo catálogo da linha de peças de transmissão Metelli e Cifam

Novo design e é mais competitivo do que nunca, com 567 novas referências, elevando o número total de produtos a mais de 2.100.

alt A Metelli Group, um ponto de referência há muito estabelecido no mercado de pós-venda, continua a ampliar a sua oferta: 2.118 referências cobrindo cerca de 1.150 modelos de veículos diferentes – estes são os números do Catálogo de Transmissão 2013 da Metelli e Cifam. 

O catálogo 2013 foi ampliado com 74 novos códigos de referência para juntas de velocidade constante (JVC) e 94 para eixos cardãs, apresentando ainda um novo produto: o fole de proteção – na parte lateral da roda e da caixa de velocidades - que integra a linha de peças de transmissão da Metelli Group, aumentando o número de referências para um total de 567.
Adicionalmente, o catálogo apresenta os primeiros novos códigos para juntas de velocidade constante com eixo cardã para o modelo Toyota Yaris, que estarão disponíveis este ano.

As peças de transmissão que oferecemos atualmente são:

- Juntas de velocidade constante, 738 referências 
- Eixos cardãs, 811 referências 
- Fole de proteção, 567 referências 
- Juntas de velocidade constante com eixo cardã, 2 referências

Para além de uma linha de produtos significativamente mais extensa, o Catálogo de Transmissão 2013 apresenta um design completamente novo e uma capa em que se encontram os logótipos da Metelli Group e o seu novo slogan “More than just Aftermarket”. 

Uma operação de remodelação perfeitamente coerente com o projeto de reposicionamento da marca lançado pela Metelli Group o ano passado, que inclui uma revisão meticulosa de todas as ferramentas de comunicação do grupo: documentação institucional e comercial, campanhas publicitárias, vídeo da empresa, embalagem e página Web.



COP_METELLI_TRASMISSIONI COP_CIFAM_TRASMISSIONI

 

BOSCH CAR SERVICE

Bosch Car Service firma parceria com Rádio Popular

Rede de oficinas pretende continuar a dinamizar a sua rede de parceiros.

alt A rede de oficinas Bosch Car Service em Portugal acaba de celebrar uma parceria com as lojas Rádio Popular, com vantagens especiais para os clientes portadores de cartão em loja.

Ao apresentarem o cartão de crédito Rádio Popular a uma oficina aderente da rede Bosch Car Service, os clientes Bosch/Rádio popular terão direito a 50% de desconto na Carga de Ar Condicionado. 

Como aderir?

Para aderir basta ser portador do cartão de crédito da Rádio Popular, consultar a oficina mais próxima através do site www.boschcarservice.pt e marcar o serviço. 
A parceria é válida até 03/12/2014 e irá atingir cerca de 50.000 pessoas em todo o país.

A campanha estará em vigor até ao final de 2014. Mais informações através do microsite https://www.radiopopular.pt/rp-on/index.php ou através da linha de apoio ao cliente Bosch Car Service: 800 50 40 30. 



Bosch Car Service
 

RALIS NO BRASIL

Divulgação
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Piloto Marcus Cotton
Alta | Web

Divulgação
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Equipe durante etapa de Erechim (RS)
Alta | Web

Divulgação
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Peugeot 207 XRC
Alta | Web

 

XRC Brasil também terá Marcus Cotton como representante no Rally de Velocidade em Cascavel


O piloto paulista contará com o navegador Gilson Rocha pela equipe ProMacchina Rally para a etapa do Brasileiro no oeste paranaense

O piloto Marcus Cotton foi convidado para compor o time da ProMacchina Rally a bordo do modelo Peugeot 207 XRC projeto da XRC Brasil, no Rally de Cascavel, que também é válido como a 4ª etapa do Campeonato Brasileiro de Rally de Velocidade. São três dias de muita disputa em uma das provas mais aguardadas do ano, na cidade de Cascavel (PR) e toda a programação estará concentrada no Autódromo Internacional Zilmar Beux, entre os dias 27 a 29 de setembro.

Com a responsabilidade conduzir o modelo 100% brasileiro que leva o número 31, o piloto Marcus Cotton espera corresponder a confiança da XRC durante a competição na próxima semana, de 26 a 29 de setembro. O piloto paulista que disputou o Rally dos Sertões, Campeonato Brasileiro de Rally Cross-country e algumas etapas do Brasileiro de Velocidade-CBR já testou o veículo no mês de agosto e só tem impressões positivas do novo modelo.

"Para esta etapa ambos os carros da equipe estarão contando com novos componentes mecânicos. O XRC está em constante evolução, será um imenso prazer poder participar e colaborar com o projeto. Estou muito feliz com a oportunidade de poder guiar um carro desenvolvido totalmente no Brasil por brasileiros. Agradeço ao Mauricio Neves e ao Armando Miranda pela confiança depositada e espero poder cumprir as expectativas, darei o meu melhor", disse Cotton.

Os dois Peugeot 207 XRC da equipe ProMacchina Rally estão prontos e preparados, seguindo o regulamento com o que de melhor existe em termos de competitividade. "A presença do Marcus Cotton é muito bem vinda a equipe. Com a grande experiência dele como preparador e piloto em diversas categorias enriquece o projeto XRC como um todo. O feedback do Cotton após disputar uma etapa completa do campeonato com o XRC vai nos ajudar a consolidar com uma opinião de quem conhece e disputa várias categorias. Isso vai engrandecer ainda mais o projeto XRC e agregar mais um grande piloto a categoria 4x4", afirma Armando Miranda, um dos sócios do projeto do XRC Brasil.

Segundo Cotton, o Campeonato Brasileiro de Rally de Velocidade é uma modalidade fantástica, exige muita técnica aos pilotos e navegadores e não admite erros. "A categoria 4x4 é a Formula 1 do Rally de Velocidade. Os carros são extremamente rápidos e com muita tecnologia empregada, sem falar no alto nível dos pilotos e navegadores. E, tecnicamente falando, conheço bem o carro. O motor é o mesmo que utilizo em nossa Protom no Cross-country. O câmbio sequencial também já utilizamos anteriormente e com certeza não terei maiores problemas para me adaptar com isso", friza o piloto.

"Já na questão 'horas de voo', tive apenas um único e curto contato recentemente, fiz um treino juntamente com o Mauricio em Curitiba. Foi mais para conhecer o carro, mas aproveitei para absorver todas as dicas a mim passadas por ele, foi bem legal", acrescenta.

A expectativa da equipe para o Rally Cascavel é de repetir as boas atuações e buscar mais uma vitória. "Além de rápido o Cotton é profundo conhecedor da parte técnica dos carros de corrida. Por conta disso, estamos muito contentes em tê-lo guiando o veículo XRC. Como aconteceu na última etapa em Ouro Branco (MG), - uma primeira colocação e um quarto lugar -, queremos completar a prova com os dois carros, se possível, pontuando no campeonato", declara Miranda.

Na sexta (27) acontece o reconhecimento dos cinco trechos de velocidade, Shakedown (treino oficial) e a Largada Promocional. Já no sábado e domingo, serão disputadas as 15 especiais (trechos cronometrados) válidas pelas 7ª e 8ª provas do CBR. "Minha expectativa é adquirir a maior quilometragem possível nesta etapa de estreia, concluindo todas as especiais para poder me adaptar o mais breve possível com o carro", finaliza Marcus Cotton.

O XRC

Criado para aproximar os carros de rali do Brasil com o que existe de melhor na categoria no mundo, o XRC permite a utilização de diversos tipos de monobloco sob uma base mecânica padrão. Isso permite igualdade entre os carros e garante um verdadeiro show para os espectadores. Mais informações pelo www.xrcbrasil.com.br.

A XRC Brasil Team/ ProMacchina Rally contam com o patrocínio de Dmack Pneus, RedBull, Somoz Sport Branding e Astrus Web.

Ficha técnica do Peugeot 207 XRC:

Geração 4X4 - XRC
Motor: V6 aspirado
Potência e torque: 330 cvs e 50mkgf de torque
Combustível: Etanol
Tração: 4x4 Full time
Transmissão: Câmbio sequencial de 5 marchas
Velocidade máxima: 210 km/h

Calendário Campeonato Brasileiro de Rally de Velocidade:

Etapa 1 - 16 a 17/03 - Canela (RS)
Etapa 2 - 18 a 19/05 - Erechim (RS)
Etapa 3 - 15 a 16/06 - Ouro Branco (MG)

Etapa 4 - 26 a 29/09 - Cascavel (PR)
Etapa 5 - 09 a 10/11 - Atibaia (SP)

Programação:

Sexta-Feira - 27 de setembro de 2013
08h00 - Abertura da Secretaria de Prova e Reconhecimento das Especiais
08h30 - Reunião Geral Organização
09h00 - Apresentação para Vistoria Veículos 4x4
10h00 - Apresentação para Vistoria Veículos 4x2
13h00 - Início Shakedown Veículos 4x4
14h00 - Final Shakedown Veículos 4x4
14h01 - Inicio Shakedown Veículos 4x2
16h00 - Final Shakedown Veículos 4x2
16h00 - Divulgação Ordem de Largada
18h30 - Palestra sobre doping CBA (obrigatório presença da dupla)
19h00 - Fechamento Secretaria de Prova
19h30 - Parque Fechado Largada Promocional
20h00 - Início Largada Promocional
21h00 - Reunião Geral Organizadores Rally

Sábado - 28 de setembro de 2013
08h00 - Abertura Secretaria de Prova
08h00 - Parque Fechado
09h00 - Largada Primeiro Carro
15h00 - Encerramento Especiais
17h00 - Parque Fechado
17h00 - Início Festa Pilotos e Organização
17h00 - Fechamento Secretaria de Prova

Domingo - 29 de setembro de 2013

08h00 - Abertura da Secretaria de Prova
09h00 - Início Especiais
14h00 - Encerramento Especiais
15h00 - Vistorias
15h30 - Rampa de Premiação


 

AUDI COMEMORA VITÓRIA Nº 100

 

Campeonato WEC no Circuito das Américas

 


Audi comemora 100ª vitória
na categoria LMP em Austin

 


• Duval / Kristensen / McNish asseguram mais um marco histórico para a Audi
• Audi R18 quattro e-tron permanece invicto em 2013
• Os vencedores de Le Mans consolidam a liderança do campeonato WEC

 


 A Audi conquistou mais um marco histórico na sua estreia no circuito texano de Austin em mais uma jornada do Campeonato Mundial de Resistência da FIA (WEC). Na presença do Diretor da Audi Motorsport, Dr. Wolfgang Ullrich, a marca comemorou na jornada americana a 100ª vitória numa corrida da categoria LMP. Depois de a Audi ter assegurado a sua primeira vitória de sempre também na América – em Sebring, no dia 18 de março de 2000 – agora foi a vez de acontecer o centésimo triunfo. Quer naquela temporada quer na atual época o carro vitorioso foi inscrito pela Audi Sport Team Joest, enquanto Tom Kristensen integrou a equipa vencedora nestas duas corridas.
Com uma temperatura climatérica de 28 graus centígrados e temperatura na pista de 45 graus, a Audi continuou invicta em vitórias na temporada 2013 ao ter uma prestação de topo na jornada disputada no Circuito das Américas. Loïc Duval, Tom Kristensen e Allan McNish comemoraram no exigente traçado texano de Austin a sua terceira vitória no WEC 2013. Anteriormente, este trio de pilotos já havia vencido das corridas realizadas em Silverstone e nas 24 Horas de Le Mans. O Audi R18 e-tron quattro “número 2” cruzou a linha de chegada com 23,617 segundos de vantagem sobre o Toyota segundo classificado. Para a marca dos quatro anéis, esta foi a quinta vitória consecutiva no

WEC 2013 e a sexta também seguida na categoria LPM, contabilizando o triunfo nas 12 Horas de Sebring, realizadas em março passado.
Além de uma condução sem erros, a inteligência tática foi fundamental nesta jornada, pois ao contrário do que é comum em outras corridas, nem todos os pit-stop realizados para troca de pneus foram acompanhados por mudança de piloto. Como resultado, os pilotos da Audi conseguiram não só ganhar tempo como rodar de forma ainda mais consistente com os pneus da Michelin, o que não permitiu manter sempre um elevado e inalterado ritmo de corrida.
A temporada de sucesso do carro “número 2” foi contrastada pelo infortúnio do Audi R18 e-tron quattro “número 1” que teve ao seu volante Marcel Fässler, André Lotterer e Benoît Treluyer. Depois de na fase inicial desta corrida de seis horas, Fässler se ter envolvido em vários e difíceis duelos com outros concorrentes, nomeadamente com o Toyota “número 8”, recebeu uma advertência da direção da corrida, o que o fez baixar na classificação. Paralelamente, a Audi foi forçada a mudar o danificado difusor traseiro do R18 e-tron quattro, após uma forte colisão que originou também problemas num fusível elétrico que se soltou. Como resultado, a caixa de velocidades elétrica da transmissão também sofreu danos o que obrigou a uma paragem suplementar nas boxes, na sequência de um pedaço de relva artificial ter ficado preso na parte inferior da carroçaria do carro (o que obstruiu o fluxo de ar de arrefecimento) durante uma manobra fora da pista. Posteriormente, Benoît Treluyer iniciou uma recuperação notável e estabeleceu a volta mais rápida da corrida. Mas ao alargar em demasia numa curva a trajetória o carro saiu dos limites regulamentares do traçado, o que obrigou a um drive-through. No final, os campeões do mundo do ano passado tiveram de se contentar com o terceiro lugar na corrida disputada em Austin.
Em termos da classificação no campeonato, os vencedores em Austin consolidaram a sua liderança: Duval, Kristensen e McNish tinham chegado ao Texas com uma vantagem de 22 pontos e agora partem para a próxima jornada no Japão, com mais 33 pontos que os segundos classificados. A sexta de oito corridas do WEC 2013 irá ter lugar no circuito japonês de Fuji, no dia 20 de outubro.

 


Classificação final

 


1. Duval / Kristensen / McNish (Audi R18 e-tron quattro), 187 voltas
2. Buemi / Davidson / Sarrazin (Toyota), a 23,617s
3. Fässler / Lotterer / Tréluyer (Audi R18 e-tron quattro), a 1 volta
4. Beche / Heidfeld / Prost (Lola-Toyota), a 4 voltas
5. Conway / Martin / Rusinov (Oreca-Nissan), a 9 voltas
6. Kaffer / Perez Companc / Minassian (Oreca-Nissan), a 10 voltas
7. Charouz / Holzer / Kraihamer (Lotus), a 13 voltas
8. Graves / Junco / Walker (Oreca-Nissan), a 14 voltas
9. Dyson / Kimber-Smith / Zugel (Zytek-Nissan), a 15 voltas
Audi WEC_Circuito_das_AmericasAudi WEC__Duval_Kristensen_McNish_
10. Brundle / Heinemeier Hansson /Pla (Morgan-Nissan), a 15 voltas
As 100 vitórias da Audi na categoria LMP:
Audi R8 (2000-2006): 63 vitórias
Audi R10 TDI (2006-2008): 22 vitórias
Audi R15 TDI (2009-2011): 3 vitórias
Audi R18 TDI/ultra/e-tron quattro (desde 2011): 12 vitórias
Próxima corrida: Fuji (Japão), em 20 de outubro

 

EQUIP AUTO 2013

Equip Auto 2013: Fóruns, Workshops e Forte Mobilização das Redes

Em Paris de 16 de Outubro a 20 de Outubro 2013.

alt De acordo com a pesquisa* realizada pela EQUIP AUTO em maio de 2013, 72% dos profissionais têm uma visão pró-ativa para o investimento.

Além de materiais e compra de equipamentos, nesta pesquisa realizada pela EQUIP AUTO, a formação é frequentemente descrita como o terceiro fator mais importante. O seu objetivo? Desenvolver os seus serviços e fazer valer os seus conhecimentos.

Com um programa completo de fóruns e workshops de formação, a EQUIP AUTO 2013 oferece aos profissionais uma oportunidade única para adquirirem todas as habilitações necessárias para satisfazer as necessidades de um mercado em mutação, num único lugar:

• Do virtual para o mundo real, a GNFA irá fazer sete workshops. As sessões irão explorar vários temas "ao vivo" (controlo do circuito Common Rail, substição de pastilhas de travão...).

• O F.N.A.A. sabe como envolver um grande número de profissionais e compartilhar os seus conhecimentos sobre temas como motores limpos, gestão, negociação...

• A Gieg dá um olhar mais de perto nos MOTs, concentrando-se sobre a evolução da tecnologia dos equipamentos e o seu impacto nos centros e oficinas de reparação. Nafeira, o grupo vai oferecer uma gama variada e abrangente de atividades para fornecer aos profissionais informações relevantes, desde a gestão do veículo até aos relatórios MOT.

• Materiais inovadores de carroçaria serão demonstrados e testados no Centro de Inovação da FCC, permitindo que os reparadores de carroçaria experimentem os equipamentos de última geração.

• Nova mobilidade e tecnologias de pós-venda serão temas-chave para o Gnesa, educar e informar os profissionais de reparação.

Fóruns dedicados e qualificados

• O Fórum Internacional: quarta-feira 16 de outubro de 2013, dedicado aos compradores, importadores e distribuidores e organizado pela GIPA, vai apresentar uma melhor compreensão dos mercados internacionais.

• O Argus Club: Melhorar a procura no mercado de segunda mão - quarta-feira 16 de outubro de 2013, organizado pela L' Argus, em que especialistas e profissionais discutirão questões do mercado de carros usados.

• O After Sales Manufacturer Forum: Negócios e Soluções - quinta-feira 17 de outubro de 2013, organizado pelo Jornal de l' Automobile, vai destacar as vantagens e drivers de crescimento apresentados pelos novos requisitos. A primeira mesa-redonda vai apresentar fatores-chave na manutenção e desenvolvimento do pós-venda de receitas (internet, peças online e gestão de inventário, tecnologia, recuperação e reutilização de materiais...). A segunda seção dedicada ao uso do CRM e alcance de marketing para identificar, atrair e reter clientes (geo- marketing, comunicação local, novas estratégias de TI...).

• O After-Sales Forum: sexta-feira 18 de outubro de 2013 , organizado pela Auto Info, vai olhar para as questões do ponto de vista do utilizador final e propor debates sobre dois temas: preços das peças, com a pergunta "As peças são muito caras? " e competição e rede de trabalho, perguntando " Que marca devem os utilizadores escolher por manter e reparar seu veículo?".

(*) Pesquisa realizada para a Equip Auto pela MRC&C entre os dias 7 e 22 de maio de 2013 a partir de uma amostra de 732 profissionais franceses do aftermarket automóvel: oficina integrada, reparação de carroçaria, centros de reparação rápida, concessão/ ramo, mecânica de reparação de automóveis, oficinas de reparação autorizadas/ agentes. O documento completo está disponível mediante pedido á CLC Communications.


A FORTE MOBILIZAÇÃO DAS REDES NO EQUIP AUTO 2013 REFLETE AS MOTIVAÇÕES DA FILEIRA DO PÓS VENDA AUTOMÓVEL

A menos de duas semanas do início do Salão EQUIP AUTO 2013, o novo setor dedicado às redes apresenta-se "completo”!
As inúmeras redes de oficinas de reparação presentes, são a prova de que a nova estratégia do salão funciona. Em proveniência do mercado da reparação e dos arranjos correntes, da carroçaria, do pneumático, do controlo técnico ou ainda da lavagem tais como: Acoat Selected, Autodistribution, Autolia (AGRA & Proximeca), Autovision, Axial e Best Repair, Checkstar, Dentmaster, Euromaster, Midas, Norauto, Motaquip, Point S, Precisium Groupe, e Speedy estarão presentes a fim de:

- promoverem a sua marca,
- dinamizarem as trocas entre utilizadores e fornecedores,
- mobilizarem os seus aderentes e filiados,
- favorecerem o recrutamento de novos aderentes…

Cada um se exprime sobre a sua estratégia e ambições: Bruno Pourret, Responsável pela rede das carrocerias, Acoat Selected em França : "A nossa participação no salão vem confortar a nossa posição no mercado da reparação-carroçaria. Acoat Selected distingue-se com um vasto programa articulado em torno de 10 packs que permitem aos seus aderentes o reforço das suas competências e da sua atratividade. EQUIP AUTO é a ocasião para nos encontrarmos com todos os atores do pós venda automóvel: reparadores, distribuidores, prescritores e vendedores de equipamento… e também de apresentarmos aos aderentes de Acoat Selected as últimas novidades tecnológicas SIKKENS ao serviço da rentabilidade".

André Brutinel, Presidente, do Autolia Group: "Associamo-nos à dinâmica de valorização da profissão e das competências na qual evolui o Salão EQUIP AUTO. Pela 1ª vez desde a sua criação, Autolia estará presente neste salão, com um stand destinado ao acolhimento dos seus associados. As 3 organizações que formam a Autolia, AGRA, Flauraud e TF irão apresentar os nossos valores e expor a nossa mais-valia – Relação Humana, Coesão e Independência. Este encontro representa para nós uma grande oportunidade para ir ao encontro dos nossos futuros aderentes e reforçar o nosso sentido de proximidade. Yannick Savina, Diretor de marketing e de Técnica, Autodistribution : "EQUIP AUTO é um evento de grande importância para a nossa profissão. Este ano, reunimos o conjunto das nossas marcas e serviços num só stand a fim de oferecer aos visitantes uma visão geral da nossa de modo a reafirmarmos a nossa posição de especialistas da distribuição de peças e da reparação automóvel independente.



Equip Auto (1) Equip Auto (2)

 

LAMY FICOU DE FORA

 

Campeonato do Mundo de Resistência – FIA WEC

Problemas mecânicos ditam abandono de Lamy nos EUA

 

 

Problemas mecânicos no Aston Martin de Pedro Lamy impediram o piloto português de conseguir um bom resultado este fim-de-semana na quinta jornada do Campeonato do Mundo FIA de Resistência, que decorreu no Circuito das Américas, no Texas, EUA. Se nos treinos cronometrados as coisas pareciam estar a correr de feição a Pedro Lamy, que registou a terceira melhor marca para a grelha de partida, a corrida acabou por ficar estragada com um problema no acelerador e posteriormente na suspensão do carro nº 98.

 

Logo na parte inicial da corrida, Richie Stanaway, companheiro de equipa de Pedro Lamy, sentiu problemas no acelerador do carro perdendo cerca de 3 voltas para o líder da categoria GTE Pro. “Depois deste incidente inicial ainda tentámos recuperar o tempo perdido, mas infelizmente, a suspensão do carro cedeu na passagem por um corrector numa zona muito rápida, que aliás lesou vários pilotos ao longo da corrida. O resultado não foi o pretendido mas, as corridas são assim e teremos que tentar na próxima jornada do Mundial”, esclareceu Pedro Lamy no final da corrida americana do Mundial de Resistência.

 

A próxima prova do Campeonato do Mundo FIA de Resistência disputa-se a 20 de Outubro no Japão.

 Lamy America01

 

DOBRADINHA NISSAN

 

CAMPEÕES! A NISSAN FAZ A DOBRADINHA EM NÜRBURGRING

 

 

CAMPEÕES!
A NISSAN FAZ A DOBRADINHA EM NÜRBURGRING

- A Nissan GT Academy RJN assegurou o título reservado às equipas do Blancpain Endurance Series

- O espanhol Lucas Ordóñez conquistou o título de pilotos do Blancpain Endurance Series

- Depois dos títulos mundiais na categoria GT1, este é o primeiro título de GT3 do Nissan GT-R

A Nissan GT Academy Team RJN conquistou o título de equipas do Blancpain Endurance Series, na categoria Pro-Am. Naquela que é uma das mais prestigiadas e competitivas competições internacionais de GT3, igualmente destaque para o facto de Lucas Ordóñez ter assegurado o ceptro de pilotos. Os 1000 km de Nürburgring foram o palco da consagração no passado fim-de-semana.

O combate Nissan vs. Ferrari nunca chegou a acontecer, dado que a ameaça da Ferrari esmoreceu na fase inicial da corrida. A competir com dois Nissan GT-R Nismo GT3, a equipa Nissan somou vitórias e lugares no pódio em pistas como Monza, Silverstone, Paul Ricard, Spa-Francorchamps e, finalmente, Nürburgring. Ao longo da temporada, os GT-R foram superiormente pilotados por vencedores do GT Academy, nomeadamente Lucas Ordóñez, Jann Mardenborough, Wolfgang Reip, Mark Shulzhitskiy, Peter Pyzera, Steve Doherty e também Alex Buncombe.

E, se o vencedor da edição de estreia do GT Academy, Lucas Ordóñez, já conquistou proezas como os pódios em Le Mans, em 2011 e 2013, a verdade é que este foi o primeiro título da carreira do espanhol. O corolário lógico de uma época notável, em que ainda subiu nas exigentes e difíceis 24 Horas do Dubai e 24 Horas de Spa-Francorchamps.

"O fim-de-semana foi complicado, mas apesar do drama conseguimos concretizar os objectivos" afirmou Lucas. "Estou tão feliz pela Nissan, pela GT Academy e pela RJN Motorsport. Em conjunto demos mais um grande passo em frente e aguardo com expectativa poder continuar esta aventura com a Nissan. Estou entusiasmado por todos!"

Para ver o comunicado na íntegra e informações relacionadas, por favor visite:
http://www.newsroom.nissan-europe.com/pt/pt-pt/Media/Media.aspx?mediaid=109939

Imagens Relacionadas

Imagens Relacionadas

 

NOVA GAMA PNEUS GOODYEAR

 

Goodyear lança pneus KMAX e FUELMAX

 

Os novos pneus satisfazem as necessidades das frotas ao proporcionar até 35% mais de quilometragem e 10% menos resistência ao rolamento que os antecessores[1], permitindo poupar até 45.000 € em combustível por ano[2].

 

A Goodyear anuncia duas novas linhas de pneus de camião: KMAX e FUELMAX. Estes pneus vão ajudar as fritas a reduzir os custos operacionais graças à quilometragem prolongada e à baixa resistência ao rolamento que oferecem. Um estudo recente das frotas europeias, solicitado pela Goodyear[3], confirma que hoje os operadores de veículos encaram de forma diferente a compra de pneus: preferem basear a sua escolha mais no desempenho do que na aplicação dos pneus. O KMAX e o FUELMAX irão ajudá-los a fazer a escolha mais fácil, orientada para o seu negócio. 

A gama de pneus KMAX da Goodyear, como o nome indica, foi desenvolvida para um melhor desempenho a nível da quilometragem, ao mesmo tempo que não compromete outros critérios importantes, como a eficiência do consumo de combustível e a tracção. Do mesmo modo, a gama de pneus FUELMAX da Goodyear destina-se ao operador que procura optimizar a eficiência do consumo de combustível em combinação com uma boa quilometragem.

Os novos pneus, que satisfazem as principais prioridades das frotas, substituem as gamas bem-sucedidas de longo percurso e de percurso regional da Goodyear, que incluíram os pneus Regional RHS II, RHD II+ e RHT II, bem como os pneus simples Marathon LHS II+, LHD II+ e LHT II, podendo ser utilizados para aplicações de longo percurso ou de percurso regional.

 

Pneus KMAX da Goodyear: melhoria na quilometragem em 35%[4]

A KMAX é uma linha de pneus que oferece uma maior quilometragem e um melhor desempenho durante todo o ano em relação aos pneus anteriores da Goodyear. A linha é composta pelos pneus de direcção KMAX S, os pneus de tracção KMAX D e os pneus de reboque KMAX T. Em comparação com os pneus RHS II e RHD II+ da Goodyear, os pneus KMAX podem oferecer até 35% mais de quilometragem permitindo que as frotas conduzam ainda mais, com um bom desempenho durante todo o ano, graças à tração melhorada e aos pneus de Inverno que se encontram completamente em conformidade com os pneus de tracção. 

Os testes demonstram que, em comparação com os pneus de direcção RHS II, os pneus KMAX atingem uma melhor quilometragem de até 30% e em comparação com os pneus de tracção RHD II+, os pneus KMAX D promovem uma melhoria de consumo de combustível até 35%.

 

Pneus FUELMAX da Goodyear: até 10% menos de resistência ao rolamento[5]

O FUELMAX é a gama de pneus eficientes em consumo de combustível, que oferece a melhor resistência ao rolamento, entre qualquer pneu da Goodyear, para aplicações rodoviárias com um equilibrado desempenho global. A linha é composta pelos pneus de direcção FUELMAX S, os pneus de tracção FUELMAX D e os pneus de reboque FUELMAX T. Ao registarem uma melhoria até 10% em resistência ao rolamento poupam dinheiro em combustível e reduzem as emissões de CO2. Além disso, também potenciam a quilometragem até 15% ao mesmo tempo que garantem maior versatilidade e melhor tração. Em comparação com os pneus anteriores LHS II e LHD II da Goodyear os pneus FUELMAX S e FUELMAX D demonstram uma melhor quilometragem de 15% e 10% respectivamente. Comparando os pneus FUELMAX S e FUELMAX D com os pneus LHS II+ e LHD II+ em termos de resistência ao rolamento, os novos pneus oferecem uma melhoria de 6% e 10%, respectivamente. As classificações dos rótulos dos pneus FUELMAX confirmam o seu excelente desempenho nesta área. Isto é ilustrado pela classificação A em termos de eficiência de consumo do combustível em alguns pneus de reboque FUELMAX e, predominantemente, pela classificação B noutros pneus.[6] 

 

Pneus de tração aprovados para o inverno

No mundo dos transportes, as condições climatéricas imprevisíveis próprias do inverno devem ser tidas em conta de forma a evitar o atraso das entregas quando as baixas temperaturas e a neve bloqueiam estradas por toda a Europa. Os novos pneus de tração KMAX e FUELMAX cumprem integralmente os requisitos dos pneus de Inverno: estão marcados com o símbolo de uma montanha com três cumes e um floco de neve (3PMSF) e com a sigla M+S (lama e neve).

 

Aumento da vida útil dos pneus

Como todos os pneus de veículos comerciais da Goodyear, os pneus KMAX e FUELMAX são reesculturáveis e recauchutáveis.

 

Acerca de Goodyear

 

A Goodyear é uma das maiores empresas de pneus do mundo. Emprega perto de 69 mil pessoas e produz os seus produtos em 52 unidades de produção em 22 países a nível global. Os dois Centros de Inovação em Akron, Ohio (EUA) e Colmar-Berg, no Luxemburgo, procuram desenvolver produtos e serviços topo de gama, que estabelecem um padrão de tecnologia e desempenho para o setor.

A gama de pneus da Goodyear Dunlop Europa para veículos comerciais e autocarros inclui mais de 400 pneus diferentes cobrindo 55 tamanhos. Muitos dos principais produtores mundiais de veículos comerciais utilizam pneus Goodyear de raiz, incluindo a DAF, Iveco, MAN, Mercedes-Benz, Renault Trucks, Scania e Volvo.  A Goodyear também fornece os principais fabricantes de reboques. Com a Fleet First, que inclui a rede de serviços TruckForce, ServiceLine 24h de assistência na estrada, sistema de gestão FleetOnlineSolutions Internet e Goodyear Retread Technologies, a Goodyear fornece uma das gamas mais alargadas de serviços especializados na indústria.



[1] Testes comparativos feitos pelo Centro de Inovação da Goodyear, no Luxemburgo sobre o tamanho 315/80R22.5 entre Julho de 2011 e Junho de 2013 demonstram que os novos pneus de direcção e de tracção Goodyear KMAX S e KMAX D oferecem uma potencial melhoria de quilometragem até 30% e 35%, respectivamente, em relação aos pneus Goodyear RHS II e RHD II+. Testes comparativos feitos pelo Centro de Inovação da Goodyear, no Luxemburgo* sobre o tamanho 315/70R22.5 demonstram que os novos pneus de direcção e de tracção FUELMAX S e FUELMAX D oferecem uma potencial melhoria de resistência ao rolamento até 6% e 10%, respectivamente, em relação aos pneus Goodyear Marathon LHS II+ e LHD II+.

[2]  Estimativa interna com base numa frota de 50 veículos. O cálculo baseia-se num tractor 4x2 com reboque de eixo triplo (com os mesmos pneus do reboque) que funcionam em transportes de longo percurso, com um consumo médio de combustível de 34 litros/100 quilómetros; com base num preço do gasóleo de 1,35 € por litro; com uma quilometragem anual de 150.000 quilómetros; em comparação com os pneus Goodyear Marathon LHS II+ e LHD II+ o que resulta na poupança de 900 € por veículo em condições semelhantes. Os resultados reais podem variar com base e, não só, nas condições rodoviárias e meteorológicas, no estilo de condução e nas condições de desgaste, no tamanho do pneu, na pressão do pneu e na manutenção do veículo.

[3] O estudo foi realizado pelo Conselho da MV2 em nome da Goodyear. Cerca de 500 frotas de camiões de França, Itália, Alemanha, Polónia e Espanha foram entrevistadas entre Junho e Julho de 2013.

[4] Em comparação ao RHS II e ao RHD II+. Testes realizados em cooperação com diferentes frotas europeias sob a supervisão da Goodyear sobre o tamanho 315/80R22.5 entre Julho de 2011 e Junho de 2013.

[5] Em comparação com os pneus LHS II+ e LHD II+. Testes realizados em cooperação com diferentes frotas europeias sob a supervisão da Goodyear sobre o tamanho 315/70R22.5 entre Julho de 2011 e Junho de 2013.

[6]  As classificações dos rótulos dos pneus da U.E. variam de acordo com o tamanho dos pneus.  Para obter mais informações, visite www.goodyear.eu/truckGoodyear FUELMAXGoodyear KMAX

 

VOLTA

 

III VOLTA COLECÇÕES DE AUTOMÓVEIS ANTIGOS DE PORTUGAL

1 A 3 DE NOVEMBRO DE 2013

 

PROGRAMA:

 

SEXTA, 1 DE NOVEMBRO DE 2013

20:00 H – Chegada ao Hotel Golden Tulip Braga****

21:00 H – Jantar no Hotel Golden Tulip Braga****

 

 

SÁBADO, 2 DE NOVEMBRO DE 2013:

9:00 H – Pequeno Almoço no Hotel Golden Tulip Braga****

10:00 H – Partida para Visita a Colecções de V. N. de Famalicão

10:45 H – Colecção Lino Rodrigues  (1200 m2) - RIBA DE AVE

11:45 H – Museu do Clube Automóveis Antigos e Clássicos de V.N. de FAMALICÃO

13:15 H – Almoço no Restaurante Pátio das Figueiras - V.N. de FAMALICÃO

15:00 H – Colecção António Oliveira - Vila Nova de FAMALICÃO

16:00 H – Colecção Guilherme Silva - Vila Nova de FAMALICÃO

17:20 H – Colecção José Teixeira - PÓVOA DO VARZIM

18:30 H – Chegada ao Hotel Golden Tulip Braga****

20:30 H – Jantar no Hotel Golden Tulip Braga****

 

DOMINGO, 3 DE NOVEMBRO DE 2013:

9:00 H – Pequeno Almoço no Hotel Golden Tulip Braga****

10:00 H – Check- Out do Hotel e partida para Visita a Colecções  da Zona do Porto

10:45 H – Colecção Miguel Vaqueiro - MATOSINHOS

11:30 H Colecção Pedro Cortinhal - MATOSINHOS

12:30 H – Colecção Renato Velho - PORTO

13:30 H – Almoço no Porto

15:00 H – Colecção José Barquinha - PORTO

16:00 H – Despedida


III VOLTA COLECÇÕES DE AUTOMÓVEIS ANTIGOS DE PORTUGAL 1 A 3 NOVEMBRO 2013

Caros amigos:

Conforme temos vindo a falar, e dado o sucesso dos anos anteriores, iremos realizar de 1 a 3 de Novembro de 2013 a III Volta pelas Colecções e Museus de Automóveis Antigos de Portugal, propondo-nos este ano visitar 9 lindas colecções de automóveis antigos!

Este ano, para que a Volta às Colecções não seja uma Volta a Portugal – evitando cansaços e gastos em combustíveis desnecessários – vamos visitar só colecções localizadas na Zona do Porto/Braga/Barcelos/Matosinhos, pelo que ficaremos duas noites alojados com jantar incluído no Hotel Golden Tulip Braga****, que tanto agradou a todos no ano passado, estando também os almoços incluídos.

A maior viagem que faremos este ano será mesmo a das vossas casas até se encontrarem connosco no Hotel, ocalizado na Falperra (arredores de Braga), pois todas as voltas que vamos dar para ver as colecções no Sábado e Domingo são depois num raio geográfico muito pequeno (no máximo 70 Kms.) do Hotel Golden Tulip Braga**** onde ficamos confortavelmente alojados durante duas noites, sendo de notar que no Sábado chegaremos ainda relativamente cedo ao Hotel, para podermos relaxar e desfrutar do mesmo convenientemente (por ex. o SPA que fecha às 20:00H), ou para irem fazer algumas compras/visitas a Braga ou Guimarães (vide Programa em anexo).

Junto em anexo o Programa, sendo que o valor da inscrição, que inclui todas as refeições desde o jantar de 1 de Novembro até ao almoço de 3 de Novembro, para a equipe de 2 adultos, com 2 noites de alojamento em quarto duplo no Hotel Golden Tulip Braga****,  será de 340,00 €(tudo incluído).

Aconselhamos, que tragam um casal amigo convosco no banco de trás, pois para 2 casais amigos a enviar a inscrição conjunta – o que é muito vantajoso, pois dividem as despesas de combustível e portagens – faremos um desconto especial: 320,00 € cada casal(tudo incluído).

Face à época do ano em que damos esta Volta pelas Colecções e Museus de Automóveis Antigos de Portugal, numa altura em que habitualmente chove e está frio, aconselhamos a que tragam os vossos carros do dia-a-dia, transportando mais um casal no banco de trás com o qual dividem as despesas do combustível e portagens...mas para os mais aventureiros que assim o desejem, já sabem que os clássicos são também benvindos!

Como é habitual nas Voltas às Colecções de Automóveis Antigos não queremos exceder as 20 pessoas, para não incomodar em demasia os coleccionadores privados que vamos visitar, que excepcionalmente abrem as suas portas para nos receber, mostrando colecções muito especiais, que não são museus de acesso livre! Portanto, se puderem estar connosco neste fim de semana, que vai ser muito bem passado, "mudando de ares e quebrando a rotina do dia a dia", na companhia de amigos bem dispostos, agradecemos que desde já nos confirmem a Vossa presença, pois as inscrições para este exclusivo passeio rapidamente se esgotam.III Volta_CAA_Portugal_cartaz_02_Nov13



 

DECISÃO ADIADA POR MAIS UM DIA

AMERICA´S CUP

 

DECISÃO ADIADA POR MAIS UM DIA

 

Na regata de ontem, foi a vez do Oracle vencer, perante o New Zeland, deixando a decisão adiada para a regata de hoje.Basta que o New Zeland vença uma regata, para que a questão da Taça America fique resolvida, agora nada mais resta do que esperar.vela1vela2vela4vela5vela6vela7vela8vela9vela7vela8vela10vela11vela11vela12vela12vela13vela14vela15vela16vela16vela18vela19vela20vela100vela101vela101vela102vela102vela103vela104vela176vela1000vela1001vela1002vela1003vela1005vela1006vela1007vela1008vela1009vela1010vela2000vela2001vela2002vela2003vela2004vela2005vela2006vela2007vela2008velas3

 

SOFIA MOUTA NA RAMPA DA PENHA

 

Rampa da Penha - Sofia Mouta

 

É já no próximo sábado, 28 de Setembro, que se realiza a Rampa da Penha em Guimarães. Sofia Mouta, a correr bem perto de casa, estará presente nesta prova ao volante do Ford Sierra 4x4 que muitas alegrias lhe deu no passado e vem com o objetivo de andar o mais rápido possível e chegar ao final.

“Já não ando neste carro desde 2011, altura em que desisti nesta mesma prova. Vou com o intuito de me divertir e, apesar da chuva que se prevê para este fim de semana, andar o mais rápido possível e tirar o máximo partido da tração integral do carro.”

Esta é a última prova do Campeonato de Portugal de Montanha 2013 e Sofia Mouta começa agora a preparar a próxima época desportiva. “Ainda não sei ao certo o que irei fazer em 2014, gostava de continuar neste campeonato mas a próxima época poderá passar pelos circuitos ou mesmo com o Challenge Desafio Único.”

Sofia Mouta conta com o apoio do Grupo José Pimenta e Marques, Fisioterapia Tiago Silva, A.Pedro e Braga e Ofirodas.

 

 

 

Horário 



Sábado


556347 10152335101630035_642622407_n1238321 697185340310369_2041468476_n

10h00 - Inicio dos Treinos

11h00 - Inicio das Subidas de Prova

 

FIA GT SERIES

 

FIA GT Series – Navarra


Team Novadriver quer regressar
às vitórias no FIA GT Series


O Team Novadriver vai cumprir a quinta e penúltima jornada dupla do FIA GT Series, a
realizar-se no Circuito de Navarra, Espanha. Como sempre, a mais bem sucedida equipa
portuguesa nas corridas de GT e campeã de Portugal de Circuitos 2012/2013, vai alinhar
um Audi R8 LMS Ultra com as cores do Banco Sol, Circuito do Estoril e SIVA, tendo ao
seu volante César Campaniço. O segundo piloto do Audi R8 LMS Ultra do Team
Novadriver será revelado oportunamente.
Nesta penúltima jornada dupla, o Team Novadriver tem como objetivo regressar às
vitórias, depois de um início de competição brilhante (“pole-position” e dupla vitória na
categoria Pro-Am em Nogaro) que tem vindo a esmorecer devido aos inesperados
abandonos em Zandvoort e na Eslováquia. Quando faltam apenas quatro corridas – duas
jornadas duplas, em Navarra e a novidade Azerbaijão – o Team Novadriver ainda está na
luta pela vitória na categoria Pro-Am, o objetivo traçado no início da época.
O Circuito de Navarra, localizado junto a França, na zona dos vinhos Rioja e da excelente
gastronomia basca, é um traçado técnico, caracterizado como um percurso médio-lento,
com um perímetro de 3,933 metros, 15 curvas (6 para a direita, 9 para a esquerda) e uma
reta da meta com 800 metros, sendo que a largura oscila entre os 12 e os 15 metros.
Traçado que, em teoria, favorece as características do Audi R8 LMS Ultra, excelente no
comportamento em curva, mas lento em linha reta devido ao BoP (Balance of Performance)
imposto pela FIA. Recordamos que em 2012, o Team Novadriver com César Campaniço e
Ni Amorim, alcançou, em Navarra, um pódio à geral na corrida ali disputada pelo
Campeonato Europeu FIA GT3.
O Team Novadriver cumpriu uma completa revisão ao Audi R8 LMS Ultra e levou a cabo
treinos intensivos com os seus elementos para melhorar os tempos de paragem nas boxes
para troca de pilotos, pneus e reabastecimento, algo que tem papel preponderante no
desfecho final das corridas.
Após a aparição da equipa WRT com os seus Audi R8 LMS Ultra com as especificações de
2012, forma de contornar o desfavorável BoP do modelo alemão, esta questão do balanço
de performance continua a não estar resolvida. Apesar dos esforços da Audi junto da FIA
para alterar a atual situação, nada ainda foi feito pelo que será possível que em Navarra
regressem as versões 2012 do Audi R8 LMS Ultra. O Team Novadriver estará preparado e
terá em Navarra uma resposta pronta caso seja possível usar a versão 2012, algo que o
regulamento não autorizava no ano passado.
As duas corridas do FIA GT Series terão transmissão em direto no sítio de internet do
campeonato (www.fiagtseries.com) e na Sport Tv.
César Campaniço – “As duas últimas provas foram madrastas para a equipa, mas tenho
plena confiança no Team Novadriver para cumprir as duas últimas jornadas dupla da
competição ao melhor nível. Trabalhámos muito nas paragens nas boxes, estamos
preparados para usar a versão 2012 do Audi R8 LMS Ultra caso o BoP não seja alterado e
vamos receber um novo piloto, o que aumenta, ainda mais, o fator motivação de todos
para alinhavar boas prestações e, quem sabe, lutar pela vitória na categoria. Mesmo
sabendo que os nossos adversários raramente cometem erros. Porém, o desporto
automóvel é fértil em surpresas e depois do azar nos tocar à porta em Zandvoort e na
Eslováquia, acredito que Navarra será bem diferente.”

 


Horário da prova

 


Sábado, 28 Setembro


10.00 – 11.20 – Treinos Livres 1
12.35 – 13.50 – Treinos Livres 2
16.00 – 17.00 – Qualificação


Domingo, 29 Setembro

IMG 9792
09.15 – 10.15 – Corrida “Qualifying”
13.15 – 14.15 – Corrida “Main”
Classificação do FIA GT Series PRO-AM
1ºs Sergey Afanasiev/Andreas Simonsen, 96 pts
2ºs Dominik Baumann/Hari Proczyk, 88 pts
3ºs César Campaniço, 59 pts
Calendário FIA GT Series
29 Março – 1 Abril – França/Nogaro
19 – 21 Abril – Bélgica/Zolder
05 – 07 Julho – Holanda/Zandvoort
16 – 18 Agosto – Eslováquia/Slovakia Ring
28 – 29 Setembro – Espanha/Navarra
19 - 20 Outubro – Azerbaijão

 

GALERIA DE IMAGENS

GALERIA DE IMAGENS

 

DE NOVO SINGLE SEATERS EM BRAGA

 

 

Mais imagens dos 19 Single Seaters, numa das corridas que tiveram no circuito Vasco SImagem 002Imagem 004Imagem 005Imagem 006Imagem 007Imagem 008Imagem 009Imagem 010Imagem 011Imagem 013Imagem 014Imagem 015Imagem 016Imagem 017Imagem 018Imagem 019Imagem 020Imagem 021Imagem 022Imagem 023Imagem 024Imagem 025Imagem 026Imagem 027Imagem 028Imagem 029Imagem 030Imagem 031Imagem 032Imagem 033Imagem 034Imagem 035Imagem 036Imagem 037Imagem 038Imagem 040Imagem 041Imagem 042Imagem 043Imagem 044Imagem 045Imagem 046Imagem 047Imagem 048Imagem 049Imagem 050Imagem 051Imagem 052Imagem 057ameiro em Braga.

 

 

Fotos de João Raposo - wwws.velocdiadeonline.com

 

60 ANOS DO MUSEU DO CARAMULO

 

MUSEU DO CARAMULO COMEMORA

60 ANOS SOBRE A SUA FUNDAÇÃO

abellacerda pablopicasso_1957joaolacerda mercedesbenz300sl_millemigliaMuseu do_Caramulo

 

 

 

O Museu do Caramulo comemora 60 anos sobre a sua inauguração em 1953, nas instalações provisórias no Caramulo, pela mão do seu fundador Abel de Lacerda.

 

Para assinalar os 60 anos, o Museu do Caramulo levou e continua a levar a cabo várias acções ao longo de 2013, nomeadamente as exposições temporárias de arte contemporânea, a primeira intitulada “Retratos Incógnitos”, do artista Eurico Lino do Vale, e actualmente a exposição “Rush”, do artista João Louro, com edição de catálogo em ambos os casos.

 

2013 é também o ano de lançamento do primeiro concurso de fotografia do Museu do Caramulo, em parceria com a empresa Estradas de Portugal sob o título “Estradas de Portugal – Um outro olhar”. Este concurso, aberto a todos os apaixonados pela fotografia, culminará com uma exposição temporária das melhores obras, a inaugurar no dia 23 de Novembro.

 

Outra das acções comemorativas, também ligada à fotografia, e realizada em parceria com a FNAC, é uma exposição fotográfica sobre os 60 anos da instituição, que decorre actualmente na loja de Viseu. Está ainda em curso a realização da semana "60 Anos do Museu do Caramulo", mais uma vez na FNAC de Viseu, na qual está presente uma moto antiga da colecção do Museu do Caramulo, havendo espaço para o destaque das publicações e história do museu.

 

No mesmo âmbito, o Museu do Caramulo vai ainda apresentar um site renovado, de forma a marcar o seu aniversário, site este que será realizado pela Havas Worldwide. Para além disso, foi também criado, no início de 2013, um logotipo comemorativo e que tem vindo a ser usado em todas as comunicações do museu, mantendo-se até ao final deste ano.

 

Sobre o Museu do Caramulo

 

Do sonho e da vontade de Abel de Lacerda em transformar o Caramulo em pólo de atracção dedicado ao turismo, cultura e saber, deixando para trás o estigma da sua vivência enquanto sanatório, nasce o Museu do Caramulo, primeiramente designado por Museu de Arte Antiga e Moderna, inaugurado a 27 de Setembro de 1953 sob o lema da palavra generosidade.

 

Todos os coleccionadores, artistas e amigos doam as suas peças de arte sem nada receber em troca, apenas a inscrição do seu nome junto da peça doada.

 

A morte inesperada de Abel de Lacerda, em 1957, fez evidenciar o nome de outra personalidade que ficou com os destinos do Museu do Caramulo nas mãos: João de Lacerda, médico, irmão do fundador do museu e responsável pelo aparecimento da colecção de automóveis no seu acervo.

 

Certo dia, em 1955, encontra um Ford T em estado de quase sucata. Pára e compra-o. Estava iniciada a melhor colecção de automóveis antigos que alguma vez se constituiu em Portugal, colecção esta que revela um profundo conhecimento da história do automóvel e da sua evolução, além de rigorosos critérios na aquisição e restauro dos diferentes veículos, respeitando as suas características de origem.

 

 

Sobre os fundadores do Museu do Caramulo

 

Abel de Lacerda (1921-1957): Fundador do Museu do Caramulo

Por João de Lacerda

 

Abel de Lacerda nasceu em 1921. Bisneto, neto e filho de médicos, mas sem vocação para a medicina, decidiu cursar Ciências Económicas e Financeiras. Seu pai, Jerónimo de Lacerda criou, no Caramulo, a maior estância sanatorial da Península da Ibérica. Em 1945, morre subitamente e Abel de Lacerda é obrigado a suspender o seu curso para poder continuar a obra do pai. Irá prosseguir os estudos, em regime livre.

 

A paixão de Abel de Lacerda é desde sempre a arte e, pouco a pouco, ainda que com escassos recursos, vai coleccionando obras e procurando relacionar-se com artistas e coleccionadores. Em 1953 tem a ideia utópica de criar, no nosso país, com características absolutamente originais, um museu de coleccionadores amantes das artes plásticas. Com os amigos que com ele partilhavam a mesma paixão, começa a reunir um núcleo de obras valiosas, sempre com elevado critério e cujo conjunto evidencie rigorosa harmonia.

 

Em curtíssimo espaço de tempo congrega cerca de cem personalidades e perto de cento e cinquenta peças, o que lhe permite fazer uma magnífica exposição no Palácio Foz, em Lisboa, inaugurada pelo Chefe de Estado, General Craveiro Lopes, e por membros do Governo. Esta exposição lança para o conhecimento do grande público o que virá a ser o Museu do Caramulo, que ele queria dos particulares e da generosidade. De imediato, começa a pensar nas instalações que irão albergar a colecção em crescimento, decidindo-se pelo Caramulo.

 

Viaja, estuda, planeia e inicia a construção. Morre prematuramente, num trágico acidente, em 1957. Não teve tempo para consolidar a sua obra nem para criar o seu suporte jurídico. Mas era imparável a dinâmica e a energia gerada. Em 1958, amigos e doadores criam a Fundação Abel de Lacerda e dão personalidade jurídica à sua vontade. Em 1959, com o estatuto de utilidade pública, é inaugurado, com pompa e circunstância, o Museu do Caramulo – Fundação Abel de Lacerda, que vem acrescentar ao património nacional um valor inestimável.

 

Em seis anos estava realizado o sonho. Parecia utópico mas, pela primeira vez em Portugal existia, na realidade, um pequeno grande museu constituído por obras excepcionais. Graças à iniciativa e ao empenho de Abel de Lacerda e ao mecenato dos portugueses que com ele acreditaram no projecto, foram trazidas para Portugal obras que estavam dispersas pelo Mundo e que, de outra forma, dificilmente teriam voltado para o território nacional. São disso exemplo as célebres tapeçarias manuelinas, de Tournai.

 

O Museu do Caramulo foi já visitado por mais de um milhão de pessoas. Sempre independente, pertence aos seus doadores, cujo número todos os anos se renova. Dispõe de um notável acervo de peças cuja escolha obedece ainda aos critérios de qualidade e valor impostos por Abel de Lacerda, o que lhe permite manter a mesma harmonia e interesse, pouco vulgares em instituições que aceitam dádivas ou mesmo heranças.

Imagens em Alta Resolução para Download

 

 

João de Lacerda (1923-2003): Continuador da Obra

Por Pedro Corrêa de Barros

 

João de Lacerda nasceu em 1923, no Caramulo. Após completar o liceu decide seguir a tradição dos seus antepassados e forma-se na Faculdade de Medicina de Lisboa. Desde logo inicia a sua especialização em Pneumologia, trabalhando com tisiologistas de renome. Terminados os estágios, assume a função de Director Clínico da Estância Sanatorial do Caramulo.

 

Com a morte de seu irmão Abel, em 1957, num trágico acidente, no qual ele fica gravemente ferido, vê-se na contingência de assumir a Direcção da Estância e abandona a medicina.

 

Como desde pequeno sempre teve a paixão das obras, fruto de um acompanhamento permanente de seu pai, assume também a direcção da Junta de Turismo do Caramulo e dinamiza de uma forma imparável o crescimento e embelezamento da sua terra, o Caramulo. Dava assim continuidade à grande obra de seu pai, o Dr. Jerónimo de Lacerda, que foi pioneiro na criação de uma povoação modelo para a altura, com água canalizada ao domicílio, electricidade a partir de uma barragem própria, rede de esgotos com ETAR, sistema de recolha de lixos com forno crematório e jardins e verde numa proporção nunca vista. Com justiça pode-se dizer que se Jerónimo de Lacerda criou o Caramulo, João de Lacerda deu-lhe a projecção que o tornou conhecido no país e fora dele.

 

Trabalhador incansável, dedica todo o seu tempo e força à sua terra, completando e dando forma à ideia iniciada pelo seu irmão Abel, a construção do edifício do museu, o que consegue em tempo recorde. É João de Lacerda que cria a Fundação Abel de Lacerda, em homenagem a seu irmão, e é ao seu carinho e empenho que se deve, quase que exclusivamente, aquilo que é hoje o Museu do Caramulo.

 

Certo dia, encontra um Ford T em estado de quase sucata. Pára e compra-o. Estava iniciada a melhor colecção de automóveis antigos que alguma vez se constituiu em Portugal. Perfeccionista e criterioso, reconstrói meticulosamente os automóveis que vai adquirindo, dando-lhes a grandeza e autenticidade dos tempos em que circulavam pelas estradas do nosso País.

 

Na sequência de uma sugestão do Presidente Américo Thomaz, a quando de uma visita ao Museu do Caramulo, decide expor a sua colecção e cria aquilo que fica conhecido como o Museu Automóvel do Caramulo, inicialmente instalado no piso térreo do edifício da Fundação Abel de Lacerda e mais tarde em edifício próprio, construído a expensas próprias e com a ajuda de algumas empresas de petróleo e inaugurado, com pompa e circunstância, em 1970, pelo governo.

 

Com a sua enorme dinâmica, João de Lacerda leva, por convite, os seus automóveis a participar numa centena das mais conhecidas e prestigiadas provas para automóveis antigos e de colecção, como sejam o London-Brighton, a Louis Vuitton China Run, o Bordeaux-Paris, as Mille Miglia, o Rally de Monte-Carlo, entre outros, onde acumula prémios e louvores. A sua arte de conduzir e o impecável estado das mecânicas, com que apresenta os automóveis, granjeia-lhe a ele e ao Museu do Caramulo enorme respeito e prestígio internacional.

 

Sobre as colecções do Museu do Caramulo

 

No seu interior, o Museu do Caramulo apresenta a sua colecção de Arte, com mais de 500 peças, que vão desde o Antigo Egipto até Pablo Picasso e Salvador Dali, passando assim pelas várias vertentes da arte como sejam os têxteis, tapeçarias, pratas, escultura, cerâmica, pintura, mobiliário, vidros, joalharia, arqueologia até à arte contemporânea.

 

O museu apresenta ainda aos seus visitantes a maior colecção de automóveis, motociclos e velocípedes em exposição em Portugal, cobrindo 150 anos de história da engenharia. Esta colecção apresenta uma enorme variedade de veículos, que vão desde um Peugeot de 1899 até a um Ginetta-Zytech de 2009, todos em perfeitas condições de funcionamento.

 

Por fim, o museu mantém em permanência uma exposição de miniaturas e brinquedos antigos com mais de 3.000 peças, mostrando várias épocas de brinquedos ao longo de mais de um século.

 

GALERIA IMAGENS

GALERIA DE IMAGENS

 

 

TROFEU LAMBORGHINI

 

Grupo de imagens referentes à prova disputada no passado fim de semana na Alemanha.lam1lam2lam3lam4lam5lam6lam7lam8lam9lam10lam11lam12lam14lam15

 

DOCUMENTÁRIO SOBRE CRIADOR GRAN TURISMO

 

Documentário sobre o criador de Gran Turismo

 

Gran Turismo® celebra este ano o seu 15º aniversário. Para comemorar a simbólica data do melhor simulador automóvel do mercado, foi realizado um documentário sobre Kazunori Yamauchi, o criador da franchise de maior sucesso de sempre da PlayStation®.

 

KAZ: Pushing the Virtual Divide retrata a paixão e criatividade que o arquiteto que desenhou Gran Turismo sente pela condução. No vídeo, é possível observar a enorme evolução desta saga que, edição após edição, se superou a si mesma até se posicionar no topo dos simuladores de condução por mérito próprio. Um título que mudou o modo como a arte, o entretenimento e a cultura se relacionam.

 

O próprio Kazunori Yamauchi apresentou o trailer no Jalopnik Film Festival em conjunto com o realizador Tamir Moscovici (Urban Outlaw).

 

Gran Turismo 6 tem lançamento marcado para 6 de dezembro.
 

ATENÇÃO CONDUTORES

 

Beneficiação do pavimento no sublanço Coimbra Sul/Coimbra Norte (A1)

 

Entre 23 a 27 de Setembro


A Brisa Concessão Rodoviária informa que estão em curso as obras de beneficiação do sublanço Coimbra Sul / Coimbra Norte da A1 – Auto-estrada do Norte.

Na sequência destes trabalhos, realizados em período nocturno (entre as 21h00 e as 7h00) de forma a minimizar os impactes para os automobilistas, serão implementados os seguintes condicionamentos de trânsito:

De 23 (segunda-feira) para 24 (terça-feira) de Setembro

Desvio de trânsito do sentido norte/sul para sul/norte, entre os km’s 199,6 e 195,9

De 24 (terça-feira) para 25 (quarta-feira) de Setembro

Desvio de trânsito do sentido norte/sul para sul/norte, entre os km’s 199,6 e 195,9

De 25 (quarta-feira) para 26 (quinta-feira) de Setembro

Desvio de trânsito do sentido norte/sul para sul/norte, entre os km’s 198 e 195,9

 

De 26 (quinta-feira) para 27 (sexta-feira) de Setembro

Desvio de trânsito do sentido norte/sul para sul/norte, entre os km’s 197,1 e 193,9

 

De 27 (sexta-feira) para 28 (sábado) de Setembro

Desvio de trânsito do sentido norte/sul para sul/norte, entre os km’s 196,1 e 193,9

 

A Brisa agradece antecipadamente a compreensão e colaboração dos automobilistas e espera contribuir para reduzir eventuais inconvenientes decorrentes desta operação.

 

Para informação actualizada poderá ainda consultar o site www.brisa.pt.

 

NOVO TURBO CABROLET

 

911 Turbo Cabriolet e 911 Turbo S Cabriolet

 


Estugarda. A dinâmica dos novos modelos 911 Turbo1) multiplicada pelo prazer de condução oferecido por um automóvel desportivo descapotável: esta é a sucinta fórmula por trás dos dois novos modelos 911 Turbo Cabriolet2). Passados 50 anos do 911 ter feito a sua estreia mundial, e para coincidir com o 40º aniversário do 911 Turbo, as novas versões descapotáveis do 911 Turbo e Turbo S fazem a sua estreia global. Os veículos serão revelados pela primeira vez no Salão Automóvel de Los Angeles, a 20 de Novembro. Ao adicionar estas duas novas versões do 911 à res-tante gama, a Porsche aumenta para quatro a sua oferta de modelos de topo.
Complementando a gama, o 911 Turbo Cabriolet e o 911 Turbo S Cabriolet entre-gam a mesma mistura de dinâmica, performance e eficiência oferecida pelo Coupé apresentado há poucos meses atrás. Traduzido em números: o motor de seis cilin-dros sobrealimentado com 3,8 litros, debita 520 Cv (383 kW) no 911 Turbo e 560 Cv (412 kW) na versão Turbo S. A aceleração dos zero aos 100 km/h é efectuada em 3,5 e 3,2 segundos respectivamente, alcançando uma velocidade máxima de até 318 km/h. Tudo isto ao mesmo tempo que conseguem consumos de combustível abaixo dos dez litros: ambas as novas versões Cabriolet do 911 conseguem, no Novo Ciclo de Condução Europeu (NEDC), valores de 9,9 l/100 km (o equivalente a 231 g/km CO2). Quando comparados com os seus predecessores, os novos mode-los debitam mais 30 Cv de potência e são 0,2 segundos mais rápidos na aceleração. São, também, 15% mais eficientes.

Eixo traseiro direccional activo e aerodinâmica activa para uma dinâmica ainda mais apurada na estrada
O comportamento dinâmico oferecido pelos dois novos modelos nas versões Cabrio-let é algo que não pode ser expresso em simples números. Tirando partido da PDK de série e do novo PTM (Porsche Traction Management) com quatro rodas motrizes, bem como do eixo traseiro direccional activo e da aerodinâmica activa, os novos 911 Turbo Cabriolet são agora os porta-estandarte da Porsche em tecnologia no seg-mento dos superdesportivos descapotáveis. Enquanto o eixo traseiro tem um enor-me impacto positivo na dinâmica dos dois novos superdesportivos, tanto em circuito como na utilização diária, a aerodinâmica activa pode ser ajustada para se obter a melhor eficiência ou o máximo das capacidades dinâmicas, apenas à distância de um toque num botão, dependendo dos desejos do condutor.
Mais do que nunca, os dois novos modelos também podem fazer uma afirmação visual sobre o seu desempenho. O aileron traseiro do novo 911 Turbo foi ampliado e é 28 mm mais largo do que o do modelo 911 Carrera 4 – uma largura praticamente ao nível da largura de uma mão, que se estende para fora da aresta exterior do veí-culo a partir do pilar C. O efeito impressionante da largura é ainda mais acentuado quando a capota está aberta.
Outra característica cativante do novo 911 Turbo Cabriolet é o exclusivo arco supe-rior do painel da capota com a sua estrutura ultra-leve em magnésio. Esta tecnologia inovadora permite que o tejadilho tenha a aparência do Coupé quando a capota está fechada. Este arco, que também traz vantagens em termos aerodinâmicos, não era executável com as técnicas de construção convencionais. Tal como os seus ante-cessores, a capota abre e fecha em cerca de 13 segundos, até velocidades de 50 km/h.

Acabamentos Premium no interior
O interior dos novos modelos 911 Turbo Cabriolet segue os dos 911 Turbo Coupé. A versão S contempla uma particular e extensa gama de decoração interior, com pos-sibilidades de escolha exclusivas que vão desde o interior em Preto/Vermelho Carre-ra aos bancos desportivos adaptativos Plus com ajuste eléctrico em 18 posições e com pacote de memória. Para além disso, as costas dos assentos são em pele com pespontos duplos e diversos elementos apresentam o visual em carbono. Tal como os predecessores, o sistema de som BOSE faz parte do equipamento de série - e, pela primeira vez, o sistema de som High-End da Burmester também está disponível por encomenda. Mas ainda existem, como opção, o Cruise Control adaptativo, a câmera que identifica os sinais de trânsito, a câmera de marcha-atrás e a função de reconhecimento dos limites de velocidade.
Os novos modelos 911 Turbo e Turbo S Cabriolet vão ser lançados no mercado em Dezembro de 2013. Em Portugal, o 911 Turbo Cabriolet vai custar 208.364 euros e o 911 Turbo S, 243.050 euros, com impostos incluídos à data deste comunicado.
Nota: Imagens dos modelos 911 Turbo Cabriolet estão disponíveis para jornalistas acreditados na base de dados de imprensa da Porsche no PM 105_1PM 105_2PM 105_3PM 105_5PM 105_6PM 105_7
1) 911 Turbo e 911 Turbo S: consumo urbano: 13,2 litros/100 km; consumo extra-urbano: 7,7 litros/100 km; consumo combinado: 9,7 litros/100 km; emissões de CO2: 227 g/km.
2) 911 Turbo Cabriolet e 911 Turbo S Cabriolet: consumo urbano: 13,4 litros/100 km; consumo extra-urbano: 7,8 litros/100 km; consumo combinado: 9,9 litros/100 km; emissões de CO2: 231 g/km.

 

CORRIDA ATRIBULADA PARA AVILA

 

Corrida atribulada para Ávila em Singapura

 

Rodolfo Ávila terminou a corrida da Taça Porsche Carrera Ásia disputada no passado domingo no circuito citadino de Marina Bay, em Singapura, na sexta posição. Apesar do resultado não atingir em pleno os objectivos previamente delineados pelo piloto do Team Jebsen para esta prova, Ávila ainda assim consolidou a terceira posição no campeonato.

Com cinco pódios em nove corridas, Ávila entrou para este evento disposto a repetir o feito. Na qualificação, realizada no início da noite de Sábado, o piloto português de Macau fez o quinto melhor tempo, numa sessão em que os cinco primeiros ficaram separados por uma pequena margem de meio segundo. Contudo, a corrida de 12 voltas de Domingo seria bem mais tumultuosa para o Porsche 911 GT3 Cup com o nº 20.

“Foi um início de corrida atribulado. Fui  ultrapassado por um adversário fora dos limites da pista e na zona nova do circuito levei um toque na traseira do meu carro e fiz pião. Mesmo com o ‘Safety-Car’ em pista durante seis voltas, consegui ainda recuperar do décimo-quinto lugar até sexto”, explicou o piloto apoiado pelo Team Jebsen e pelo Asia Creative Group.

O resultado acabou por não ser tão prejudicial para Ávila, porque dois dos pilotos que terminaram à sua frente não pontuam para o campeonato, o que lhe permitiu sair de Singapura com um resultado equivalente a um quarto lugar.

Após a prova de Singapura, faltam apenas disputar duas corridas para o fim da temporada 2013 da Taça Porsche Carrera Ásia. A derradeira jornada dupla está agendada para 26 e 27 de Outubro no Circuito Internacional de Xangai, na República Popular da China.Day 2_7_of_11

 

VETTEL VENCE EM SINGAPURA

 

GP DE SINGAPURA DE F1 2013 – Corrida

 VETTEL VENCE EM SINGAPURA COM UMA ESTRATÉGIA DE DUAS PARAGENS NAS BOXES

f1f1000f1000f1001f1002f1003f1005f1006f1007f1008f1010f1011f1012f1013f1014f1016f2000f2001f2002fia1011 Sebastian Vettel da Red Bull conquistou a 33.ª vitória da sua carreira na edição de 2013 do GP de Singapura de F1, usando uma estratégia de duas paragens nas boxes. A vitória de Vettel, que partiu da pole position, garante a manutenção do recorde do GP de Singapura de só ter sido ganho por campeões do mundo.

O piloto da Ferrari Fernando Alonso utilizou uma estratégia diferente de duas paragens para acabar em segundo, ele que tinha saído na sétima posição da grelha de partida, ao passo que o piloto da Lotus Kimi Raikkonen – apesar de sofrer de uma lesão nas costas – conseguiu terminar em terceiro depois de começar a corrida na 13.ª posição da grelha de partida, socorrendo-se de uma terceira estratégia de duas paragens nas boxes. Nas três últimas corridas, Vettel e Alonso terminaram, respetivamente, no primeiro e segundo lugares.

O GP de Singapura iniciou-se sob uma humidade de 67%, com todos os pilotos, à exceção de Adrian Sutil da Force India, a começarem a corrida com os pneus supermacios P Zero Vermelhos. O primeiro piloto a ir às boxes foi Raikkonen, na volta 10, para montar outro jogo de supermacios. Vettel fez uma primeira tirada longa para construir uma vantagem de mais de 35 segundos antes da sua primeira paragem nas boxes, na volta 17, para montar um jogo de pneus médios, voltando à pista ainda na liderança da corrida.

Na volta 25, o safety car entrou em pista durante um total de cinco voltas, mantendo outro recorde a 100% do circuito de Marina Bay. Vários pilotos beneficiaram dessa situação para ir às boxes trocar de pneus, mas os quatro primeiros (que traziam todos eles pneus médios) mantiveram-se em pista, tendo sido eliminada a vantagem de 13 segundos de Vettel.

Não obstante, o piloto alemão voltou a ganhar avanço de forma a efetuar uma segunda paragem, desta vez para montar pneus supermacios novos na volta 44, sem ceder a liderança. Isso permitiu-lhe vencer a corrida com uma vantagem de meio minuto sobre o segundo. Com um limite de velocidade baixo na zona das boxes, que é longa em Singapura, verificou-se uma penalização considerável de tempo em cada paragem – a mais demorada da época – o que fez com que as equipas tentassem minimizar o tempo gasto pelos carros nas boxes.

O Diretor da Pirelli Motorsport, Paul Hembery, disse: “Verificou-se que, mais que o desgaste real, aqui em Singapura, a degradação térmica foi o fator limitativo que hoje os pneus tinham de superar: uma corrida que provou ser tão dura como o que todos estavam à espera. Ambos os compostos, mas em particular o supermacio, mostraram muita durabilidade bem como ritmo e foram a escolha mais apropriada para esta corrida. Uma das maiores complicações foi o facto de a estratégia de corrida aqui ter de ser flexível de forma a ser tida em conta a extensão da corrida e a potencial entrada em pista do safety car, o que fez, uma vez mais, que a duração da corrida atingisse as duas horas. O safety car confundiu consideravelmente as estratégias, mas enquanto Vettel fazia uma corrida a solo, houve uma batalha tática intensa pelas duas outras posições no pódio. Na parte final da corrida, houve muita ação, com a utilização de estratégias diferentes a garantir uma luta cerrada pelos lugares pontuáveis e várias manobras de ultrapassagem, num circuito onde, normalmente, não é normalmente fácil de ultrapassar.”

Tempos mais rápidos do dia por composto:

 

Médio

 Supermacio

Intermédio

Chuva

Primeiro

 WEB – 1m49,783s

 VET – 1m48,574s

N/A

N/A

Segundo

 HAM – 1m49,916s

 SUT – 1m49,656s

N/A

N/A

Terceiro

 VET – 1m50,022s

 VER – 1m50,328s

N/A

N/A

Tirada mais longa da corrida:

Médio

    36 voltas

    Perez; Raikkonen; Hulkenberg; Alonso; Button; Gutierrez

Supermacio

    22 voltas

    Di Resta; Vergne

Intermédio

    N/A

    N/A

Chuva

    N/A

    N/A

Avaliação da correção de previsões:

Embora seja sempre difícil prever uma estratégiaem Singapura, sugerimos duas paragens como sendo o cenário mais provável. Pensámos que poderia haver duas opções: começar com supermacios, depois mudar para médios na volta 16 e voltar a trocar para supermacios na volta 39. Uma alternativa era exatamente a mesma estratégia, mas usar os médios em vez dos supermacios na tirada final.Vettel aderiu a este padrão ao mudar para médios na volta 17 e ao trocar na volta 44 para supermacios para uma curta tirada final.

 

FÓRMULA JUNIOR - BRASIL


Erno Drehmer
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Luiz "Dragão" Trinci
Alta | Web


Erno Drehmer
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Victor Matzenbacker
Alta | Web


Dinho Leme
Clique na imagem para fazer o Donwload...
Lucas Alves e o preparador Fabiano Kratina
Alta | Web

Emoção com boas disputas na Fórmula Júnior em Guaporé

A duas provas da rodada de Guaporé, sexta etapa, teve chuva na primeira e piso seco na segunda

A Fórmula Júnior completou a sexta etapa da sua primeira temporada como a principal categoria-escola do automobilismo brasileiro neste domingo (22) em Guaporé (RS). Com duas provas, os jovens entre 15 a 21 anos mostraram o amadurecimento em que se propõe a categoria que foi criada neste ano pela Confederação Brasileira de Automobilismo (CBA) e Federação Gaúcha de Automobilismo (FGA).

A primeira prova, debaixo de chuva e cerração da serra gaúcha, foi vencida pelo piloto paulista Victor Miranda com o líder do campeonato, o gaúcho Victor Matzenbacker em segundo e uma terceira posição conseguida na última curva do circuito pelo piloto de Brasília, Gustavo Bandeira - "Eu vim pressionando o Lucas (Alves) e senti que ele começou a desgarrar na última curva e deu para passar por dentro", contou o piloto que completou 15 anos no dia 2 de março.

Na segunda prova, já com o tempo abrindo no horizonte, os pilotos voltaram aos boxes após a volta de apresentação para a troca por pneus slick. Na largada, a surpresa veio pelo piloto gaúcho Lucas Alves que saiu da quarta posição para líder logo na passagem da segunda curva do circuito. Gustavo Bandeira usou a mesma trajetória e assumiu a vice-liderança da prova deixando Victor Miranda e Victor Matzenbacker que ocupavam a primeira fila do grid para traz. Com duas intervenções do safety car, por causa de acidentes sem grandes consequências, os carros se juntaram e as trocas de posições nas relargadas trouxeram emoção bem maior para a segunda corrida. O único a se manter na posição da primeira volta foi Lucas Alves que não dava oportunidade de seus adversários se aproximarem, nem mesmo quando o líder do campeonato Victor Matzenbacker voltou a ocupar o segundo lugar na corrida.

"Cada vez que entrava o safety car eu ficava tenso porque sabia que na relargada poderia perder a liderança. Mas consegui uma boa relargada nas duas vezes", comemorou Lucas Alves ao lado de seu preparador Fabiano Kratina, que na segunda etapa da temporada, na mesma pista, perdeu a prova na última volta exatamente por causa de uma relargada depois do safety car.

Com mais oito carros sendo restaurados, os promotores Claudio Fontoura e Neco Fornari já se preparam para algumas seletivas para pilotos para a temporada de 2014. "Temos mais duas etapas em 2013 e já estamos preparando algumas inovações para o ano que vem como novas rodas, chicotes elétricos novos e um grid sempre perto de 20 carros", comemora Claudio Fontoura em reunião com os pais de pilotos.

A próxima etapa está marcada para o dia 19 e 20 de outubro no Autódromo de Tarumã em Viamão, região metropolitana de Porto Alegre.

Classificação da 1ª prova:
1) Victor Miranda 25min49s772 14 voltas
2) Victor Matzenbacker 3s262
3) Gustavo bandeira 6s525
4) Lucas Alves 6s945
5) Gabriel Robe 8s229
6) Matheus Rouver 9s088
7) Rafael Smaniotto 14s063
8) Franco Pasquale 15s367
9) Bruna Tomaselli 16s748
10) Rodrigo Elger 40s030
11) Bruno Bertoncello 58s440
12) Bruno Samara abandonou a prova 8ª volta

Classificação da 2ª prova:
1) Lucas Alves 25min48s430 16 voltas
2) Victor Matzenbacker 0s393
3) Rodrigo Elger 0s939
4) Gustavo Bandeira 1s167
5) Matheus Rouver 1s594
6) Bruna Tomaselli 1s777
7) Franco Pasquale 2s332
8) Gabriel Robe 15 voltas
9) Bruno Samara 12 voltas
10) Victor Miranda abandonou na 6ª volta
11) Rafael Smaniotto abandonou na 6ª volta
12) Bruno Bertoncello abandonou na 2ª volta.

A classificação do campeonato após seis etapas segue com: 1) Victor Hugo Matzenbacker (RS) 188 pontos, 2) Lucas Alves (RS) 117 pts, 3) Gabriel Robe (RS) 105 pts, 4) Matheus Rouver (SE) 95 pts, 5) Victor Miranda, 89 pts, 6) Bruna Tomaselli (SC) 77 pts, 7)Gustavo Bandeira (DF) 71 pts, 8) Rodrigo Elger (PR) 55 pts, 9) Rafael Smaniotto (PR) 41 pts, 10) Bruno Bertoncello (RS) 32 pts, 11) Bruno Samara (PR), 30 pts, 12) Franco Pasquale (RS) 24 pts, 13) Lucas Balbueno (Paraguai) 18 pts, 13) Vitor Fernandes (MG) 17 pts, 14) Lucas Fernandes (MG) 10 pontos. 
 

GALERIA DE IMAGENS - EXTREME SAILING - PORTO

GALERIA DE IMAGENS

 

 

EXTRME SAILING - PORTO

 

 

Mais um conjunto de imagens da passagem da Extreme Sailing pela cidade do Porto.

 

 

Fotos de João Raposo - www.velocidadeonline.comFOX 0229FOX 0230FOX 0231FOX 0232FOX 0233FOX 0234FOX 0235FOX 0236FOX 0237FOX 0238FOX 0239FOX 0240FOX 0241FOX 0242FOX 0243FOX 0244FOX 0245FOX 0246FOX 0247FOX 0248FOX 0249FOX 0250FOX 0251FOX 0252FOX 0253FOX 0254

 

CIRCUITO BRAGA

CIRCUITO BRAGA

 

O TODO O TERRENO DE ANTÓNIO NOGUEIRA

 

Face à degradação dos pneus do Ford Capri de António  Nogueira, levou a que o piloto da Régua tivesse feito uma incursão na relva, coinforme imagens anexas.

 

Fotos de JoaoImagem 218Imagem 219Imagem 220Imagem 220Imagem 221Imagem 222Imagem 223 Raposo - www.velocidadeonline.com

 

GALERIA DE IMAGENS

GALERIA  DE IMAGENS

 

SINGLE SEATERS - CIRCUITO BRAGA

 

O primeiro grupo de imagens referentes a uma das provas de Single Seaters, que decorreu no circuito Vasco SImagem 058Imagem 059Imagem 060Imagem 061Imagem 062Imagem 063Imagem 064Imagem 065Imagem 066Imagem 067Imagem 068Imagem 069Imagem 070Imagem 071Imagem 072Imagem 073Imagem 074Imagem 075Imagem 076Imagem 077Imagem 078Imagem 079Imagem 080Imagem 081Imagem 082Imagem 083Imagem 084Imagem 085Imagem 086Imagem 086Imagem 087Imagem 087Imagem 087Imagem 089Imagem 090Imagem 091Imagem 092Imagem 093Imagem 094Imagem 094Imagem 096Imagem 097Imagem 099Imagem 099Imagem 100Imagem 101Imagem 102Imagem 102Imagem 103Imagem 104Imagem 104Imagem 105ameiro em Braga, cuja grelha teve quase duas dezenas de carros em pista.

 

 

Fotos de João Raposo - www.velocidadeonline.com

 

FERRARI PORTUGAL SEM SORTE

 

Saída de pista impede Ferrari Portugal de atingir objetivos

 

Nurburgring Ferrari_Portugal1Nurburgring Ferrari_Portugal2
Depois de cinco horas e meia de corrida e quando faltava apenas 30 minutos para o final da última corrida do Blancpain Endurance Series em Nurburgring, a Ferrari Portugal protagoniza uma saída de pista que impede lutar pelo objetivo de chegar aos lugares do pódio. Um final inglório depois de excelentes prestações num Campeonato exigente e com pilotos de alto nível.
A corrida estava a decorrer conforma o planeado sem grandes incidentes: "Exceção feita a um pião logo no início que nos fez cair algumas posições. Estávamos com um bom andamento e gradualmente a ganhar posições. Chegar aos lugares do pódio era uma missão possível", começou por explicar Francisco Guedes.
Foi aliás com o intuito de ganhar mais um lugar que o inesperado aconteceu: "Ao protagonizar uma ultrapassagem em grupo, fui um pouco para lá do limite da pista e sem saber bem como dá-se a saída e o embate nas proteções. Ficámos, lamentavelmente, por ali", disse Filipe Barreiros.
Ainda assim, o balanço desta estreia no Blancpain foi muito positiva: "Num Campeonato completamente novo para nós e num carro que também não estávamos habituados conseguimos resultados de destaque que muito nos satisfizeram. Tivemos o melhor dos inícios e as últimas corridas não foram tão felizes. O automobilismo é assim mesmo. Esta participação foi uma experiência muito enriquecedora para todos", rematou Filipe Barreiros.
Depois da conclusão deste Campeonato, a Ferrari Portugal centra já atenções na próxima prova, no fim-de-semana de 28 e 29 de Setembro do Ferrari Challenge

 

TT NO BRASIL

 

Lucas Moraes e Kaique Bentivoglio garantem o 2º lugar na 4ª etapa da Mitsubishi Cup

Com este resultado, eles mantêm a liderança da competição na categoria Triton ER Máster, e sabem que cada segundo conquistado será decisivo na próxima etapa




Foram 3 baterias de 32km, em uma pista sinuosa e rápida, perigosa e perfeita para garantir um disputa intensa entre alguns dos melhores pilotos do Brasil. Lucas Moraes e Kaique Bentivoglio andaram forte, não pouparam nada e brigaram por preciosos segundos.

" Nós queríamos muito vencer, mas hoje conquistamos o segundo lugar nas duas primeiras voltas e o terceiro na ultima. A pista estava incrível, com cana alta, piso duro, curvas que pediam domínio e exigiam fortes retomadas. Os concorrentes são excelentes e por isso a vitória é sempre fundamental para nos mantermos na briga pela conquista da temporada", explica Lucas.

Confira o resultado
4ª etapa - L200 Triton ER Master
1) José Helio G. Rodrigues Filho / Weidner Moreira - 45 pontos
2) Lucas Moraes / Kaique Bentivoglio - 41 pontos
3) Felipe Ewerton Cezar Da Silva / Rodrigo Mello - 40 pontos
4) Marco Falchetti / Ivo Renato Mayer - 35 Pontos
5) Armando Bispo / Leopoldo Albuquerque Filho - 34 Pontos

Acumulado - L200 Triton ER Master
1) Lucas Moraes / Kaique Bentivoglio - 164 Pontos
2) Marco Falchetti / Ivo Renato Mayer - 140 Pontos
3) Armando Bispo / Leopoldo Albuquerque Filho - 132 Pontos
4) Jose Helio Goncalves Rodrigues Filho / Weidner Moreira - 128 Pontos
5) Felipe Ewerton Cezar Da Silva / Rodrigo Mello - 123 Pontos

Que venha a próxima etapa, nos dias 19 e 20 de outubro, em uma etapa dupla em Mogi Guaçu (SP
 

DIOGO GAGO PASSOU PELA LIDERANÇA

 

Diogo Gago liderou CPR2 na estreia do 208 R2

 

Diogo Gago e Jorge Carvalho voltaram a comprovar a sua competitividade, liderando o CPR2 enquanto estiveram em prova com o Peugeot 208 R2 da Pit Stop France.

 

O Rali de Mortágua marcou a estreia do Peugeot 208 R2 nos ralis em Portugal, com Diogo Gago e Jorge Carvalho a revelarem-se como os mais fortes nas duas rodas motrizes enquanto estiveram em prova.

 

Depois do segundo lugar na super especial a apenas um décimo de segundo dos mais rápidos no CPR2, Diogo Gago e Jorge Carvalho cedo assumiriam a liderança na especial seguinte, que marcou também a primeira vitória de um 208 R2 em especiais no campeonato de dois litros.

 

A dupla liderou o CPR2 até bem perto do final da quarta especial do rali, quando foram vítimas de uma saída de estrada, motivada por um pneu que descolou da jante. Diogo Gago e Jorge Gago ainda procuraram recolocar o carro na estrada, mas tal não possível e desistência foi inevitável, numa altura em que eram igualmente quartos da geral!

 

Quanto á sua prova, Diogo Gago que conta com os apoios de Berci, Axa Seguros, QF-lda, Pirelli, Britefil, Pedro Pinto Automóveis, Ray Just Energy Drink e Chaveca & Janeira e Mariscos Galvão, “este Rali de Mortágua começou bem para nós, pois logo na super especial mostrámos que podíamos lutar pela vitória no CPR2. No primeiro troço ‘a sério’, assumimos a liderança do CPR2 e demos á Peugeot a primeira vitória de um 208 R2 em especiais em Portugal. Estávamos a rodar rápido, mas com alguma segurança, até que bem perto do final da quarta especial, um pneu descolou da jante e levou-nos a sair de estrada”.

 

O jovem algarvio admite que “é obviamente desolador desistir quando estamos na liderança, mas há que realçar que na estreia do 208 R2 em Portugal, eramos os líderes da categoria e estávamos a efectuar tempos muitos bons á geral.”

 

Para finalizar, Diogo Gago não deixou de “agradecer á Pit Stop France a disponibilidade de nos ceder o carro para esta prova, assim como todo o trabalho que tem vindo a ser efectuado, também em conjunto com os nossos patrocinadores, a quem gostaríamos de ter oferecido um grande resultado”.

 

Diogo Gago e Jorge Carvalho estarão de regresso já nos dias 11,12 e 13 de Outubro na 208 Rally Cup, onde marcarão presença no Rally de Antibes.Diogo Gago_Mortgua_2013_2

 

VOLTA AO MUNDO COM FRANCISCO SANDE E CASTRO

Hoje de manhã saí daquele Hotel de aldeia já a suar, mesmo depois do habitual duche frio matinal. Fora da zona montanhosa as temperaturas, nesta altura do ano, sobem até muito perto dos 40º. Continuei na mesma estrada que, ao aproximar-se da fronteira com a Índia, começava a ter muito movimento e, consequentemente, estava mais degradada mas nada com o que se possa comparar ao que encontrei mais tarde.
Passei a fronteira sem grandes problemas deixando para trás o Nepal que me seduziu, não pela confusão de Katmandu mas pelas gentes das aldeias de província, pela paisagem fabulosa e pela reserva animal que visitei com o divertido safari de elefante.
As pessoas são mais civilizadas que no norte da Índia, de um modo geral mais cultas e menos deslumbradas com a moto, por exemplo. Claro que paravam para ver mas perguntavam-me a cilindrada e não o preço, quanto atingia de velocidade e não quanto gastava.
Por outro lado não ligavam tanto Portugal aos jogadores de futebol, como em outros países (não na Índia que aí só têm olhos para o cricket) mas muitos sabiam onde ficava e vários me falaram em Lisboa, mesmo nunca tendo saído do seu país. Interessante também foi observar  bastante gente da classe media deles, como empregados de hotel, a jogarem xadrez.
Mas estava eu a passar a fronteira de regresso à Índia. Não há confusão possível, entro na bagunça mais à séria, principalmente porque a população por quilómetro quadrado é muito superior à do Nepal e logo, o lixo, o transito, os buracos na estrada e tudo o mais é a multiplicar. Até conseguir chegar a uma estrada em que se pudesse circular a mais de 20, 30 Km/h entre “rickshaws”, carroças, bicicletas, motos, vacas, etc. demorei mais de meia hora. Depois, quando pensava que iria percorrer os 200 Km que me separavam da fronteira com o Butão tranquilamente, apanhei 120 Km da pior estrada que alguma vez vi na vida. Foram 120 Km de buracos contínuos numa estrada que já foi de alcatrão mas agora é só terra e, mesmo numa prova de todo-o-terreno, seria considerada de muito mau piso. Indiscritível. Para agravar a situação, centenas de camiões a circularem nos dois sentidos e a ultrapassarem-se a 30 Km/h faziam daquela via um verdadeiro inferno, que se arrastou a tarde toda. Por duas vezes fui quase ao chão, apanhado de surpresa por enormes buracos quando seguia atrás de camiões e não os via. E não era possível afastar-me mais porque logo outro me ultrapassava. Outra vez, quando ia a passar um o condutor decidiu ultrapassar um outro e, como não têm retrovisores e ainda não me habituei à ideia de ir sempre a tocar a buzina, atirou-me para fora da estrada. Na berma, em terra inclinada, tive que travar forte para não passar por cima de um pastor deitado tranquilamente no meio daquela poeirada indiscritível.  
Quando começou a ficar noite parei no que me pareceu poder ser um Hotel mas era a quinta duma simpática família que me disseram logo para descansar um pouco e a irmã que se vê na fotografia foi buscar-me um chá e uma tosta que me souberam divinalmente. Convidaram-me para ficar a jantar mas não pude aceitar pois queria encontrar um hotel antes de anoitecer.
Parei na cidade seguinte. Foi o segundo inferno do dia. O melhor hotel desta cidade de província era tão ou pior que os piores que tenho encontrado. Só que aqui estava na Índia, numa cidade de província com uma população muito assinalável. Resultado: tive a sensação que toda a população tinha parado para vir ver a moto. Às tantas o gerente veio sugerir-me que a enfiasse num corredor que dava acesso ao Hotel e que, embora fosse aberto para a rua sempre era mais escondido. Não solucionou o problema. Começou a entrar gente e mais gente pelo corredor a querer ver a moto e subiam para o hotel para me verem a mim. O gerente mandou pôr uma capa por cima da moto mas tudo parecia que ainda os entusiasmava mais. Fechei-me no quarto e às tantas o homem veio chamar-me para a deslocar mais para a frente que estava a causar um pandemónio na entrada do Hotel. Quando lá cheguei abaixo assustei-me com a multidão.
Fui jantar ao restaurante do Hotel e os poucos clientes que tinham acesso ao local ficaram embasbacados a ver-me jantar. Dois deles, com as mesas quase todas livres, sentaram-se na mesa mesmo à minha frente os dois virados para mim. Passado um bocado o gerente do Hotel veio chamar-me porque tinha o chefe da polícia ao telefone. Perguntou-me quem eu era, o que se passava, de onde vinha e quando partia e qual a razão daquela confusão na cidade. Finalmente perguntou se precisava que mandasse alguém ou se queria guardar a moto na esquadra mas recusei ambas as soluções por me parecer que iriam agravar a situação.
Já tinha fugido para o quarto outra vez quando me bateram à porta. Quando abri entraram-me três pessoas pelo quarto dentro e outras 20 também queriam entrar. Um homem que me mostrou um cartão de jornalista disse que trabalhava para um jornal e televisão locais e queria entrevistar-me. Parecia que estava naquele filme do Woody Allen em que fabricam uma estrela sem qualquer razão e não a largam. Pedi para saírem e que já iria ter com ele ao restaurante mas com o máximo de mais três pessoas. Lá fui conceder a entrevista e depois pedir à multidão que se afastasse para tirarmos uma fotografias junto à moto. O homem agradeceu muito eu ter-lhe dado 15 minutos do meu tempo e que estava emocionado por ter estado a falar comigo. Tal qual o filme do Woody Allen. Ainda pensei que aparecesse alguém a dizer: “isto foi para os apanhados” antes de voltar a fugir para o quarto. O gerente garantiu-me que às onze horas fechavam as entradas para o corredor. Espero que a moto ainda tenha as peças todas amanhã.   

Hoje saí antes das onze do hotel em Hetauda mas tive que parar no único banco que encontrei na pequena cidade para trocar 30 dólares que as últimas rupias tinham ido para pagar a estadia.
As empregadas bancárias penso que nunca tinham visto uma nota estrangeira. Perguntaram à gerente o que fazer e estiveram três delas, durante dez minutos, a tratar do assunto. Uma via o cambio na internet, a outra contava e recontava três notas, a tal ponto que às tantas já não sabia onde as tinha metido, enquanto a terceira verificava se o visto no meu passaporte estava válido, confundindo-o com o do Irão e sendo mesmo necessária a ajuda de um colega. Quando parecia estar tudo tratado duas delas dirigiram-se ao gabinete da gerente, que eu podia ver. Esta puxou de uma calculadora, confirmou as contas, assinou o papel e deu-lhes ordem de pagamento. Quando já tinha o dinheiro na mão a gerente, no seu Sari impecável, veio ao computador de uma delas verificar o cambio e ordenou: “Alto. Desculpe. Elas enganaram-se no cambio”. Devolvi o dinheiro entristecido, não pelo engano no cambio mas pela demora que isso representava. Passados mais dez minutos e muitas contas entregaram-me o equivalente a menos 12 cêntimos. Não tive duvidas que estava na província mais profunda do Nepal.
Depois de atravessar uma parte dos Himalayas tinha descido a um vale onde se situava esta cidade e partia agora rumo a uma estrada que atravessa o país de Ocidente a Oriente, pela planície do sul. É a principal estrada do país e tem o alcatrão mais bem tratado que as restantes mesmo se só tem uma via em cada sentido e grandes buracos em certas zonas que podem fazer muitos danos. Rodei durante o dia em grandes rectas, já a 120, 130 Km/h mas com imenso cuidado não só para não cair num destes buracos como para evitar as inúmeras armadilhas, não só de cabras e vacas que se passeiam alegremente pela via, um bezerro até mamava tranquilamente, literalmente no meio da estrada, como por camiões que avariam e, não havendo reboques no país, são reparados no local, ou casos mais específicos como uma ponte que abateu e me obrigou a atravessar o leito do rio com a moto, felizmente seco nesta altura do ano.
O triângulo de sinalização dos camiões é idêntico aos que já tinha visto em África, uns ramos de árvore ou pedras colocados antes e por vezes ao redor do veículo imobilizado.
Parei pelas três da tarde, junto a um mercado de fruta onde comprei três maçãs que fiquei a trincar debaixo da lona que fazia sombra a um colega da vendedora de fruta. O homem vendia tubérculos que pesava através de uma balança composta por um pau com dois pratos metálicos pendurados em cada ponta, um para os pesos e outro para os tubérculos. O seu dedo era a charneira que, obviamente, tinha tendência para se deslocar mais para o lado dos pesos. Quando as clientes se queixavam ele movia então o dedo um pouco para o outro lado, com muito cuidado para não passar o meio do pau.
Passados uns quilómetros passei por um trator carregado de gente toda pintada em tons de encarnado e amarelo. Parei para tirar umas fotografias e, em menos de um tempo, estava um operador de câmara de uma tv local a pedir-me para comentar o evento.
Arranquei dez minutos depois para tentar ir ficar a uma pequena reserva animal que havia por perto. Comecei por passar pelo desvio sem o ver porque a placa indicativa estava escrita na língua deles. Quando voltei para trás verifiquei que o lado contrário da placa, virada para quem vem da fronteira com a Índia, já estava em Inglês. Meti pela estreita estrada de terra e, uns quatro quilómetros depois, lá encontrei o escritório decrépito da reserva onde dentro tinham alguns animais mal embalsamados e um elefante bébé dentro de um aquário grande com um líquido qualquer de conservação. Disseram que não tinham a certeza se o Lodge, onde poderia ficar a dormir, estava aberto e que ficava do outro lado da reserva que tinha uma entrada por uma estrada não assinalada. Lá me explicaram onde era e voltei à estrada principal para a tentar encontrar mas depois de duas tentativas falhadas e com a noite a aproximar-se, decidi regressar à via alcatroada e retomar caminho. Foi escurecendo rapidamente e, com as vacas sem luzes, decidi que era melhor encontrar qualquer sítio onde ficar. Na primeira aldeia em que passei vi um letreiro que anunciava quartos com casa de banho. Na sala de entrada com chão em cimento fui atendido pelo que vim a saber ser um cliente. Pedi para ver um dos quartos e acabei por ficar no segundo que me mostraram. Uma cama grande mas dura como pedra, lençóis e almofadas com ar de não verem lavagem há cinco clientes e casa de banho mínima com buraco no chão e duche com saboneteira já atestada com vários restos de sabonetes velhos e uma escova de dentes usada. A janela, como nos restantes quartos, dava para o corredor. O preço não exigia mais: quatro euros por noite. Não tive outro remédio senão por ali ficar. Prepararam-me um jantar Nepalês, com Dal, uma espécie de sopa que creio ter grão e é comum aqui, arroz seco, uns pedaços de galinha num molho picante e alguns vegetais com outro tipo de molho.
Depois do jantar instalei-me numa cadeira de plástico com uma pequena mesa que me puseram em frente, no pátio do Hotel, ao ar livre mas, pelas dez da noite, o proprietário anunciou-me que tinha que ir dormir.
-       “Está bem, eu fico aqui”
-       “Não. É que eu tenho de me ir deitar”
Só então percebi que a entrada/sala/recepção/restaurante/bar que, a meu pedido, também tinha servido de garagem para a moto era, além disso, o quarto de dormir do dono e família, mulher e dois filhos de cinco anos e cinco meses.
Fui para o quarto onde acabei de escrever a ouvir a atividade sexual do jovem empregado do Hotel, com a sua mulher de 17 anos mas com aparência de 14, mesmo com a televisão do quarto deles ligada, provavelmente para abafarem o som.
Quando acordei já estavam os donos na sala única a ver televisão, sentados no sofá. Enquanto a mulher puxava e largava uma corda atada ao berço do bébé, suspenso com duas cordas no teto, o filho de cinco anos comia arroz à mão de uma tijela. Perguntei se tinham pequeno almoço mas não havia pão de maneira que me arranjaram dois ovos estrelados e um sumo de lata que eles bebem mas não é bem fruta. Pelo sabor parece ter caju e leite, misturados com qualquer outra coisa.

Hoje saí de Katmandu pelas 11,30 para enfrentar a terrível estrada que é a principal, senão a única, entrada e saída da cidade e onde já tinha passado quando cheguei. Demorei cerca de duas horas para fazer os primeiros cinquenta quilómetros. É uma estrada de serra muito esburacada com centenas de camiões que se arrastam e formam filas intermináveis de cada vez que um avaria, ficando a impedir uma das duas únicas vias. De moto vamos conseguindo passar entre os camiões mas a “Cross Tourer”, com os 400 Kg que desloca carregada, não é “pêra dôce” para dominar, principalmente quando escorrega para dentro das valas que existem no meio da estrada nas partes de terra, ao passar entre dois camiões. Depois deste inferno saí para uma estrada estreita através dos Himalayas a caminho da cidade de Hetauda. Foram cem quilómetros numa estrada muito sinuosa e esburacada mas praticamente sem transito e com uma paisagem deslumbrante. Muitas vezes tive que engatar primeira para passar por rios com pedras que atravessavam a estrada ou em cotovelos com o piso muito degradado. Tinha saído de Katmandu com 26º de temperatura mas na montanha, onde a altitude subia a perto de 2500 metros, a temperatura desceu para 17º e começou até a chover um pouco. O problema foi o nevoeiro denso que encontrei na parte mais alta e que não me deixava ver um palmo à frente do nariz.
Por estes lados vêm-se muitos grupos de crianças de todas as idades a virem das escolas e parecem mesmo existir mais escolas que casas onde viverem.
Pelas três e meia da tarde, sem ainda ter encontrado uma das habituais bancas de fruta para almoçar, fui atraído por uma panela ao lume numa barraca sem janelas e parei. Comi uns fritos estranhos, não sei de quê, embrulhados em papel de jornal. Provavelmente pernas de lagarto. Lembrei-me de uma conversa que tinha tido há quinze dias com a Embaixatriz do Peru na India que me perguntava:
Mas não leva nada reservado?
Não. 
Então é como nos filmes.
-         Sim, é como nos filmes.
Ceguei a Hetauda perto das cinco da tarde. Tinha percorrido apenas 150 Km desde Katmandu mas instalei-me no único Hotel existente na cidade pois a  distancia para a próxima não me permitia que lá chegasse de dia.
Mostraram-me primeiro o quarto “standard”, de três euros por noite, mas acabei por ficar no “luxury”, com um ar bastante melhor e mais limpo, por seis euros.
Um dos empregados a observar a moto perguntava-me às tantas quanto custava, a primeira pergunta que fazem na Índia mas pouco habitual aqui. Quando lhe respondi cerca de 20.000 dólares  respondeu: “Ena pá, com esse dinheiro compram-se duas casas aqui”.
Amanhã a estrada é bastante melhor e espero fazer perto de 400 Km até à fronteira com a Índia para no dia seguinte entrar no Butão.

 

João Raposo

Telemóvel: +351 961 686 867
E-mail: jraposo-air@portugalmail.pt